BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

agosto 5, 2018 Abreu 22 comments

 

*******************************************************************************************************************************

Prezado Abreu,
Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
Vou fazer Brasília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

Comentário postado em 19/08/2017 as 13:41 por Alceu Simões Nader 

                                 

BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

 

             (O espaço para comentários, dúvidas e consultas sobre esta matéria encontra-se ao final dela.)

  

            Já há algum tempo identificamos um fluxo substancial de famílias de Brasília e Goiânia, que optam por passar férias no sul da Bahia, particularmente Ilhéus, Itacaré e Porto Seguro. Mais recentemente, identificamos um subgrupo que escolhe Morro de São Paulo e Guaibim para o merecido descanso anual. 

            Também ao longo dos últimos dois anos, buscamos construir a melhor rota para esses viajantes, de modo a resguardar a segurança da viagem e o relativo conforto dos passageiros.

            Como em todos os nossos posts aqui no blog, uma das orientações de que não abrimos mão é a total inconveniência de viagens à noite pelas estradas brasileiras, com exceção de umas poucas no Estado de São Paulo. À noite, a estrada é outra. Por falta de sinalização adequada, de olhos de gato ou iluminação, os eventuais buracos e ressaltos se tornam invisíveis e os jumentos, bois e cavalos soltos no escuro se tornam assassinos. Resultado: 82% dos acidentes com mortes nessas estradas ocorrem entre as 18 horas de um dia e as 06 horas da manhã do dia seguinte.

            Então, estamos combinados: viajar à noite nessas estradas é para motoristas inexperientes ou “nativos locais totais”, ou seja, moradores de cidades vizinhas, que conhecem a estrada como a palma da mão. Famílias ou solteiros, responsáveis, ajuizados e que querem apenas ir, curtir e voltar em paz, iniciam a viagem ao nascer do sol e, ao pôr-do-sol, já estão no hotel.

            Para a viagem de Brasília a Morro de São Paulo, temos hoje duas alternativas básicas: Correntina (1.316 km ou 1.401 km) e Barreiras (1.413 km).  O percurso por Barreiras é o mais longo (97 km ou 12 km), embora seja o mais bem estruturado. Passa por Brasília-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Anônio de Jesus-Morro de São Paulo.

              A ROTA POR BARREIRAS

              Essa rota está descrita, aqui mesmo no blog, em nosso post “Brasília-Salvador de carro”, publicado em nosso site www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. A modificação acontece na cidade de Itaberaba. Para se ir a Salvador, recomendamos virar à esquerda, para Ipirá e Feira de Santana ou seguir em frente e alcançar a BR 116 em Argoim. Para Morro de São Paulo, deve-se virar à direita e pegar a BA 245 para Iaçu e, de lá, atravessar a BR 116, chegar a Amargosa e Santo Antônio de Jesus, pegar a BR 101 e descer até Valença. 

             Em relação à rota por Barreiras, orientamos no sentido de que, uma vez nela, não se deve tentar pegar a rota por Correntina, utilizando as transversais que ligam as duas rodovias, porque elas estão, em sua maioria, intransitáveis. 

           AS ROTAS POR CORRENTINA

Já a rota  por Correntina é Brasília-Posto Rosário-Trevo da BR 349-Correntina-Santa Maria da Vitória-Bom Jesus da Lapa-Caetité-Brumado. Uma vez em Brumado, abrem-se duas possibilidades. 

A primeira (a indicação clássica deste blog) é descer para Vitória da Conquista e pernoitar lá. No dia seguinte, depois de rodar mais 371 km, chega a Valença antes do meio-dia. Por essa alternativa, a viagem toda de Brasília a Valença percorre 1.401 km (contra os 1.413 km da rota por Barreiras), com boa estrutura de apoio (postos de combustíveis, lojas de conveniência, lanchonetes, restaurantes e patrulhamento da Polícia Rodoviária Federal). 

A segunda alternativa foi-nos apresentada pelo sputnik  Gilberto Brandão (companheiro de viagem, em russo), apelido carinhoso que damos a todos os que por aqui passam, mas, principalmente àqueles que retornam ao blog para trazer informações atualizadíssimas sobre as estradas utilizadas em  suas viagens recentes.

No caso do Gilberto, ele fez uma viagem rápida em julho de 2018, por interesse comercial e não turístico, de Brasília a Valença. Ele foi pela rota de Barreiras. Mas no retorno, errou a saída e voltou por uma rota que até então estava tão destruída que não tínhamos a mínima condição de recomendá-la. 

Para surpresa do Gilberto e nossa, o relato dele é de que está boa a rota de volta de Valença para Brumado passando  por Laje-Mutuípe-Ubaíra-Santa Inês-Itaquara-Jaguaquara-Itiruçu-Lajedo do Tabocal-Maracás-Pé de Serra-Contendas do Sincorá e Brumado. 

Segundo o relato de Gilberto, que reproduzimos abaixo na área dos comentários, as estradas dessa rota foram recuperadas, não tendo sido encontrado sequer um buraco. Por essa rota, a viagem total a partir de Brasília até Valença perfaz um total de 1.330 km. 

Trata-se de uma redução de 70 km no trajeto total. Temos de lembrar, entretanto, que se trata de um trecho de estradas que não tem estrutura hoteleira ou de apoio e nâo conta com a presença da Polícia Rodoviária Federall, razão pela qual sugerimos àqueles que decidirem testar o novo trecho QUE NÃO VIAJEM NELE À NOITE, o que significa pernoitar em Brumado. 

Para os que escolherem essa rota recém-descoberta por Gilberto Brandão,  lembramos que, saindo de Brasília ao nascer do sol, há plenas condições de pernoite em Brumado, após 915 km, e de concluir a viagem no dia seguinte, após o café da manhã, chegando a Valença pouco antes do meio-dia.

Caso a viagem se atrase, há condições de pernoite em  Caetité ou mesmo Bom Jesus da Lapa. Caso a viagem se adiante, ainda assim pernoite em Brumado. Em qualquer dos casos, sempre será possível chegar ao destino antes do meio-dia do dia seguinte.    

Os pontos de apoio para banheiros, lanches e abastecimento estão em Rosário, a 300 km de Brasília (o melhor de todos os pontos de apoio da rota) Correntina, Bom Jesus da Lapa, Caetité e Brumado.

Importante registrar que, nas estradas da região, sinal de celular só está disponível nas cidades de apoio e em algumas – como Rosário – a única operadora é a Vivo. Nos intervalos entre cidades, normalmente não há sinal.

Em qualquer das três rotas (Barreiras, Correntina via Vitória da Conquista ou Correntina via Maracás), quando mencionamos “Valença”, na verdade estamos falando da Ponta do Curral, situada no distrito de Guaibim (município de Valença), cujo acesso fica a cerca de 7 km ao norte da sede do município. Lá fica o estacionamento e o porto das lanchas que fazem a travessia mais rápida e confortável para para Morro de São Paulo, com duração aproximada de 10 minutos e mar calmo. 

Lembramos a nossos leitores que não deixem de ver aqui no blog o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Esse post tem interessantes informações, principalmente para marinheiros de primeira viagem ou famílias que se deslocam com crianças pequenas ou idosos, por exemplo, mas traz também muitas dicas para motoristas experientes, como nossa receita para não dormir ao volante no começo da tarde (quando todos dormem a bordo), ou como enxergar melhor sob chuva na horas próximas ao pôr-do-sol. O Manual está em www.expressaodaliberdade.com.br, aba “Rodovias Brasileiras, “Manual…”

Nosso o objetivo é que a viagem de férias de todos os nossos sputniks  (companheiros de viagem, em russo) seja alegre, feliz, segura e tranquila e o seu retorno seja tranquilo, seguro, feliz e alegre.

Para isso, contamos integralmente com o seu apoio e compreensão: às vezes indicamos rotas mais longas, porque são mais confortáveis. Nunca indicamos estradas de terra, porque famílias com automóveis quebrados em estradas de terra, em dia de chuva, sem condição de socorro, são um drama que não desejamos para nenhum dos nossos sputniks. Às vezes, indicamos rotas MUITO mais longas do que outras, mas é porque estamos cientes de fatos como combustível adulterado ou ocorrência de assaltos.

            E essa nossa metodologia tem dado resultados muito bons.

Edimar Rodrigues de Abreu – 05 de agosto de 2018.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

22 Comments on “BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

  1. Parabéns pelas excelentes matérias. Eu não conhecia o blog e até as do sítio li todas (tenho um e passei por quase todos eles).
    E por coincidência vou de Brasília até Itaparica, e achei um post parecido, que vai até Guaibim. Na minha última viagem não fui por Feira de Santana (cidade natal) e decidi ir por Castro Alves, logo na saída de Argoim, mas foi desastroso, pois não tinha mais estrada. Neste post vi que sugere entrar a direita pela BR-116 e ir em direção a Amargosa e em seguida Santo Antonio de Jesus. Este caminho continua valendo? Vou dia 15/12 e ao chegar na Ilha atualizo para vocês.
    OBS: Vou por LEM-Barreiras…etc
    Forte abraço!

    1. Olá, Eduardo. Bem-vindo ao blog e obrigado pela leitura ampla e irrestrita! De fato, nossa recomendação para a rota Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Antônio de Jesus permanece. Ocorre que aquele trecho entre a BR 116 e Santo Antônio é constituído de estradas estaduais, que têm o mau costume de se estragarem da noite para o dia e o conserto demorar, por falta de verba do DER baiano. Assim, sempre advertimos aos nossos visitantes que busquem informações em Itaberaba ou mesmo em Amargosa sobre os 50 km que faltam para Santo Antônio. Por outro lado, essa orientação é mais para quem está indo para o litoral sul e você está indo para Itaparica. E, nesse caso, embora mais longo um pouco (cerca de 120 km), a rota que nós escolheríamos, no seu lugar, seria sua velha conhecida Feira de Santana-Santo Antônio de Jesus-Nazaré-Itaparica. Não temos informações recentes sobre o trecho após Amargosa – nem boas, nem más. De qualquer modo, independentemente da rota que você escolher, nós adoraríamos receber seu relato, com notícias fresquinhas das estradas que você vai percorrer. Dê notícias!
      Um grande abraço.
      Abreu

  2. Olá Abreu, bom dia meu nobre amigos estradeiro!!!
    Um amigo me fez uma pergunta e não tive condições de responder no momento, porém, já sabia quem teria a resposta correta para ele. Portanto, passo a responsabilidade da resposta meu amigo que é a seguinte.
    Qual a dinâmica do trânsito no dia 25/12??? A estrada é cheia? Os postos atendem normalmente? Os restaurantes funcionam normalmente??
    Meu caro Abreu, essas foram as questões levantadas pelo meu amigo. Desde já agradeço pela atenção e disponibilidade de sempre.Abraço.

    1. Olá, meu velho lobo das estradas! Antoni, não notamos ao longo de décadas qualquer diferença de funcionamento ou no tráfego de veículos nos feriados de 25 de dezembro e 01 de janeiro (Natal e Réveillon), nas paradas técnicas que recomendamos nas rotas descritas aqui no blog. A única circunstância para a qual chamamos a atenção nesses casos é a SAÍDA de Brasília. Para aqueles que são agoniados para sair mais cedo, sempre lembramos da necessidade de máxima atenção nas primeiras horas das duas datas, em razão da expressiva quantidade de bêbados dirigindo nas vias da Capital Federal, após saírem das festas comemorativas. Recomendamos, nesses casos, que observem nossas orientações de rotina, ou seja, sair de Brasília de modo a estar no Colorado ao nascer do sol. No mais, esses dias devem ser tratados como qualquer dia, qualquer fim de semana ou qualquer feriado, sem preocupações adicionais, OK?
      Um abração, Antoni!
      Abreu

  3. Abreu
    expressaodaliberdade.com.br

    Em resposta a Lino Luz
    Olá, Lino. Bem-vindo ao blog e obrigado por suas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Existem três rotas recomendadas por nós para a viagem de Brasília a Guaibim: por Barreiras, por Correntina via Brumado/Vitória da Conquista e por Correntina via Brumado/Contendas do Sincorá e Maracás. Sob o aspecto da conservação das estradas, não temos dúvidas de indicar a rota por Barreiras. As diferenças de quilometragem entre as três não são relevantes, mas a segurança, a estrutura hoteleira, as boas cidades a cada 200/250 km, a presença da Polícia Federal e o bom estado do asfalto tornam a rota por Barreiras a número 1 para nós. E quando falo isso, significa que, quando vou com minha família de Brasilia para Morro de São Paulo, vamos por Barreiras. Para quem opta pela rota por Correntina, lembramos da necessidade de atenção nos 20 km antes e 20 km depois de Correntina, onde há uma concentração de buracos. Lino, você chegou até nós pelo post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também estão publicados outros posts que podem ser do seu interesse, como o “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, o “Brasília-Salvador de carro”, o Brasília-Ilhéus de carro” e outros. Dê uma passadinha por lá, OK? Se restarem dúvidas, Lino, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança.
    Um grande abraço.
    Abreu
    P.S.: Por ser com certeza do interesse de outras pessoas que viajam para Guaibim, vou copiar o seu comentário e nossa resposta aqui no “Manual” e colá-los lá no post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”.

  4. Lino Luz

    Caros amigos,

    vamos viajar p Guaibim em Janeiro de 2019 e gostariamos de saber o estado das estradas.
    desde já agradecemos e rogamos a Deus conceda saúde e força para voces poderem
    continuar ajudando os menos experientes como nós

  5. Olá Abreu, meu nobre amigo das estradas. Boa tarde!!!!
    Quero saber se tem novidades sobre o trecho dos 20 km antes e 20 km depois de Correntina. Conforme informações anteriores, esse era o trecho que estava ruim.
    Obrigado.

    1. Olá, Antoni, meu caro sputnik estradeiro! Sempre bom vê-lo por aqui. Quanto à sua dúvida, nada de novo sob o sol: os buracos continuam lá, não representam perigo de dia, exigem uma direção mais atenta e uma velocidade mais reduzida, apenas isso. Mas continua “tudo como dantes no Quartel de Abrantes”.
      Um abração.
      Abreu

  6. Abreu meu amigo Sputnik, bom dia!!!! Tudo bem???? Acho que li no blog sobre alguns trechos que não estão em boas condições. Qual seria esse trecho??? Como sabe, vou para Guaibim/Morro de São Paulo e etc, portanto, gostaria de saber como está pra lá. O nosso amigo Gilberto, em post anterior, disse que o trecho Guaibim para Brasília estava muito bom. Não podemos deixar para cima da hora a tomada de decisões sobre a estrada que vamos pegar. Não é mesmo???
    Desde já agradeço a colaboração e o empenho de sempre em responder as nossas demandas.

    1. Olá, Antoni, velho Lobo das Estradas do Planalto Central para Guaibim! Bom tê-lo de volta por aqui. Quanto às alternativas de rotas, nada de novo sob o sol. A rota por Barreiras está boa e a de Correntina só apresenta buracos 20 km antes e 20 km depois da cidade. A rota desbravada por Gilberto Brandão (Brumado-Contendas do Sincorá-Maracás) ainda continua pouco estruturada ou policiada. Assim, nossa recomendação para você também continua sendo a rota por Barreiras-Itaberaba-Iaçu-Santo Antônio de Jesus-BR 101-Guaibim. Dê notícias, OK?
      Um abração.
      Abreu

      1. Ok meu caro!!!!Antes de ir, pretendo conversar novamente com você e sondar as novidades dos irmãos estradeiros.

        1. Muito obrigado meu amigo, Mad Max do Planalto Central. Vi sua resposta para o Lino e já sabia como responderia a minha pergunta. Como sempre, sua atenção dispensada aos usuários é excelente. Muito obrigado Abreu. Abraço.

  7. Boa Noite! Estou indo de volta de Porto Seguro para Brasília. Gostaria de saber qual melhor rota para retornar. Pois na vinda pegamos a rota de correntina, bom jesus da lapa, Vitória da conquista , brumado, Eunápolis e Porto seguro. Mas achei muito perigosa por conta das inúmeras estradas com curvas perigosas.. Me sugere uma rota de volta com menos curva e menos adrenalina? Agradeço atenção..

    1. Olá, Marcela. Bem-vinda ao blog. Você chegou até nós pelo post “Brasília-Morro de são e Guaibim de carro”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br“, na aba “Rodovias Brasileiras”. No mesmo endereço está publicado o post “Brasília-Porto Seguro de carro”, no qual descrevemos as alternativas para a viagem entre Brasília e Porto Seguro. Você tem duas outras opções, além de Correntina (por onde você foi), que tem 1.411 km. Uma é por Barreiras. Para pegá-la, ao chegar a Vitória da Conquista, suba na direção de Salvador até a entrada para Iaçu e Itaberaba (BA 245), cerca de 8 km depois da cidade de Milagres. Dali é chegar a Itaberaba e seguir para Seabra, Ibotirama, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Alvorada do Norte, Formosa e Brasília. Essa rota perfaz um total de 2.000 km. A outra hipótese é a rota por Montes Claros, num total de 1.530 km. Ao chegar a Vitória da Conquista, desça para o sul, em direção a Belo Horizonte. Depois de 130 km, você estará no entroncamento para Salinas e Montes Claros (BR 251), que fica à sua direita. A seguir, você deverá passar por Salinas, Francisco Sá e Montes Claros, onde você pegará a BR 365 para Pirapora e Luislândia do Oeste. Nessa cidadezinha, a BR 365 cruza com a BR 040, que te levará a Brasília, passando por João Pinheiro, Paracatu, Cristalina, Luziânia e Brasília. Recapitulando: Correntina= 1.411 km. Barreiras= 2.000 km. Montes Claros= 1.530. Pela diferença das distâncias, imagino que você vai escolher voltar por Montes Claros. Se eu estiver certo, gostaria de fazer algumas recomendações especiais para você. A primeira é que você deve evitar a tentação de cortar caminho por essas estradas entre Porto Seguro e a BR 116, passando por Salto da Divisa, Jacinto, Almenara e Pedra Azul ou Almenara, Jequitinhonha, e Itaobim. A distância é bem menor, mas são estradas ermas, abandonadas, grande parte em estradas de terra e com registro frequente de assaltos. Assim, não dê ouvidos (as pessoas da região acham normal passar por ali) e vá até Vitória da Conquista e de lá tome a decisão. A outra recomendação é não viajar em hipótese alguma à noite em qualquer das rotas que indicamos, especialmente no trecho entre Salinas e Montes Claros. Esse trecho tem apresentado um índice intrigante de acidentes graves envolvendo carros e carretas, TODOS NO PERÍODO NOTURNO. E peço que você tenha um pouco mais de atenção nas imediações de Francisco Sá: a 20 km antes e 20 km depois dessa cidade existem buracos esparsos, que exigem redução da velocidade e cuidado dobrado. Finalmente, não deixe de ler também o nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, onde publicamos uma série de informações que podem ser interessantes para você. Em caso de dúvidas, retorne, Marcela: será um prazer ajudá-la a voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  8. Abreu, meu nobre, bom dia !!!! Sem rasgação de seda mas, não consigo(rsrsrsrsrs)
    !!!!Parabéns, você é o cara das estradas, o nosso Mad Max brasiliense e sempre pensando no próximo Sputnik, como gosta de dizer dos irmão de viagem.
    Parabéns pela inclusão do trecho Morro de São paulo/Guaibim. Como sabe, já passei por diversas vezes por esse caminho, na verdade, só passei por esse caminho e agora com a confirmação do nosso companheiro, Gilberto Brandão, fico mais feliz ainda por compartilhar conosco a condição das estradas na qual vamos pegar novamente no final do ano.
    Muito obrigado Abreu.
    Muito obrigado Gilberto Brandão.

    1. Olá, Antoni. Bem-vindo de volta! Realmente, você é um lobo dessas estradas para Morro, Guaibim e Valença. Quando você apareceu aqui, a algum tempo atrás, queria exatamente esclarecer esse mistério da rota por Contendas do Sincorá, que o Gilberto agora acaba de desvendar. Acho que não há uma rota mais indicada do que a outra. Cada uma tem suas vantagens, como colocamos no post. A diferença entre elas é muito pequena em termos de quilômetros. Resta a cada família fazer suas continhas e analisar o que é mais adequado. Veja que, no caso do Gilberto, eram dois homens em viagens de negócios. Quando se colocam mulheres, crianças e idosos (e, às vezes, animais de estimação) a bordo, pode ser que as escolhas mudem. O importante, porém, é que agora temos mais uma alternativa para planejar essa viagem para o paraíso chamado Morro de São Paulo. Dê notícias, Antoni.
      Um abração.
      Abreu

  9. GILBERTO BRANDÃO
    BRASÍLIA-SALVADOR DE CARRO
    03.08.2018
    Amigo Abreu, boa tarde! Gostaria de contribuir um pouco nesse seu trabalho extraordinário de informar aos viajantes de nossas estradas tudo o que é necessário para a realização de uma boa viagem. E isso percebe-se que vc faz há muitos anos com competência. No mês passado tive que fazer uma viagem de última hora, a negócio, com meu advogado até Guaibim, município de Valença-BA. Pois bem, como tive receio em ir por Correntina, pois as informações que tinha era que alguns trechos daquele lado apresentavam problemas, notadamente antes de Correntina uns 30 a 40 km e entre Caetité e Brumado, então decidimos, eu e meu advogado passar direto indo por Barreiras, Ibotirama Itaberaba, Iaçu e Amargosa, onde pernoitamos, a 1.340km de Brasília. Sei que foi imprudência de nossa parte, sair numa segunda-feira às 4h00 e chegar ao hotel para pernoite às 19h00, parando apenas para o almoço e para abastecer, mas como era uma situação excepcional devido o advogado ter que estar em Brasília na quinta-feira pela manhã face a audiências importantes e inadiáveis, então tive que aceitar essa condição, mas graças a Deus tudo ocorreu dentro da normalidade. No dia seguinte, já mais tranquilos e a 220km de Valença, diminuímos o ritmo e continuamos, chegando em Valença às 9h00 de terça-feira. Com todos os problemas resolvidos, às 17h00 voltamos a Brasília, só que ocorreu um problema: Chegando em Mutuípe-BA, como já era noite, ao invés de pegar a pista da direita para a BR-540 em direção a Amargosa, passei direto em direção a Jaguaquara, atravessa a BR-116 e vai no sentido Ubaíra, Santa Inês, Lajedo do Tabocal, Contendas do Sincorá, Sussuarana, Brumado, Caetité, Bom Jesus da Lapa e BR-020 em direção a Brasília. Foi bom ter errado, porque percebi que todos os problemas nesses trechos foram corrigidos. Podemos dizer, se compararmos ao estado anterior, que essas estradas estão um tapete, não encontrei um só buraco e o ritmo foi o melhor possível. Aquele trecho que há anos, muitos anos, sempre estava intransitável, asfalto completamente deteriorado, de Sussuarana a Brumado, hoje recebeu um novinho em folha, dando-nos uma satisfação que só os amantes das estradas podem sentir; são 50km recuperados. Pernoitamos em Ibotirama e chegamos em Brasília na quarta-feira, 9h00. Como senti-me um pouco cansado, entreguei a direção ao advogado em JK para que ele terminasse o trecho que estava faltando. Então, repetindo a frase HÁ MALES QUE VEM PARA O BEM, ocorreu comigo, porque além de encontrar rodovias de boa qualidade no caminho de volta, economizei 150km. São essas informações que gostaria de compartilhar com vc, Abreu, bem como a toda essa galera que ama viajar. Um abraço e até a próxima.

    1. Olá Gilberto Brandão, bom dia!!!!
      Fico feliz por compartilhar conosco sobre as condições da estrada no trecho de Guaibim/Brasília. Sempre fiz esse caminho e novamente o farei em dezembro, indo para Morro de São Paulo. Já havia falado com algumas pessoas a respeito das condições da estrada, porém, não tinham dado certeza sobre as condições do asfalto, coisa que, você fez com maestria. Desde já agradeço a colaboração e, se encontramos mais pessoas assim como você, o nosso amigo Abreu teria informações mais atualizadas para oferecer em sua plataforma de comunicação e nós, os mais interessados, seremos os mais beneficiados. abraço.

      1. Olá, Antoni Moreno, boa tarde! Agradeço suas palavras de incentivo. Fico realmente feliz por ter contribuído com informações oportunas não só a vc como a todos aqueles que amam viajar por essas estradas brasileiras. Fico à disposição para quaisquer outras informações adicionais a respeito dessa rota. Um abraço. Gilberto

        1. Senhores, bom dia! Embora com um pouco de atraso, mesmo assim gostaria apenas de corrigir uma informação sobre nosso pernoite: na realidade chegamos ao hotel para pernoite de BRUMADO e não de IBOTIRAMA, como havia informado, até porque se saímos de Valença às 17h00, dificilmente chegaríamos a Ibotirama às 21h00, como de fato ocorrera. Peço desculpas a Abreu e a todos os leitores que acompanham esse blog. Um abraço a todos.

          1. Olá, Gilberto. Sua presença por aqui é sempre muito querida. Nesse caso, eu havia detectado alguma coisa equivocada e acho que cheguei até a perguntar a você a respeito da inclusão de Ibotirama no trajeto. Só que não consigo recuperar essa pergunta aqui no blog. Talvez eu a tenha feito diretamente no seu e-mail. Mas o importante é que você se dispôs a retornar aqui, dar o ar de sua graça e acertar as coisas. Não desapareça, dê notícias.
            Um abração.
            Abreu