SÍTIOS E SOLUÇÕES : Poço artesiano de água suja

(Reedição em 31.12.2013)

A SOLUÇÃO QUE VIROU PROBLEMA

Quando compramos, em l981, um sítio de 6 ha há 50 km de Brasília, decidimos que, quando nos aposentássemos daí a 25 anos, e fôssemos morar lá durante parte do ano, teríamos de ter um poço artesiano. O nosso lindo riachinho, de águas cristalinas durante quase todo o ano, torna-se um turbilhão de águas revoltas e sujas durante o período das chuvas.

Em novembro de 2007, já aposentados, conseguimos afinal realizar o sonho: depois de anos de economia e de horas de tensão (“com 30 metros dá água”; “não deu, mas, com 40, dá”; “dos 70 não passa”; “110, com certeza”; “não deu com 130, mas vamos cavar mais 10, está pertinho”) aconteceu a explosão de água aos 142 metros ( e a R$ 90,00 o metro), com a vazão de 21.000 litros por hora.

Depois da comemoração, os planos para buscar o dinheiro para os 50 metros não previstos. Mas tinha valido a pena: era o sonho de 26 anos que jorrava e molhava o chão do cerrado.

Depois de um mês de água abundante e límpida, começaram os problemas. Grandes tufos de água barrenta, intervalos de um ou dois dias, inutilizavam todo o conteúdo da caixa de 12.000 litros, que precisava ser esvaziada, lavada e reenchida. E isso por tantas vezes que, ao final de quatro meses, a caixa perdeu seu revestimento interno e enferrujou.

A empresa responsável tentou todas as técnicas possíveis, desde um filtro absolutamente inútil na saída da caixa, aumento da profundidade da bomba e até injeção de ar comprimido por 48 horas. Normalizada a situação, após 30 dias o problema estava de volta. A empresa restaurou a caixa e deu o diagnóstico final: o poço havia atravessada uma caverna subterrânea, onde o pó acumulado por milhões de anos estava sendo agitado e subia poço acima.

As soluções propostas – filmagem detalhada dos 150 metros de profundidade ou seu revestimento integral – custariam cada uma mais que o custo original do poço. E cá ficamos nós, submersos na frustração, voltando a utilizar a água do riacho e de uma pequena nascente de escassa vazão.

Fomos para a luta. Reviramos a internet de cabeça para baixo, consultamos diversas empresas do ramo, lemos tudo o que nos caía nas mãos sobre o assunto, conversamos com companhias de águas e esgotos de diversas cidades. Nada. Não existia solução.

Partimos para a realidade prática: a água de consumo da casa-sede (cerca de 500 litros por dia) teria de passar por um filtro doméstico com essa capacidade, colocado na saída da caixa. Para o restante, água suja. Aí começaram as elucubrações e as descobertas.

Primeira: descobrimos que a vazão da bomba (7.000 litros por hora) que estouraria qualquer filtro com capacidade menor (razão pela qual iríamos colocar o filtro doméstico na SAÍDA DA CAIXA e não do poço), na verdade era a vazão máxima, a vinte metros de profundidade. A profundidades maiores, a vazão diminui e pode chegar ao mínimo de 600 litros por hora.

Segunda: procurando um filtro doméstico para nossas necessidades (1.000 litros dia), descobrimos que os filtros disponíveis no mercado vão de 500 a 15.000 litros.

Surgiu uma esperança: se descêssemos a bomba a uma profundidade que reduzisse a vazão para 600 litros por hora, portanto produzindo 14.400 por dia, poderíamos colocar um filtro de 15.000 litros entre o poço e a caixa, que passaria a ter seus 12.000 litros sempre cheios de água filtrada!

Durou pouco a alegria: o filtro de 15.000 litros custava quase o custo original do poço. Voltamos à estaca zero!

Terceira: o desespero nos levou a reler toda a bibliografia sobre os filtros domésticos e veio à luz uma informação simples, mas vital – havíamos cometido um engano: a vazão dos filtros domésticos (de 500 a 15.000 litros) não é por DIA, mas por HORA!

Quarta: nas letrinhas miúdas das “bulas” desses filtros, descobrimos que a vazão anunciada é nominal, e pode variar para mais ou para menos, a depender de alguns fatores, como a altura da coluna de água. Um aparelho acoplado ao filtro (manômetro) mostra a pressão exercida pela vazão, que não pode passar de 4.

Enfim, fizemos as contas e concluímos que, se descêssemos a bomba até a vazão de 600 litros e a fôssemos subindo gradualmente, aumentando a vazão e observando o manômetro, poderíamos chegar à máxima vazão do poço suportada pelo filtro sem atingir a marca de 4 de pressão.

Decidimos pelo filtro de 2.000 litros por hora (R$ 3.200,00). A empresa ( MUNDO DOS FILTROS – Brasília, loja da SCS 102) dividiu em 10 vezes sem juros no cartão e, gentilmente, sugeriu que, caso a experiência não desse certo, nós poderíamos devolvê-lo, desde que intacto.

Começamos a experiência e ao final de 5 horas chegamos ao seguinte resultado: bomba a 84 metros de profundidade, vazão de 4.500 litros por hora, e o filtro recebendo esta vazão com o manômetro indicando 1, na escala máxima de 4, ou seja, com 75% de folga!

Assim, passamos a ter à nossa disposição 108.000 litros de água FILTRADA por dia, dos quais usamos no máximo 4.000, sem mais custos, exceto a troca anual da areia e do carvão do filtro, que deve ficar por volta de R$ 300,00!

Festejamos feito doidos. Olhamos o calendário: era dia 18 de novembro de 2008, exatamente um ano após a abertura do poço. E agora estamos a oito meses da instalação do filtro – sem qualquer problema ou alteração do desempenho original.

(Edimar Rodrigues de Abreu – 10.07.2009)

ALEGRIA DE POBRE…

 

Quando publicamos o post acima, já estávamos com um problema que nossos olhos não queriam ver. A alegria de vermos o filtro produzindo quase 4000 litros por hora de água cristalina impediu-nos de reconhecer que, apesar de muito reduzidas, as manchas amarelas nas roupas e as marcas marrons nos vasos sanitários continuavam.

Mas o problema foi aumentando e, afinal, decidimos enfrentá-lo. Revisamos o processo de filtragem. Tudo certo, água límpida. Analisada a água da caixa-taça, verificamos que dos 12000 litros ali armazenados estavam com forte cor amarelada.

Tivemos de admitir que alguma quantidade de água suja estava passando para a caixa. Mas como? E quando?

O enchimento da caixa é controlado pela eletrobóia, uma bóia que, se a caixa atingir o nível, digamos, 4.000 litros abaixo da borda, um dispositivo mecânico dentro da bóia liga um relé, que por sua vez aciona a bomba do poço, iniciando o reenchimento da caixa. Atingido o nível adequado, ou seja, a caixa cheia, o mesmo dispositivo da bóia, desliga a bomba e encerra o fluxo de água.

Suspeitamos de que, como esse processo é automático e entra em funcionamento diversas vezes por semana, em algum momento, estando o filtro saturado, com sua eficiência reduzida, uma golfada mais pesada de água suja poderia passar.

Decidimos neutralizar a eletrobóia, substituindo-a por um disjuntor, passando a operar o sistema manualmente para observar cada passo do processo.

O primeiro passo foi fazer a limpeza do filtro mais frequentemente. Estabelecemos que, durante algum tempo, faríamos a limpeza todos os dias, assegurando assim a máxima eficiência da filtragem. Essa limpeza é feita por retrolavagem: manipulando alguns registros, você faz a água entrar pela saída e sair pela entrada do filtro. Essa manobra expulsa e descarta toda a sujeira retida pelo filtro. Feita a retrolavagem, retornamos os registros para a posição normal, mas invés de mandar a água diretamente para a caixa, utilizamos uma torneira colocada entre o filtro e a caixa, para analisar a água que será enviada para a caixa. Essa operação, chamada de drenagem, normalmente apresenta um primeiro jato de agua suja, decorrente do próprio processo da retrolavagem. A ideia é que, só depois de água retomar sua aparência límpida e cristalina, fecha-se essa torneira intermediária, permitindo-se a subida da água para a caixa.

Esvaziamos e lavamos a caixa e iniciamos o processo de controle, para descobrir como e onde a água suja estava subindo para a o reservatório.

No segundo dia da experiência, fizemos uma descoberta acidental. Confirmando pela torneira intermediária que a água estava limpa, fechamos a mesma, permitindo que a água subisse para a caixa. O filtro tem um manômetro, aparelho que mede a pressão exercida pela bomba sobre o filtro. Recomenda-se que tal pressão não ultrapasse o valor de quatro da escala que vai de 1 a 10.

Como o filtro e a torneira intermediária estão localizados no pé da caixa, é preciso muito menos força (pressão) feita pela bomba do que a pressão necessária para encher a caixa, cuja borda superior fica 7 metros mais alta.

Quando a água começou a cair dentro do reservatório, verifiquei que a pressão havia passado de 0,5 para 1.2. Num gesto automático, abri o registro da torneira intermediária e a água que jorrou era da cor de chocolate, que dentro de alguns instantes, voltou a ficar límpida.

Estávamos chegando perto. Estava claro que, sob uma pressão mais alta, o filtro deveria expulsar a sujeira que a drenagem, sob pressão baixa, não conseguira retirar totalmente. E essa sujeira subia para a caixa, diluindo e amarelando toda a água armazenada.

Inserimos um registro logo após a torneira intermediária. Refizemos todo o processo – retrolavagem, drenagem e exame da água da torneira intermediária. Límpida e clara. Fechamos a torneira intermediária E O REGISTRO INSTALADO DEPOIS DELA.

Sem saída para a água, a pressão subindo. Deixei atingir o limite máximo (4) e abri a torneira intermediária: BARRO PURO!

Depois de cerca de 15 segundos, a água ficou limpa de novo. Repeti a manobra: barro puro, outra vez, aparentemente em menor quantidade do que na primeira. Repeti a operação 11 vezes. E só na décima-primeira a água saiu limpa, cristalina desde o primeiro jato.

Esvaziamos e lavamos a caixa, voltando a enchê-la somente quando as manobras em torno da pressão oferecessem água limpa. Festejamos o diagnóstico, lamentamos que não poderíamos mais funcionar com o enchimento automático pela bóia. Teríamos de continuar com as retrolavagens a intervalos mais curtos e a drenagem só vai liberar água para a caixa depois que as sucessivas elevações de pressão eliminarem totalmente a sujeira ainda retida no filtro e garantirem a subida de água cristalina e límpida para a caixa.

Trabalhoso? Claro. Mas tínhamos diagnosticado o problema e achado a solução. Meno male!

Três dias seguindo a nova rotina, felicidade, euforia…E roupas manchadas de amarelo e os rastros marrons nos vasos sanitários. Incrível! As coisas melhoraram um pouco, mas o problema continuava lá. Cheguei à conclusão que nosso poço estava endemoniado. Não havia outra explicação possível.

Desânimo, fracasso, vontade de morrer matado. Era março de 2011. Estávamos completando três anos e meio de poço, 42 meses de água suja. Mas é preciso continuar a luta.

Recomeçar. Pela saída do poço: que tipo de água está saindo dali para o filtro? Pusemos uma torneira de controle na boca do poço. Ligada a bomba, água límpa, cristalina, límpida e após um minuto uma golfada monumental de barro quase puro.

A golfada dura aproximadamente uns 20 segundos e aos poucos a água volta a ser limpa. É de enlouquecer!

Então, é incluir na rotina a “limpeza do poço”, ou seja, ligada a bomba, abrir a torneira da boca do poço e descartar a água suja até o jato ficar limpo. Daí, fechar a torneira, permitindo que a água vá para o filtro. Fazer a retrolavagem do filtro, até a água sair limpa, fazer a drenagem, elevando a pressão até o nível máximo permitido e até que a água saia cristalina. Aí, sim, deixar a água subir para caixa, que foi esvaziada e lavada.

Tudo certo, caixa cheia de água límpida e cristalina. E as roupas manchadas de amarelo e os vasos manchados de marrom? Continuaram!

A vontade é pedir ao pessoal da Al Qaeda que venha aqui e exploda tudo!

Decidimos tentar mais uma vez. Repetir todo o processo, encher a caixa de água límpida e cristalina. Retirar amostras de água da caixa a cada 3 horas. Nada de entrar água nova. Primeira amostra, limpa, segunda amostra limpa, terceira amostra limpa, quarta amostra, AMARELA!

Repetimos a experiência. Não havíamos notado, mas a água vai ficando gradualmente amarela até atingir o apogeu da amarelidão na décima-segunda hora.

E agora, José?

Fazer conta, raciocinar e….Claro: é a caixa-taça! É feita de ferro e deve estar enferrujando a água depois que a recebe.

Prova dos nove: retirar uma amostra da caixa recém-enchida com água limpa, colocar em um recipiente plástico aberto e aguardar 12 horas. E constatar que a água no recipiente plástico ficou…AMARELA!

Então, não é a caixa. É A PRÓPRIA ÁGUA!

Laboratório de análises físicas e químicas imediatamente. BINGO! O teor de Ferro é nove vezes maior do que o permitido pelo Ministério da Saúde.

Fazer conta, raciocinar, rezar e concluir: enquanto a água está no poço e nos tubos, ela está límpida e cristalina. Quando chega à caixa e entra em contato com o Oxigênio do ar, o Ferro entra em reação química com esse Oxigênio e se transforma no Óxido de Ferro, popularmente conhecido como Ferrugem, que tinge nossas roupas de amarelo e nossos vasos de marrom.

Tem solução? Sim. As companhias de abastecimento de água das cidades, quando tropeçam com esse problema, costumam usar um produto no tratamento da água, que impede a reação química Ferro x Oxigênio.

Encontrei uma empresa que fabrica esse produto – chamado Phoslan. A empresa chama-se System Mud e é de Belo Horizonte. Uma outra empresa, de Santa Catarina, produz uma bombinha dosadora elétrica, que cuida de misturar o produto na água na dose exata. A empresa chama-se Sidersul.

Já adquirimos o produto e a bomba dosadora. Vamos instalá-la nesta semana. E voltaremos ao blog para informar os resultados.

(Edimar Rodrigues de Abreu – 12-09-2011)

UMA LUZ NO FUNDO DO POÇO

Pois é: ficamos quase oito meses lutando contra os hackers que tomaram conta do programa em que o nosso blog roda. Foram semanas e semanas de uma luta surda – e cega, pois a gente não sabe contra quem está lutando. 

Os caras têm um prazer infantil de impedir o funcionamento do trabalho das outras pessoas. Se fôssemos um blog com objetivo comercial, político, ideológico, religioso, estético, filosófico ou carnavalesco seria até compreensível. 

Mas não somos nada disso. Apenas temos uma satisfação relevante  em poder ajudar alguns brasileiros que gostam de coisas de que nós também gostamos. Assim, este blog comenta livros (“Vale a Pena Ler”), discute experiências no sítio (“Sitios e Soluções”), relata e difunde nossas experiências atuais e passadas com o estado de conservação das diversas estradas brasileiras que percorremos anualmente (“Rodovias Brasileiras”), entre outros temas. 

E mesmo assim, os caras tem o maior carinho em produzir virus e malwares para impedir o funcionamento do blog, seja bloqueando nossa capacidade de editá-lo e responder aos comentários, seja impedindo o acesso de companheiros que nos procuram em busca de soluções.

   Mas vamos deixar de choramingas: conseguimos uma pequena janela para trabalhar e não vamos perder tempo. Vamos colocar as mãos à obra de novo!

   Um forte abraço.

   Edimar Rodrigues de Abreu – 26.05.2012

EM PRINCÍPIO E EM TESE, APARENTEMENTE UMA SOLUÇÃO

Claro, nesse campo minado dos poços artesianos de água suja já comemoramos tantas vezes e nos decepcionamos depois, que agora temos o maior cuidado antes de soltar os fogos de artifício. 

Mas tudo indica que chegamos a uma solução. De fato, instalada a bomba dosadora da Sidersul, de Santa Catarina e administrado o  produto (quelante)  Phoslan, da Systemmud, de Minas Gerais, e acompanhada a experiência durante os últimos quatro meses (em que ficamos sem acesso ao blog por obra de hackers), os resultados são os seguintes:

a) acabaram os jorros de água suja aos 0 segundos e aos 30 segundos de abertura da torneira, quando do acionamento da bomba;

b) a amostra de água cristalina colocada à parte já não fica mais amarela após 12 horas, nem após 24, 48 ou 96;

c) as roupas brancas já não ficam manchadas de amarelo, o que nos permite usar a água do poço na máquina de lavar, o que antes era impossível (utilizávamos a pouca água de uma nascente exclusivamente para isso);

… E O MELHOR:

d) a análise de laboratório apontou em 0,2 ppm o TEOR DE FERRO na água disponibilizada na caixa e nas torneiras da casa, valor 10 vezes menos do que nos exames anteriores erigorosamente dentro das especificações máximas exigidas pela Organização Mundial da Saúde e pelo Ministério da Saúde brasileiro. 

Ao retornarmos para a roça depois de uma ausência de aproximadamente 30 dias, pareceu-nos haver em um dos vasos sanitários uma possível e quase invisível marca de água  suja. Ficamos em dúvida se ela existia mesmo (o vaso é bege) e se era nova ou sobra dos velhos tempos. Passaremos a monitorar mais de perto para termos uma conclusão segura.  

Enfim, estamos cautelosamente felizes. Vamos continuar observando e atentos a novas tecnologias. Quaisquer novidades, contaremos para vocês. 

Um cristalino abraço.

                               UMA BOA NOTÍCIA?

    Depois de sucessivos apagões e surtos de reentrada, cá estamos com duas bombas dosadoras queimadas e uma nova bomba já encomendada, uma vez que a concessionária de energia elétrica tem um prazer sádico de me torturar primeiro, antes de pagar o prejuízo. 

   Só que o fabricante pediu um prazo para entregar a nova dosadora, que ainda não chegou. Enquanto isso, a água voltou a ficar cor de chocolate, manchando as roupas brancas, etc, etc, etc.

   Na linha do desespero, antes de praticar o hara-kiri,  tomamos uma decisão altamente tosca! E agora, enquanto aguardamos a nova bomba (ou a velha consertada) temos água cristalina em nossa caixa-taça de 12.000 litros e em cada torneira da casa.

   Vocês, nossos companheiros de infortúnio na via sacra dos poços artesianos de água suja, podem imaginar qual foi a decisão? Para quem acertar, o blog oferece um brinde: um litro de nossa água limpinha e uma resposta por e-mail, fora do blog!

   E fico me perguntando: por que não pensei nisso antes?

                             Edimar Rodrigues de Abreu – 23.07.2013 

 

 

 

 

    

 

 

304 comentários em “SÍTIOS E SOLUÇÕES : Poço artesiano de água suja

  1. Parabéns pelos resultados e muito obrigado, vc me deu uma série de indicações preciosas para um problema bastante similar que eu tenho.

  2. Obrigado pelo retorno, Mário. O sistema continua funcionando muito bem, exatamente como descrito no texto. Felicidades aí no seu desafio.
    Abreu

    • Amigo moro em Brasília também e estou com uma grande problema na agua do meu poço artesiano, preciso de ajuda tem como vc me mandar um e-mail com seu telefone para que eu possa pegar uma dicas com vc e solucionar meu problema.
      Agradeço desde já pela atenção.
      rafaelgamas4@hotmail.com
      9522-7448

  3. Edmar,
    Estou passando pelo mesmo problema que vocês. Não sei calcular a vazão do meu poço para encontrar o filtro adequado. Você tem alguma indicação para me oferecer?
    Abraços e um ANO NOVO cheio de realizações para você e sua família.
    Ruth

  4. Oi, Ruth. Obrigado pelo retorno e que você e sua família tenham um ano novo maravilhoso. Quanto ao cálculo da vazão, é extremamente simples. Você precisa de um cronômetro (use o do celular) e de um recipiente grande, de preferência de 60 litros – mas pode ser de 50, 100 ou 150.
    Aí, é só ligar a bomba do poço, iniciar o cronômetro e encher o recipiente, registrando rigorosamente quantos segundos ele leva para ser totalmente enchido.
    Digamos que seu recipiente tenha 60 litros e levou 60 segundos para encher. Isso significa que o seu poço tem de 60 litros por minuto,ou seja, 3.600 litros por hora. Se o recipiente for de 50 litros e levar, digamos, 120 segundos(2 minutos), significa que que você tem 50 litros em 2 minutos, isto é, 25 litros por minuto, ou seja, 1500 litros por hora.
    OK? Mãos à obra. E tiver alguma dificuldade extra, fale conosco.
    Abraço.
    Abreu

  5. tenho poço artesiano de água barrenta no posto de gasolina, essa agua é usada para lavagem de carros, e preciso de uma solução para o meu caso. OBRIGADO….

  6. Caro Joilson, bem-vindo ao Clube dos Donos de Poço Artesiano de Água Suja! Você pode dar mais detalhes? Em que Estado você tem o poço, qual aproximadamente o seu consumo de água por dia, qual a vazão do seu poço e qual a vazão de sua bomba? Não entre em pânico: vamos pensar juntos e achar uma solução – a qual certamente existe. Forte abraço.
    Abreu

  7. Prezados(as):

    Nesta quinta-feira (27/01/2011) ocorreu uma perfuração no meu quintal de um poço artesiano, mas até a data presente (28/01/2011) a água encontra-se na cor de barro. O profissional que furou o poço disse para aguardamos até quarta-feira (02/02/2011) para a água sair limpa. É normal acontecer isto? A água pode ficar limpa até quarta? Ou houve perfuração inadequada do poço?

    Grata,
    Paloma Silveira.

    • Prezada Paloma, bem-vinda ao blog.
      Imagino que o profissional que furou o poço conheça o terreno e a região, razão porque formulou o prazo. Aqui no Distrito Federal não é bem assim. Se a água não limpar nas primeiras horas, a gente sabe que tem um problema em mãos. Mas todo problema tem solução.
      Gostaríamos de ajudá-la. Para isso, seria interessante que você passasse para nós alguns dados:
      – em que Estado está o poço? É comum ocorrência de poços com água suja na sua vizinhança? Quantos metros foram perfurados? A que profundidade está a bomba? De que cor é a sujeira da água (preta, cinza, chocolate)? Sabor e cheiro estão normais?
      Aguardamos seu retorno.
      Forte abraço.
      Abreu

  8. COMPREI UM LOTE ONDE EDIFIQUEI MINHA CASA E NELE JA HAVIA UM POCO MUITO ANTIGO. COMECEI A USA-LO NA EPOCA DA SECA E SUA AGUA ERA MUITO CLARA.QUANDO INICIOU O PERIODO DE CHUVAS A AGUA FICOU BARRENTA.MORO NO DF E GOSTARIA DE SABER O QUE FAZER.SERA QUE TEREI QUE FURAR OUTRO POCO?

    • Caro Silvio, bem-vindo ao blog. Furar outro poço dentro do mesmo lote pode te levar a repetir o mesmo problema. A solução deverá ser outra, ou seja, recuperar o próprio poço. Essa característica de água limpa na seca e agua suja durante o período das chuvas pode significar que o seu poço não é suficientemente profundo e está colhendo água do lençol freático. Isso é complicado porque, em caso de poluição do lençol, seu poço poderá ficar condenado.
      Você tem idéia da profundidade do poço? Em que área do DF você está (também estou no DF)? Você sabe qual a vazão do poço? Se você nos passar essas informações (ou mesmo se disser que não sabe), poderemos trabalhar juntos para te ajudar a encontrar uma solução.
      Conte com nossa solidariedade. Esperamos seu retorno.
      Forte abraço.
      Abreu

  9. Olá Edimar Abreu, tudo bem?

    Olha, parabéns pelo texto publicado.
    Tenho um problema parecido e acredito que agora tenho a solução para o mesmo.

    Poderia me informar qual o modelo do filtro utilizado por vocês?

    A vazão do meu poço é bem menor (em torno de 700 l/h), poderia me informar um modelo de filtro apropriado?
    Obs: A água não é barrenta, mas possui um pouco de areia.

    Abraços,

    Ricardo.

    • Caro Ricardo, obrigado e seja bem-vindo.
      O nosso modelo de filtro é o tipo filtro central, para residências e prédios residenciais, produzido pela Filtrali e comercializado pela rede “Mundo dos Filtros”. O nosso tem capacidade para 2000 litros por hora e está no limite, porque nossa vazão máxima é de 21000 litros por hora e nós a reduzimos – mediante o aumento da profundidade da bomba, para algo em torno de 3500 litros. No seu caso, o mais indicado seria a unidade de 1000 litros por hora. Mas, se você puder colocar um maior, é mais confortável, porque a necessidade de fazer a retrolavagem fica mais espaçada, bem como a troca dos elementos filtrantes.
      Forte abraço e volte sempre. ]Abreu

  10. Ola,

    furei um poço artesiano, a poucos dias no entorno do DF e gostaria de saber a vazão correta do mesmo, pois o profissional a aferiu no “olhometro”, (atestando q possuia em média 4.000 litros hora), dizendo q tinha 22 anos de experiência, só que não me convenceu.
    eu vi sua explicação anterior sobre encher os galões de água, só q na minha opinião o resultado fica comprometido pela força da bomba, pois uma bomba muito forte enchera o galão mais rapido q outra bomba inferior, mesmo se testado no mesmo poço, mascarando a real vazão do poço.
    existe algum outro modo de medir a vazão que não seja pela bomba, ou existe algum calculo específico a cada tipo de bomba, salientando que estou com uma bomba de 1,5 CV e estou achando muito forte para o poço.
    obrigado

    • Olá, Evandro. Bem-vindo ao blog. Vamos lá: a medição da vazão máxima do poço é coisa para engenheiros profissionais da área. Normalmente, se o poço jorra ao ser aberto, a medição é feita imediatamente. Se não, algumas empresas injetam ar no fundo e conseguem medir a vazão aproximada. O que nós estávamos analisando era a vazão da bomba, que naturalmente, é menor do que a vazão do poço.
      A vazão da bomba depende de duas medidas: a potência da bomba ( no seu caso, de 1,5 CV) e da profundidade em que ela se encontra. Como você não informou qual a profundidade do seu poço, vamos admitir que ele tenha 100 metros. Uma bomba dessas, se estiver a, digamos, 30 metros de profundidade, ela é capaz de fornecer mais de 5000 litros por hora. Talvez até 7000 l/h. A medida que você for aumentando a profundidade a que se encontra bomba, essa vazão vai caindo, porque ela tem de fazer mais força para levar a água à superfície.
      Assim, a 60 metros de profundidade, sua bomba deverá oferecer cerca de 3.500/4000 l/h. A 90 metros, algo em torno de 1500/2000 l/h.
      Observe, portanto, que se trata da vazão oferecida pela bomba. Para medir essa vazão, o método é aquele mesmo: se ela estiver mais alta, a vazão será maior e encherá o vasilhame mais rápido do que se estiver mais profunda. Da mesma forma, à mesma profundidade, uma bomba de 3 CV encherá o vasilhame na metade do tempo – ou seja, dará o dobro da vazão de uma bomba de 1,5 CV.
      Agora um item merece cuidado, Evandro: a vazão da bomba não pode ser maior do que a do poço. Se isso acontecer, ela vai retirar toda a água disponível e funcionárá a seco, queimando-se imediatamente.
      O poço tem dois níveis de água: um, o estático, é o nível da água com a bomba desligada. O outro – o dinâmico – é o nível do poço quando a bomba está funcionando. É claro: quando a bomba está funcionando, ela retira água e o nível desce, até um ponto em que o poço consegue repor a água retirada pela bomba e o nível para de descer. Nessa região nossa, esses níveis costumam ficar por volta de 30 metros (estático) e 70 metros (dinâmico). Então, se o seu poço tem um nível dinâmico de 70 metros, se a bomba ficar a 50 metros, quando o nível da água descer aos 70 a bomba ficará fora da água.
      Finalmente, faça a medida com o vasilhame e defina a vazão atual da sua bomba, descubra a profundidade a que ela se encontra e guarde esses números: voce pode precisar deles no futuro, se precisar aumentar ou reduzir a vazão (aumentando o diminuindo a profundidade da bomba), respeitando, claro, a vazão máxima do poço e os níveis estático e dinâmico da água.
      Espero ter podido ajudar você. Se precisar discutir mais o assunto, pode retornar que estaremos à sua disposição para trocarmos ideias e aprendermos juntos.
      Um forte abraço.
      Abreu

    • messa o volume de agua que sai no tobo em um vasilhame de qualquer volume. faça um calculo matématico simples de tempo verso volume.

    • messa o volume de agua que sai no tobo em um vasilhame de qualquer volume. faça um calculo matématico simples de tempo verso volume.

  11. Primeiramente muito obrigado pelas suas informações…
    eu estou em um dilema aqui, meu poço tem 70 metros e a bomba está a 60 metros, só que conforme relatado anteriormente por mim não foi feito corretamente a medição da vazão do poço e eu acho q esta algo em torno de 3.000l/h, pq rapidamente o nivel de água jogada pela bomba diminui e não tem como eu trocar de bomba agora, e to com medo dela trabalhar no seco e queimar. Agora vai minha outra dúvida, fora abaixar a profundidade da bomba, tem mais alguma coisa que eu possa fazer pra diminuir a potencia dela?

    • Oi, Evandro. Acho que você está correndo risco de perder a bomba,sim. Mas, há soluções. Primeiro, defina mais ou menos de quanta água você precisa por dia. Se for só para uso doméstico, isso não passa de 2000/3000 POR DIA! Se você tiver um caseiro, mais 1000 litros POR DIA! Se tiver de levar água para animais, molhar plantas, etc., vamos colocar aí mais 3000 litros POR DIA. Ora isso dá cerca de 7000 litros POR DIA. Ora, se o seu poco pode dar 3000 litros POR HORA, você tem condição de puxar 72.000 litros POR DIA. Então, meu amigo, você tem água sobrando. Só tem de controlar a vazão.
      Agora, vamos para o outro lado. se a sua bomba está tentando entregar 3000 littros POR HORA e não está conseguindo, porque o poço não entrega a água suficiente, você tem de reduzir a vazão da bomba ao nível de sua necessidade. E qual é essa necessidade? Pelas hipóteses que eu coloquei aí acima, seria de 7000 litros POR DIA, ou que significa cerca de 300 litros POR HORA.
      Então, a solução é reduzir a vazão da bomba pra 300 litros POR HORA. É possível fazer isso. Só que a bomba teria de funcionar 24 horas por dia para atender suas necessidades, certo?
      Então, vamos supor que você tem uma caixa, que acumula a água que sai do poço. Você não me disse se tem a caixa, nem a capacidade dela. Vamos supor que a sua caixa tenha capacidade de 10000 litros. Vamos achar uma forma de encher essa caixa, no menor tempo possível, de modo que os seus 7000 litros diários de que você precisa POR DIA, estejam disponíveis.
      Vamos aos cálculos. Para você colocar todo dia 7000 litros na caixa, você vai precisar de que a bomba trabalhe 24 horas com vazão de 300 litros POR HORA, ou 12 horas com vazão de 600 litros, ou 6 horas com vazão de 1200 litros POR HORA.
      Aí temos outra limitação: essas bombas de 1,5 CV estão desenhadas para vazões máximas de 6000/7000 litros POR HORA no máximo e 600 litros POR HORA no mínimo. Então, uma vazão entre 1200 e 1500 talvez seja a ideal para resolver o seu problema.
      Agora, a resposta à sua pergunta: fora a hipótese de abaixar a bomba, você tem a possibilidade de colocar um registro na saída do poço e regular a saída da bomba – respeitando o mínimo de 600 litros por hora e o máximo de 5000/6000 litros por hora.
      E aí, Evandro, não há outra saída. Você vai ter de pegar o vasilhame e ir medindo a vazão da bomba,como nós recomendamos e, abrindo e fechando o registro, aumentar ou diminuir a vazão, até chegar à vazão de 1200/1500 litros por hora, que é o que você consome.
      Por fim, algumas ponderações. Nós não sabemos qual é o seu consumo (chutamos 7000 litros POR DIA), não sabemos qual o tamanho de sua caixa (chutamos 10000 litros) e nem sabemos se você tem caseiros nem animais.
      Mas tudo tem solução, como você está vendo. Se você tiver paciência, passe esses dados para nós e nós poderemos fazer uma proposta mais realista. Não se esqueça de que, quanto mais tempo a bomba fica ligada, maior a conta de luz.
      No mais, conte com a gente. Companheiro é companheiro!
      Abreu (do meu quarto do Hotel Sofitel, em Florianápolis, numa viagem a trabalho mas muito preocupado com seu problema e sonhando com a hora de pegar o avião para voltar para minha roça lá perto de Planaltina onde vivo).

    • ponha um registro de gaveta na saida do poço e regule o volume de água para a metadee mais ou menos do derrame.

  12. Caro amigo Abreu,
    muito obrigado pelas considerações foram bastante importantes.
    eu não relatei, mais nossa chacará só tem 05 meses que compramos e estamos feito verdadeiros desbravadores (eu, meu pai e meu irmão), lá estava no puro cerrado e nos três desmatamos uma area de 10 HA no machado, eu e outro rapaz cercamos toda a frente, sem falar no trabalho enorme que temos para conseguir conciliar o serviço da chacara com nossos empregos. Recentemente este pessoal furou o poço lá pra gente, são 70 metros (nível estatico 30m, nível dinamico 55m aproximadamente) e uma vazão aproximada de 3.000 Litros. Só que apesar da baixa vazão minha energia tambem não estava das mais “catolicas” e estava na faixa de 190 W o q estava causando as travadas na bomba de 1,5CV e estava causando toda a minha confusão pois eu estava achando q era falta de água. Chamei novamente o técnico hoje e ele constatou que era por causa da energia, e se prontificou a providenciar uma nova bomba de 1,0 CV que exige bem menos energia, espero q realmente de certo ou vou ter que barganhar um gerador com a companhia elétrica o que não vai ser fácil.
    Nosso proximo passo vai ser instalar uma caixa d’agua de 10.000L- que diga-se de passagem ta mais cara que o poço- e depois fazer a casa do caseiro, e aos poucos o ranchinho vai tomando corpo, hoje o tratorista passou lá e arou toda a terra ficou com outra vida a chacara, tem um rio q passa nos fundos onde pretendo instalar uma bomba, criar minhas mulinhas e levar a vida lá, sempre fugindo dessa doidura da cidade, de onde vivo por necessidade não por escolha.
    abraço

    • Oi, Evandro. Isso que você está passando aí, nós também já passamos. Começar do zero. O poço é o de menos. Tenhos muitas histórias para contar e muitas dicas para te dar. Conversaremos muito, velho. Mas, posso te afirmar: vale a pena.
      Abraço.
      Abreu

  13. Ola camarada Abreu..

    como vão as coisas ai no sitio?
    Troquei a bomba do poço e deu tudo certo, funcionou por 3 dias direto e não deu problema algum, agora vamos tentar começar a casa do caseiro, e preparar a terra para plantar alguma coisa, vou fazer o estudo da água e do solo, se tiver algum lugar para indicar o da água ficarei grato.

    abraço

    Evandro

    • Olá, Evandro. Bom tê-lo de volta ao blog. Ótimo que a troca da bomba resolveu o problema. Agora você vai entrar no melhor da festa: construir seu sonho no cerrado. Meta as mãos na massa, limpe, plante seu pomar, refloreste o que for possível, cuide da segurança (os cães são imprescindíveis para manter afastada a violência). Ao planejar a casa do caseiro, não se esqueça de analisar a alternativa de casas pre-moldadas: são rápidas (a minha primeira casa foi construída em 3 horas) e moduláveis – você faz uma casa pequenina e depois vai aumentando, na proporção da grana.
      Quanto à análise do solo e da água, eu normalmentel utilizo os serviços da Hidrosolo, em Formosa, mas há diversos laboratórios desse tipo, inclusive um lá na 510 sul.
      Coloque no planejamento estratégico, bem lá na frente, uma vaquinha jersey: come um terço de uma vaca comum, produz 15 litros de leite por dia, 20 por cento a mais de gordura, pare todo ano (inseminação artificial – custa 100 reais) e é um doce de pessoa.

      Bem vindo ao clube dos amantes da natureza, Evandro!
      Forte abraço.
      Abreu

  14. Senhores, estou em BH região do bairro cachoeirinha (parte baixa), perfurando tubuloes para estrutura de minha casa começou aparecer agua com 4 metros (trado), em um final de semana meu pedreiro resolveu fazer uma brincadeira e perfurou 9 metros ate chegar em cascalho e o trado não descia mais, finalmente ficamos com 9 metros de poco com 3 metros de agua em um tubo de 200mm, coloquei uma bomba de 6″ e a agua subia perfeitamente, hoje tenho media de 400litros por hora, já tem 20 dias e a agua hora sai limpa e no final vai ficando turva (leitosa bem clara) gostaria do comentário dos senhores, estou em uma região que foi brejo e a mais de 40 anos foi urbanizada, durante a perfuracao passamos por varias camadas de área. Espero que a agua mantenha a vasao atual e que fique limpa, vou mandar fazer analise, vou utilizar para descarga e lavagem de terreiro e carro.
    Att.
    Marcos

    • Alô, Marcos. Bem-vindo ao blog e desculpe a demora, mas estávamos viajando pelo sertão do Nordeste e ainda estamos em Salvador.
      Rapaz, isso é que é ganhar na loteria! Um poço com essa vazão encontrado praticamente por acaso! Acho que está tudo certo. Cabe fazer a análise tanto física quanto bacteriológica. Por se tratar de água praticamente de superfície, há risco de contaminação. E vale a pena pagar cem reais para saber de que tipo de água estamos falando.
      Quanto à turbidez, pode ser que a água mais profunda(a última que sai) esteja turva por conta do próprio movimento da bomba. Nada sério. É só trabalhar com uma reserva no fundo do poço (digamos, 100 litros). Use-o como se a vazão máxima fosse de 300 litros por hora.
      Se não resolver, retorne. Estou curioso para acompanhar esse caso.
      Forte abraço.
      Abreu

      • Caro Abreu, estou de volta aqui depois de 2 anos, meu poço ainda esta funcionando, mas fico preocupado por estar passando um pouco de areia, muito pouco mas passa. Preocupo em poder estar criando uma erosão no fundo do meu poço e futuramente eu ter um problema pois esta proximo de minha casa. Lembro que tem 9 metros, cortei com trado de 250 e coloquei um tubo de 200, no espaço preenchi com brita zero.
        Gostaria muito de receber seu comentario, se possivel seu e-mail para te mandar algumas fotos para entender melhor.
        Att.
        Marcos

  15. Caro Abreu, obrigado pela resposta, na semana que vem vou levar amostra da agua fazer os testes na UFMG aqui em BH, e subir um pouco a bomba, estou procurando um sensor de nivel para colocar dentro do poco para a finalidade de evitar a queima da bomba você conhece alguma coisa ? lembrando que a bomba anauger de 6 funciona dentro de um tubo de 200, no mais pode deixar que vou te mandar noticia.
    Um abraço a todos.
    Marcos.

  16. Olá Abreu, bom dia! Estou com um baita problema…atualmente furei um poço semi-artesiano na região da grande Goiânia-Go, com vazão de 2700 litros/h…O problema, as roupas quando são lavadas pela máquina de lavar ficam manchadas de um tom amarelo escuro, as roupas brancas ficam amareladas, as louças de banheiro por onde a água passa fica um tom de enferrujado/sujo, o chuveiro também e a piscina o fundo fica suja…A água vc toma ela, e fica com mais sede parece que não mata a sede. Por favor me auxilie em uma opção, estou desesperado. Abraços e parabéns pelo blog.

    • Olá, Philipe. Estava no meio da resposta ao seu comentário, quando apertei uma tecla muito louca e foi tudo pelos ares. Como amanhã tenho uma viagem cedinho para Florianópolis( haja chuva por aquelas bandas), vou ficar lhe devendo por hoje. Mas tenho um monte de coisas para lhe contar, e uma porção de soluções para discutir com você. Aguenta aí: não se suicide ainda. Forte abraço.
      Abreu

    • Olá, Philipe. Cá estamos de volta, após sobreviver às chuvas que estão desabando sobre o estado de Santa Catarina. Vamos ao assunto. Antes de tudo, bem vindo ao Clube. Sua história é exatamente igual à minha. O interessante é que você gasta uma fortuna para furar o poço, outra para revesti-lo, outra para adquirir a bomba e uma quarta para comprar a caixa-taça. E quando a roupa branca fica manchada, o vaso sanitário fica marrom e fundo da piscina fica amarelo não aparece ninguém para dar pelo menos uma explicação. -”Lamentamos, mas nossa responsabilidade se resume a abrir o poço. Não temos como garantir o que vai sair de lá de dentro, ou sequer se vai sair alguma coisa. Não temos como garantir a quantidade nem a qualidade da água.”
      É de lascar. Mas vejamos: já temos quatro anos nesta luta e alguma experiência. Assim, tudo o que nós recomendamos no post e nas respostas aos comentários permanece válido. Assim é preciso conhecer os níveis estático e dinâmico do poço para posicionar a bomba na profundidade adequada. A compra do filtro de 2.000 litros (Filttrali, no Mundo dos Filtros) também é medida recomendável. Lavagem da caixa, torneira de saída da água filtrada para exame antes de subir para caixa, troca do elemento filtrante a cada 6 meses – tudo é válido no sentido de buscar uma solução.
      Depois de adotarmos todas essas providências, tivemos uma experiência inusitada. Filtro com carga nova, caixa lavada, examinamos a água na torneira de saída e aparência era absolutamente cristalina. Enchemos a caixa de 12.000 litros e retiramos nova amostra da água: cristalina. Doze horas depois, tiramos nova amostra da água da caixa: AMARELA!
      Só poderia ser ferrugem interna na caixa. Retiramos nova amostra da torneira de exame – situada antes da água subir para a caixa: cristalina. Separamos a amostra e a reexaminamos após 12 horas: AMARELA!
      Achei que meu poço estava enfeitiçado. Depois, racionalizando, concluí que alguma reação química estava acontecendo e tornando amarela uma água absolutamente límpida e cristalina. Retirei nova amostra e remeti para exame físico e químico no laboratório especializado: BINGO! O teor de Ferro da água é nove vezes maior do que o permitido pelo Ministério da Saúde.
      Isso explica as altas dosagens de Ferritina encontradas no meu sangue em meus exames anuais (o máximo é de 300 mg e a minha é de 1090 mg). Mas voltemos à água: o que fazer? Estudando o assunto um pouco mais, concluímos que a água, enquanto se encontra no poço, nos tubos ou no filtro, permanece cristalina. Ao entrar em contato com o oxigênio do ar, na caixa, o ferro sofre uma reação química, tornando-se óxido de ferro – a popular ferrugem.
      Existe solução? Sim, a mesma utilizada pelas empresas de fornecimento de água quando topam com o problema, ou seja, envolver a molécula de ferro com um produto, impedindo que ela entre em contato com o oxîgênio do ar.
      O produto – Phoslan – é fabricado pela empresa System Mudd, de Belo Horizonte. Uma outra empresa, de Santa Catarina, a Sidersul, produz uma bombinha dosadora elétrica que, instalada na saída do poço, injeta no fluxo de água a dose certa do produto a cada segundo. Com o tratamento a água permanecerá límpida, uma vez que a oxidação não acontece. Mas acredito que o teor de Ferro continuará alto. Terei de fazer novo exame de laboratório da água tratada para verificar isso. Se o Ferro continuar alto, não vai ser possível beber essa água, nem usá-la para cozinhar.
      Comprei o Phoslan e a bombinha dosadora. Deverei instalá-la na próxima semana. Após realizar os exames, retornarei ao blog com as novidades.
      É isso aí, Philippe. Vamos torcer para que tudo dê certo.
      Um forte e solidário abraço.
      Abreu

  17. Olá, li todo seu blog e confesso que fiquei emocionada em ler sua conversa com o Evandro eu e meu marido tb estaaos nesta empreitada de realizar um sonho, compramos 6000m² em um condominío em Ibiuna (SP) pretendemos fazer um lugar agradável com uma casa simples mas espaçosa e confortável, um pomar, uma piscina pequena só para refrescar, enfim, fizemos um poço semi artesiano que está com uma vazão de 300 litros/h estou um pouco decepcionada esperava mais, isto com um compressor da Schulz de 1 KW (HP – CV)será que se colocar um compressor de maior potência terei uma vazão maior, ou isto não influenciaria?

    • Olá, Marlene. Feliz 2012 para vocês. Bem vinda ao mundo rural – se bem que Ibiuna não é tão rural assim…. Primeiro, não se preocupem: vocês vão ser felizes aí no condomínio: saber sonhar já é uma virtude e quando se sabe qual o nosso sonho (6000 m2 em Ibiuna) já estamos muito perto da felicidade. Quanto ao poço, vamos conversar um pouco mais. A empresa que abriu o poço deve ter dado um papel para vocês, com as especificações dele. Se não deu, vá atrás. É ali que se especifica qual o nível estático e dinâmico e a profundidade do poço, elementos fundamentais para a gente poder ver se é possível aumentar essa vazão (aumentando a potência do Schultz) e como fazê-lo. Se houver dificuldades com a companhia perfuradora, temos alguns métodos de deduzir algumas variáveis. Enfim, conte com a gente. Na nossa luta, por aqui, só ontem consegui, afinal, montar a bomba dosadora e passar a administrar o produto Phoslan. Os resultados deveremos publicar nos próxixmos dias.
      Dá para você voltar com os dados que nós pedimos?
      Abração.
      Abreu

  18. Um excelente 2012 pra vc e sua família também, muitas realizações!
    Vou ver estes dados e tentar saber se esta vazão pode melhorar, muito obrigada.
    Grata

  19. Olá!

    Falo em nome da minha mãe, que, recentemente, realizou o sonho da casa própria… Contudo, juntamente com o sonho, ela também foi comtemplada com “o pesadelo do poço artesiano próprio”. O que ocorre é que a água, com frequência, quase diária, mancha as roupas e o vaso sanitário. Quando parece que está tudo bem, ela torna a deixar as manchas nas roupas. Pesquisando na internet, acabei encontrando vocês e o caso do seu sítio me pareceu muito parecido com o com o da minha mãe. Ainda não realizamos a análise da água, mas creio que esta etapa não seja tão difícil. Entretanto, procurei pelas empresas indicadas por você e não as encontrei. Você não poderia me enviar o site ou o telefone destas empresas?
    Minha mãe mora no litoral norte do Rio Grande do Sul, em Arroio do Sal, bem próximo à praia. O email dela, caso você prefira responder a ela e não a mim: ligia.msilvatc@hotmail.com.

    Agradeço pela atenção,
    Julice

    Obs.: Observei que mais nada foi postado sobre o assunto após o dia 12/09/2011. Não deu certo?

    • Olá, Julice. Bem vinda a esse vale de lágrimas. Brincadeiras, menina! Isso é apenas um desafio. Todo problema tem solução e nós estamos juntos nessa luta. Quanto à postagem de 12.09.2011, perdoe-me: é que esse blog (www.expressaodaliberdade.com.br) é uma mistura enorme de assuntos. E, nesta época de férias, a demanda pelas informações sobre “Rodovias Brasileiras” é da ordem de, neste momento, 1239 pessoas querendo informações sobre as estradas que nós conhecemos bem. E são dezenas e dezenas de perguntas que nós temos de responder (quanto custa a gasolina, em que hotel devo ficar, há perigo de assalto, devo viajar à noite, etc. etc. etc. ). Resultado: esta parte do blog (Poço artesiano de água suja, onde temos no dia de hoje – dia 08.01.29012 – 78 pessoas buscando informações sobre o assunto), acaba sendo atropelada e nós acabamos devendo.
      Primeiro: instalamos a bomba há três dias e estamos analisando os resultados. Não gostamos muito do que está acontecendo. Aparentemente, a primeira água que sai do poço ( que na verdade estava na tubulação entre o poço e o filtro e que recebe o produto – Phoslan) está limpa. Mas depois que esgota essa área e entra a água que estava esperando na coluna do poço, a água sai suja. E na retrolavagem do filtro, também a água é cor de chocolate. Temos ainda um monte de experiência a fazer, particularmente aumentando a dosagem do produto ou colocando o Phoslan na caixa grande, depois do filtro.
      Então, Julice, Primeiro: perdoe-me por não estar tão atento ao pessoal do post “Poço artesiano de água suja”. Segundo: Que tipo de poço é o da sua mãe e qual a profundidade dele. Terceiro, qual a potência, cavalos(HP) da bomba que vocês estão usando; Quarto: que tipo de caixa vocês instalaram e qual a altura dela. Se você nos passar esses dados, garanto que vamos dar a maior atenção ao caso de vocês e buscar uma solução para que o sonho não se transforme em pesadelo.
      Um abraço carinhoso.
      Abreu

  20. Parabens pela experiencia obitida!!!
    Estou entrando em um problema “digamos assim”, estou interessado em um terreno aqui no nordeste pra ser mais preciso, em pernambuco onde ja tem mais de 800 poços artesianos, só que esse poço ta estranho, com uma cor avermelhada depois fica limpa com intervalos de jatos avermelhados, a aréia onde a agua escorre fica com um pó rosa como se fosse uma tinta, mas não percebi nenhum cheiro ou gosto diferente. Essa agua pode está contaminada? o poço foi furado a mais de 8 anos e à dois anos foi colocado a bomba pra ultilizar, o dono irrigou duas plantações de melância. O que voce me aconselha??? compro ou não?

    • Olá, Michael. Obrigado pelo retorno. Bom, o problema não é de comprar ou não comprar. A questão é se no preço que lhe estão pedindo está computado o valor de um poço normal. Poço normal, explico, é aquele poço que vai fornecer água limpa, em quantidade mais do que suficiente para suas necessidades, aí incluídas as expansões e explorações econômicas que você possa fazer. Então, se a terra for fértil, se as chuvas forem relativamente regulares, se você tem outras fontes de água potável – rios, riachos, etc., pode valer a pena. Agora, se toda a terra estiver na dependência desse poço – e ele é uma incógnita – ou você consegue um abatimento de 90% no preço ou cai fora do negócio.
      Isto é porque a solução de um poço nessas condições vai depender de pesquisas e gastos de dinheiro que você não sabe a quanto vai montar. Então, mande fazer o exame da água. Provavelmente ela vai ser declarada imprópria para consumo – humano, animal e vegetal. E leve o resultado para o vendedor.
      Volte para contar os resultados.
      Forte abraço.
      Abreu

  21. Pessoal será que alguém pode me tirar uma dúvida Gostaria de saber se eu poço colocar um registro na saida de um poço semi artesiano para qdo a bomba assionar a qtidade de agua seja menor.To perguntando pq não sei se isso iria forçar a bomba e danificá-la.

  22. Olá, Ricardo. Bem-vindo ao blog. Pode, sim, mas tem que tomar alguns cuidados. As bombas, normalmente, não têm uma vazão fixa, por exemplo, 3000 litros por hora. Ela trabalha em um intervalo, por exemplo, entre 500(vazão mínima) e 3000 litros por hora(vazão máxima. Para a mesma bomba, quanto maior a profundidade a que ela se encontre, maior o esforço que ela tem de fazer e menor a vazão. A mesma coisa para a altura da caixa: quanto maior a altura, maior o esforço e menor a vazão.
    Assim, você pode colocar o registro e fechá-lo até a vazão chegar ao mínimo. O que significa que você deverá primeiro saber qual a vazão mínima da sua bomba. É só olhar a marca e o modelo e correr para a internet (São Google).
    Para saber como fazer a medida da vazão, dê uma olhada na nossa resposta de 03.01.2010 para a Ruth aí em cima. E sobre a possibilidade do registro para controle da bomba, veja nossa resposta para o Evandro, datada de 02.06.2011, também aí em cima.
    Se necessário, retorne. E aproveite para nos explicar por que você quer reduzir a vazão: tem que haver uma boa razão, porque o consumo de energia da bomba continuará o mesmo, para uma menor quantidade de água.
    Abração.
    Abreu

  23. Olá Abreu. Parabéns pelo blog e pela ajuda que tem dado à nós, consumidores de água de poço. Eu não tenho um poço, mas comprei um apartamento em um prédio que a água é de poço artesiano raso e a agua tem alto teor de ferro.Eu sei, comprei um pepino! Não tem filtro no poço, o que fazem é colocar cloro. Enfim, quando a água chega aqui está amarelada, mancha roupas e vaso, ja entrei em desespero, mas to na fase de buscar soluções. Como sei que qualquer solução vinda do prédio, vai demorar horrores, estou instalando filtro domestico no apartamento, não sei se vai funcionar. São três entradas de água, um para maquina de lavar, outro para o banheiro da area de serviço e cozinha e outra para o banheiro principal. Estou colocando para a maquina de lavar um filtro da aqualar SUPER AP 230 combinado com Aquashine e para o ponto de entrada da cozinha um AP 900 com zircônio. Não sei se irá funcionar, mas é a solução encontrada no momento. Você tem alguma sugestão?

    • Olá, Daiane. Bem-vinda ao blog. Desculpe a demora da resposta, mas estávamos em guerra contra um ataque de crackers sobre o programa que processa o blog. Agora já está quase OK.
      Vamos lá: um dado importantíssimo você não mencionou – qual o teor de ferro na sua água. Isso é crítico, Daiane. Imagine que, antes de nós detectarmos o problema, cheguei a apresentar níveis de ferritina (ferro no sangue) quase 10 superiores ao máximo permitido pela OMS.
      Então, como você deve ter percebido nos posts do blog e nos comentários, NÃO BASTA FILTRAR, se os níveis de ferro forem superiores a 0,3. Num bom laboratório você consegue o exame de sua água por alguma coisa em torno de R$ 100,00. Mas vale a pena: é a saúde de nossa família que está em jogo.
      Se você quiser, pode retornar com esse dado e nós estaremos para ajudá-la com a experiência extraída de nossas chateações, preocupações e frustrações nessa briga com a água suja. Você não precisa passar por tudo o que passamos: só por um pouquinho!
      Forte abraço.
      Abreu

      • Irei fazer a analise e lhe retorno com os dados, então.
        Apesar dos filtros eu não bebo a água nem uso para cozinhar, nem lavar alimentos, mas uso para lavar pratos. Esta água é filtrada duas vezes, uma cujo elemento filtrante é zeolito e outro filtro na torneira é carvão block!
        Irei fazer os testes!
        Abraços!

    • Gostaria muito de saber se Daiane resolveu o problema em seu apartamento. Eu estou vivendo problema semelhante e preciso de uma solução. Obrigada se puderem me ajudar.

      • Olá, Ana Maria. Bem vinda ao blog. No que respeita a Daiane (vai completar um ano que ela passou por aqui), imagino que ela tenha resolvido o problema. As estatísticas que recebemos aqui no blog, estatísticas oficiais do Google, dizem mais ou menos o seguinte: cerca de 40 pessoas acessam por dia o blog, numa média de 990 por mês, das quais aproximadamente 1% (um por cento) interagem através de comentários. Agora minhas estatísticas: desse 1% que interagem e aqui encontram alguma forma de orientação ou solução, apenas 1% (por cento) retornam para dividir sua experiência com todos os que estão aqui, vivendo a mesma angústia ou irritação.
        Como dizia minha mãe, falta de notícia é boa notícia. Torço por que a Daiane tenha resolvido o problema dela.
        Mas, e você? Qual o seu problema com água suja? Pela nossa vivência aqui, os problemas são parecidos, mas não iguais. Podemos te ajudar?
        Abreu

  24. Amigo Abreu, meus parabéns pelo blog. Estou com um problema parecido, mas ainda não fiz o teste da água para saber a quantidade de ferro, mas acredito que seja alta. Sobre a bomba dosadora e o phoslan, funcionaram ? Qual foi o valor deles? muito obrigado

    • Oi, Bruno. Obrigado por vir ao blog. Os resultados são MUUUITOOO positivos. Vou atualizar o blog amanhan, trazendo esses resultados. Adianto para você: agora eu tenho água limpa, que não fica amarela depois de 12 horas e com taxa de ferro dentro dos limites exigidos pela OMS e Ministério da Saúde!
      Aguarde.
      Abreu

  25. Pessoal, boa noite. Meu poço, tive problemas com a bomba, apos 9 anos de perfuração. Ao trocar a bomba, no meio do encanamento, foi encontrado muito barro junto aos canos. A empresa que fazia a manutenção, disse que era obrigatorio a “limpeza” do poço ou a bomba iria queimar. Vcs acham realmente necesssario isso? Afinal, esse primeiro jato de barro, nao me incomoda ao encher a caixa, pois ele decanta no fundo, sendo resolvido com uma limpeza periodica na mesma… meu medo é apenas de queimar mesmo a bomba. Na minha opinião, limpar não vai resolver, pois o barro ira voltar apos um pequeno periodo, pois o poço é perfurado na terra mesmo…rs. O que acham disso? OBS: Poço 125 mts, agua no nivel de 25 mts, vazão do poço: 3500 lts/hora com bomba 3 CV a 80 mts de profundidade.

    • Caro Rodrigo, bem vindo ao blog.
      A resposta de sua inquietação está em sua própria experiência. Se a bomba que foi trocada, funcionando com essa água suja que decanta no fundo da caixa, levou 09 anos para apresentar defeito, significa que esse é o prazo máximo para acúmulo de sujeira NA BOMBA e não no poço.
      Assim, em seu lugar, a cada 04(anos), ou seja, em 2016, retiraria a bomba (você mesmo, com dois peões, faz isso tranquilamente) e faria uma limpeza externa – de preferência com um compressor. E siga em frente. Esse negócio de lavar o poço parece bastante discutível, pois o tubo do poço, totalmente cheio, contém aproximadamente 2.000 litros de água, volume esse que sua bomba retira a cada 30-35 minutos. Isso significa que a cada meia hora o poço é totalmente “lavado” e a sujeira retirada.
      A outra hipótese é não fazer nada e daqui a 9 anos trocar a bomba de novo. Enfim, não é bicho de sete cabeças.
      Forte abraço.
      Abreu

  26. Pessoal boa noite, Primeiramente muito obrigado por disponibilizar essas informações, também tenho m poço artesiano que esta com ferrugem gostaria de um telefone ou site para entrar em contato com a empresa fabricante da bombinha, desde já muito obrigado pela sua atenção.

    • Olá, Matheus. Obrigado pelo retorno. Como o blog não tem finalidades comerciais e nós também não, vou enviar para o seu e-mail (matheusmame@hotmail.com) os contatos com as duas empresas, OK?
      Forte abraço e felicidades na solução do seu problema.
      Abreu

  27. Ola bom dia , eu vi o seu problema , e te digo que é muito simples de resolver , eu e o mau pai temos uma firma de perfuraçao de poço e tratamento te agua ,eu naum li tudo o que voce escreveu mais presumo que o que voc se refere seja ferro e manganês , geramente quando a avua tem esses dois componentes e grande quantidade é normal manchar vasos e roupas , mais o tratamento para isso é mais simples do que voc penssa , primeiro voc tenque sabe , qual dos dois componentes a sua agua apresenta mais , quando ela tem ferro , ao tirar do poço ela naum apresenta cor alguma , mais em contato com o ar depois de alguma horas ela começa a ficar mais escura (amarela ou vermelha ) a cada hr, quando a quantidade de manganes é maior , ela ja sai amarela do poço , entao pra voc saber oq ela tem mais , basta que quando voce colete um pouco do poço , adicione uma quantidade de cloro , pois quando na agua esta presente o ferro , e voce retira a agua do poço em contato com o ar , ela entra em processo de oxidadaçao , mais isso leva muito tempo mais quando voc joga o cloro ele reage na hora fazendo esse processo reduzir a segundos , bo, se for isso ferro é muito simples o tratamento , so vai precisarde , 1 bomba de cloro-1 pra dosar policloretp de aluminio e um filtro , so avisando que se voc fazer a agua passar pelo filtro se que ela tenha reagido depois , naum vai adiantar de nada , eu so naum explico melhor qual o procedimento poorq escrevendo assim é dificil explicar mais qualquer coisa entra em contato no meu e-mail que eu te explico, joaodedeus62@hotmail.com abrçs

    • Olá, João. Muitíssimo obrigado por se dar ao trabalho de aparecer por aqui: é o primeiro profissional que faz isso. Todos nós que temos estado no blog discutindo nossas experiências somos amadores e sem o conhecimento técnico que você demonstrou. Apesar de tudo, entendemos sua orientação: se usarmos a bomba dosadora para ministrar Cloro-1, a reação com o ferro vai se dar muito mais rapidamente, de modo que, quando a água chegar ao filtro o ferro já se terá precipitado, permitindo a retenção das partículas o que pode não estar acontecendo hoje, dada a demora da reação química. Em suma, a reação pode estar se completando depois de a água passar pelo filtro. Se você estiver certo, ao invés de pagar uma pequena fortuna pelo produto atual, talvez possamos obter um efeito muito melhor com um preço infinitamente menor usando apenas o cloro! Espero que tenha entendido suas explicações.
      No momento, estamos descendo de carro o litoral sul brasileiro (hoje estamos em Blumenau) em direção à Argentina. Mas quando voltarmos, com certeza vamos fazer o teste. Até lá, nosso obrigado antecipado!
      Abreu

      • Oi estou de volta , ;D abreu , naum sei se voce lembra de min expliquei da precipitaçao apenas com cloro e tal , gostaria de saber quais fora o resutados pelo menos no seu caso e e sobre a bomba dosadora aqui pra e minha empresa eu sempre pesso uma da (exatta) é uma bomba dosadora boa para dosar o cloro é a mais barata na qual eu tenho conhecimento , pelo menos para dosar o cloro ela é otima , ja para outros produtos que sao usado para o tratamento como o policloreto e solda caustica ja naum é tao eficiente .

  28. Olá Abreu, que saudade!
    Estou aqui por Parintins convivendo harmoniosamente com a mais pura das águas barrrentas donde tiro os maparás gordos pro meu tira gosto.
    Este ano vivenciamos a maior enchente do século que transformou o belo em belíssimo rio Amazonas. Um forte abraço.

  29. Adorei suas dicas, preciso que me diga como conseguir comprar a bomba e o produto Phoslan aqui no RJ. e se vc. ainda lembrar do preço agradeceria se enviasse. Me ajude por favor.

    • Oi, Jussiara. Obrigado pelo retorno. Vamos lá: você deverá entrar em contato com as empresas, que farão a venda e entregarão pelo correio. O phoslan é comercializado pela System Mud, empresa de Belo Horizonte. O quilo custa R$ 22,19. Não sei qual o seu consumo de água, mas, no meu caso, o kg dá para aproximadamente 50 dias. Comprei um recipiente de 30 kg ( R$ 665,70+ R$ 57,00 de frete), que deverá dar para três anos – prazo que coincide com a data de validade do produto. O contato com a System Mud pode ser pelo site – http://www.systemmud.com.br ou pelo telefone 031-33210806. Procure o Rafael ou o Macedo.
      A bomba é produzida e comercializada pela Sidrasul SA, de Santa Catarina, e custou R$ 645,00. Os contatos podem ser com o Neri – neri@sidrasul.com.br ou pelos telefones (047) 2103.5001 ou direto com o Neri (047) 9977.9343. A especifação da bomba é Bomba Dosadora DLX MA/AD 01 L 15 Bar 230.
      Tudo está funcionando direitinho por aqui. Espero sinceramente que você consiga resolver seu problema. Qualquer dúvida ou dificuldade, retorne.
      Grande abraço.
      Abreu

  30. Oi estou de volta , ;D abreu , naum sei se voce lembra de min expliquei da precipitaçao apenas com cloro e tal , gostaria de saber quais fora o resutados pelo menos no seu caso e e sobre a bomba dosadora aqui pra e minha empresa eu sempre pesso uma da (exatta) é uma bomba dosadora boa para dosar o cloro é a mais barata na qual eu tenho conhecimento , pelo menos para dosar o cloro ela é otima , ja para outros produtos que sao usado para o tratamento como o policloreto e solda caustica ja naum é tao eficiente ..

    • João, claro que me lembro de você. Hoje estou meio apertado de tempo, mas depois de amanhã voltarei para comentar seu comentário e beber um pouco do seu conhecimento nessa área, que, pelo visto, é enorme. Só posso te adiantar que as nossas experiências por aqui deram certo.
      Forte abraço.
      Abreu

  31. Bom dia.Tenho um poço artesanal(manilhas) há 4 anos, de cinco metros, a agua está suja, aliás, sempre foi suja cor amarelada, barrenta. Existe alguma solução? Obs. não tem cheiro algum e nem reiduos de terra, somente a cor amarelada.Desde já obrigado

    • Olá, Nivaldo. Bem vindo ao blog. Esse seu problema aí é muuuuitto parecido com o meu. Acho que já entendi o que está rolando por aí. Só que temos alguns problemas. A solução pode ser muito, muito cara. Então, eu preciso de algumas informações, a saber:
      a) o imóvel é residencial ou comercial?
      b) o poço fornece água para a família ou para uma atividade produtiva, como uma chácara ou uma fazenda?
      c) qual o tamanho da propriedade em que o poço está localizado?
      d) como você tira água do poço (bomba ou corda e caçamba)?
      Tudo isso, Nivaldo, é só para avaliarmos se vale a pena uma solução definitiva ou um quebra-galho. Se você tiver a paciência de passar essas informações para nós, poderemos ajudá-lo a encontrar a solução adequada. Por enquanto, ficamos aqui esperando, OK?
      Abreu

  32. Caro amigo, boa noite. Li todo o seu relato e comentários e pelo visto, a prática o tornou um especialista no assunto. Bom, mudei-me recentemente e na nova casa existe um poço, o qual faz a alimentação de água para a residência. Esse poço é raso (acredito que deva ter no máximo uns 6 metros). O problema da água é exatamente o que vc colocou: água amarelada e com cheiro forte (acredito que em virtude de ferro). Vc acha que a solução utilizando a bomba dosadora e o Phoslan resolveria o meu problema? Muito obrigado e parabéns pelo blog.

    • Caro Guilherme, bem vindo ao blog. De fato, é comum a ocorrência de água amarelada em algumas regiões do Brasil. Em se tratando de poços rasos, acredito que a incidência deva ser maior ainda, pois alguns riachos e charcos, ou seja água de superfície, às vezes apresentam em suas margens uma nata de cor vermelho-amarelada, que os ribeirinhos costumam chamar de “água enferrujada”.
      O que me estranhou um pouco foi o mau-cheiro que você menciona. A água subterrânea profunda (poços artesianos ou semi-artesianos) que contenha ferro em excesso, não costuma apresentar cheiro forte.
      Seria interessante saber em que região você está localizado. De qualquer modo, é necessário fazer alguns testes. O ideal é procurar um laboratório e fazer um exame da água, tanto químico, quanto biológico. O químico lhe dará os teores de diversos elementos, inclusive de ferro. E o biológico revelará a presença de elementos orgânicos, inclusive coliformes (que poderão ser os responsáveis pelo mau-cheiro).
      Qualquer laboratório de análise de solo faz essas análises e o exame custa em torno de R$ 100,00.Enquanto o exame não chega, faça dois testes.
      a) recolha uma amostra da água, deixe decantar. Separe a parte superior, mais clara e descarte o depósito que ficou no fundo. Coloque um pouco de água sanitária: se houver ferro em excesso, a cor amarela costuma se acentual fortemente em alguns minutos;
      b) lave uma peça de roupa branca com essa água. Deverão ocorrer manchas amarelas. Aplique uma boa porção de suco de limão com um pouco de sal. Se branquear, é sintoma de que estamos com ferro além do limite.
      Isso deve aconselhar você a não usar a água para nada – nem para cozinhar.
      Agora, para investir na bomba e no Phoslan, a análise laboratorial é indispensável, até por o custo não né muito baixo.
      Forte abraço e dê notícias.
      Abreu

  33. Olá Abreu, boa noite e parabéns pelo blog, gostaria de umas dicas de como devo proceder: Moro em brasília e há uma semana furei um poço semi artesiano de 42 metros, porém na hora de colocar o tubo só foi possível até os 36 metros, sendo colocado brita em volta do tubo e um pouco dentro do tubo, que segundo o profissional que furou seria para filtrar a água. Após terminar de colocar os tubos foi posto um compressor para limpar a água e depois de um dia de funcionamento foi colocado a bomba de 3/4 hp a uma profundidade de 30 metros. Porém a água ainda continua saindo suja, na cor achocolatado, acho que devido a argila que parece ter muito aqui no local, inclusive no momento de furar saiu muita argila. O profissional já esteve aqui novamente e colocou novamente o compressor para fazer a tal limpeza, só que após algumas horas com o compressor a água parece mais limpa, porém quando colocamos a bomba ela volta a ficar suja, na cor de chocolate, colocamos um registro na saída do poço para manter a vazáo na faixa de 780 l/h, tendo em vista que a vazáo da bomba é bem superior à do poço, mas após 3 dias ligada o tempo todo a água ainda continua suja. O que vc me sugere, ou seja, o que devo fazer para melhorar a qualidade da água?

    • Olá, Marcus, bem vindo ao blog. Aqui em Brasília normalmente a camada de terreno sedimentar (mais macio) costuma ir até à profundidade de 30/40 metros. A partir daí começa a rocha-mãe, que literalmente uma “pedreira”. Por isso, as empresas perfuradoras costumam revestir apenas a parte de terreno sedimentar. Uma vez chegando à rocha-mãe, avançam um pouco (um metro ou dois) e param. E têm razão: a rocha-mãe já é um excelente revestimento e continuar com a tubulação seria desperdício de tubos e dinheiro.
      Quanto à sujeira da água, nossa vivência aqui com o problema indica três possibilidades: Primeira – o seu poço atravessou uma caverna subterrânea, com pó acumulado a milhões ou bilhões de anos. Assim, estando em repouso, a água está limpa. Quando a bomba é acionada, revoluciona a água subterrânea e “assanha” o pó depositado no solo da caverna sujando a água. Se a caverna for pequena, com o uso do compressor (que tumultua terrivelmente o pó acumulado) duas ou três vezes, é possível retirar-se toda sujeira. Mas se for grande, nem com o compressor ligado direto por anos e anos essa limpeza seria feita. Segunda – A sua água tem um altíssimo teor de ferro que, ao entrar em contato com o ar, ao sair do poço, oxida-se e ganha a cor amarelo-escura que confundimos com lama. Terceira – uma combinação da Primeira e da Segunda possibilidades.
      Para as três possibilidades, o nosso blog oferece sugestões, que se encontram tanto no corpo dos posts, quanto nas respostas aos comentários. Se a possibilidade for a Primeira (caverna de lama), você não escapará do filtro central (no seu caso, um filtro de 1000 litros – ou talvez até um de 500 litros – deve resolver). Tipos, marcas e preços dos filtros estão no corpo do blog. Se a possibilidade for a Segunda (oxidação), a indicação é pela aplicação do produto Phoslan, através do cavalete dosador da Sidrasul (fornecedores, preços e características estão no corpo do blog). E se for a Terceira (combinação das duas), a indicação é uma combinação das soluções, ou seja, filtro e Phoslan, que é, aliás, a solução com que consegui resolver o meu caso.
      Para saber qual o seu caso, a primeira providência é fazer um exame químico e biológico da água. Eu uso o Laboratório Hidrosolo, de Formosa (R$ 100,00 o exame químico e biológico), mas você pode buscar qualquer um outro que esteja mais perto de você. Se o índice de ferro estiver dentro dos padrões, então você está apenas com lama no poço e o filtro resolverá seu problema. Se estiver muito anormal, aí é pensar no Phoslan.
      Antes de qualquer investimento mais dispendioso, procure filtrar uma amostra da água. Pode ser em um filtro de vela ou até mesmo num filtro de café (use dois filtros). Feita a filtragem, verifique se houve depósito retido pelo filtro. Se houve, a água deverá ter saído limpa do outro lado. Separe a água, que deverá estar cristalina e aguarde 12 horas, em vasilha descoberta (água em contato com o ar). A ocorrência de depósito retido pelo filtro já indica que você está lidando com lama da caverna. Se depois de 12 horas a água separada ainda estiver cristalina, o ferro está dentro do normal. Se a água estiver amarela, você tem ferro em excesso. Ou seja, você tem os dois problemas e precisará das duas soluções.
      Faça suas experiências e retorne ao blog para nos contar os resultados. Estamos aqui para pensar juntos.
      Grande abraço.
      Abreu

  34. Olá senhor Abreu vi que tens ajudados muitas pessoas com suas dicas e explicações!!Moro em Nova Sta Rita-RS e vou ter que trocar de compressor pelo fato do meu compressor tem dado muita manutenção (desgaste de peças em pouco tempo 3 anos no maximo de uso sendo que esta nivelado!!O poço artesiano de meu terreno tem 70 mts de profundidade!Sendo que o compressor fica a uma dist. de 25 a 30 mts de dist. deste!O que eu teria de cuidar na compra de outro?Este que eu tenho em casa tem os seguintes dados desl.teorico l/m 102, desl.teor. pcm 3,6 prssão de operação máxima 140 PSI RPM 1575 1 HP/CV. ar direto. Se puder me dar uma dica sou leigo com isso!!Abraço

    • Olá, Diogo. Bem vindo ao blog. Acho que não vamos poder ajudá-lo muito. Pelo que entendi, você usa um compressor de ar, que fica a cerca de 30 metros de distância do poço. Por aqui só utilizamos o compressor para fazer a limpeza inicial do poço, nos primeiros dias de funcionamento. Depois instalamos bomba apropriada, que costuma funcionar por muitos anos. Outro conheci uma que funcionava a 25 anos ininterruptamente e estava sendo retirada para limpeza. São comuns os poços aqui no Planalto Central entre 40 e 110 metros, mas sempre usando a bomba.
      Será que entendemos direito? Se estivermos enganados e você quiser retornar para dar mais algumas informações seria bom. Quem sabe não encontramos juntas a solução?
      Um grande abraço.
      Abreu

    • Olá, Elizandra. Bem vinda ao blog. Vamos ver se poderemos ajudá-la. Em que região do Brasil está o poço? Você sabe qual a profundidade e se ele está revestido? A água que sai é vermelha mesmo ou amarela?
      Aguardamos essas informações para começarmos a ver o que está acontecendo por aí.
      Um abraço.
      Abreu

  35. ola, perfurei um poco com 34 metros de profundidade ao lado de uma represa, em rio dos cedros, santa catarina, e semi arteziano, pois a bomba esta instalada em cima do poço,, com uma vazao de + ou – 600 litros horas, no começo ate era cristalina, pois era epoca de seca, agora com as chuvas fortes, a agua esta toldada ( barrenta ) pus um filtro que e usado nos cavaletes de entrada de agua encanada, resolveu, porem logo fico entupido e nao sai agua pra caixa, qual filtro resolveria meu problema. grato evaldo

    • Ola, Evaldo. Bem vindo ao blog e à irmandade da água suja. Acho que seu problema é simples e depende exclusivamente de dinheiro. É que os entupimentos nesses sistemas são fatais: a vazão é relativamente grande e a quantidade de sedimento (barro) que o filtro recolhe também é grande. Esse sedimento acumula e rapidamente tende a entupir o filtro. Portanto, você tem de ter um mecanismo que permita retirar do filtro o barro acumulado. Isso você obtém de um filtro que permita fazer a chamada retrolavagem, um processo que inverte o sentido da água e ela passa a entrar por onde saiu. Só que, em vez de sair por onde entrou (voltar para a bomba), ela sai por uma torneira de descarte.
      Existem diversos fabricantes desses filtros no mercado. São chamados de “filtro centrais” e são encontrados em tamanhos para diversas vazões. No seu caso, acho que um filtro de 200 ou 300 litros por hora seria suficiente. Para trabalhar com folga e fazer a retrolavagem mais espaçada, talvez um filtro central residencial de 600 litros seja o ideal e custa aproximadamente R$ 1.000,00 nas casas especializadas, que geralmente dividem em dez vezes no cartão.
      À medida que esse filtro vai se enchendo de barro, a água na saída dele vai diminuindo a pressão. Às vezes deixa até passar um pouco de barro. Faça a retrolavagem antes de chegar a esse ponto. Com a prática, você descobrirá de quanto em quanto tempo é preciso fazer a retrolavagem para ter sempre água abundante e limpa.
      Esses filtros têm em seu interior camadas de uma espécie de areia, que vão das mais grossas até as mais finas, entremeadas com carvão. São essas camadas que retêm o barro. Com a retrolavagem, o barro sai, mas sempre fica um pouquinho, que vai acumulando. Chega a um ponto em que a retrolavagem não funciona mais. Aí é necessário trocar o conteúdo do filtro. Dependendo da quantidade de barro na água e da quantidade de água consumida, a troca da carga demora mais ou demora menos. Visitei um hotel, por exemplo, onde a carga é trocada a cada 3 meses. A do meu poço na roça está sendo trocada anualmente e a do filtro do meu apartamento, no Plano Piloto de Brasília, a cada cinco anos. Você também achará o tempo adequado para fazer sua troca.
      A troca da carga do meu filtro de 2000 litros (é feita pela própria companhia, mas a gente pode comprar o material lá e fazermos nós mesmos) custa R$ 400,00. Como a do filtro que você vier a adquirir deverá ser de 30 a 20% do tamanho do meu, imagino que o preço da carga seja proporcional, ou seja, algo entre R$ 80,00 e R$ 120,00.
      Esperamos haver ajudado você. Qualquer coisa a mais, retorne, que será um prazer conversar.
      Forte abraço e feliz Natal!
      Abreu

  36. BOA NOITE, EU FUREI UM POÇO, E ELE ENCHEU UMA RECIPIENTE DE 20 LITROS EM 1 MIN. E 10 SEG. QUAL A VAZÃO DELE POR HORA? E QUAL A BOMBA IDEL PARA ELE? QUAL CABO EU USO PRA FAZER A LIGAÇÃO DA BOMBA SUBMERSA?

    • Olá, Cláudio, bem vindo ao blog. Primeiro, a vazão. Você obteve 20 litros em 1 min e 10 segundos, ou seja, em setenta segundos. Isso representa cerca de 300 mililitros por segundo. Multiplicando 300 ml por 60, teremos 18 litros por minuto. Multiplicando por 60, teremos 1.080 litros por hora. É uma excelente vazão para a maior parte das finalidades, tais como consumo doméstico, molhar grama, servir para as vaquinhas, cães, gatos, galinhas, etc.
      Quanto à questão da bomba ideal, a pergunta é um pouquinho mais complexa e eu precisaria de algumas informações:
      a) que bomba você usou para tirar a água do poço e encher o balde?
      b) qual a profundidade do poço?
      c) o poço é artesiano ou poço comum (cisterna)?
      Aguardamos seus dados.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • BOA TERDE, O SENHOR QUE FOI FAZER A LIMPEZA DO POÇO USOU, UM MOTOR A DISSEL, PRA FAZER A LIMPEZA DO POÇO. O POÇO TEM 21 METROS. O POÇO É ARTESIANO. EU QUERIA SABER SE EU USO UM BOMBA SUBMERSA 0,5 CV OU UMA BOMBA DE 1 CV ? VALEU!

  37. Primeiramente parabens pela materia muito esclarecedora, bom eu estou com um problema com questão da agua amarela que mancha a roupa, como se processa: a agua sai limpa, todavia quando se coloca agua sanitária ou vanish ela fica gradualmente amarela até vc não ve o fundo do vaso branco em aproximadamente 4 minutos, manchou uma camisa branca minha, fora isso nada acontece se vc não colocar agua sanitaria tudo normal, sera que se trata do excesso de ferro?

  38. ola novamente desculpe vi acima que vc mandou colocar agua sanitaria para ver se tem ferro em excesso assim sendo deve ser o meu caso, mas eu não uso pra cozinhar, beber e nem lavar roupa eu só uso pra molhar grama, vasos, banho e escovar dentes ou seja uso geral no banheiro sera que mesmo assim é contra indicado? pois foi o que vc colocou nos dois testes.
    “Isso deve aconselhar você a não usar a água para nada – nem para cozinhar.
    Agora, para investir na bomba e no Phoslan, a análise laboratorial é indispensável, até por o custo não né muito baixo”.

    • Olá, Marcos. Bom tê-lo por aqui de novo. Quanto à qualidade da água, para as finalidades para as quais você a utiliza, não vejo problemas. O que não se deve fazer é ingeri-la, ou seja, beber ou cozinhar com ela. Para você ter ideia, eu molho minha grama e minhas árvores ornamentais com a água da retrolavagem, ou seja, com tudo aquilo que o filtro retém, inclusive o ferro. E elas estão muito bem obrigado. Dê notícias, volte de vez em quando!
      Um grande abraço.
      Abreu

  39. Edimar,

    Quanto ao problema da bomba (qualquer dispositivo elétrico) queimar, para
    evitar isso, basta instalar um fusível adequado (amperagem do fusível correta).
    Tenho um poço com 34 metros de profundidade. 3 metros o nível do lençol.
    A válvula a 29 metros do solo (29-3=26 metros de coluna d’água).
    Coloquei uma bomba de 1 CV. Um HP em medida de eletricidade equivale
    a 746 Watts (tem também medida da mecânica – outro papo). Um CV
    equivale a 736 Watts.Presumindo que a tensão seja 220 volts, resulta que
    a corrente será de 3,345 Amperes (736 dividido por 220). Coloquei um fúsível
    de 6 A.
    Observação :

    Um motor elétrico quando parte, a corrente de partida é aproxima_
    damente 6 vezes a corrente de funcionamento. Então a corrente na partida
    será de 3,345 vezes 6 = 20,07 A.
    Como fiz ;
    Coloquei duas chaves em paralelo.Uma ligando a bomba sem
    qualquer dispositivo de proteção. A outra chave conta com o fusível.
    Ligo a bomba com a chave sem proteção, depois que o motor
    partiu e a velocidade de rotação se estabilizou,ligo a chave onde está o fusí_
    vel e desligo a chave sem fusível, com isso, se o motor esquentar, a corrente
    se eleva além dos 6 A e o fusível queima.Par fazer isso é preferível fazer
    com dois fios de cores diferentes para evitar curto (não atinge a bomba).
    Como escrevi acima a bomba está ligada em 220 V. Se fosse
    ligada em 110 V a corrente seria o dobro (736 dividido por 110 e eu teria que
    usar fios mais grossos.

    Da cidade de Coronel Fabriciano – MG.

  40. Edimar,

    Se a bomba funcionar por muito tempo ela esquenta.
    Para diminuir a temperatura deve-se adicionar u m radiador.Como
    fazer ? Dentre outras opções, comprar uma tela para fazer viveiro
    para passarinho (tela com furos (digamos assim) pequenos, feita em
    fio bem fino (ferro doce galvanizado, ou alumínio, ou cobre) e enrolar
    esta tela ao redor do motor em várias voltas.Esta feito o radiador.
    Caso queira melhorar a refrigeração, colocar um ventilador de pequena
    potência (irá aumentar o consumo de energia). Para melhorar ainda mais,
    colocar uma caixa de papelão ou de madeira (cortando dois lados paralelos).
    Com isso o ar será melhor direcionado sobre o motor. Mesmo assim o
    motor ainda esquenta, mas será bem pouco.

  41. Almir,

    Quando a bomba não está extraindo água (devido ao nível
    da água ter ficado abaixo da válvula ou outro motivo), a temperatura se
    elevará. Caso a bomba fique por demais quente (porque a ventoinha, que
    se encontra dentro do motor não dá conta do recado, ou porque não está convenientemente refrigerada (com ou sem o radiador) o fusível se fundirá.
    Quando a temperatura se eleva, a corrente subirá, se subir além do que o fusível suporte, este se fundirá, protegendo o motor.

    _________________________________________

    Para o caso de filtros, pesquisem a respeito da pedra
    vulcânica (vendida pelo comércio especializado, também pela internet)
    e sobre o carvão ativado (carvão vegetal, que pode ser feito com qualquer tronco de árvore, mas só se faz com determinadas árvores, por dar um resultado
    melhor), e também sobre o uso de cloro (hipoclorito de sódio) conjuntamente
    com a bomba dosadora. Dependo do solo, o resultado da filtragem pode
    ser satisfatório (escrevi que… pode…). Também sobre o gás de pântano
    e o manganês (que causa o fedor a certas águas extraídas).

  42. Edimar;

    Para pesquisar usando a internet, colocar apenas pedra
    vulcânica.
    Depois em uma nova pesquisa colocar apenas zeólita (a
    que é mais usada para a filtração de água ferruginosa).

    _____________________________

    Pode-se fazer em casa o filtro para se obter água sem
    ferrugem, com retrolavação e para eliminação do que ficou da
    retrolavação. Usa-se um tubo de 100, 150 ou 200 mm (que pode ser
    colocado em paralelo com um ou mais tubos (diminuirá a pressão
    de saída exercida pela bomba e obtêm-se melhor filtragem. Para cada
    tubo tem-se que fazer o aparato para retrolavação e do que fica desta.
    Para isso usa-se 4 registros, 1 tê ( que deve ser colocado antes do
    registro que permitirá a filtragem (a outra saída do tê será para
    o registro que permitirá a retrolavação). Melhor será saber como
    funciona o filtro que é vendido, Se não conseguir, pôr-se a imaginar
    como ele funciona. O filtro que vendido é muito caro. Tem-se que
    obrigatoriamente usar a bomba dosadora do cloro. Para a drenagem
    da água que fica no tubo,usar um quinto registro que será colocado
    no tubo o mais baixo que se possa. O tubo juntamente com a chave de
    três posições colocada em cima do tubo que é vendido no comércio,
    é muito caro para a maioria dos brasileiros.

  43. Edimar,

    Na postagem (de postal – Correio Postal do Brasil – EBCT)
    por esquecimento esqueci de escrever que à saída da bomba deve-se
    colocar a mangueira que vem trazendo os esguichos de cloro que vêm da
    bomba dosadora. O tubo saí da bomba trazendo a água extraída, nele, o mais
    próximo que se possa é colocado um tê; a parte do meio do tê recebe o
    jato dosado da bombinha dosadora, a outra parte do tê permitirá à corrente
    d’água prosseguir (já com o clorado inserido) em fração de segundo haverá
    a oxidação (é o termo que usam) do cloro. Depois desse tê, bom que a água
    percorra ao menos uns oito metros antes de entrar no tubo maior para a filtragem.
    A ação do cloro é a de aglutinar (juntar) as partículas de ferro oxidadas e com
    isso aumentar de volume, facilitando a ação do filtro ( camada de zeólita + a
    camada de carvão ativado.
    Observação;
    O cloro na água quando na proporção correta não é prejudicial à saúde, até
    é benéfico pois reduz ou elimina bactérias.

    ___________________________

    Pesquisem como se procede para diminuir a degradação do cloro (diminuição
    do percentual de cloro que está ou veio no vasilhame em que o compramos
    no supermercado e que será ou foi colocado no galão para ser sugado pela
    bomba dosadora. Ação do sol, calor, luz….

    • Olá, Antônio. Você nem imagina como é confortante para nós essa sua participação. Como você pode ver pelos comentários – e eu posso ver pelas estatísticas a que tenho acesso (no dia de hoje temos 1354 visitas ao post “Poço artesiano de água suja”) – que o problema é sério e envolve um número enorme de pessoas.
      Por aqui, o que temos a oferecer aos diversos angustiados com o problema é a nossa experiência, vivida aqui na roça e que disponibilizamos para as pessoas – nossos êxitos e nossos insucessos.
      Você trouxe uma luz totalmente nova, a visão de um profissional da área, com uma série de informações das quais todos nós estamos carentes. Como aqui não se fatura nada, não se cobra nada, você se tornou uma pessoa preciosa para essa comunidade desorientada.
      Muito obrigado e utilize esse espaço à vontade: será sempre um prazer e um aprendizado recebê-lo!
      Abreu

  44. Bom dia? Abrir um poço faz 03 dias. Eu gostaria de saber o porque da água que sai dele ela é bastante cristalina, mais minutos depois ela fica escura,sera que eu vou ter que aprofundar mais.Eu moro em uma região perto da praia e ao mesmo tempo perto da mata, só que quando a pessoa estava perfurando o poço quando chegou em uma determinada profundidade começou a sair areia do mar, conchas e buzius.

  45. Bom dia? Abrir um poço faz 03 dias. Eu gostaria de saber o porque da água que sai dele ela é bastante cristalina, mais minutos depois ela fica escura,será que eu vou ter que aprofundar mais poços.Eu moro em uma região perto da praia e ao mesmo tempo perto da mata.Ao perfurar o poço quando chegou em uma determinada profundidade começou a sair areia do mar, conchas e buzios. A água ela corta o sabão.

    • Olá, Eliana. Bem vinda ao blog. Não acho que aprofundar vai resolver: possivelmente o poço já passou por uma área que está dando o problema. Mas faltam informações, para a gente tentar ajudar você. O poço é comum ou artesiano? Qual a profundidade? A água é doce ou salgada?
      Um abraço.
      Abreu

  46. Boa noite Abreu! Primeiramente gostaria de parabenizar-lo pelo blog e agradeço por nos dar informações tão úteis. Tenho uma chácara no Lago oeste – Df e sofro exatamente do problema descrito acima. Estou seguindo todos seus passos anteriores, ou seja, os resultados obtidos até agora são provisórios. Graças as suas dicas pretendo pular algumas etapas e partir diretamente para bomba dosadora de Phosolan, uma vez que minha agua apresenta uma concentração alta de ferro. Ou seja, vou pedir uma analise da qualidade da água e procurar essa substancia que neutraliza a reação do ferro com o O2. Pela sua grande experiência, vc acha que só esse produto é suficiente, ou, mesmo assim, terei que colocar um filtro central? Detalhe, meu poço é todo revestido até a rocha e tem uma profundidade de 170 metros, a bomba está à 112 metros. Obrigado pela atenção e caso esse problema se resolva, terei a honra de convida-lo para um churrasco… rs abraços

    • Olá, Leonardo. Bem vindo ao blog e obrigado por suas palavras. É por essas manifestações que a gente insiste em fazer esse trabalho. Afinal, quem não gosta de carinho? Bom, quanto à questão proposta, há duas notícias, uma má outra boa. A ruim: você não vai se livrar da filtragem. Isso porque o produto, na verdade, encapsula as moléculas de ferro. E se não houver a filtragem, essas moléculas vão terminar na caixa d’água e nas suas torneiras. A notícias boa: em seus comentários, registrados aqui, no dia 05.01.2013, Antõnio Moreira – uma pessoa aparentemente com sólidos conhecimentos nessa área – propõe a construção de um filtro, segundo ele, que pode ser construído a baixo custo por brasileiros que não tenham condições de pagar o preço de um filtro industrial. Dê uma olhada lá! Ser tiver dificuldades, retorne.
      E independentemente do final, “estamos aí” nesse churrasco no Lago Oeste!
      Um abraço de irmãos de água suja.
      Abreu

  47. Mais uma vez, muito obrigado!! Bem, agora é comigo…Em breve postarei os resultados. Ah, seu blog é show!! Grande Abraço

  48. Moro em um sítio localizado em Niterói – RJ cercado de matas e tem um poço manilhado com profundidade aproximada de 7 metros que não uso para cosinhar nem para beber. Quando comprei a propriedade à 11 meses atrás, a água era cristalina e após as fortes chuvas ocorridas em janeiro e fevereiro de 2013 a água passou a estar amarelada. Desde que comprei para residir, mantenho dentro do poço um tubo com pastilhas de cloro do tipo usado em piscinas. Será que a água após as chuvas ficou ferruginosa e o cloro agiliza o processo já dentro do poço? Não observei nenhum tipo de amarelado nas roupas brancas que são lavadas na máquina utilizando a água do poço em referência. Agradeço os exclarecimentos futuros.
    Abraço, Mauro

    • Olá, Mauro. Bem-vindo ao blog. No caso de poços rasos, do tipo cisterna, como o seu, mesmo manilhados, é comum a mistura da água do poço com as águas subterrâneas, as quais, em função do encharcamento excessivo no período chuvoso, acabam chegando ao poço pelo fundo. Nessa região onde antigamente havia a Mata Atlântica – e você fala que ainda há matas por aí – é absolutamente natural a presença de enormes camadas de matéria orgânica decomposta ou em decomposição. São velhos troncos, folhas e galhos enterrados, degradados aos poucos pela água das chuvas, gerando uma espécie de “chorume” que termina do fundo do seu poço.
      Por isso, acreditamos que não se trata de ferro. Se fosse, as roupas brancas necessariamente ficariam manchadas.
      Então, achamos que um sistema simples e caseiro de filtragem no fundo do poço pode resolver o problema. Isso pode ser feito com uma camada (10 cm) de areia lavada grossa, uma camada de carvão vegetal e, por cima, uma camada de areia lavada fina.
      Antes de fazer isso, entretanto, o ideal é fazer um exame químico e físico da água. Procure um laboratório perto de você (google) e invista aí uns R$ 60,00 reais, antes de fazer qualquer despesa: vai valer cada centavo!!!
      Dê notícias.
      Um grande abraço.
      Abreu

  49. Abreu, parabéns pelo blog, acompanho quase que diariamente. Pelo visto muita gente tem aproveitado sua experiência , aproveito a oportunidade para pedir sua ajuda para usar melhor o poço que tenho. Trata-se de um poço tubular com profundidade de 19 metros(não foi possível perfurar mais devido uma rocha), a vazão é de cerca de 250 litros/hora. O cálculo de tempo mostra que em cerca de 20 minutos o volume retirado é reposto. Por ser de pequena profundidade a análise microbiológica mostrou a presença de coliformes totais. A análise química mostrou acidez (pH 4,89) e turbidez (9,01). E aí, compensa filtrar, tratar e consumir ou usar para regar jardim, lavar passeio e carro. Aguardo sua opinião.

    • Olá, Luiz. Obrigado por retornar ao blog. Coliformes totais TODOS os poços têm. Coliformes fecais são comuns em poços rasos, contaminados por fossas sépticas, etc. Acho quer seu poço está bem, em relação a alguns outros que discutimos por aqui.
      Aí, vem a pergunta: “Vale a pena filtrar, tratar e consumir….etc? O problema, Luiz, é muito mais filosófico e pessoal. Eu, por exemplo, analisando esse mundo, em que as pessoas vivem numa chamada FVU (favela vertical urbana), ou seja, apartamento, sinto-me particularmente orgulhoso de ter um poço! Aliás, tenho um poço igual ao seu, com 18 metros, um poço artesiano, com 150 metros de profundidade, uma nascente que gera cerca de 5000 litros por dia e um riacho, com vazão de 35 litros por segundo.
      Parece muita água? Pois fique sabendo que nossos netos e bisnetos vão participar da Terceira Guerra Mundial não por causa de nazismo, comunismo, anti-semitismo e outros ismos: a proxima guerra, Luiz, vai ser pela água. Vai faltar água doce. E essa já começou em alguns lugares do mundo.
      Nessas condições, filtre, trate. Seu poço vale ouro e merece todo o carinho do mundo. Estude seu poço, dedique-se a ele, prepare-o para você, para seus filhos e seus netos.
      Meta na cabeça: quem tem um poço, no mundo de hoje, é um sujeito estranho, diferente. Para os zilhões de habitantes urbanos do planeta, água é apenas um bem que você compra abrindo a torneira de sua casa e o leite sai da vaca em caixinhas tetrapack!
      Brincadeiras à parte, Luiz, você é um privilegiado. Você tem um poço. Apartamentos do 15. andar não têm poços. Então, cuide muito bem do seu.
      Bem vindo ao club dos donos de poços, mesmo problemáticos!
      Um abração.
      Abreu

  50. Olha só, tenho um poço semi-artesiano de 9,00 m de profundidade, minha água além de ser muito ferrosa tem também mau cheiro, uso na piscina ela fica da cor da gasolina, o rapaz trata e coloca pronto para banho, agora, devido a canalhice da Agua de Juturnauba em não fornecer água a contento quero fazer um sistema de tratamento para uso na casa, gostei e parabeniso pela perceverança de vcs ir até conseguir e mais,t prazer de ajudar a quem precisa, eu sou meio burro, será se vcs não teria um pequeno esquema traçado de como fazer essa ligação, tipo: torneira antes e depois, registro, reservatório de areia. reservatório de carvão. para que eu possa acompanhar, estou com 65 anos não conto com ninguém, eu é que tenho que meter a cara e fazer, poderia me ajdudar nesse ponto?

    • Olá, Décio. Você parece ser um grande guerreiro. Gostei de sua indignação e particularmente de sua disposição de fazer as coisas com as próprias mãos. Tenho algumas dúvidas. Você pode retornar para esclarecer? São elas:
      a) o poço é realmente semi-artesiano?
      b) qual o diâmetro da boca?
      c) você tem ideia da vazão desse poço
      d) qual a bomba que você usa?
      e) você está em que região do Brasil? Não precisa dizer a cidade.
      f) você está à beira-mar, na serra ou no planalto?
      g) zona da mata, agreste ou sertão?
      Parece complicado, mas não é não. É que, se você luta sozinho com esse problema e precisa companheiros para pensar junto com você, estamos aqui para isso. Só que poços no Pantanal Matogrossense são diferentes dos de Cabo Frio, dos de Brasília e dos poços das montanhas de Minas Gerais.
      É isso, Décio. Estamos aqui para tentar ajudar você!
      Um grande abraço.
      Abreu

  51. Olá Abreu, parabéns pelos esclarecimentos. Gostaria de sua ajuda.
    Mora em Cuiabá MT, tenho uma propriedade e há cerca de 3 meses fiz um poço de 60 m de profundidade, sendo 33 de revestimento e 27 metros dentro da rocha, e com uma vazão de 2000l/h. Coloquei nele uma bomba sapo que fica há cerca de 28 m de profundidade. A lamina d’agua começa a partir de 9 metros de profundidade e mesmo depois de cerca de uma hora de funcionamento ds bomba e agua baixa muito pouco, cerca de 01 metro
    Vamos ao problema agora. O poço começa jogando agua limpa e cerca de 15 minutos após, a agua vai ficando branca (tipo agua de arroz) e depois de uns 10 minutos vai ficando muito suja e amarelada (como se tivesse com muita areia). Isso se repete sempre. Me lembro que quando cavaram o poço, me disseram que passaram por um bom veio de agua, mas como eu queria que encamisassem até a rocha, este veio foi “isolado”. Não sei o que está acontecendo, mas estou suspeitando que seja esté veio que foi “isolado” pelo encamisamento, que pode ter dissecado entre o tubo até enbaixo e sujando agua?. Poderia ser isto?, existe outra hipotese?, tem solução?
    T+…………………………Max

  52. Olá Senhor Abreu,
    Primeiro parabéns pelo seu site, diria que é de utilidade nacional, pois encontrei poucos ou talvez nenhum que me desse resultado nesse assunto. Li todo seu Post e todos os comentários e cheguei a conclusão que a solução para meus problemas seria o Phoslan, pois tenho muitos problemas com agua ferruginosa que mancha tudo, inclusive as paredes. Primeiramente queria informar que os tipos de poços da nossa região são diferentes do seu, são poços rasos de aproximadamente 6 metros de profundidade e utilizamos, geralmente, bombas externas, não utilizamos reservatórios de água, pois a agua que sai da bomba já vai direto para a mangueira, pois utilizamos essa agua para jardinagem. Pois bem minha dúvida é essa : pelo fato de aqui na região não utilizarmos reservatórios e a agua já sair direto para uso, eu poderia utilizar esse dosador com o phoslan e já faria efeito na água? Resumindo, o efeito do Phoslan é imediato ou teria que ter um reservatório e esperar um tempo pra ele fazer efeito?

    • Olá, Flora. Obrigado por suas palavras gentis. Estudamos seu problema, à luz da experiência que vivenciamos e publicamos no blog. A nossa resposta é de que, provavelmente, o sistema com o Phoslan não funcionará nas suas condições. Vou explicar por quê. O papel do Phoslan é encapsular as moléculas de ferro na água enquanto esta se encontra no subsolo. Uma vez encapsuladas, essas moléculas, ao entrarem em contato com o ar, não reagem quimicamente e não produzem o óxido de ferro, que dá a aparência ferruginosa à água. Isso só possível nos poços profundos, onde a água subterrânea não tem contato com o ar atmosférico, exceto pela pequena superfície exposta ao oxigênio existente dentro do tubo.
      No caso dos poços rasos, normalmente eles têm diâmetro relativamente grande (cerca de um metro) e a água se oxida antes de chegar à bomba. Ou seja, quando o Phoslan for atuar, já será tarde para evitar o enferrujamento da água: ela já estará enferrujada. Mesmo que conseguíssemos uma solução para isso (estive pensando, por exemplo, num disco flutuante – poderia ser de isopor-, com o diâmetro do poço, com um orifício no centro para passagem do tubo que sobe para a bomba). Impediríamos ou reduziríamos muito a oxidação. E daí?
      Bem, Flora, daí é o seguinte. De fato, o Phoslan tem um efeito imediato. É uma reação química fulminante em que a ação de uma gota é instantãneo em cerca de 100 litros de água. Isso nós já tivemos o cuidado de medir aqui na roça. E quando vem a próxima gota, ainda não passaram nem 30 litros de água pelo tubo.
      Mas as moléculas encapsuladas têm de ser retiradas da água. Daí a necessidade do filtro.
      Ora, quelar (encapsular as moléculas), através de uma bomba dosadora, utilizando um produto químico e um filtro central e não ter um reservatório seria, no mínimo, um enorme desperdício de dinheiro.
      Então, voltamos ao começo: para os poços rasos, não vale a pena o investimento.
      Lamento não poder ajudá-la.
      Mas prometo que vou tentar algumas experiências. Vou lhe explicar. Tenho aqui um velho poço raso que abandonei há quase trinta anos, por que a água era amarela. Vou fazer algumas experiências com ele. Por exemplo, vou esgotá-lo com uma bomba potente, deixá-lo encher coberto com um disco flutuante de plástico de bolha. Vou calcular o volume de água: ele tem 13 metros, mas água, na seca, não passa de 5 ou 6 metros, o que dará cerca de quatro mil litros. Nesse volume colocarei manualmente as gotas necessárias do produto (talvez umas 10 gotas). Vou utilizar essa água em diversas finalidades (principalmente lavagem de roupas brancas) e verificar os efeitos. Em caso da obtenção de qualquer resultado que possa ajudar você, eu te acionarei pelo e-mail que você mandou junto com seu comentário.
      Um grande abraço.
      Abreu

    • Olá, Flora. Tive um carinho enorme com o seu caso, mas, na hora de responder, acabei postando como uma resposta ao Max, de Cuiabá, que tinha um outro tipo de problema. Foi uma barbeiragem cibernética do seu amigo aqui. Agora, estou em dúvida: será que a Flora viu minha resposta, feita lá no comentário do Max? Como eu não tenho muita segurança a esse respeito, preferi recortar e colar aqui embaixo a resposta que mandei para o Max.
      Mais uma vez, desculpe, Flora. Quando eu era jovem, computador ainda se chamava “cérebro eletrônico”!
      Um abraçaço.
      Abreu
      expressaodaliberdade.com.br x
      er.abreu@terra.com.br
      177.42.127.254
      Enviado em 14/03/2013 as 21:30 | Em resposta a Max.
      Olá, Flora. Obrigado por suas palavras gentis. Estudamos seu problema, à luz da experiência que vivenciamos e publicamos no blog. A nossa resposta é de que, provavelmente, o sistema com o Phoslan não funcionará nas suas condições. Vou explicar por quê. O papel do Phoslan é encapsular as moléculas de ferro na água enquanto esta se encontra no subsolo. Uma vez encapsuladas, essas moléculas, ao entrarem em contato com o ar, não reagem quimicamente e não produzem o óxido de ferro, que dá a aparência ferruginosa à água. Isso só possível nos poços profundos, onde a água subterrânea não tem contato com o ar atmosférico, exceto pela pequena superfície exposta ao oxigênio existente dentro do tubo.
      No caso dos poços rasos, normalmente eles têm diâmetro relativamente grande (cerca de um metro) e a água se oxida antes de chegar à bomba. Ou seja, quando o Phoslan for atuar, já será tarde para evitar o enferrujamento da água: ela já estará enferrujada. Mesmo que conseguíssemos uma solução para isso (estive pensando, por exemplo, num disco flutuante – poderia ser de isopor-, com o diâmetro do poço, com um orifício no centro para passagem do tubo que sobe para a bomba). Impediríamos ou reduziríamos muito a oxidação. E daí?
      Bem, Flora, daí é o seguinte. De fato, o Phoslan tem um efeito imediato. É uma reação química fulminante em que a ação de uma gota é instantãneo em cerca de 100 litros de água. Isso nós já tivemos o cuidado de medir aqui na roça. E quando vem a próxima gota, ainda não passaram nem 30 litros de água pelo tubo.
      Mas as moléculas encapsuladas têm de ser retiradas da água. Daí a necessidade do filtro.
      Ora, quelar (encapsular as moléculas), através de uma bomba dosadora, utilizando um produto químico e um filtro central e não ter um reservatório seria, no mínimo, um enorme desperdício de dinheiro.
      Então, voltamos ao começo: para os poços rasos, não vale a pena o investimento.
      Lamento não poder ajudá-la.
      Mas prometo que vou tentar algumas experiências. Vou lhe explicar. Tenho aqui um velho poço raso que abandonei há quase trinta anos, por que a água era amarela. Vou fazer algumas experiências com ele. Por exemplo, vou esgotá-lo com uma bomba potente, deixá-lo encher coberto com um disco flutuante de plástico de bolha. Vou calcular o volume de água: ele tem 13 metros, mas água, na seca, não passa de 5 ou 6 metros, o que dará cerca de quatro mil litros. Nesse volume colocarei manualmente as gotas necessárias do produto (talvez umas 10 gotas). Vou utilizar essa água em diversas finalidades (principalmente lavagem de roupas brancas) e verificar os efeitos. Em caso da obtenção de qualquer resultado que possa ajudar você, eu te acionarei pelo e-mail que você mandou junto com seu comentário.
      Um grande abraço.
      Abreu

  53. Não estou entendendo nada, fiz um comentário e algumas perguntas em 04/03/2013 as 13:20hs e não foi respondida, entretanto meu nome saiu no post de outra pessoa que queria saber sobre o phoslan. Voce respondeu ao post sobre o phoslan a chamando de flora.
    Agora alem de ter problema com meu poço, tambem estou tendo no blog, que sorte hem??
    T+……..Max

    • Olá, Max. Você tem toda razão. Eu transito pela internet como quem monta um burro brabo – de vez em quando levo meus tombos! E foi exatamente o que aconteceu. Respondi seu comentário, apertei um botão mágico que deletou minha resposta, ao invés de postá-la. Como o comentário seguinte da fila era o da Flora, respondi e remeti…e foi parar na sua resposta. Desculpe, Max. Desculpe, Flora.
      Bem, Max, voltando a fita, vou tentar recuperar a resposta que eu havia preparado para você. Acho que você fez certo, sim, ao revestir o poço até a rocha. Poços profundos são muito caros para ficarem susceptíveis a contaminação, tão fácil de acontecer na camada sedimentar do terreno (antes da rocha).
      Então, vamos dividir o problema: o tal veio de água boa ficou para trás e lá deve continuar. Se você tiver anotado a profundidade a que se encontra o veio “bom”, quando pintar grana farta valeria uma experiência em outro poço, com profundidade mais modesta, nas imediações, para trabalhar especificamente esse veio.
      Vamos à parte da rocha. O seu poço tem 60 metros, a lâmina d’água (nível estático) está a 9 metros. E quando a bomba funciona (nível dinâmico), o nível baixa um metro, ou seja, para 10 metros de profundidade. Os primeiros 15 minutos de funcionamento, jorra a “água de arroz” e nos próximos 10 minutos, água amarela e barro.
      A minha hipótese: acho que seu poço atravessa, dentro da rocha, uma camada de calcário e, mais adiante em direção ao fundo do poço, atravessa uma caverna, com grande depósito de pó, acumulado há milhares de anos.
      Primeira alternativa: contratar uma empresa especializada para fazer a filmagem do poço. Eles descem uma câmara de vídeo, com iluminação ao longo do tubo do poço e documentam todo o trajeto, identificando exatamente a geologia do terreno percorrido. Sinceramente, entretanto, não tenho uma noção adequada dos custos desse tipo de serviço especializado. Se fosse possível (financeiramente) fazer isso e, se comprovada a minha hipótese, a solução seria continuar o revestimento pela rocha adentro, até ultrapassar a camada de calcário e a tal caverna.
      Segunda alternativa: voltemos à dura realidade da grana difícil. Eu colheria amostra da água de arroz (15 minutos) e da água amarela (10 minutos). Acho que com 100 reais, ou menos, você consegue obter essa informação preciosa em laboratórios de análises químicas aí em Cuiabá. É bem mais barato.
      Desdobramentos. Se nossa hipótese for confirmada pelas análises, você teria duas opções: ou tratar o poço ou tratar a água.
      No primeiro caso (tratamento do poço), seria o revestimento integral, até cerca de 50 metros, deixando os 10 metros finais para a acumulação. Esse revestimento não precisaria ser de aço carbono, uma vez que é dentro da rocha. Poderá ser de material sintético (nylon ou PVC), infinitamente mais barato.
      No segundo caso (tratamento da água), caberia a instalação de um filtro, tal como temos recomendado aqui no blog. Independente de marcas comerciais (o blog não tem objetivos comerciais), há no mercado muitos filtros bons para essa finalidade.
      Bem, Max, afora essa confusão que fiz aqui no blog, pelo menos consegui passar para você nossas reflexões a respeito do seu problema. Há decisões a tomar, há escolhas financeiras a fazer. Mas, pelo menos, a gente se sente bem ao pensar que você não está sozinho. Estamos co-preocupados com você e seu problema. Isso ajuda? Acho que sim. De qualquer forma, conte conosco. E desculpe a gente.
      Um forte abraço.
      Abreu

      • Obrigado pela resposta, vou ver se faço a analise da agua, depois te digo o resultado.Quanto a canfusão, como tambem não sou expert em internet, pensei até em virus,rs…, Felizmente esse problema tá resolvido.
        Grande abraço
        Att………………Max

  54. o local onde moro possui dois poços artesianos. foi instalado o terçeiro. desde entao a agua passou a possuir um odor desagradavel. o mesmo nao foi admitido pela prefeitura local pois, alegava que agua havia sido analisada e que resultado estava dentro dos padroes de consumo. no entanto agora apos fortes chuvas agua apresentou uma coloraçao barrenta, se acumulada num recipiente de um dia pra outro da pra ver o barro acumulado no fundo. fizeram a drenagem do poço mas continua a mesma coisa. tenho medo dela estar tambem contaminada pois o poço fica instalado no ponto mais baixo do local inclusive sobre o mesmo passa rede pluvial e rede de esgoto de toda populaçao(1000 pessoas aproximadamente). me de umas instruçoes a respeito. o que devo fazer pois nao tenho condiçoes de mandar analisar a agua. no aguardo de uma resposta. em tempo o municipio chama-se chiador-mg , o local e distrito de penha longa.

    • Olá, Maciel. Bem vindo ao blog e a esse vale de lágrimas que é a comunidade que sofre com poços de água suja. Um problema, Maciel, é que eu não sou engenheiro, geólogo, especialista em hidrologia ou engenheiro químico. Às vezes aparece aqui um engenheiro, um biólogo ou um geólogo que nos ajudam, voluntariamente, a esclarecer algumas questões mais cabeludas. Mas somos todos leigos no assunto, apenas trocando experiências. Discutimos nossas angústias, organizamos nossas experiências que deram certo, choramos nossos fracassos e, acima de tudo, elaboramos um sonho de esperanças de poços de água limpa.
      O problema aí, Maciel, é que até aqui estamos lidando com poços de água suja particulares, privados. E você nos traz uma questão pública. É muito difícil, para nós, do blog, ajudá-lo. Os governos no Brasil não são os melhores governos do mundo. Vou muito ao Rio de Janeiro de carro, a partir de Brasília. E tenho na memória esse trevo aí, da BR 040, antes de Juiz de Fora, que indica o caminho para Levy Gasparian e Mar de Espanha. E Chiador está, ali, naquela região. Isso é plena Zona da Mata Mineira, com seus altos e baixo, suas montanhas e vales.
      Até admito que sua prefeitura tenha dificuldades reais de oferecer à população do distrito de Penha Longa uma água insípida, incolor e inodora. Agora, se o seu prefeito tem, em sua residência, água nessas condições ideais, e vocês, em Penha Longa, recebem uma água barrenta de odor desagradável, o problema é político: cabe a vocês, cidadãos de Penha Longa, juntarem R$ 100,00 e mandarem analisar essa água (há laboratórios em Juiz de Fora que fazem isso) e, a partir dos resultados, armarem um ato na Câmara de Vereadores de Chiador e exigirem uma solução. Nossas experiências dizem que, nesses casos, deve-se pressionar a Câmara e não o Prefeito. Ele agirá mais rápido sob a ação conjunta dos vereadores.
      Estamos aqui. Não somos filiados a nenhum partido político, nem temos fins lucrativos. Mas gostamos de ajudar gente como vocês!
      Um forte abraço
      Abreus

  55. Olá, eu tenho um poço artesiano com 11 metros de profundidade, paramos porque deu na rocha e a água está super limpa porém com cheiro de barro tabatinga. O que eu faço para eliminar isso?
    Ps. Eu já tirei 20 mi litros de água tentando limpar, porem continua o cheiro de barro tabatinga.
    Grato
    JANIEL FRAZÃO

    • Olá, Janiel. Bem vindo ao blog. Desconheço qualquer forma de retirar o cheiro da água, exceto fazer o que você está fazendo, ou seja, retirar a água até eliminar, da camada superficial da parede do poço, os gases que produzem o cheiro. Levará algum tempo.
      Por outro lado, como você disse que parou a perfuração porque chegou à rocha, possivelmente as emanações que produzem o cheiro vêm da parede do poço. Então, uma hipótese interessante para encurtar o tempo seria manilhar o poço, o que poderia separar a água do contato direto com a parede e provavelmente diminuiria o problema.
      Mas aí envolve dinheiro: seriam pelo menos vinte manilhas de meio metro de altura, a R$ 40,00 a unidade, isto é, R$ 800,00 – sem a certeza do resultado.
      Em outras palavras, você decide!
      De qualquer modo, estamos por aqui, prontos a trocar ideias com você.
      Um grande abraço.
      Abreu

  56. Adorei conhecer o site, lí algumas das perguntas e respostas sobre como resolver os problemas da agua dos poços, e também tenho que descobrir como clarear a agua do meu poço,e foi procurando uma soluçao, que encontrei este site.Mas já percebí que terei que ter informaçoes sobre o poço e análise da água primeiramente,então vou providenciar e retornarei.Sr Abreu, parabéns pela iniciativa de ajudar as pessoas, passando suas experiencias.

    • Olá, Elaine. Bem vinda ao blog e muito obrigado. Suas palavras são um incentivo muito importante para nós. Pode retornar quando puder, que estaremos aqui para dar uma mãozinha no que for possível.
      Um grande abraço.
      Abreu

  57. Olá Edimar Abreu, parabéns pela tecnologia. Estou tbm numa igual a sua.Vamos lá: Temos um poço com água em grande quantidade. Os problemas de água de ferrugem, vieram logo no começo. Falaram-me que a solução era jogar no poço cal virgem ou óxido de cálcio, mas esta solução entupiria o mesmo e nada iríamos conseguir.Realmente, o VILÃO CHAMA-SE : ÓXIDO DE FERRO, face a água ser ‘CONTAMINADA’ pelos depósitos de aluviões em milhões de anos atrás, e em contato com o oxigênio do ar a água quando sái do poço, produz uma reação química que é o ÓXIDO DE FERRO.Depois de buscas e buscas achamos o FILTRO HIDRAULIS-BH(MG) que usa zeólita, mineral que LIMPA a água ferruginosa.Mas, apesar de tudo isto o filtro e sua manutenção que tem que ser feita quinzenalmente, é coisa cara, dispendiosa e trabalhosa. Gostamos da sua tecnologia e vamos aplicá-la no nosso poço para aproveitarmos a água nos jardins e consumo de área de serviço= lavandeira / lavagem de áreas de serviço / calçadas / pátios, etc… .
    Temos um poço semi-artesiano com uma bomba que retira a água e joga numa caixa d’água de 3.000 litros. Outra bomba retira a água desta caixa, e joga no filtro da HIDRAULIS este filtro, processa a limpeza com o produto ZEÓLITA e joga numa outra caixa d’água de 3.000 litros,com água limpinha, mas face as constantes manutenções o filtro saturou, apesar de retrolavagens quinzenais. Então, para fazermos o serviço perfeito, vamos utilizar a sua tecnologia, pois repor ZEÓLITAS e manutenção é custosa e trabalhosa. PREÇO DO FILTRO SD-01- HIDRAULIS = R$ 4.000,00 = ZEÓLITAS P/ REPOSIÇÃO = R$ 1.500,00. LIMPEZA= R$ 100,00 MENSAIS. Por isto que vamos seguir os seus conselhos e direção. Obrigado pelas informações. Falaremos mais à frente. GRATO.Marco Aurelio Bello.

    • Olá, Marco Aurélio. Bem-vindo ao blog. Como você deve ter percebido, em relação a esse tema de “poço artesiano de água suja” não existe praticamente nada pesquisado, analisado e escrito. Então, o que se salvam são essas experiências como a sua e a nossa, onde o cidadão vai perseguindo, por tentativa e erro, uma solução ainda que parcial.
      A solução pela qual você transitou – filtro Hidraulis com zeólita – é a primeira linha alternativa de solução a que somos apresentados, depois da nossa experiência pessoal que o post deste nosso blog relata. Até aqui não nos tinha chegado qualquer caminho diferente. Por isso, é muito importante conhecer esse modelo, embora você o esteja descartando em função dos custos.
      No nosso caso, os custos andam assim: estamos trocando a carga do filtro central de 2000 litros (Mundo dos Filtros) anualmente, no mês de setembro. A carga completa custa cerca de R$ 500,00. A bomba dosadora custou R$ 645,00 (Sidrasul-Itajaí SC) e não tem custo de manutenção; e o produto (Phoslan, Systemmud-Belo Horizonte MG), em embalagem de 20 litros, custa cerca de R$ 600,00 e deve durar pelo menos dois anos (a nossa foi aberta em novembro de 2011 e está um pouco acima da metade).
      Os resultados são muito bons, principalmente em se considerando a aparência e a qualidade da água imediatamente na saída do poço.
      Por favor, volte quando tiver algo a dizer sobre sua nova tentativa.
      Um forte abraço.
      Abreu

  58. Ola amigo
    meu pai abriu um pouco com uma profundidade de 70 m…na perfucao do poco saia muita lama,mas ele parou por ai,ele gostaria de saver se essa lama seria sinal de agua,e se ele aprofundasse mas se teria a chance de encontra agua obrigado desde ja

    • Olá, Marcela. Bem-vinda ao blog. Como você sabe, não somos engenheiros nem profissionais nessa área. O que nós temos é uma sofrida experiência que trazemos nessa luta chamada “poço artesiano de água suja”. Na verdade, quem consegue água suja, como nós aqui, ainda tem uma vantagem: dá para quebrar a cabeça e achar uma forma de limpá-la. O problema maior é quando não se acha água.
      Pela nossa vivência, a simples ocorrência de lama não é indicativo de água. Quer dizer, em se tratando de poço artesiano. Se for poço comum (cisterna) a lama vem antes da água. Mas, no caso do poço artesiano, teoricamente o que a gente procura é um outro tipo de água, ou seja, água subterrânea profunda e não contaminada.
      Então ocorre que, nos primeiros 30-40 metros da perfuração, a gente percorre um terreno macio, às vezes sedimentar, às vezes mais consistente, e atravessa o lençol freático, geralmente com água acumulada vinda da superfície, com matéria orgânica e às vezes até coliformes. Mas vencida essa etapa – que é o caso do poço perfurado por seu pai, a perfuratriz entra na rocha.
      E aí, se você tiver sorte, mais cedo ou mais tarde no meio da rocha você encontra verdadeiros lagos de água limpa, da melhor qualidade, própria para consumo. Veja que eu disse “se você tiver sorte”!
      Uma pequena minoria de nós encontra petróleo, gás, xisto betuminoso (e o poço fede a querosene a centenas de metros de distância).
      Um outro pequeno grupo encontra água suja, com cheiro de enxofre, que parece ser de esgoto, mas não é, não!
      Já um grupo gigantesco, ao qual nós pertencemos, encontra uma água manhosa, ora cristalina, ora enferrujada, sem cheiro, mas com uma aparência de água barrenta (e é barro mesmo!). A gente tem escrito o blog basicamente para esse time de sofredores, uma vez que, diante do problema, as empresas perfuradoras só costumam dizer -”É, doutor, fizemos nossa parte: o poço está aberto e a água está aí. De agora para frente, é com o senhor.”
      Mas existe também esse grupo de vocês, ou seja, aquelas pessoas que fizeram um esforço enorme, gastaram um dinheirão e desistiram quando o dinheiro acabou ou brigaram com a empresa de perfuração. Aí temos a pior situação de todas, que é o investimento sem retorno nenhum. Isto é, necas de água, nem limpa, nem fedorenta, nem suja.
      Furar poço não é barato. Mas duas perguntas, a nosso ver, devem ser feitas:
      a) você precisa MESMO da água desse poço ou era apenas uma forma ter uma certa segurança no abastecimento e ao mesmo tempo valorizar o imóvel?
      b) você decidiu definitivamente parar a perfuração ou está dando um fôlego para que suas economias se recuperem?
      Letra “a”: se você nunca teve poço e sempre viveu sem ele, deixe que seu neto (o seu, não o do seu pai) continue a perfuração, daqui a 15 ou 20 anos, quando começar a “Guerra Pela Água” aí na sua região. Não há pressa, no momento. Agora, se a coisa está complicada por falta d´água (perdi meu gado, morreu de sede meu alazão), aí vamos ter de nos mexer.
      Letra “b”: você vai ter de se mexer, mas a grana está escassa. Nesse caso, Marcela, vamos ter de ser cruéis: só se deve retomar a perfuração se tivermos recursos para fazer OUTROS 70 metros SEM GARANTIA DE ENCONTRAR ÁGUA!
      Muito bem, digamos que vocês precisam desesperadamente da água e que poderiam fazer uma nova aposta na perfuração. Aí, algumas providências devem ser adotadas, a saber:
      a) descobrir poços artesianos na redondeza e conversar com os donos. Uma dica é você procurar o órgão que cuida dos recursos hídricos do seu estado ou do seu município (não é a companhia de águas – essa é cliente igual a você). Normalmente é um secretaria ou uma agência reguladora. Até pela internet, no site desse órgãos, você pode descobrir quem tem direito de outorga de águas subterrâneas. As companhias de água, às vezes, também têm poços artesianos. Procure junto a elas qual a profundidade, etc. Assim você poderá descobrir qual a profundidade média dos poços de sua região. Se for de 75 metros, você precisará furar mais 5 metros. Se for de 300 metros, bem…
      Além de descobrir a profundidade média dos poços dos seus vizinhos, procure descobrir também a qualidade e a quantidade da água que eles obtêm. Não se esqueça de verificar se vocês estão mais ou menos na mesma altitude: de nada adianta você se basear num vizinho que mora num vale, na beira do rio, enquanto você está no pico do morro).
      Normalmente, Marcela, os poços de uma mesma região, com o mesmo relevo (planície ou planalto), num raio de 200 a 250 km, tem mais ou menos as mesmas características.
      Depois de tudo isso, consulte as empresas de perfuração de poços de sua região. Explique sua situação e sua localização. Consulte e peça orçamentos ao maior número delas (a internet está cheia dessas empresas). Elas conhecem a área e cada uma dará um chute: uma acha que se cavar mais 10 metros, haverá água límpida e abundante, outras preverão mais 15, outras mais 20. (Nenhuma delas vai dizer que a água vai ser suja ou de gosto ruim). Fique com o cálculo da mais pessimista, sem se esquecer do MEU cálculo (mais 70).
      Aí, Marcela, é fazer conta. Se o metro custar R$ 100,00 reais e você só tiver R$ 1.000,00, mande furar 10 metros, tome fôlego de novo e faça mais 10 metros no ano que vem.
      De uma uma coisa não se esqueça: mande, mesmo se você for deixar o problema para o Netão lá na frente, mande revestir o trecho inicial do poço até chegar à rocha. Com isso, você poderá recomeçar o trabalho a qualquer momento. Se ficar sem revestimento, você poderá perder tudo o que seu pai investiu nos 70 metros.
      Não se sintam sozinhos. Contem conosco, com nossa vivência e com nossa grande vontade de ajudar.
      Volte sempre que tiver dúvidas ou precisar trocar ideias.
      Um forte abraço.
      Abreu

  59. Boa Tarde amigo, tenho um problema muito parecido com o seu, meu poço tem 130 mts de profundidade, e a bomba fica a -+ 90 mts. Também ja cheguei na etapa do filtro como voceis, resolveu uma parte, faço a retrolavagem semanalmente porque a pressão sobe muito, chega oas 04, o máximo recomendavel, e aí a agua sai imunda, pura ferrugem, que com o tempo de retrolavagem vai clareando até limpar, ao desfazer a retrolavagem o mesmo proble ma voceis, a agua vai suja e vai limpando com a manobra de ecoamento X mandar para a caixa. De todo o processo, até que a agua é aceitável, tem um legeiro cheiro de ferro quando está no copo, e não é uma agua leve ao tomar. Mas o que mais me intriga é o seguinte: tenho em minha casa um sistema de aquecimento á gás, e quando abro o chuveiro, a primeira jorrada de agua, é de um fedor insuportável de ovo choco. O mesmo acontece quando abro a torneira pra usar a manguerira que fica com resto de agua no seu interior extendida no chão ao sol. E aí? ja se deparou com tal problema? se sabe algo a respeito me ajude, pois preciso dar uma solução. A proposito, apos instalar a bomba dosadora do quilante, continua a utilizar o filtro? E a bomba fica antes, ou depois do filtro?
    Se puder me ajudar, muito obrigado, se não puder, muito obrigado da mesma forma;

    • Olá, Volpini, bem-vindo ao blog. Vi que você fez algumas sugestões sobre outro post do blog. No caso específico deste comentário, devo registrar que você está vindo seguindo exatamente nossas pegadas. Possivelmente o resultado deverá ser o mesmo, ou seja, para se obter a água minimamente utilizável é preciso um bocado de trabalho, quase uma missa negra. Do nosso ponto de vista, estamos satisfeitos: apesar da trabalheira, temos uma água apresentável e consumível. Vale lembrar que a bomba dosadora do quelante é um complemento ao trabalho do filtro e ambos trabalham em conjunto. A bomba dosadora deve ficar antes do filtro, porque, uma vez a molécula de ferro estando envolvida no produto e impedida de reagir com o oxigênio, o melhor destino é retê-la no filtro e depois descartar, através da retrolavagem. A alternativa de enviá-la para o reservatório e dali para as torneiras não me parece uma boa ideia.
      No que se refere ao mau-cheiro residual do primeiro jorro ou da água retida na mangueira, sem qualquer pretensão de ser profissional da área – o que não sou -, parece-me que a sua água pode apresentar uma pequena porcentagem de enxofre. Isso a análise mostrará. E digo que a porcentagem é pequena porque o cheiro só é percebido quando uma pequena porção da água fica em repouso (no tubo do chuveiro desligado ou na mangueira com torneira fechada). Possivelmente esse cheiro fétido é decorrente da reação do ferro com o enxofre (o que ocorre geralmente em temperaturas relativamente altas), gerando o chamado sulfeto de ferro, que cheira a podridão.
      Acho – veja bem: ACHO – que, submetida a água à aplicação do quelante e depois retidas as moléculas de ferro pelo filtro, o pouco enxofre que passar não terá como reagir ao ferro (que ficou para trás), nem como produzir o sulfato ferroso e tampouco como gerar o mau cheiro.
      Você, daqui para a frente, terá dois passos a dar: fazer a análise da água em busca do enxofre e, depois, aplicar o quelante. Se eu estiver errado, você vai jogar fora R$ 100,00 do exame, R$ 645,00 da dosadora e R$ 600,00 do quelante (vinte litros, dá para até 3 anos). A decisão é sua.
      Mas acho que sua água vai ficar sem cor e sem cheiro, razão por que acredito que vale a pena tentar.
      Um forte e solidário abraço.
      Abreu

      • Muito grato Abreu, ta tudo anotado, vou tentar esse procedimento o mais rápido possível, assim que obtiver qualquer que seja o resultado, estarei postando para os seguidores tirarem suas conclusões.

        Abraços.

  60. Cavei um poço artesiano em meu terreno com 30 metros de profundidade, aparentemente a água e límpida e não tem cheiro nenhum, assim sendo colhi a amostra e levei ao INEA (Instituto estadual do Ambiente) e a analise da água apresentou Escherichia coli e coliformes totais = 1,0, unidade NMP/100 ml, LQ = 1 e Método SM9223B.
    Moro em um bairro no Rio de Janeiro que nunca tem água da CEDAE. Porém, cabe dizer que o poço funciona com uma bomba injetora de 1CV e um filtro de alta vazão de tela de 130 micra para reduzir a impureza e pude constatar que o mesmo tem uma vazão em torno de 1200 litros por hora a uma pressão de 4kg.
    A finalidade e encher uma caixa de 1000 litros, com consumo diário de aproximadamente 1000 litros.
    Assim sendo, gostaria de saber o que devo fazer para tornar essa água própria para consumo humano (potável).
    Grato
    Em tempo:
    NMP = Nº mais provável
    LQ = Limite de qualificação

  61. Tenho um poço semi-artesiano com aproximadamente 20m, a bomba utilizada é um compressor. Moro na região de Osasco – SP, a agua somente sai limpa e cristalina após sair aproximadamente 20 litros ou 4 minutos ligada. O poço tem 1 ano, conversei varias vezes com a empresa que abriu o poço e eles dizem que a parede do poço ainda não “cicatrizou” e que ainda vai limpar com o tempo. Será que é isso é verdade?

    • Olá, Carlos Alberto. Bem-vindo ao blog. Os poços profundos (100-150 metros) às vezes dão problemas. Mas os poços de menor profundidade SEMPRE dão problemas. É impressionante. E as empresas quase nunca têm uma solução ou, pelo menos, uma explicação convincente. Vamos e venhamos: um ano de funcionamento é tempo mais do que suficiente para cicatrizar QUALQUER coisa, inclusive um poço. Vamos aos detalhes.
      a) depois dos 4 minutos sujos, a água passa a ficar limpa durante todo o tempo em que a bomba ficar funcionando? Por exemplo, se ela ficar ligada por duas horas depois desse 4 minutos, a água permanecerá limpa?
      b) descartada a água suja, se você encher o seu reservatório, a água dentro da caixa permanece límpida nos próximos dias?
      c) qual aproximadamente o diâmetro do poço?
      d) quantos desses 20 metros de profundidade receberam revestimento (tubos de ferro, plástico ou aço-carbono)?
      Se você nos mandar esses dados, Carlos Alberto, ou mesmo parte deles, talvez possamos ajudá-lo nessa luta. Ficamos no aguardo.
      Um abraço e não desanime.
      Abreu

  62. no meu sitio tenho um poço de mais ou menos 2 metros e meio de profundidade tem varias minas ao redor do poço que tem boa vazão consigo encher duas caixas de 1000 lts cada em uma hora só que na epoca da seca como agora a agua fica meio amarelada e com cheiro de lodo , qual seria a solução. um filtro poderia ser a solução ? qual e como usalo ?
    grato.

    • Olá, Adalberto. Bem-vindo ao blog. Esses poços tão rasos assim normalmente acontecem no litoral. Imagino que você more à beira-mar. Pode ser também no vale de um rio, entre montanhas. Com essa profundidade nem sei se poderíamos chamar de poço: trata-se de uma cisterna de captação de água superficial, que deve minar na parede da escavação. Então, vamos pensar juntos.
      Na época das chuvas, a cisterna se enche com água das minas, que recolhem as águas mais superficiais. Na época da seca, essas minas tendem a secar e o poço então passa a ser alimentado com a água depositada abaixo do fundo do poço. Pode ser água do lençol freático e, pela sua descrição, essa água pode estar muito misturada com lama ou mesmo sofrendo com algum tipo de contaminação, o que é muito comum em poços rasos. Nada que um bom filtro não resolva.
      Como se pode tratar de contaminação, nós recomendamos que você faça a análise química e biológica da água, para identificar eventuais coliformes fecais, também muito comuns nesse tipo de poço. Se houver ocorrência de contaminação orgânica (coliformes), a água terá de ser tratada com a colocação regular de produtos bactericidas, normalmente clorados, baratos e sem maiores complicações.
      Se não houver contaminação orgânica, não haverá necessidade de tratamento. Mas em qualquer dos dois casos, com contaminação ou sem contaminação, a água precisará de passar por um filtro.
      Antes de gastar uma grana com a compra de um filtro industrial, faça uma experiência doméstica. Tente esvaziar o poço e coloque no fundo dele uma camada de brita. Sobre a brita, deposite uma camada da mesma espessura de carvão ativado (você compra em loja de filtros. Se não encontrar na sua cidade, use o carvão vegetal comum, de churrasco). Cubra tudo com uma outra camada de areia lavada.
      Essas camadas devem ter aproximadamente 05 (cinco) centímetros cada uma. Observe os resultados na próxima seca, já com os resultados da análise da água na mão.
      O exame da água custa aproximadamente R$ 100 em qualquer laboratório especializado, muito comuns em cidade brasileiras que têm atividade agrícola, por que são eles que fazem também a análise do solo.
      Estamos aqui no aguardo desse resultado.
      Um forte abraço.
      Abreu

  63. Bom dia Edmar tbem tenho o mesmo problema.Moro no Rio de janeiro ,como posso adquirir essa bomba dosadora ou posso usar o pó na caixa direto??(Vi que tbem tem o pó Phoslan para vender).Quanto custa e com que eu entro em cotato para comprar???Me ajude estou desesperada !!!rsrs

    • Olá, Sabina. Bem-vinda ao blog. O fornecedor da bomba a Sidrasul e o meu contato lá é o Neri (neri.junior@sidrasul.com.br). Mas,vamos analisar o seu caso com mais calma, tá? O caso é o seguinte:
      a) o meu poço tem alto teor de ferro;
      b) as moléculas de ferro, ao entrarem em contato com o ar NA SUPERFÍCIE DA CAIXA DÁGUA, reagem quimicamente com o oxigênio, formando o óxido de ferro (ferrugem);
      c) o papel do Phoslan é “encapsular”, ou seja, envolver a molécula de ferro impedindo-a de entrar em contato com o oxigênio e formar a ferrugem;
      d) essas moléculas de ferro encapsuladas pelo Phoslan são retidas pelo filtro e depois descartadas na retrolavagem, ou seja, o ferro não vai para a caixa dágua.
      Então, se você colocar o produto na caixa, já será tarde, pois a água da superfície da caixa já entrou em contato com o ar e já reagiu com o oxigênio. Então, colocar na caixa não resolve. Se você comprar a bomba dosadora, ela será montada na boca do poço e o produto se misturará com a água no percurso entre a bomba dosadora e a caixa, impedindo a oxidação quando a água chegar ao reservatório. MAS A ÁGUA DA CAIXA continuará contendo o mesmo alto teor de ferro que apresenta em sua origem, no fundo do poço, e pode se tornar imprópria para o consumo.
      Então, Sabina, nossas recomendações para você, são:
      a) efetue a análise química da água e confirme se se trata efetivamente de alto teor de ferro;
      b) se não for isso, então basta comprar o filtro e provavelmente o problema estará resolvido;
      c) se confirmar o alto teor de ferro, a solução será a bomba em conjunto com o filtro;
      d) a análise química da água fica por volta de R$ 100,00. A bomba dosadora R$ 770,00, aí incluídos os impostos e o frete. o filtro de 2000 litros está por volta de R$ 1.200,00 e a carga do filtro, a ser trocada a cada 6-9 meses, está custando por volta de R$ 400,00. O Phoslan que nós usamos é líquido e a embalagem de 20 litros, que dá para cerca de três anos, deve estar custando aproximadamente R$ 600,00
      Então, se o seu desespero é grande, faça a análise amanhã. O resultado sairá em 48 horas. Não compre nada antes de saber esse resultado, tá bem?
      Quando tiver o resultado em mãos, avise para nós. Teremos o maior prazer em ajudá-la.
      Um grande abraço.
      Abreu

  64. Cavei um poço artesiano em meu terreno com 30 metros de profundidade, aparentemente a água e límpida e não tem cheiro nenhum, assim sendo colhi a amostra e levei ao INEA (Instituto estadual do Ambiente) e a analise da água apresentou Escherichia coli e coliformes totais = 1,0.
    Assim sendo, gostaria de saber o que devo fazer para eliminar essa contaminação.

    • Olá, Jorge. Bem-vindo ao blog. Você me dá um tempinho enquanto eu procuro a ajuda dos universitários? Vou ouvir meu filho, que é graduado em Farmácia e Bioquímica. Ele vai nos dar uma luz, com certeza. Como estou viajando de carro (Salvador), chegarei a Brasília na sexta, 06.09.
      Um abraço.
      Abreu

      • Bom dia, espero que tenha corrido tudo bem na viagem, Se for possível ajudar o velinho aqui, eu ficarei muito agradecido, a você e a seu filho. Abraços

        • Olá, Jorge. Bem-vindo e desculpe a demora: eu estava viajando para um lado e meu filho para o outro. A leitura que fizemos a respeito do seu caso é de que o seu poço não está recebendo água profunda, como fazem os poços artesianos. Ao contrário, ele está se abastecendo de água superficial. E esta água, lamentavelmente, está atravessando uma fonte de contaminação, possivelmente fossas sépticas, de onde vêm os coliformes fecais (E. Coli). A solução definitiva é aprofundar o poço e buscar águas profundas, revestindo a parte que ainda ficará em contado com a terra molhada e contaminada. Mas sabemos que essa solução é cara e incerta: ninguém conseguirá dizer para você “Jorge, vamos perfurar mais 20 metros e teremos água boa”. Pode ser em 20, como pode ser em 100, 150. É uma loteria.
          A filtragem será sempre necessária, por que a água tem partículas de matéria orgânica que precisam ser retiradas. Mas o filtro não vai retirar os coliformes nem os ovos deles, que fatalmente irão contaminar a água da caixa.
          As soluções são duas:
          a) aplicar um ozonizador poderoso na saída do filtro, para matar os seres vivos antes de chegarem à caixa. O problema é que um ozonizador para 1000 litros diários é caríssimo;
          b) aplicar cloro (hipoclorito de sódio – água sanitária) na água da caixa. A dificuldade aí é a dosagem, que tem de ser exata. Para tanto, sugiro que você consulte um dos químicos do laboratório que fizeram a análise. Eles com certeza terão a medida certa para, com um mínimo de produto, obter-se o melhor dos resultados.
          Volte para nos contar como foi, OK?
          Um grande abraço.
          Abreu

  65. Olá amigo, acabamos de contratar a perfuração de um poço em Juquitiba SP, a previsão de 70m se transformou em 172m, a agua tem uma coloração amarelo-transparente e odor de lama, ainda não foi instalação da bomba fiz a verificação e a agua esta a 24m da boca do poço. Será que é normal? obrigado por compartilhar a experiencia um forte abraço extensivo à familia.

    • Olá, Francisco. Bem-vindo ao blog. Poços dessa profundidade com esse nível estático (24 metros) são normais. Quanto à cor amarelada e o odor de lama, deverão desaparecer depois de 30/60 dias de funcionamento da bomba. Se não desaparecerem após esse prazo, pode ser oxidação. O melhor mesmo é você fazer a análise da água logo, porque a se a solução for tratamento e filtragem, você poderá antecipar-se e tomar essas providências antes que a água suja e oxidada percorra a tubulação de sua casa (depois que essas substâncias grudam na parede interna dos tubos é uma África para sair).
      Um forte abraço e volte com notícias.
      Abreu

  66. Caro Edimar saudações

    Eu e mais 8 amigos, estamos no sul do estado do RJ consorciamos a escavação de um poço 6″ ,finalmente chegou a agua na ultima semana, fomos a 152 metros de profundidade (18 revestidos em tubo galvanizado, 134 em rocha) a agua esta chegando até a cota de 90 mt de altura da coluna, onde foi identificada uma fissura que atua como ladrão, nossa bomba (Dancor 2 cv mod- 2.1SSR 21) esta instalada a 120 mts de profundidade (62 mt abaixo da fissura e 32 mt do fundo do poço), apresentou uma vazão constante de 1,800lt/h, dentro de nossa necessidades e dos limites e curva da bomba a esta profundidade , visto o poço ser na parte alta de nossa propriedade a caixa esta no mesmo nível da saída do poço e dai abastecendo todos por gravidade. Felicidade total, testamos vazão durante 12 hrs direto sem percalços(há eletrodos de nível, não desligou) AGUA CRISTALINA, SEM NENHUMA COLORAÇÃO, (deixamos decantar e OK) SEM SABOR, MAS…apresenta um odor de enxofre(ovo) iremos fazer analise , mas visto sua expertise qual seria seu veredito e o que já nos aconselharia de antemão?

    Desde já agradecemos seu parecer

    Forte abraço
    Candido Neto e sócios…

    • Olá, Cândido e sócios. Bem-vindos a este Vale de Lágrimas. Eu estava no meio da resposta, quando o texto desapareceu na minha frente, sem que eu tivesse acionado qualquer tecla! Vamos recomeçar. A nosso ver, há três hipóteses para o poço de vocês: a) contaminação biológica (bactérias decompondo matéria orgânica); b) enxofre reagindo com o hidrogênio da água e produzindo sulfeto de hidrogênio: c) enxofre reagindo com hidrogênio e produzindo Ácido Sulfídrico. Em qualquer das hipóteses, vocês tem duas saídas: 1) praticarem o harakiri coletivo: 2) tentar resolver o problema. Vamos ficar com hipótese 2.
      A hipótese “a” é extremamente remota, porque vocês acessaram águas profundas e a parte que contém a água superficial, passível de contaminação por fossas ou manguezais, está revestida com tubo de ferro galvanizado. Pode ocorrer? Pode. Vocês dizem que o poço tem 152 metros, sendo 18 revestidos e 134 em rocha. Isso significa que o revestimento termina onde começa a rocha, quando, na verdade, ele (revestimento) deveria entrar um pouco mais pela rocha adentro. Então vocês podem ter um pequeno hiato de centímetros ou milímetros entre o fim do revestimento e o início da rocha). Se a água que encharca esses primeiros 18 metros de solo estiver contaminada, ela pode estar se infiltrando por esse hiato e injetando os gases malcheirosos na coluna d’água do poço. Eu buscaria aprofundar o revestimento por mais dois ou três metros.
      Por outro lado, vocês têm uma fissura a 62 metros de profundidade. Se a água sai por essa fissura, mas se lá fora existem bolsões de gás metano ou qualquer outro fluido orgânico decorrente de decomposição, a saída da água pode forçar a entrada do gás malcheiroso. Como esses gases são inflamáveis, uma chaminezinha, como nos poços de petróleo, no topo do poço poderia queimá-los. Esse dispositivo (chaminé) teria de ser fechado quando a bomba funcionasse, senão a água sairia por ele. Também pode ocorrer a explosão do poço, junto com Cândido Neto & sócios.
      Na hipótese “b”, o sulfeto de hidrogênio é muito volátil. Assim, deixando a água exposta ao ar, em pouco tempo o cheiro desaparece. Resta pensar em como fazer isso (precisaríamos da maior superfície possível para exposição da água).
      Já na hipótese “c”, trata-se da produção de ácido sulfídrico, substância tóxica e perigosa em grandes concentrações. Poderia ser neutralizado com aplicação de algum produto alcalino, por exemplo, carbonato de cálcio (cal virgem, calcário). Mas em que lugar? Em que quantidade?
      Meus amigos, nós não somos especialistas. Apenas procuramos ajudar gente como nós, que se desesperam com seus poços, sem ter sequer com quem discutir o assunto. O problema de vocês, pelo investimento já feito (eu sei quanto custa um poço de 152 metros – o meu tem 150), é o caso mais complicado que já passou por aqui. E vai precisar ajuda profissional para sua resolução.
      O primeiro passo é a análise, não só química, mas também biológica. Deve aparecer enxofre na análise química. Se não aparecer, então certamente aparecerão coliformes fecais ou coliformes totais na biológica. Cada um desses resultados conduzirá a uma estratégia diferente de ataque. Enquanto aguardam a análise, conversem com os bioquímicos da Cedae (aí a companhia de águas é a Cedae, não é?). Esses caras das companhias de saneamento sabem tudo o que acontece a 152 metros da superfície. E não se esqueçam: eles vivem profissionalmente do tratamento de água. Sabem que produtos usar e em que volume. Essa sugestão só vale se o poço de vocês for regularizado. Se não for, melhor não ir por esse caminho.
      De posse dos resultados, voltem cá. Teremos o maior prazer de trocar ideias com vocês. Por enquanto, não entrem em pânico: na hora de entrar em pânico, eu aviso vocês.
      Brincadeiras à parte, não desanimem. Mas precisamos saber contra o que estamos lutando: conhecer o problema é metade da solução.
      Um grande e solidário abraço.
      Abreu

  67. Caro Edimar

    Primeiro obrigado pelo pronto retorno

    Agora susto, já bebemos(pouca) mas tomamos boas duchas com a agua comemorando (alegria , estamos a 20 anos nesta lida) isto ontem até agora estamos vivos….
    Acrescentando (contatei imediatamente nosso perfurador e a manga do revestimento segue pelo menos em torno de 2 mts de ajuste dentro da rocha, o topo é vedado com massa concreto até a junção.(obs- a perfuração foi pro percussão, 60 dias, acompanhando todo resíduo retirado)
    Diria mais, estamos em uma região serrana, no alto e acima da cidade a boca do poço esta a 45 mts do nível do solo da região(consequentemente ainda com 25 mts de rocha acima desta cota , é o ponto mais alto do local(740mts do Nivel do Mar)
    A agua a principio quando em repouso no reservatório , são dois de 5.000 lts vai perdendo o odor os poucos (primeiro na interligada , depois a de entrada do ponto) o odor maior é na agua saindo do poço.
    Estamos já servindo os reservatórios individuais de cada sócio para uso geral( não para beber ou cozinhar) mas já escovamos dente , tomamos banho , etc., já chega apenas com levissimo odor
    Iremos agora a analise e voltarei com o resultado.
    Pergunto pode ser uma condição passageira?

    Quanto a Cedae , descartemos pelo motivo exposto…..

    Forte abraço e novamente obrigado

    Candido Neto e socios

    • Saudações Abreu

      Estou de volta, nosso poço 152 mts ( 20 encamisado metal e 132 rocha)continua seu trabalho bomba (Dancor 2 cv mod- 2.1SSR 21) instalada a 120 mts de profundidade (62 mt abaixo da fissura e 32 mt do fundo do poço), apresentando vazão constante de 1,800lt/h, agua ainda com leve odor sulfuroso( acabando após decantar na caixa principal e na de cada sócio)
      Segue resultado(posso envia-lo completo via e-mail)
      RESULTADOS REFERENTES À AMOSTRA
      Parâmetros Unidade Resultados
      Portaria 2914/2011
      (V.M.P.)
      Odor intensidade Não Objetável 6(*)
      Sabor intensidade Não Objetável 6(*)
      Cor Aparente uH 9 15 (**)
      Cloro Residual Livre mg/L Não Detectável 0,2 – 5
      pH – 7,73 6,0 – 9,5 (***)
      Turbidez NTU 0,33 5(****)
      Condutividade Elétrica μmho 105,3 -
      Alcalinidade ao 
      mg/L 76,09 -
      Alcalinidade ao 
       mg/L 0,00 -
      Alcalinidade ao  mg/L 0,00 -
      Dureza Total mg/L 94,25 500
      Dureza em Cálcio mg/L 48,55 -
      Dureza em Magnésio mg/L 10,97 -
      Cloreto mg/L 2,97 250
      Ferro mg/L 0,13 0,3
      Coliformes Totais NMP/100mL Ausente Ausente
      Escherichia Coli NMP/100mL Ausente Ausente
      O que diria?

      Grande abraço e no aguardo de seu parecer.
      Candido Neto e socios

  68. Olá Boa tarde,

    Gostaria de uma opinião sua.. Comprei uma casa em Aparecida de Goiânia, o poço artesiano deste que usamos a primeira vez contia uma água de cor meio amarelada, chamamos um profissional que nos informou que o poço estava suja e necessitava de um limpeza pois bem como não poderemos morar em uma casa com água amarela resolvemos paga 800,00 pro um limpeza e uma bomba automática..mais em vez de melhorar o trem fez foi piorar a água que antes sai amarelada começou a sair só o barro e em um mês a bomba automática estragou, e logico né ligamos varias vez pra empresa que prestou o serviço e nada deles resolve o meu caso..pegamos algumas informações na internet a respeito e muita gente nos informou pra deixa a bomba liga jogando a água fora pra ver se a água limpava assim fizemos até chegar no ponto e que já não sai mais água do poço o que pode ser? Me ajudem!

    • Olá, Gabriela. Bem-vinda ao blog. Antes de tudo, duas providências: a) fique calma; b) desligue a bomba (se faltar água, ela vai queimar).
      Achamos que seu problema não é muito diferente do de muita gente que frequenta o blog. Não deve, ser, inclusive, muito diferente do nosso aqui, uma vez que estamos no Planalto Central, a cerca de 220 km um do outro.
      Numa primeira análise, achamos que o seu poço não deve ser muito profundo ou então a bomba deve ter sido instalada muito perto da superfície. Isso, em princípio, explicaria porque a bomba, ao funcionar continuamente, retirou do poço mais água do que ele é capaz de produzir. E vamos trabalhar com algumas hipóteses:
      a) a sua água tem um teor de excessivo de ferro;
      b) a sua bomba está mal dimensionada para a vazão do poço;
      c) a sua bomba está colocada na profundidade errada;
      Para ajudar você, Gabriela, precisamos de algumas providências suas e algumas informações para nós:
      a) mande fazer a análise química e biológica da água, para verificar se ela efetivamente tem ferro demais e se está ou não contaminada. Isso vai custar algo em torno de R$ 100,00;
      b) água boa tem de ser sem cor (cristalina), sem cheiro e sem sabor. Diga para nós se, além da cor amarela, sua água tem cheiro ou gosto estranho;
      c) informe qual a potência, a marca e o modelo de sua bomba;
      d) precisamos saber também a quantos metros da superfície a bomba encontra-se instalada;
      e) qual a profundidade do poço?
      f) qual a vazão dele?
      Tudo isso parece complicado, mas não é, não. Tanto a empresa que perfurou o poço, quanto o profissional que o “limpou” têm essas informações. Se não quiserem dar a você, acharemos uma forma de você mesma descobrir.
      Outra coisa: qual a quantidade de água que vocês normalmente consomem desse poço (banho, descargas, lavagem de roupas e pratos, rega de plantas)? Também se você não souber, vamos ajudar você a calcular.
      Então, estamos combinados? Nada de desespero! Aposto que há um monte de gente atrás do toco, aqui no blog, pensando no seu problema e tentando ajudá-la.
      Um poço artesiano é um investimento que valoriza enormemente um imóvel. Quando você comprou a casa, estavam incluídos no preço sala, não sei quantos quartos, dependência de empregada, área, cozinha, varanda, etc., e UM POÇO ARTESIANO. O poço faz parte do seu investimento. Você pagou por ele. Ele é uma parte importante do preço da casa. Então, ele vai ter de funcionar, para dar a você o retorno que você esperava quando comprou o imóvel.
      Esse poço artesiano vai ter de “artesianar”.
      E nós, os calejados sofredores deste post “Poço Artesiano de Água Suja” vamos ajudar você a resolver isso. A nossa remuneração vai ser um vidrinho da água do seu poço, que você nos enviará por Sedex, quando ela estiver sem cor, sem cheiro e sem sabor.
      Um forte abraço.
      Abreu

  69. Boa noite, Abreu. Moro no interior de Minas em Oliveira, e há 03 semanas furei um poço semi artesiano, que deu 24 metros de profundidade, e uma vazão de 1000/h. Como as pessoas que furaram o poço não tinham o compressor para fazer a limpeza, ele foi limpo esgotando a agua mesmo. Só que depois de 03 semanas, apesar da agua estar limpa, vc coloca ela em um copo de vidro e no fundo do copo fica armazenada uma areia muito fina. Será que vc poderia me esclarecer porque e se essa areia vai parar de sair na água?
    Desde já agradeço pela atenção;

    Abraços.

    • Olá, Adilson. Bem-vindo ao blog. Sim, acho que a falta do compressor vai te obrigar a, durante algum tempo, conviver com essa areia no fundo do copo, a não ser que você instale um filtro. Durante esse período, verifique se a água não mancha roupas, nem deixa marcas marrons nos vasos sanitários. Se nada disso acontecer, fique tranquilo: é só uma questão de tempo e paciência e tudo vai dar certo. Mas se essa areia fina manchar as roupas ou deixar rastro nos vasos sanitários, melhor voltarmos a conversar, OK?
      Você mora em Oliveira(MG). Será que pode me prestar um grande favor? Eu me perdi de um amigo, que teve uma importância enorme na minha vida intelectual e profissional. Nós perdemos contato em 1974, ou seja, há 39 anos. Tenho-o procurado desde então. Informações recentes dizem que ele poderia estar morando em Oliveira(MG). O nome dele Nelson Ferreira Leite, mais conhecido como Nelsão. Tem uma filha chamada Isabel. Ele me conhece como Edimar Abreu, do Banco do Brasil.
      Se você souber de alguma coisa, nem imagina como eu lhe seria grato.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Bom dia, Abreu. Sim conheço o “Ti Nelson”, como ele é chamado aqui em Oliveira. Ele é de uma familia muito tradicional aqui, a familia dos Leites. Apesar da idade avançada, ele ainda escreve para uma coluna de um jornal da cidade chamado Gazeta de Minas, que vc pode visualizar na internet e também a filha dele a Isabel também mora na cidade. Sou amigo da familia, vou entrar em contato com eles para mais informações dele e depois te dou mais noticias.
        Quanto ao poço, vou aguardar mais uns dias, para ver se essa areia desaparece, e te dou notíciaa também.
        Foi prazer conversar com vc. Obrigado.

  70. Olá meus amigos, após uma longo e tenebroso inverno, estamos de volta. Digo estamos porque sempre fui eu que postei os comentários, mas minha esposa esta de meu lado dando os palpites, como sempre. Bom em se tratando do poço artesiano, ao que me parece os problemas é os mesmos, consegui uma empresa pra fazer a coleta da água e a tão esperada análise, olha só o resultado:
    Parâmetros Unidade LQ Resultado
    Ferro Total mg/l 0,050 2.037
    Magnésio mg/l 0,500 31.928
    Cálcio mg/l 0,200 92.915
    Manganês mg/l 0,010 0,768

    Após reunir algumas informações e pesquisas resolvemos optar pelo Phoslan para tentar deixar nossa água pelo menos utilizável. Compramos a bomba dosadora e um galão de 5 l do tal produto. Na segunda Feira ultima dia 23/09 fomos retirar a encomenda na empresa fornecedora, morremos com 800 mais 85 da análise da água já pagos anteriormente, mas tudo bem estamos ansiosos para ver o resultado, instalei tudo na segunda 23/09 mesmo. Meu poço enche um recipiente de 20 litros em 15 segundos, onde se concluiu que a vazão é de 80 litros por minuto ou 4800 litros por hora.
    Tudo instalado e funcionando, não sabemos como dosar o produto e não conseguimos informação te agora. A bomba dosadora com vazão total injeta 1,500 ml/h , regulei a inserção para 10% desse valor, 0,15 ml/h para 4800 litros de água.
    Na dúvida da dosagem do Phoslan não realizei a limpeza do depósito, fui inserindo água aditivada do produto a água que já tava depositada, meu deposito tem a capacidade de 5000 litros.
    Mas tem a parte boa, hoje dia 28/09 há exatamente 05 dias após o início do processo, já se percebe uma diferença da água, pra melhor é claro, mas necessito de ter mais informações quanto à dosagem e saber o que estou fazendo está correto. Se minha água vai ser potável, enfim várias duvidas esta atrelada a essa dosagem. Mas percebo que estou quase lá.

  71. Boa noite amigo Abreu, na seguencia de meu post quero relatar que em minha pesquisa descobri a informação que na insesão do Phoslan pode ser considerada de 1 a 4 pulsos por minuto, será que posso considerar a informação? E a vasão do poço? não deve ser considerada? Por favor Abreu ou quem possa me ajudar, preciso resolver isso.

    • Olá, Volpini. Bem-vindo de volta, depois de um longo e tenebroso inverno…Acho que você está “a dois passos do paraíso”, isto é, já está muito próximo da solução. De fato, como apontou a análise, você está carregadíssimo de ferro. E olhe que o laboratório registrou como o nível adequado 0,5 mg/l. E a informação que nós temos é que a Portaria do Ministério da Saúde 584, de 2004, estabelece o máximo de 0,3. Mas você vai chegar lá – nos 0,3 mg/l com certeza.
      Para acertar a dosagem, é preciso um pouco de dedicação e paciência. Não sei qual a sua bomba, imagino que seja a DLX A/B. Com essa vazão do seu poço, cerca de 5000 litros por hora, a melhor relação custo/benefício do produto seria algo em torno 2 pulsos por minuto, o que daria aproximadamente 16 ml do produto por hora (e para cada 5000 litros). Com esse ritmo, o produto durará uma eternidade (até além do prazo de validade).
      O problema, Volpini, é que não dá para você ligar a bomba com a mangueira num copo cheio do produto e ficar regulando, no potenciômetro de controle, o ritmo dos pulsos. Por quê? Porque nessas condições você obterá os seus 2 pulsos com saída livre do produto e na vida real, quando a bomba tiver de injetar o produto no tubo que sai do poço, a bomba dosadora vai enfrentar uma pressão tremenda da água querendo entrar no contrafluxo do produto, ou seja, tentando empurrar o produto de volta onde ele veio.
      Assim, a maneira correta de fazer a definição da dosagem é com a bomba e o depósito do produto instalados e funcionando. Nessas condições, você vai precisar de um recipiente pequeno mas milimetrado, ou melhor, mililitrado, como uma grande seringa de injeção ou uma pipeta, graduada em mililitros, que conterá uma pequena porção do produto, digamos 10 militros. O tubo de sucção ficará dentro do produto.
      O resto, você, inteligente como é, já deduziu: você vai regular o potenciômetro, reduzindo ou aumentando o número de pulsos, até que você consiga dispensar na tubulação algo em torno de 15 ou 16 militros por hora.
      Quando isso acontecer, eu esvaziaria totalmente o reservatório, daria uma boa lavada nele para tirar todo o depósito de ferro que as águas anteriores deixaram lá e começaria uma nova vida.
      Por outro lado, não adianta jogar o produto no reservatório com a água previamente armazenada lá. Por quê? Porque o produto é um quelante, ou seja, ele envolve a molécula de ferro, impedindo-a de entrar em contato e reagir quimicamente com o oxigênio do ar, formando o óxido de ferro (ferrugem). Ora, a água que está na caixa já entrou em contato com o oxigênio, já amarelou, já oxidou. E o produto não tem o poder de desfazer essa oxidação.
      Por isso temos recomendado a filtração: ao sair da boca do poço e passar pela bomba dosadora, a água estará levando consigo as moléculas de ferro queladas, ou seja, encapsuladas- que serão retidas pelo filtro e descartadas na retrolavagem, indo para a caixa água praticamente sem ferro. Ao contrário, se a água da caixa, mesmo sem oxidação, contiver as moléculas de ferro queladas, quem consumir a água estará consumindo grande quantidade de ferro – embora não oxidado -, o que é bom para anemia, mas não nesse volume.
      Então, mãos à obra. Como dissemos anteriormente, você está a dois passos do paraíso da água limpa. Se tudo der certo, não se esqueça de nós: retorne para contar como foi.
      Um grande abraço.
      Abreu

  72. É realmente voce é uma luz no caminho, só me faltou dizer ” Yes, porque não pensei nisso” , mas não pensei… Estou escrevendo isso agora quase 9 da noite, mas com uma tremenda vontade de ir agora lá no poço agora e fazer esse procedimento, tanta a anciedade de uma solução. Mas tudo bem, faço isso amanhã, assim que der certo, talvez as 5 da manhã. Comprei a bomba magnética http://www.cloromatic.com.br/ , fabricada em uma cidade visinha, muito recomendada. Conforme relato anterior a agua ja mudou, e muito, vou regular nos 16 ml e depois te conto. Abraços e até lá.

  73. Boa Noite!
    Estou com um problema, já faz 1 ano com o poço artesiano de 180 mts.
    Quando perfuramos até 15 metros encontramos piçarra preta, daí por diante só granito cinza, vermelho e preto, o que nos assustou pois a cidade de jaguariúna está localizada em cima da pedra Basalto, pois aí tudo bem, estavamos felizes. Calculamos agua aos 100 mts. nada, 120 mts., nada, 140 mts., nada, derrepente aos 178 mts + ou – afundou derrepente a perfuratriz em um vacuo aí surgiu agua abundantemente até mais do que precisavamos .
    Aí começou os problemas, para começar monofasico, 5 cavalos, bomba Leão totalmente em inox + ou – 8.000 lts. por hora. Foi feita a limpeza e tudo funcionando como planejado, só que, todos os dias que ligava que ligavamos a bomba saía um especie de rocha bem fina que não parecia a piçarra que foi encamisada mais sim, a rocha do granito, você poderia desligar a bomba 5 minutos que ao torna-lá à ligar saía novamente a sujeira. E foi assim por 6 meses sujando a caixa de 40.000 lts. A bomba foi colocada a + ou – 170 mts. Pagamos novamente a outra empresa para ver o poderia ser feito, sugerirão tirar todos os equipamentos e fazer uma limpeza e levantar a bomba para 90 mts, com um compresor de 600 cavalos e 24 hrs. funcionando, jogava +ou- 25.000 lts por hora no ejetor, depois de feito, foi colocado todos os equipamentos novamente e a sujeira continua do mesmo jeito, só que está bomba que seria para 8.000 lts abaixou, abaixou e abaixou sua produção, hoje ela está a menos que1.500 por hora, concluimos que os rotores devem estar todos desgastados.estamos pessando, colocar um bomba ejetora ( lembrando que o nível dinâmico deste poço fica nos 15 metros imprecionante né!!) só que todos estão dizendo que vai ser uma “fumada” o que vc acha de montar uma bomba de alta pressão jacto enpurrando a aguá para o ejetor e uma centrifuga chupando e recaucando para a caixa d’agua com uma caixa de 1.000 lts para a bomba de alta pressão, aí qnd ligarmos nunca estará vazia, pois se colocarmos um compresor estará sujeito á estourar um retentor e ir oléo junto com o ar aí estamos ferrado.
    QUAL BOMBA VC ESTÁ USANDO E O QUE VC ACHA DESTA IDÉIA???
    GOSTARIA MUITO QUE VC ME RESPONDESSE

    • Olá, Júnior. Bem-vindo ao blog e a esta comunidade de penitentes. Como diria o Félix da novela das oito, “nós, os donos dos poços de água suja”, devemos ter salgado a Santa Ceia para sermos punidos com esse castigo”. Este post no nosso blog foi criado na santa ingenuidade de que só nós tínhamos esse problema. Aberta a caixa de Pandora, não param de jorrar casos com problemas os mais diversos, que, como as nuvens, a cada ocorrência, assumem formas diferentes.
      O seu caso, como cada um dos que aparecem por aqui, é único. É o primeiro poço de 180 metros que deu as caras no blog. Mas a angústia é a mesma. Então, vamos lá.
      Antes de qualquer coisa, Júnior, você precisa definir quanto água você quer ou melhor, precisa. Nosso poço, por exemplo, tem uma vazão máxima de 21.000 litros por hora. Nossa bomba tem uma vazão máxima de 7.000 litros por hora. Mas nós trabalhamos com uma vazão da bomba de 2.000 litros por hora – e só funciona 3 horas por dia, porque só precisamos de 6.000 litros por dia. Então, o sistema trabalha com uma enorme folga e trabalha tranquilo. Assim, nós precisamos que você nos diga: de quantos mil litros de água você precisa por dia? Isso definirá o tamanho da bomba, a vazão do poço, a vazão da bomba e tudo o mais.
      Outro aspecto é o seguinte: quando você diz que, aos 178 metros, “de repente” a perfuratriz afundou num vácuo e a água jorrou abundantemente – MAS SUJA. Isso PODE ser o que achamos que aconteceu por aqui: você atravessou uma caverna, onde o granito triturado por milhões de anos de erosão estava depositado. A cada acionamento da bomba, a água revolvida dentro da caverna, levanta o pó e a bomba se encarrega de levá-lo à superfície e sujar sua água.
      Vamos pensar juntos, certo? O importante é que você TEM ÁGUA! E isso é para poucos. Agora vamos buscar produzi-la e utilizá-la da maneira mais inteligente e econômica possível.
      Estamos de acordo? Então, não meta a mão no bolso e não gaste nada de dinheiro, enquanto não montarmos a estratégia correta. Não compre bombas, nada de compressor, nada de investir antes de conhecermos o problema, porque conhecer o problema é metade da solução.
      Estamos esperando: quanto de água você precisa por dia?
      Um forte abraço.
      Abreu

  74. Boa noite! Gostei muito que você respondeu.
    Já faz uns 2 dias q está ligada 24 h ai hoje eu peguei uma trena e coloquei no cano 3/4 para ver o nível dinâmico e retirei estava nos 15 metros,beleza água tem!
    Preciso no massemo de 8000 litros por hora pois cada quadra de laranja consome +ou – de 5000 á 8000 dependendo qual estou irrigando lembrando q só ligo na hora q os 40.0000 do reservatório esta cheio .Por exemplo:
    Uma quadra com 850 pés, com 17 ruas contendo 50 pés por rua , com uma distancia de 3 metros um do outro contando a sobra da ponta vai dar uns 152 metros por linha de mangueira.
    152 X 17=2.584 metros linear [um buraquinho do outro é 0.50 cm que dá 5.168 furos com uma vazão de 1.6 litros hora com uma pressão de 3 quilos na linha mas isso é na teoria dos engenheiros na verdade sai por furo 1.4 litros hora que dá
    7.235 litros hora na quadra inteira] Da 8.51 litros por pé hora deixando 12 horas
    da 102 litros por pé o suficiente no total desse procedimento gastou se 86.700 litros +ou-
    ISSO É SÓ UM EXEMPLO PARA VOCÊ ENTENDER MELHOR
    me escreva, boa noite

  75. Marcos Paulo – BH
    em 15/09/2013 às 7:00 disse:
    Caro Abreu, estou de volta aqui depois de 2 anos, meu poço ainda esta funcionando, mas fico preocupado por estar passando um pouco de areia, muito pouco mas passa. Preocupo em poder estar criando uma erosão no fundo do meu poço e futuramente eu ter um problema pois esta proximo de minha casa. Lembro que tem 9 metros, cortei com trado de 250 e coloquei um tubo de 200, no espaço preenchi com brita zero.
    Gostaria muito de receber seu comentario, se possivel seu e-mail para te mandar algumas fotos para entender melhor.
    Att.
    Marcos

        • Caro Marco. Vi as fotos e, em seu lugar, eu não me preocuparia. Claro que sua agonia é porque o poço fica ao lado da casa. Mas, se a gente não filtra a água, praticamente todos os poços acabam trazendo um pouco de areia: não podemos esquecer que o fundo o poço é de areia e a bomba, ao funcionar, revolve essa areia.
          De qualquer modo, você tem três formas de monitorar isso, de modo a dormir tranquilo:
          a) marcar e observar permanentemente o nível da brita (se se abrir uma erosão no fundo poço, a primeira que descerá para preencher o buraco será a brita;
          b) emende dois tubos de pvc e sonde o fundo do seu poço, medindo a distância entre ele e o fim do pvc, bem como calculando a profundidade e buscando sentir a firmeza do solo.
          c) se a preocupação continuar lhe tirando o sono, contate o pessoal de mergulho, caça ou fotografia submarina. Em dois tempos, eles descerão uma minicâmera e a iluminação ao fundo do seu poço e você saberá se há erosão preocupante (do que eu duvido) e o tamanha dela.
          Dê notícias.
          Um grande abraço.
          Abreu

  76. Caro amigo Abreu, terminei limpeza em meu reservatório de 5.000 litros, (cá entre nós, tava sujo heim? ) mas agora tudo regulado e certinho, minha vasão é de 5.000 litros hora, a bomba dosadora manda 16 ml por hora, tudo passa pelo filtro de areia e vai pro reservatório. A agua esta linda, cristalina, macia, sem cheiro de ferro, e sem gosto, mas acho que o sabonete não espuma normalmente.. Voce acha que devo fazer uma nova análise pra saber se está propria para o consumo?

    • Olá, Volpini. Com certeza: análise da água após essas providências é muito importante. Por exemplo, ela pode dizer porque o sabonete não está espumando normalmente (excesso de cálcio?). Mas aí são outros quinhentos e mal não faz, além deixar as roupas brancas branquinhas, branquinhas.
      Forte abraço.
      Abreu

  77. Ola amigo Abreu, muito grato pelas informacoes cedidas no Site me ajudarao muito com meu problema, mas preciso de uma opiniao na compra do filtro uso com elemento filtrante de cristais de quartzo ou o filtro para remover ferro e manganês com elemento filtrante RESINA DESFERRIZADORA ZF. Como ja dizia o velho ditado quando a esmola é demais o santo desconfia.
    grato pela atencao…

    • Olá, Wilmar. Bem-vindo ao blog. Obrigado por aparecer por aqui. Como você já percebeu, nós, os santos, temos de desconfiar sempre. Não temos a mínima ideia disso aí que está sendo oferecido a você. Como não temos também nenhuma informação sobre o seu problema, ficamos aguardando o seu retorno.
      Conte com a gente.
      Abreu

    • Olá, Júnior. Estou em Florianópolis. Quando voltar “pro meu aconchego”, lá no cerrado de Brasília, procurarei a solução para a questão da bomba.
      Um abração.
      Abreu

  78. Prezado,

    Lí seu texto e confesso que bateu um aperto ao ler sua luta pela “boa água”.

    Teria tantos elogios para fazer,que passaria mais tempo fazendo do que perguntando, risos, mas você está de parabéns em ajudar quem precisa de orientação.

    Bom, sou do Amapá (longe né?). Depois de 4 anos tendo que pedir água pro visinho, quando secava meu poço “amazonas”, conseguí enfim cavar um semi-artesiano.

    Foram 36metros perfurados. Utilizei aqueles tupos de 100mm marom (dizem que é bom) e a bomba de 1,5cv ficou a 24m de profundidade. Percebí que água já apareceu aos 9metros (estamos no período de “seca”).

    O poço já tem cerca de 3 semanas, mas acho que a bomba não ficou mais que 24h ligada (o total de tempo ligada). Antes disso deixaram algumas horas com uma outra bomba para tirar a sujeira grossa.

    Bom, percebí que a água barrenta já acabou, mas agora ainda suga uma boa quantidade de areia bemmmm fininha. Encho a caxa de água e ela fica meio turva de areia. O filtro foi feito meio que manual, ví que fizeram pequenos cortes no tubo e no fundo colocaram seixo.

    Pelo conhecimento dos senhores, quanto tempo é necessário de uso para acabar com a areia do poço?

    Um grande abraço!!!!

    • Olá, Cleber. Bem-vindo ao blog. Já morei aí por essas bandas (fui administrador do Banco do Brasil em Parintins-AM) há quarenta anos. E me lembro que a gente lê o perfil do solo amazônico nas barrancas dos rios: uma profunda camada de terra negra, rica, puro húmus. E depois é a areia, muita areia. Quando a gente vê os grandes agricultores arando e gradeando, anos a fio, aquela camada negra e rica, que vai sendo levada embora pela chuva, dá um frio na espinha só de pensar sobre quando os arados, enfim, alcançarem a areia.
      Independentemente de preocupações ambientais, isso significa apenas que daqui a alguns anos, sua bisneta vai te procurar com um copinho de água do poço e dizer: -”Vovô, tem um pouquinho de areia na água”.
      É isso. Ou você coloca um filtro decente – que não é necessariamente caro – ou vai ficar com essa areiinha aí na água por um longo tempo. Essa areiinha também não faz tanto mal: difícil mesmo é desconforto do criu-criu nos dentes, enquanto você mastiga o tucunaré que a patroa fez com a água do poço.
      Brincadeiras à parte, assim que dispuser de grana, compre um filtro: água boa e limpa é um presente do céu e você merece!
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Obrigado meu amigo.

        Achei que essa areia super fina um dia iria parar de sair.

        No caso você indicaria o filtro entre a bomba e a caixa ou entre a caixa e a casa (acredito que nessa situação perde-se força da água).

        Um abração amigo e muita paz no seu terreno (sítio), pois você merece! Poderia bem postar umas fotos pra gente conhecer um pouco :)

        • Olá, Cleber. O filtro deve ir entre a bomba e a caixa, sem dúvida. Caso contrário, de fato você perderia a pressão propiciada pela diferença de gravidade entre a caixa e as torneiras.
          Gostei da ideia das fotos. Vou providenciar algumas para colocar aqui no blog.
          Um grande abraço.
          Abreu

  79. Prezado Abreu

    Possuo um pequeno sitio aqui de 5hectares.
    A um ano perfuramos um poço 128 mts.. encontramos agua com uma vazão baixa praticamente 3000 lts dia.. Agua cristalina, porem amarga um pouco no final, não é salobra. infelizmente queimam as folha de algumas plantas. Vejo vc falar do PHOSLAN o que pode me orientar amigo.
    Se tiver um telefone seria interessante tambem conversar-mos.. Grande abraço
    Welf – Jequie -Ba

    • Olá, Welf. Bem-vindo ao blog e desculpe a demora: estava fora de minha base e só ontem à noite voltei a Brasília. Esse seu caso é um dos mais estranhos que já passaram por aqui, Welf. Primeiro, porque a vazão de 3000 litros diários a essa profundidade é muito pouco. Segundo, porque o gosto amargo na água é algo absolutamente desconhecido para nós. Terceiro, porque o fato de a água queimar as folhas de algumas plantas é absolutamente inadmissível.
      Portanto, recomendamos que evite consumir essa água para qualquer finalidade até obter sua análise física, química e biológica. Aí em Jequié deve haver um laboratório que faça isso. O Phoslan, lamentavelmente, não teria qualquer aplicação prática para esse problema, pois se destina à ocorrência de ferro. E você pode estar lidando com alguma coisa mais séria. Não podemos esquecer que nessa região aí, lá para as bandas de Caetité, há ocorrência e exploração de minerais estratégicos (urânio).
      Assim, cuide disso rapidamente. Uma análise dessas não custa caro e você ficará mais tranquilo – e nós por aqui também. Dê notícias.
      Um abraço.
      Abreu

  80. Olá Amigos !
    Nunca vi um site tão bem cuidado e respondido, parabéns !
    Bem, nem todos que aqui buscam alívio para seus Mares de Lágrimas têm poços artesianos. Meu poço é uma das poucas coisas que fiz bem feito na vida ! É raso, tem 11 metros em solo arenoso, até parar na tabatinga. Os tubos são tigre de 200 mm, e cavei com trado de 200 mm com ajuda de minha mulher, coitada. Vocês não imaginam o trabalho que dá puxar 10 metros de trado para remover 15 cm de barro/areia. Bom, terminado o poço, comprei todo prosa uma bomba sapo. Mas a vibração dela causava tanta migração de areia que em 5 minutos de funcionamento 3 metros de tubo (incluive a bomba) eram soterrados com areia migrada. Além disso, algo na água corroía o alumínio da bomba criando bolhas brancas. E também corroía o galvanizado da corrente e do cabo de aço que mantém uma rolha de poço inferior no lugar. Só ferro puro não é atacado. Como o lençol estático está a 6,5 metros e o dinâmico apenas 1 metro mais baixo, mesmo nos testes de 24 horas com 2 bombas simultâneas (um sucesso), passei para bomba auto-aspirante sentada próxima à boca do tubo. A bomba (cujo limite de sucção é de 8 metros) puxa água e bolhas que acho que são uma espécie de vácuo – portanto está no limite. Fui marinheiro e vi hélices de navios comidas por estas bolhas – receio pelo rotor de minha bomba Dancor de 1/2 cavalo. Mas funciona a 1,5 ano muito bem, principalmente depois que introduzi um tubo de 1 metro todo perfurado e revestido com uma camisinha de bidim no fundo do poço, ele entra apertado, e lá embaixo se expande sozinho, contra as ranhuras que cortei no primeiro metro, lá embaixo, mantendo uma barreira contra a entrada de areia, embora eu não esteja mais usando bomba sapo (vibratória). Usei mangueira de compressor dentro de um tubo de 50 mm (como um aspirador de aquário) para limpar o poço no início – é espantoso: tira tudo: barro, parafuso caído, areia, bicho caído no poço, o brinco de minha esposa, etc.
    Usei um macete para atravessar a parte de areia úmida que o trado não consegue remover: o trado tem um tubo, e injetei água com bomba dentro dele, forçando um jorro pela boca do cano, que trazia a terra/areia para cima, sem precisar mais puxar o trado para fora – ele apenas perfurava e revolvia o fundo. As análises bacteriológicas deram coliformes zero ! Mas realmente há acúmulo de ferro no fundo da caixa d´água de 1000 litros que serve para tratamento (Clorin, dupla filtração com filtros Aqualar de 0,5 mícrons (mandei encomendar da 3M), e lâmpada ultra-violeta sobre a qual flui a água antes de ir pro consumo. Quando limpo o poço com água sanitária ou cloro, sai uma imensidão de água ferruginosa – um horror, parei com isso.Tem tudo a ver com o que li durante 3 horas no seu blog. Mas agora é uma história de sucesso !
    Abraços, Jorge – Resende / RJ

    • Olá, Jorge. Bem-vindo ao blog e muito obrigado por suas palavras de estímulo. São muito importantes para nós. Realmente, sua história é “sui generis”, originalíssima aqui por estas bandas. Afinal, trata-se realmente de uma história de sucesso. O relato de sua experiência, com a riqueza de detalhes com que você nos brindou é um registro que, temos certeza, vai ajudar mmmmmuuuuiiittta gente! Você deve ter visto que há bastante gente com problemas com poços de pouca profundidade e a experiência que acumulamos e que colocamos à disposição ainda é muito pequena.
      De modo que suas lutas vêm em muito boa hora para todos nós.
      Muito obrigado de verdade e volte sempre. Será um prazer tê-lo de novo por aqui.
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Caro Abreu,
        Fico feliz em tê-lo deixado mais animado sem ter que responder quase o tempo todo às mesmas perguntas. Nem todos têm a paciência de ler todos os comentários em cujas respostas você já respondeu n vezes as mesmas dúvidas (eu mesmo passei 3 horas até ler tudo).
        Agora vou acrescentar alguns comentários que talvez alguém ache engraçado:
        1- A Empresa de Águas de Resende SANEAR cortou minha água há 12 anos, porque está me cobrando 5 anos em que um ponto de drogas funcionou antes de comprarmos a propriedade e tirarmos os caras via judicial – ué ? porque não cortaram a água logo de cara ? Vai um cidadão de bem atrasar 15 dias seu pagamento para ver se não terá sua água cortada ! Mas a nova compradora, minha mãe, tinha 85 anos, daí é moleza, né ?

        2 – Estudei as exigências da SABESP (a mais exigente do Brasil) para a construção do poço a fim de tê-lo em plenas condições de ser homologado. Concreto higiênico, quadrado de concreto de 1m x 1m e 15 cm de espessura em torno do poço. Tubo de ferro protegendo o tubo de plástico na parte exposta do poço, tampa no poço, e até hidrômetro ! Guardei na geladeira amostras de cada 3 metros perfurados, etc. Porque se eu for solicitado a regularizar o poço, terei apenas 30 dias para fazer isso tudo. E, por falar nisso, Abreu, sabe quando foi que Noé construiu a Arca ? há 5000 anos ? ou 10.000 anos ? Não, foi simplesmente ANTES do Dilúvio !

        3. Usamos a água tratada em nossa caixa da Coca-Cola (1000 litros, translúcida, vem até com registro e tampa roscável para vários fins. Após tratamento com Clorin (um potabilizador de água), dupla filtração através de 0,5 mícron e passagem sobre ultra-violeta, esta água é bombeada para uma torre para o consumo humano.
        Mas a maior parte do uso é para refrescar o verão escaldante de Resende com 2 nebulizadores de horta, localizados a 5 metros do chão, o que cria uma atmosfera muito mais amena na propriedade, o ar mais respirável e a vida menos sofrida no verão – e no inverno fazemos o mesmo para manter a umidade combatendo a secura e a poeira características da época seca.

        E a última novidade: Descobri na Internet e verifiquei com um termômetro amarrado num barbante que a água do poço está sempre a 21 graus C = verão ou inverno. Minha conta de luz para 3 pessoas e 2 ar-condicionados chega fácil em 400 reais. Imagino bombear esta água do poço com uma bomba pequena de fluxo (econômica) até radiadores de carro que instalarei dentro das 2 casas. No inverno temos 10 a 13 graus em Resende, no verão de 35 a 40 na sombra. Com uma irradiação de 21 graus dos radiadores acho que posso usar menos ar-condicionado, ou abrir mão deles. E também prescindir do aquecedor que minha mãe de 95 anos usa no inverno.

        Desafio para o Abreu: Divida o valor cobrado na sua conta de luz (com todos os impostos, iluminação pública etc.) pelos KW/h indicados na conta – dará uns R$ 0,60 centavos por KW/h. Agora pergunte a São Google quanto custa o KW/h nos EUA. Se quiser faça em inglês: “What is the price of the KW/h in the United States ?” e verá que a resposta será de US 0,10, ou R$ 0,20. Ou seja, nós aqui pagamos o triplo que os gringos pagam pela energia atômica deles – e a nossa é quase de graça, pois provém da água.
        Se continuar curioso, pergunte o preço do galão ou litro de gasolina nos Istêites, e verá que nós tupiniquins também pagamos o triplo deles !

        Daí a minha idéia de usar uma bomba pequena de circulação (talvez até com alimentação por células fotovoltáicas) para fazer meu resfriador movido a água de poço para economizar luz. Quando estiver funcionando eu lhes conto se funcionou, ok ? A ANAUGER vende um kit pronto: bomba sapo com painel fotovoltáico – pergunte ao Google.

        Se alguém tiver dúvidas sobre as técnicas que eu usei para cavar, limpar e manter límpido meu poço de 200 mm e 11 metros de profundidade, terei prazer em contribuir após moderação do Abreu, é claro.
        Ficou tão bom que vou cavar outro poço igual para um amigo aqui perto. Fabriquei um tripé telescópico de 5 metros de altura para isso, com polia no alto, etc, além de outros macetes que fui vendo no Youtube e inventando também.

        Desculpe o longo comentário, mas achei que você, Abreu, é uma nobre alma com quem aprendi muito, e desejo retribuir dentro das minhas parcas possibilidades. Também não sou profissional do ramo – sou tradutor de patentes há 20 anos. E já vi tanta idéia maluca que aproveitei algumas.

        Abraço, Jorge – Resende / RJ

  81. Bom dia, gostaria de parabenizar a vcs, por estarem sendo tão uteis a tantas pessoas que enfrentam tantos problemas com a água de poço, e gostaria também de tirar uma duvida: nas agua de poços:Eu poderia substituir a bomba dosadora de cloro elétrica(que é cara) e usar o dosador de cloro analógico(que é bem mais barato), o mesmo usado em piscina, sendo que eu colocaria no cano da saída da bomba entrando no filtro central de inox com pedra de quartzo com carvão ativado e indo para a caixa d’água para eliminar esse ferro que eu chamaria de molecular? e qual seria a dosagem certa das partilha de cloro a ser usado neste cloridificador analógico. se poder me ajudar ficarei grato
    Fernando Vianna
    Altamira / Pará.

    • Olá, Fernando. Bem-vindo ao blog. A dosagem depende muito da quantidade de água que passa pelo dosador, ou seja, da vazão. Por exemplo, no nosso caso, a bomba está regulada para 0,8 mil por hora, sendo que a vazão é de 2.700 litros por hora. Se eu, por exemplo, dobrar a vazão (reduzindo a profundidade pela metade), terei de dobrar a dosagem para 1,6 ml do produto por hora. Então, Fernando, precisamos saber qual a vazão do seu poço com a bomba atual na profundidade atual. Você tem esse dado? Ou sabe calculá-lo?
      No aguardo.
      Abração.
      Abreu

  82. bom dia! nossa sua saga em busca de água cristalina daria uma boa novela das 18:00 srrsrsrs bem…meu problema não é tão sério…mas é…rsrsrsrs tenho poço artesiano em minha casa de praia com bomba de 2cv e 1 reservatório de 2.000lts, e saída da bomba também para irrigação e agora para piscina que vai precisar decantar água para utilização, aqui tem 1 empresa que instala o filtro por 1.800 e promete água cristalina e potável, minha pergunta: ENCONTRO ALGO MAIS EM CONTA PARA RESOLVER MEU PROBLEMA?
    grata.

    • Olá, Patrícia. Bem-vinda ao Blog. Se o filtro tiver capacidade acima de 1.000 litros por hora, o preço está dentro do razoável, principalmente se a empresa GARANTE água cristalina e potável. Ou seja, só complete o pagamento depois que sua piscina estiver cheia por pelo menos 48 horas com água límpida (tenho notícias de reação química, dentro de 24 horas, do cloro com o rejunte dos azulejos, em que o rejunte ficou quase preto).
      No seu caso, pelo jeito, vai dar tudo certo.
      Um grande abraço.
      Abreu

  83. amigo boa tarde gostaria de uma ajuda sua tenho um poço em minha casa tenho 14 metro de fundura uma bomba de 1 hp danco a agua e limpa cristalina e tem bastante agua mas tira uma duvida minha porque a agua esta saindo uma areia tipo amarelinha tipo ouro esfarelado sabe e se encher um balde as vezes fica meio que amarelada sabe principalmente quando fica no sol quente mas engraçado nem todos os balde que encho fica tira essa duvida para seu amigo obrigado.

  84. Sr Edmar, bom dia.
    Preciso da sua ajuda. Fiz um poço artesiano e a agua sai limpa na torneira e quando entra em contato com o oxigênio do ar, ela fica amarelada e solta um odor. Desejo adquirir a bombinha dosadora e o produto phoslan. Você tem o email das empresas sidersul e da System Mud. Tentei entrar em contato com a Sidersul em SC e não encontreu esta empresa neste estado. Se você receber esta MSG,favor acusar recebimento e me orientar a respeito, desde já agradeço.

    Adalberto

    • Olá, Adalberto. Bem-vindo ao Blog. Esse detalhe do odor da água merece uma análise mais detalhada, porque o produto não resolverá esse problema. Quanto à bomba, o nome da empresa é SIDRASUL, e não Sidersul. Possivelmente eu devo ter escrito Sidersul em alguma resposta ou post e você copiou de lá. O site da empresa é http://www.sidrasul.com.br e o telefone (47)2103.5001.
      Como você deve ter visto em algum lugar desse post, eu fiz uma descoberta MMMUUUIIITTTO interessante sobre esse produto e a bomba. Lancei até um desafio para quem adivinhasse.
      Acho que, antes de comprar a bomba, você deveria aguardar um contato meu, através do seu e-mail pessoal (adalbertodepaiva@yahoo.com.br, não é isso?
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Sr. Edmar, bom dia. Eu calculei que o odor seria da composição química quando do contato da àgua do cano com o oxigênio do ar, pois, se coleto a agua assim que sai da torneira, o odor é bem fraquinho e aumenta na medida que vai ficando em um reservatório bem como amarela. Confesso que fiquei maravilhado quando ví a torneira jorrar àgua onde o agente que fez o poço disse que era só aguardar algum tempo, deixando a agua escorrer, que a situação iria se resolver, porém, já se passaram duas semanas e nada. É bom conhecer alguem como você. Estou muito grato em me ajudar a resolver este problema. Aguardo contato no meu email pessoal.

        Abraço

        Adalberto

  85. Boa tarde Abreu, bisbilhotando pelo blog li sua resposta no post anterior na dúvida do Sr. Adalberto e me interessei. Como voce deve lembrar, meus problemas são os mesmos de muitos nesse blog, agua amarela, dura e mal cheirosa. Apos instalar a bomba dosadora e adicionar o Phoslan, a agua ficou cristalina, mas uns 30% malcheirosa e quase macia, porém amarela um pouco o vaso sanitário e não é agradavel para se tomar. Eu ja tinha o filtro de areia com capacidade de vasão de 5.000 litros instado no poço há uns 10 anos. Resolvi abrir pra ver como estava a areia, ficamos horrorizados com tanta sujeira, comprei nova carga de cristais , recoloquei ta filtrando, resta agora ver se melhora o resultado doas problemas (mal cheiro e amarela o vaso). Mas li que fez uma descoberta muito interessante, e tudo que se realciona com agua de poço arteziano me interessa, portanto desejo receber em meu e-mail tal novidade, me envie no clicrevelacao@gmail.com, vamos ver o dá, muito obrigado.

  86. Boa tarde sr. Abreu,
    Gostaria de primeiramente parabenizá-lo pelo blog que ajuda a tantos que lidam com os problemas da zona rural. Area em que muitas vezes nao encontramos um profissional capacitado que possa nos auxiliar. A minha familia mora no interior do RJ, em Conservatória e dentro do nosso sítio tem um poço artesiano que foi construído há mais de 20 anos. Quando compramos a propriedade há 10 anos ele já estava lá. Nos ultimos meses notamos que a água vinha mais suja com areia e meia barrenta. Como meus pais sao muito idosos nao acharam que seria um grande problema. Entretanto ontem a bomba que retira água do poço parou, só trazia barro e nada de água. Meus pais estao desesperados. Estou tentando encontrar um profissional idôneo que veja o poço e exclareça o que estaria acontecendo. Seria possivel o poço ter secado? Ele tem mais ou menos uns 40 metros de profundidade, a água já foi analizada e era bem limpa. Ele esta instalado em um pequeno bosque, entao tambem estamos pensando que talvez seja raizes das arvores que desnivelou a bomba, seria possivel? Por favor gostariamos de ouvir do senhor uma luz de como devemos proceder, tem algum teste que possamos fazer? Quais seriam as perguntas a fazer para que nao sejamos ludibriados por algum curioso da area? Muito obrigada por este espaço e pelo seu tempo! Elaine

  87. abreu mandei furar um poco na minha fazenda
    pensando q resolveria meu problema com agua mais agua do poco so para animais

    e muito suja e fedida a empresa q fez vai voltar e dizer q vai arrumar sera q tem jeito outra pergunta a agua ddo sub solo e limpa entao por q ta saindo uma agua tao suja q entope os canos da caixa dagua

    • Olá, Antônio. Bem-vindo ao blog. Seu caso é praticamente o caso de todos nós: a empresa fura o poço e vai embora. Nós ficamos com o problema. E não vejo como mudar isso, porque o contrato que a gente assina com eles é somente para “furar” o poço. Se sair petróleo, caldo de cana ou água suja, temos de nos virar.
      Mas vamos com calma. Para tentar te ajudar, precisamos saber um pouco mais. Você sabe qual a profundidade do poço? A água sai sempre suja ou às vezes sai limpa? A cor da água suja é mais para amarela ou para preta?
      Retorne ao blog e vamos tentar achar juntos a solução.
      Um abraço.
      Abreu

  88. Ola Abreu,
    apos ficar a tarde inteira lendo sua historia e seus comentários decidi que é você quem vai me salvar! rs
    cara, primeiro te dou os parabéns por ser tao paciente com a galera e responder sempre as mesmas questões… você poderia tranquilamente montar uma empresa de consultoria para poços artesianos…
    Então, meu problema não e tao grave quanto o de muitos aqui, comprei uma casa no bairro de vargem grande, no município do Rio, e por na rua não ter encanamento de água do governo, todos tem q ter poços… alguns vizinhos tem água aparentemente melhor, outros pior… mas sempre o mesmo quesito, água amarelada, que mancha maquina de lavar, roupas, vasos e é impropria para consumo.. sem contar que deixa aquele toque sedoso de arame no cabelo ao tomar banho ne…
    Nao sei ao certo qual a profundidade do poço existente na casa que fica num terreno de 700 m2, segundo o antigo proprietário, o poço tem 16 metros, mas não confio muuuito nao… Estou ciente que tenho que levar a água para uma analise, mas fiquei bem contente com a soluçao conseguida por vc. ja estou no site da sidrasul lendo a respeito..
    mas me diga.. qual foi essa outra soluçao encontrada por voce ein? estou curioso e quem sabe possa ser melhor ainda do que a anterior.
    abraços

  89. Caro Sr. Abreu,
    Gostaria de parabenizá-lo pelo excelente blog, contemplando vários assuntos de interesse geral e, principalmente, compartilhando informações que, sabemos, foram difíceis de adquirir.
    Fiquei interessada em comprar o produto Phoslan e a bomba dosadora da Sidrasul, pois o problema de meu poço é o excesso de ferro, mas observando o seu comentário no post de Adalberto, vi que o Sr. pediu que ele não comprasse a bomba sem antes se comunicar com o Sr. por e-mail. Por isso, se o Sr. puder se comunicar comigo por e-mail (meu e-mail é andreas@ufs.br) e me explicar sobre sua descoberta, eu ficaria muito grata. Um abraço.

  90. OLÁ ABREU! MEU AMIGO, COM A SUA EXPERIÊNCIA TENTE ME AJUDAR SE POSSÍVEL..COMPREI UMA CASA UM ITAIPUAÇÚ, MARICÁ, NO RIO DE JANEIRO. É UMA REGIÃO DE PRAIA, PRÓXIMO DE LAGOA… TERRENO MUITO ÁCIDO E A ÁGUA DO POÇO É AMARELADA, QUASE FERRUGINOSA COM UM CHEIRO CARACTERÍSTICO MUITO FORTE. AINDA NÃO FIZ ANÁLISE DELA PRA SABER EXATAMENTE. MAS ACREDITO QUE SEJA ISSO MESMO. POR ESTA DESCRIÇÃO, QUE TIPO DE FILTRO OU MESMO DE TRATAMENTO COMPLETO VOCÊ ME ACONSELHARIA?

  91. ME MANDE TAMBÉM ESSA SUA SOLUÇÃO INOVADORA CONSEGUIDA COM UMA SOLUÇÃO ALTAMENTE TOSCA!! rsrsrs… DE “TOSCANISSES” EU ENTENDO!

    • Olá, Alexandre. Bem-vindo ao blog. Todas as hipóteses de solução que nós temos experimentado não são muito baratas. Um filtro de 2000 litros deve estar custando entre 1500 e 2000 reais, a bomba dosadora fica em 700 reais e o bujão de 20 litros do produto, com validade para 2 anos, ficar por volta de 600 reais. E o exame de sua água, aí em Niterói ou no Rio, não custa mais do que 50 reais (aqui em Brasília, onde tudo é muito mais caro do que aí – já morei no Rio – custa 100 reais).
      Vale muito a pena fazer o exame para descobrir qual a melhor solução para você, se o filtro, se o produto e se a bomba. Vai por nós!
      Forte abraço.
      Abreu

  92. BOM DIA ABREU! ENTÃO POSSO ENTENDER QUE , O QUE SOLUCIONOU SEU PROBLEMA FOI O PHOSLAN E A BOMBA DOSADORA? SE AFIRMATIVO , VOU EXPERIMENTAR. COMO ESTÁ SUA ÁGUA ATUALMENTE?

    AGRADEÇO A ATENÇÃO

    • Olá, Dana. Bem-vinda ao blog e desculpe nosso “recesso de fim de ano”. Quanto às dúvidas, minha água está límpida, cristaliza, insípida e inodora como é preciso. Realmente a solução que temos recomendado aqui é o Phoslan e a bomba dosadora. Estou fazendo algumas experiências para tentar dispensar a bomba, mas ainda vai demorar muito tempo até termos algo tecnicamente pronto para oferecermos como sugestão. Assim – e se o seu caso é semelhante ao meu – manda ver e conte para nós o que aconteceu, OK?
      Forte abraço.
      Abreu

  93. Caro Abreu,

    Acabei de me mudar para uma casa com poço artesiano e estou enfrentando todos esses problemas ai de cima. Posso garantir que esse seu blog é a melhor referencia que encontrei sobre o assunto, apos pesquisar bastante. Parabéns ! Talvez vc possa me ajudar. A caixa dagua é de 1000 litros e tem filtro na saida da bomba e (acredite) o proprietario anterior fez a saida por baixo, ao inves de na lateral. O que vc me recomenda ? Mudar algo ? E em termos da potabilidade da agua ? hipoclorito de sódio e só ? Qual quantidade ? Direto na caixa ? Filtragem adicional ? Muito obrigado ! Antonio.

    • Olá, Antônio. Bem-vindo ao blog. Há diversas alternativas, mas o início começa com a análise química, física e biológica de sua água. Se não fizermos assim – e o custo é muito pequeno, cerca de R$100,00 – a gente corre o risco de jogar muito dinheiro fora.
      Providencia isso para nós, Antônio.
      Um abraço e ficamos no aguardo do seu retorno.
      Abreu

  94. Meu amigo estou aflito com meu poço artesiano gastei 1000,00 para fura-lo tem água de montão porem a água sai cristalina e depois fica toda amarela com ferrugem. ele tem aproximadamente 8 ms. existe alguma maneira simples e barata de eu melhorara esta água eu só preciso de 1000 litros de água por dia .desde já muito o brigado.

    • Olá, Cláudio. Bem-vindo ao blog. Aparentemente, o seu problema é o mesmo nosso e a solução pode ser a mesma. A pressão dos nossos amigos frequentadores do blog e do post “Poço Artesiano de Água Suja” está enorme: as pessoas desejam saber o que descobrimos sobre a solução simples e barata para esse problema. Acho que teremos de abrir o bico e contar. Vamos refletir e fazer mais algumas experiências. A seguir, vamos publicar. Quem sabe vocês também não ajudam a completar a solução. Vamos tentar publicar isso ainda nesta semana.
      Um abraço.
      Abreu

  95. Olá Abreu. Moro em Angra dos Reis – RJ. Acho que estou com o mesmo problema. Só falta confirmar com a analise da água. Vou ver se consigo fazer isso na usina nuclear com um amigo químico. Os sintomas são os mesmos, água límpida na saída e amarelada depois de algum tempo em repouso. A diferença é que o meu poço só tem 10 metros. Não tenho condições financeiras no momento pra arriscar fazer um artesiano de verdade. Talvez apertando um pouco o cinto, dê pra aplicar essa sua solução, mas mesmo se não der, gostaria muito de saber qual foi a solução mais simples que vc adotou. Muito obrigado por compartilhar suas experiencias.

    • Olá, Warley. Bem-vindo ao blog. Sua experiência parece ser a mesma nossa. Então, aguarde. Veja nossa resposta ao companheiro Cláudio – situação exatamente igual à sua – que fez seu comentário hoje mesmo, às 12h50min.
      Se não conseguir visualizar, retorne.
      Um grande abraço.
      Abreu

  96. Prezado Edimar!
    Estou convivendo com uma situação muito parecida. Tenho um Hotel em MG e de uns tempos para cá comecei a receber reclamações dos hóspedes sobre a coloração da água. Tenho um poço artesiano construido há cerca de 10 anos e durante este tempo embora os resíduos de barro fossem depositados no fundo das caixas dágua, eram imperceptíveis as diferenças de tonalidade da água. Bem, após a troca de uma bomba que queimou, há cerca de 9 meses, percebi que a vazão do poço aumentou consideravelmente. No entanto, a água começou a ficar mais escura e o fundo dos vasos e pias começaram a apresentar aquela cor marrom tijolo. após acompanhar por alguns dias percebi que ao ligar a bomba a agua se tornava barrenta por uns 3 minutos e dependendo do tempo entre as partidas da bomba a coisa ficava crítica. Bem, tive a idéia de regular a bóia para que a bomba demorasse mais para entrar em operação. Funcionou por uns tempos mas , num belo dia a água das caixas (tenho 3 caixas de 5.000 litros) ficaram impossiveis de utilizar. Comecei então uma via sacra para resolver o problema. Fiz uma limpeza do poço com produtos químicos que não resolveram o problema. Contratei um profissional para limpar com ar comprimido e o resultado piorou, pois a água ficava turva por uns 3 minutos e passou a ficar turva por uns 10 minutos e ás vezes 20 minutos. Instalei uma válvula de retenção para quando desligar a bomba não ocorrer retorno de agua para o poço. o tempo diminuiu para uns 8 minutos, mas quanto mais tempo a bomba fica desligada, mais o tempo de água suja aumenta. Bom, troquei a bomba de 1 cv para 0,5 cv, para um poço de 36 metros e aproximadamente 10 metros de camada de água. diminuindo assim a vazão, para aproximadamente 3600 litros por hora. Resolveu pouco, a agua continua saindo barrenta ao ligar a bomba por uns 10 minutos. Minha opção agora é tentar abaixar a bomba para reduzir a vazão e ver como ele vai se comportar. Estabeleci um procedimento por enquanto, de esgotar os primeiros 20 minutos de vazão antes de desviar a água para as caixas. Isto tem me possibilitado manter a água em níveis aceitaveis de limpidez, pelo menos as reclamações não acontecem, Mas é muito trabalho. Preciso tentar todos os recursos antes de instalar um filtro, que me trará outro ponto de manutenção. Meus dados são:
    Profundidade do poço = 36 metros aproximadamente
    Altura da bomba = 30 metros.
    Inicio da água no poço = 24 metros.
    Bomba Schinider = 0,5 cv..
    Vazão efetiva = 3.600 litros/hora.
    Tempo de água suja ao ligar a bomba = 10 a 15 minutos. (sem cheiro, odor ou ferrugem)
    Consumo de água = 15.000 a 25.000 litros de água dia/ dependendo do n. de hóspedes.
    Bem, acho que é isso, volto a dizer, se tiver alguma dica para me dar ficarei imensamente grato.
    Atenciosamente.
    Elias Ribeiro,

    • Olá, Elias. Bem-vindo ao blog e desculpe a demora. Cometi uns erros aqui no blog e deixei de responder a alguns comentários deste post (Poço Artesiano de Água Suja). Você ainda está aí?
      Abreu

    • Olá, Elias. Obrigado por ter tido paciência. Sua situação só confirma para mim o que nós vimos repetindo aqui no blog: quando o poço dá problema, nós só conseguimos contar com nós mesmos. As empresas oferecem as soluções caras, sofisticadas e sem qualquer garantia de funcionamento. Eu vivi um problema como esse, quando ia mensalmente ao Rio de Janeiro a trabalho (isso até 2007). E sempre saía de Brasília e pernoitava em Barbacena, no hotel Park da Mantiqueira. É um hotel lindo, na área rural, na serra da Mantiqueira. Mas a água do poço sujou de tal modo, que tivemos de trocar nossos pernoites para o Hotel Sesc-Grogotó. Não sei como eles solucionaram aquilo. Se você estiver por essa região, vale a pena ter uma conversinha com eles.
      Elias, você diz que a água não tem ferrugem, mas você já fez a análise dela? Lembre-se de que você está em Minas Gerais, uma das maiores províncias de minério de ferro do mundo! A análise da água é muito barata e evita que a gente jogue dinheiro fora. Essa característica de os primeiros minutos serem de água suja, a seguir a água fica limpa e depois suja os vasos e as roupas brancas são sintomas gritantes da presença de ferro.
      Enquanto você providencia isso, vamos partir do princípio de que realmente não há ferro na água e que a sujeita é só barro. Vamos trocar uma idéia. Qual o diâmetro do seu poço? Ele é revestido? De quê (alvenaria, PVC, aço carbono, etc)? O revestimento é total ou parcial? Se parcial, quantos metros estão revestidos?
      Sua bomba está colocada a 6 metros do fundo do poço. Dependendo do diâmetro, isso pode ser muito pouco. Toda vez que a bomba funciona, ela revoluciona a água e a lama do fundo. Pode ser que, quando o poço foi construído, o fundo fosse constituído de um material mais estável. Entretanto, com a retirada gradual desse material (que você falou que ficava depositado no fundo das caixas, sem problemas maiores), pode ser que você tenha chegado a uma camada mais instável – lama, que o revolucionamento faz subir, sujando a água que a bomba capta.
      Nessas condições, você teria de afastar a bomba do fundo do poço, para evitar remexer o fundo toda vez que funcionar. E só duas maneiras de fazer isso:
      a) elevar a altura da bomba;
      b) rebaixar o fundo do poço.
      A primeira hipótese, que é a mais simples, tropeça numa questão irresolúvel: o seu nível dinâmico é muito pequeno. Nos poços existem tecnicamente dois níveis de água – o estático e o dinâmico. O estático é aquele em que a água se encontra em repouso. No seu caso, 12 metros (36-24=12 metros). O dinâmico é aquele em que a água fica quando a bomba está funcionando. Como bomba está retirando água, o nível desce até estabilizar, num patamar em que a água que entra consegue repor a água que sai do poço. Claro que esse nível dinâmico é MENOR do que o estático. Se o seu estático é de 12 metros, o dinâmico é menor que 12. Menor quanto? Isso depende da vazão da bomba (valor conhecido), do diâmetro do poço e da capacidade de suprimento do lençol dágua onde o poço se abastece.
      Ora, a bomba não pode funcionar ACIMA do nível dinâmico, por que funcionaria a seco e queimaria. Digamos que o seu nível dinâmico seja de 7 metros. Você não poderia elevar a bomba, sob o risco de, em algum momento, a bomba funcionar a seco e queimar. A alternativa “a”, portanto, está fora de cogitação.
      No que respeita à hipótese “b” (rebaixar o fundo do poço), seria um caminho não muito barato. Suponhamos que o diâmetro do seu poço seja de 100 milímetros (dez centímetros). Para você rebaixá-lo por 10 metros (ficando com 46 metros de profundidade e a bomba a 16 metros do fundo), calculo, pelos preços daqui de Brasília, que você gastaria algo em torno R$ 1.200,00 e R$ 1.500,00. É muito dinheiro para jogar no escuro, não é?
      Se o problema for apenas o barro e a lama, dependendo do diâmetro do poço, dez metros de rebaixamento deverão resolver. Por outro, se for financeiramente inviável o rebaixamento, o seu último tiro será o filtro. O filtro é um outro “ponto de manutenção”, como você diz. Mas seria muito mais simples. Pelos preços daqui, você deverá pagar algo em torno de R$ 1.800,00 por um filtro que trate sua vazão (3.600 litros por hora). Com esse consumo de 15000/25000 litros por dia, você terá de fazer retrolavagem diariamente. Com retrolavagem diária, você terá de trocar a carga filtrante a cada 90 dias. Cada carga, pelo preço daqui, fica em torno de R$ 450,00. Ou seja, R$ 1.800,00 por ano – o que é mais caro do que o previsto para o rebaixamento.
      Tanto no rebaixamento, quanto no filtro, se o diagnóstico estiver equivocado e, em vez de apenas lama, estivermos lidando com alto teor de ferro da água, você vai colocar água cristalina da caixa,e 12 horas depois descobrirá que ela continuará ficando amarela, sujando os vasos e as roupas.
      Caro Elias, como você pode ver, podemos discutir com você uma série de caminhos. Mas sempre digo por aqui que “conhecer o problema é metade da solução”. No seu caso, fica claro que NINGUÉM está realmente conhecendo qual é o problema. Assim, voltamos ao primeiro ponto abordado nesta resposta: invista R$ 100,00 reais na análise química, física e biológica da água. Você não vai se arrepender e nós vamos poder pensar juntos com mais segurança.
      Para colher a amostra, não se esqueça ferver o recipiente e usar outra água – não a do poço – para essa finalidade.
      Acima de tudo, Elias, tenha com o seu problema a mesma paciência que você teve conosco, na espera da resposta. Nada de precipitações, nada de pânico, nada de irritação, nada de desespero. Com certeza acharemos juntos uma solução.
      Enquanto a análise não fica pronta, retorne com as respostas que pedimos, OK!
      Um grande abraço e uma cachoeira de água cristalina, incolor, insípida e inodora para você!
      Abreu

  97. Boa noite, li sua matéria sobre os problemas em que você citou e também estou com este problema, comprei filtro e bomba dosadora para clorar a água e os vasos sanitários apos 2 dias sem escovar eles mancham com uma cor amarelada ou seja ferro na água. Entrei em contato com a empresa Quimisa de Brusque – SC e comprei o produto phoslan que vem em pó. Agora não sei qual a quantidade do produto devo usar para a bomba dosadora por na água. Preciso de uma dica sobre a quantidade. Obrigado.

  98. Oi, parabéns pela sua matéria, estou com um problema parecido com o de vocês, tenho um poço artesiano com 68 metros a água é limpa, a analise de laboratório que foi feita deu água perfeita com todos os parâmetros dentro da normalidade e agora depois de uns 2 anos a água continua saindo limpa, mas os vasos sanitários estão dando manchas marrom dentro de dois dias u seja deve ser ferro na água. Entrei em contato com a empresa Quimisa de Brusque – SC e me vendeu o produto Phoslan em que é citado em sua matéria, agora não sei qual a quantidade do produto tenho que diluir para a bomba dosadora por na água. Se puder me dar uma luz desde já agradeço.

    • Olá, Andrey. Bem-vindo ao blog e desculpe a demora. Já expliquei as razões na resposta ao comentário da Rosana: é que a demanda de um outro post deste blog consome grande parte do meu tempo nesta época do ano. Quando você fala em diluir o produto, significa que você o comprou em pó? O produto que eu uso é líquido e já vem pronto para ser bombeado. É isso mesmo?
      Abreu

  99. Bom dia sr. Abreu! Moro em Maricá e tenho mesmo problema com meu poço, a água é ferruginosa . Li no seu blog a respeito do phoslan e a bomba dosadora. A pergunta é: FORAM ESSES PRODUTOS QUE RESOLVERAM SEU PROBLEMA ? SE FOI , O QUE LEVOU VC A TENTAR OUTRO METODO QUE SEGUNDO O BLOG É SIMPLES E BARATO? PQ AINDA NÃO PUBLICOU ? Veja bem não estou fazendo questionamentos sem propósito , é que já gastei tanto já tive tantas promessas sem sucesso que estou cansada. Por favor me responda qual a melhor solução que vc deu para seu problema.
    Desde já agradeço, um abraço.

    Rosana

    • Cara Rosana, bem-vinda ao blog. Mil desculpas pela demora, mas eu pensei que já houvesse respondido ao seu comentário. Nesta época do ano há uma demanda enorme no blog sobre o post “Rodovias Brasileiras: Brasília-Salvador” (o pessoal indo de férias para o Nordeste) e são dezenas de comentários por dia. Neste momento, já passaram por aqui quase 3.000 pessoas. Com essa pressão, acabei esquecendo os meus irmãos do poço de água suja.
      Mas é isso mesmo. O meu problema é excesso de ferro na água. Isso é diagnosticado através de um exame simples da água, que custa menos de R$ 100,00. O produto impede que o ferro entre em contato com o oxigênio e oxide (enferruje). Isso torna a área cristalina. A bomba é importante porque ela vai colocando o produto na água na medida em que ela vai percorrendo o tubo de acesso ao filtro e à caixa.
      O que estou experimentando é apenas uma forma de dispensar a bomba, não o produto. Minhas pesquisas estão muito avançadas e acho que na próxima semana já poderei publicar alguma coisa. O problema é exatamente esse: como acertar a dose exata sem a bomba.
      Qualquer dúvida, retorne e, mais uma vez, desculpe o enorme atraso na resposta.
      Abreu

  100. Bom dia. Percebo que os problemas são sempre os mesmos. Vou relatar minha experiencia, quem sabe pode ajudar os interessados. Meu poço tem 100 mts de profundidade, 30 mts de agua e a bomba fica a 70 mestros, meu encanamento é de PVC (mudei ja tentanto solucionar o problema), a primeira informação importante é que o PHOSLAN liguido é fornecido pelo fabricante Sistem Mud, em bombonas de 20 lros e também em galões de 5 litros, que eu recomendo pois usa-se muito pouco, meu poço fornece 5000 litros por hora e consegui que a agua ficasse limpida aplicando 3 ml de phoslan por minuto, portanto 18 ml por hora, considerando que uso em média 5000 l de agua/dia, o produto vai dar pra muito tempo e pode até vencer a validade. Após a adição do produto é impressindível colocar um bom filtro de areia, eles dizem cristal de quartzo, mas vai um bom tempo, minha agua ficou realmente boa após 4 meses de uso, pois os encanamentos e depositos estavam sendo usados com a agua sem tratamento, e o ferro calcio e outros que entupiam chuveiro e amarelava vaso sanitário etc.. também ficaram impregnados nos canos, e com a adição do phoslan isso começou a soltar, então foi uma outra maratona, usei agua direto do poço filtrada pra lavar roupa e beber por um bom tempo, agora ta dando gosto de ver a agua, macia, límpida sem cheiro, pura… è isso, espero ter esclarecido aos que estão entrando nessa maratona.. Bom dia a todos.

  101. Pelo Amor de Deus mefalem da solução final,pois moro em 1 sitio com o mesmo problema, tomamos banho e ficamos com cheiro de ferrugem, a roupa esta sendo preciso trocar tdas.Sem falar que estou quase trancando minha matricula na faculdade (pra mudar novamente pra cidade e pagar aluguel) e largando meu marido ( tanto odio q estou).Agradecida e muito pelo resto da vida se for tbm minha solução abraços

    • Olá, Marina. Bem-vinda ao blog. Você não imagina como nós compreendemos você. Já passamos exatamente por esse estado de espírito, sem ter a quem recorrer e vendo todo um plano de vida, construído com muito sacrifício, ser ameaçado por um poço de água suja. Calma aí, porque você não está sozinha. Enquanto escrevo, a estatística do blog, que aparece no meu canto superior direito da tela, informa que você é a a pessoa de número 200 a entrar aqui em busca de uma solução. Para cada uma pessoa que entra e escreve, há cerca de 6 que ficam olhando de fora, desconfiadas, só acompanhando, sem entrar e sem escrever.
      Então, sossega essa agonia, defenda sua faculdade e seu casamento e diga ao ódio para ir cantar em outra freguesia. E vamos cuidar do seu poço.
      Só que precisamos saber algumas coisinhas, para tentar te ajudar. Aparentemente seu poço produz água com alto teor de ferro. E isso, como temos visto aqui no blog, tem solução. Mas as soluções não são do mesmo tamanho para todo mundo (assim como nem todo mundo calça sapato 44, também aqui a gente busca uma solução para cada companheiro de sofrimento hídrico que nos procura). Assim, levanta do chão, enxugue as lágrimas e diga para nós:
      a) em que estado você está?
      b) o sítio é só residencial ou tem produção que precise de muita água?
      c) seu poço é tipo “cisterna” (aqueles poços que tem um metro de boca e pouca profundidade) ou é artesiano ou semi-artesiano?
      d) existem poços iguais aos seus na vizinhança? Todos têm o mesmo problema?
      e) você sabe qual a profundidade do poço?
      f) qual a capacidade da sua caixa?
      g) você tem noção de quanta água vocês consomem por dia?
      h) a água sai do poço suja, ou sai limpa e fica suja depois que entra na caixa?
      i) a caixa é metálica, plástica ou de alvenaria-concreto-amianto?
      Aguardamos suas respostas. E não se deixe deprimir por uma aguazinha suja à-toa: afinal, você é Marina Fontanella e seu nome tem tudo a ver com água. Marina vem de mar e Fontanella, em italiano, significa “pequena fonte de água”. Gostou?
      Um grande abraço!
      Abreu

  102. Olá.

    20/10/2013 cavei meu poço e postei aqui que a água estava saindo um pouco de areia/barro.

    Percebí que as roupas brancas estavam “amarelando”. Coloquei um pano branco na saída do cano do poço e após alguns minutos existia uma mancha de barro.

    Hoje, 20/01/2014 , 3 meses depois, o problema continua.

    Não uso tanto o poço, talvez 500l por dia.

    Coloquei um filtro, e novamente coloquei um pano branco. Percebí que diminuiu, mas ainda fica um pouco “amarelinho” bem fraco.

    E agora, já era para o poço ter limpado?

    Tem cerca 33metros e tubo chega a uns 24metros.

    • Olá, Cleber. Bem-vindo ao blog. Taí, a ideia de transformar o blog em um livro é interessante. Quanto ao seu problema, dê uma lida em nossa resposta ao Elias, aí embaixo. E também a resposta para a Marina. Veja que a situação é semelhante e pede a análise química da água antes de qualquer outra coisa. Por exemplo, se você pôs o filtro e três meses depois a água continua amarela e sujando o pano, significa que:
      a) o filtro não é bom;
      b) o filtro é bom, retém o barro e areia, mas alguma coisa coisa muito microscópica – que não é areia nem barro – está passando por ele. Pode ser ferro.
      Todas as perguntas feitas a Marina servem para você também. Diâmetro do poço, vazão da bomba e etc.
      Ah, normalmente com uma semana esses poços estão limpos do barro que fica após a perfuração, mesmo com baixo consumo como o seu. Você já está completando 90 dias hoje. Acho não é coisa para esperar outros 90 dias.
      Retorne para “a gente prosar mais”, como dizemos lá em Minas.
      Um grande abraço.
      Abreu

  103. Òla, meu nome e Eliana abrimos um poço de +- 10 metros de fundo mais ou menos uns 10 anos atras de 2 anos para cá percebemos que agua está saindo meio amarelada ou seja cor de barro ou e deixa as roupas brancas encardidas, achei que fosse a bomba que estava puchando terra pedimos para limpar enfim continuou a mesma coisa porem tenho até nojo de tomar a agua e não aguento mais lavar toda semana a caixa que no fundo fica cheia de terra ea agua sai muita estranha na torneira pensei até comprar um filtro para chegar ate a caixa mas não sei se vai adiantar muito a caixa e para uso residencial e de plastico e tem 1000 litros. moro em são bernardo do campo riacho grande sp.
    Obrigada,

    • Olá, Eliana. Bem-vinda ao blog. Eu vou conversar com você e ajudar a resolver o seu problema. Mas, antes, vou publicar no post uma matéria que te interessa. Aguarde. Próximas horas.
      Abreu

        • Como assim, Bial? Eliana, não consegui encontrar o nosso contato inicial. Imagino que tenha sido há mais de quinze dias, talvez mais. Você pode me dizer quando foi? Desculpe, mas estamos com cerca de 2.500 pessoas na média mensal no blog hoje e ficamos apagando os incêndios das últimas 48 horas para não deixar ninguém sem um retorno.
          Aguardo.
          Um abração.
          Abreu

  104. Sr. Abreu…

    Tenho uma casa de praia aqui em São Paulo, em um lugar não tão perto da praia…e que infelizmente, somos obrigados há conviver com esse problema de água…com cor de ferrugem e um cheiro muito forte, que mancha ás roupas e tudo que lavamos com a bendita…Não sei se é nivel alto de ferro…..como posso saber sem grandes custos…

    Obrigado…, Espero que tenha entendido..

    • Olá, Wilson. Bem-vindo ao blog. Seu caso é um de milhares de brasileiros na mesma situação. Claro que entendi. Então, aguarde. Eu vou voltar a falar com você, aqui nos “Comentários”, mas antes, vou postar uma questão muito delicada que precisa ser enfrentada. E você vai estar lá, OK? Você, não: o seu caso.
      Um abraço.
      Abreu

  105. Comprei um terreno que já tinha um poço artesiano porem estava parado a uns 10 anos faz uns 20 dias que religamos mais ainda continua saindo uma aguá amarelada. Sera que tem algo que eu posa fazer?

    • Olá, Franciele. Bem-vinda ao blog. Em casos como o seu, acreditamos útil fazer uma injeção de ar comprimido. É um serviço rápido, feito pelas próprias empresas de perfuração de poços artesianos. Mesmo que não se trate apenas de lama e barro, vale a pena fazer, pois é muito tempo parado. Eles também oferecem a possibilidade de fazer, simultaneamente, uma limpeza química, com produtos antibacterianos, que eu, no seu caso, também não deixaria de fazer.
      Como eu disse, essas medidas independem de eventualmente você ter outros problemas, para os quais poderemos ajudá-la a buscar soluções. Faça isso e, se por acaso, você continuar a produzir água amarela, pode voltar a aqui para conversar com a gente. A casa é sua!
      Um abraço.
      Abreu

  106. Saudações Abreu

    Estou de volta, nosso poço 152 mts ( 20 encamisado metal e 132 rocha) continua seu trabalho bomba (Dancor 2 cv mod- 2.1SSR 21) instalada a 120 mts de profundidade (62 mt abaixo da fissura e 32 mt do fundo do poço), apresentando vazão constante de 1,800lt/h, agua ainda com leve odor sulfuroso( acabando após decantar na caixa principal e na de cada sócio)
    Segue resultado(posso envia-lo completo via e-mail)
    RESULTADOS REFERENTES À AMOSTRA
    Parâmetros Unidade Resultados
    Portaria 2914/2011
    (V.M.P.)
    Odor intensidade Não Objetável 6(*)
    Sabor intensidade Não Objetável 6(*)
    Cor Aparente uH 9 15 (**)
    Cloro Residual Livre mg/L Não Detectável 0,2 – 5
    pH – 7,73 6,0 – 9,5 (***)
    Turbidez NTU 0,33 5(****)
    Condutividade Elétrica μmho 105,3 -
    Alcalinidade ao 
    mg/L 76,09 -
    Alcalinidade ao 
     mg/L 0,00 -
    Alcalinidade ao  mg/L 0,00 -
    Dureza Total mg/L 94,25 500
    Dureza em Cálcio mg/L 48,55 -
    Dureza em Magnésio mg/L 10,97 -
    Cloreto mg/L 2,97 250
    Ferro mg/L 0,13 0,3
    Coliformes Totais NMP/100mL Ausente Ausente
    Escherichia Coli NMP/100mL Ausente Ausente
    O que diria?

    Grande abraço e no aguardo de seu parecer.
    Candido Neto e socios

    • Caro Cândido. Em princípio e em tese, o seu poço está tranformando-se no poço dos meus sonhos. Irrepreensível do ponto de vista biológico (que poço no Brasil não apresenta coliformes?) E a ilustre ausência da Escherichia Coli? Significa ausência de diarreia. O teor de ferro é ridículo e…a inveja é uma merda. Eu queria mesmo era ter um poço assim! Mas essa glória não é para quem quer, é para quem merece.
      Parabéns para todos vocês. E continuem orando por nós.
      Abração.
      Abreu

  107. Ola Abreu, Adorei os fatos, vi que realmente sofreu muito e ja senti na pele o mesmo. Tenho um poço artesiano que solta agua com ferro e manganes. É um horror. Tudo mancha, nao da nem para lavar o chao direito. Dividimos o mesmo poço entre 20 casas e todos sofrem.
    Depois de muito sofrer consegui aliviar o meu problema usando um material no filtro que ajuda a remover o ferro e o manganes. Ao inves de colocar areia, eu coloquei Zeólitos. que são como uma areia bem fina e eles removem o ferro e manganes da agua. É incrivel, a agua vem cor de chocolate e sai cristalina. Pelo fabricante eu deveria adicionar cloro na agua antes de ela passar pelo filtro. Mas como eu ja nao aguentava mais esperar acabei instalando diretamente e a agua realmente sai limpa.
    A unica coisa é que nao pode adicionar cloro na agua apos a filtragem, senao ela fica com um tom amarelado, mas se nao adicionar ela fica limpida, total. Talvez se colocar o cloro antes da filtragem ele remova tudo. Para o pessoal que tem o mesmo problema colocar Zeolitos no filtro foi como um milagre, Algo facil, barato e de soluçao imediata. Não fica 100% porque nao pode usar cloro, mas me salvou ….abs

    • Olá, Nersinho. Bem-vindo ao blog. Aliás, seja MUITO bem-vindo. Depois de anos lutando aqui nessa trincheira, você nos aparece com uma ideia totalmente nova e eficaz. Nersinho, como dizemos em Minas “Bota o saco no chão e conta esse caso direito”. Como é que é? Você substitui, no filtro, a areia pelos Zeólitos? O que são Zeólitos? Onde a gente compra? Quanto custa? Quanto dura? Qual a quantidade? Você mantém o carvão ativado no filtro ou ele também é substituído pelos Zeólitos? A troca da areia pelo Zeólito não altera a vazão do filtro, ou seja, não fica mais difícil a água passar através dele e, por conseguinte, forçar mais a bomba? Você já mediu o teor de ferro da água filtrada (acho que o fato de a água filtrada ficar amarelada se você colocar cloro significa ferro na água filtrada – o que pode ser perigoso para o consumo). Mas adorei a novidade trazida pela experiência de vocês e agradeceríamos muito se essas nossas dúvidas merecessem uma resposta sua. Principalmente porque a solução, segundo você é …BARATA E EFICAZ! É tudo o que eu e os 2.544 companheiros que estão na estatística do blog neste momento sempre sonhamos por aqui.
      Vamos lá, Nersinho. “Ajuda os irmão”. Como diria o Datena, “Me ajuda aí, Ô!”.
      Grande abraço.
      Abreu

  108. Abreu, boa tarde!

    Muito bom esta matéria, pois tenho o mesmo problema no meu poço: a água sai cristalina e após algum tempo fica com ferrugem. Fiquei com algumas dúvidas, vamos lá:

    1- Você aplica o Phoslan da saída da bomba direto na sua cisterna? Ele não deixa a ferrugem se formar correto? E o excesso de ferro da água, fica no fundo da cisterna?
    2- É preciso aguardar algum tempo até o Phoslan fazer efeito ou é de imediato?
    3- O primeiro filtro que você havia instalado? Retirou ou continua usando?
    4- A venda do Phoslan é direto com o fabricante?

    Obrigado.

    • Olá, Júlio César. Bem-vindo ao blog. Vamos às suas dúvidas:
      1) O meu poço tem 150 metros de profundidade e eu aplico o produto na tubulação que da bomba, a qual fica a 84 metros de profundidade. Então, quando a água chega à superfície, a bomba dosadora aplica a quantidade certa do produto na água que seguirá para a caixa. A bomba dosadora é eletricamente harmônica com a bomba do poço: quando a caixa dágua começa a esvaziar e a bóia de nível aciona a bomba do poço, simultaneamente ela aciona a bomba dosadora;
      2) o efeito é imediato. Parece uma corrente elétrica percorrendo a água dento da tubulação;
      3) o filtro continua instalado e é importante: ele é que retém as partículas de ferro que o produto encapsula: a água já chega na caixa sem esse ferro;
      4) sim, é direto com o fabricante, que manda por correio ou qualquer outro meio que você desejar.
      De qualquer modo, Júlio, antes de gastar qualquer dinheiro com bombas, produtos e filtros, faça a análise da água (cerca de R$ 100,00) e confirme se o problema é excesso de ferro, OK?
      Um grande abraço.
      Abreu

      • Abreu, boa tarde!

        O filtro que você usa é específico para filtrar ferro e manganês ou é outro tipo de filtro? Estou seguindo o seu conselho e já vou fazer a análise da água.

        Obrigado.

        Júlio César

        • Olá, Júlio César. O filtro que usamos é o filtro normal, usado comumente em filtragem central de residências e pequenos edifícios. Ele é um recipiente cilíndrico, vertical, com cerca de 1,20 m de altura e cerca de 30 cm de diâmetro, fechado, onde se acumulam sucessivas camadas de cerca de 20 cm, compostas de cristais de sílica (areia) que vão de grãos grandes como grãos de milho, até areia fina, quase pó. Nesse meio, são colocados carvões – normalmente caroços de palmeiras, como açaí, ou babaçu – que conseguem reter partículas microscópicas.
          O interessante é que a molécula de ferro passa por esse filtro, mas quando está envolta no produto, não.
          Com a análise da água vamos enxergar melhor o seu problema.
          Um grande abraço.
          Abreu

  109. Olá meus queridos!

    Após 5 meses de poço com 33metros cavados e 24m de tubo, lavei minha caixa dágua.

    Muita areia fininha e água da cor de barro.

    Coloquei um filtro na entrada da caixa dágua, me parece ser 30 micra, mas mesmo assim, se eu colocar um pano branco na saída da bomba, rapidamente ele mancha com uma corzinha de barro e um pouco de areia. Vou colocar um filtro na entrada da máquna de lavar também, as roupas estão amarelando.

    Agora a dúvida … acredito que os canos estão com sujeira de lama presa … cortei um cano e tinha uma fina camada de lama dentro … ou seja, mesmo lavando a caixa, colocando filtros, essa sujeira do cano vai levar bastante tempo para sair.

    DÚVIDA: COMO FAZER A LIMPEZA DOS CANOS SUJOS COM ESSA CAMADA FINA DE LAMA ?

    Existe algum produto específico?

    Meu visinho me disse que o poço dele levou 1 ano para limpar bem a água.

    Abraços do amigo do extremo norte, Amapá :)

  110. Meu último post dia 07.

    Dia 09, após um dia inteiro de chuva, percebo visualmente areia fisinha vindo na água. Mais do que vinha antes.

    Será que com a grande quantidade de água, o cano encheu e soltou muita areia ?

    Ah, o tupo é vedado pelos lados, fiz uma calçada em volta do tubo.

    • Olá , Cleber. Esse é realmente um problema. Nós vivemos quase três anos com o poço produzindo água suja e, quando descobrimos a solução, tentamos tudo para limpar os canos. Mas sujeira acumulada era tanta, que resistiu a nossos hectolitros de detergente e mesmo à ligação da bomba diretamente na tubulação, sem passar pela caixa. Os calibres haviam se estreitado exatamente como artérias entupidas pelo colesterol. E não conhecemos estatinas para poço! A solução? Trocamos toda a tubulação. Não sei qual a viabilidade disso no seu caso nem qual a extensão do encanamento. Se for possível, entretanto, só faça isso depois de ter certeza de que resolveu o problema. Senão, o problema voltará e periodicamente você vai ter de trocar o encanamento. Para ter certeza, faça o exame da água, como temos recomendado aqui. Se houver excesso de ferro na água, não adianta filtrar. Se não houver, a filtragem resolverá. Mas o filtro deverá ter o processo de retrolavagem (a água percorre o filtro em sentido contrário, ou seja, da saída para a entrada, expulsando a sujeira acumulada). Dê notícias.
      Um grande abraço.
      Abreu

  111. bom,eu moro no Rj de janeiro e possou um poço de aproximadamente 30 metros e desde o dia que foi furado (23/02/2013) a água sai cristalina e após 24 hrs ela fica super amarela.E o pior é que vem acontecendo o mesmo com alguns vizinhos que também obtiveram o tal poço artesiano. aqui em casa a gente não gasta muita água,gastamos em torno de 1.000 litros por dia divididos em 3 casas.No inicio por recomendação da empresa que perfurou o poço,nós deixamos a bomba ligada o máximo de horas possíveis jogando a água fora pra tirar o que eles dizem ser um óleo usado na perfuração,e mesmo depois de tanto tempo jogando água fora e utilizando ela ainda não conseguimos nos livrar dessa água barrenta que fica na caixa de água.meu vizinho buscou uma solução que ele disse ser simples e que no começo foi bem eficaz,ele introduziu 3 manilhas ao lado do poço e colocou camadas de areia,carvão e pedra,que no processo a água sai do poço e cai nesse filtro e logo depois vai pra um reservatório pra que em seguida suba pra caixa,mas depois esse processo deixou de ser tão eficaz pela dificuldade de limpar o tal filtro,mas mesmo assim esse filtro que ele fez não me pareceu má ideia,mas foi exatamente depois de ele me dizer isso que me veio a ideia de pesquisar mais sobre o assunto.E encontrar seu site foi a melhor coisa que podia me acontecer,eu espero que o senhor possa me ajudar a encontrar uma solução melhor que essa e que não me dê tanto trabalho para fazer a limpeza do filtro ou qualquer outro mecanismo usado,pois por conta do meu trabalho eu não tenho tempo disponível pra me dedicar a isso,desde já eu agradeço.

    • Olá, Marcus. Bem-vindo ao blog. Você pode dar uma olhadinha na nossa resposta aí embaixo para o Cleber Dantas, do Amapá. Nossas conclusões são as mesmas, ou seja, faça a análise da água para ver se tem ferro (temos quase certeza que sim). Se tiver, a filtragem é insuficiente para evitar o amarelecimento 24 horas depois. A filtragem deve permitir a retrolavagem – operação que você, pelo baixíssimo consumo – poderá fazer apenas uma vez por mês (dura cerca de cinco minutos). Você necessitará de um filtro pequeno, que não é tão caro quanto o meu e valerá muito a pena SE NÃO HOUVER FERRO NA ÁGUA, OK? Retorne.
      Um grande abraço.
      Abreu

  112. Olá.

    Após meses participando do grupo e com minha água ainda arenosa, fiz meu teste. Realmente vale a pena. Paguei R$120 e olhem o resultado:

    Ferro total mg/l 0,008 (limite 0,3)
    Ausencia de coliformes
    STD mg/l 0,027 (Ilimite 1000)
    Turbidez 1,63 (limite 5)
    Ph 4,65 —> Esse deu abaixo (normal entre 6 e 9)

    Graças a Deus não é ferro meu problema e sim areia e barro bemmmmm fininho. Coloquei 1 filtro de vazão 1300L/hora na entrada da caixa dágua e outro filtro na tubulação que vai pra cozinha/maquina lavar de 600L/hora ;

    Se eu colocar um pano branco na torneira da cozinha por uns 2 minutos, ele ainda suja bem fraquinho. Ou seja, ainda está passando uma pequena quantidade. Mas melhorou 90%

    Ahh, segui o que o amigo ABREU sugeriu e troquei a tubulação … gastei uns 300 reais.

    Agora é esperar acabar essa areia que a 5 meses não para de sair :)

    Obrigado a todos e estamos aqui. Vou postar fotos a noite.

    • Dá-lhe, Cleber. Está no caminho certo. Tudo vai dar certo e o sua água vai ficar limpa. Pelo menos, é isso que espera sua torcida organizada aqui no blog.
      Abração.
      Abreu

  113. Amigo Abreu.

    Qual filtro você me indica para 1.000L/hora com sistema de retrolavagem?

    Meu filtro em uma semana sujou bastante, bastante mesmo! Ficou uns 2 dedos de altura de areia/lama dentro do compartimento do filtro.

    Meu modelo é normal de filtragem acima de 25 micas em polipropileno.

    • Olá, Cleber. O filtro que recomendamos aqui é o chamado filtro central. A empresa que conhecemos e utilizamos – deve haver muitas outras – é o Mundo dos Filtros. Esses filtros têm uma série de camadas de cristais de sílica (areia), que vão da areia mais fina a camadas de cristais do tamanho de grãos de feijão, tudo permeado por carvão ativado, que nada mais é do que carvão vegetal feito a partir de sementes de frutas extremamente duras e com poder de reter as partículas mais tênues da sujeira.
      Com o tempo, as impurezas retidas (barro, matéria orgânica, metais, etc) começam a reduzir o fluxo da água através do filtro, o que pode vir a forçar a bomba ou começar a deixar passar a sujeira. É nesse momento que entra a retrolavagem. O filtro permite que a água entre pela saída, volte no sentido da entrada e seja descartada por um ramal lateral. A quantidade e a frequencia da retrolavagem dependerão do seu consumo de água. E o filtro deverá ser dimensionado não pela vazão da bomba, mas pela quantidade de água que você usa. Trocando em miúdos: se sua bomba tem uma vazão de 5.000 litros por hora ( o que equivale a 120.000 litros por dia) e você consome cerca de 3.000 litros de água por dia, seu filtro deve filtrar 3.000 litros por dia (cerca de 140 litros por hora) e não 120.000 litros por dia (5.000 litros por hora).
      Enfim, você pode errar na bomba (comprar uma bomba muito mais carae poderosa do que você precisa), mas você pode regulá-la para reduzir a vazão e ela trabalhará mais folgada e durará mais tempo. Agora, comprar um filtro maior do que você precisa é efetivamente jogar dinheiro fora. E o preço do filtro varia segundo a quantidade de água que ele é capaz de filtrar. E o preço da carga também
      Em suma, Cleber, compre um filtro de excelente marca, conhecida, do tamanho de sua necessidade, faça retrolavagem sempre que necessário e troque a carga sempre que a retrolavagem não restabeleça mais o desempenho do seu filtro. Repito: quanto maior o filtro, maior o preço, maior a carga e maior o custo.
      Finalmente: para quem não tem ferro na água, o filtro é um santo remédio!
      Um abração.
      Abreu

  114. pelo amor de deus me diz como voce resolveu seu problema.

    meu poco esta com o mesmo problema a agua mancha as roupas e os sanitarios, nao sei o que faço.

    agradeço

    • Olá, Bruno. Bem-vindo ao blog. A solução que encontramos está descrita no blog, ou seja: 1) fazer a análise da água para confirmar a presença de ferro; 2) caso confirmada, adicionar um quelante na saída do poço, antes que a água tenha contato com o oxigênio, através de uma bomba dosadora; 3) instalar um filtro entre a boca do poço e o reservatório (caixa d’água). Isto resolveu nosso problema. O que estamos tentando agora é nos livrarmos da bomba dosadora, através de um caminho alternativo, uma vez que a bomba, a cada apagão, queima de forma irrecuperável. Assim, Bruno, nós lhe perguntamos em que ponto da escala você está. Já fez a análise da água? Já confirmou o ferro? Já instalou a bomba dosadora e o filtro? Não se desespere. Vamos tentar ajudar você, OK?
      Retorne!
      Forte abraço.
      Abreu

    • Bruno,

      Eu passei 5 meses com medo de ser ferro ou somente areia no meu poço.

      Paguei apenas 120 reais pela análise da água. Valeu muito a pena saber que apenas com filtro (no meu caso era somente areia que estava criando lama na caixa) eu poderia resolver o problema.

      O Abreu é o maior especialista que conheço e com uma presteza sem tamanho.

  115. OLá, moro em Guatambú-SC, furamos um poço com 225m, começou a dar água usamos mais ou menos dois meses e secou o poço, a empresa começou a verificar o problema qdo foram retirar os canos(eles tinham colocado de pvc) quebrou e abomba caiu no fundo do poço. Foi colocado outra bomba começamos a usar e não deu mais que 200 l de água por dia. A empresa quebrou a bomba no fundo do poço e furou até perto dos 300m, e não deu mais água. É normal acontecer isso? o poço tinha algum reservatório e acabou? o que eu faço nessa situação?

    • Olá, Roberto. Bem-vindo ao blog. Lamentavelmente, Roberto, você está vivendo aquela tragédia que todos nós, aqui no blog, sabemos que é o pior dos problemas: o poço seco! Veja que o nome do nosso post é “Poço Artesiano de Água Suja”. Fora do título do post, existem os poços maravilhosos de água limpa e abundante, os poços de água limpa e de pouca vazão, os poços de água com gosto de querosene, os poços de água com cheiro de enxofre e, finalmente, os poços sem água. Esta é uma realidade dura, cruel: perfuração de um poço é um jogo, uma aposta. Você perdeu, Roberto. Com 300 metros de profundidade e com essa vazão, continuar perfurando é jogar dinheiro fora. Onde você está? É no planalto catarinense ou no litoral? Há poços artesianos nas proximidades da sua propriedade? Qual a profundidade deles? Você tem certeza de que a bomba que substituiu a bomba quebrada está funcionando bem? Não descarto a hipótese de água estar lá, a perfuração dos 75 metros adicionais não a tenha feito jorrar naturalmente e a bomba estar funcionando mal. Confira essas coisas, mas sem gastar muito dinheiro. Use um rolo de barbante de algodão com um peso na ponta e jogue-o no poço: você terá certeza se o poço está seco, ou não.
      Se houver água, significará que a bomba está funcionando mal ou não está funcionando. Aí, você saberá o que fazer. Se não houver água, voltamos ao ponto inicial: é um poço perdido.
      Ficamos aqui na sua torcida, Roberto!
      Abreu

  116. Abreu,

    Minha bomba é 1 1/4CV … Qual pressão eu deixo no registro?

    Geralmente deixo em 30MCA … Qual pressão eu teria uma maior vazão ? Qual o indicado?

    • Oi, Cleber. Eu não sei exatamente como é que você controla a pressão da bomba. O meu sistema aqui, como você deve saber, é constituído da bomba no fundo do poço, uma bomba dosadora da boca do poço, um filtro MF e a caixa-taça, de 12.000 litros. Já usei bomba de 2 CV no fundo do poço. O filtro não aguentava a pressão e deixava passar sujeira. Precisei, então, conciliar a pressão da bomba com a capacidade do filtro. O filtro, tem um manômetro que indica a pressão recebida e um manual que diz que ele não deve trabalhar com pressão superior a 4. Primeiro, troquei a bomba por uma de 1 CV. Aí eu descobri algo interessantíssimo: a bomba, independentemente da potência, não exerce uma pressão fixa e rígida. Ela, com aquela potência nominal, trabalha em diversos níveis de vazão, que podem ir de 600 a 5000. Veja bem: a mesma bomba de 1 CV, produzindo de 600 a 5000 litros por hora. Nossas experiências nos levaram a descobrir que tinha de haver uma situação em que a bomba trabalhasse confortável e o filtrotambém funcionasse na zona de conforto. Como não havia como alterar a capacidade do filtro e nem como ficar trocando de bomba, decidimos alterar a única varíavel que estava disponível: a profundidade da bomba. E foi o que fizemos. Hoje, nossa bomba está a 84 metros de profundidade, o que significa uma vazão de cerca de 2.300 litros por hora, e exercendo uma pressão de 2,2 sobre o filtro, que suporta pressões de até 4. Folga geral.
      O que queremos dizer, Cleber, é que essa pergunta deve ser respondida por você mesmo, com muita paciência, sucessivas experiências, diversas análises e uma obstinação a toda prova. Parece difícil? Não, é uma diversão. Até porque você é do ramo: gente, como nós,que se diverte com desafios dessa natureza.
      Um fraternal abraço – daqui do meio da folia do Carnaval da Barra em Salvador, onde me encontro.
      Abreu

  117. Oriente-me por favor!
    Tenho um poço comum de aproximadamente 4 metros de profundidade, a água era branca,mas depois que colocamos manilhas a água ficou com cor ferrugem e mesmo depois de armazenada e decantada, encarde as roupas brancas. Queríamos furar um poço artesiano,mas fomos informados que o problema vai continuar com água de ferrugem.Se furarmos o poço e der mesmo água com ferrugem, o que podemos fazer? Ou existe uma forma de consertar a água do poço existente?

    • Olá, Marina. Bem-vinda ao blog. No seu caso, é importante ter presente o seguinte: poço raso é um coisa, poço artesiano é outra totalmente diferente. Os poços rasos tem contato direto com a camada do solo que é composta de matéria orgânica, ou seja, vegetais e animais EM DECOMPOSIÇÃO. Os poços artesianos tem contato permanente mais com elementos minerais, entre eles o ferro. Antes de você tentar o vestibular para os problemas de terríveis dos poços artesianos de água suja, vamos ver se a gente consegue ajudá-la a resolver os seus problemas atuais com seu poço de 4 metros. As questões básicas, Marina, são as mesmas, ou seja, “Que água é esta?”. Em qualquer das situações, essa resposta tem de ser dada antes que você saia por aí gastando seu dinheiro. Você disse que no início a água é branca. Branca ou cristalina, transparente? Vamos admitir que você quis dizer “cristalina”. Mesmo uma água cristalina pode ter perigos muito maiores do que encardir roupas: pode trazer micróbios capazes de comprometer a saúde da família. Assim, faça o exame de sua água. É infinitamente mais barato de que furar um poço artesiano. Dependendo de onde você esteja, pode ir de R$ 70,00 a R$ 120,00 e você não tem que dizer de onde a água veio, se o poço é seu, nada. Os caras vão emitir um pequeno laudo, dizendo se os minerais e a matéria orgânica da sua água estão dentro ou fora das especificações do Ministério da Saúde. Em síntese, vão dizer se a água é potável. Então, você vai mandar fazer a análise quimíca, física e biológica da água. Cada uma dessas respostas vai dar uma orientação para nós, entendeu? Por exemplo, se der uma elevada concentração de coliformes fecais (cocô), é melhor esquecer desse poço. Se não houver contaminação orgânica, mas alto teor de ferro, podemos tentar salvá-lo. Em outras palavras, não dá para botar Band-Aid em câncer, nem tratar resfriado com radioterapia. Primeiro o diagnóstico, depois o tratamento. Ficamos aqui, aguardando o seu retorno com o resultado da análise da água. Tudo bem?
      Grande abraço.
      Abreu

      • Sr Abreu, muito obrigada pela orientação, vou seguir cada passo para ver se posso um dia conseguir usar meu poço de 4 metros.A água no princípio era cristalina,mas nunca tivemos a idéia de bebe-la porque temos uma cisterna de 10 mil litros, nos acostumamos a comprar água. Mas espero ter a sorte de na primeira análise não apresenta coliformes fecais. Darei notícias. Mais uma vez, muito obrigada pela resposta.

  118. Abreu, boa noite!

    Saiu o resultado da análise da água. Segue alguns dados:
    Alcalinidade Total – 15 mg/L
    Cloro Residual Livre – 0,01 mg/L
    Cloreto – 24,60 mg/L
    Condutividade – 1.413 µs/cm2
    Cor – 34 uH
    Dureza Total -114,00 mg/L
    Ferro Total – 2,32 mg/L
    pH 5,00
    Odor – Não Objetavel
    Turbidez – 1,77 UT

    Já enviei os resultados para algumas empresas para cotar o valor do filtro. Também estou esperando respostas para o Phoslan e a bomba dosadora. Lendo os posts antigos e algumas empresas que comercializam os filtros indicam, usar o cloro para acelerar a oxidação. Você já fez este teste? A principio penso em usar o sistema que você usa: Bomba dosadora + Phoslan + Filtro, mas encontrei filtros específicos para filtrar o ferro, e os vendedores indicam o cloro para acelerar a oxidação e depois filtrar, ainda não perguntei sobre o uso do Phoslan nestes filtros. Como o cloro tem um custo bem inferior ao do Phoslan ficou a dúvida. Gostaria da sua opinião.

    • OOOOOOOpaaaa! Novidade no pedaço! É a primeira vez que vemos falar nessa hipótese, Júlio César. Essa ideia de clorar a água antes de filtrar, acelerando a oxidação é totalmente nova e criativa. Parece ser um sistema mais simples e, por conseguinte, mais barato, a depender do filtro de ferro. O cloro é mais barato do que o Phoslan. Se o filtro de ferro for mais barato do que o filtro que usamos, já era. Você pode verificar para nós qual o preço do filtro de ferro?
      Gente, quando falamos em clorar antes de filtrar, significa basicamente misturarmos água sanitária à água na boca do poço e antes do filtro de ferro. Como água sanitária é barata, a grande incógnita é o preço do filtro. Mas achamos que estamos diante de uma grande possibilidade de jogarmos nossa cruz no chão, a depender das respostas do Júlio César.
      Ansiosos, no aguardo, Júlio.
      Um grande abraço cloro-ferruginoso para você!
      Abreu

  119. Abreu, boa noite!
    Tenho algumas novidades! Recebi um orçamento da empresa Via filtros para filtro central com RESINA DESFERRIZADORA ZF, vazão 2.000l/h, valor R$ 1890,00. No meu caso o PH da minha água é baixo, então preciso aumentar o Ph e clorar, ou seja 2 bombas dosadoras! O vendedor me informou e após algumas pesquisas na internet, para uma melhor ação do oxidante(cloro), o Ph da água precisa estar entre 6,8 e 7,2. O da minha água é 5. Um outro fato. Em contato com a empresa Sidrasul, para tirar algumas dúvidas sobre o Phoslan, um químico(que o vendedor informou ser o responsável pelo produto) me instruiu que o filtro deve ser posto ANTES do ponto de dosagem do Phoslan! Segundo ele, devo fazer a filtragem e retirar o excesso de ferro presente na água antes de aplicar o Phoslan. No meu caso para ficar dentro dos limites da potabilidade tenho que reduzir o teor de ferro e ajustar o Ph. E como tenho que primeiro fazer isto(ficar dentro dos limites da potabilidade) para depois aplicar o Phoslan, ele já não me parece muito interessante.
    Bem, é isso até agora. Estou aguardando outros orçamentos.
    Bom carnaval!
    Abraço
    Júlio César

    • Olá, Júlio César. Gostei desse filtro ZF. Vou estudá-lo mais profundamente. Quanto à posição do filtro, recomendada pela empresa, nossa experiência aqui caminha no sentido contrário. Se filtrarmos antes e quelarmos depois, as moléculas de ferro, mesmo encapsuladas pelo Phoslan, vão para a caixa e serão consumidas pelos usuários, o que pode gerar um aumento da ferritina do sangue. Nós decidimos injetar o produto, encapsular as moléculas, retê-las no filtro e, então, mandar a água para a caixa sem elas. Fizemos a análise do teor de ferro com amostras dos dois sistemas. O nosso põe água na caixa com teores muuuito abaixo dos limites máximos recomendados pelo Ministério da Saúde. Outra hipótese seria usarem-se dois filtros. Mas aí tem o dim-dim.
      Dê notícias quando receber os novos orçamentos, OK?
      Um abração.
      Abreu

  120. Caro Abreu,
    Antes de tudo gostaria de parabenizá-lo pela perseverança e principalmente por ter a iniciativa de compartilhar esta experiência, ajudando a quem precisa.
    Tenho um poço artesiano em Praia de Mauá , no município de Magé, Rio de Janeiro (área de baixada).
    O que vem acontecendo é exatamente o que você narrou, a água sai límpida, cristalina sem cheiro e gosto, porém depois de 12 (horas) a água fica com cor de barro (mas precisamente “enferrujada”), deixando seu rastro nos vasos, roupas e até na toalha quando nos enxugamos.
    Por isso, se possível, gostaria de ter informações mais detalhadas de como você conseguiu resolver este problema.
    O consumo de água não é grande, chegando nó máximo de 3000 a 5000 litros/dia em feriados. Tenho três caixas de 1000 litros, sendo uma usada como cisterna e as outras duas como distribuição (em cima da casa).
    Desde já, agradeço a atenção.
    Abraço.
    Marcelo Freitas

    • Olá, Marcelo. Bem-vindo ao blog. A sua situação é idêntica à do Flávio, que respondi hoje (veja aí em cima). De qualquer maneira, uma coisa você pode fazer de imediato: a análise da água, para confirmar que o problema é o excesso de ferro.
      Retorne com o resultado e vamos pensar juntos como resolver esse seu problema em definitivo, está bem?
      Um forte abraço.
      Abreu

  121. Abreu,
    O seu relato foi muito bacana, vc trouxe a experiência prática da coisa e não a teoria que não resolve nada, então nota 10 pra vc!
    Mas agora já passou um tempão do desafio! Eu gostaria de saber qual foi a decisão que vc tomou, afinal qual é a boa notícia! Pq eu quero crer que diante do exposto vc acabou efetuando algo que provavelmente acabou com todo o problema, com muita simplicidade.
    Quero dizer que algo que me chamou muito a atenção no seu relato, foi quando vc descobriu que a água pura e cristalina em contato com o oxigênio, resultava no óxido de ferro na água.
    Como de fato, repito, vc tomou uma decisão, inúmeras coisas passam na cabeça da gente!
    Estou te escrevendo na tentativa de saber o que foi, pq o problema que eu tenho é uma água ligeiramente amarelada, com teor baixo de óxido de ferro, porém eu quero eliminar isto totalmente.
    Agradeço desde já!
    Flavio

    • Olá, Flávio. Bem-vindo ao blog. A solução que demos, Flávio, foi esta que está no post do blog, ou seja, aplicação do quelante Phoslan através de uma bomba dosadora e posterior filtragem da água, antes de mandar para a caixa. O que estamos devendo para nossos amigos aqui do blog é uma solução para eliminarmos a bomba dosadora – que é cara e queima com facilidade. Essa solução – simples – ainda não está pronta. Eu já estou há 9 meses sem utilizar a bomba novinha que comprei pela quarta vez. Mas estamos cautelosos em colocar no blog, porque outros poços, com características diferentes do meu, podem apresentar reação indesejável. Mas continuamos estudando e analisando as alternativas. Por ora, mantemos a orientação de uso da bomba dosadora.
      Um grande abraço.
      Abreu

  122. Boa noite Abreu !!

    Primeiramente parabéns pelo blog , já me esclareceu e me assustou muito logo de cara.
    Minha História é parecida com a sua, pegava água do riachinho com uma Bomba e mandava para minha caixa taça de
    15.000 litros ,mas na época das chuvas voce sabe como é
    Acho que somos vizinhos de sítio , moro em Brasília e tenho um Sítio próximo a Alexânia _GO mais precisamente em Aparecida de Loyola Municipio de Corumbá de Goias.
    Juntei dinheiro para fazer o tão sonhado poço com tubos de PVC ( carissimos cada metro) , torci como louco para que ficasse raso e fcou 66mts para desespero do Empreiteiro. mas a agua sai Cristalina e depois fica amarela com gosto de ferrugem,pensei que fosse a caixa mandei reforma-la ( uma fortuna ) mas o problema vem do poço.
    Trouxe hoje um amostra da áqua pois tenho dois filhos pequenos de 02 anos e outro de 6 meses e fiquei com medo deles até tomarem banho nessa áqua,
    E preciso saber onde faço essa ánalise, quanto custa etc
    Será que tem como me ajudar.
    Obrigado, tudo de bom e felicidades sempre!!!
    claus
    Quero mandar uma amostra que troxe hoje para

    • Olá, Claus. Bem-vindo ao blog. É, aparentemente, sua história é idêntica à minha. E o caminho mais barato é a análise da água. Quando ao laboratório de análise, não sei se há um aí em sua cidade. Mas procure qualquer loja de produtos agropecuários, essas que vendem medicamentos e vacinas. Normalmente eles sabem onde os fazendeiros locais fazem a análise do solo (essa análise é fundamental para eles não desperdiçarem corretivos e fertilizantes). Esses laboratórios fazem também a análise da água.
      Volte cá com os resultados, está bem?
      Um grande abraço.
      Abreu

  123. boa noite amigo, gostaria de saber como voce resolveu esse problema de ferro no poço, pois tenho um poço com o mesmo problema.

    Grato.

    • Olá, Adonias. Bem-vindo ao blog. Primeiro, precisamos confirmar se o que você tem aí é um alto teor de ferro na água. Senão, podemos levar você a jogar dinheiro fora. Você já fez a análise da água? É simples, barato e rápido. E você não precisa dizer onde é o poço: é só levar a amostra da água no recipiente que eles fornecem.
      Retorne com o resultado, OK?
      Abreu

  124. Olá Abreu! Bom dia! Tudo bem? Você está de parabéns pelo blog, achei neste espaço a solução para meu problema. Gostaria se puder de me orientar um pouco mais. Meu caso é da água ferruginosa, onde ela sai perfeitamente límpida na torneira e depois de algumas horas ela amarela, ou se colocarmos algum tipo de sabão ou água sanitária na máquina, já era água limpa. Vi que você utiliza uma bomba dosadora e um produto, poderia por meio do meu e-mail me informar detalhadamente? Eu moro a 2 meses nesta casa que é em um loteamento novo, onde mandei perfurar um poço. Tenho no momento apenas um reservatório de 1000 litros no quintal e 1 caixa de 500 litros na casa. Me oriente por favor. Pode me contactar pelo e-mail sacastro@gmail.com.

    Beijos e ótimo dia.

    • Olá, Simone. Bem-vinda ao blog. Demorei tanto – por circunstâncias alheias à minha vontade – que preciso perguntar: você ainda está aí?
      Abreu

  125. Olá Abreu
    Parabéns pela ´´luta“ e pelo blog. Sou iniciante nesse ramo de poço artesiano,moro em MG e ontem furei meu primeiro poço (talvez o último), água com aproximadamente 15 metros. O empreiteiro fez a limpeza com o compressor, e começou a sair água aparentemente clara, mas em contato prolongado, deixa a calçada cor de ferrugem, suponho que seja alto teor de ferro, vou fazer análise da água, mas já fiquei desapontado de cara, e agora assustado agora lendo sua luta com o poço artesiano. Outro fato é que depois da ´´limpeza“ do poço e retirada dos equipamentos escuta-se movimento de água pela boca do tubo, com se estivesse passando um riacho subterrâneo. Tenho outra fonte de água de boa qualidade, mas com fornecimento irregular, o uso do poço seria apenas um complemento.
    . Perguntas:
    1- Se confirmado alto teor de ferro, qual gasto necessário para o tratamento da água: filtro, bomba dosificadora, produtos químicos, etc. para eu avaliar se vale a pena continuar investindo no poço.
    2-Sobre o barulho no poço, alguma outra explicação a não ser a dada pelo empreiteiro (riacho subterrâneo), isso inviabiliza o uso do poço?
    3- Existe a possibilidade de com funcionamento inicial do poço a qualidade da água melhorar, já que existem poços próximos ao meu com boa qualidade da água.

    Aguardando ansiosamente por respostas

    Euzébio

    • Olá, Euzébio. Bem-vindo ao blog e desculpe-me pelo tempo transcorrido. Estive impossibilitado de dar assistência ao blog nos últimos 20 dias e só agora estou atualizando tudo. Adoraríamos saber o resultado do exame da água, que, nestas alturas, você já deverá ter em mãos. O barulho do poço – se o exame for OK – não traz nenhum problema (a alternativa seria rede água ou esgoto nas proximidades). Quanto aos custos, tratamento, etc, fique tranquilo: estamos em crise da água no mundo inteiro e também no Brasil. Assim, ainda que com algum custo, ter água limpa é um privilégio.
      Dadas as condições de sua vizinhança, entretanto, acho que você vai ter água limpa sem custos adicionais.
      Aguardamos seu retorno.
      Abreu

  126. Caro senhor Abreu, parabéns pelo texto primoroso e pela perseverança que beirou às raias da loucura. Rssrss. Eu estou pensando em furar um poço artesiano para abastecer uma caixa d´água que servirá, exclusivamente, para a descarga do banheiro. Talvez, dependendo da qualidade da água, eu possa usá-la para lavar as roupas. Foi muito bom ler o seu relato, pois ele deu-me uma visão bem realista das possíveis dificuldades a serem encontradas. Não devemos ser pessimistas, mas também não devemos ser ingênuos.
    O camarada me falou que na região(Região dos Lagos-RJ) é comum achar água a 12 metros. Fiquei um pouco preocupado, pois acho que está muito próximo à superfície. Vou fazer mais estudos sobre as possibilidades.

    • Olá, André. Bem-vindo ao blog. É, já tive oportunidade de ver a perfuração de um desses poços na Região dos Lagos (Cabo Frio). Impressionou-me a perícia do profissional, utilizando um tubo de aço de duas polegadas, cuja extremidade fora chanfrada, transformando-se num circulo cortante. Essa extremidade havia sido comprimida, de modo a ficar um pouco menor de que o diâmetro original de duas polegadas. Com isso, ele introduziu uma esfera de aço de duas polegadas, reduzida a talvez 1 polegada e 7/8, no torno. Essa esfera descia pelo tubo a dentro e se agasalhava na parte estreitada do tubo, sem sair dele.
      Aí, o cara começou um movimento de cavar e jogar água. A água com terra recolhida pelo tubo forçava a esfera para cima e entrava no tubo, mas a esfera terminava por retornar. Resultado, a terra molhada ia se acumulando por cima da esfera, até chegar à outra extremidade do tubo, quando ele descarregava, virando o tubo ao contrário. Com quinze metros (emendando tubo em tubo), a água jorrou. A partir daí, ele revestiu o poço com tubo de pvc de 2 polegadas e mergulhou uma pequena bomba, que passou a levar a água para a caixa. Simples assim. Agora, quanto à pureza da água, há controvérsias.
      Procure um vizinho que tenha poço, peça um pouco da água e mande fazer a análise. Os sábios aprendem com os erros dos outros, não é?
      Um grande abraço e retorne quando concluir seus estudos adicionais.
      Abreu

  127. Bom dia. Dependendo da quantidade de ferro que existente na água, Um filtro de entrada com quartzo, dolomita e feldspato + 1 dosador de cloro e um Filtro IRONEX resolve o problema.

  128. Quanto a dúvidas sobre pressão de bombas; se o filtro suportará ou não; outra possibilidade é mandar água do poço em uma caixa d´agua com pelo menos 10mt de altura no terreno; instalar o filtro na saída da caixa tendo excelente qualidade de água filtrado, pois será apenas por gravidade e não pressão; depois mandar a água filtrada para outra caixa em cima da residência.
    Podem dizer: ah, mas a primeira caixa d’agua ficará suja . . . Em compensação a água utilizada na residência será excelente.

    • Olá, Arnaldo. Bem-vindo ao blog. Obrigado pela colaboração trazida em seus comentários. A redução da pressão via duas caixas é uma solução, mas com um pouco mais de complexidade: quando colocarmos o filtro na saída da primeira caixa, a vazão será brutalmente reduzida, podendo necessitar talvez de uma segunda bomba. Mas é uma riquíssima discussão.
      A propósito, sua sugestão do filtro mais um dosador de cloro me despertou uma dúvida. É que em todos os casos da mesma espécie que passaram por aqui, a colocação de cloro, mesmo depois de filtrada a água, precipitava a oxidação e amarelava a água quase de imediato.
      Você pode nos ajudar a esclarecer isso? Da minha parte, falta-me fazer uma experiência: aplicar cloro na minha água final, o que ainda não fiz.
      Agradeceríamos seu retorno por aqui.
      Um grande abraço.
      Abreu

  129. Boa noite prezado Abreu. Tenho um problema semelhante ao que vc teve. Minha água TB tem muito ferro, pelo Q pude observar, bem menos do que a sua. Resolvi parcialmente com filtros, mas eles saturam com 20! Dias. Gostaria de sua ajuda para resolvê-lo. Meu poço se localiza a cerca de 200 m da margem das águas represadas da barragem de Corumbá 3. Deu água a 66 m com vazäo de 7 mil l/h. Tem 24 m revestido com tubo de PVC de 6″. A bomba de um hp está instalada a48 m. Fiz duas análises da água. A primeira foi coletada diretamente da boca do poço em 11/3/13 e apresentou os seguintes parâmetros: odor: inodoro, sabor: insípido, aspecto: límpido, cor aparente: 2,00 uH; PH: 7,27; turbidez: 0,21 UT, cloro: o,0 mg/l, alcalinidade total: 129 mg/l, dureza: 73,47 mg/l; FERRO: 0,12 mg/l. A segunda anàlise deu-se em 22/5/13 e a água foi coletada na torneira da cozinha. Ou seja, depois de decantar na cx. Os parâmetros obtidos foram os mesmos com exceção do FERRO que foi de 0,94, três vezes maior do o aceitável, e turbidez de 2,03 mg / l . Como posso resolver esse problema do excesso de ferro? Fiquei curioso com a solução “TOSCA” que vc encontrou . Seria com aeração? Cordialmente edson

    • Olá, Edson. Bem-vindo ao blog. Como estamos próximos, talvez você pudesse me ajudar na minha experiência “tosca”, que já está completando um ano, mas ainda sem segurança para divulgá-la para todos aqui no blog. No momento, eu me encontro em Salvador, de onde devo retornar a Brasília no próximo fim-de-semana. Meu filho e minha nora trabalham na área de segurança pública aí por perto de você. Se você concordar, enviarei por eles material e instruções para você realizar a experiência e analisarmos os resultados. Pode ser?
      Um grande abraço.
      Abreu

        • Olá Abreu,
          Além de contribuir com a nova experiência, gostaria também de receber/conhecer detalhes da solução, digamos convencional. Abraços

          • Olá, Eduardo. Meu filho e minha nora estiveram aqui na roça hoje, concordaram em levar o material para você e foram embora. Quando eles já estavam longe, verifiquei que o material ficou aqui. Como eles só voltarão por aqui no fim da semana que vem (vão aproveitar o feriadão em Tiradentes-MG), vamos precisar de um pouco de paciência, OK?
            Grande abraço
            Abreu

  130. boa tarde, gostaria de saber se colocando água de rua dentro do meu poço artesiano, ajudar a limpar os veio de um poço com 29 metros de profundidade, que está produzindo 1 litro de água por minuto, ou tem outro tipo de procedimento, para melhorar a vazão? obrigado, aguardo resposta. boa tarde, Fernando

    • Olá, Fernando. Bem-vindo ao blog. Geralmente, suspende-se a perfuração de poços artesianos quando a vazão atinge a quantidade desejada – talvez um pouquinho mais. Se você parou a perfuração quando a vazão está em 1 litro por hora, você deve ter tido razões fortes. Isso porque a vazão de 1 litro por hora é muito pequena, quase insignificante. Para você ter ideia, Fernando, quando abri meu poço, a vazão aos 32 metros foi de 500 litros por hora, julgada pequena e passível de contaminação, ou seja, não deveria ser água profunda, mas água de superfície, sujeita a contaminação por fossas, esgotos e matéria orgânica em decomposição. Mandei cavar mais e, nos próximos 120 metros, a vazão continuou em 500 litros, até explodir, aos 142 metros de profundidade, numa vazão de 21.000 litros por hora.
      Então, a não ser que você tenha fortes razões para não perfurar mais, nossa orientação é prosseguir na escavação. Isso porque, lamentavelmente, não vejo como melhorar o desempenho do seu poço. E, também infelizmente, não creio na solução via água de rua.
      Agora, vamos aos pontos positivos. A água que sai do poço é boa, limpa e sem cheiro? A região em que você está é de planície, planalto ou serra? Outros poços vizinhos dão água boa e com quantos metros de profundidade? Se todas as respostas forem positivas e as profundidades dos poços vizinhos estiverem entre 30 e 40 metros, acredito que, com cerca de mais R$ 1.000,00 de perfuração, você atinja uma vazão de 500 litros por segundo de água potável.
      Se quiser retornar com as respostas, adoraríamos.
      Um grande abraço.
      Abreu

  131. Após 6 meses de poço cavado, 3 filtros, risos, água chega quase limpinha na torneira.

    Meu problema no Amapá é areia extra mega super fina … mas capaz de deixar as roupas manchadas.

    Mas passando aqui apenas para dar um grande abraço no amigo Abreu e nos demais :)

    • Olá, Cleber. Você é um felizardo. O sorrisão da carinha aí em cima diz tudo. Realmente, você está fora deste vale de lágrimas da água suja. Mas sempre é confortador para nós recebermos a visita dos amigos que moram do reino dos poços de água limpa!
      Um forte abraço.
      Abreu

    • Olá, Sandra. Bem-vinda ao blog. Traga o problema. Aqui há um monte de gente disposta a ajudar. O seu poço caipira é daqueles com um metro de boca, como faziam nossos avós? Pois eu vou lhe dizer uma coisa: eu tenho um desses. É minha reserva estratégica, para quando começar, um dia, a guerra da água. Só que a gente precisa saber um pouco mais. O que está errado com sua água? Tem cor feia, cheira mal, mancha as roupas, é salobra? Qual a profundidade do poço caipira? É revestido? Você tira água com a nora (roldana. sarilho) e balde ou usa uma bomba? De quanta água você precisa por dia? O seu poço produz toda a água de que você precisa? Seus vizinhos têm o mesmo problema que você tem?
      Vamos lá, coragem! Diga para nós o tamanho do problema.
      Um abraço.
      Abreu

  132. Tenho um problema parecido, só que minha água oxida depois de um tempo na piscina ela fica verde.

    Já vieram varias pessoas e técnicos aqui e nada ninguém resolveu .

    Poço 13 mnetros Rio de Janeiro

    • Olá, Felipe. Bem-vindo ao blog. Normalmente, quando a água oxida, ela fica marrom, que é a cor da ferrugem (óxido de ferro). Esse negócio de ficar verde, depois de um tempo na piscina, dever ser outra coisa. Tenho um conhecido que teve um problema de água verde na piscina, mas era a reação do rejunte dos azulejos com o cloro do tratamento da água. E ele solucionou o problema. Vou tentar entrar em contato com ele e, se conseguir, retorno diretamente para o seu e-mail, OK?
      Um abração.
      Abreu

      • Por dedução imagino que você furou uma cisterna de uns quatro ou cinco metros de profundidade e encontrou muita água boa, cristalina e pura, ou então desistiu da vida rural e assumiu a sua sina de um urbanóide convicto, e foi utilizar a água da sua concessionária na cidade.
        Um grande abraço.
        Robinson Gabriel

        • Olá, Robinson. Bem-vindo ao blog. Não é isso: meu poço tem 150 metros, a água é suja, e eu faço o tratamento como explicado no post, ou seja, quelação e posteriormente, filtragem. Uma curiosidade: coloquei um filtro de celulose lá na entrada de minha máquina de lavar no apartamento do Plano Piloto e fiquei impressionado com a sujeira da “água tratada” da nossa concessionária! Quanto a desistir da vida rural, sem chance: estou a 50 km do meu apartamento na SQN 115, por via duplicada sem pedágio. Lá eu tenho televisão, TV a cabo, telefone e internet. Aqui eu tenho televisão, internet, telefone, estação de radioamador e TV a cabo. Mas tenho também cinco vacas jersey, onze cães, quatro gatos, pomar com frutas de todo o Brasil (do pinhão do Sul ao taperebá do Amazonas, dendê da Bahia, umbu de Minas e pequi de Goiás), galinhas, tucanos, japus, bem-te-vis, garças, pombas verdadeiras, ar puro, silêncio, canários, garrinchinhas, rolinhas, araras, macacos, meio hectare de mata fechada e um riachinho que é uma lindeza. As vezes tem uma lua que me obriga a pegar no violão. Como mudar para o Plano Piloto?
          Um grande abraço.
          Abreu

  133. ola Abreu, parabéns pelo blog
    eu moro na serra da cantareira , são paulo
    minha casa fica no topo da serra, com o valor expressivo que o condomínio cobra a distribuição de água, resolvi fazer um poço.
    a perfuração contratada era para ate 150 metros…
    mas não saiu água, só consegui uma pequena vasão de água de até 1000 litros água por hora
    a empresa que perfurou fez a medição e que daria aprox 1.2 litros hora
    foi colocado uma bomba de 1000 litros hora
    e tambem tenho um alto indice de ferro na agua
    identicos problemas que voce teve eu estou tendo ja a 1 ano
    primeiras jarradas de agua quando liga o poço vem muito escura e com cheiro forte
    depois vai clareando
    colocamos um filtro que custou 4.000 reais
    igual voce no inicio.
    quando retrolavar e drenar a agua sai limpida. depois volta a ficar escura e com cheiro forte
    ja fiz 3 x analise de agua,
    quando foi colocado o filtro na saida do filtro a analise ficou tudo dentro do padrao.
    mas quando a agua descansa na caixa, ela forma uma ferrugem e uma camada tipo poeira nas paredes da caixa e no fundo
    fiz essa analise alto indice de ferro
    deixei em um recipiente a agua cristalina e apos 12 horas estava escura turva
    gostaria muito de sua ajuda como voce fez essa solucao
    pois e muito semelhante o problema que vc teve com sua agua e a que estou tendo aqui

    grande abraco

    efa23-xat@bol.com.br
    eder

    • Olá, Eder. Bem-vindo ao blog. De fato, o seu problema é muito parecido com o meu, com diferença da vazão: o meu poço, que também tem 150 metros, produz 21.000 l/h – de água suja! Descontadas essa diferença,o quadro me parece rigorosamente o mesmo. Se você olhar todos os meus posts, descobrirá que eu levei quase dois anos para entender que o problema era excesso de ferro – e você já chegou a essa conclusão rapidinho! Então, formalmente, a solução deverá ser a mesma, ou seja, um produto quelante, a ser adicionado, através de uma bomba dosadora, à água que sai do poço e, em seguida, um filtro central (no seu caso deveria ter custado cerca de R$ 1.000,00 e não R$ 4.000,00).Já testou o produto?
      Aguardo notícias.
      Abreu

  134. Olá Abreu, gostaria de parabenizá-lo pelo blog e participar desta enriquecedora discussão, tenho uma casa de veraneio na região dos lagos, Saquarema -RJ – a residência fica junto a Lagoa de Saquarema, possuo um poço artesiano com aproximadamente 7 metros, água cristalina, em pouca quantidade, quando coloco na piscina, aproximadamente 1.500 l, ela muda a tonalidade da água, ficando levemente marrom/verde, ainda não consegui avaliar, qdo retiro a água do poço ela apresenta um leve odor, passei a colocar cloro no encanamento, fiz através de registros uma espécie de clorador, reparei que o cheiro sumiu, estou tentando fazer a análise da água, assim que conseguir volto a postar minha experiência, talvez seja útil a algum amigo. Forte abraço.

    • Olá, Arapuã. Bem-vindo ao blog. Faça a análise: evita muita dor de cabeça e de bolso. Ficamos aguardando o seu retorno.
      Grande abraço.
      Abreu

    • Olá, César. Bem-vindo ao blog. Você pode explicar um pouco melhor qual o seu problema? Tudo bem: é poço artesiano de água suja, mas por que o filtro não resolve? Qual a profundidade do poço? Qual a cor da água? Gostaríamos de saber essas coisas para tentar ajudar você.
      Aguardamos seu retorno para discutirmos isso.
      Um abração.
      Abreu

  135. Caro Abreu, aqui no RJ estão cobrando a análise completa +- R$ 900,00 e uma apenas para saber se é potável R$ 80,00, o que você acha ? na análise simplificada eles dizem que eu mesmo posso colher a água num frasco comum, desses de 5 l de água que vendem nas ruas, já na análise completa tenho duas empresas, uma diz que eu mesmo posso colher mas deverei usar os frascos dados por eles, pois contém substancias adequadas, esta empresa cobra R$ 700,00, já a outra empresa alega que só um técnico especializado pode fazer esta coleta, ela cobra R$ 980,00. Estou sem saber como devo proceder, por favor dê a sua opinião, desde já agradeço a atenção.

    • Hoje, um dia depois, estou retornando como prometido. Os laboratórios que me atendem aqui no Planalto Central (DF e GO) praticam preços na faixa de R$ 100,00, análise física, química e microbiológica da água.
      Verifiquei que grande número de laboratórios oficiais (Ceplac, Embrapa, Embasa e outros fazem a análise por preços nunca superiores a R$ 100,00.
      Por fim, você tem no Rio a CPRM, órgão do Ministério de Minas e Energia localizado na cidade do Rio, que faz a análise. Vou colar aqui embaixo uma página da CPRM que orienta o usuário a submeter a amostra. O preço é de R$ 118,72. Veja:

      PROCEDIMENTO PARA SOLICITAÇÃO E PAGAMENTO DE ANÁLISES
      QUÍMICAS EM ÁGUA.
      Para dar inicio ao processo de solicitação entre em contato com a
      secretaria do LAMIN por telefone ou e-mail, para verificar se o laboratório
      tem condições de executar os serviços requeridos:
      LAMIN – RJ
      Eugenio Sousa – eugenio.sousa@cprm.gov.br
      ou
      Andréa de Salles Cunha Cortez – andrea.cortez@cprm.gov.br

      Laboratório de Análises Minerais – LAMIN
      CPRM – Serviço Geológico do Brasil
      Av. Pasteur 404 – Urca – CEP: 22290-040
      tel. (21) –2546-0448.

      ou pelo LAMIN – SP:

      Marcia Pan – marcia.pan@cprm.gov.br

      Laboratório de Análises Minerais – LAMIN-SP
      CPRM – Serviço Geológico do Brasil
      Rua Costa, 55 – Cerqueira César – Cep: 01304-010
      Tel.: (11) 3775-5115

      OBSERVAÇAO IMPORTANTE: Se o contato não for feito as
      amostras não serão aceitas pelo LAMIN.
      PRAZOS
      O prazo de entrega dos resultados é de 30 (trinta) dias úteis.

      ENVIO DAS AMOSTRAS
      O cliente deverá preencher o formulário para entrada de amostras (FEAA)
      disponível na página da CPRM em http://www.cprm.gov.br. Este formulário
      pode ser também solicitado por fax ou e-mail.

      As amostras serão enviadas para o Laboratório em quantidade mínima de
      5 litros sem necessidade de conservação especial para esses parâmetros,
      seguindo as instruções da FEAA.

      Obs.: No caso de água importada enviar carta, contendo a relação das
      amostras, devidamente assinada pelo responsável autorizando a análise. CUSTOS:
      Análise Química para Potabilidade (Controle de Qualidade)
      P/ pessoa física – R$ 118,72
      P/ pessoa jurídica – R$ 129,94

      Análise Química Completa (Análise Prévia, Água Importada)
      P/ pessoa física – R$ 272,99
      P/pessoa jurídica – R$ 298,79

      PAGAMENTO DA ANÁLISE
      Os pagamentos poderão ser efetuados no ato da entrega das amostras ou
      através de boleto bancário, conforme instruções abaixo:

      1 – Entrar, no site do STN: (www.stn.fazenda.gov.br).
      2 – No menu principal, opção “Guia de Recolhimento da União”
      3 – Imprimir GRU Simples
      4 – Procedimento do preenchimento da GRU:
      - Unidade Favorecida:
      Código = 495001
      Gestão = 29208
      - Recolhimento:
      Código = 20009-3
      - Contribuinte:
      CNPJ/ CPF = XXXXXXXXX
      Nome do Contribuinte = XXXXXXXXXX
      Valor Principal = XXXXXXXXX
      Valor Total = XXXXXX
      5 – Pagar no Banco do Brasil, enviar cópia da G
      “.
      Então é isso: fique esperto.
      Um abração.
      Abreu

      Olá, Arapuã. Meu caro, há alguma coisa MMMMUUUIIITO errada com esses preços. Estou absolutamente estupefato. Fique quietinho aí, não se mexa. Amanhã eu vou dar uma olhada nesse mercado de laboratório de análises e ver se isso aí tem procedência e onde você poderá fazer sua análise a preços mais honestos.
      Aguarde.
      Abreu

  136. Prezado Sr. Abreu, Parabéns por ajudar tantas pessoas com com problemas com água suja. moro no DF em tenho um poço de 35 m de profundidade, não deu para perfurar mais devido uma rocha. A vazão é boa, mas a água é barrenta. Cor de barro de fazer cerâmica – argila mesmo. Já gastei muito com limpeza, mudando de bomba e estou desanimado.Preciso de água somente para irrigação da jardinagem e piscina, só que com aquele tanto de sedimento entope os bicos. Algumas características do poço:
    - 30 metros profundidade
    - água ao 9 metros
    - bomba de 0,5 HP, com vazão de até 2000 l/h
    - Caixa de 10 000 l
    Poderia me ajudar? Não vi nenhum relato com água semelhante a nossa, não parece óxido de ferro.
    Um grande abraço.

    • Olá, Antônio Carlos. Bem-vindo ao blog. Primeiro, uma avaliação de natureza geral: o seu problema é o de todos nós, sim: chama-se “Poço artesiano de água suja”! Este é um gênero de problemas que tem várias espécies. No seu caso especificamente, duas coisas me chamaram a atenção:
      a) não imagino que rocha é essa que impediu o prosseguimento da perfuração. Aqui no DF, a média dos poços, pelo que temos percebido neste blog, começam a ser perfurados “pra valer” a partir dos 30 metros, onde se encontra a rocha-mãe. Por isso, os primeiros 30-35 metros são revestidos de tubos de aço-carbono ou PVC, porque essa profundidade ainda está em contato com camadas sedimentares, com muita matéria orgânica. A partir daí, a perfuratriz entra na rocha e vai buscar a água do “grande rio subterrâneo”. Então, nossa conclusão de leigos é de que não é sua rocha que dura: é a empresa perfuradora que é mole! As boas companhias de perfuração de poços têm brocas especiais, feitas de diamante industrial, que atravessam a maior parte das rochas do Planalto Central. Em seu lugar, eu pediria uma “segunda opinião”.
      b) como você está na camada sedimentar, antes da rocha-mãe, é natural que a água esteja cheia de argila e, possivelmente matéria orgânica (depende muito de onde é sua propriedade rural), principalmente se esses 30 metros não foram revestidos. Dessa forma, Antônio Carlos, precisaríamos de duas respostas suas para tentar ajudar a resolver seu problema:
      a) o seu poço é revestido? Se é, com quê?
      b) você fez muitos gastos com limpeza. Mas você já instalou um filtro central?
      Depois que você retornar, poderemos discutir as alternativas que você tem. Por enquanto, não precisa fazer a análise da água, OK?
      Um abração.
      Abreu

  137. Boa noite Abreu. Estava procurando respostas para problemas de poços quando encontrei o endereço de seu blog, e resolvi contatar. Estou com problemas em relação ao poço há alguns meses. Este poço foi feito na década de 80A. Usamos uma bomba submersa, 220v, de potência de 950, Vibragua. A bomba anterior de 850, devolvi para a loja com menos de 3 meses de uso, pois estava na garantia. Ela tinha umas manchas escorridas amareladas nos parafusos de vedação. No inicio puxava água muito bem e forte. Com algumas semanas, ficou fraca e não subia água na caixa. Troquei a bomba que estava na garantia, pela de 950 de potência. No início, forte e mandava bem a água. Agora, não manda mais que 20 minutos de água. Estive na loja onde comprei a bomba e comentei sobre o problema. Eles sugeriram que pode ser problemas com a água. A água aqui não mancha a roupa de amarelo, mas ao retirar um pouco de água diretamente da torneira do poço, ela não estava totalmente límpida, parecia ter um pouco de farinha branca. Medimos a quantidade de água do poço – mais de 2m de água. O poço tem aproximadamente 20 m de profundidade, tijolado. Estou me sentindo impotente, pois não encontro ninguém para solucionar o problema e continuo SEM água.

  138. Gente…. fiquei horas lendo este blog do início ao fim, muito esclarecedor, OBRIGADA!!!!!

    Moro em um sítio e tenho este mesmo problema, a água sai límpida, clarinha….depois de 3 horas começa a ficar marrom cor de ferro. Lí todos os post, só naõ encontrei a resposta para minha GRANDE dúvida:

    - O PHOSLAN vai eliminar de vez o ferro da água? Ou vai apenas “mascarar”? Ou seja, a água vai ficar clarinha e limpa, porém posso beber? Não vou ter ferretina alta no sangue depois disso?

    Aguardo sua resposta COM MUITA ANSIEDADE!!!!! Pois tenho 23 cães aqui no sítio e moro aqui já fazem 2 anos, meus cães bebem essa água e estão apresentando problemas com excesso de ferro no sangue, alguns já estão com problemas hepáticos e o Veterinário disse que é a água.

    • Olá, Branca. Bem-vinda ao blog. Pelo seu endereço de e-mail, imagino que deva ser criadora de schnauzers. Por aqui temos uma, de 09 anos, além dos outros 16 (cani corso, dogue alemão, labrador, buldogue inglês, shitzu, chihuahua e quatro SRD. Bom, quanto à água: como você deve ter percebido, a nossa proposta de solução passa pelo tratamento com Phoslan na saída do poço, em seguida passagem pelo filtro de 2.000 litros e enfim, a caixa. Nesse sistema, as moléculas queladas (envolvidas) pelo Phoslan são retidas pelo filtro, trazendo o teor de ferro da água da torneira para os níveis considerados normais. Veja que se não fizer o tratamento, as moléculas de ferro normais passam pelo filtro. Amanhã mesmo estarei enviando ao laboratório duas amostra da água (bruta, saída do poço e a água da caixa) para o exame anual de rotina. Quando saírem os resultados, provavelmente na sexta, publicarei aqui.
      Um grande abraço.
      Abreu

  139. Olá Abreu. Em primeiro lugar Parabéns pelo espaço criativo e Salvador, kkkkk!!!!!!
    Ao procurar um solução para meu problema, encontrei o seu blog. Então vamos lá.
    Sou do DF e irei Morar em (Arniqueira ) e a água usada pelos moradores do condomínio é de uma mina canalizada e dentro do lote há um “poço caipira” com +/- 10 mts. A água é jogada bruta na caixa. Ao mudar quera, além de filtrar, tratar a água devido a proximidade da superfície. Encontrei algumas propostas de centrais de tratamento e filtragem com retro lavagem e bomba dos adora automática. Os valores giram em torno de 3500,00 / 3800,00. Elas são entregues montadas, cabendo somente instalar. Quero ligar as duas opções de água, pois na seca a mina míngua e eu teria o poço como opção.

    Sabe se existem alguma opção dessa central aqui no DF? As que eu vi são de fora. No mundo dos filtros, só o filtro custa R$ 1600,00( 1.500litros).

    Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>