BRASÍLIA-BH-RIO (VIA UNAÍ) DE CARRO

*******************************************************************************************************************************

Prezado Abreu,
Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
Vou fazer Brasília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

Comentário postado em 19/08/2017 as 13:41 por Alceu Simões Nader

*******************************************************************************************************************************

 

                                                                                                                                                         26.11.2011

Aviso aos navegantes: para quem sai de Brasília com destino a Belo Horizonte ou Rio de Janeiro, ou seja, utilizando a BR-040 e, por conseguinte, tendo de enfrentar a barra pesada do tráfego entre Brasília e Cristalina, o blog traz uma novidade muito interessante.

Precisamos ir visitar anteontem um irmão meu, recém-transplantado renal, em Montes Claros. Como sempre que vamos para aquelas bandas, saímos da roça às 06h30min, pela BR-020, na altura do km 33.

Naturalmente, apanhamos todo o trânsito matinal que demanda o Plano Piloto, com as tradicionais encrencas no trevo de Brasilinha, o nó na frente de Sobradinho, o “fluxo estático” dos Nobres, na subida do Colorado, com os carros velhos quebrados e motoqueiros atropelados de sempre e os sempre espertinhos transitando pelo acostamento.

Resultado: às 07h28min – ou seja, 58 minutos e quarenta e sete km depois – deixamos aquele inferno e pegamos o Inferno II – tráfego estacionário da pista da Água Mineral  (EPIA) até a entrada do Núcleo Bandeirante, onde passamos às 08h12min.

Trecho com velocidade razoável a partir daí até a Polícia Rodoviária Federal, no km 1 da BR 040, onde tomamos o expresso “Inferno III”, famoso por sua overdose de quebra-molas do Valparaíso até Luziânia, onde o “Inferno IV” te abre os braços, com sua pista de mão dupla lotada de caminhões, os quais só vão te abandonar lá em Cristalina, quando eles viram à direita para São Paulo, via BR-050 e você segue em frente pela BR-040.

Aí já eram 11h30 da manhã e nós havíamos rodado fantásticos 190 km em 4 horas de viagem.

Pois bem. Conseguimos chegar a Montes Claros, visitamos meu irmão enfermo, jantamos com outros que estão em boa saúde e às 06h30min do dia seguinte (hoje) pegamos a estrada de retorno.

Andamos os 280 km de Montes Claros até a BR040 em Pirapatos e fomos direto para o abastecimento em João Pinheiro, a 80 km dali. E já sofrendo por antecipação: vamos chegar a Cristalina no meio da tarde, enfrentar aquele trânsito horroroso até Luziânia. De lá, vamos curtir a sopa de quebra-molas até o Valparaíso, quando poderemos andar um pouquinho mais rápido até passar pela Água Mineral e cair nos braços acolhedores do gigantesco engarrafamento da descida do Torto para o Colorado e etc., etc. e etc.

Mas, Alá é mais sábio. 17 km depois de João Pinheiro, trânsito totalmente paralisado. Centenas de caminhões, ônibus e carros de passeio parados, parachoque contra parachoque, muita gente do lado de fora dos carros e informação rigorosamente nenhuma.

Ligamos o rádio e procuramos a rádio local (Rádio Tropical de João Pinheiro, 94,7 MHz FM). Repórter no local: -“O acidente ocorreu nas primeiras horas da manhã (já eram 12h40min), envolveu o atropelamento e morte de um motoqueiro por um caminhão tanque carregado de querosene de aviação que se incendiou e ameaçava explodir, o que levou a PRF a interditar o trânsito nos dois sentidos, sem qualquer previsão de horário para reabertura”.

Aí veio o melhor da história. Minha navegadora há 36 anos orienta:-Vamos voltar a João Pinheiro e pegar uma via estadual que vai a Brasilândia e voltar para Paracatu – portanto DEPOIS do local do acidente. Distância a ser percorrida no desvio 230 km, contra os 100 km normais entre João Pinheiro e Paracatu. Há um trecho em obras no meio do caminho. Se for intransponível, retornamos a João Pinheiro, pernoitamos lá e seguimos viagem amanhã.

OK! Pé na estrada para Brasilândia, depois para Boqueirão. E aí, duas surpresas: a) as obras foram concluídas e o que tínhamos pela frente era uma estrada novinha em folha. Olha ela aí embaixo:


 

b) a estradinha nos levaria em 111 km direto para Unaí (MG);

Não tivemos dúvidas. Depois de cruzar com um carro de passeio em sentido contrário e ultrapassar um ou dois veículos indo, chegamos a Unaí menos de uma hora depois. Mais uma hora de viagem e estávamos entrando no Distrito Federal pelo PA-DF, com a alternativa de sair no Paranoá/Ponte JK ou irmos para o Vale do Amanhecer e Planaltina, a 12 km da roça.

Marcamos a opção 2 e cá estamos no nosso recanto, ainda dia claro, assando uma costelinha de porco, abrindo um vinho chileno para comemorar nossa chegada em novo estilo, sem Cristalina, sem Luziânia, sem quebra-molas, sem caminhões, sem Colorado, sem Sobradinho, sem rush!

Então, anote aí: você tem dois caminhos para chegar a João Pinheiro indo para Belo Horizonte, para o Rio ou para Montes Claros. Pela saída sul de Brasília, onde você poderá curtir cenas explícitas de autoflagelação coletiva, ou pela estrada de Unaí, a ser alcançada pelo Vale do Amanhecer ou pela Ponte JK/Paranoá. Pela saída sul, são 350 km. Por Unaí, são 340 km. As distâncias são quase iguais, mas os meus cabelos…

(Edimar Rodrigues de Abreu – 26.11.2011)

Informações atualizadas – 23.07.2013

Em resposta a um dos comentários feitos neste post, prometemos retornar com mais informações sobre a GO 436, uma forma de contornar o trânsito de Brasília, para quem vem de Minas em direção ao Nordeste.

Na verdade, ainda não tivemos a oportunidade de verificar o percurso, mas sentimos a necessidade de informar aos nossos sputniks (companheiros de viagem, em russo) que, no sábado anterior, o ônibus de uma delegação brasiliense de futebol americano que cortava caminho por aquela rota, foi emboscado por uma quadrilha fortemente armada, com fuzis, pistolas e espingardas de calibre 12.

O veículo foi detido, perto de Cristalina,  por tiros nas janelas, para-brisas e no próprio motor, atletas foram espancados a coronhadas e o bando roubou tudo o que eles tinham a bordo. 

Como havíamos levantado a perspectiva promissora em relação àquele roteiro, vimo-nos na obrigação de retornar ao blog para trazer esta  informação que, no mínimo, adia nossos planos em relação à GO 436.

Nosso abraço, com tristeza. 

Edimar Rodrigues de Abreu – 23.07.2013)

 

 

46 comentários em “BRASÍLIA-BH-RIO (VIA UNAÍ) DE CARRO

  1. Boa tarde!
    Abreu,
    Primeiro lugar gostaria de parabenizar pelo blog e pelo belo trabalho, suas informações foram muito importante em minha primeira viagem fora do eixo Brasilia/Votorantim(SP) sem segredos, eu, minha esposa e duas filhas, em 2015 fizemos Brasilia/Ilhéus/Porto Seguro por recomendações suas fomos até ilhéus, para fujir da péssima estrada por Almenara e a viagem foi maravilhosa.
    Agora vamos nos aventurar novamente, nosso itinerário será saída de Brasilia(Riacho Fundo)/ Arraial do Cabo/ Votorantim(estou pensando em ir pela BR101-Rio-Santos) e voltar para Brasília.
    vamos lá para minhas duvidas:
    1º Estou com receio de passar pela linha vermelha, ví que existe a opção de pegar a BR-493 em Magé Pegar a BR-101, Via Lagos e RJ-140 até Av. Ver. Antônio Ferreira dos Santos em São Cristóvão, Cabo Frio.
    2º Ouvi dizer que a RIO-SANTOS é linda porém perigosa
    é isso, aguardo ansioso suas respostas.

    • Olá, Fernando. Bem-vindo ao blog e obrigado por suas palavras. Elas dão a maior força para nós continuarmos fazendo este trabalho. Não localizamos comentário anterior de sua parte. Mas nossas estatísticas informam que, para cada comentário postado, há atualmente cerca de 130 visitantes que não comentam. Você pode ter sido um desses 130 lá em 2015. Mas se você esteve anteriormente aqui, na área de comentários, por favor nos avise, porque podemos estar com problemas no sistema de estatísticas, está bem? Mas vamos lá. Quanto à viagem anterior, que bom que deu tudo certo. Por outro lado, se você estivesse fazendo a mesma viagem hoje, nossa recomendação seria a mesma, porque a situação do caminho mais curto, passando por Almenara, não mudou absolutamente nada! Quanto ao novo projeto, Brasília-Arraial do Cabo-Votorantim, temos algumas observações a fazer. Uma delas é de que nossa Cidade Maravilhosa – que eu adoro – hoje é uma cidade sitiada. Quaisquer alternativas que levantemos para fugir do cerco, são inúteis. Essa rota que você está imaginando, por Magé, por exemplo, já nos causou grandes descargas de adrenalina, suores no frio e tremores nas mãos. Trata-se de uma área – poderíamos dizer – estranha. Há grandes fazendas ali que não produzem nada. Informações reservadas dizem que foram compradas a preço de banana (depois de aterrorizadas pelo crime organizado) pelo próprio crime organizado. Em dia de baixo movimento, já fomos acompanhados atentamente por motociclistas e viaturas, alternadamente, de características amedrontadoras. Se reduzíamos a velocidade, eles reduziam, se aumentávamos, eles aumentavam. Isso até chegarmos à Via Lagos. Foram momentos de emoções fortes, únicas, mas que não temos a mínima condição de recomendar para você, sua família e todos os nossos visitantes. E agora, Fernando? Fazer o quê? Bem, como eu disse, o Rio de Janeiro é uma cidade sitiada, mas vivem pessoas lá. Brasileiros comuns e, principalmente cariocas. E como eles vivem? Compreendendo a situação, admitindo sua gravidade, reduzindo os riscos pessoais, tomando os cuidados necessários e, de certa forma, administrando o espírito da violência a que estão submetidos. Então, temos de procurar imitá-los. Os cariocas usam normalmente a Linha Vermelha. E o que nos dizem eles? Primeiro que os tiroteios na Linha Vermelha não são diários, sistemáticos e regulares como parecem. São eventuais, sim. E ocorrem normalmente ao final da tarde, na hora rush. Então, quando faço essa viagem, saio de Brasília e pernoito o mais próximo possível do Rio, ou seja, Barbacena, Juiz de Fora ou mesmo Itaipava. No dia seguinte, no meio da manhã, pego a Linha Vermelha, a Ponte Rio-Niterói e a Via Lagos. Dizem os cariocas mais experientes que o pessoal trabalha a noite inteira e dorme pela manhã. Finalmente, nada de passar por ali em dias de grandes disputas futebolísticas, durante ou após os jogos, porque as comemorações normalmente não são feitas com fogos de artifício. Quanto à Rio Santos, é linda sim. E é perigosa, não por causa dos homens e das armas, mas pelo traçado da rodovia,sua proximidade com o mar e pelo relevo, em alguns trechos. Claro que existe o perigo da explosão das usinas nucleares de Angra dos Reis. Mas isso é uma improbabilidade e você não é tão azarado assim, não Fernando? Se persistirem dúvidas, retorne será um prazer ajudá-lo.
      Um grande abraço.
      Abreu

  2. Transcrevemos abaixo comentário de Alceu Simões Nader, postado em 19.08.2017, no post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas estradas brasileiras” e respectiva resposta:
    Enviado em 19/08/2017 as 13:41
    Prezado Abreu,
    Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
    Vou fazer Brasília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

    Em resposta a Alceu Simões Nader.
    Olá, Alceu. Bem-vindo ao blog. Este seu comentário encheu a gente de orgulho. E como orgulho é pecado, estamos pecando adoidado por aqui. É que receber uma mensagem desse teor de um profissional que ajudava a tocar o Guia 4 Rodas nos anos 70 é um estímulo monumental para esse trabalho de formiguinha que fazemos por aqui. O nosso primeiro Guia 4 Rodas foi-nos dado em 1978 por um amigo da Ivanizes, minha navegadora há 42 anos. Só que a edição era de 1975. E com ele fizemos a viagem de nossas vidas: Brasília-Guarapari-Eunápólis-Salvador-Aracaju-Maceió-Recife-Natal-Gruta de Ubajara(CE)-Fortaleza- Parque Nacional de Sete Cidades(PI)-São Luís(MA)-Belém(PA)-Belém/Brasília-Anápolis-Brasília. E tudo isso em 30 dias de férias. As estradas eram boas e vocês, repórteres-pesquisadores, eram extremamente confiáveis. Seguíamos religiosamente o roteiro de hoteis e restaurantes com o adesivo “Quatro Rodas esteve aqui”. Todas os comentários que aqui se publicam, independentemente do destino da viagem ou da natureza do post original (o blog tem outras seções que não Rodovias Brasileiras), sempre têm uma carga de estímulo para nós, seja porque as pessoas estão inseguras em relação à viagem, seja porque estão agradecidas por irem e voltarem em segurança. Mas uma mensagem como a sua, que parte de uma autoridade no assunto e que ajudou um guia que era uma luz nessa área, quando não existiam internet nem GPS, é particularmente gratificante. Você fez o comentário em nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Por certo deve ter visto os demais posts de nossa aba “Rodovias Brasileiras”, do site wwww.expressaodaliberdade.com.br, que abriga o blog. Dessa forma, gostaríamos ter a sua autorização para reproduzirmos o seu comentário em todos os posts da aba (Brasília-Porto Seguro de carro, Brasília-Ilhéus de carro, Brasília-Salvador-Natal de carro, Brasília-Buenos Aires de Carro e tantos outros que lá estão publicados). Isso porque alguns princípios nossos – segurança, segurança, segurança, ainda que por rotas mais longas e sem viagens noturnas – não são bem compreendidos por alguns de nossos visitantes. Acontece que a maioria de nosso público básico é composta de gente simples, marinheiros de primeira viagem, que partem com a família inteira, em veículos modestos. E é para essas pessoas que nós nos desdobramos para orientar, com responsabilidade, particularmente em relação aos cuidados com os idosos, com as crianças e atenção para com os buracos, os animais na pista, as estradas ermas, principalmente de terra, sem policiamento da PRF, os restaurantes de beira de estrada e os postos de combustíveis de marcas genéricas. Sua presença aqui e nos demais posts seria um importante reforço nessas nossas recomendações, o que muito nos honraria e ajudaria. Mais uma vez, obrigado, Alceu, e esperamos que você nos autorize a reproduzi-lo nos outros posts como solicitado. Faça uma boa viagem para Trancoso e aguardamos notícias suas.
    Um grande e fraternal abraço.
    Abreu
    O Alceu autorizou por e-mail, em 20.08.2017:
    “ Pode reproduzir sem problemas”.
    Abs

  3. Oi Abreu, tudo bem ? Fui localizar no mapa o município de João Pinheiro/MG e achei longe sair do Rio de Janeiro de van, com 18 adultos e 02 crianças com menos de 05 anos para a cidade citada. Ocorre que no dia 06.02.2016, meu sobrinho casará nesta cidade. Estou preocupada com a estrada, após ler alguns relatos aqui no seu blog. E ainda mais porque será CARNAVAL. Será que existe uma maneira melhor de chegar em João Pinheiro, mais tranquila, o que você me sugeri.
    Desde já agradeço.

    • Olá, Sônia. Bem-vinda ao blog e desculpe a demora. Não, Sônia. Não há caminho mais curto nem mais rápido do que a BR 040 para chegar a João Pinheiro, partindo-se do Rio de Janeiro. Mas, veja sob outro ângulo: do Rio a João Pinheiro são aproximadamente 850 km, em estrada praticamente toda duplicada (o trecho Paraopeba-João Pinheiro está em obras, mas o restante está pronto). Em alguns trechos, a velocidade máxima é de 110 km por hora. Estimo que sua van vá fazer uma média de 85 km/h e levaria 10 horas para fazer a viagem. Saindo às 06h00 daí do Rio (isso eu me refiro a vocês estarem às 06h00 já na altura do Galeão), chegarão a João Pinheiro por vola das 16h00. Não é tanto sacrifício, não. Uma banda de Dramin para cada criança meia hora antes do início da viagem evitará que elas enjoem nas curvas da subida da Serra de Petrópolis. Elas acordarão já na reta de Itaipava para Juiz de Fora, onde vocês pararão no Graal para abastecerem e ir ao banheiro. Por volta de 12h00 passarão por Belo Horizonte (estudem bem o Rodoanel – é fácil de errar a saída e para consertar é uma enorme perda de tempo). Então, vamos lá: não vamos deixar os noivos esperando, não é mesmo?
      Vá em frente e faça uma excelente viagem, uma festa de casamento melhor ainda e um retorno seguro para o lar.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Olá, tbm sou de Moca, fizemos por 2 x o trecho: Brasília (Asa Norte), Formosa, Cabeceiras de Goias, Arinos, Urucuia, Pintopolis…balsa entre Pintopolis e São Francisco… São Francisco à Montes Claros. A distância fica aproximadamente 600 km, porém tem um trecho entre Pintopolis e a balsa q até a 3 anos atrás estava sem asfalto.

  4. oi abreu tudo bem….ja estou de volta sai dia 4 de agosto cheguei dia 29 de agosto……gostei muito desta rota 020 e 242 sera de agora em diante minha nova rota de subida para o nordeste…..durante a viagem fui fazendo anotações via zap e passando para o edilio….inclusive sobre o atalho por fora de brasilia muito bom de fazer….pernoitei em ibotirama e depois passeio no morro pai inacio e pernoite em lencois,,,,simplesmente top demais, na proxima passada pelo trecho vou ficar uns 3 dias em lencois…..depois toquei reto ate br116 com pernoite em brejo santo-ce e depois ate fortaleza onde ja comecamos o passeio …depois jijoca jericoacoara,,,,jericoacoara….delta parnaiba….lencois maranhenses….sao luis….e ai a volta sao luis x teresina x picos…..depois picos x petrolina x sr bomfim x capim grosso x feira santana x vitoria conquista….depois vitoria x salinas x montesclaros x pirapora x patos minas x uberlandia…..7.557km 26 dias fora de casa e 21 de praia….agradecer as suas dicas no trecho brasilia x salvador…um abraco…

    • Olá, Ricardo. S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L! Cinco dias de estrada e vinte e um dias de praia: é coisa para quem sabe viver. Tudo bem planejado, muito bem executado e com o retorno seguro à terra do Uber (esse novo aplicativo que substitui o táxi foi feito aí???). Você conseguiu subir lá no Pai Inácio? Estive lá com meu filho e minha nora, mas na hora de encarar aquele paredão tosco, com aqueles degraus de pedra redonda, o medo de altura falou mais alto: fui tomar cerveja na barraquinha e aguardar a juventude descer e voltar. Mais uma vez, parabéns Ricardo: é assim que se faz!
      Um grande abraço para você e para o Edílio, sócio-fundador deste blog.
      Abreu

      • e uma pena não ter subido,,,,o visual de la e magnifico….ola este vídeo, do morro quem sabe sirva de inspiração e da próxima você sobe la…..o que os olhos veem e muito superior ao mostrado nas foto…um abraco. https://youtu.be/dViJsAAendQ

        • Ricardo, sem chance para mim! Tive vertigens aqui, sentado na minha cadeira. E essas fotos de vocês à beira do precipício? Que coisa maluca: não há um guard-rail, uma mureta, uma grade – nada. Se eu chegar perto de um negócio desses acho que eu pulo no abismo. A impressão que tenho é que ele me chama, me puxa. Sem chance para mim. Talvez numa outra encarnação, se eu voltar com a alma de um alpinista, a gente possa conversar a respeito.
          Um abração.
          Abreu

          • certo…..o Edílio comentou com você sobre um encontro que estamos organizando em brasília de estradeiros do centro oeste….eu já confirmei presença ..,,o francisco cabral esta a frente da organização…
            abreu esta rota do cerrado br-050 x br-020 x br242 1750km (2015) já e minha rota oficial de subida para o nordeste, a rota tradicional br365 uberlandia x montes claros…. br251 montes claros x salinas x br116- divisa alegre….. br116 vitoria x conquista x feira santana….1500km(2008,09,10,11,12,13,14,15) passei agora na volta e mesmo a volta sempre sendo mais rápido do que a ida, esta rota esta muito carregada e foi este o motivo da mudança.
            .. a br 251 já esta ficando igual a br-116 de tanta carreta, com isto o trecho de uberlandia x feira santana 1500 km esta com media hora muito baixa, por isto mudei de rota, e acertei em cheio, mesmo a rota cerrado sendo 250 km a mais que a rota tradicional compensa demais, pois consegui no primeiro dia uberlandia x ibotirama 1224 km descontando as paradas fazer este trecho em 11 horas rodando com media de mais de 100km hora alem da media excepcional, cheguei extremamente descansado depois de 14 horas na estrada….um abraco….

    • Ricardo,

      Moro em Barreiras e nesse próximo fim de semana (12/09) irei para o Rio de Janeiro de Avião e voltarei de carro com meus pais e rebocarei uma lancha. Bem, já estava planejando pegar a estrada Paracatu-Unaí-Formosa e, como você passou por esses dias, gostaria de saber se a estrada está em boas condições e se há muitos quebra molas.
      Desde já agradeço.
      Julio

      • barreiras cidade muito linda….sobre a rota paracatu, unai, formosa, eu não passei nela , mas o abreu passou por la recentemente ele tera informações quentes sobre o trecho…um abraco

      • Olá, Júlio César. Bem-vindo ao blog. Como o Ricardo respondeu dizendo que não passou pela rota de Unaí, eu tomo a liberdade de informar que a estrada está em boas condições e não há excesso de quebra-molas. São mais comuns na periferia das cidades. Entendi que é por causa do reboque, não é? Esse tempo é de seca e ainda não temos chuvas para estragar rapidamente essa estrada. Há alguns buracos na saída de Unaí, mas nada que preocupe. Faça uma boa viagem de ida e volta e traga notícias frescas para nós, OK?
        Um abração.
        Abreu

  5. valeu abreu, dia 4 estou na br,,,,,,ai vou postando as informações do trecho neste mesmo lugar ou tem outro para postar…..fala ai.

    • É, Ricardo. Já passei por essa rota – até Pirapatos – há muitos anos, quando morava em Catalão e precisava ir para Januária, no Norte de Minas, que é minha terra natal. Mais recentemente, como você registrou, temos aberto essa picada de Paracatu-Unaí-Planaltina(DF). Acho que é o mais razoável: repeti ainda há pouco o mesmo percurso que fiz ontem (do Living Park Sul, na altura do Parkshopping até Planaltina), no mesmo horário e gastei 02h13min, quase o dobro de ontem. Há uma obra importante em frente a Sobradinho(DF), na BR 020, na pista de quem segue para Formosa, ou seja, a pista que você iria pegar. A obra está a cerca de 25 km da entrada de Planaltina, de modo que você não vai ter que enfrentá-la.
      Um abração.
      Abreu

      • abreu, se eu passar em brasília as 5 horas da manha , vai estar mais vazio….como e o trafego ai nesta hora.

  6. bela analise abreu…..o Edílio e nosso parceiro de you tube, estou assistindo os videos dele agora , e também estou em contato direto com ele via face,,,, zap,,,, g+,,,inclusive ,,,,,ele já me adiantou um relatório completo do trecho da volta via e-mail….sera que dia 4 ja terá voltado as aulas em brasília se não tiver voltado sera lindo,,,,,mas caso contrario vai ser um deus nos acuda…..

  7. abreu, tudo bem, pego a estrada dia 04 de agosto, minha rota , Uberlândia x cristalina x formosa x posto rosário, barreiras x ibotirama x seabra x itaberaba x br116,,,,,vendo uma postagem no face, nos comentários,,,,,os caras falam de vários trechos com buracos….procede esta informação,,,,por favor me ajuda.

    • Olá, Ricardo. Bem-vindo ao blog. Algumas estradas brasileiras estão sofrendo no momento os efeitos dos escândalos envolvendo as empreiteiras e seus executivos presos. Com isso,já se observam alguns pontos começando a se deteriorar por falta de manutenção. É o caso, por exemplo, do trecho entre Lençóis e Itaberaba. Naquele trecho de 130 km, há ocorrência de buracos esparsos – que são os mais perigosos.É preciso ter atenção redobrada ali. Na chegada a Salvador, depois de Simões Filho, tem havido alguns buracos ( o que é estranho, porque a rodovia é privatizada e pedagiada). Eu próprio perdi um pneu lá no km 7 da BR 324, ao sair da capital baiana e cair num senhor buraco. Mas de uma maneira geral, para quem viaja de dia como recomendamos firmemente aqui, não há maiores preocupações nos demais trechos. No trecho de Uberlândia a Formosa, o problema são as obras de duplicação e o pedágio entre Cristalina e Luziânia, que era R$ 3,00 e subiu para R$ 4,60 hoje, sexta-feira, 24.7. Em Cristalina, você tem uma alternativa de sair pela direita logo após a cidade e pegar uma estrada que leva direto a Planaltina(DF), sem ter de cruzar Brasília e e seus congestionamentos dignos de São Paulo. O estado dessa estrada é bom, mas alguns amigos policiais que trabalham naquela área têm-nos orientado a não indicar por enquanto aquela opção, porque a segurança não anda muito boa por aquelas bandas. Tão logo essa situação se reverta, passaremos a indicá-la, uma vez que é muito mais curta e rápida. Mas, por enquanto, não temos como fazer isso. Como você não disse para onde vai, deixei de indicar a alternativa de Ipirá, em lugar da BR 116, porque aquela simpática alternativa só serve para quem vai para Salvador ou mais acima.
      Faça uma boa viagem. Se ficou alguma dúvida, retorne: será um prazer ajudá-lo.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • abreu, valeu pelas dicas…..iria passar pelo atalho depois de cristalina saindo direto em planaltina mas depois deste seu alerta sobre segurança na área terei que fazer por brasilia…. o foda e o horário la pelas 7 da manha passar….

        • Ricardo, atrase a viagem em 1h30min. Saia mais tarde de Uberlândia, ou tome um belo café da manhã lá posto JK, em Cristalina. Mas organize-se para passar por Luziânia depois das 08h00. Assim, você vai começar a atravessar Brasília às 08h30, quando as coisas já estarão mais mansas. Qualquer dificuldade, prepare o pernoite em Ibotirama, duas horas antes de Lençóis, ou em Seabra, a apenas 50 km de lá. Mas não vá trocar o risco de evitar a via alternativa pelo risco de viajar à noite naquela região. Para você ter uma ideia, há muitos anos atrás, na entrada do vale do São Francisco, na dascida da serra para Ibotirama, paramos para resolver um problema e nos vimos em companhia de….uma onça! Eu, minha esposa, minha sobrinha e meu filho jamais esqueceremos aquele momento. Então, vamos recapitular: acorde mais tarde, ou dê uma parada estratégica em Cristalina, inicie a travessia de Brasília após as 08h30min e reprograme o pernoite, se for necessário, para Ibotirama ou Seabra.
          Faça uma boa viagem e dê notícias.
          Ah, acho que vou fazer um post sobre o caso da onça. História de estradeiro…
          Abreu

          • sabe tudo em abreu,,,,,sim a parada esta programada para cristalina posto jk, ótimas referencias de la e a pernoite em ibotirama,,,,,o negocio e que se eu passar esta hora em brasília, não pernoitarei em Ibotirama, ja que não gosto de rodar a noite, para dar certo então teria que pernoitar em em barreiras….mas se pernoitar em barreiras atrapalha meu esquema de chegar as 9 no morro pai inacio, e chegar em lençóis na hora do almoço onde pretendo curtir a tarde e fazer uma pernoite…..se dormir em barreiras e só chegar depois do almoço em lençóis fica desinteressante pernoitar por la pelo pouco tempo que teria no local,…….estou em uma sinuca de bico….o caso da onça merece um especial com certeza…..vou ver o que faco com esta rota…..

          • Ricardo, então o problema está resolvido: mantenha o plano original e enfrente o trânsito matinal de Brasília. Vou dizer porquê. Qual seria o maior risco: a) enfrentar a insegurança da estrada alternativa?; b) enfrentar o desconforto dos congestionamentos matinais da Capital? ou c) enfrentar os perigos da viagem noturna no sertão baiano?. Se você examinar, as opções “a” e “c” apontam para RISCOS, enquanto a letra “b” aponta apenas para “desconforto”. Assim, tenho certeza de que você, entre submeter sua família a riscos ou a desconforto, já deve ter feito sua escolha, não é mesmo? Então, vá lá e entre em Brasília às 07h00 da manhã. O bicho não é tão feio assim. Há poucos minutos, voltei do Plano Piloto, onde acabei de comprar um apartamento do Living Park Sul (aqueles prédios que ficam atrás do Parkshopping). Saí de lá às 17h57min, peguei a reta para a BR 020 e passei por Planaltina às 19h07 min, ou seja fiz os 60 km em uma hora e dez minutos, na hora do rush. Você que virá de Luziânia e terá “mais Brasília” para atravessar, deverá gastar uns 90 minutos para fazer a travessia. A propósito, não deixe ver aqui mesmo no blog nosso post “RODOVIAS BRASILEIRAS: Brasília-Salvador” (www.expressaodaliberdade.com.br/?p=571), principalmente o comentário do sputnik Edilio Andrade, postado por ele hoje, dia 30.7, ao voltar do Nordeste por essa rota. Há informações quentíssimas – praticamente de ontem – no comentário dele.
            Um grande abraço.
            Abreu

          • Abreu boa tarde,
            Através do Ricardo Alves faço contato pois estou querendo ir de BH a São Luis do Maranhão. Pretendo passar por Unai, Luis Eduardo Magalhães e subir pela BR 135 até lá, saberia me dizer as condições da BR 135 nesse trecho de Barreiras até Pedreiras no Maranhão. O trecho da BR 020 e da BR 135 de Pedreiras até São Luis vi a viagem do Ricardo.

            Desde já agradeço a sua atenção.

          • Olá, Anderson. Bem-vindo ao blog. O Ricardo Alves e o Edílio Andrade são grandes parceiros nossos, sempre estão por aqui dando uma mão e mostrando lá no Facebook as imagens – vídeos e fotos – das muitas estradas por onde andam. Quanto às suas necessidades de informações sobre a BR 135, nossas possibilidades são muito limitadas. Temos aqui no blog “www.expressaodaliberdade.com.br/?p=9″ um post sobre a BR 135…mas no trecho mineiro de BH a Montes Claros. Mas há dois sputniks (como chamamos nossos amigos que frequentam este blog) que poderão ajudá-lo, uma vez que viajam por aquelas bandas e postam comentários sobre suas viagens. São o Robson e o Nésio. Os comentários do Robson são do final de 2014 (dezembro) e você pode encontrá-los entrando em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, e localizando o nosso post “RODOVIAS BRSILEIRAS: Brasília-Ilhéus. Ele fez seus relatos entre os dias 15 e 17.12.2014. Você pode ir direto ao post Brasília-Ilhéus digitando “www.expressaodaliberdade.com.br/?p=544″. Já o Nésio fez seus relatos em setembro de 2012 e junho de 2015, em nosso site “www.expressaodaliberdade.com.br”, sobre nosso post “RODOVIAS BRASILEIRAS: Brasília-Rio de Janeiro BR 040″. Ele fez seus comentários nos dias 30.09.2012, respondido por nós no dia 02.10.2014 e no dia 10.06.2015. Caso tenha dificuldades de localizar o post Brasília-Rio de Janeiro BR 040, digite direto “www.expressaodaliberdade.com.br/?p=8″. Acho que você vai encontrar informações bastante interessantes, até porque ambos – Robson e Nésio – foram bastante detalhistas na descrição da viagem. Esperamos minimamente haver ajudado você e nos mantemos à sua disposição para troca de ideias, OK, Anderson?
            Um grande abraço e volte sempre.
            Abreu

  8. PARABÉNS PELAS INFORMAÇÕES. GOSTARIA DE SABER,QUANTOSKM,E SE A ESTRADA ÉTODA ASFALTADA. MORO EM PLANALTINA DE GOIAS,EQUERIA PASSAR PELA BR QUE SAI DE FORMOSA GO ATÉ PARACATÚ MG.

    • Olá, Márcio. Bem-vindo ao blog. É tudo asfalto, está em boas condições. Você vai sair de Brasilinha (não precisa ir a Formosa), atravessar Planaltina e pegar a rota depois do Vale do Amanhecer para sair em Unaí e de lá em Paracatu, evitando todo o sufoco de atravessar Brasília e enfrentar tráfego até Cristalina.
      Um grande abraço.
      Abreu

    • Olá, Márcio. A estrada é toda asfaltada e você não precisa ir a Formosa: basta sair de Brasilinha pela estrada que sai no Posto Itiquira. A seguir, atravesse Planaltina (ou pegue a entrada para o Colégio Agrícola na descida da Embrapa, que contorna a cidade) e sair no Vale do Amanhecer. Daí é só continnuar até Unaí e de lá para Paracatu.
      Desculpe a demora: não percebi que havia deixado seu comentário para trás.
      Um forte abraço e em caso de dúvida, retorne.
      Abreu

      • oi abreu de uma olhada neste link https://goo.gl/maps/OHzxq que e a rota que irei fazer passando por fora de brasília, pelo seu relato você fez uma parte dela,,,,que bom saber que esta em ótimas condições….um abraco.

    • Olá, Dr. Matta. Bem-vindo ao blog. O senhor não imagina o bem que nos fazem essas poucas linhas aí em cima. Este blog acabou se tornando uma espécie de ONG, onde diariamente respondemos a demandas de dezenas de pessoas com dúvidas tanto na área de viagens rodoviárias (“Rodovias Brasileiras”), quanto na vivência diária em pequenas propriedades rurais (“Sítios e Soluções”). E o que nos leva, às vezes, a entrar pela madrugada procurando ajudar as pessoas é a certeza de que estamos fazendo a coisa certa, útil e necessária. Mas vezes essa certeza começa a vacilar, surgem alguns auto-questionamentos, certeza começa a virar dúvida. Da dúvida para a sensação de equívoco, de desnecessidade e daí para a desmotivação, é um pulo. E neste momento crítico, surge uma mensagem como esta sua. O que teria levado o senhor a deixar de fazer qualquer outra coisa para decidir “Eu vou ali no computador dar uma força para o pessoal do http://www.expressaodaliberdade.com.br“. Não sei o que o moveu, só sei que nos fez um bem fantástico. É como se o “mercado” validasse aquilo que temos esperança de que seja verdade. A partir daí, a probabilidade de desmotivação é afastada, a adrenalina sai atropelando as ideias de desnecessidade, equívoco, duvidas e auto-questionamentos e a alegria de tentar fazer bem feito o que é necessário torna-se tão explosiva e exuberante quanto um renascimento.
      Por tudo isso, Dr. Matta, repetimos: bem-vindo ao blog!
      Abreu

  9. Amigos, primeiramente, parabéns pelo blog! Vocês tem informações atualizadas desse trecho da BR-251 entre Brasília e Unaí? Nos posts anteriores, há relatos de buracos no trecho goiano. E a MG-188, vocês tem notícias?

    Estou planejando fazer BSBxBH via BR-251, MG-188 e BR-040.

    Abraços e obrigado,

    Fabiano

    • Olá, Fabiano. Bem-vindo ao blog. Até onde temos informações, as estradas estão boas, tanto a 251 quanto a que imagino seja a MG 181. O problema que registramos foi na área de segurança, principalmente no trecho em que a 251 se junta à estrada que vem de Cristalina. Naquele trecho houve uma série de assaltos, principalmente a ônibus e vans. Não temos mais registros nos últimos 5 meses, mas alguns amigos nossos que trabalham na área de segurança pública naquela região de Goiás ainda mantêm a bandeira amarela para nós naquele pedaço.
      Fizemos recentemente Brasília-BH(agosto), mas optamos pelo trajeto tradicional, via Luziânia, Cristalina, Paracatu e João Pinheiro. Está tumultuada a saída de Brasília, por causa das obras do BRT entre Santa Maria e o Plano Piloto, mas seguro morreu de velho.
      Um grande abraço.
      Abreu

    • Olá, Sérgio. Bem-vindo ao blog. Olha só: anteontem apanhei um táxi lá na Localiza do Aeroporto de Brasília, onde fui deixar um carro que havia alugado. O motorista mora em Brasília, mas é de uma família que reside e tem fazenda em Unaí. E me disse que veio de lá no domingo passado, uma vez que fora passar o fim de semana na fazenda, com seus pais. As informações são as mesmas: afora alguns buracos EXATAMENTE na divisa MG/GO, a estrada está em boas condições.
      Qualquer coisa diferente disso que nos chegar antes de sua viagem, postaremos aqui.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Oi, Sérgio. Claro que esqueci de registrar que o restante (BH-Unaí) está tudo em ordem e o único trecho preocupante era Unaí-Brasília.
        Um abração.
        Abreu

  10. Meu querido, primeiro quero parabenizar por todas as informações prestadas aos que viajam de carro por esse brasil maravilhoso, de minha parte queria se possivel uma pequena ajuda, moro em maceió, e sempre viajo a brasília de avião, para visitar meus tios, porém no final de junho irei de carro, eu, minha esposa e dois filho pequeno, nunca viajei tão longe numa estrada, gostaria de saber qual melhor treçho, onde dormir, onde parar, melhor estrada, vou numa hilux, não tenho experiência em viaje inter-estadual, o que seria mas tranquilo na minha viaje, com saida de maceió no dia 25/06/2012 e retorno de brasilia dia 09/07/2012. Desde já agradeço sua atenção, Deus te Abençoe voçê e sua família. maceió, 11 de junho de 2012. Alberto Castro.

    • Olá, Alberto. Bem vindo ao blog e grato por suas palavras de incentivo.Essa viagem que você quer fazer, nós a fizemos em julho do ano passado. Verificamos que você chegou ao nosso blog através do post “RODOVIAS BRASILEIRAS: Brasília-BH-Rio via Unaí”. No mesmo blog “www.expressaodaliberdade.com.br” você poderá dar uma lida nos posts “RODOVIAS BRASILEIRAS: Brasília-Salvador-Natal” e “RODOVIAS BRASILEIRAS: Brasília-Salvador”. Nesses dois artigos (e nos muitos comentários feitos por nossos amigos viajantes) você terá uma quantidade enorme de informações que o ajudarão a preparar sua viagem.
      Já adiantando, informamos que você terá cerca de 2100 km de viagem, que poderão ser percorridos em 2 ou três dias. Isso dependerá de sua tripulação: se houver crianças pequenas ou idosos, nós sugeriríamos 3 dias. Caso sejam só adultos e crianças grandes, pode fazer o percurso em dois dias. Para tanto, vocês sairão de Maceió e dormirão em Lençois, fazendo 1040 km no primeiro dia e 1060 km no segundo.
      Para tanto saiam de Maceió por volta de 06h00 da manhã e abasteçam a cada 200-250 km andados. No trecho Maceió-Salvador sua média não deverá ser superior a 80 km, o que significa que vocês deverão deixar a BR 101 e pegar a BR324 (entre Salvador e Feira de Santana) por volta das 13h00. A partir daí, a estrada é duplicada e pedagiada até Feira, e a velocidade da via é de 110 km/h. Portanto, ao deixar a BR101 e pegar a BR324, sua média irá aumentar sensivelmente, porque o tráfego será pequeno e as estradas estão em bom estado.
      Atenção em Feira: o caminho tradicional era pegar a BR116 (Rio Bahia) na saída da cidade e ir nela até Argoim, onde se pega a BR 242 para Itaberaba. Nossa recomendação não é essa, porque o trânsito da BR 116 é muito pesado, lento e cheio de caminhões. Nossa indicação é a seguinte: em Feira, pegar a BR 116 e andar nela por volta de 5 km. Ali há uma saída à direita imediatamente antes de um viaduto. Essa saída levará você à BA 052. Pegue essa saída e após 86 km você estará em Ipirá. A estrada é boa e com pouquíssimo trânsito. Atravesse a cidade de Ipirá e, ao final, há um balão, com uma uma saída à esquerda para Itaberaba. Siga por aí e 76 km depois – com trânsito praticamente inexistente (às vezes cruzo com um ou dois carros naquele trecho) e asfalto novinho – você estará em Itaberaba, muito antes do que se você tivesse ido pela Rio Bahia!
      Daí pra a frente, a estrada é sua. Um pouco de atenção na saída de Itaberaba: durante os primeiros 50-60km costumam aparecer alguns buracos esparsos. O Dnit tapa, mas eles aparecem em outros lugares. Antes do final da tarde você estará chegando a Lençois.
      No dia seguinte, saindo entre 7h00-08h00 da manhã, por volta das 16h você estará em Formosa, entrando no Distrito Federal e pegando a pista dupla.
      Boa viagem e conte com a gente. Qualquer dúvida, retorne.
      Abração.
      Abreu

  11. Oi Abreu tudo bem,eu sou do interior de são paulo e vou a bahia em março de 2012,já fui lá em 2007 e peguei cada trecho horrivel na bahia mas estes trechos ja foram recuperados,mas vendo teu post e olhando o mapa quatro rodas vi que tem uma rodovia que sai de cristalina para o sul do df ate planaltina,queria saber de voce se compensa passar por este trecho e se a rodovia está em boas condiçoes de trafegabilidade´,por que em 2007 quando fui peguei um transito horrivel em brasilia que me lembro a marginal em são paulo.
    Feliz Natal.
    E desde já muito obrigado.

    • Olá, Vagner. Feliz Natal. Essa rodovia a que você se refere pode ser uma solução interessante para evitar Brasília, sim. Na parte de dentro do DF, é a DF130. Na parte goiana, que vai até Cristalina, é a GO 436. A DF 130 está comentada neste nosso post (a gente vem de Unaí pela BR 251, que termina na DF 130). Quanto à parte da GO 436, acho que vou dar um pulo lá. Se estiver boa, passará a ser a minha rota preferida para sair de Brasília. Daremos notícias.
      Forte abraço.
      Abreu

    • Olá, Whallace. Bem vindo ao blog. A estrada do DF a Unaí, como registramos no post, está ótima. Existe um senão, entretanto. Quando você vem de Unaí, em Minas Gerais, para entrar no Distrito Federal, tem passar por uma nesga de terra do território goiano ao sul do DF. Pois é: aquele pequeno trecho de 27 km é a nota negativa. São 27 km de dança entre crateras, variando de 10 a 50 cm de largura, exigindo a redução drástica da velocidade. Vencido o trecho, entretanto, o resto é festa.
      Abração
      Abreu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>