RODOVIAS BRASILEIRAS – BR-135

                                                                                                                                                          01.12.2008 

(O espaço para comentários a esta matéria encontra-se ao final dela, após o último dos comentários).

 

          Estamos voltando do Rio de Janeiro para Brasília. Refizemos o trecho da BR-040 em sentido contrário – só que com chuva ininterrupta. Estrada de pista dupla, pedagiada até Juiz de Fora, não há comprometimento da segurança. Aliás, duas barreiras caídas na noite anterior já estavam sinalizadas e com máquinas a todo vapor colocando as coisas em ordem.

            E, duplicada a pista, passamos por Juiz de Fora com sua obra interminável, Santos Dumont, Barbacena, Conselheiro Lafaiete, Belo Horizonte e Sete Lagoas. Aqui, é preciso cuidado: há uma obra enorme sendo feita no fim da pista dupla, junto ao posto da Polícia Rodoviária Federal.

            Pista simples, sem problemas até Paraopeba. A partir de então, a convivência com a obra de duplicação – intermináááável, que se encerra no trevão. O trevão é o seguinte: em frente, a continuação da BR-040 até Brasília. À esquerda, a BR-135, caminho que leva ao norte de Minas (Montes Claros), com asfalto até Januária e daí, em terra, atravessando o sertão da Bahia (Carinhanha, Cocos) até o Piauí.

            Rápida troca de idéias com nossa navegadora, e decidido: vamos pela esquerda, explorando a BR-135 até Pedras de Maria da Cruz, a 13 km de Januária, onde o asfalto termina.

            São 320 km até Montes Claros e mais 150 até Pedras de Maria da Cruz, nas margens do Rio São Francisco. Estrada estreita, quase sem acostamento, muitas curvas, poucas possibilidades de ultrapassagem permitida e tráfego bastante incômodo de caminhões. E chuva, muita chuva em todo o trajeto.

            Mas o asfalto está em boas condições: não cadastramos um único buraco!

            Itinerário deserto, passando ao largo das cidades (Curvelo, Corinto, Augusto de Lima, Bocaiúva), postos de abastecimento de bandeiras desconhecidas. Recomendação: abastecer no trevão e reabastecer em Montes Claros.

            Fomos a Pedras de Maria da Cruz, almoçamos com a família e voltamos. Vamos dormir em Montes Claros. Amanhã, é retomar a estrada (BR-365) para Pirapora e o trevo Pirapatos e lá pegar de novo a BR-040 para Brasília. São 300 quilômetros até o trevo. Dizem que o asfalto está bom. Veremos!

                                                                       Edimar Abreu (29.11.2008)

ATAQUE DE HACKERS/CRACKERS: TUDO LIMPO NO BLOG

 

    Com mil desculpas a todos os nossos frequentadores, particularmente aos assíduos companheiros de infortúnio que aqui assinam ponto na seção “Sítios e Soluções”, em especial no post “Poço Artesiano de Água Suja”, bem como aos nossos caríssimos sputniks (companheiros de viagem) da Seção “Rodovias Brasileiras”, destacadamente do post “Brasília-Salvador”, temos a alegria  de comunicar o fim dos ataques de piratas que infernizaram nossa vida nos últimos onze meses.

    Conseguimos obter a solução técnica adequada (antivírus não resolvem) e a partir de ontem nosso site e nosso blog estão livres daquele pesadelo.

    Agradecemos a todos que persistiram conosco, acompanhando e torcendo para que tivéssemos sucesso nas tentativas de nos mantermos no ar. Um obrigado especial àqueles que, por e-mail ou telefone, nos avisavam: “não está dando para entrar, mas estamos acompanhando”; “na hora que abrir, eu entro”; “negociem com as caras, mas não saiam do ar”; “consegui entrar, mas o blog ainda não está cem por cento”.

   

   Em novo post nesse blog (www.expressaodaliberdade.com.br) , na seção Sítios e Soluções:  Blog Sob Ataque de Hackers,  estamos contando como foi a história e como conseguimos sobreviver.

Um fraternal abraço.

Abreu – 05.06.2012.  

              

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>