BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

agosto 5, 2018 Abreu 51 comments

 

*******************************************************************************************************************************

Prezado Abreu,
Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
Vou fazer Br
asília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

Comentário postado em 19/08/2017 as 13:41 por Alceu Simões Nader 

 *******************

Maurício Coutinho dos Santos      

Olá Abreu!

Sou muito fã do seu blog,e quero parabenizar  pelo que você faz com tanto carinho para as pessoas que querem viajar com segurança nessas nossas rodovias tão ruins e mal sinalizadas. Posso garantir que são péssimas, pois as conheço a fundo: trabalho como caminhoneiro há 35 anos e sei que a pior coisa para um motorista é uma estrada desconhecida. Vejo que as dicas que você dá  são de suma importância, pois as mazelas das estradas, sem a devida malícia, podem nos levar à morte .

Mas, como motorista de caminhão que sou, também sou motorista de carro de passeio e faço minhas viagens de férias. E não há nada melhor,  antes de uma viagem, do que  saber como elas estão .

Por isso venho ao seu blog perguntar:  como estão as estradas de Brasília a Porto Seguro ?

Eu e minha família estaremos saindo de Goiânia dia 2 de janeiro de madrugada e queremos pernoitar em Vitória da Conquista .

Desde de já agradeço.

Adriana e Maurício.

Comentário postado em 19.12.2018, às 10:59 por Maurício Coutinho dos Santos

 

O espaço para comentários, dúvidas e consultas sobre esta matéria encontra-se ao final dela.  

 

**************************************************************************************************************

                               

BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

 

             (O espaço para comentários, dúvidas e consultas sobre esta matéria encontra-se ao final dela.)

  

            Já há algum tempo identificamos um fluxo substancial de famílias de Brasília e Goiânia, que optam por passar férias no sul da Bahia, particularmente Ilhéus, Itacaré e Porto Seguro. Mais recentemente, identificamos um subgrupo que escolhe Morro de São Paulo e Guaibim para o merecido descanso anual. 

            Também ao longo dos últimos dois anos, buscamos construir a melhor rota para esses viajantes, de modo a resguardar a segurança da viagem e o relativo conforto dos passageiros.

            Como em todos os nossos posts aqui no blog, uma das orientações de que não abrimos mão é a total inconveniência de viagens à noite pelas estradas brasileiras, com exceção de umas poucas no Estado de São Paulo. À noite, a estrada é outra. Por falta de sinalização adequada, de olhos de gato ou iluminação, os eventuais buracos e ressaltos se tornam invisíveis e os jumentos, bois e cavalos soltos no escuro se tornam assassinos. Resultado: 82% dos acidentes com mortes nessas estradas ocorrem entre as 18 horas de um dia e as 06 horas da manhã do dia seguinte.

            Então, estamos combinados: viajar à noite nessas estradas é para motoristas inexperientes ou “nativos locais totais”, ou seja, moradores de cidades vizinhas, que conhecem a estrada como a palma da mão. Famílias ou solteiros, responsáveis, ajuizados e que querem apenas ir, curtir e voltar em paz, iniciam a viagem ao nascer do sol e, ao pôr-do-sol, já estão no hotel.

            Para a viagem de Brasília a Morro de São Paulo, temos hoje duas alternativas básicas: Correntina (1.316 km ou 1.401 km) e Barreiras (1.413 km).  O percurso por Barreiras é o mais longo (97 km ou 12 km), embora seja o mais bem estruturado. Passa por Brasília-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Anônio de Jesus-Morro de São Paulo.

              A ROTA POR BARREIRAS

              Essa rota está descrita, aqui mesmo no blog, em nosso post “Brasília-Salvador de carro”, publicado em nosso site www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. A modificação acontece na cidade de Itaberaba. Para se ir a Salvador, recomendamos virar à esquerda, para Ipirá e Feira de Santana ou seguir em frente e alcançar a BR 116 em Argoim. Para Morro de São Paulo, deve-se virar à direita e pegar a BA 245 para Iaçu e, de lá, atravessar a BR 116, chegar a Amargosa e Santo Antônio de Jesus, pegar a BR 101 e descer até Valença. 

             Em relação à rota por Barreiras, orientamos no sentido de que, uma vez nela, não se deve tentar pegar a rota por Correntina, utilizando as transversais que ligam as duas rodovias, porque elas estão, em sua maioria, intransitáveis. 

           AS ROTAS POR CORRENTINA

Já a rota  por Correntina é Brasília-Posto Rosário-Trevo da BR 349-Correntina-Santa Maria da Vitória-Bom Jesus da Lapa-Caetité-Brumado. Uma vez em Brumado, abrem-se duas possibilidades. 

A primeira (a indicação clássica deste blog) é descer para Vitória da Conquista e pernoitar lá. No dia seguinte, depois de rodar mais 371 km, chega a Valença antes do meio-dia. Por essa alternativa, a viagem toda de Brasília a Valença percorre 1.401 km (contra os 1.413 km da rota por Barreiras), com boa estrutura de apoio (postos de combustíveis, lojas de conveniência, lanchonetes, restaurantes e patrulhamento da Polícia Rodoviária Federal). 

A segunda alternativa foi-nos apresentada pelo sputnik  Gilberto Brandão (companheiro de viagem, em russo), apelido carinhoso que damos a todos os que por aqui passam, mas, principalmente àqueles que retornam ao blog para trazer informações atualizadíssimas sobre as estradas utilizadas em  suas viagens recentes.

No caso do Gilberto, ele fez uma viagem rápida em julho de 2018, por interesse comercial e não turístico, de Brasília a Valença. Ele foi pela rota de Barreiras. Mas no retorno, errou a saída e voltou por uma rota que até então estava tão destruída que não tínhamos a mínima condição de recomendá-la. 

Para surpresa do Gilberto e nossa, o relato dele é de que está boa a rota de volta de Valença para Brumado passando  por Laje-Mutuípe-Ubaíra-Santa Inês-Itaquara-Jaguaquara-Itiruçu-Lajedo do Tabocal-Maracás-Pé de Serra-Contendas do Sincorá e Brumado. 

Segundo o relato de Gilberto, que reproduzimos abaixo na área dos comentários, as estradas dessa rota foram recuperadas, não tendo sido encontrado sequer um buraco. Por essa rota, a viagem total a partir de Brasília até Valença perfaz um total de 1.330 km. 

Trata-se de uma redução de 70 km no trajeto total. Temos de lembrar, entretanto, que se trata de um trecho de estradas que não tem estrutura hoteleira ou de apoio e nâo conta com a presença da Polícia Rodoviária Federall, razão pela qual sugerimos àqueles que decidirem testar o novo trecho QUE NÃO VIAJEM NELE À NOITE, o que significa pernoitar em Brumado. 

Para os que escolherem essa rota recém-descoberta por Gilberto Brandão,  lembramos que, saindo de Brasília ao nascer do sol, há plenas condições de pernoite em Brumado, após 915 km, e de concluir a viagem no dia seguinte, após o café da manhã, chegando a Valença pouco antes do meio-dia.

Caso a viagem se atrase, há condições de pernoite em  Caetité ou mesmo Bom Jesus da Lapa. Caso a viagem se adiante, ainda assim pernoite em Brumado. Em qualquer dos casos, sempre será possível chegar ao destino antes do meio-dia do dia seguinte.    

Os pontos de apoio para banheiros, lanches e abastecimento estão em Rosário, a 300 km de Brasília (o melhor de todos os pontos de apoio da rota) Correntina, Bom Jesus da Lapa, Caetité e Brumado.

Importante registrar que, nas estradas da região, sinal de celular só está disponível nas cidades de apoio e em algumas – como Rosário – a única operadora é a Vivo. Nos intervalos entre cidades, normalmente não há sinal.

Em qualquer das três rotas (Barreiras, Correntina via Vitória da Conquista ou Correntina via Maracás), quando mencionamos “Valença”, na verdade estamos falando da Ponta do Curral, situada no distrito de Guaibim (município de Valença), cujo acesso fica a cerca de 7 km ao norte da sede do município. Lá fica o estacionamento e o porto das lanchas que fazem a travessia mais rápida e confortável para para Morro de São Paulo, com duração aproximada de 10 minutos e mar calmo. 

Lembramos a nossos leitores que não deixem de ver aqui no blog o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Esse post tem interessantes informações, principalmente para marinheiros de primeira viagem ou famílias que se deslocam com crianças pequenas ou idosos, por exemplo, mas traz também muitas dicas para motoristas experientes, como nossa receita para não dormir ao volante no começo da tarde (quando todos dormem a bordo), ou como enxergar melhor sob chuva na horas próximas ao pôr-do-sol. O Manual está em www.expressaodaliberdade.com.br, aba “Rodovias Brasileiras, “Manual…”

Nosso o objetivo é que a viagem de férias de todos os nossos sputniks  (companheiros de viagem, em russo) seja alegre, feliz, segura e tranquila e o seu retorno seja tranquilo, seguro, feliz e alegre.

Para isso, contamos integralmente com o seu apoio e compreensão: às vezes indicamos rotas mais longas, porque são mais confortáveis. Nunca indicamos estradas de terra, porque famílias com automóveis quebrados em estradas de terra, em dia de chuva, sem condição de socorro, são um drama que não desejamos para nenhum dos nossos sputniks. Às vezes, indicamos rotas MUITO mais longas do que outras, mas é porque estamos cientes de fatos como combustível adulterado ou ocorrência de assaltos.

            E essa nossa metodologia tem dado resultados muito bons.

Edimar Rodrigues de Abreu – 05 de agosto de 2018.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

51 Comments on “BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

  1. Caro Abreu, bom dia!
    Quanto tempo meu nobre amigo! Passando aqui para agradecer por toda a ajuda desses 6 anos viajando com a família em segurança graças a suas dicas é o auxílio de todos que.passam por aqui.
    Bom, esse ano resolvi conhecer barra grande. Realmente o paraíso, lindo lugar de natureza exuberante e povo acolhedor.
    Fiquei muito tentado a pegar a rota por correntina, mas em time que está ganhando não se mexe e peguei a rota por Barreiras.
    O trecho até Itaberaba está muito bom, só passei por 2 buracos de canto de faixa. Dormi em Itaberaba e saí as 08:30 da manhã seguinte sentido Iaçu. Estrada com alguns buracos e asfalto ruim, diminuiu muito a velocidade média.
    Tem que ter atenção alguns podem avariar as rodas do carro. Na verdade todo o trecho até Camamu foi assim. Amargosa, Valença muitas lombadas e pequenos buracos, por segurança não passei de 80km/h.
    Em Camamu peguei a lancha rápida, 30 reais por pessoa, pois a estrada para barra grande é bem complicada para carros baixos, ela não é pavimentada e com muitos buracos!
    Acredito que a rota por Ipirá e Feira deva ser melhor!
    Bom, espero ter contribuído com algo útil e irei trazer informações até o final de nossa viagem passando por quase todo o Nordeste.
    Um Grande abraço a todos e por favor:
    NÃO VIAGEM À NOITE PELO AMOR DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO!

    1. Olá, Beto. Olá, Candy. Bem-vindos de volta e que bom que tudo deu certo mais uma vez. Essas variações que vocês fazem “em torno do mesmo tema” são muito interessantes para nós, porque vocês acabam mapeando as diversas alternativas de irem para a mesma região. E nós podemos nos debruçar sobre suas informações e escolher e recomendar a rota mais adequada. Vamos incluir suas experiências nos posts relacionados e todos eles vão ficar mais ricos. E atualizados.
      Um abração em vocês e dêem notícias, hein?
      Abreu

  2. Abreu, Boa noite!!! Como vai?
    Viajo com minha família nesse carnaval para Barra Grande Bahia. Fiquei com algumas dúvidas em relação ao trajeto. É melhor ir por Ilhéus ou Jequié? Estou saindo de Brasília.

    1. Olá, Sidney. Bem-vindo ao blog. A rota por Jequié é 28 km mais curta. Por Ilhéus são 387 km e por Jequié, 359. Mas nós recomendamos a rota por Ilhéus, porque as estradas estão em bom estado e o tráfego é muito mais leve. Já por Jequié, o trecho de Vitória da Conquista até Jequié é BR 116, ou seja, Rio-Bahia, ou seja, o paraíso dos caminhões e carretas. Além disso, a travessia de Jequié para Itacaré, via Itaúna, Ipiaú e Ubaitaba, pela margem do Rio de Contas, ora está maravilhosa, ora cheia de buracos. Por isso, a rota que adotamos sistematicamente é por Ilhéus e normalmente não temos tido desprazeres, muito pelo contrário. Faça uma boa viagem e dê notícias, OK, Sidney?
      Um grande abraço.
      Abreu

  3. Abreu, nobre amigo, te considero assim!! Estamos indo pra Morro dia 22/01, terça-feira. Estamos decidindo se vamos por Barreiras ou Correntina via Maracás pois eu morro de medo da Serra do Massal. Em algum desses dois trajetos vou passar por algo parecido? Pretendemos parar pra dormir em Bom Jesus! Abraços!

    1. Olá, Elen. Bem-vinda de volta. Curiosamente, o sistema do blog catalogou você como sendo a sua primeira vez aqui. Mas eu senti que esse seu estilo levezinho de redigir não me era estranho. Fui fazer uma pesquisa manual e descobri a veterana Elen, que começou a frequentar o blog lá no início de 2016, com viagens para Porto Seguro, Uberlândia, Itajaí, etc. Ocorre que você assinava como Elen. Quando você inclui o sobrenome Bernardes, o sistema não reconheceu, classificou como primeira entrada e, nessas condições, deixou seu comentário pendente de aprovação nossa, assim como ocorre com todos os que chegam aqui pela primeira vez. Já pensou? Nós respondendo a você como se nunca a tivéssemos visto mais gorda? Foi por um triz, mas escapamos do vexame! Bom, quanto ao seu plano de viagem: a rota básica que recomendamos para quem vai de Brasília para Morro de São Paulo é por Barreiras, com algumas alternativas na reta final. É a rota mais bem estruturada, com boa rede de hospedagem, Polícia Rodoviária Federal presente, bom estado de conservação e sinalização, com cidades de porte média a cada 200/250 km. Se você já não gosta da Serra do Marçal, para que cogitar ir por Correntina – ainda mais por Maracás, uma rota deserta, no meio do nada, com algumas cidades sem estrutura, sem policiamento, sem um hospital decente para o caso de alguém passar mal? Como existe gosto para tudo (um amigo nosso diz que tem gente que gosta de arroz com fumo de corda), caso você realmente decida ir por Correntina, pelo menos evite a rota por Contendas do Sincorá. Ah, o Google Maps indica essa rota, você dirá. O Google Maps é para países de primeiro mundo, onde todas as estradas são excelentes, seguras e estruturadas. Aqui em Pindorama é diferente. Normalmente, ele indica o caminho mais curto, esquecendo desses detalhes todos que acabamos de listar. Não é à-toa que é comum o Google Maps conduzir turistas pelo caminho mais curto diretamente para áreas dominadas pelo tráfico no Rio de Janeiro, onde eles acabam morrendo. Então, seja uma boa sputnik (companheira de viagem, em russo) e vá pelo caminho confortável, mais seguro, mais habitado e mais estruturado: Barreiras. Lá no final poderemos discutir se você deverá atravessar para Santo Antônio de Jesus a partir de Itaberaba via Iaçu e Amargosa, ou se vai para Feira de Santana por Ipirá e pega a BR 101 sul, para Santo Antônio de Jesus, ou ainda se segue para Salvador e pega um ferry-boat em São Joaquim, atravessa a Baía de Todos os Santos e chega a Morro pela BA 001. Mas vá por Barreiras, OK? Se houver razões absurdamente fortes para você ir por Correntina (uma herança milionária que você vai receber em Caetité, por exemplo), então dê uma olhada em nosso post “Brasília-Porto Seguro de carro”, e veja a orientação que demos para a Cyntia Paula, que, assim como você, não aceita passar pela Serra do Marçal. O comentário dela foi postado no dia 13.12.2018 e, em nossa resposta, nós produzimos uma gambiarra que permite chegar-se a Ilhéus ou Porto Seguro contornando a Serra do Marçal. Você sabe como chegar ao post, não? Basta entrar em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, clicar na aba “Rodovias Brasileiras” e localizar o post “Brasília-Porto Seguro de carro”. Abra-o e vá ao final, na área dos comentários e retroaja: o comentário dela foi postado no dia 13.12.2018, às 12h55 e nós respondemos no mesmo dia, às 23h14. Vá lá, dê uma lida, entenda a proposta e depois….não invente moda e vá por Barreiras, tá, Elen?
      Um abração.
      Abreu

      1. Muito obrigada pela atenção de sempre, Abreu! Realmente desde 2016, sempre volto ao site quando planejamos uma viagem! até pra petinho, como o caso de Uberlandia! Com certeza vou permanecer na sua orientação e vamos por Barreiras! Não pretendo passar pela serra do Massal nem tão cedo assim, ainda bem que tem mais pessoas que compartilham desse meu medo, pensei que fosse só eu! KKKKKKK. Contarei detalhes !Abraços grandes!!!!

  4. Olá Sr Abreu, tudo bem? Tem bastante tempo que venho acompanhando o seu site (como já li aqui, fiquei muito tempo atrás do toco, rsrs), mas das outras vezes acabava aparecendo uma promoção de passagens de avião e a viagem de carro era abortada, rsrs.. Mas dessa vez acho que não vai aparecer. Estou planejando sair de Brasilia no dia 24/01 com destino a Guaibim, eu, esposa e dois filhos, de 5 e 7 anos. Recentemente uns amigos aqui do trabalho fizeram a rota por Correntina e estava quase decidido a ir por lá também, disseram que estrada está muito boa e tal, mas de tanto ler os seus posts, estou decidido a ir por Barreiras mesmo. Pois bem, quase chegando lá, quando estiver em em Santo Antonio de Jesus, é melhor seguir até Nazaré ou desço a 101 e vou por Alunas?
    Parabens pelo site, é realmente muito bom!

    Forte abraço.

    1. Olá, Felipe. Bem-vindo ao blog. Na assinatura do comentário, o seu nome aparece com dois “ii” (Feliipe), mas, como no endereço de e-mail está Felipe, vamos economizar e chamar você de Felipe, OK? Bem, nós, como diria um velho político nacional, “que viemos de longe”, já vivemos uma época em que o estado das estradas era tão terrível, tão desgraçado, que nós éramos OBRIGADOS a viajar de avião. E os preços eram rigorosamente extorsivos, abusivos, mas não tínhamos alternativas. Depois, veio um tempo em que as estradas foram em grande parte recuperadas, mas o valor das passagens aéreas foram reduzidas a um nível tal, que, na ponta do lápis, todos preferíamos de sair de férias de avião. Agora vivemos um novo momento. As estradas AINDA estão boas e as passagens aéreas estão inacessíveis. Vou ter de ir a Salvador na segunda-feira, dia 14, com volta no dia 15, para resolver um problema particular, uma questão de escritura do nosso flat, em um cartório lá. Não há tempo para ir de carro – tenho de ir de avião. Vou pagar 3.200 Temers de ida e volta. Santo Deus: o preço da passagem é 1% do valor do imóvel! A vontade que tenho é de ir a pé. Brincadeiras à parte, Felipe, entendemos direitinho porque você saiu “de trás do toco”. Somos de classe média, somos filhos de Deus, temos direito a férias e queremos o litoral brasileiro – não estamos falando de Riviera Francesa nem de Ilhas Maldivas – queremos apenas curtir o nosso país com nossa família, pelo curto espaço de tempo de nossas férias, depois de um ano de ralação, de preocupações, de encrencas, de chefes autoritários, de clientes mais autoritários ainda. Queremos paz, a preços módicos. Queremos a felicidade pela qual possamos pagar. Então, o bom senso indica: as estradas estão boas, nossos carros não são zero quilômetro, mas estão bons, nossa família está disposta. Decisão: vamos de carro. Isso é sensato. Tudo isso, Felipe, se resume em que você está economicamente correto ao escolher a viagem de carro e geograficamente correto ao ir por Barreiras. Quanto à sua dúvida a respeito do que fazer ao chegar a Santo Antônio de Jesus, a nossa sugestão é de que de você vá por Nazaré (antiga Nazaré das Farinhas) por 36 razões. A primeira delas é que nós conhecemos a rota por Nazaré como a palma da mão, inclusive com a inclusão da paradinha para a degustação do pitu no Restaurante do Bode, lá em Nazaré, algo que não encontramos nem na Europa, nem em outros países do Continente Americano. A segunda razão, das 36, é que não temos a mínima ideia das condições da rota por Alunas. As demais 34 razões deixam de ter importância nesse contexto. Desculpe, Felipe, pelas brincadeiras, mas nos faz um bem enorme descobrir o que as estatísticas do nosso provedor mostram: de cada visitante que comenta, há cerca 420 que ficam “atrás do toco”. Ao aparecer aqui, de peito aberto, com seu alto astral, você nos fez extremamente felizes e convictos de que estamos no rumo certo ao ajudar famílias a viajarem melhor por essas bandas. Muito obrigado, faça uma boa viagem. Você chegou até nós, Felipe, pelo post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também se encontram publicados outros posts nossos que podem ser do seu interesse,
      como o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Se restarem dúvidas, Felipe, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Olá Sr Abreu, realmente chegamos em um momento onde está difícil de pagar pelo absurdo que estão cobrando pelas passagens de avião, mas em alguns casos é o jeito, como o do senhor que irá resolver um problema particular. E olha que nos disseram que as passagens iriam abaixar com a cobrança das bagagens, ilusão nossa em pensar que algo e feito para privilegiar o povo. Mas então, realmente estamos planejando a viagem para justamente poder espairecer um pouco, esquecermos um pouco da cobrança do dia a dia, ainda mais quem trabalha com TI como eu, só resolvendo problema o dia todo, todos os dias, rs.. Agora com relação ao trajeto iremos seguir a super dica por Nazaré e tentarei provar também do pitu, se a ansiedade para ver o mar deixar.. rsrs. Muito obrigado novamente pela atenção Sr Abreu. Ah, e quem nos dera que aqui houvesse dicas de outras estradas do nosso Brasil inteiro, facilitaria a vida de muitos pessoas, quem sabe esse site não alcance pessoas que conheçam outras estradas tão bem como o Sr conhece as estradas da Bahia, não e mesmo?! E claro que também tenham a mesma boa vontade do Sr.

        Forte abraço.

        Felipe

        1. Olá, Felipe. Obrigado pela força que suas palavras dão ao nosso trabalho. Este blog está em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Nessa aba,s nós colocamos à disposição dos visitantes toda a nossa experiência de mais de 40 anos em viagens de férias pelas estradas brasileiras. Assim, sempre partindo de Brasília, há diversos posts sobre estradas para diversos destinos dentro do Brasil (Rio, Minas, Santa Catarina, etc) e até um post “Brasília-Buenos Aires”. O maior detalhamento em relação às rodovias do Nordeste é que nossas estatísticas mostram claramente que o brasilienses e goianos gostam mesmo de passar férias é no litoral nordestino, principalmente no litoral baiano, porque é o mais próximo. Faça uma excelente viagem, Felipe.
          Um abração.
          Abreu

          1. Ola sr Abreu! Graças a Deus fomos e voltamos em paz e segurança. Seguimos as dicas relatadas aqui e ocorreu tudo certo. Gostaria apenas de mencionar as curvas entre santo antonio de jesus e amargosa, a estrada está muito boa, estão finalizando o recapeamento chegando em amargosa, curvas que requerem um pouco de atenção, mas como o movimento é muito pequeno, oferece pouco risco, mas requer uma certa atenção, não pode ter pressa, tem que ir devagar apreciando as paisagens, rs.. O resto da estrada muito boa, após nazaré, quase chegando em guaibim, alguns poucos buracos, mas facil de ver e desviar.
            É isso sr Abreu, muito obrigado e até a próxima.
            Abraço.

          2. Olá, Felipe. Bem-vindo de volta e que bom que tudo correu bem em sua viagem. Mas, especialmente, nosso muito obrigado por se dispor a retornar aqui e relatar detalhes de sua experiência na rota que recomendamos, porque são informações fresquinhas como as suas que nos permitem continuar a orientar, com mais segurança, as famílias que passam por aqui buscando orientação para a viagem. Dê notícias, OK?
            Um abração.
            Abreu

  5. Comandante, a viagem muda de destino, mas a visita ao blog é imutável.
    Irei sair do Entorno em direção a Barra Grande na minha motoca, data provável 13/01/19
    Pelo que li, o caminho até Sussuarana é padrão.
    De Sussuarana não dá para seguir pela BR 030 porque teoricamente não há asfalto.
    O maps sugere um desvio pela BA-407 e depois pegar a 330 (acho que é BR) rumo a Jequié até chegar a 101 e voltar novamente à 030 até Barra Grande, totalizando 1372Km do Entorno até Barra Grande.
    Obviamente só trafegarei de dia e com perna diária máxima de 706km (pernoite em BJ da Lapa)
    Qual a sua análise sobre esse possível trajeto?
    Obrigado e prometo novamente publicar aquele feedback tão logo a condição da internet seja favorável.

    1. Comandante, a outra opção, de 1528 Km (156Km a mais), seria a rota por Montes Claros, Salinas, Vitória da Conquista, Itambé, Floresta Azul, Itabuna, Ilhéus e Itacaré.
      Verifiquei essa rota ao ler algumas postagens.
      Dessas duas, o senhor vê essa segunda como melhor opção ou vislumbra algo melhor?

      1. Olá, Rubens. O seu primeiro comentário, de ontem, não sei porque, não apareceu no meu radar, a não ser agora. Mas a rota por Montes Claros só é indicada por nós para quem sai de Minas Gerais, excluído o Triângulo Mineiro. Para quem sai de Brasília, mesmo do Entorno, as rotas são por Barreiras ou Correntina. Quanto ao percurso por Sussuarana, ou melhor, por Contendas do Sincorá, Maracás e Santo Antônio de Jesus, nós desaconselhamos para famílias em férias, principalmente com crianças, de carro. Mas você é lobo solitário e viaja de moto. Nesse caso, retiramos nossas restrições àquela rota, porque ela é interessante para quem curte as emoções da viagem de moto. A propósito, não deixe de ver o nosso post “Brasília-Lençóis Maranhenses-Luís Correia-Jericoacoara DE MOTO”, publicado recentemente aqui na aba “Rodovias Brasileiras” deste blog (www.expressaodaliberdade.com.br. Boa viagem e dê notícias.
        Um abração.
        Abreu

  6. Olá meu caro Abreu, bom dia!!!!
    Primeiramente agradeço a Deus por ter saído e retornado para casa com tudo em ordem e em paz. Fizemos o trajeto de sempre, como sabe, passamos por Cristalina e a estrada está muito boa, entretanto, aquele caminho que sabemos de 20 km antes e 15 km depois de Cristalina está ruim. De resto, a estrada está toda boa, fomos e voltamos muito bem. Apenas uma intercorrência na viagem foi que, decidimos ir até Barra Grande-Maraú e a estrada para lá é horrível, chão batido, costela de fora a fora e um trecho muito longo, qualquer carro passa por lá, desde que o motorista tenha paciência e não se aventure na estrada, não fosse isso, indicaria com certeza ,pois, as praias são lindas. Os valores praticados pelos comerciantes das barracas são absurdos e abusivos, sem necessidade, quem for se prepare.Realmente é lindo. Obrigado Abreu e até a próxima.

  7. Boa tarde Abreu, e demais leitores, como vão, bem lá vamos nós de novo sair em férias com a família, eu esposa e nossa filhota com 3 anos, desta vez optamos em ir de GOIÂNIA – GO (nossa Base e domicílio) e seguir destino até ARACAJU-SE, só que minha esposa esta louca pra conhecer BARRA GRANDE/MORRO de SP, como já li vários relatos de outros amigos, que já fizeram essa viagem e passeio, notei que muito deles reclamaram e muito em alguns aspectos q irei apontar aqui e por isso peço a sugestão do pessoal do SITE/BLOG para ajudar na decisão:
    Primeiramente, iremos de carro próprio, como já somos viajantes assíduos para o NORDESTE de nosso país temos o conhecimento de paradas e pontos de apoio.

    Já reservei os Hoteis em ARACAJU e em ITACIMIRIM , como nossa intenção e ir até ARACAJU e depois vir descendo, qual melhor trajeto, o que vcs indicariam em termos de percurso/estradas.

    Como estou indo com minha fiilha, ouvi dizer que em MORRO existe muito, mas muito MOSQUITO, e alguns amigos dizem que as vezes se torna até chato, por que se vc estiver comendo e muito mosquito q se junta próximo e infelizmente acaba até tirando a magia do lugar.

    Então como ela me optou por 2 locais, na opnião de vcs, qual melhor decisão ? BARRA GRANDE ( ir de carro até a peninsula de MARAU), ou MORRO?

    Sempre pesquiso antes de sair nas minhas férias as sugestões aqui do BLOG e sempre planejo observando os detalhes do amigos sputiniks antes.

    Agradecendo desde já o apoio, se puder tbm quem já foi..dar dicas de Hoteis e POUSADAS. deixo meu e-mail depois se caso for.. para que possa me repassar

    Obrigado Amigos

    1. Olá, Helder. Bem-vindo de volta e obrigado por suas expressões positivas em relação a este blog. Como você partirá de Goiânia, desnecessário dizer que a rota adequada é por Barreiras, com pernoite em Ibotirama ou Seabra, conforme a viagem se desenvolva. No dia seguinte, pegar a BA 245 após Itaberaba (à direita), atravessar para Santo Antônio de Jesus e de lá descer via Nazaré para Morro de São Paulo. Quanto aos mosquitos de Morro, nunca vivenciei esse problema desde que comecei a viajar para lá, no início dos anos 1980. Mas há uma razão: detesto resorts! Para mim, viajar é interagir com o pessoal da terra, conhecer a cultura, a cozinha e o estilão do pessoal local. Os resorts sempre me deram uma sensação de prisão, de coisa artificial, plastificada. Mas muitas pessoas adoram resorts, especialmente aqueles que oferecem “tudo incluído”, onde o desperdício de bebidas e comidas é de cortar o coração. Mas, fazer o quê? Negócio é negócio. O detalhe crítico é que os resorts não ficam no centro das cidades. Ficam distantes, exatamente porque a proposta é fazer o hóspede se sentir totalmente atendido, confortável e seguro em seu descanso lá dentro. E aí surge o problema relatado sobre Morro de São Paulo: a ilha não é grande e é constituída de grande parte de matas preservadas. Como o resort tem de ficar longe do centro, acaba se situando em meio à floresta tropical, onde os mosquitos são os donos do pedaço. Soubemos de alguns problemas em certos resorts de Morro de São Paulo (não todos), verificados entre 2015 e 2016. Não sei se a situação mudou, porque sempre fico nas simpáticas pousadas da cidade, onde nunca tivemos problemas com mosquitos. Outro dia, respondendo a um comentário aqui neste post, diante da mesma dúvida (Morro ou Maraú), lembramos que, como já disse alguém, “é um pecado beijar no rosto, quando a boca está tão perto” e nós diríamos “é um pecado ir para Maraú, quando Morro de São Paulo está tão perto”! Mas tudo é uma questão de gosto: decidir sobre aqueles dois paraísos é um dos problemas mais deliciosos a se resolver. Quanto às alternativas de ida e volta para Aracaju, a melhor hipótese para quem está de férias é a Estrada do Coco e a Linha Verde (BA 099), estrada essencialmente turística, quase todo o tempo à beira-mar, enquanto as carretas seguem pela BR 101. Para pegar a Estrada do Coco e a Linha Verde, uma das formas mais intessantes é subir de Morro para Itaparica e lá pegar o ferry-boat, atravessar a Baía de Todos os Santos, chegar a Salvador e buscar o Aeroporto, onde começa a Estrada do Coco. Quanto à repetição do trajeto na volta, lembramos que serão duas viagens diferentes, como você mesmo disse: na ida vocês irão para Aracaju “e depois vir descendo”, devagar, saboreando visualmente a própria estrada. Se restarem dúvidas, Helder, retorne: será um prazer ajudar você e sua família a irem e voltarem em paz e segurança.
      Um abração.
      Abreu

      1. Verdade caro Abreu.
        “é um pecado beijar no rosto, quando a boca está tão perto” e nós diríamos “é um pecado ir para Maraú, quando Morro de São Paulo está tão perto”!
        Faço minhas a sua palavras, hoje vejo que não vale a pena deixar de ir para Morro de São Paulo e ir para Barra Grande, pois, depois de anos indo para o Morro, fui me aventurar indo para Barra Grande e vi de perto, não vale a pena. Não fosse só as paisagens e a natureza local que, nos dois lugares são lindos, enquanto meros mortais, somos obrigados a avaliar financeiramente os passeios que queremos fazer e, Barra Grande, nesse caso, perde de longe para o Morro de São Paulo, tanto na forma de chegada como nos valores praticados. Não quero aqui fazer juízo de valor sobre os dois lugares e fazer com as pessoas deixem de ir para lá, estou apenas informando a experiência que tive fazendo isso e passando por lá. Toda vez que conheço um novo lugar, me apaixono ainda mais por Morro de São Paulo. (rsrsrsrs)

        1. Olá, Antoni. Bem-vindo de volta em paz e segurança. Sobre as dúvidas do Helder a respeito de Maraú ou Morro, você deu a ênfase que nós aqui não podemos dar, mas você está corretíssimo. Vou fazer um resumo dos seus dois comentários (o das 06h54 e o das 07h07 de hoje) e acrescentar ao nosso post, para enriquecer as informações disponibilizadas para os que pretendem viajar por aquelas bandas. E, tanto você matou a pau, que o Helder já tomou sua decisão sobre o destino, que seguramente será Morro. Obrigado, Antoni. É sempre uma festa para nós tê-lo por aqui.
          Um abração.
          abeu

          1. Nós, enquanto usuários das estradas brasileiras, devemos nos movimentar através das ferramentas disponíveis, uma delas é a sua, com seu Blog. No que depender dos visitantes, acho que só tende a melhorar,pois, a informação faz crescer a união. Já estou ansioso para calcular uma nova rota de praia novamente…(rsrsrsrsrsrs). Abrço nobre Abreu.

      2. Muito obrigado mais uma vez pelo seu pronunciamento ABREU, e sempre de grande ajuda viu. Agora sei que vc não gosta de fazer esses tipos de informações, mas, você poderia dar algumas dicas das pousadas que vc fica por lá, como falei alguns amigos me relatam que como irei com criança a melhor praia por conta das ondas e do lugar seria a 3 praia.

    2. Uma outra dica importante, onde seria deixar o veículo, pois temos informações sobre alguns estacionamentos “careiros”, algumas sugestões nesse assunto tbm?

      1. Olá, Helder. Você viu que o Antoni veio em defesa da minha tese por Morro de São Paulo, não é? Como você vê, não estou sozinho. Já a escolha da praia, enquanto tínhamos crianças, nunca abrimos mão de ficarmos mais próximos da cidade (crianças de vez em quando precisam de um remedinho, de uma comidinha, de um brinquedinho. A terceira praia é ótima, mas as mais próximas não são praias de surfe do Havaí, com ondas de 10 metros, não. Apenas as crianças necessitarão de nossa máxima atenção, como em qualquer outra praia. No que tange ao estacionamento, depois que inauguraram o porto da Ponta do Curral, com a travessia de 10 minutos (antes eram 30 minutos de mar agitado, partindo de Valença), eu só deixo nosso carro no próprio porto. É grande e seguro. Há estacionamentos mais baratos em Valença e em Guaibim, mas o deslocamento de táxi ou van, com bagagens e crianças, além das questões de segurança, eliminam as vantagens de um preço eventualmente menor. Melhor gastar um pouquinho mais, mas ir para Morro sem preocupar-se com seu veículo e os pertences que eventualmente forem deixados no carro. Acho que sua viagem vai ser show, Helder.
        Um abração.
        Abreu

      2. Se você for deixar o carro em Valença, não tenho como indicar nenhum lugar,porém, por lá tem vários estacionamentos que são pagos por diárias. Entretanto, se for para Guaibim,logo na chegada, de frente ao aeroporto, fica a entrada para o atracadouro Bom Jardim de Guaibim, sempre deixo o carro lá, cobrança feita também por diárias. A respeito das praias, não se preocupe, assim que chegar ao Morro, não terás mais dúvidas de qual praia ficar por conta das crianças. Acredito que ficará na praia 2, pois, é onde ficam as melhores barracas. Se puder ajudar em algo mais, pode me chamar aqui. Abraço e boa viagem.

        1. Muito Obrigado ao ANTONI e o ABREU, por suas valiosas dicas, minha viagem já esta toda fechada e com o planejamento quase q totalmente fechado, hoteis reservados, e rotas definidas, quanto ao estacionamento lá em VALENÇA/GUAIBIM, irei optar pela informação do ANTONI, e deixar no atracadoudo Bom Jardim mesmo. visto que em busca á outros sites, ele foi muito bem conceituado.
          Agradeço mais uma vez ao empenho do BLOG, em especial o ABREU, em sempre oferecer dicas e prezar sempre pela segurança das FAMÍLIAS.. viajar em segurança tbm e divertido.
          Abs!! amigos

          1. Olá, Helder. Bem-vindo de volta. É ótimo fechar o plano de voo: as férias já começam a tomar forma na nossa cabeça e a gente já começa a ser feliz. Faça uma excelente viagem e dê notícias, OK?
            Um abração.
            Abreu

  8. Parabéns pelas excelentes matérias. Eu não conhecia o blog e até as do sítio li todas (tenho um e passei por quase todos eles).
    E por coincidência vou de Brasília até Itaparica, e achei um post parecido, que vai até Guaibim. Na minha última viagem não fui por Feira de Santana (cidade natal) e decidi ir por Castro Alves, logo na saída de Argoim, mas foi desastroso, pois não tinha mais estrada. Neste post vi que sugere entrar a direita pela BR-116 e ir em direção a Amargosa e em seguida Santo Antonio de Jesus. Este caminho continua valendo? Vou dia 15/12 e ao chegar na Ilha atualizo para vocês.
    OBS: Vou por LEM-Barreiras…etc
    Forte abraço!

    1. Olá, Eduardo. Bem-vindo ao blog e obrigado pela leitura ampla e irrestrita! De fato, nossa recomendação para a rota Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Antônio de Jesus permanece. Ocorre que aquele trecho entre a BR 116 e Santo Antônio é constituído de estradas estaduais, que têm o mau costume de se estragarem da noite para o dia e o conserto demorar, por falta de verba do DER baiano. Assim, sempre advertimos aos nossos visitantes que busquem informações em Itaberaba ou mesmo em Amargosa sobre os 50 km que faltam para Santo Antônio. Por outro lado, essa orientação é mais para quem está indo para o litoral sul e você está indo para Itaparica. E, nesse caso, embora mais longo um pouco (cerca de 120 km), a rota que nós escolheríamos, no seu lugar, seria sua velha conhecida Feira de Santana-Santo Antônio de Jesus-Nazaré-Itaparica. Não temos informações recentes sobre o trecho após Amargosa – nem boas, nem más. De qualquer modo, independentemente da rota que você escolher, nós adoraríamos receber seu relato, com notícias fresquinhas das estradas que você vai percorrer. Dê notícias!
      Um grande abraço.
      Abreu

  9. Olá Abreu, bom dia meu nobre amigos estradeiro!!!
    Um amigo me fez uma pergunta e não tive condições de responder no momento, porém, já sabia quem teria a resposta correta para ele. Portanto, passo a responsabilidade da resposta meu amigo que é a seguinte.
    Qual a dinâmica do trânsito no dia 25/12??? A estrada é cheia? Os postos atendem normalmente? Os restaurantes funcionam normalmente??
    Meu caro Abreu, essas foram as questões levantadas pelo meu amigo. Desde já agradeço pela atenção e disponibilidade de sempre.Abraço.

    1. Olá, meu velho lobo das estradas! Antoni, não notamos ao longo de décadas qualquer diferença de funcionamento ou no tráfego de veículos nos feriados de 25 de dezembro e 01 de janeiro (Natal e Réveillon), nas paradas técnicas que recomendamos nas rotas descritas aqui no blog. A única circunstância para a qual chamamos a atenção nesses casos é a SAÍDA de Brasília. Para aqueles que são agoniados para sair mais cedo, sempre lembramos da necessidade de máxima atenção nas primeiras horas das duas datas, em razão da expressiva quantidade de bêbados dirigindo nas vias da Capital Federal, após saírem das festas comemorativas. Recomendamos, nesses casos, que observem nossas orientações de rotina, ou seja, sair de Brasília de modo a estar no Colorado ao nascer do sol. No mais, esses dias devem ser tratados como qualquer dia, qualquer fim de semana ou qualquer feriado, sem preocupações adicionais, OK?
      Um abração, Antoni!
      Abreu

  10. Abreu
    expressaodaliberdade.com.br

    Em resposta a Lino Luz
    Olá, Lino. Bem-vindo ao blog e obrigado por suas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Existem três rotas recomendadas por nós para a viagem de Brasília a Guaibim: por Barreiras, por Correntina via Brumado/Vitória da Conquista e por Correntina via Brumado/Contendas do Sincorá e Maracás. Sob o aspecto da conservação das estradas, não temos dúvidas de indicar a rota por Barreiras. As diferenças de quilometragem entre as três não são relevantes, mas a segurança, a estrutura hoteleira, as boas cidades a cada 200/250 km, a presença da Polícia Federal e o bom estado do asfalto tornam a rota por Barreiras a número 1 para nós. E quando falo isso, significa que, quando vou com minha família de Brasilia para Morro de São Paulo, vamos por Barreiras. Para quem opta pela rota por Correntina, lembramos da necessidade de atenção nos 20 km antes e 20 km depois de Correntina, onde há uma concentração de buracos. Lino, você chegou até nós pelo post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também estão publicados outros posts que podem ser do seu interesse, como o “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, o “Brasília-Salvador de carro”, o Brasília-Ilhéus de carro” e outros. Dê uma passadinha por lá, OK? Se restarem dúvidas, Lino, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança.
    Um grande abraço.
    Abreu
    P.S.: Por ser com certeza do interesse de outras pessoas que viajam para Guaibim, vou copiar o seu comentário e nossa resposta aqui no “Manual” e colá-los lá no post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”.

  11. Lino Luz

    Caros amigos,

    vamos viajar p Guaibim em Janeiro de 2019 e gostariamos de saber o estado das estradas.
    desde já agradecemos e rogamos a Deus conceda saúde e força para voces poderem
    continuar ajudando os menos experientes como nós

  12. Olá Abreu, meu nobre amigo das estradas. Boa tarde!!!!
    Quero saber se tem novidades sobre o trecho dos 20 km antes e 20 km depois de Correntina. Conforme informações anteriores, esse era o trecho que estava ruim.
    Obrigado.

    1. Olá, Antoni, meu caro sputnik estradeiro! Sempre bom vê-lo por aqui. Quanto à sua dúvida, nada de novo sob o sol: os buracos continuam lá, não representam perigo de dia, exigem uma direção mais atenta e uma velocidade mais reduzida, apenas isso. Mas continua “tudo como dantes no Quartel de Abrantes”.
      Um abração.
      Abreu

  13. Abreu meu amigo Sputnik, bom dia!!!! Tudo bem???? Acho que li no blog sobre alguns trechos que não estão em boas condições. Qual seria esse trecho??? Como sabe, vou para Guaibim/Morro de São Paulo e etc, portanto, gostaria de saber como está pra lá. O nosso amigo Gilberto, em post anterior, disse que o trecho Guaibim para Brasília estava muito bom. Não podemos deixar para cima da hora a tomada de decisões sobre a estrada que vamos pegar. Não é mesmo???
    Desde já agradeço a colaboração e o empenho de sempre em responder as nossas demandas.

    1. Olá, Antoni, velho Lobo das Estradas do Planalto Central para Guaibim! Bom tê-lo de volta por aqui. Quanto às alternativas de rotas, nada de novo sob o sol. A rota por Barreiras está boa e a de Correntina só apresenta buracos 20 km antes e 20 km depois da cidade. A rota desbravada por Gilberto Brandão (Brumado-Contendas do Sincorá-Maracás) ainda continua pouco estruturada ou policiada. Assim, nossa recomendação para você também continua sendo a rota por Barreiras-Itaberaba-Iaçu-Santo Antônio de Jesus-BR 101-Guaibim. Dê notícias, OK?
      Um abração.
      Abreu

      1. Ok meu caro!!!!Antes de ir, pretendo conversar novamente com você e sondar as novidades dos irmãos estradeiros.

        1. Muito obrigado meu amigo, Mad Max do Planalto Central. Vi sua resposta para o Lino e já sabia como responderia a minha pergunta. Como sempre, sua atenção dispensada aos usuários é excelente. Muito obrigado Abreu. Abraço.

  14. Boa Noite! Estou indo de volta de Porto Seguro para Brasília. Gostaria de saber qual melhor rota para retornar. Pois na vinda pegamos a rota de correntina, bom jesus da lapa, Vitória da conquista , brumado, Eunápolis e Porto seguro. Mas achei muito perigosa por conta das inúmeras estradas com curvas perigosas.. Me sugere uma rota de volta com menos curva e menos adrenalina? Agradeço atenção..

    1. Olá, Marcela. Bem-vinda ao blog. Você chegou até nós pelo post “Brasília-Morro de são e Guaibim de carro”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br“, na aba “Rodovias Brasileiras”. No mesmo endereço está publicado o post “Brasília-Porto Seguro de carro”, no qual descrevemos as alternativas para a viagem entre Brasília e Porto Seguro. Você tem duas outras opções, além de Correntina (por onde você foi), que tem 1.411 km. Uma é por Barreiras. Para pegá-la, ao chegar a Vitória da Conquista, suba na direção de Salvador até a entrada para Iaçu e Itaberaba (BA 245), cerca de 8 km depois da cidade de Milagres. Dali é chegar a Itaberaba e seguir para Seabra, Ibotirama, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Alvorada do Norte, Formosa e Brasília. Essa rota perfaz um total de 2.000 km. A outra hipótese é a rota por Montes Claros, num total de 1.530 km. Ao chegar a Vitória da Conquista, desça para o sul, em direção a Belo Horizonte. Depois de 130 km, você estará no entroncamento para Salinas e Montes Claros (BR 251), que fica à sua direita. A seguir, você deverá passar por Salinas, Francisco Sá e Montes Claros, onde você pegará a BR 365 para Pirapora e Luislândia do Oeste. Nessa cidadezinha, a BR 365 cruza com a BR 040, que te levará a Brasília, passando por João Pinheiro, Paracatu, Cristalina, Luziânia e Brasília. Recapitulando: Correntina= 1.411 km. Barreiras= 2.000 km. Montes Claros= 1.530. Pela diferença das distâncias, imagino que você vai escolher voltar por Montes Claros. Se eu estiver certo, gostaria de fazer algumas recomendações especiais para você. A primeira é que você deve evitar a tentação de cortar caminho por essas estradas entre Porto Seguro e a BR 116, passando por Salto da Divisa, Jacinto, Almenara e Pedra Azul ou Almenara, Jequitinhonha, e Itaobim. A distância é bem menor, mas são estradas ermas, abandonadas, grande parte em estradas de terra e com registro frequente de assaltos. Assim, não dê ouvidos (as pessoas da região acham normal passar por ali) e vá até Vitória da Conquista e de lá tome a decisão. A outra recomendação é não viajar em hipótese alguma à noite em qualquer das rotas que indicamos, especialmente no trecho entre Salinas e Montes Claros. Esse trecho tem apresentado um índice intrigante de acidentes graves envolvendo carros e carretas, TODOS NO PERÍODO NOTURNO. E peço que você tenha um pouco mais de atenção nas imediações de Francisco Sá: a 20 km antes e 20 km depois dessa cidade existem buracos esparsos, que exigem redução da velocidade e cuidado dobrado. Finalmente, não deixe de ler também o nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, onde publicamos uma série de informações que podem ser interessantes para você. Em caso de dúvidas, retorne, Marcela: será um prazer ajudá-la a voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  15. Abreu, meu nobre, bom dia !!!! Sem rasgação de seda mas, não consigo(rsrsrsrsrs)
    !!!!Parabéns, você é o cara das estradas, o nosso Mad Max brasiliense e sempre pensando no próximo Sputnik, como gosta de dizer dos irmão de viagem.
    Parabéns pela inclusão do trecho Morro de São paulo/Guaibim. Como sabe, já passei por diversas vezes por esse caminho, na verdade, só passei por esse caminho e agora com a confirmação do nosso companheiro, Gilberto Brandão, fico mais feliz ainda por compartilhar conosco a condição das estradas na qual vamos pegar novamente no final do ano.
    Muito obrigado Abreu.
    Muito obrigado Gilberto Brandão.

    1. Olá, Antoni. Bem-vindo de volta! Realmente, você é um lobo dessas estradas para Morro, Guaibim e Valença. Quando você apareceu aqui, a algum tempo atrás, queria exatamente esclarecer esse mistério da rota por Contendas do Sincorá, que o Gilberto agora acaba de desvendar. Acho que não há uma rota mais indicada do que a outra. Cada uma tem suas vantagens, como colocamos no post. A diferença entre elas é muito pequena em termos de quilômetros. Resta a cada família fazer suas continhas e analisar o que é mais adequado. Veja que, no caso do Gilberto, eram dois homens em viagens de negócios. Quando se colocam mulheres, crianças e idosos (e, às vezes, animais de estimação) a bordo, pode ser que as escolhas mudem. O importante, porém, é que agora temos mais uma alternativa para planejar essa viagem para o paraíso chamado Morro de São Paulo. Dê notícias, Antoni.
      Um abração.
      Abreu

  16. GILBERTO BRANDÃO
    BRASÍLIA-SALVADOR DE CARRO
    03.08.2018
    Amigo Abreu, boa tarde! Gostaria de contribuir um pouco nesse seu trabalho extraordinário de informar aos viajantes de nossas estradas tudo o que é necessário para a realização de uma boa viagem. E isso percebe-se que vc faz há muitos anos com competência. No mês passado tive que fazer uma viagem de última hora, a negócio, com meu advogado até Guaibim, município de Valença-BA. Pois bem, como tive receio em ir por Correntina, pois as informações que tinha era que alguns trechos daquele lado apresentavam problemas, notadamente antes de Correntina uns 30 a 40 km e entre Caetité e Brumado, então decidimos, eu e meu advogado passar direto indo por Barreiras, Ibotirama Itaberaba, Iaçu e Amargosa, onde pernoitamos, a 1.340km de Brasília. Sei que foi imprudência de nossa parte, sair numa segunda-feira às 4h00 e chegar ao hotel para pernoite às 19h00, parando apenas para o almoço e para abastecer, mas como era uma situação excepcional devido o advogado ter que estar em Brasília na quinta-feira pela manhã face a audiências importantes e inadiáveis, então tive que aceitar essa condição, mas graças a Deus tudo ocorreu dentro da normalidade. No dia seguinte, já mais tranquilos e a 220km de Valença, diminuímos o ritmo e continuamos, chegando em Valença às 9h00 de terça-feira. Com todos os problemas resolvidos, às 17h00 voltamos a Brasília, só que ocorreu um problema: Chegando em Mutuípe-BA, como já era noite, ao invés de pegar a pista da direita para a BR-540 em direção a Amargosa, passei direto em direção a Jaguaquara, atravessa a BR-116 e vai no sentido Ubaíra, Santa Inês, Lajedo do Tabocal, Contendas do Sincorá, Sussuarana, Brumado, Caetité, Bom Jesus da Lapa e BR-020 em direção a Brasília. Foi bom ter errado, porque percebi que todos os problemas nesses trechos foram corrigidos. Podemos dizer, se compararmos ao estado anterior, que essas estradas estão um tapete, não encontrei um só buraco e o ritmo foi o melhor possível. Aquele trecho que há anos, muitos anos, sempre estava intransitável, asfalto completamente deteriorado, de Sussuarana a Brumado, hoje recebeu um novinho em folha, dando-nos uma satisfação que só os amantes das estradas podem sentir; são 50km recuperados. Pernoitamos em Ibotirama e chegamos em Brasília na quarta-feira, 9h00. Como senti-me um pouco cansado, entreguei a direção ao advogado em JK para que ele terminasse o trecho que estava faltando. Então, repetindo a frase HÁ MALES QUE VEM PARA O BEM, ocorreu comigo, porque além de encontrar rodovias de boa qualidade no caminho de volta, economizei 150km. São essas informações que gostaria de compartilhar com vc, Abreu, bem como a toda essa galera que ama viajar. Um abraço e até a próxima.

    1. Olá Gilberto Brandão, bom dia!!!!
      Fico feliz por compartilhar conosco sobre as condições da estrada no trecho de Guaibim/Brasília. Sempre fiz esse caminho e novamente o farei em dezembro, indo para Morro de São Paulo. Já havia falado com algumas pessoas a respeito das condições da estrada, porém, não tinham dado certeza sobre as condições do asfalto, coisa que, você fez com maestria. Desde já agradeço a colaboração e, se encontramos mais pessoas assim como você, o nosso amigo Abreu teria informações mais atualizadas para oferecer em sua plataforma de comunicação e nós, os mais interessados, seremos os mais beneficiados. abraço.

      1. Olá, Antoni Moreno, boa tarde! Agradeço suas palavras de incentivo. Fico realmente feliz por ter contribuído com informações oportunas não só a vc como a todos aqueles que amam viajar por essas estradas brasileiras. Fico à disposição para quaisquer outras informações adicionais a respeito dessa rota. Um abraço. Gilberto

        1. Senhores, bom dia! Embora com um pouco de atraso, mesmo assim gostaria apenas de corrigir uma informação sobre nosso pernoite: na realidade chegamos ao hotel para pernoite de BRUMADO e não de IBOTIRAMA, como havia informado, até porque se saímos de Valença às 17h00, dificilmente chegaríamos a Ibotirama às 21h00, como de fato ocorrera. Peço desculpas a Abreu e a todos os leitores que acompanham esse blog. Um abraço a todos.

          1. Olá, Gilberto. Sua presença por aqui é sempre muito querida. Nesse caso, eu havia detectado alguma coisa equivocada e acho que cheguei até a perguntar a você a respeito da inclusão de Ibotirama no trajeto. Só que não consigo recuperar essa pergunta aqui no blog. Talvez eu a tenha feito diretamente no seu e-mail. Mas o importante é que você se dispôs a retornar aqui, dar o ar de sua graça e acertar as coisas. Não desapareça, dê notícias.
            Um abração.
            Abreu