BRASÍLIA-TERESINA DE CARRO

*******************************************************************************************************************************

Prezado Abreu,
Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
Vou fazer Brasília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

Comentário postado em 19/08/2017 as 13:41 por Alceu Simões Nader

*******************************************************************************************************************************

 

Este post é de autoria do sputnik Vander e foi publicado em 04.03.2017

(O espaço para comentários, dúvidas e consultas sobre este post encontra-se ao final dele).

 

Eu viajei para Luis Correia (PI) em janeiro de 2017, um belo pedaço do Brasil onde o Piauí se encontra com o mar. Mas, durante o planejamento da viagem, sofri com a falta de informação sobre as condições daquelas rodovias, em especial as que cortam o estado do Piauí. Então, tentando auxiliar os próximos sputniks (com a licença do Abreu) que se dirigirem para aquela parte do Brasil, deixo aqui minha contribuição.

Dividi a rota entre trechos de cidades cuja estrutura e postos tornam viável o abastecimento obrigatório (a cada 200/300 km), pois são cidades onde os postos possuem bandeiras como BR, Texaco, Shell, etc.


BRASÍLIA-BARREIRAS:

O roteiro é o mesmo já descrito aqui no blog, no post Brasília-Salvador: a estrada está boa. Abasteça em Simolândia ou no Posto Rosário e complete o tanque em Barreiras.


BARRREIRAS (BA) – CORRENTE (PI)

São 230 km de asfalto bom até Corrente, onde, seguindo orientações do nosso mestre Abreu, de abastecer o carro a cada 200/300 km, deve ser feito outro abastecimento em Corrente, que conta com dois postos BR.

 
CORRENTE-BOM JESUS(PI)

Esse trecho compreende 245 km. E é aí que começa a necessidade de maior atenção, em razão do que registro as seguintes advertências:

  1. a) a estrada é muito estreita (problema que se estende até Floriano, ou seja, 640 km de estrada muito estreita!);
  2. b) é cheia de curvas;
  3. c) não há acostamento;
  4. d) existe um “degrau” entre o asfalto e o que era para ser o acostamento. Portanto, muito cuidado nas ultrapassagens, para não colocar a roda nestes degraus, pois existe risco de capotagem!
  5. e) logo depois de sairmos de Corrente, antes de chegar a São Gonçalo, distante 55 km, há cerca de 20 km onde o asfalto se alterna entre muito bom e muito ruim, bastante desgastado, fazendo com que o carro trepide bastante. Mas, mantendo-se a 80 km/h, dá para tirar de letra.
  6. f) depois de São Gonçalo, passamos por Gilbués (+23) e Monte Alegre (+12) antes de chegarmos a Bom Jesus. Esse trecho conta com asfalto novíssimo, mas deve-se manter cuidado, pois as curvas, além de muitas, não são muito bem sinalizadas com placas. Chegando a Bom Jesus faça outro abastecimento, no posto BR ou no Texaco.
  7. g) dependendo da hora em que você passar por Bom Jesus, seguindo outra orientação do velho lobo Abreu de não dirigir a noite em nossas BR’s, meu conselho é aproveitar a estrutura de hotéis e restaurantes da cidade e pernoitar lá.

BOM JESUS-CANTO DO BURITI

Esse percurso compreende 230 km. Por isso, abasteça antes de encará-lo. O asfalto encontra-se conservado, porém, como já havia mencionado, a pista é muito estreita e as curvas não muito bem sinalizadas. Muito cuidado na hora de ultrapassar, para não colocar a roda no degrau entre a faixa de rolamento e o que seria o acostamento, pois há risco de capotagem!

Obs: o trânsito dentro da cidade de Canto do Buriti é entre ruas apertadas, com muitos cruzamentos, cheias de valetas e com intenso tráfego de caminhões e motos. Então, caso seu tanque de gasolina tenha capacidade para seguir mais 66 km com tranqüilidade e ainda não esteja próximo da reserva, antes de chegar ao centro da cidade, pegue o anel viário à esquerda e abasteça em Itaueira, que conta com um posto ALE. Porém, se seu tanque já estiver próximo da reserva, prefira a segurança de abastecer em Canto do Buriti mesmo, que possui um posto Texaco e um bom comércio local.

CANTO DO BURITI-FLORIANO

Esse segmento do trajeto compreende 160 km de pista ainda muito estreita, mas com bons trechos de reta. Atenção! Cerca de 20 km antes de chegar a Floriano, há muitos jumentos na pista! Na saída para Teresina, a cidade de Floriano oferece uma boa estrutura de hotéis e postos, onde deve ser feito um abastecimento antes de encarar o trecho até Teresina.

Para quem vai para Fortaleza, é de Floriano (trevo da BR 230 com a BR 343) que se separa de quem vai para o litoral piauiense ou maranhense.


FLORIANO-TERESINA

A reta final para a capital piauiense – 245 km -, a estrada muda radicalmente e volta a se parecer com uma BR (pista larga e muito bem sinalizada). 80 km antes de chegar a Teresina, a BR 343 se encontra com a BR 316. A partir daí, o intenso tráfego de veículos pesados, aliado às muitas curvas, fazem o trecho ficar bem perigoso e lento, além de contar com poucos pontos de ultrapassagem permitida.

TERESINA-LUÍS CORREIA

Este último trecho possui 350 km de pista em ótimo estado de conservação e 82 km de tráfego intenso desde a capital até a cidade de Campo Maior (terra da Carne de sol). Atenção recomendada também quanto ao trânsito pesado dentro das cidades de Altos (+41 km) e de Campo Maior (+41 km).

De Campo Maior passamos pelas cidades de Piripiri (+78), Brasileira (+21 km), Piracuruca (+25 km), Buriti dos Lopes (+93 km) e Parnaíba (+35 km) antes de chegarmos a Luis Correia e suas belas praias (Coqueiro, Dunas, Peito de Moça, Macapá e Maramar).

 Bem, está é minha contribuição. Espero ter ajudado quem busca informação sobre viagem de carro de Brasília a Teresina e de Brasília ao litoral do Piauí. Boa viagem!

24 comentários em “BRASÍLIA-TERESINA DE CARRO

  1. Boa tarde Abreu, vou de Brasília para Fortaleza em dezembro poderia me dar umas dicas da melhor rota.
    Desde já agradeço!

    • Olá, Eron. Bem-vindo de volta. Há dois anos você passou por aqui, montando o planejamento de sua viagem a Campina Grande. A viagem de Brasília a Fortaleza tem três opções válidas, mas bem diferentes. A primeira é a via mais curta: Brasília-Barreiras-Bom Jesus(PI)Simplício Mendes-Picos-Fortaleza, num total de 2.114 km. A segunda é Brasília-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Lençóis-Rui Barbosa-Petrolina-Picos-Fortaleza, no total de 2.415 km. E a terceira é Brasília-Salvador-Natal-Fortaleza, no total de 2.937 km. Cada rota dessas tem suas características e as escolhas dependem de cada família em viagem e das razões da própria viagem: negócios, trabalho, férias? A primeira alternativa (Brasília-Bom Jesus-Picos-Fortaleza) é o trajeto mais curto, mas é servido pela BR 135, uma das rodovias federais mais abandonadas do país ao longo de grande parte de sua extensão. A rota atravessa também uma das regiões mais pobres do Brasil, com estruturas de apoio (postos, restaurantes, hotéis, lojas de conveniência, banheiros) muito modestas, além de policiamento rodoviário praticamente inexistente. A segunda tem estrutura bem melhor, mas ainda sem merecer grandes elogios, embora com a presença da Polícia Rodoviária Federal, que tem um papel muito importante na segurança da rota. Uma atenção especial é seguir rigorosamente a rota Rui Barbosa-Capim Grosso-Petrolina-Picos, e evitar a tentação de cortar caminho por Cabrobó, para pegar a BR 116 em Salgueiro, que levará você direto a Fortaleza. Para fazer isso, é necessário atravessar o chamado “Polígono da Maconha”, área dominada por traficantes de drogas e para qual a própria Polícia Rodoviária Federal desaconselha viagens à noite e, às vezes, chega a organizar comboios para que diversos carros atravessem juntos a zona de perigo. Indo de Petrolina para Picos, esse problema não existe. Tanto na primeira alternativa, quanto na segunda, ao chegar a Picos(PI), você retomará a BR 020 (a mesma em que você iniciou a viagem e que começa lá no Posto Colorado. Esse trecho da BR 020 está em excelente estado, com terceira faixa em muitos pontos, embora em alguns pontos o acostamento deixa a desejar. E a terceira alternativa é essencialmente turística, a maior parte da viagem ocorre à beira-mar, com as cidades e praias maravilhosas que só o Nordeste tem para oferecer. Por isso, como eu disse anteriormente, as três opções são válidas, mas dependem da cabeça, dos planos e das razões da viagem de cada família. Vamos ver se você retorna e informa para nós qual o seu perfil e qual a rota que escolherá. Aí então talvez possamos acrescentar outras informações mais detalhadas sobre o percurso que você escolher. Ficamos no aguardo.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Abreu em canto do buruti devo subir para floriano ou seguir para simplício mendes?
        qual as condições das rodovias nestes dois caminhos?

        • Olá, Eron. As condições das rodovias estão razoáveis. As distâncias são equivalentes. Nossa primeira recomendação seria ir pela PI 140 até Floriano e de lá pegar a BR 230 para Oeiras e Picos. Esse trajeto é por rodovias-tronco, que são mais bem estruturadas. Mas o trajeto por Simplício Mendes – que é a BR 020 – tem sido muito bem referida, como uma boa estrada, exceto com alguns trechos em que o acostamento está estreito. Recomendamos que você viaje disposto a ir por qualquer uma das alternativas e lá, em Canto do Buriti, ouça o que diz a população local que, normalmente, viaja muito para Picos. E siga a voz do povo. Os riscos de errar são muito pequenos.
          Um abração.
          Abreu

  2. Boa Tarde sr. Abreu,

    Obrigada pelas dicas! Moro em Brasília e ano que vem vou me casar e morar em Teresina, meu noivo mora lá…
    Estou bem animada em ir de carro, você acha que vale a pena ir de carro? Meu carro é um Celta, estava pesquisando uma transportadora para meu carro e achei bem carinho… e como lhe falei fiquei animada pela aventura de ir de carro.

    • Olá, Selma. Bem-vinda ao blog e parabéns pelo futuro enlace. Eu sou um defensor ferrenho das viagens de carro pelo Brasil. Estando nos Estados Unidos, na França, Holanda, Bélgica, Suíça ou Espanha, não aceito viajar de automóvel. As estradas são maravilhosas, mas em caso de um contratempo, uma colisão, um atropelamento, o desespero é grande. No meu país, as estradas não são lá essas coisas, algumas são péssimas. Mas estou em casa, minha seguradora manda um guincho, o policial fala português, neve não costuma impedir o tráfego e a sinalização é em minha língua. E quanto à viagem em si, o Brasil tem coisas maravilhosas, de encher os olhos. E, para conhecê-las, não é de aeroporto para aeroporto: é preciso palmilhar cada quilômetro, atravessar cada cidade, ouvir e conversar com as pessoas, provar as frutas, as comidas, os passeios e a paisagem. Acho que já respondi sua pergunta, não? Já que vamos de carro, temos algumas orientações básicas. Você chegou até nós pelo post Brasília-Teresina de carro”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Lá há diversos outros posts que podem ser do seu interesse. Um, em particular, eu gostaria que você lesse: é o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Depois de lê-lo, volte aqui, Selma, para trocarmos ideias e planejarmos da melhor maneira sua viagem, escolher a melhor rota, as estradas mais estruturadas, os roteiros mais seguros e confortáveis. Também vamos falar um pouco sobre o seu carro e os cuidados a ter com ele antes da viagem. Aguardamos você.
      Um grande abraço.
      Abreu

  3. Boa tarde Abreu, de inicio gostaria de agradecer as dicas da viagem entre brasilia / porto seguro disponiveis no historico foram muito uteis na viagem de julho onde embarcamos eu, minha digníssima esposa/navegadora e 2 pequenos no palio 1.4, viagem tranquila seguindo suas dicas de rota por correntina e acabei subindo ate Itabuna onde pernoitamos e no dia seguinte um estalar de dedos ate porto seguro, so que agora em dezembro temos uma nova aventura marcada com os mesmos tripulantes porem trocamos a nave para um automatico de motor mais confiante e o destino mais desafiador saindo de Brasilia com destino a Santa Quiteria CE onde visitaremos familiares em seguida iremos a Natal / Joao Pessoa/Porto de Galinhas e retornamos a Brasília mais de 5mil km; gostaria de saber se tem alguma dica de a quantas andam nossas rodovias neste trajeto para a montagem do meu roteiro.
    Desde ja agradeço e parabens pelas publicaçoes.

    • Olá, Hildo. Bem-vindo ao blog e obrigado por seus agradecimentos: suas palavras são uma notícia que vem de longe para nos dizer que estamos fazendo o que de útil nos propusemos a fazer. Aliás, veja o comentário a seguir – do Jurandi, postado ontem: se ele tivesse lido a nossa orientação de evitar-se a tentação de encurtar a viagem entrando para Potiraguá (que vocẽ leu e acompanhou), não teria vivido a experiẽncia que ele narra em seu comentário. Mas o nosso objetivo aqui é esse mesmo: trocar experiências, até porque a realidade das estradas muda (lentamente, para pior ou para melhor, mas muda). Mas, vamos para Santa Quitéria. A nossa experiência nessa viagem é muito antiga, mas nossas informações são novas. Mais precisamente, de março de 2017. A rota inicialmente é a descrita em nosso post “Brasília-Salvador de carro”, postada aqui mesmo em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, ou seja, Brasília-Formosa-Rosário-Luís Eduardo Magalhães-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Lençóis, onde você deve pernoitar. No dia seguinte, após retornar à BR 349 (Lençóis fica a 12 km da BR), você vai rodar 53 km e chegar ao trevo de Rui Barbosa, a cerca de 32 km antes de Itaberaba. Nesse trevo, você pegará a BR 407, que levará você a Rui Barbosa, Baixa Grande, Mairi, Capim Grosso, Senhor do Bomfim, Juazeiro, Petrolina e Picos. Nesse trecho o asfalto está em bom estado, mas sinalização é precária, a pista é estreita e o acostamento é impraticável. De Picos até Fortaleza (a mesma BR 020 que você deixou em Barreiras), a estrada está MUITO boa. Recomendamos que você siga até Canindé – em vez de entrar em Tauá -, para virar esquerda, pegar a CE 257 e chegar a Santa Quitéria. Não recomendamos pegar a CE 187 em Tauá, porque não temos informações sobre ela e porque sempre damos preferência às rodovias federais. Bem, vamos dar um tempo para você respirar e depois a gente continua a prosa.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Bom dia Abreu tudo bem, estou analizando o roteiro e achei bem interessnate porem tenho uma sujestao de um colega que vai para o Piaui as vezes e ele me sugeriu o seguinte roteiro seguindo a Barreiras e de la subindo a Corrente, Gilbues, Col. do Gurgeia, Simplicio Mendes Taua, Caninde e enfim Santa Quiteira CE. O que me diz desta rota? E sera que ha alguem que circulou por estas estradas recentemente?
        Desde ja agradeço.

        • Olá, Hildo. Bem-vindo de volta. A rota por Simplício Mendes é 187 km mais curta que a que recomendamos, por Rui Barbosa e Petrolina. O problema, Hildo, é que, para nós, nem sempre o melhor critério é a distância, porque nós nos preocupamos muito com a estrutura de apoio (postos de combustíveis, lojas de conveniências, lanchonetes, restaurantes, hoteis, presença da Polícia Rodoviária Federal, etc). Você pode observar que, na maioria dos nossos posts, nossa indicação normalmente é mais longa de que outras alternativas. Isso porque nosso público, na média, é composto de famílias, ou seja, marido, mulher, filhos e avós, que viajam juntos. Ainda que seja só um casal, temos de ter certas preocupações. Os banheiros, por exemplo, tendem a ser uma tragédia, um horror. Às vezes uma economia de 100 km vale uma candidíase na esposa ou diarreia nas crianças. As rotas mais curtas normalmente são adotadas por motoristas homens que não estão interessados na viagem, mas em CHEGAR. Alguns deles gostam, por exemplo, de viajar à noite, para CHEGAR mais rápido. Nossa filosofia é que a viagem FAZ PARTE das férias e deve ser curtida como tal. E aí a questão se desdobra. Não se deve viajar à noite e a jornada deverá limitar-se a 1.000 ou 1.100 km por dia. Este é o limite normal das mulheres e das crianças, sem falar nos idosos. Ao fim do dia, a família deverá estar recolhida ao seu hotel ou pousada, tomar um banho, jantar, dar uma volta na pracinha, tomar um sorvete, ver um pouco de TV, navegar na internet e dormir. No dia seguinte, descansados, partirem de novo após o café da manhã. Isso só é possível, Hildo, nas chamadas rodovias-tronco. Essas rodovias dispõe de cidades de porte médio ou grande ao longo de sua extensão, com bom sistema de hotelaria para todos os bolsos, segurança, bom estado do asfalto e sinal de celular – ainda que apenas no âmbito das cidades. Aí você vai ver que, ao pegar a BR 135 em Barreiras para Colônia do Gurguéia e, posteriormente, chegar a Eliseu Martins (pela BR 324), São João do Piauí, Oeiras e Picos, você atravessará uma das regiões mais pobres e mais sofridas do Brasil e do Piauí. Não existe um único posto da Polícia Rodoviária Federal nesse trecho. Em caso de problemas, como panes ou acidentes, é necessário buscar ajuda em pequenas cidades que, às vezes, não dispõem de sequer uma unidade hospitalar ou uma concessionária de veículos para seu próprios habitantes. A rota que indicamos passa perto de alguns problemas. Por exemplo, ao chegar a Petrolina tem-se de seguir para Picos: nada de conhecer Cabrobó ou Salgueiro: ali fica o Polígono da Maconha, região dominada pelo tráfico, na qual a Polícia Rodoviária Federal recomenda não se viajar à noite e deslocar-se de dia em conjunto com outros viajantes (comboio). Mas a rota para Picos não tem nada disso: os perigos são mais ou menos os mesmos que a gente enfrenta no dia a dia em qualquer cidade do Brasil atual. Então, Hildo, mantemos nossa indicação: vá por Barreiras-Rui Barbosa-Petrolina-Picos-Tauá-Canindé-Santa Quitéria, pernoitando em Lençóis. No primeiro dia você rodará cerca de 1.060 km e no segundo, após rodar 1.100 km, você estará em Canindé. E daí para Santa Quitéria você já está em casa, não? É isso, Hildo. Desculpe nosso jeitão meio invasivo, mas é que aqui nós tentamos cuidar de uma coisa muito preciosa: vidas humanas. Por isso, não dá para flexibilizar. Que Deus ilumine você nas suas escolhas. Se restarem dúvidas, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em segurança. E não deixe de ler também nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, publicado aqui mesmo em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”.
          Um abração.
          Abreu

  4. Boa tarde, estou conhecendo o blog agora, viagei Brasília -Fortaleza;Brasília -Ceará-Natal-Brasília;
    Brasília- Litoral Bahia;
    Brasília- Caldas Novas GO.
    Enfim, gosto muito de viajar de carro.
    Pretendo ir ano que vem para Porto Seguro, estava pesquisando na internet e conheci esse blog.
    Muito bom, ótimas dicas.
    Para quem vai viajar, boa viagem.
    Ja sou “usuário ” desse blog.

    • Olá, Diego. Bem-vindo ao blog. Que bom que você nos achou: para nós é importantíssimo ter por aqui os velhos lobos das rodovias, com suas experiência para compartilhar com todos os sputniks (companheiros de viagem, em russo) que por aqui passam. Na verdade, o que fazemos aqui é montar um quebra-cabeças sobre as estradas brasileiras, onde cada um deposita sua figurinha. Com isso, fomos formando, ao longo dos anos, roteiros que sejam turisticamente agradáveis, economicamente acessíveis e sem riscos além daqueles que normalmente fazem parte da nossa vida diária. Então, seja bem-vindo mesmo, e espero que você possa contar para nós um pouco dessa sua viagem Brasília-Fortaleza, bem como da Brasília-Ceará-Natal-Brasília. Há algumas alternativas para ir de Brasília a Fortaleza que envolvem alguns riscos, como aquela rota por Petrolina-Salgueiro-Picos. Por isso, encaminhamos nossos sputniks pelo caminho mais longo, ou seja, pelo litoral (claro, também é o mais bonito e agradável). Você chegou até nós pelo nosso post “Brasília-Teresina de carro”, que está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Ali estão diversos posts, entre eles “Brasília-Salvador”, no qual, anteontem, o Leone buscou informações sobre a viagem que pretende fazer … de Brasília para Fortaleza. Dê uma olhada lá no post e no comentário dele: quem sabe você não tem uma figurinha para colar no nosso álbum Brasília-Fortaleza.
      Um grande abraço.
      Abreu

  5. Novidades sobre o trecho de Brasilia a Natal – RN? pois estou planejando a viagem para esse trecho de nosso pais, e sempre passo aqui para me planejar de verdade..se alguém puder postar mais detalhes deste trecho..fico agradecido..viajo agora em novembro.

    att Helder

    • Olá, Helder. Bem-vindo de volta ao blog e às estradas brasileiras. Tudo absolutamente atual no conjunto de informações sobre essa rota publicadas aqui no blog, especificamente no post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, na aba “Rodovias Brasileiras” do nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br. A única alteração é abertura da passagem de Estância para Aracaju, sem necessidade de retornar à BR 101. Mas não deixe de voltar por aqui antes da viagem, tá? Sempre pode haver novidades à medida que o verão se aproxima.
      Um abração.
      Abreu

  6. Boa tarde! Amei as dicas … vcs poderiam me indicar a melhor rota saindo de Brasília para João Pessoa e voltar pelo litoral de Alagoas e Sergipe de carro!
    Obrigada!!!

    • Olá, Lília. Bem-vinda ao blog e obrigado por suas carinhosas palavras. Quanto à sua pergunta, a melhor rota é ir voltar pelo mesmo caminho, ou seja, Brasília-Litoral Norte Baiano-Aracaju-Maceió-Recife-João e Pessoa. Você chegou até nós pelo post “Brasília-Teresina de carro”, que está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Se você for até lá, verá que ali estão diversos outros posts que publicamos sobre as nossas estradas. Alguns deles podem ser muito interessantes para você, em particular o post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, que explica detalhadamente essa viagem que você pretende fazer. Não deixe também de ler nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”: ali deixamos dicas importantíssimas que para quem tem pouca (ou nenhuma) experiência em viagens rodoviárias, particularmente pelo Nordeste. Se restarem dúvidas, retorne: será um prazer muito grande se pudermos ajudá-la em sua viagem.
      Um grande abraço.
      Abreu

  7. Transcrevemos abaixo comentário de Alceu Simões Nader, postado em 19.08.2017, no post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas estradas brasileiras” e respectiva resposta:
    Enviado em 19/08/2017 as 13:41
    Prezado Abreu,
    Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
    Vou fazer Brasília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

    Em resposta a Alceu Simões Nader.
    Olá, Alceu. Bem-vindo ao blog. Este seu comentário encheu a gente de orgulho. E como orgulho é pecado, estamos pecando adoidado por aqui. É que receber uma mensagem desse teor de um profissional que ajudava a tocar o Guia 4 Rodas nos anos 70 é um estímulo monumental para esse trabalho de formiguinha que fazemos por aqui. O nosso primeiro Guia 4 Rodas foi-nos dado em 1978 por um amigo da Ivanizes, minha navegadora há 42 anos. Só que a edição era de 1975. E com ele fizemos a viagem de nossas vidas: Brasília-Guarapari-Eunápólis-Salvador-Aracaju-Maceió-Recife-Natal-Gruta de Ubajara(CE)-Fortaleza- Parque Nacional de Sete Cidades(PI)-São Luís(MA)-Belém(PA)-Belém/Brasília-Anápolis-Brasília. E tudo isso em 30 dias de férias. As estradas eram boas e vocês, repórteres-pesquisadores, eram extremamente confiáveis. Seguíamos religiosamente o roteiro de hoteis e restaurantes com o adesivo “Quatro Rodas esteve aqui”. Todas os comentários que aqui se publicam, independentemente do destino da viagem ou da natureza do post original (o blog tem outras seções que não Rodovias Brasileiras), sempre têm uma carga de estímulo para nós, seja porque as pessoas estão inseguras em relação à viagem, seja porque estão agradecidas por irem e voltarem em segurança. Mas uma mensagem como a sua, que parte de uma autoridade no assunto e que ajudou um guia que era uma luz nessa área, quando não existiam internet nem GPS, é particularmente gratificante. Você fez o comentário em nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Por certo deve ter visto os demais posts de nossa aba “Rodovias Brasileiras”, do site wwww.expressaodaliberdade.com.br, que abriga o blog. Dessa forma, gostaríamos ter a sua autorização para reproduzirmos o seu comentário em todos os posts da aba (Brasília-Porto Seguro de carro, Brasília-Ilhéus de carro, Brasília-Salvador-Natal de carro, Brasília-Buenos Aires de Carro e tantos outros que lá estão publicados). Isso porque alguns princípios nossos – segurança, segurança, segurança, ainda que por rotas mais longas e sem viagens noturnas – não são bem compreendidos por alguns de nossos visitantes. Acontece que a maioria de nosso público básico é composta de gente simples, marinheiros de primeira viagem, que partem com a família inteira, em veículos modestos. E é para essas pessoas que nós nos desdobramos para orientar, com responsabilidade, particularmente em relação aos cuidados com os idosos, com as crianças e atenção para com os buracos, os animais na pista, as estradas ermas, principalmente de terra, sem policiamento da PRF, os restaurantes de beira de estrada e os postos de combustíveis de marcas genéricas. Sua presença aqui e nos demais posts seria um importante reforço nessas nossas recomendações, o que muito nos honraria e ajudaria. Mais uma vez, obrigado, Alceu, e esperamos que você nos autorize a reproduzi-lo nos outros posts como solicitado. Faça uma boa viagem para Trancoso e aguardamos notícias suas.
    Um grande e fraternal abraço.
    Abreu
    O Alceu autorizou por e-mail, em 20.08.2017:
    “ Pode reproduzir sem problemas”.
    Abs

    • Olá, Paulo Jorge. Bem-vindo ao blog e obrigado por suas palavras Temos muita necessidade de informações sobre essa rota. Se você puder retornar ao blog ao fim da viagem e fazer um relato sobre ela, nós adoraríamos. Faça uma excelente viagem.
      Um grande abraço.
      Abreu

  8. Quero agradecer a dica deixada pelo Vander, nunca fiz esse percurso e sei que suas informações sobre o percurso vão me ajudar muito.
    Obrigado

    • Olá, Júnior. Bem-vindo ao blog. Que bom que as informações do Vander foram úteis para o planejamento de sua viagem. Vamos notificá-lo do seu comentário. Não deixe de ler também aqui no blog o nosso post “Manual de sobrevivẽncia em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, publicado na mesma aba onde se encontra o post “Brasília-Teresina de carro”, em nosso site wwww.expressaodaliberdade.com.br.
      Um grande abraço e volte sempre.
      Abreu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>