BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

agosto 5, 2018 Abreu 179 comments

 

*******************************************************************************************************************************

Prezado Abreu,
Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
Vou fazer Br
asília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

Comentário postado em 19/08/2017 as 13:41 por Alceu Simões Nader 

 *******************

Maurício Coutinho dos Santos      

Olá Abreu!

Sou muito fã do seu blog,e quero parabenizar  pelo que você faz com tanto carinho para as pessoas que querem viajar com segurança nessas nossas rodovias tão ruins e mal sinalizadas. Posso garantir que são péssimas, pois as conheço a fundo: trabalho como caminhoneiro há 35 anos e sei que a pior coisa para um motorista é uma estrada desconhecida. Vejo que as dicas que você dá  são de suma importância, pois as mazelas das estradas, sem a devida malícia, podem nos levar à morte .

Mas, como motorista de caminhão que sou, também sou motorista de carro de passeio e faço minhas viagens de férias. E não há nada melhor,  antes de uma viagem, do que  saber como elas estão .

Por isso venho ao seu blog perguntar:  como estão as estradas de Brasília a Porto Seguro ?

Eu e minha família estaremos saindo de Goiânia dia 2 de janeiro de madrugada e queremos pernoitar em Vitória da Conquista .

Desde de já agradeço.

Adriana e Maurício.

Comentário postado em 19.12.2018, às 10:59 por Maurício Coutinho dos Santos

 

O espaço para comentários, dúvidas e consultas sobre esta matéria encontra-se ao final dela.  

 

**************************************************************************************************************

                               

BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

 

             (O espaço para comentários, dúvidas e consultas sobre esta matéria encontra-se ao final dela.)

  

            Já há algum tempo identificamos um fluxo substancial de famílias de Brasília e Goiânia, que optam por passar férias no sul da Bahia, particularmente Ilhéus, Itacaré e Porto Seguro. Mais recentemente, identificamos um subgrupo que escolhe Morro de São Paulo e Guaibim para o merecido descanso anual. 

            Também ao longo dos últimos dois anos, buscamos construir a melhor rota para esses viajantes, de modo a resguardar a segurança da viagem e o relativo conforto dos passageiros.

            Como em todos os nossos posts aqui no blog, uma das orientações de que não abrimos mão é a total inconveniência de viagens à noite pelas estradas brasileiras, com exceção de umas poucas no Estado de São Paulo. À noite, a estrada é outra. Por falta de sinalização adequada, de olhos de gato ou iluminação, os eventuais buracos e ressaltos se tornam invisíveis e os jumentos, bois e cavalos soltos no escuro se tornam assassinos. Resultado: 82% dos acidentes com mortes nessas estradas ocorrem entre as 18 horas de um dia e as 06 horas da manhã do dia seguinte.

            Então, estamos combinados: viajar à noite nessas estradas é para motoristas inexperientes ou “nativos locais totais”, ou seja, moradores de cidades vizinhas, que conhecem a estrada como a palma da mão. Famílias ou solteiros, responsáveis, ajuizados e que querem apenas ir, curtir e voltar em paz, iniciam a viagem ao nascer do sol e, ao pôr-do-sol, já estão no hotel.

            Para a viagem de Brasília a Morro de São Paulo, temos hoje duas alternativas básicas: Correntina (1.316 km ou 1.401 km) e Barreiras (1.413 km).  O percurso por Barreiras é o mais longo (97 km ou 12 km), embora seja o mais bem estruturado. Passa por Brasília-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Anônio de Jesus-Morro de São Paulo.

              A ROTA POR BARREIRAS

              Essa rota está descrita, aqui mesmo no blog, em nosso post “Brasília-Salvador de carro”, publicado em nosso site www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. A modificação acontece na cidade de Itaberaba. Para se ir a Salvador, recomendamos virar à esquerda, para Ipirá e Feira de Santana ou seguir em frente e alcançar a BR 116 em Argoim. Para Morro de São Paulo, deve-se virar à direita e pegar a BA 245 para Iaçu e, de lá, atravessar a BR 116, chegar a Amargosa e Santo Antônio de Jesus, pegar a BR 101 e descer até Valença. 

             Em relação à rota por Barreiras, orientamos no sentido de que, uma vez nela, não se deve tentar pegar a rota por Correntina, utilizando as transversais que ligam as duas rodovias, porque elas estão, em sua maioria, intransitáveis. 

           AS ROTAS POR CORRENTINA

Já a rota  por Correntina é Brasília-Posto Rosário-Trevo da BR 349-Correntina-Santa Maria da Vitória-Bom Jesus da Lapa-Caetité-Brumado. Uma vez em Brumado, abrem-se duas possibilidades. 

A primeira (a indicação clássica deste blog) é descer para Vitória da Conquista e pernoitar lá. No dia seguinte, depois de rodar mais 371 km, chega a Valença antes do meio-dia. Por essa alternativa, a viagem toda de Brasília a Valença percorre 1.401 km (contra os 1.413 km da rota por Barreiras), com boa estrutura de apoio (postos de combustíveis, lojas de conveniência, lanchonetes, restaurantes e patrulhamento da Polícia Rodoviária Federal). 

A segunda alternativa foi-nos apresentada pelo sputnik  Gilberto Brandão (companheiro de viagem, em russo), apelido carinhoso que damos a todos os que por aqui passam, mas, principalmente àqueles que retornam ao blog para trazer informações atualizadíssimas sobre as estradas utilizadas em  suas viagens recentes.

No caso do Gilberto, ele fez uma viagem rápida em julho de 2018, por interesse comercial e não turístico, de Brasília a Valença. Ele foi pela rota de Barreiras. Mas no retorno, errou a saída e voltou por uma rota que até então estava tão destruída que não tínhamos a mínima condição de recomendá-la. 

Para surpresa do Gilberto e nossa, o relato dele é de que está boa a rota de volta de Valença para Brumado passando  por Laje-Mutuípe-Ubaíra-Santa Inês-Itaquara-Jaguaquara-Itiruçu-Lajedo do Tabocal-Maracás-Pé de Serra-Contendas do Sincorá e Brumado. 

Segundo o relato de Gilberto, que reproduzimos abaixo na área dos comentários, as estradas dessa rota foram recuperadas, não tendo sido encontrado sequer um buraco. Por essa rota, a viagem total a partir de Brasília até Valença perfaz um total de 1.330 km. 

Trata-se de uma redução de 70 km no trajeto total. Temos de lembrar, entretanto, que se trata de um trecho de estradas que não tem estrutura hoteleira ou de apoio e nâo conta com a presença da Polícia Rodoviária Federall, razão pela qual sugerimos àqueles que decidirem testar o novo trecho QUE NÃO VIAJEM NELE À NOITE, o que significa pernoitar em Brumado. 

Para os que escolherem essa rota recém-descoberta por Gilberto Brandão,  lembramos que, saindo de Brasília ao nascer do sol, há plenas condições de pernoite em Brumado, após 915 km, e de concluir a viagem no dia seguinte, após o café da manhã, chegando a Valença pouco antes do meio-dia.

Caso a viagem se atrase, há condições de pernoite em  Caetité ou mesmo Bom Jesus da Lapa. Caso a viagem se adiante, ainda assim pernoite em Brumado. Em qualquer dos casos, sempre será possível chegar ao destino antes do meio-dia do dia seguinte.    

Os pontos de apoio para banheiros, lanches e abastecimento estão em Rosário, a 300 km de Brasília (o melhor de todos os pontos de apoio da rota) Correntina, Bom Jesus da Lapa, Caetité e Brumado.

Importante registrar que, nas estradas da região, sinal de celular só está disponível nas cidades de apoio e em algumas – como Rosário – a única operadora é a Vivo. Nos intervalos entre cidades, normalmente não há sinal.

Em qualquer das três rotas (Barreiras, Correntina via Vitória da Conquista ou Correntina via Maracás), quando mencionamos “Valença”, na verdade estamos falando da Ponta do Curral, situada no distrito de Guaibim (município de Valença), cujo acesso fica a cerca de 7 km ao norte da sede do município. Lá fica o estacionamento e o porto das lanchas que fazem a travessia mais rápida e confortável para para Morro de São Paulo, com duração aproximada de 10 minutos e mar calmo. 

Lembramos a nossos leitores que não deixem de ver aqui no blog o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Esse post tem interessantes informações, principalmente para marinheiros de primeira viagem ou famílias que se deslocam com crianças pequenas ou idosos, por exemplo, mas traz também muitas dicas para motoristas experientes, como nossa receita para não dormir ao volante no começo da tarde (quando todos dormem a bordo), ou como enxergar melhor sob chuva na horas próximas ao pôr-do-sol. O Manual está em www.expressaodaliberdade.com.br, aba “Rodovias Brasileiras, “Manual…”

Nosso o objetivo é que a viagem de férias de todos os nossos sputniks  (companheiros de viagem, em russo) seja alegre, feliz, segura e tranquila e o seu retorno seja tranquilo, seguro, feliz e alegre.

Para isso, contamos integralmente com o seu apoio e compreensão: às vezes indicamos rotas mais longas, porque são mais confortáveis. Nunca indicamos estradas de terra, porque famílias com automóveis quebrados em estradas de terra, em dia de chuva, sem condição de socorro, são um drama que não desejamos para nenhum dos nossos sputniks. Às vezes, indicamos rotas MUITO mais longas do que outras, mas é porque estamos cientes de fatos como combustível adulterado ou ocorrência de assaltos.

            E essa nossa metodologia tem dado resultados muito bons.

Edimar Rodrigues de Abreu – 05 de agosto de 2018.

 

179 Comments on “BRASÍLIA-MORRO DE SÃO PAULO E GUAIBIM DE CARRO

  1. Prezado Abreu.
    Sempre procuro alguma noticia referente às alternativas para encurtar a distância entre Brasília e o litoral baiano.
    Já postei sobre a Br030 saindo de Brasília, passando por Guananbi(GO) e Cocos(BA) mas essa promessa já passa de década e só fica no papel…
    Agora surgiu mais essa:
    https://diariodopoder.com.br/brasil-e-regioes/zema-anuncia-construcao-de-ponte-de-r-126-milhoes-sobre-o-rio-sao-francisco
    O senhor conhece a região? Acho que não diminui a distância (pelo menos para Morro de São Paulo que é o lugar que visito anualmente), mas sendo mais uma rota, imagino que seja útil termos informações referente ao trajeto!
    Obrigado, e um abraço!
    Rodrigo Costa.

      1. Olá, Rodrigo. Bem-vindo de volta e muito obrigado pelo seu esforço de buscar caminhos mais curtos para as viagens de carro. Vamos lá. A futura ponte sobre o Rio São Francisco, na cidade de São Francisco (MG) ficaria a 73 km da cidade de Januária(MG), onde já existe uma ponte. Rio acima de São Francisco (MG), fica a cidade de Pirapora (MG), onde também existe uma ponte sobre o Rio São Francisco. Então, a ponte anunciada não traria muita diferença em relação à situação atual, uma vez que o problema maior são as estradas entre Brasília e as cidades naquele trecho do Rio São Francisco (Pirapora, São Francisco, Januária, etc): naquela área, as estradas são uma tragédia, a maior parte de terra. Por outro lado, mesmo que, junto com a nova ponte, viesse a construção da estrada ligando a ponte a Brasília, a nova rota Brasília-São Francisco-Montes Claros-Salinas-Vitória da Conquista-Valença teria um total de 1.708 km, ou seja, 321 km a mais do que a rota que atualmente estamos recomendando para ir de Brasília a Morro de São Paulo (Brasília-Correntina-Bom Jesus da Lapa-Vitória da Conquista-Valença) que tem 1.387 km). Então, Rodrigo, a despeito das promessas dos políticos em ano pré-eleitoral, acreditamos que nossa sugestão de rota ainda continua sendo a melhor opção.
        Um abração.
        Abreu

  2. Boa noite a todos!!!! Antes de mais nada adorei o site, dando informações importantes para os viajantes. Me chamo Antônio, e estou me programando para ir a Morro de São Paulo. Para chegar ao meu destino, devo ir para o Atracadouro Bom Jesus, localizado em Guaibim. Gostaria de saber as condições da estrada para chegar até Guaibim? Me disseram que o melhor trajeto é de Brumado, passando por Sussuaruna, ao invés de pegar por Vitória da Conquista. Esse trajeto está em boas condições? AGUARDO INFORMAÇÕES!!! ABRAÇO!!!

    1. Olá, Antônio Carlos. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado por suas carinhosas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Temos uma série de discussões aqui no blog sobre esse roteiro por Sussuarana, que estamos estudando com muita dedicação. Lamentavelmente, nós ainda não nos sentimos seguros e convencidos a recomendá-los às famílias que nos visitam, porque se trata de uma estrada (BA 026) que atravessa uma das regiões mais pobres da Bahia, sem estrutura para qualquer eventualidade, é considerada uma das estradas mais perigosas do Estado (basta googlar “BA 026”) e há registro de um trecho com buracos entre Sussuarana e Contendas do Sincorá e também de congestionamento de caminhões fugindo da BR 116 quando a fiscalização aperta por lá. Para quem está de carro novo e gente jovem e solteira a bordo, pode ser uma boa alternativa. Para famílias que viajam com mulheres, crianças ou idosos, sinceramente, não temos ainda condições de recomendar. Mas muitos dos nossos visitantes estão passando por lá. Há uma economia de cerca de 200 km em relação à rota por nós indicada. E os relatos deles têm sido de tranquilidade no uso daquela alternativa. Ficamos na expectativa da sua escolha. Dê notícias, hein?
      Um grande abraço.
      Abreu

    2. Olá Antonio Carlos, bom dia.
      Sempre com a devida vênia ao nosso querido Capitão Abreu, passo a informá-lo sobre as condições reais da referida estrada. De fato, há registro de um trecho com buracos entre Sussuarana e Contendas do Sincorá , aproxidamente 9km, passei por lá. discutimos bastante, eu e o Sr Abreu sobre qual caminho pegar, no entanto, acabamos por escolher esse caminho, pois, o casal de primos que nos acompanhou na viagem também conhecia a estrada. O que posso te dizer é que antes de passar por lá, estávamos meio desanimados, devido aos buracos hora informados, entretanto, após a passagem, percebemos que foi a melhor escolha. Não quero aqui com essa explicação fazer você escolher um caminho que não conhece, quero apenas te passar a experiência que tivemos nesse trecho.

    3. Antonio Carlos, me perdoe por te responder pela metade. A parte final da viagem, que compreende do entrocamento da BR 101 até Valença tem em média, 34km, não tem como andar, além de alguns buracos, a estrada é bem sinuosa. No seu caso, para se chegar ao Morro de São Paulo, existem três opções, escolha a que se sentir mais seguro. Aí vai elas.
      Cais da Graciosa, pela BA 001, fica a 14km de Valença, o estacionamento (diária do carro) e a passagem de lancha rápida são mais baratos. A própria cidade de Valença, pela qual você tem que passar, tem um Terminal Hidroviário, nessa região, vai encontrar mais opção de estacionamento, um pouco mais caro. E por fim, o atracadouro de Bom Jardim, pela Ba 885, entrada de frente ao aeroporto de Guaibim, que fica a 11km da entrada da cidade. Se te ajudei, não precisa agradecer, se não, pode me perguntar que tentarei te ajudar, esse é o sentido do blog do nosso capitão Abreu.

  3. Boa Tarde.
    Eu tinha intenção de fazer o relato da minha viagem, no entanto ficaria idêntico ao Do Sr. Luís. (risos)
    Como complemento, gostaria de dizer que este ano observei que a rede de postos Shell está presente em diversos municípios em todo trajeto (Brasília-Guaibim passando por Maracás)- diferente de anos anteriores. Ainda em relação a postos de combustível, algo de muito estranho aconteceu comigo no Posto Rosário. Além de ser o local onde encontrei a gasolina mais cara, foi a gasolina que observei a pior autonomia (muito ruim), tanto que tive de abastecer em Correntina antecipando a parada que faria em Bom Jesus da Lapa. Aconselho aos próximos viajantes programarem abastecer em Alvorada do Norte.
    Abraços.

  4. Olá Abreu e viajantes!
    Hoje, dia 31/12/2020 cheguei em Guaibim vindo de Brasília e gostaria de compartilhar minha experiência (que acabou de sair do forno) sobre o trecho. Antes de mais nada, gostaria de agradecer as informações que recebi aqui no Blog, elas foram importantíssimas no meu processo de decisão sobre qual trecho escolher.
    (tem resumo no final para aqueles que não gostam de textão! rs)
    Bom, saí de Brasília ás 4h30 do dia 30/12/2020 – cedo. muito cedo! Sabia disso, mas optamos assim para podermos ter uma janela caso ocorresse algum imprevisto – e ocorreu! Um pouco depois de formosa nos deparamos com o pneu furado (uma pedrinha que parecia cerâmica) e a nossa sorte foi de que estávamos ao lado de um posto de gasolina que tinha uma borracharia. Seria glória demais caso a borracharia já estivesse aberta por conta do horário, mas não! ela estava fechada e só abria às 7h30. Optamos por esperar abrir para poder seguir com a garantia de que o estepe continuaria preservado. A borracharia fazia parte de uma auto peças chamada ‘auto peças 020’ e às 7h30 abriu as portas pontualmente, com uma equipe simpática e muito eficiente. Prosseguimos o concerto do pneu (foi feito uma vulcanização) e somamos aproximadamente 3h de atraso, mas tranquilo diante de que esse foi o nosso único imprevisto. Seguimos nosso trajeto conforme indicado pelos parceiros do blog, sendo que Brumado foi nosso ponto escolhido (e sugerido aqui) para descanso. As pistas estavam em perfeito estado (por sua maioria, um tapete!) e o movimento de carros e caminhões não estava intenso. Chegamos em Brumado um pouco antes das 18h e nos hospedamos na Pousada Central (reservada anteriormente via booking). Pousadinha confortável e com um café da manhã bem feitinho… saímos de lá hoje (31/12/20) por volta das 7h da manhã e esse foi o momento mais difícil em termos de decisão: Não sabíamos se seguíamos o trajeto por Vitória da Conquista, indicado com maior frequência por aqui, ou se arriscávamos ir por Sussuarana, Sincorá, Maracás… que é o trajeto mais rápido, porém dado como ruim. Por decisão realizada de forma democrática entre todos que estavam comigo, decidimos ir pelo caminho mais curto e encarar um possível trecho ruim. Bom, logo que saímos de Brumado nos deparamos com o tal trajeto ruim, mas para nossa surpresa (e que agradável surpresa…) o trajeto acabou muito cedo. Sim, o trajeto com buracos (buracos rasos) dura no máximo 6km (esqueci de medir ao certo) e depois disso foi tudo lindo. Chegamos em Guaibim por volta das 12h30 e ainda conseguimos almoçar no delicioso restaurante da Jivanete.
    Resumindo: O trajeto foi incrível e as pistas estão muito boas. Decidimos no dia seguinte, logo depois de repousarmos em Brumado, seguir por Sussuarana (ao invés de Vitória da Conquista). Pegamos um pequeno (bem pequeno) trecho de estrada ruim, mas depois foi tudo ok! O trajeto é ótimo e mais rápido (não sei o movimento estava menor por conta de ser véspera de ano novo). Chegamos em Guaibim na hora do almoço, melhor hora impossível!
    Espero ter retribuído toda ajuda que tive aqui, desejando um ótimo ano novo para todos! Que seja um ano mais leve e com muitas ‘trips’ pra gente! Abraço

    1. Ola, bom dia, gostaria de relatar também aqui minha experiência, fazendo coro em grande parte ao amigo Luís. Fiz minha pesquisa aqui também e me sinto na obrigação de retribuir.
      Saimos de Brasília tb dia 30/12, as 8h30 (tarde) e seguimos rumo ao atracadouro de guaibim a fim de atravessarmos para morro de são Paulo. Em resumo, a estrada está muito boa, a BR 030 até então está um tapete mesmo. Pegamos pouco fluxo de trânsito no geral, porém achamos que teve bastante caminhão. Dormimos em brumado, chegamos umas 19h, cidade conhecida por ser um ponto bastante comum de descanso para o litoral. Tivemos o mesmo dilema sobre qual rota a seguir, se via sussuarana ou vitória da conquista. Pedimos informação na saída de brumado com o frentista. Decidimos seguir via sussuarana. A estrada é precária, mas em um curto espaço, acredito que passando de dia, sem chuvas, com atenção, quem quiser atravessar é tranquilo. Inclusive há ponto da polícia rodoviária estadual e eles estavam a postos. Para quem utiliza o app Waze, há informação de algum buraco pontual, nada que com atenção possa ser desviado. Mais a frente até a cidade de Laje, há várias travessias de cidades menores, com lombadas e trânsito, dando uma demorada nesses pontos. Após Jequié, entra-se na BR 116, bastante fluxo de Caminhão, mas é um pequeno trecho. Já em guaibim, no atracadouro da ponta do curral, estão cobrando a diária de estacionamento entre 15 reais em vaga descoberta ou 20 reais coberta. É isso, um grande abraço a todos vocês e feliz ano novo!!!

    2. Nobre Luis, boa tarde!! Tudo bem?
      Para uma precisa informação, o trecho citado por você consta de exatos 9 Km, não marquei na ida, pois, não me lembrei de marcar quando entramos nesse trecho “ruim”, no entanto, estava atento, diante de tantas informações que busquei sobre esse caminho. Talvez você seja como eu, gosto muiiiiitoooooo de Guaibim/Morro de São Paulo, foram vários anos passando a virada de ano por lá. O nosso Capitão Abreu não gosta muito desse caminho, ele cita diversos motivos e razões para tal e concordo em gênero, número e grau com ele, desde que a decisão tomada em seguir por lá, não seja tomada por iniciantes. No entanto, cabe a mim frisar aqui e sei que todos concordam que a disposição e o trabalho realizado pelo nobre Sputnik Abreu é excelente, sem máculas. Abreu, após o meu retorno, fiquei sem tempo de parar para trocarmos essa ideia e te atualizar de tudo. È bom que temos companheiros que também rodam por esse “Brasilzão de meu Deus” e que também nos mantém informados de tudo.

      1. Antoni, velho guerreiro das estradas. Quer dizer que você já foi e voltou? E foi por “lá”? Então, você deve ter um bocado de coisas importantes para contar para nós. Há muita gente fazendo essa rota por Maricás, como você deve ter visto. Mas não são novatos. Talvez esteja na hora de fazermos a abertura desse percurso para os mais experientes e que o desconheçam. Contamos com você, hein?
        Um abração e bem-vindo de volta!!
        Abreu

        1. Abreu, talvez eu não consiga passar as informações como você, nobre amigo, porém, no que puder colaborar, estarei sempre às ordens. Você é o capitão dessa embarcação de informações.

  5. Boa noite amigos, recentemente (agosto) fiz a rota Brasília porto seguro / porto seguro Brasília, fiz aqui um rico comentário sobre as condições das estradas,agora retorno pra pedir a vcs nobres amigos e vc grande Abreu me dêem dicas de como está a rota Brasília-feira de Santana-Aracaju- Maceió, estou pretendendo sair sábado 26 e fazer a rota do primeiro dia até lençóis ou Itaberaba,e do segundo dia dormir em Aracaju e depois chegar ao destino Maceió na casa de familiares, como li praticamente todos os comentários de vários posts aqui do site, vi que passaram pessoas nas estaduais ( St Maria da vitória a javi “172” e também de bom Jesus da Lapa a Ibotirama “160”) sei que o amigo Abreu não concorda com essas transversais estaduais mas os relatos foram encorajadores dizendo que essas rodovias estão “novas” , então enfim queria uma opinião sobre alguma dessas rodovias se alguém passou mais recentemente e indica, ou farei o trecho comum por Luis Eduardo e Barreiras seguindo a 242 ?
    Desde já muito agradecido abraços, e chegando em Maceió faço o resumo detalhado do treco BSB Maceió e o retorno Maceió BSB tbm irei detalhar

  6. Boa noite amigos, recentemente (agosto) fiz a rota Brasília porto seguro / porto seguro Brasília, fiz aqui um rico comentário sobre as condições das estradas,agora retorno pra pedir a vcs nobres amigos e vc grande Abreu me dêem dicas de como está a rota Brasília-feira de Santana-Aracaju- Maceió, estou pretendendo sair sábado 26 e fazer a rota do primeiro dia até lençóis ou Itaberaba,e do segundo dia dormir em Aracaju e depois chegar ao destino Maceió na casa de familiares, como li praticamente todos os comentários de vários posts aqui do site, vi que passaram pessoas nas estaduais ( St Maria da vitória a javi “172” e também de bom Jesus da Lapa a Ibotirama “160”) sei que o amigo Abreu não concorda com essas transversais estaduais mas os relatos foram encorajadores dizendo que essas rodovias estão “novas” , então enfim queria uma opinião sobre alguma dessas rodovias se alguém passou mais recentemente e indica, ou farei o trecho comum por Luis Eduardo e Barreiras seguindo a 242 ?
    Desde já muito agradecido abraços, e chegando em Maceió faço o resumo detalhado do treco BSB Maceió e o retorno Maceió BSB
    Agradecido

  7. Opa, grande Abreu e amigos aqui presentes. Gostaria de ressaltar meu agradecimento à todos que de alguma forma compartilham suas experiências e também, acrescentar mais uma dúvida: No trajeto de volta – Guaibim p/ Brasília – qual a melhor sugestão de cidade para parar e descansar? Visto que não tenho preferência por viajar ao escurecer. Obrigado mais uma vez…

    1. Olá, Luís. Bem-vindo de volta. No retorno, planeje o pernoite em Bom Jesus da Lapa, a 815 km de Guaibim. Veja que não vale a pena avançar mais, porque as condições de hospedagem a partir de Bom Jesus da Lapa não são tão boas. No dia seguinte, você terá de rodar 670 km e chegar à Capital Federal por volta das 14 horas, OK?
      Um abração.
      Abreu

  8. Gente que site maravilhoso!!
    Parabéns, e meu muito obrigada ao criador dessa página. Fico até emocionada, em tempos onde pessoas não se preocupam em ajudar o próximo, encontrar um site com tanto engajamento das pessoas, passando informações atualizadas das rodovias e sua estrutura, é de nós deixar realmente pensativo.
    Vocês fizeram nascem uma sementinha em meu coração, e com toda certeza também irei compartilhar minha experiência.

    Aqui nós podemos salvar vidas, famílias, crianças, idosos etc…

    Bom, tenho trinta anos, e estamos às vésperas de nossa viagem de férias para Guaibim/Morro de São Paulo BA. Sairão de Brasília dia 17/12, três carros, com pessoas da faixa etária de 06 anos à 55 anos.
    Irei compartilhar com os demais, todas às informações obtidas pelo site e retorno ao mesmo com nossa experiência e dicas.

    Quero ajudar os próximos viajantes, assim como fui ajudada.

    Um.abraço

    Thawanny Machado

    1. Olá, Thawanny. Bem-vindíssima ao nosso blog. Desculpe nossa demora em responder o seu comentário. Nossa família já tem 13 anos aqui nesse pedaço de chão da internet, mas nunca recebemos um comentário tão doce, tão humano, tão gratificante e tão estimulante como o seu. Como muitos amigos que por aqui passam frequentemente, você “sacou” a alma, o espírito do que nós fazemos. Mas nenhum deles veio de forma tão simples dizer para nós mesmos o que as pessoas pensam em relação a nós e a essa tarefa aparentemente sem sentido de pegar cada família, cada grupo que viaja, como se fosse um filho e orientá-lo para que nada de ruim ocorra durante sua ida e vinda. Em 92% dos casos – nossas estatísticas mostram claramente isso – as pessoas não entram nem comentam no blog. Depois de dois ou três anos – duas ou três viagens de férias – guiando-se por este blog, uma parte delas descobre que não é picaretagem, não é caça-níqueis, não tem nada de grupamento político, estético, filosófico, religioso ou financeiro e, timidamente, decidem comentar. E comentar significa participar, agregar, colaborar, fazer crescer, discutir, acrescentar. Elas descobrem que apenas somos uma família preocupada em dividir o que sabemos sobre esse mundo das viagens rodoviárias pelo Brasil com outras famílias que estão começando a dar os seus primeiros passos e mesmo para algumas outras que reúnem experiências muito maiores do que as nossas. É só isso. Nossa família hoje é composta de 5 pessoas (tivemos uma baixa). Todos participam e respondem aos comentários sob o nosso nome “Abreu”, embora a cúpula do grupo sempre revisa tudo e dá o formato final. Juntos, temos 227 anos de experiência nessas estradas. E somos sobreviventes delas. Começamos a viajar de carro em férias em 1978, rodamos mais de um milhão e seiscentos mil quilômetros e nunca amassamos um paralamas. Então, em 2007, decidimos compartilhar com outras famílias o conhecimento que nos trouxe até aqui. Só isso. Somos abordados comercialmente, mas entendemos que o patrocínio comercial poderia prejudicar nossa linha de trabalho. Às vezes, temos problemas. Ao recomendar que as famílias não passem por tal rodovia, eventualmente recebemos ponderações de prefeituras, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais que têm interesse nesse fluxo de viajantes. Mas nossa preocupação fundamental não são estabelecimentos comerciais ou prefeituras, mas famílias que se apoiam e precisam de nós. Ah, também não somos uma ONG nem uma entidade filantrópica. Somos apenas uma família ajudando famílias a serem felizes em viagens de carro pelo Brasil. Essa história toda, Thawanny, é porque nós chegamos à conclusão de que você veio para ficar por aqui, colaborando e ajudando a preservar nosso trabalho. Temos uma esperança grande de que os seus 30 anos se somem aos nossos 227. Temos uma esperança grande de que você aprenda para ensinar. Temos um termo carinhoso para pessoas como você: sputnik. Sputnik hoje é nome de vacina russa contra Covid, mas, originalmente, significa “companheiro de viagem”, no idioma russo. Esse grupo de sputniks do blog é pequeno. São pessoas como o Antoni Moreno, o Gilberto Brandão, o Vander Lopes e alguns outros. É de pessoas que “sacaram” o que você “sacou”. Bem-vindíssima, Thawanny Machado.
      Um abraçaço.
      Abreu

  9. Olá Bom dia!!
    Nobre Abreu, sua preocupação denota à distância, até mesmo para quem é novo no blog o esposo, o pai e o avô que é, preocupado e atencioso com pessoas que você não conhece mas que lhe pedem um norte, as vezes um sul ou leste e oeste…rsrsrsrs.
    De fato, você não orienta um caminho para uma família pelo qual não passaria com a sua, só por essa observação já se justifica tais motivos em segui-lo, sempre pensando no próximo. No meu caso, sou jovem sim, mas não sou tão jovem a ponto de cometer um deslize tão grande que vai contra suas orientações, longe de mim. Todas as informações que passei foram para tentar ajudar em mais informações para os nobres companheiros Sputnik. Passo a te explicar por que tanta insistência em buscar mais informações sobre o trecho em questão, não entenda como uma desobediência, por favor. No entanto, é que, no “meu caso”, esse é o trecho que sempre usei durante 5 anos, por esse motivo, tenho preferência em passar por ele, inclusive, o casal de primos que vai com a gente também conhece o referido caminho. Agora, independente do caminho que nós pegarmos, com certeza, você terá todas as informações possíveis para repassar para nossos companheiros da estrada. Muito obrigado caro Sputnik. Abraço.

    1. Olá, querido companheiro Antoni. Toda informação é preciosa. Quando olhamos aquele trajeto de Brumado para Santo Antônio de Jesus, tão mais curto e atrativo, ficamos sonhando com um dia em que alguém nos traga a notícia de que o trajeto tornou-se viável. Durante muito anos, por exemplo, fizemos ponderações, convencimentos, argumentações e até ameaças para evitar que as famílias tomassem o atalho depois de Itapetinga – por Potiraguá – nas viagens de Brasília para Ilhéus e Porto Seguro. E orientávamos para seguirem até Itabuna e de lá descerem pela BR 101. Nossa recomendação custava cerca de 140 a mais (por Potiraguá são 150 km e por Itabuna são 290), o que doía no nosso coração e azedava o coração dos viajantes. Mas pelas duas rotas até chegar ao ponto comum na BR 101, por Itabuna estava-se gastando por volta de 3 horas de viagem e por Potiraguá, cerca de 6h30min. Aí, um dia chegou a boa nova: a estrada estava totalmente reformada e pronta para receber as pessoas. Confirmamos com a mídia e a prefeitura local e levantamos a bandeira vermelha sobre aquele trecho, para nosso próprio alívio e alegria do pessoal que segue nossas orientações. Assim, Antoni, quem sabe se você optar por essa rota você não nos traga um conjunto novo de informações que nos permita mudar de vermelha para verde nossa bandeira fincada nela? Descartando a rota pela BR 116 (essa é inadmissível), a viagem de Brumado a Santo Antônio de Jesus por Sussuarana e Maracás é de 386 km. enquanto a que indicamos, por Itabuna, são 624 km, ou seja, 238 km a mais. Claro que adoraríamos receber um comentário seu durante essa viagem: “Caro Abreu, pode levantar a bandeira vermelha. A rota por Sussuarana está perfeitamente transitável, sem buracos e sem congestionamentos.” Já pensou? Quando você viajar ficaremos por aqui na torcida, viu?
      Um abração.
      Abreu

      1. Caro Abreu, boa tarde!!
        Diante de tantas informações. estou indeciso em qual caminho seguir. Gostaria de ir pelo caminho de sempre, porém, Sussuarana não nos permite andar da forma que gostamos, asfalto bom e tranquilidade. Estou traçando várias rotas, pois, quando tomar uma decisão, será em cima do que já tenho para não ter que traçar rotas de ultima hora. Os caminhos são os já indicados por você, inclusive a hospedagem no Ibis, caso, eu vá por lá.

  10. Bom dia Abreu, sou a Marcela, moro no Gama/DF e estou analisando a possibilidade de ir também a Guaibim, para uma estadia de uns 15 dias, já que lá não terei custo com hospedagem. Li sua resposta aos colegas viajantes que irão para o mesmo destino e anotei aqui, o percurso Correntina-Brumado-Vitória da Conquista-Itabuna-BR 101-Santo Antônio de Jesus-Valença, para analise, mas meu maior problema é que sou “motorista de primeira viagem”, para um trecho tão longo, fiz viagens dirigindo no máximo duas horas e meia. Por isso gostaria de dicas para chegar bem com minha turminha. Detalhe, vou dirigir sozinha. Um abraço.
    Marcela.

    1. Olá, Marcela. Bem-vinda ao nosso blog. Como você, pelo que vemos aqui no blog, a turma decidiu “redescobrir” Guaibim e Morro de São Paulo nesse final de ano. Uma correção, tá, Marcela: quando falamos de ir pela BR 101 e, de Santo Antônio de Jesus descer para Valença, esquecemos de um “pulo do gato”, que é pegar a direita para Valença 39 km antes de Santo Antônio de Jesus. Anote aí, OK? Marcela, nosso trabalho aqui se resume a orientar famílias a irem e voltarem de férias em paz e segurança. E temos tido muito sucesso nisso nos últimos 13 anos. Não se preocupe: nós vamos ajudar você nos menores detalhes para fazer sua viagem sem problemas. Gostaríamos de saber se sua “turminha” envolve crianças, idosos ou pets. Cada grupo desse tem de nós um carinho especial. A propósito, você chegou até nós (possivelmente pelo Google) pelo post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim”, que está publicado aqui em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde estão diversos outros posts nossos sobre viagens de férias nas rodovias do Brasil. Entre eles, gostaríamos que você desse uma lida no post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, uma vez que nós o escrevemos com a atenção voltada para motoristas sem muita experiência ou que tenham a bordo mulheres, crianças e idosos. Não é misoginia: temos de orientar famílias, em especial às mulheres, sobre como evitar desconfortos ou problemas com que os homens nem se preocupam. E lá nós colecionamos uma série de informações de natureza prática, que vão ajudar bastante quem está viajando como você está. Depois de ler o post, por favor, Marcela, retorne para continuarmos a conversa. Nosso propósito é pegar sua família pela mão, levá-la e trazê-la de volta ao Gama em paz e segurança. Aguardamos seu retorno.
      Um grande abraço.
      Abreu

  11. Ola meu caro Abreu, boa tarde!! Tudo bem, nobre Sputnik?
    Abreu, como bem sabe que gosto de passar por ali, não poderia deixar de perguntar sobre este trecho. Quero saber se tem alguma informação sobre o trecho da estrada de Brumado, Sussuarana, Sincorá, Maracás, Lajedo do Tabocal, Itiruçu, Jaguaquara, Santa Inês, Ubaira, Mutuipe e Laje, até a BR 101. Gostaria de obter alguns detalhes deste trecho. Estou pensando em passar por essa estrada, porém, a última vez que passei por ali faz dois anos. Espero que algum companheiro tenha informações. desde já agradeço a colaboração de todos. Um abraço.

    1. Olá, caríssimo Antoni. Que bom que você já está de pé na estrada de novo. Todos nós ficamos meio entrevados com essa pandemia e a vontade de andar é grande. O trecho a que você se refere não está entre nossas recomendações. Primeiro por se tratar de uma região pobre, quase sem estrutura de apoio e sem policiamento rodoviário, o que não nos permite recomendá-lo às famílias que nos procuram. Segundo, passamos por aquela rota em março e nos informaram que o asfalto estava muito ruim, por causa do tráfego de caminhões que usam essa rota para fugir dos pedágios da BR 116. Terceiro, porque nosso sputnik Gilberto Brandão esteve percorrendo e analisando essas rotas recentemente (setembro de 2020) e também recebeu informações de cerca de 15 km de asfalto destruído após Sussuarana. Como a BR 116 está intransitável pelo número de caminhões, nossa recomendação é a rota Correntina-Brumado-Vitória da Conquista-Itabuna-BR 101-Santo Antônio de Jesus-Valença-Ponta do Curral-Morro de São Paulo. Agora, se você resolver arriscar a rota por Contendas do Sincorá e Maracás, ficaremos por aqui ansiosos pelo seu relato detalhado de sempre. Dê notícias, Antoni.
      Um abração.
      Abreu

      1. Olá Abreu, bom dia!! Como sempre atencioso em nossas demandas. Como sabe, só ando por esse caminho, entretanto, não gostaria de passar por um trecho de 15 km sem asfalto, por isso pedi sua orientação. Não gosto de passar pelo caminho que me indicou, na verdade nunca passei por ele, mas, caso seja necessário, não vejo problema em alterar a rota para que não haja contratempos na estrada e no passeio, a melhor hora de chagar ao destino é a hora em que chegamos todos bem e com saúde. Muito obrigado Abreu e com certeza te manterei informado.
        Abraço.

      2. Olá Abreu, boa tarde! Eu novamente….
        Seguinte, ao invés de continuar na BR 101, seguindo de Ubaitaba, Itamaraty, Gandu etc, eu posso pegar o trecho que vai de Ubaitaba até Camamu, saindo da BR 101 e pegando a BA 652, chegando em Valença pela BA 001? Certa vez, quando voltávamos de Barra Grande/Maraú, nós passamos por ela, porém, no momento, não tenho nenhuma informação atualizada. Inclusive, para mais informações ao notório Blog, indo pela BA 001 existem umas cachoeiras maravilhosas, quem puder passar por lá para conhecer vai gostar muito. Abreu, se não me fiz compreender, por favor, me alerte aqui para que possa te explicar melhor.

        1. Olá, Antoni, velho de guerra! Claro que pode! As derivações da BR 101 para a BA 001 estão em bom estado e, como você já percebeu, a viagem à beira-mar é outra coisa! Mas é para quem tempo e paciência. Você viaja literalmente junto à praia o tempo inteiro e as paisagens são caribenhas. Mas há muitos vilarejos, cada qual com seus quebra-molas, crianças brincando e a velocidade tem de ser reduzida. A estrada também, por acompanhar o litoral, tem muitas curvas, sem maior perigo, mas que exigem velocidades mais modestas. Quando nós falamos de ir a Santo Antônio de Jesus para descer para Valença, é só uma referência, principalmente para quem vem de Itaberaba-Iaçu, pela rota Brasília-Barreiras. Na verdade, a entrada para Valença fica 39 km antes de Santo Antônio de Jesus. Quando você se aproxima do trevo para Camamu, onde há uma comunidade chamada Travessão. Fique atento à sua direita. É discreto, quase imperceptível, com entrada difícil de se notar, mas é um dos lugares mais charmosos dessa região aí. Trata-se de um restaurante…Não, de um lugar fantástico, muito mais do que um restaurante. Uma senhora parada. Chama-se Restaurante e Pousada Casarão de Pedra (km 431 da BR 101). Notável para uma parada a qualquer hora do dia. Como nós sabemos que você não é do time dos “apressadinhos para chegar”, faça isso. Deixe a BR 101 para pegar a BA 001 e curta o Casarão. Mas não deixe de escrever a carta de Pero Vaz de Caminha para nós, contando tudinho, hein?
          Abraçaço, Antoni!
          Abreu

          1. Abreu, certo de que tudo que vou encontrar por lá, há tempos você já encontrou, no entanto, nossos irmãos de estrada não podem deixar de ter mais essa valiosa informação que só se obtém por aqui. De fato, a carta deverá ser escrita e não pouparemos informações diante do que vier pela frente. Mais uma vez obrigado!

          2. E aí grande Abreu, boa tarde!! Tudo bem?
            Obtive algumas informações a respeito do trecho que discutimos que vai de Brumado, Sssuarana, até Mais lá na frente. Então, o trecho após Sussuarana está com o asfalto destruído em torno de 10 km, segundo informações, dá pra andar até 80 km/h, depois disso, existem alguns buracos espaçados na pista, ainda segundo as informações, dá pra rodar nesse trecho também a 80 km/h. Um pouco mais à frente de Sincorá, os buracos se acabam e a estrada volta ao normal. Informações obtidas por um contato de uma loja de aluguéis de carro em Brumado.

          3. É verdade, Antoni. Nossas informações dão conta dessa destruição do asfalto após Sussuarana, num total de 15 quilômetros. Mas já estudamos esse trecho e o problema não são apenas os buracos. A região é pobre, sem recursos para um atendimento de emergência, para acomodações, para panes mecânicas, para questões de saúde. A estrada, em sua maior parte, não tem acostamento e o traçado é sinuoso, com as faixas de proibição de ultrapassagem ocupando mais de 50% do percurso. E policiamento zero. E nem vamos falar dos caminhões. Então, para nós daqui do blog, a pista está liberada para grupos de rapazes, com idade abaixo de 25 anos, solteiros, sem filhos. Galeras acima dessa idade e condição civil não têm a nossa bênção para passar por aí. Mas…São 332 km de Sussuarana a Santo Antônio de Jesus, de onde se desce para Valença e Morro de São Paulo. Todos os dias passam pessoas por lá. Ou seja, não é uma picada na floresta, é uma rodovia. O nosso problema é corujice. Cuidamos das famílias que nos procuram com uma preocupação extrema pelo conforto e a segurança delas. Você, como velho companheiro aqui no blog, conhece nossos cuidados. Mas nós também conhecemos o seu espírito desbravador e muito o admiramos. Achamos que você está “doido” para tentar. Então, tente. Se você aprovar, prometemos que assinaremos embaixo e incluiremos essa rota em nossas recomendações para Morro de São Paulo e também para Salvador (com saída em Milagres, em vez de Santo Antônio de Jesus). Gostou da ideia? Talvez nós estejamos continuando a insistir em passar por Constantinopla, tomada pelos turcos, quando o Caminho das Índias pode ser outro. Estamos adorando o debate!
            Um abraçaço.
            Abreu

  12. Boa noite, Abreu…. é sempre bom passar por aqui antes de decidir por onde ir. Estou indo de Brasília para Guaibim em dezembro e gostaria de saber como andam as pistas do trajeto alternativo de Correntina, dormindo em Brumado. No dia seguinte, pretendemos ir por Sussuarana, Sincorá, Maracás, Lajedo do Tabocal… e assim por diante até chegar em Guaibim. Esse trajeto, que por sinal é menos distante, continua sendo uma boa opção? as pistas estão boas e ainda sem buracos? De qualquer modo, irei repousar em Brumado, inclusive já tenho uma reserva para tal. Depois de Brumado quais das duas alternativas é melhor a ser seguida? Um grande abraço…

    1. Olá, Luís. Bem-vindo ao nosso blog. Coincidentemente, no dia de hoje, 01.12.2020, o Antoni apareceu aqui fazendo a mesmíssima pergunta. O Antoni é um velho companheiro nosso nessas andanças rodoviárias e está sempre por aqui colaborando conosco, orientando, fazendo relatos de suas viagens. Vou transcrever abaixo nossa resposta a ele, para que você não tenha o trabalho de tentar encontrá-la entre nossos posts:
      Olá, caríssimo Antoni. Que bom que você já está de pé na estrada de novo. Todos nós ficamos meio entrevados com essa pandemia e a vontade de andar é grande. O trecho a que você se refere não está entre nossas recomendações. Primeiro por se tratar de uma região pobre, quase sem estrutura de apoio e sem policiamento rodoviário, o que não nos permite recomendá-lo às famílias que nos procuram. Segundo, passamos por aquela rota em março e nos informaram que o asfalto estava muito ruim, por causa do tráfego de caminhões que usam essa rota para fugir dos pedágios da BR 116. Terceiro, porque nosso sputnik Gilberto Brandão esteve percorrendo e analisando essas rotas recentemente (setembro de 2020) e também recebeu informações de cerca de 15 km de asfalto destruído após Sussuarana. Como a BR 116 está intransitável pelo número de caminhões, nossa recomendação é a rota Correntina-Brumado-Vitória da Conquista-Itabuna-BR 101-Santo Antônio de Jesus-Valença-Ponta do Curral-Morro de São Paulo. Agora, se você resolver arriscar a rota por Contendas do Sincorá e Maracás, ficaremos por aqui ansiosos pelo seu relato detalhado de sempre. Dê notícias, Antoni.
      Um abração.
      Abreu”

      Como você pode ver, Luís, a pergunta de vocês é a mesma, até porque ficou claro que a primeira ideia das pessoas é ir pela BR 116, mas o tráfego de caminhões e alguns irresponsáveis que os dirigem estão cansando a beleza do nosso pessoal. Como a alternativa que propomos é um pouquinho mais longa, as pessoas ficam olhando comprido para essa rota alternativa. Como dissemos ao Antoni, nossa preocupação são famílias com crianças pequenas e, às vezes, idosos, por isso temos de ter o máximo de cuidado para assegurar a eles uma viagem sem “emoções fortes”. Mas fique à vontade e dê notícias sobre a sua escolha, OK?
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Obrigado pela atenção e agilidade! Aproveito o gancho e gostaria da saber a melhor rota para a viagem de volta. Guaibim para Brasília. Ainda não cheguei lá, mas gostaria de já deixar um roteiro pronto para a viagem de volta. Mais uma vez, obrigado!!

    2. Olá Luis, bom dia!! Também estamos planejando ida para Guaibim/Morro de São Paulo, gastamos muito de lá, por isso, a vontade de ir novamente agora. Meu tio tem uma pousada em Guaibim, talvez você o conheça, é o Zé Maria. Se Deus permitir, sairemos no dia 25/12, vou estudar a rota indicada pelo nobre Abreu, pois, ele é o nosso norte, nosso DNIT pessoal e não podemos deixar de dar ouvidos às suas orientações. Nós também sempre ficamos em Brumado, no hotel terceiro Milenium, provavelmente ficaremos por lá também.

      1. Antoni, muito obrigado pelas dicas e indicações. Eu me antecipei e reservei um hotel em brumado antes de ler sua indicação ao hotel Milenium e diga-se de passagem estão quase todos com lotação máxima (informação valida para aqueles que pretendem fechar a hospedagem quando chegarem). Conheci guaibim há mais de 25 anos e já faz muito tempo que não voltava. Fizemos alguns bons amigos que lá residem e eles conseguiram uma boa casa para que eu e minha família possamos passar esse fim de ano lá. Desejo uma boa viagem e que possamos desfrutar aquela linda cidade com muita segurança. Aproveito para reiterar minha outra pergunta ao Abreu e talvez você possa me ajudar. Qual o melhor trajeto de volta Guaibim para Brasília? Abraço

  13. Abreu, muito obrigado por todas as explicações. A gente fica meio refém do google e como em um comentário que você fez em outros post o google é feito para países desenvolvidos onde as estradas são boas e todas tem um bom nível de segurança, concordo em gênero, número e grau. Conforme eu relatei, sei o desconforto que é a gente pegar uma estrada sem pavimentação e os riscos de assalto então…
    Quando a gente pesquisa no google não tem estas informações, por isso a grande valia de manter um site como este, que aliás é único, deveriam existir muitos mais. Viajo com família sempre e quero garantir o conforto e a segurança deles e minha também, a gente tem sempre uma ansiedade em chegar logo, por isso o quando a gente vê no mapa a economia de 100 ou 50 km a gente sempre se sente tentado. A gente que vive na correria sempre quer ter o máximo de tempo para aproveitar com nossa família as tão esperadas férias. Mas entendo e concordo plenamente que a segurança e o conforto devem estar em primeiro lugar. Abraços.

  14. Boa tarde Abreu. Meu nome é Vinícius. Parabéns pelo site e informações atualizadas. A gente que viaja de carro precisa destas informações, ajudam muito em uma decisão. Estou indo pela primeira vez a Morro de São Paulo. Tenho costume de ir ao Nordeste de carro, minha esposa é sergipana e vou lá de carro constantemente. Comentando sobre meu caminho para Aracajú, eu gosto de sair de Brasília entre 03:00 a 4:00 da manhã, te explico: Eu moro em Ceilândia, então até atravessar o DF pela e chegar próximo de Formosa, demora cerca de 02:00, assim eu evito trânsito mas não dá para passar de 80 devido os pardais. Assim que saio do DF já está clareando. É uma rota que sempre tem movimento, então é bem tranquila… A cada duas horas paro para abastecer e ir ao banheiro. Levo sempre a garrafa de café. Paro no Posto Rosário para dar uma esticada no corpo, mas costumo abastecer antes em Simolândia ou Alvorada (para quem não conhece as duas cidades são juntas, divididas apenas por um riacho… ). Antes eu ia por Luís Eduardo Magalhães, Barreiras, almoçava em Barreiras, passava por Ibotirama e passo pela chapada diamantina. Dormi umas duas vezes em Seabra, mas ultimamente eu tenho dormido em Lençóis, uma estrutura melhor de cidade, muito bonita, para quem não conhece, parece com Pirinópolis, para dar um exemplo mais próximo de nós… Eu sigo no outro dia após o café saindo d Lençóis cerca de 8:00 a 8:30. Vou por Itaberaba, Ipirá, Feira de Santana, onde almoço, cerca de 12:30… Sigo para Aracaju. Em Sergipe atravesso por Alagoinhas, Esplanada, Cristianápolis, Umbaúba. Como vou para o interior de Sergipe, desvio aí, mas para quem vai para Aracajú é só continuar pela 101. Uma vez fui de avião para Aracaju e fui do interior de Sergipe deixei a família e fui para Salvador de carro pela linha verde. Um costume que tenho é viajar com GPS. Tenho um Garmim, acho bom porque não depende da rede de celular e ele me dá uma previsão do caminho, curvas mais acentuadas, lombadas, pontos de fiscalização eletrônica. Todo ano, antes de viajar atualizo o mapa pelo projeto tracksource, que é colaborativo, sempre atualizado e tem mapas para várias plataformas. Fui pela linha verde a partir de Estância. Em um certo trecho da Bahia havia uma curva acentuada que eu vi no GPS, por isso diminuí bastante, assim que fiz a curva havia galhos na rodovia e a direita um carro parado, ladrões com certeza, nunca desça do carro para tirar os galhos ou atender alguém, se achar que realmente é alguém precisando de ajuda, ligue para a polícia ou bombeiros, mas não desça do carro. Como eu estava devagar deu para desviar e seguir viagem, este trecho era próximo a Conde, ainda estava claro, mas escurecendo, cerca de 17:30 – 18:00, mas no nordeste escurece cedo… o restante do caminho foi tranquilo. Cheguei em Salvador cerca de 20:00. Não recomendo o trecho à noite pelo motivo que falei…
    Voltando para o caminho para Morro de São Paulo: Eu conheço bem até Vitória da Conquista, onde pretendo almoçar, se estiver cedo, almoçarei em Bom Jesus da Lapa… aí vem minha dúvida: pelo Google é dado o trajeto a partir de Brumado por Maracás e outras cidades… É menos longo, eu tenho visto alguns hotéis e pousadas razoáveis em Maracás. Estou na seguinte dúvida: se der tudo certo e eu chegar por volta de 16:30 em Brumado, compensará eu ir para Maracás, que segundo o google fica a 188 km de Brumado, 02:50 horário padrão. Não viajo à noite, saio do DF por conhecer bem a região e porque de onde moro até sair do DF demora cerca de 02 horas, como falei no início. Fora este trecho, qual você me indica?

    1. Olá, Vinícius. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado por suas palavras de estímulo ao nosso trabalho, bem como pela detalhada descrição de suas experiências nas estradas para Aracaju. Ela contém muitas informações interessantes para quem também viaja para aquela região. Nós fizemos a rota que relatamos em nosso post em fevereiro deste ano, quando fomos passar o Carnaval em Salvador. Saímos de Brasília por volta das 07h00 e chegamos a Brumado às 16 horas. Poderíamos ter chegado a Vitória da Conquista, mas queríamos experimentar a hospedagem de Brumado, que não conhecíamos (aprovada!). No dia seguinte, passamos por Vitória da Conquista, Itambé, Itapetinga, Floresta Azul e, em Itabuna, pegamos BR 101 com destino a Salvador. A 222 de Itabuna, passamos pela entrada para Valença. Da entrada até o porto na Ponta do Curral, são 40 km. Essa é a rota que indicamos, por ser mais segura, mais tranquila, mais bem policiada, com razoável rede de apoio (postos, lanchonetes, etc) e com baixo tráfego de caminhões, ao contrário do que acontece na BR 116. Quanto à rota por Maracás, Vinicius, nós a desaconselhamos pela incerteza. Apesar de serem apenas 188 km de Brumado, atravessa região erma, com cidades pobres, sem estrutura e sem policiamento. É uma estrada que se deteriora facilmente, ainda que com eventuais obras de manutenção. Ultimamente, apareceu mais um problema: caminhões passam por ela para fugir do pagamento dos pedágios da BR 116. Aí então se formam grandes congestionamentos e aumenta o desgaste da estrada e o número de buracos. Temos registros de amigos que chegaram a fazer aquele trecho em 5h30min – e com um SUV 4×4. Para pernoite em Brumado e a sequência que recomendamos pela BR 101, sempre lembramos a necessidade de atenção ao sair de Brumado: há uma grande probabilidade de erro, levando o motorista a pegar a rota para Maracás, cujos primeiros 30 km, no momento, encontram-se em péssimo estado. É isso, Vinícius. Ser restarem dúvidas, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Muito obrigado pelas orientações. Como eu não conheço o trecho, sempre é bom perguntar, mas não deixar para perguntar no caminho as condições. A primeira vez que retornei de Sergipe para Brasília de carro parei em Javi, um povoado a 45 km de Ibotirama, como era cerca de 16:30 parei no posto e tinha duas opções: ir por Santa Maria da Vitória ou por Barreiras. Por Barreiras eu já conhecia o caminho. Mas por Santa Maria da Vitória eu economizaria de 80 a 110 km, a imprecisão foi devido ao mapa, mas mesmo assim vantajoso de qualquer forma. Perguntei a um frentista que não sabia me informar, mas me indicou um caminhoneiro que havia acabado de passar pela estrada… O caminhoneiro me confirmou que havia passado pela estrada e que uns 5 km a estrada estava com buracos, mas o restante estava boa, pensei: “compensa”, ledo engano. Fui pelo caminho, realmente os 5 km iniciais da estrada estava esburacada, muito esburacada, mas o restante da estrada simplesmente não existia. A estrada estava em construção, com brita no caminho e o carro derrapando, demorei mais de três horas para percorrê-la, perdi duas calotas do carro que havia comprado a 4 meses da viagem, também meu terror de assalto, já que ficou escuro e quase não haviam cidades no caminho. Hoje a BR 172 está construída, passa por Santana, Serra Dourada, Tabocas e Brejolândia, trouxe desenvolvimento para a região, passei lá em dezembro de 2019. Tem uma pavimentação boa, mas é preciso ficar de olho em alguns buracos no caminho. Está bem melhor do que estrada entre Ipirá e Feira de Santana (BA 052) como referência…. Também outras dicas sobre o caminho para Aracaju: Em Itaberaba tem o posto Santa Helena, que é da rede do posto Rosário, mesmo padrão, outro posto da rede é o posto Caju, em Sergipe. O posto Santa Helena possui o mesmo padrão que o posto Rosário, bom restaurante, banheiros limpos, loja de conveniência ampla e até parquinho. Indo para Salvador e outras capitais e estados do nordeste, indo pelo litoral, este é o caminho. Em Itaberaba você pode ir por Ipirá, caminho que tenho feito (por Ipirá) ou ir por Argoin e Paraguaçu e pegar a BR 116, a única vez que fiz este caminho foi na primeira vez que fui a Sergipe, ainda não havia pedágio. O google informa uma diferença de 10 km a menos para este caminho (180 km) em relação ao por Ipirá, mas 24 minutos a mais de viagem, provavelmente devido ao pedágio… No caminho para Ipirá eu dou duas paradas rápidas, uma em um povoado chamado Alto vermelho, o primeiro no sentido de Itaberaba até Ipirá (BA 233), para comer abacaxi. Muito doce, mel puro, tem várias casas que vendem, como o povoado beira a pista não tem como não ver… Existe um outro povoado onde se vende peças de palha, esteiras, tapetes, chapéus, de vez em quando eu paro… Não há posto neste trecho, só já chegando em Ipirá. Abasteço em Seabra, o posto do centro normalmente tem bons preços, durmo em Lençóis, continuo e abasteço no posto Jk, em um povoado chamado São Miguel, lá tem uma pequena estação de distribuição de energia. Os banheiros não são bons, mas a gasolina é… Se a bexiga estiver cheia, paro no Santa Helena, para ir ao banheiro. Abasteço em povoados logo após Ipirá, tem um dois ou três, com preços melhores e gasolina boa. O posto mais arrumado com estrutura melhor é o Posto Flor do Sertão, já próximo a Feira de Santana, os banheiros dele são bons e tem até um restaurante arrumadinho. Não comi lá ainda, mas é limpo e organizado apesar de pequeno, a gasolina também é boa…

      2. Mas continuando sobre o caminho para Morro de São Paulo, depois de Brumado, você já fez o caminho continuando pela BR 030, passando por Caetanos, Água Bela e Bom Jesus da Serra? Daí, no mapa vejo alguns caminhos possíveis: um indo pela 116 passando por Jequié, Itamari e em Gandu e subir a 101 e ir para Valença ou este mesmo caminho, só que em Gandu ir até Piraí do Norte e pegar a BR 544 e sair em Taperoá, ou ainda, de Gandu ir para Ituberá e de lá até Valença. Outra opção que vi no mapa é ir de Brumado passando por Boa Nova e no Bairro Nova Jerusalém subir até Gandu, e aí quais opções você conhece, qual é a melhor?

        1. Olá, Vinícius. Bem-vindo de volta. O nosso problema é o público-alvo: são famílias em férias. São pais e mães, com bebês, às vezes avós e tios, às vezes animais de estimação. Essas pessoas querem compreensivelmente segurança, relativo conforto, e a tranquilidade de irem e voltarem e paz. Então, nossa filosofia básica é garantir a elas esses atributos para a viagem. Não querem dúvidas, não querem riscos, não querem perigos, ainda que isso signifique distâncias mais curtas. Como estamos aqui desde 2007, orientando essas famílias sem uma única reclamação em relação aos resultados, preferimos não buscar alternativas às ideias que estão dando certo. Mas ficamos abertos a projetos daqueles mais ousados. E quando conseguem êxito e este é harmônico com nossos pressupostos, somos os primeiros a aplaudi-los e adotá-los. É bom conversar com você sobre seus planos. Dê notícias.
          Um abração.
          Abreu

  15. Bom dia Abreu.
    Mais uma vez vou retomar o assunto (risos), esperando que vc possa ampliar o assunto dessas reportagens com notícias mais `sólidas`, pois, se bem me recordo, vc disse ser desta região…
    Novamente é sobre a br 030. Seguem as reportagens mais novas que encontrei:
    https://jornaldebrasilia.com.br/brasil/obras-encurtam-distancia-entre-brasilia-e-o-mar/
    https://folhadovale.net/parceria-entre-governos-prefeitura-empresarios-levara-pavimentacao-da-br-030-no-trecho-entre-cocos-e-mambai.html
    Abraço.
    Rodrigo.

    1. Olá, Rodrigo. Bem-vindo de volta. Realmente, sou do Norte de Minas e conheço um pouco daquela região ali. Ainda bem que você já abriu seu comentário rindo, porque a notícia é risível mesmo. O pessoal está falando de asfaltar o trecho entre Cocos e Mambaí em Goiás. Mambaí fica perto de Alvorada do Norte. Acontece que não há estrada a ser asfaltada ali: não há estrada nenhuma. Nem vou falar sobre a BR 030. Pelo que dizem as matérias, o Ministro da Infraestrutura informa que vai asfaltar todo o trecho. Mas não disse quando, nem como. Já o prefeito de Cocos, Dr. Marcelo (“só quem fez e faz pode fazer mais”), parece muito otimista. Vamos ver como fica essa história depois do segundo turno das eleições para prefeito local. Acredito que vai acontecer uma amnésia geral a respeito do assunto. Posso estar integralmente equivocado, claro. Gostaria de torcer para estar. Mas não dá.
      Um abração, velho companheiro Rodrigo!
      Abreu

  16. Olá Abreu, bom dia!! Perdoe-me pela demora em responder. Você, como sempre cortes e educado, com suas frases de inspiração nos deixa um tanto quanto pensativo em responder…(risos). Pelo jeito está quase tudo voltando ao normal, claro que devemos continuar a ter os cuidados necessários, não podemos nos permitir relaxar agora. Abreu, conte comigo para colaborar no que for possível, quer seja para ouvis suas histórias, quer seja para passar uma informação. Muitas pessoas não tem a experiência que você nas estradas, por isso, seu serviço é de suma importância. Desde já agradeço pelas palavras e rogo a Deus para podermos voltar às estradas novamente. O litoral nordestino nos aguarda….

  17. Prezado Abreu, acompanho suas postagens para organizar as viagens em família. Suas dicas para Salvador foram valiosas! Dessa vez, o destino é Morro de São Paulo. Eu, a esposa e o filho descansaremos 10 dias para recarregar as baterias. Li alguns comentários e vi que tem uma rota nova, menos movimentada. Sairemos de Brasília no próximo sábado. Alguma dica atualizada? Onde pernoitar? Desde já agradeço e aproveito para parabenizar mais uma vez pela colaboração com os sputniks.

    1. Olá, Nemetala. Bem-vindo ao nosso pequeno mundo deste blog e obrigado por já nos acompanhar há algum tempo. Estamos tendo uma espécie de despertar de um certo período invernal, onde tudo parou, os carros ficaram na garagem e as pessoas cancelaram seus planos de viajarem por nosso amado planeta. No momento, já se nota um certo degelo, alguns ramos verdes despontam da neve e do gelo e raios de sol começam a anunciar um novo tempo. Tempo de viajar, sem perder a prudência, a cautela, o cuidado. Na viagem para Morro de São Paulo, nossa recomendação, no momento, é evitar-se a rota por Barreiras, porque as cidades interessantes daquele percurso estão bloqueadas por suas prefeituras, o que pode significar hospedagens desconfortáveis e alimentação improvisada. Fomos e voltamos a Salvador e Ilhéus, imediatamente antes da pandemia, pela rota por Correntina e validamos totalmente o percurso. Relatos de nossos visitantes mais recentes (e mais apressados), aqui mesmo no blog, dão conta de que nossa orientação está correta. Vá por Correntina e pernoite em Brumado. Vitória da Conquista também é uma possibilidade, dependendo da evolução da viagem. A partir daí, siga direto para Itabuna, pegue a BR 101 e suba até Gandu, Teolândia e Presidente Tancredo Neves. Em seguida, rode 25 km e, vire à direita para Valença (35 km). De Valença, é perguntar pela Ponta do Curral, estacionar o carro lá e fazer a travessia de barco, que dura 10 minutos, em águas tranquilas (ao contrário de outras alternativas). É a versão mais atual de nossa orientação para sua viagem, tá? Se houver dúvidas, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e vir em paz e segurança. Uma curiosidade: o seu sobrenome não é muito comum. Conheci um Nemetala, funcionário do BB, que foi meu parceiro em muitas batalhas dentro daquela centenária instituição e fora dela. Talvez seja seu parente. Fui responsável pela área de RH do BB por mais de 15 anos. Faça uma excelente viagem e dê notícias, tá?
      Um grande abraço.
      Abreu

    2. Olá Nemetela, bom dia caro sputnik!!
      Moro em Planaltina-DF, sou fã nº de Morro de São Paulo, nosso amigo Abreu sabe bem disso.
      Como sempre, temos o Abreu fazendo suas poesias e nos alegrando cada dia mais, depois de um tempo em grande silêncio. Quero aqui fazer uma pequena correção, com relação ao barco para Morro de São Paulo, se pegar uma lancha rápida, que é muito legal, leva em média 12 minutos, entretanto, se pegar um barco comum, aí já é em torno de 28 a 30 minutos, caso o barco para para pegar mais passageiros em Gamboa, sabendo que o Abreu também já sabia disso, tomei a liberdade em ajudar. O outro ponto é a respeito da hospedagem na estrada, pois, se for pernoitar em Brumado, indico o Hotel 3º Milênio II, sempre ficamos lá. Sei que o Abreu não gosta de indicar locais para hospedagens nem para almoço, ainda bem que ele nos permite fazer isso aqui no blog, caso queira saber se sou de confiança veja com o próprio Abreu, ele pode dar referência sobre mim.(rsrsrs).
      Meu destino esse ano será Prado-Ba, gostaria de ir para Guaibim/Morro novamente.
      Caso queira pesquisar, deixo aqui um link do hotel no Maps.
      https://www.google.com.br/maps/place/Hotel+3%C2%BA+Mil%C3%AAnio+II/@-14.2277409,-41.6771273,644m/data=!3m1!1e3!4m16!1m7!3m6!1s0x7444bc2ec60ad4b:0xbbd6c0dfc3cf6a29!2sBrumado+-+BA!3b1!8m2!3d-14.1968614!4d-41.6809724!3m7!1s0x7444b8e2526d093:0xa3aea6b856388f31!5m2!4m1!1i2!8m2!3d-14.2269756!4d-41.676165?hl=pt-BR

      1. Olá, Antoni. Nemetala e demais visitantes de nosso blog: o Antoni é nosso velho companheiro de estradas, sempre atento às mudanças e disposto a retornar e compartilhar conosco suas vivências rodoviárias. Muitas vezes já tivemos de reformular nossos textos em função direta de notícias frescas trazidas do “front” por ele. Além do mais, esse companheiro estradeiro preenche uma lacuna no blog: ele indica hotéis, nos quais teve boa experiência e isso ajuda muito as pessoas que por aqui passam. A filosofia do nosso blog não nos permite fazer indicações comerciais (com raríssimas exceções, como o Posto Rosário), exatamente porque não é um blog comercial, não busca cliques ou patrocínio. Nosso blog é isso que é: um ponto de encontro virtual, onde pessoas com o mesmo interesse buscam informações de outros aficcionados pelo mesmo tema e que têm experiência a agregar. O Antoni é um desses caras. Já faz parte da nossa mesa de trabalho.
        Um abração

  18. Abreu,

    Seus posts são muito bons e esclarecedores. Ainda mais em uma época que acham que Waze e Maps são tudo.

    Vou fazer um roteiro BSB-Morro-Barra Grande-Itacaré-Porto-BSB a partir do dia 14/03.

    Com os comentários recentes, percebi que é melhor ir pro Barreiras/Seabra e depois voltar por Vitória/Correntina. Essa recomendação continua valendo?

    Vale a pena a parada na chapada diamantina? Pergunto, pois visito a chapada dos veadeiros 01 vez ao mês.

    Abs

    1. Olá, Rodrigo. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado pela força que suas carinhosas palavras dão ao nosso trabalho. Estamos acabando de desembarcar hoje aqui na roça, vindo de Salvador. Fizemos uma experiência nova, uma vez que a rota por Barreiras está lotada de caminhões, que se acumulam na subida da Chapada, onde a maior parte da pista tem ultrapassagem proibida, o que está retardando muito a chegada a Lençóis. Antigamente chegávamos lá por volta das 16 horas. Mas, nas últimas viagens nos últimos dois anos, mal temos conseguido chegar antes das 21h00, o que para nós é um pecado mortal, pois envolve viagem à noite. Em função disso, partimos de Brasília no dia 12 para o Carnaval de Salvador, alterando a rota para o trajeto via Correntina-Vitória da Conquista-Itabuna-BR 101-Gandu-Teolândia-Presidente Tancredo Neves-Santo Antônio de Jesus-BR 324-Salvador. Voltamos pelo mesmo caminho e concluímos a viagem poucas horas atrás. Foi a decisão mais acertada que já tomamos. Eu e Ivanizes, minha navegadora ha 45 anos, temos uma medida para avaliar as dificuldades de uma viagem rodoviária de carro: é o quanto conversamos. Quando a coisa aperta, com muita ultrapassagem, muito caminhão, muito buraco, muita tensão, a conversa mingua e nem música conseguimos ouvir. Nossa viagem de ida e volta foi a mais tranquila em muitos anos, conversamos o tempo todo, rimos muito, não ouvimos música, batemos fotos, nos divertimos tanto que, na volta, por pouco não erramos a entrada para Caetité e pegamos a perna para Montes Claros(MG). Tranquilíssima viagem nos dois sentidos, com caminhões a serem contados nos dedos, sem buracos, sem obras, sem siga-pare. Então, vamos alterar o blog e orientar o pessoal para a nossa nova escolha, testada e comprovada. No seu caso, Rodrigo, nossa proposta é que você faça exatamente a rota que fizemos, ou seja, Brasília-Formosa-Alvorada do Norte-entrada de Posse-Posto Rosário. Dezoito km depois do Posto, vire à direita, pegue a BR 349 que levará você até Itabuna, mudando de numeração na reta final. Isso significa Posto Rosário-BR 349-Correntina-Santa Maria da Vitória-Bom Jesus da Lapa-Caetité-Brumado-Anagé-Vitória da Conquista-Itambé-Itapetinga-Floresta Azul-Itabuna-BR 101-Gandu-Presidente Tancredo Neves. Pernoite em Brumado ou Vitória da Conquista. No dia seguinte, ao chegar a Presidente Tancredo Neves, rode mais 25 km e vire à direita, pegue a BA 542 e chegue a Valença e à Ponta do Curral, onde você deixará o carro e fará a travessia de barco para Morro de São Paulo. Na volta, retorne a Valença e, lá mesmo, pegue a BA 001 para Camamu e Itacaré, pela beira-mar. De Itacaré desça para Ilhéus e Itabuna, onde, pela BR 101, chegue a Eunápolis e Porto Seguro. Na volta de Porto Seguro, rode 71 km após Eunápolis. Ali, à sua esquerda, está o trevo para Potiraguá e que deixará você na BA 451, a cerca de 24 km de Itapetinga. Continuando de Itapetinga, chegará a Vitória da Conquista, Brumado, Bom Jesus da Lapa e Brasília. O pernoite a partir de Bom Jesus da Lapa é um pouco precário. Por isso, é sábio ficar em Porto Seguro pela manha e sair ao meio-dia, quando vence a diária do hotel. Então, rode 570 km e durma em Brumado, ao final do dia. No dia seguinte, você estará chegando a Brasília no meio da tarde. Pernoites, hospedagens, horários de saída são apenas sugestões, Rodrigo e cada um tem as suas conveniências. Mas rota é uma recomendação nossa, como garantia de que você sua família viajem confortáveis e seguros e voltem em paz para casa. Se restarem dúvidas, retorne: estaremos aqui ativos e operantes para ajudar você.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Muito Obrigado. Irei seguir por correntina. Caso perceba algo para ser reportado, envio aqui nos comentários.

        abs,

      2. Abreu, Boa Noite.

        A BR-242 ainda está no sistema Pare-Siga ?

        Muitas pessoas recomendam a ida para Chapada Diamantina.

        abs,

        1. Olá, Rodrigo. As obras na 242 diminuíram muito, mas ainda resistem na subida da Chapada Diamantina (Seabra-Lencóis) e entre Lençóis e Itaberaba. Mas o problema maior são os caminhões, que estão atrasando muito a chegada a Lençóis. Saindo de Brasília às 06h00, estamos chegando a Lençóis, em média, por volta das 21 h. No seu caso, chegar a Lençóis a essa hora é só para curtir a pracinha, jantar, dormir e prosseguir a viagem no dia seguinte, o que não faz muito sentido para quem gostaria de conhecer a Chapada. Se você tiver um dia adicional, é diferente. Saindo de Brasília às 6h do dia 14, você chegará a Lençóis por volta das 21 horas do mesmo dia, podendo dar uma voltinha, jantar e dormir. No dia seguinte, 15.3, você poderá fazer alguns passeios pelos pontos turísticos mais importantes (Mucugezinho, Morro do Pai Inácio, etc) e outros mais próximos, retornando ao hotel no final do dia, para curtir uma piscina, a pracinha, o jantar, dormir e prosseguir a viagem no dia 16. Já se você não dispuser desse dia adicional, aí será melhor ir mesmo por Correntina e adiar a Chapada para melhor oportunidade.
          Um abração.
          Abreu

  19. Boa noite, Abreu! Tudo bem? Cheguei a Guaibim no domingo, viagem tranquila, conforme suas dicas, utilizamos a rota por Barreiras, com parada em Seabra para dormir. As condições do trecho estão boas. Em relação a volta , quero uma sugestão, pois, pretendo visitar Bom Jesus da Lapa, e queria evitar a BR 116. Pretendo sair de Guaibim as 07h, para aproveitar o final do dia em Bom Jesus. Abraço!

    1. Olá, Fábio. Bem-vindo ao nosso blog. Que bom que você chegou em paz a Guaibim. É tudo o que nós queremos aqui, ou seja, que as famílias que nos procuram façam uma viagem feliz. Quanto à volta por Bom Jesus da Lapa, é possível e significa voltar por Vitória da Conquista. Você sai de Guaibim para Valença e desce pela BR 101 até Itabuna, onde você vira à direita e pega a BR 415 para Vitória da Conquista e Bom Jesus da Lapa. A viagem terá cerca de 800 km, você evitará a BR 116 e não cairá na tentação de cortar caminho por Jequié, Maracás, Contendas do Sincorá e Sussuarana. Siga exatamente a rota que recomendamos, para evitar dores de cabeça, OK? Todas as tentativas e invenções de moda nessa área aí dão problemas. Como você não é dos apressados agoniados, venha tranquilo por esse caminho. Saindo de Guaibim após o café da manhã, lá pelas 16 horas você estará chegando a Bom Jesus da Lapa. Se restarem dúvidas, retorne: estamos aqui para ajudar você a vir em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  20. Boa noite, Abreu. Primeiramente gostaria de agradecer seu esforço em alimentar esse blog com tanta gentileza, suas informações são ótimas E certamente me ajudarão muito!
    Vou sair de Brasília no dia 13 de janeiro rumo à Valença/Guaibim, por Correntina. Como está esse caminho? Vi que vc indicou ir por Barreiras, mas irei seguindo outros dois carros que preferiram ir por Correntina. Pretendemos dormir em Maracás se a viagem desenvolver. Estou receosa pois tenho pouca experiência na estrada, fui apenas para Goiânia e Caldas Novas algumas vezes. Já li seu post do Manual de Sobrevivência, muito obrigada por compartilhar sua experiência, abraços!

    1. Olá, Carol. Bem-vinda ao nosso blog e obrigado por suas deliciosas palavras em relação ao nosso trabalho. São muito gratificantes e nos dão uma enorme força para continuar. Dadas as suas condições de decisão, uma vez que você é minoritária no grupo, vamos fazer do limão uma limonada, tá? É possível ir de Brasília a Guaibim por Correntina? Os caminhos de Deus são misteriosos, mas ir de Brasília para Guaibim por Correntina não é tão misterioso assim. É apenas uma opção errada (mas não diga para ninguém aí, tá?). Agora, pernoitar em Maracás é um erro imperdoável. A cidade não oferece nada que pessoas em férias desejem, como boa estrutura hoteleira, bons restaurantes. Nada. A própria rota já e pobre de tudo isso. Contendas do Sincorá, Maracás, Planaltino são uma porção do Brasil e da Bahia esquecida pelos políticos e pelas empresas de turismo. Mas você não precisa comprar brigas aí. Apenas proponha pernoite em BRUMADO, que fica a 910 km de Brasília, aonde vocês chegarão por volta das 17 horas. A cidade tem estrutura, vocês terão escolhas, tanto de hospedagem, quanto de restaurantes e, no dia seguinte, rodarão apenas mais 440 km e chegarão a Morro de São Paulo antes do meio-dia. Por que essa invenção de Maracás? E não adianta chegar mais cedo a Morro de São Paulo: os hotéis e pousadas só abrem os apartamentos para os chegantes após os hóspedes anteriores fazerem o check-out, pagarem suas contas e os apartamentos serem arrumados. Se você convencer os “outros carros” a pensarem com mais lógica e aceitarem pernoitar em Brumado, você já resolveu metade dos problemas que você, como marinheira de primeira viagem, tem na sua cabeça. Nossa proposta é lógica, Carol. Não porque somos geniais, mas porque apanhamos muito em viagens rodoviárias. Normalmente as coisas são simples, e a gente complica. Adiante. Digamos que você consiga trazer os “outros carros” para a racionalidade. O que acontecerá? Vocês farão uma viagem tranquila no primeiro dia, com 910 km desde o Colorado até Brumado, chegarão ao final do dia, procurarão um bom hotel, farão um bom jantar, dormirão e, no dia seguinte, descansados, chegarão a Morro de São Paulo na hora do check-in. A outra hipótese é passarem por Brumado, rodarem mais 197 km, possivelmente entrando pela noite, em estradas desertas, sem sinalização, com trânsito pesado de caminhões que fogem do pedágio da BR 116, para chegar a Maracás, cansados, onde a hospedagem é um mistério. Vamos lá, Carol. Você consegue convencer esses “outros carros”. Reiteramos que nossa recomendação não é por ai, é por Barreiras. Mas, compreendemos a sua situação e apenas estamos ajudando você. Não se preocupe com sua inexperiência: essa rota não comporta muitos perigos, exceto os de sempre, ou seja, se beber não dirija e NÃO VIAJE À NOITE, tudo bem? Estaremos aqui dando a maior cobertura para você. Confie na gente: são 13 anos de janela.
      Um grande abraço.
      Abreu

  21. Boa tarde! Adorei o seu blog com excelentes dicas para viajar. Inclusive usei para chegar de Brasília a Morro de SP por Barreiras e com parada em Seabra. Agora chegou a hora de voltar e li que é indicado voltar por Correntina. Q estrada está boa? Onde pernoito para chegar com calma na Capital Federal? Estarei saindo de Valença amanhã (10/01). Obrigado!

    1. Olá, João Emílio. Bem-vindo ao nosso blog. Não: o seu retorno deverá ser pela mesma rota pela qual você foi, ou seja, Valença-Santo Antônio de Jesus-Itaberaba-Seabra-Ibotirama-Barreiras-Luís Eduardo Magalhães-Posto Rosário-Alvorada do Norte-Formosa-Brasília. A nossa recomendação da volta por Correntina é para o pessoal que vai a Morro de São Paulo e depois desce para Ilhéus ou Porto Seguro. No seu caso, essa necessidade não existe. Faça uma boa viagem de volta e dê notícias, OK?
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Abreu, boa noite!
        Muito obrigado pelo retorno. Então devo pernoitar em Seabra, correto? Ou sigo até Ibotirama? Abraços

        1. Olá, João Emílio. Bem-vindo de volta. Uma pena que não registramos a sua entrada antes, uma vez que você postou às 22h19min de ontem e não conseguimos ver senão hoje. De qualquer modo, você já deve ter descoberto que poderia chegar até Barreiras tranquilamente antes do anoitecer. Se você estiver em Barreiras, chegará ao DF amanhã lá pelas 13 horas. Se estiver em Ibotirama, lá pelas 15. Se em Seabra, lá pelas 16h. Em qualquer das hipóteses, tudo bem! O importante é chegar em paz e segurança. Desculpe-nos pela desatenção. Da próxima vez faremos melhor, OK?
          Um abração.
          Abreu

          1. Olá, Abreu! Já cheguei em Brasília e segue um resumo do caminho que utilizei para chegar na Capital Federal. Desde já agradeço vc e as dicas do blog, que foram fantásticas para realizar a viagem de ida e de volta com mais segurança.
            Para a ida a Morro (estacionamento do carro em Valença) fiz o seguinte caminho:
            1) Brasília – Formosa – Posto Rosário – BA 463 (São Desidério) – Barreiras – Ibotirama – Seabra (pernoite) – Itaberaba – Iaçu – Amargosa – Mutuípe – Lage – BR 101 – BA 542 – Valença (Atracadouro).
            Condições: Até a divisa DF/GO temos mão única. Depois tudo é mão dupla. Entre Formosa e Posto Rosário temos um trecho (aproximadamente 30km a 50km) de pista com desníveis que pode andar com tranquilidade, mas sem exagerar na velocidade. A parada no Posto Rosário é obrigatória para relaxar um pouco, comer algo, etc., pois é um posto c excelente estrutura. Continuando, em vez de ir para Luis Eduardo, “cortei” para São Desidério. Não recomendo, pois tem muitos buracos e sem acostamento. Entre Seabra e Itaberaba tem muito, mas muito caminhão e exige paciência para ultrapassar, pois tem muitas curvas e aclives/declives. Também ressalto alguns buracos, mas que ainda é possível andar em velocidade adequada.
            De Itaberaba a Iaçu foi, de longe, o pior trecho. Esburacada, desnivelada e sem acostamento por 19km. Não passem a mais de 80km\h nesse trecho!
            De Iaçu a BR -101 existem longas retas onde pode desenvolver muito bem de velocidade. Só ter paciência ao passar nos povoados e seus “gigantes” quebra-molas.
            Como andei pouco na BR – 101, o trecho percorrido está bom. Da BA – 542 até Valença, trecho com muitas curvas e um buraco ou outro sem muito estresse.
            Para a volta ao DF fiz o seguinte caminho:
            1) Valença (atracadouro) – BA 542 – BR 101 – Lage – Mutuípe – Amargosa – Iaçu – Itaberaba – Seabra (pernoite) – Ibotirama – Barreiras – Luis Eduardo – Posto Rosário – Formosa – Brasilia
            Condições: as mesmas de cima. De Barreiras a Luis Eduardo só ressalto a quantidade de caminhões e que andei em torno de 45 km a mais para o DF. Mas recomendo este caminho.
            Espero ter ajudado a todos, agradeço este blog sensacional e curtam Morro de SP, pois lá é lindo.
            Abraços

          2. Olá, João Emílio. Clap, clap, Clap. Nossos aplausos de pé para sua disposição de retornar aqui e dar o seu relato, com informaçôes atualíssimas sobre essa rota tão frequentada pelos visitantes do nosso blog. Informes maravilhosos, úteis e importantíssimos para quem vai seguir suas pegadas. Obrigadaço, João Emílio, e nossas lembranças ao seu ancestral, o velho Jean Jacques!
            Um abração.
            Abreu

  22. Que ótimas dicas vc dá! Parabéns pelo Blog!! Estou indo para Guaibim(16/01/2020) com a família,2 carros, crianças,adolescentes, mãe , enfim a turma toda, gostariamos de saber a melhor rota, na volta, queremos voltar por minas gerais, com traquilidade,parar em algum lugar para comer aquele pão de queijo, pernoitar em alguma cidade legal, qual rota vc nos sugere? agradeço

    1. Olá, Alessandra. Bem-vinda ao nosso blog e obrigado por suas carinhosas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Bom, ir para Morro de São Paulo e voltar por Minas é possível, mas não seria, digamos…muito lógico. Morro de São Paulo é mar, é praia, é camarão, é caranguejo, é música, muita música, é sol e céu. As Minas Gerais são totalmente diferentes e, mesmo dentro de Minas, há diversas Minas Gerais. Sou mineiro, Alessandra e nunca faria uma viagem dessa nas minhas férias (curtinhas, com a turma toda). Mas aqui, quem manda é o “cliente”: vamos lá. Saindo de Morro de São Paulo, você deve voltar para Valença e pegar a BR 101 direto para Ilhéus. De Ilhéus, o roteiro é Ilhéus-Itabuna-Floresta Azul-Itapetinga-Itambé-Vitória da Conquista (BR 116). Em Vitoria da Conquista, você desce pela BR 116 por 115 km, até uma cidade chamada Divisa Alegre (divisa de Minas com a Bahia). Vinte um quilômetros depois de Divisa Alegre, há um trevo: pegue a direita para a BR 251, para Salinas, Francisco Sá, Montes Claros, Pirapora, Pirapatos, BR 040, João Pinheiro, Paracatu, Cristalina, Luziânia e Brasília. Essa é a rota mais segura para quem sai do litoral baiano chegar a Brasília por Minas Gerais. Todas outras alternativas são perigosas, desconfortáveis ou as duas coisas. E, em Minas, você vai atravessar uma das regiões mais pobres de Minas, sem aquele charme turístico e gastronômico do centro e sul de Minas Gerais. Sou mineiro, Alessandra, e jamais recomendaria misturar acarajé com pão de queijo. O acarajé de Ilhéus já não é o mesmo de Salvador e o pão de queijo já não será o mesmo de Belo Horizonte ou Itajubá. Assim, gostaríamos de oferecer a você uma outra alternativa, capaz de dar mais coerência turística às suas férias, utilizar de modo mais eficiente seus dias de folga e aproveitar a vida em família ao máximo possível. Isso envolve mudar um pouco o seu “Plano de Voo”. Se você achar interessante, volte aqui para continuarmos a conversa. Se não, vá em frente PELO ROTEIRO QUE RECOMENDAMOS. Não saia dele, principalmente com crianças. Fora do que recomendamos, é só dor de cabeça, OK? Desculpe o nosso mau jeito, mas estamos aqui há anos cuidando para que famílias brasileiras aprendam a viajar de carro por essas estradas e voltem para casa em paz e segurança. Estamos de braços abertos para você e sua família. Queira-nos bem, tá?
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Obrigada pelo carinho e cuidado q vc mostrou no seu comentário, q roteiro vc nos sugere na volta? Temos vontade de conhecer a chapada diamantina(na ida é mais complicado por causa das diárias, mas a volta estamos tranquilos)Agradeço desde já a sugestão

        1. Olá, Alessandra. Bem-vinda de volta e que bom que você repensou o seu projeto! Ficamos felizes aqui. Afinal, vocês vão aproveitar melhor o tempo de férias, vão gastar menos dinheiro e vão evitar algumas frustrações, que seguramente aconteceriam no final da viagem no retorno por Minas e deixariam aquele “gosto de sabão na boca” ao finalzinho das férias. Vamos lá, então. O epicentro da Chapada Diamantina é a cidade de Lençóis. Aliás, ontem, dia 09, por volta das 23h, a Globo News passou um vídeo sobre a Chapada Diamantina e a cidade de Lençóis simplesmente maravilhoso. É um trabalho de um núcleo de moda (Caravana Internacional da Moda) que leva suas modelos pelos lugares mais lindos do Brasil e do mundo. Os ensaios fotográficos ocorreram principalmente no Morro do Pai Inácio, mas há muita coisa também dentro da cidade. Não sei se você vai conseguir recuperar o vídeo da Globo News. Se conseguir, ótimo. De qualquer modo, para você ter uma ideia melhor, recomendamos que você dê uma olhada nos comentários e nossas respostas a Luciana Alencar, que começam no dia 07.01.2020, às 09h30 e terminam no dia 09.01.2020, às 23h57, aqui mesmo no post “Brasília-Ilhéus de carro”, lá na área de comentários. Ali nós orientamos a Alessandra a parar em Lençóis e conhecer um pouco da Chapada NA IDA para Morro de São Paulo. No seu caso, a situação é a mesma. Só que você estará voltando de Morro de São Paulo. De Morro de São Paulo a Lençóis, a distância é de 370 km. Isso significa que você deverá chegqr lá por volta do meio-dia. É uma viagem curta e muitos passeios poderão ser feito ainda no primeiro dia. Nossa recomendação é sempre fazer os passeios com guias locais, credenciados e preparados, indicados pela Associação cuja sede fica na pracinha principal da cidade. Prefira contratar o guia para ir com vocês no seu carro. Ir nos carros das empresas ligadas à Associação acaba tolhendo a gente de fazer o que queremos, como encurtar os horários e cancelar opções e improvisar alguma coisa, além da sempre presente possibilidade de outros turistas irem no mesmo carro. Aí a bola fica com você, Alessandra. A cidade é simpática, movimentada, muita juventude, muita gente bonita, muita música, gastronomia e agito durante a noite. Escolha um bom hotel ou pousada próximo ao centro da cidade (de preferência com piscina), façam fotos naqueles lugares admiráveis e aproveitem ao máximo o astral e a energia da região. Não inventem muita moda de irem muito longe: nas imediações da cidade há passeios maravilhosos e seguros, como os recomendados por nós (Morro do Pai Inácio e Mucugezinho), rápidos, impactantes, muita água, tirolesa de tirar o fôlego, restaurantes. Tudo com o acompanhamento dos guias, que são profissionais muito bem preparados. É isso. Não sei quantos dias vocês pretendem ficar por lá. Todas as vezes que passamos por ali, a vontade é de ficar lá, de morar lá! Saindo do mergulho, no dia da partida para Brasília, sair após o café da manhã e rodar cerca de 1.060 km até a Capital Federal, onde você chegará a tempo de observar o belo espetáculo do congestionamento da subida do Colorado. Só que você estará na pista contrária, totalmente desimpedida. KKKK.
          Um abração, Alessandra. Continuamos a postos para você e sua família.
          Abreu

          1. Muitoo obrigada pelo retorno, volto aqui para dizer como foi a viagem!! Mais uma vez, parabéns pelo blog! Gratidão!

  23. Olá, Abreu, mais uma vez obrigada pelo blog! Suas dicas são valiosas para nós que planejamos viajar de carro com a familia. No dia 11/01 sábado, sairei de Brasília com a familia, incluindo aí duas crianças de 5 e 10 anos, com destino a Morro de São Paulo. Temos reserva na ilha de 13 a 16 de janeiro, depois seguiremos para Ilhéus. Meu marido tem um problema de visão, por isso serei eu quem irá dirigir. Já entendi que não posso confiar no Waze para esse trajeto, então gostaria de levar tudo anotado para não me perder. Quais seriam duas dicas para nós? Fazemos o trajeto: Brasília-Formosa-Alvorada do Norte-Posto Rosário-Luís Eduardo Magalhães-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Lençóis (pernoite)-Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Antônio de Jesus-Ponta do Curral(distrito de Valença), mesmo? Planejei a Saída de Brasília no dia 11 para viajarmos sem pressa. Chegando no dia 12 em Ponta do Curral, tem pousadinhas onde podemos passar essa primeira noite? O percurso entre Guaibim e Ilhéus é tranquilo? E na volta para casa qual trajeto você recomenda que façamos? Desculpe as mil e uma perguntas. É que essa é a primeira vez que programo uma viagem tão longa, quero ter tudo organizado para ficar mais segura. Mais uma vez obrigada pelo blog, li quase tudo e guardei dicas valiosas.

    1. Olá, Luciana. Bem-vinda de volta. O curioso é que nosso sistema identificou você como “primeiro contato”, mas sua forma de redigir nos levou a uma sensação de já ter tido sua presença por aqui. Batata: achamos o seu comentário como Luciana Neiva, no post “Brasília-Salvador”, no dia 07.12.2019. Agora sabemos que estamos falando com a mesma pessoa. Kkkkkkk. A sua viagem, Luciana, para melhor aproveitamento do tempo, deveria seguir o seguinte roteiro: pegar a rota por Barreiras e conhecer a Chapada Diamantina, aproveitar a maravilha que é Morro de São Paulo, descer pela BA 001 para Ilhéus e voltar de Ilhéus para Brasília pela rota de Vitória da Conquista e Bom Jesus da Lapa. Qual é o problema? É que você já fez a reserva em Morro de São Paulo. Então, você teria de ir primeiro a Morro de São Paulo e Ilhéus, o que torna econômica e temporalmente inconveniente o retorno a Lençóis. Nossa proposta para você, portanto, seria a seguinte. Você está com um dia sobrando na Ponta do Curral, onde você chegará no dia 12. Use esse dia adicional em Lençóis. Vamos mostrar como. Você deverá sair de Brasília no dia 11, sábado, partindo do Posto Colorado às 05h00 da manhã. O fluxo de caminhões na rota diminuiu sensivelmente e as famílias estão conseguindo sair de Brasília a essa hora e chegar a Lençóis por volta das 17h30. Hospede-se em Lençóis no dia 11 e passe também o dia 12 (domingo) lá. Você terá oportunidade de fazer pelos menos dois passeios fantásticos na Chapada Diamantina (Mucugêzinho e Morro do Pai Inácio) e, talvez, mais alguma coisa próxima à cidade. Não faça passeios sozinha: no centro da cidade há a Associação de guias turísticos credenciados. Você pode contratar o guia e o veículo deles ou contratar apenas o guia e levá-lo no seu carro. Eu prefiro essa hipótese, porque eu fico no comando do horário, do passeio e da hora da volta. Como é tudo pertinho, apertando um pouco no carro dá par ir sem maior desconforto. Você pode fazer esses dois ou três passeios e voltar para almoçar na cidade. É bom passear na própria cidade, conhecer restaurantes, depois ir descansar na piscina do hotel, jantar e dormir. No dia seguinte, saia após o café da manhã e, 4 horas depois – por volta das 11h30 min, você estará chegando à Ponta do Curral. Guarde o seu carro no estacionamento pago e pegue o barco para a travessia de 10 minutos. Se for muito cedo e o check-in da sua pousada ainda não estiver aberto, antes da travessia vá conhecer Guaibim, que fica a pouco mais de 5 km da Ponta. Provavelmente a sua diária começa a valer a partir das l4 horas desse dia (os hóspedes de partida saem às 12 horas, a pousada rearruma os apartamentos e abre o check-in dos hóspedes chegantes às 14 horas), o que dará tempo para um bom giro em Guaibim. Com isso, você poderá fazer uma degustação na Chapada Diamantina, usufruir Morro de São Paulo, descer para Ilhéus (com uma paradinha em Itacaré) e retornar por Vitória da Conquista-Brumado-Bom Jesus da Lapa-Correntina-Posto Rosário-Alvorada do Norte-Formosa-Brasília. Tudo bem? Se você concordar, retorne para que possamos apresentar os demais detalhes, OK?
      Um abração.
      Abreu

      1. Olá, é verdade nesse comentário o Google preencheu automaticamente meus dados, por isso a divergência. O plano inicial era ir à Salvador, mas a insistência das crianças por um hotel com recreação infantil e escorregador na água nos fez mudar os planos e descer para Ilhéus. Gostei da ideia de conhecer a chapada Diamantina na ida para a praia, só não estou certa se conseguiremos chegar lá às 17:30, com as crianças paradas são inevitáveis e talvez a viagem não renda tanto. Partiremos de Águas Claras, para não sair muito escuro devo sair por volta das 5h daqui. Vamos ver se vai dar certo. Então seguirei suas dicas e farei o caminho por Barreiras na viagem de ida e o retorno por Correntina. Por Barreiras acho que já entendi mais ou menos, fiz um mapa com as cidades e as distâncias entre elas, para ter uma idéia do que vem pela frente. Agora o retorno por Correntina me deixa mais insegura. Pegaremos a tal Serra do Marçal? (é assim mesmo que escreve) e as paradas nessa rota? Onde você me recomenda? Saindo de Ilhéus após o check out consigo dormir em Vitória da Conquista? Se não for muito abuso, posso te pedir dicas de passeios na região entre Ilhéus e Guaibim? Vi que tem muitas praias bonitas por lá, mas fico receosa quanto à estrutura e deslocamento entre os locais. Conhecemos Itacare há 20 anos atrás, em um bate e volta de Olivença e lembro de praias lindas, mas todas com trilhas longas. É possível conhecer Itacaré com as crianças? E Barra Grande? Dá para ir de carro em bate e volta ou melhor tentar uma pousada na região e ficar uns dois dias?
        Estou bem perdida. Por enquanto temos 3 diárias em Morro de São Paulo e 3 em Ilhéus, confesso que errei no planejamento, calculei que as cidades eram mais próximas. Mais uma vez obrigada pelas dicas e pelos relatos tão cuidadosos a respeito da estrada, seu blog é um verdadeiro farol iluminando nosso planos de viagem.

        1. Olá, Luciana. Bem-vinda de volta. Vamos começar pela Serra do Marçal, tá? A impressão que temos aqui no blog é que existe uma onda de terror em torno daquele pedaço de estrada, que absolutamente não se justifica. Primeiro, porque se chama Serra, mas, na verdade é uma descida longa – cerca de 20 km -, onde se desce de 850 metros para 400 metros de altitude, ou seja, uma descida bastante suave. São curvas sucessivas, parecidas como trecho de Brasília-Goiânia (BR 060), no local que chamamos de “7 curvas”. Segundo, que você não vai ficar viajando na beira de abismos e despenhadeiros terríveis – nada disso: a descida é suave, tranquila, com um belo visual e sem aquelas pirambeiras verticais que temos em estradas brasileiras realmente perigosas (Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina, ou a descida de Taubaté para Ubatuba, ou a Belo Horizonte-Vitória). E o trânsito é leve, sem grandes concentrações de carros ou caminhões. Para dizer a verdade, Luciana, o que merece atenção não é a serra, mas as curvas. É importante reduzir a velocidade em todo o percurso, manter seus 80 km/h ou menos e não passar por ali à noite – o que você não vai fazer. Então, estamos acertados? Tire a Serra do Marçal de suas preocupações: ela não merece essa honra! Voltemos à nossa rota. Nossas informações atuais permanecem assegurando que o tráfego de caminhões entre Luís Eduardo Magalhães e Itaberaba permanece reduzido e as famílias estão chegando a Lençóis antes do pôr-de-sol. E todas elas fazem as paradas que você vai fazer, ou seja, a cada 200/250 km, parada para alongamento, abastecimento, banheiro e lanche leve. Cada parada dessas não demora mais do que 10 ou 15 minutos. Agora, se parar para almoçar e para fazer compras em lojas de conveniências, cada parada sobe facilmente para 30-40 minutos. Assim, acho que você conseguirá chegar a Lençóis no mesmo dia. Em caso de atraso, pernoite em Seabra, que fica a 60 km de Lençóis: no dia seguinte, dia 12, você poderá chegar cedo da manhã em Lençóis e fazer aqueles passeios que indicamos, sem alterar muito os horários. E, como dissemos, no dia seguinte, saindo depois do café da manhã, você chegará confortavelmente a Morro de São Paulo por volta das 11 horas da manhã, com espaço para dar um rolé em Guaibim. Ao sair de Morro de São Paulo, siga para Valença e de lá pegue a BA 001 para Ilhéus. A estrada acompanha o litoral, correndo sempre muito perto do mar. A distância é curta (186 km) e o tráfego é leve, porque a estrada é turística. Você passará ao largo de verdadeiros paraísos (Barra Grande e Península de Maraú), mas são de difícil acesso. É aconselhável o uso de veículos pesados, com tração nas quatro rodas para ir até lá. É refúgio de ricos, que vão para lá de avião ou por mar. A 60 km de Ilhéus, você passará pela entrada de Itacaré, que está a 6 km dali. Aproveite e vá lá. Dê uma volta, avalie. Se gostar, organize uma ida a Itacaré quando estiver em Ilhéus. É muito pertinho. Quanto à volta de Ilhéus para Brasília, não há mistério. A viagem terá cerca de 1.300 km. Nossa recomendação é que você a divida em duas etapas bem equilibradas para não cansar as crianças, que já não estarão muito animadas porque “vão ver o mar”. Esqueça Vitória da Conquista: está muito perto (272 km de Ilhéus). Pernoite em Bom Jesus da Lapa (646 km no primeiro dia) e chegue a Brasília no segundo dia, depois de rodar 669 km. Bom Jesus da Lapa é uma cidade turística, com boa rede hoteleira, bons restaurantes e está localizada à margem do Rio São Francisco, o que dá um belo passeio. Há também um santuário católico (Gruta do Bom Jesus da Lapa), que vale uma visita, independentemente de sua religião. No dia seguinte, saia após o café da manhã e chegue à sua casa por volta das 14 horas. Não sei se já falei para você, Luciana, mas não deixe de ler o nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, publicado aqui mesmo no nosso blog (www.expresaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”), onde damos importantes informações de natureza prática para quem viaja com crianças, OK? E não se constranja: retorne tantas vezes quantas necessárias para a eliminação de dúvidas que ainda persistirem, tá? Esse é o nosso trabalho e gostamos dele.
          Um abração
          Abreu

          1. Olá Abreu, seguimos suas orientações e chegamos em segurança à Morro de São Paulo. Muito obrigada! Que lugar mágico! Três dias foi muito pouco queríamos ter passado a semana, partimos todos com gosto de quero mais. Sobre a estrada, só estava ruim de itaberaba a Iaçu. Não sei se pegamos o trecho errado, mas o início da estrada estava muito ruim. Já estamos em Ilheus, o mar aqui não é tão quentinho e nem calmo, mas estamos aproveitando aqui também. Agora a preocupação é a viagem de volta. Saindo de Ilhéus ou Camamu é a mesma estrada? Estou pensando em passar uns três dias em Itacaré ou Barra grande antes de ir embora, mas a estrada de Ilhéus está bem engarrafada. Estão construindo uma ponte e o trânsito está bem confuso. Se estiver em Itacaré preciso passar dentro da cidade de Ilhéus para pegar a BR e retornar para casa?

          2. Olá, Luciana. Bem-vinda de volta. Que bom que deu tudo certo e vocês chegaram bem a Morro de São Paulo e Ilhéus. Aquele trecho de Itaberaba-Iaçu já está com a obra de recuperação aprovada, mas tudo na Bahia no Verão anda mais devagar. Quanto à volta, embora haja outras rotas, todas significam voltar na viagem, para depois começar a viajar para a frente e para Vitória da Conquista. Assim, é preferível enfrentar esses 73 km de Ilhéus-Itacaré em vez de voltar para Jequié (158 km) e rodar mais 155 km de Jequié para Vitória da Conquista. Outro detalhe é que a rota Jequié-Vitória da Conquista é feita pela BR 101, que é uma rodovia comercial, com importante tráfego de caminhões, muito diferente das estradas do retorno por Ilhéus. Mas não será nenhum bicho de sete cabeças se você escolher ir por Jequié: com paciência, atenção e viajando de dia, você chegará a Vitória da Conquista em quatro horas de viagem por qualquer um dos dois caminhos. Quanto a Barra Grande, lembramos a você que a estrada é de terra e é mais apropriada para veículos com tração nas 4 rodas. E não deixe de ponderar a hipótese de ir para Porto Seguro, que fica a 313 km de Ilhéus pela BR 101. Saindo de Ilhéus após o café da manhã, você estará em Porto Seguro por volta das 10 horas. E na volta, você viria pela mesma BR 101, sendo que, 70 km após Eunápolis, pegaria a BA 680 para Potiraguá e Itapetinga, que fica a 100 km de Vitória da Conquista. Mas é apenas uma lembrança, OK? Não é uma recomendação. Não se esqueça: se restarem dúvidas, estaremos a postos à sua disposição.
            Um abração e curta bastante esse pedaço do Brasil.
            Abreu

  24. Olá, adorei o blog, sensacional as dicas!
    Vou sair de Brasília para Bahia semana que vem, queremos fazer uma viagem visitando varias praias, de morro de sao paulo a porto seguro, qual seria a melhor rota, a viagem será de aproximadamente 8 dias, qual cidade é melhor chegar e qual a melhor rota de estadias, devido a experiencia de voces creio que teem varios conselhos.
    Se possivel nos ajude na rota de ida e vinda para já deixar salvo no mapa qual direção tomar, como dito o gps não é o melhor amigo nessa hora.
    Grata pelas informações, e mais uma vez parabéns pelo trabalho INCRIVEL realizado aqui.

    1. Olá, Isabella. Bem-vinda ao nosso blog e obrigado por suas referências carinhosas e elogiosas ao nosso trabalho. Temos algumas considerações a fazer ao seu plano, Isabella. Como você deve ter lido, nós somos radicalmente contra viagens noturnas de carro pelas rodovias brasileiras (exceção para algumas estradas de São Paulo), uma vez que mais de 80% de acidentes com vítimas nas nossas estradas ocorrem entre as 18h e as 06h da manhã. Assim, é absolutamente imprescindível a parada para pernoite, tanto na ida como na volta. Isso significa que 4 dias da viagem serão gastos na ida e na volta. Se você só dispõe de 8 dias de férias, restariam 4 dias para Morro de São Paulo, Ilhéus e Porto Seguro, o que é muito pouco, principalmente porque há as viagens de Morro de São Paulo para Ilhéus e de Ilhéus para Porto Seguro, tudo no total de 470 km. Se entendemos corretamente o seu plano e sua viagem é de 8 dias para tudo, então a nossa proposta é: esqueça Porto Seguro – deixe-a para uma outra oportunidade. Se não for isso, ou seja, se os 8 dias são exclusivamente para as praias, sem contar a viagem de ida e volta, aí cabe Porto Seguro. Em qualquer das hipóteses, nossa recomendação é que você vá pela rota de Barreiras e retorne pela rota de Correntina. Isso significaria sair de Brasília (Posto Colorado) às 5 da manhã e pernoitar em Lençóis, onde você chegaria por volta da 17 horas. No dia seguinte, sair do hotel após o café da manhã, rodar 370 km e chegar a Morro de São Paulo em torno de meio-dia, hora que os hotéis abrem para o check-in dos novos hóspedes que estão chegando (não adianta chegar antes). Para essa primeira etapa da viagem a rota é Brasília-Formosa-Alvorada do Norte-Posto Rosário-Luís Eduardo Magalhães-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Lençóis (pernoite)-Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Antônio de Jesus-Ponta do Curral(distrito de Valença). Na Ponta do Curral você deixará o carro em estacionamento pago e pegará o barco para Morro de São Paulo (travessia de cerca de 10 minutos). Na Ponta do Curral você pode ir à direita para Morro de São Paulo por mar e também à esquerda para Guaibim, com praias muito festejadas e que fica ali pertinho. Saindo de Morro de São Paulo, faça a travessia para a Ponta do Curral, apanhe o seu carro, siga até Valença (5 km), apanhe a BA 001 e desça para Ilhéus. Essa rodovia é turística, com pouco movimento de caminhões e praticamente todo o tempo à beira mar. Só que há muitas cidadezinhas, com quebra-molas e curvas suaves, mas que não deixarão você andar a velocidades maiores. Essa viagem até Ilhéus percorre 186 km, que você deverá fazer entre 2h30min e 3h00 de duração. Você chegará a Ilhéus pelo Norte, depois de passar por Ituberá e Camamu. A partir de Camamu, à sua esquerda começará um dos mais belos trechos da costa brasileiras, quando você passará ao largo de Barra Grande, da península de Maraú e pela entrada de Itacaré, que está a cerca de 60 km de Ilhéus. Bem,Isabella, como nos faltam dados mais precisos sobre sua viagem e nós temos dúvidas se você poderá ou não ir a Porto Seguro, vamos fazer uma pausa e aguardar o seu retorno, para completarmos todas as informações que faltam. Para isso, precisamos que você confirme se as férias são realmente de 8 dias (ou se foi erro de digitação) e, se forem 8 dias, se são 8 dias considerando a ida e a volta para a Capital Federal ou se são 8 dias apenas para o litoral, OK? Ficamos aguardando o seu retorno.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Oie, obrigada pela resposta, na verdade nos dispomos de mais dias, mas se fosse por indicação de vocês, sendo nossa primeira viagem a Bahia, irmos a Porto Seguro aproveitar as praias de lá e voltar pra casa, ou fazer o trajeto morro de São Paulo a Porto seguro. Somos um casal em busca de férias divertidas e com boas memórias pra contar para os babys quando vierem ❤️ Aguardo ansiosa pela resposta

        1. Olá, Isabella. Bem-vinda de volta. Hoje acabamos de responder a uma consulta de nossa visitante Luciana Alencar, que está planejando viagem com a família quase aos mesmos destinos que você. Dê uma olhada na consulta e na nossa resposta para ela, aqui mesmo nos comentários do post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim”, no dia de hoje, 07.01.2020, às 23h27min. Observe que ela não está pretendendo ir a Porto Seguro, mas a Ilhéus, depois de visitar Lençóis, Morro de São Paulo e Guaibim. Com pequenos ajustes, sua viagem pode caber nos tais 8 dias, saindo de Brasília em um dia, pernoitando em Lençóis e chegando a Morro de São Paulo no segundo dia de viagem. Permanecendo em Morro de São Paulo por dois dias (é pouco: você vai querer no mínimo 3 dias), daria para sair de Morro no quinto dia e, no mesmo dia chegar a Porto Seguro (cerca de 500 km). Ficando em Porto Seguro por dois dias, no sétimo dia da viagem você poderia começar a voltar por Vitória da Conquista-Bom Jesus da Lapa e chegar à capital federal no oitavo dia. Como você vê, a viagem seria rápida e mostraria muita coisa. Mas deixaria de mostrar outras. Por exemplo: como passar por Ilhéus e Itacaré e não parar pelo menos um dia lá? Como passar só dois dias em Morro de São Paulo, se aquele hipnótico paraíso praticamente exige que a gente fique morando lá? Pois é, Isabella: leia nossa resposta para a Luciana, reflita e depois volte aqui para completarmos as dicas, OK?
          Um abração.
          Abreu

    1. Olá, Jane. Bem-vinda de volta. Na sua consulta anterior, no dia 18.12.2019, explicamos porque indicamos uma rota diferente daquela que você pretendia fazer (Contendas do Sincorá-Maracás-Jaguaquara-Valença. Transcrevemos abaixo nossa resposta para você naquela ocasião:
      Em resposta a Jane Melo
      Olá, Jane. Bem-vinda ao nosso blog e e obrigado pelos cumprimentos. Como falamos no post, há algumas alternativas para sair de Brasília e chegar a Morro de São Paulo e Guaibim. No momento, estamos tendo muita informação negativa sobre a rota por Bom Jesus da Lapa e Vitória da Conquista, pelo tráfego pesado de caminhões na BR 116. As pessoas estão se queixando de se estressarem naquele trecho, por conta das carretas e da dificuldades de ultrapassagem. Assim, repense nossa sugestão de ir por Barreiras-Ibotirama-Seabra-Itaberaba-Santo Antônio de Jesus-Valença. A rota de Brumado a Maracás estava inteira até um dia desses, mas os caminhões, tentando fugir do pedágio da BR 116, passam por ali e estragaram muito o asfalto. Enfim, sugerimos que você volte aqui antes da viagem para obter informações mais frescas, OK?
      Um grande abraço.
      Abreu”
      As informações continuam válidas e atualizadas. Só detectamos um tráfego pesado de caminhões na rota por Maracás (fugindo do pedágio da BR 116), o que tem estragado a estrada, congestionado o trânsito e causado atrasos de até 3h30 min até chegar na BR. Então, nossa sugestão para você é seguir como indicado (Brasília-Formosa-Luis Eduardo Magalhães-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Lençóis-Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Antônio de Jesus-Valença), com pernoite em Lençóis, Seabra ou Ibotirama. Entre Itaberaba e Iaçu há notícias de obras. Dessa forma, ao passar pelo trevo de Itaberaba, pare no Posto da Polícia Rodoviária Federal que há lá e pergunte sobre a rota por Iaçu. Conforme a orientação dos patrulheiros, vire à direita para Iaçu ou siga em frente para a BR 116, desça por ela por 49 km e vire à esquerda pela BA 245 para Amargosa e Santo Antônio de Jesus e, de lá, para Valença e Guaibim.
      Faça uma boa viagem e dê notícias, OK?
      Um abração.
      Abreu

  25. Bom dia!!
    Em primeiro lugar parabéns pelo excelente serviço prestado por este blog!
    Suas informações ajudam muito àqueles que não conhecem os trechos e realidades até o destino.
    Gostaria de confirmar a rota ideal de Brasília até Guaibim (Valença). Faremos uma viagem no início de janeiro de 2020, Permanecem as dicas do post original?
    Desde já agradeço e os parabenizo pelo relevante serviço prestado.

    1. Olá, Webert. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado por suas palavras, as quais são um importante estímulo à continuidade do nosso trabalho. As informações estão atualizadas, tais como constam do post. A única novidade – e que estamos analisando ainda com calma – é um aumento do tráfego de caminhões entre Barreiras e Itaberaba, o que está dificultando chegar-se a Lençóis no mesmo dia. Em razão disso, estamos sugerindo que as famílias pernoitem em Seabra ou Ibotirama e façam a subida da Chapada Diamantina (entre Seabra e Lençóis) pela manhã. No mais, tudo confirmado, OK?
      Um grande abraço e dê notícias.
      Abreu

  26. Boa noite Abreu. Parabéns pelo blog. Fantástico! A propósito, preciso de sua ajuda. Pretendo ir no dia 30/12 de Goiânia para Itacaré, saindo às 5 horas da manhã. Qual o melhor caminho que você sugere e onde posso dormir com a família, considerando que viajo a 110 km/h? Obrigado e forte abraço.
    Guilherme

    1. Olá, Guilherme. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado pelos cumprimentos ao nosso trabalho. Você chegou até nós – provavelmente utilizando o Google – por meio do nosso post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, que está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Mas você está planejando a viagem para Itacaré. Então, o post através do qual você nos acessou não é o melhor para essa finalidade. No endereço citado, nós temos uma série de posts sobre viagens de férias de carro pelo Brasil, como “Brasília-Salvador de carro”, “Brasília-Salvador-Natal de carro”, “Brasília-Porto Seguro de carro”. E lá se encontra também o nosso post “Brasília-Ilhéus de carro”, onde descrevemos a rota mais confortável, mais segura (não necessariamente a mais curta) e mais apropriada para viagens em família. Dessa forma, convidamos você a dar uma olhadinha lá nesse post (www.expressaodaliberdade.com.br, aba “Rodovias Brasileiras”, post “Brasília-Ilhéus de carro). Depois da leitura, retorne aqui para acrescentarmos alguns detalhes. Antecipadamente, lembramos que você deve ter muita atenção em um trecho do post, realçado, sobre a rota “Brumado-Vitória da Conquista”. Apesar de chamarmos a atenção para nossos visitantes pegarem a BA 262 e descer direto para Anagé e Vitória da Conquista, alguns aplicativos estão recomendando seguir em frente em Brumado até chegar a Sussuarana e de lá descer para Anagé. Essa estrada sugerida pelo GPS está totalmente destruída e transforma a viagem num inferno, além de ser quase 50 km mais longa. Então, ficamos aguardando o seu retorno, para ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança com sua família. Ah, e você pode retornar tanto por aqui (“Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro” ou por lá (Brasília-Ilhéus de carro). Em qualquer das situacões, nós veremos você.
      Um grande abraço.
      Abreu

  27. Boa tarde, Abreu!
    Primeiramente quero parabenizá-los pelo trabalho do blog. É realmente muito instrutivo e imprescindível para quem vai começar a viajar pelas estradas desse Brasilzão.
    Farei uma viagem agora dia 25/12 para a praia de Pratigi, saindo de Brasília. Faremos a viagem em dois dias e meio para podermos chegar cedo à Pratigi e, depois de ler as recomendações aqui do blog, o planejamento das paradas ficou decido por Barreiras e Valença. Muito obrigada por fomentar informações tão valiosas para a nossa saúde e segurança na estrada!
    Na volta também darei minha contribuição quanto ao trajeto como um todo.
    Até a próxima!

    1. Ola, Adriana. Obrigado por nos ter encontrado. Obrigado por nos permitir ajudá-la em sua viagem. Obrigado por suas palavras de carinho em relação ao nosso trabalho. É uma força muito grande que recebemos de pessoas como você para continuarmos a fazer o que fazemos.
      Um grande abraço.
      Abreu

  28. Boa noite!
    Estou Ibotirma pernoitando, estou na dúvida se sigo 242 até Itaberaba se sigo até Santo Antônio de Jesus ou se desço para Iaçu Amargosa, ambas com dewtino a Guaibim BA.
    Será que essa rodovia 046 está em boas condições, estou querendo fugir do transito de carretas. Poderiam me ajudar?
    Parabéns pelo blog e as informações contidas muito ajudam a todos!

    1. Olá, Adriano. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado por suas palavras de conforto sobre o nosso trabalho. Sua dúvida tem procedência, mas nenhuma das alternativas vai ser o fim do mundo. Se você pegar a reta de Itaberaba até Argoim, na BR 116 e descer para o trevo dela com a BR 245, 24 km depois de Itatim e um pouco antes de Milagres, você “sofrerá”apenas 49 km de BR 116 e seus caminhões. Isso não estressa nem mata ninguém, se houver um pouco de paciência e bom-humor. De Itaberaba a Santo Antônio de Jesus por Argoim são 220 km e, por Iaçu, são 160 km. Tudo indicaria a rota por Iaçu, mais rápida e sem passar pela BR 116. Ocorre que houve uma destruição naquele trecho entre Itaberaba e Iaçu (32 km) onde há autorização de obras de recuperação. E nós não estamos conseguindo obter informações seguras sobre o avanço dessas obras. Nos dois casos, chega-se a Amargosa e, daí, a Santo Antônio de Jesus. Como tudo é muito recente, em vez de você depender de nós, nós é que vamos depender de você. Como? Na saída do trevo de Itaberaba, do lado direito, há um posto da Polícia Militar Rodoviária da Bahia. Pare lá e pergunte sobre o estado da estrada Itaberaba-Iaçu-Amargosa. Conforme a resposta, siga por uma ou outra rota. Essa complicação é muito recente, por isso a dificuldade de informações da nossa parte. Claro que adoraríamos que você, ao obter essas informações fresquinhas, voltasse aqui para nos contar o segredo, OK? Ficamos no aguardo.
      Um grande abraço.
      Abreu

  29. Boa tarde Caro Abreu!
    Meu destino de férias em janeiro será Morro de São Paulo. Partirei do interior de São Paulo e ja conheço o caminho até Vitória da Conquista. Tenho duas rotas alternativas a partir de Jequié : Jequié – Gandu – Valença e a outra seria Jequié – Jaguaquara – Matuípe – Valença. Gostaria de saber qual encontra-se em melhores condições? Tinha uma outra dúvida sobre estacionamento e a princípio iria optar por Valença, mas lendo alguns comentários em seu blog me pareceu uma melhor opção no próprio atracadouro Bom Jardim, pensando que estarei com crianças e ja terei percorrido aproximadamente 1600km. Desde já, Parabéns pelo Blog!!

    1. Olá, José Luiz. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado pelos cumprimentos. Eles nos fazem um bem….! Nas condições em que você coloca, a rota mais tranquila e mais bem conservada é a Jequié-Guandu-Valença. É uma estradinha que resiste bem, mesmo às chuvas mais fortes e aos abandonos governamentais mais longos. Mas nós ficamos aqui nos perguntando porque você virá pela BR 116? Tudo bem: você sai do interior de São Paulo. Mas a BR 116 é o reino e o paraíso dos caminhões, parte pequena duplicada, grandes trechos de pistas simples, dificuldades de ultrapassagens. Nossa orientação para quem vai do Estado de São Paulo para Morro de São Paulo é a BR 101, menos comercial, mais turística e com possibilidades de, aqui e ali, você escapar e seguir simpáticas estradinhas à beira-mar. Pense nisso. Quanto ao estacionamento, realmente já ficamos em Valença (travessia terrível em “voadeira” em 30 minutos ou em escuna, por duas horas, igualmente desafiante). A melhor alternativa é a que indicamos, ou seja, a Ponta do Curral, a cerca de 2 km de Guaibim e a uns 5 km de Valença. Estacionamento seguro, preço justo, travessia tranquila que dura cerca de 10 minutos. Essas são nossas ponderaçòes, José Luiz. Se restarem dúvidas, retorne: será um prazer ajudá-lo a levar e trazer de volta sua tripulação em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  30. Não é primeira vez que uso esse meio de comunicação, por sinal muito bom para quem que fazer uma viagem com segurança e tranquilidade. Gostaria de saber qual situação do trecho entre Itaberaba, iaçu, amargosa até chegar santo Antonio de Jesus. Vou para morro de São Paulo Bahia no mês de janeiro. Excelente blog

    1. Olá, Elierkson. Bem-vindo de volta mais uma vez. Você é veterano aqui em nosso blog e gosta de rodar. A primeira vez que você apareceu por aqui foi há 5 anos, preparando viagem para Maceió e orientando um outro visitante nosso (Carlito) sobre a estrada para Valença. Muito nos honra a presença de pessoas como você por aqui. Aquela travessia de Iaçu para Amargosa e Santo Antônio de Jesus continua boa, de acordo com nossas últimas informações. Mas tem havido muita chuva por lá, o que andou estragando um pouco aquele trecho de Itaberaba a Iaçu, mas já há obras de recuperação aprovadas pelo governo do Estado. Claro que de Iaçu para trás, ou seja, para a Chapada Diamantina, a estrada está totalmente destruída. Dessa forma, seria interessante que você, um pouco antes da partida, desse uma passada por aqui para saber se não há novidades (ruins), OK? Vamos fazer um levantamento de todo o trecho. Afinal, estradas estaduais e muita chuva não são uma combinação muito boa. E publicaremos os resultados aqui. Mais uma vez, Elierkson, obrigado por “bater o ponto”aqui em nosso blog.
      Um abração.
      Abreu

  31. Boa noite caro Abreu!
    Um verdadeiro achado o seu blog 🙂
    Apesar das comodidades dos aplicativos que nos levam com facilidade por este mundo a fora, a segurança também nos é muito estimada!!!
    Estamos viajando de Brasília a Valença agora no final do ano; essa rota por Barreiras- Seabra ainda é a mais segura para quem vai viajar somente com amigas? Sugere pra gente pontos de pernoite? Não conseguiremos sair tão cedo de Brasília, só no início da tarde.

    1. Olá, Adriana. Bem-vinda ao nosso blog e obrigado pelo carinho das suas palavras de estímulo a este trabalho que é feito há mais de 12 anos. Não se preocupe: esse roteiro que recomendamos é caracterizado por suas diversas alternativas de pernoite, uma vez que, ao longo dele, as cidades importantes estão a 200/250 km uma da outra, o que permite alterar o pernoite segundo a dinâmica da viagem. Como vocês sairão de Brasília no início da tarde e como se trata de uma tripulação feminina, nossa recomendação é que você pernoite em Luís Eduardo Magalhães. Serão 500 km de viagem em estrada de pista simples, mas com baixíssimo tráfego a partir de 300 km de Brasília (Posto Rosário). Vocês devem parar nesse posto, abastecer, usar os banheiros limpíssimos, comprar alguma coisa na lanchonete (muito boa) e botar o pé na estrada para Luís Eduardo Magalhães. Se você pernoitar em LEM, Adriana, após rodar 500 km desde Brasília, no dia seguinte vocês chegarão a Valença após rodarem cerca de 900 km, ou seja, por volta das 16 horas. Acho que é o melhor plano para a viagem de vocês. A propósito, você chegou até nós pelo post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, que está publicado em nosso endereço “www.expressaodaliberdade.com.br), na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também publicamos um outro post (entre outros) que adoraríamos que você lesse. É o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, em que disponibilizamos uma série de informações de natureza prática, para motoristas sem muita experiência ou que viajem com mulheres, crianças e idosos. Lá tratamos de como evitar os vômitos das crianças, as diarreias dos idosos e as candidíases das mulheres nos banheiros de beira de estrada. Não deixe de dar uma olhada lá, OK? Espero que esse seja nosso primeiro contato e que outros possam vir. Se restarem dúvidas, Adriana, retorne: será um prazer ajudá-la a ir e vir a Valença em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  32. Olá Sr. Abreu, muito obrigada pelas dicas!!
    Vamos estudar e planejar direitinho!!

    Abraço.
    Valicia

  33. Olá Sr. Abreu,
    Parabéns pelo blog!! Amigos o indicaram!!
    Gostaria de dicas para quem vai viajar a primeira vez com a família (pequenos de 3 anos), numa viajem longa, Brasilia a Conde -BA, no período das festas de final de ano, já conhecemos o trecho da rodovia Salvador – Aracaju, pela Estrada do coco (Linha Verde). Agradeço por nos ajudar!!!

    1. Olá, Valícia. Bem-vinda ao nosso blog e obrigado por suas carinhosas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Se você já conhece o trecho Salvador-Conde, então vamos focar no trecho Brasília-Salvador. A propósito, saímos de Salvador com destino a Natal e passamos por Conde há cerca de três meses. A estrada está boa. Fica ruim quando sai da Bahia e entra em Sergipe, mas não é o seu caso. Você chegou até nós, Valícia (possivelmente pelo Google), através do nosso post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, que está publicado em nosso endereço http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Nesse mesmo endereço e na mesma aba, você encontrará muitos outros posts nossos sobre viagens de carro pelo Brasil. Entre esses, há dois que são particularmente interessantes para você: o Brasília-Salvador de carro” e o “Brasília-Salvador-Natal de carro”. ambos descrevem detalhadamente como ir de Brasília a Salvador (o primeiro) e ir de Brasília a Conde (o segundo), sem ter de enfrentar o trânsito pesado de Salvador, sempre presente na orla (atualmente impraticável por causa de obras), na avenida Paralela ou pela Avenida Luís Eduardo Magalhães. No “Brasília-Salvador-Natal de carro” orientamos você a fugir do trânsito, cortar caminho e chegar rapidinho ao Aeroporto e à Estrada do Coco. Está tudo lá. A única alteração que estamos propondo para a rota descrita em ambos os posts é que o pernoite – que recomendávamos em Lençóis no momento está inviável, razão por que estamos indicando o pernoite em Ibotirama ou, no máximo, em Seabra. Isso porque houve um aumento significativo de caminhões na rota, o que tem atrasado muito a chegada a Lençóis. Se você pernoitar em Ibotirama, deverá chegar lá por volta das 15h, com tempo para ar uma volta pela cidade e bater umas fotos na ponte sobre o Rio São Francisco. Vocês dividirão a viagem em duas etapas de cerca de 800 km cada uma (806 km no primeiro dia e 814 km no segundo), o que é bom para as crianças, por não cansá-las muito. Saindo de Ibotirama após o café da manhã, vocês deverão chegar a Conde por volta das 15h também. Então, Valícia, gostaríamos que você desse uma lida nesses dois posts que mencionamos, OK? E, como você está viajando com gente pequena, recomendamos que você inclua em sua leitura o post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, onde nós disponibilizamos informações muito úteis para motoristas sem muita experiência, ou que viajem com mulheres, crianças ou idosos. São recomendações sobre como contornar o enjoo das crianças nas primeiras horas da viagem ou como se proteger para utilizar os banheiros de beira de estrada, nem sempre muito bem cuidados. Dê uma olhada lá também, tá? Se ainda restarem dúvidas, Valícia, retorne: será um prazer ajudar você sua família irem e voltarem em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  34. Olá Sr. Abreu,
    Parabéns pelo blog!! Amigos o indicaram!! E já li as dicas a outras famílias,
    Gostaria de dicas para quem vai viajar a primeira vez com a família (pequenos de 3 anos), numa viajem longa, Brasilia a Conde -BA, no período das festas de final de ano, já conhecemos o trecho da rodovia Salvador – Aracaju, pela Estrada do coco (Linha Verde). Agradeço por nos ajudar!!!

  35. Olá Abreu, boa noite!!!!
    Amigo que belíssimo blog esse, com informações muito claras perfeitas.
    Então estamos indo para Guaibim na madrugada de quinta para sexta agora dia 10, vamos em 2 carros saindo de Brasília as 3:00 da manhã, nossa ideia de velocidade média é de 120km no máximo, por razões de irmos com famílias, estimamos chegar no destino por volta das 17 e 19 horas, com sua vasta experiência e seguindo as suas dicas você acredita que é possível chegar? E qual a melhor rota que você indica?

    1. Olá, Valeriano. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado por suas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Dado o avançado da hora e a proximidade de sua partida, decidimos responder parcialmente ainda hoje. Amanhã complementaremos as informações. A primeira recomendação é a escolha da rota. Nossa recomendação é que você vá pela rota por Correntina-Santa Maria da Vitória-Bom Jesus da Lapa-Brumado-Vitória da Conquista-Jequié-Valença-Guaibim. As razões são o pesado tráfego de caminhões nessa época do ano (transporte de adubos, corretivos e sementes para o agronegócio do oeste baiano) a partir das últimas semanas, principalmente na rota por Barreiras e na alternativa Brumado-Contendas do Sincorá-Maracás. As pessoas estão registrando atrasos de 3 a 5 horas em relação ao planejado. De qualquer modo, não será possível – mesmo por Vitória da Conquista – vocês fazerem a viagem de uma só vez, porque enfrentarão a BR 116 (Rio-Bahia, a conhecida Matadeira) À NOITE, o que seria um horror. Nossa proposta: pernoitem em Vitória da Conquista, onde há excelentes pousadas baratas e hotéis de até 3 estrelas, para todos os bolsos. No dia seguinte, peguem a estrada descansados e chegarão a Guaibim por volta das 10 horas da manhã. Amanhã retomaremos a conversa. Mas, por favor, sigam nossas recomendações. Fora disso, preparem-se para dores de cabeças capazes de arrasar o começo das férias.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Boa tarde Sr. Abreu.
        Estou planejando passar as festa de final de ano em Guaibim\Morro de São Paulo. Gostaria de informações atualizadas sobre os trajetos.
        Indo por Barreiras, me disseram que a partir Lençóis sentido Salvador o asfalto está bem ruim, e indo por Maracás as estradas tb estão precárias. O senhor sabe das condições do trecho passando por Vitória da Conquista?
        Grato.
        Rodrigo.

        1. Olá, Rodrigo. Bem-vindo de volta! A melhor rota é por Barreiras. Aquele trecho entre Lençóis e Itaberaba eternamente está em obras, porque há algo de errado com o terreno ali. Já há mais de uma década que registramos aqui no blog esse problema naquele local. É um negócio incompreensível: o DNIT vai passando fazendo os consertos e imediatamente atrás os buracos novos vão surgindo. Mas são apenas cerca de 50 km na parte mais próxima a Itaberaba, e nada que exaspere, canse, irrite ou dê vontade de dar uns murros em alguém. E só ter um pouquinho de paciência, reduzir um pouco a velocidade e logo tudo se normaliza, OK? A alternativa (Vitória da Conquista) é boa, mas é muito longa e a rota por Maracás está em boas condições mas lotada de caminhões fugindo do pedágio da BR 116. Ser restarem dúvidas, Rodrigo, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança. Atenção ao primeiro trecho da viagem (Brasília-Lençóis): o tráfego de caminhões de Luís Eduardo Magalhães para Salvador está pesado por lá e não hesite em pernoitar em Ibotirama ou Seabra se a viagem perigar entrar pela noite por causa disso.
          Um abração.
          Abreu

          1. Novamente, muito obrigado pela atenção!
            Surgindo novas informações, certamente irei contribuir com todos os seguidores que acompanham as atualizações!
            Abraço.

      2. Parabéns pelo Blog. Estou indo com a família agora em janeiro (pós reveion). Vc deu a idéia de pernoitar em Vitória da Conquista. Estava pensando de Brumado, pois estou pensando de uma rota parecida com a sua, só que de brumado sigo por Marcacás / Jaquaguara / Valença.

        1. Olá, Jane. Bem-vinda ao nosso blog e e obrigado pelos cumprimentos. Como falamos no post, há algumas alternativas para sair de Brasília e chegar a Morro de São Paulo e Guaibim. No momento, estamos tendo muita informação negativa sobre a rota por Bom Jesus da Lapa e Vitória da Conquista, pelo tráfego pesado de caminhões na BR 116. As pessoas estão se queixando de se estressarem naquele trecho, por conta das carretas e da dificuldades de ultrapassagem. Assim, repense nossa sugestão de ir por Barreiras-Ibotirama-Seabra-Itaberaba-Santo Antônio de Jesus-Valença. A rota de Brumado a Maracás estava inteira até um dia desses, mas os caminhões, tentando fugir do pedágio da BR 116, passam por ali e estragaram muito o asfalto. Enfim, sugerimos que você volte aqui antes da viagem para obter informações mais frescas, OK?
          Um grande abraço.
          Abreu

  36. quero fazer uma viagem com minha familia em janeiro pra guaibim vc poderia me informa por onde vou com mais tranquilidade e segurança

    1. Olá, Jair. Bem-vindo ao nosso blog. Com as últimas informações que temos de agora há pouco (precisamente de três horas atrás), o caminho mais adequado para quem sai de Brasília para Guaibim é a rota Brasília-Posto Rosário-BR 349-Correntina-Bom Jesus da Lapa-Caetité-Brumado-Vitória da Conquista-Ilhéus-Valença-Guaibim. Isso porque a rota por Barreiras, no momento, está bastante atravancada com caminhões levando material para o preparo do plantio no oeste baiano (Luís Eduardo Magalhães, Barreiras, etc) e que, na rota por Correntina, ao chegar a Brumado não dá para entrar para a alternativa de Contendas do Sincorá e Maracás, porque, apesqr de a estrada estar em muito bom estado, os caminhoneiros a descobriram e o pessoal está perdendo de 3 a 4 horas de viagem ao tentar ir por ela. Por outro lado, toda a rota por Vitória da Conquista até Ilhéus e Valença está em muito bom estado. Mas observe, Jair, que a época em que você for viajar, a situação da rota por Barreiras poderá mudar. O ideal é que você retorne aqui, mais perto da viagem, para ver se há novidades, OK? Jair, você chegou até nós pelo post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, que está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde há diversos outros posts sobre viagens rodoviárias a partir de Brasília, especialmente o post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, onde disponibilizamos muitas informações de natureza prática, principalmente para quem viaja com mulheres, crianças e idosos, e com especial reforço nas medidas de direção segura, importantíssimas nos tempos atuais, em que o DNIT retirou a maior parte dos radares e pardais das rodovias federais. Como nossos motoristas são como são, na falta das multas estão andando a altas velocidades e morrendo como moscas. Se restarem dúvidas, Jair, retorne: será um prazer ajudar você e sua família a irem e voltarem de Guaibim em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. abreu mt obrigado pelas dicas …e sim qd tiver mais perto eu voltarei a entrar em contato pra saber da melhor alternativa ….agradeço pela dica e parabens pela iniciativa de ajudar as pessoas com viagens terrestre dando-lhes melhor rota e segura ….

      2. ola meu amigo , viajo dia com destino a Guaibin bahia ……sera q vc poderia me informa por onde ir e onde dormi ………nao quero tirar em um dia vou devagar sem preça
        mas nao quero chegar la mt tarde …
        obrigd

        1. Olá, Jair. Como já havíamos respondido sua consulta lá no outro post (“Manual de sobrevivência…”), vamos encaminhar aquela resposta diretamente para o seu e-mail. Qualquer dúvida, estaremos aqui a postos, OK?
          Um abração.
          Abreu

  37. Abreu, boa noite.. Li o blog e os comentários meses antes de sair. Estamos em viagem para morro de São Paulo.. No momento estamos no hotel serra do Rio em ibotirama.(recomendo bastante).. A estrada está perfeita até então apenas um pequeno trecho ( uns 5km) em reforma entre barreiras e ibotirama, com siga – pare. A questão é.. Devemos seguir por Santo Antônio de Jesus / Nazaré rumo a morro ou por Iaçu /amargosa? Um abraço

    1. Olá, Bruno. Bem-vindo ao blog. Essa rota por Amargosa é muito variável: ora está ótima, ora está com dificuldades. Assim, nossa recomendação é no sentido de que você vá por Santo Antônio de Jesus e Nazaré. Vamos examinar melhor a rota por Iaçu-Amargosa, mas, como você já estará amanhã tendo de tomar essa decisão, optamos pela segurança, daí nossa recomendação para a Rota SAJ-Nazaré.
      Faça uma boa viagem e dê notícias, OK?
      Um grande abraço.
      Abreu

  38. Olá Abreu, bom dia meu caro!!!! Estou partindo para Salvador em breve, vamos para o litoral norte, desta vez não consegui convencer a “Patroa” a ir para Morro de São Paulo,por isso, quero saber se tem alguma informação sobre a estrada. Sabes bem que gosto de ir por Correntina, pois, gostamos de pernoitar no Hotel 3º Milênium em Brumado, portanto, isso já está definido. Quero saber qual a situação da estrada depois de Maracás, BA 130/026/ BR/116 até Feira de Santana. Deixo claro que não conheço esta parte da estrada. E aceito sugestões a a partir de Brumado.
    Obrigado Abreu.

    1. Olá, Antoni. Bem-vindo de volta. Decidi fazer um estudo mais detalhado sobre essa rota BA130/026/BR116. Devo ultimá-lo amanhã. Acho que vou ter agradáveis surpresas para lhe contar. Aguarde, OK?
      Um abração.
      Abreu

    2. Olá, Antoni. A rota pela qual você está interessado está boa. O asfalto está inteiro, não há registro de buracos, o tráfego é quase nulo. Sob esses aspectos, portanto, não há com que se preocupar com a rota Brumado-Contendas do Sincorá-Maracás-BR 116-Feira de Santana-Salvador. Por Vitória da Conquista, 659 km. Por Contendas, 540 km. A diferença, além dos 119 km a mais, é exclusivamente a estrutura de apoio, ou seja, uma pane mecânica, com crianças e mulheres a bordo, com chuva, são situações totalmente diferentes do ponto de vista de socorro, se você for por Vitória da Conquista ou por Contendas. A questão da violência e segurança não está registrada em ambos os percursos. Então, Antoni, que Deus ilumine você a tomar a decisão correta e que dependerá, basicamente, do veículo com o qual você fará a viagem. Em qualquer hipótese, estaremos aqui acompanhando você.
      Um abração.
      Abreu

    3. Boa Tarde,

      a estrada está ótima do posto rosário até Correntina , alguns trechos operando com uma faixa mas não se perde tanto tempo neles e sabemos que o trabalho é para melhorar.. passei por lá dia 18/07 e voltei 27/07 dica já tem posto na estrada entre o posto rosário e Correntina, mas pelo movimento acho legal completar o tanque no posto rosário.

  39. Olá! Sr. Abreu!

    Meu nome é Patrícia. E ao pesquisar viagens de carro para a Bahia, me deparei com o seu blog e Já li vários posts do blog, Todos feitos com muita presteza e muito detalhados. Como eu nunca fui à Bahia (acredita?!), e desta vez a organização da viagem ficou por minha conta, já comecei a pesquisar. Nada pior do que estar em uma estrada e não saber o próximo ponto de parada, ainda mais quando está anoitecendo! Isso aconteceu conosco, meu marido e eu, indo para Teresina – PI. MUITO estressante e perigoso.
    Para não cometer o mesmo erro, venho, humildemente, pedir algumas sugestão para a viagem que pretendemos fazer nas férias de janeiro/2020 (longe,não?)
    O sonho seria conhecer parte do litoral do sul da Bahia. E imaginei nossa viagem assim:

    Seguir suas recomendações de Brasília até Guaibim pela rota de Correntina, com pernoite em Vitória da Conquista.
    Depois:
    Guaibim/ Morro de São Paulo (4 dias)/ Guaibim / Maraú (2 dias) /Itacaré (2 dias) / Ilhéus (4 dias)
    Ilhéus/ Brasília – também seguindo suas orientações
    As dúvidas surgem depois de Guaibim…
    1 -Quais rotas pegar para cada praia?
    2 – Fiz a sequência de praias “descendo” pelo google maps, mas não sei nada sobre as estradas. Sigo essa lógica ou não?
    3- Em relação à quantidade de dias para cala lugar. Está pouco? Muito? Sei que essa é uma pergunta muito relativa e pessoal, mas como não conheço nada, gostaria da sua opinião. Até porque pode acontecer conosco o mesmo que acontece com vcs em relação à Maragogi… rsrs
    4 – Estou deixando “passar batido” algum lugar imperdível?

    Por enquanto, são essas as minhas dúvidas!

    E agradeço antecipadamente a atenção ao respondê-las!

    P.S. pelos comentários percebi que vc está viajando, então não se preocupe! Pode responder as perguntas quando voltar! Boa viagem!!!! =)

    Patrícia

  40. Tudo bom Sr Abreu, não é primeira vez que participo desse meio de comunicação sensacional, agora em novembro estou indo para morro de sao paulo, minha maior preocupação são os trechos entre iaçu, passando por amargosa, até chegar santo Antonio de Jesus. Como está situação desse trecho nesse momento.

    Tbm tem opção de ir por Correntina que até colega meu foi a pouco tempo e falou que condições estavam excelentes. Aí fica minha dúvida vai por Correntina ou segue sentido barreiras.

    Abraços!

    1. Olá, Elierkson. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado por você já ser um observador do nosso trabalho. Realmente, suas preocupações tem sentido: há muitas reclamações a respeito daquele trajeto Iaçu-Amargosa-Santo Antônio de Jesus, principalmente no trecho de Iaçu até a BR 116. Como retorno a Brasília por volta do dia 23.7.2019, vou pentear aquela região e entender o que realmente está acontecendo. Como sua viagem será no final do ano, haverá tempo de conversarmos aqui e indicarmos a você a rota mais confortável e segura para sua viagem. Enquanto isso, coloque no seu radar a rota via Correntina, aue deverá ser, no final, a indicada. Darei notícias, tá?
      Um grande abraço.
      Abreu

  41. Caro Abreu, bom dia!
    Quanto tempo meu nobre amigo! Passando aqui para agradecer por toda a ajuda desses 6 anos viajando com a família em segurança graças a suas dicas é o auxílio de todos que.passam por aqui.
    Bom, esse ano resolvi conhecer barra grande. Realmente o paraíso, lindo lugar de natureza exuberante e povo acolhedor.
    Fiquei muito tentado a pegar a rota por correntina, mas em time que está ganhando não se mexe e peguei a rota por Barreiras.
    O trecho até Itaberaba está muito bom, só passei por 2 buracos de canto de faixa. Dormi em Itaberaba e saí as 08:30 da manhã seguinte sentido Iaçu. Estrada com alguns buracos e asfalto ruim, diminuiu muito a velocidade média.
    Tem que ter atenção alguns podem avariar as rodas do carro. Na verdade todo o trecho até Camamu foi assim. Amargosa, Valença muitas lombadas e pequenos buracos, por segurança não passei de 80km/h.
    Em Camamu peguei a lancha rápida, 30 reais por pessoa, pois a estrada para barra grande é bem complicada para carros baixos, ela não é pavimentada e com muitos buracos!
    Acredito que a rota por Ipirá e Feira deva ser melhor!
    Bom, espero ter contribuído com algo útil e irei trazer informações até o final de nossa viagem passando por quase todo o Nordeste.
    Um Grande abraço a todos e por favor:
    NÃO VIAGEM À NOITE PELO AMOR DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO!

    1. Olá, Beto. Olá, Candy. Bem-vindos de volta e que bom que tudo deu certo mais uma vez. Essas variações que vocês fazem “em torno do mesmo tema” são muito interessantes para nós, porque vocês acabam mapeando as diversas alternativas de irem para a mesma região. E nós podemos nos debruçar sobre suas informações e escolher e recomendar a rota mais adequada. Vamos incluir suas experiências nos posts relacionados e todos eles vão ficar mais ricos. E atualizados.
      Um abração em vocês e dêem notícias, hein?
      Abreu

  42. Abreu, Boa noite!!! Como vai?
    Viajo com minha família nesse carnaval para Barra Grande Bahia. Fiquei com algumas dúvidas em relação ao trajeto. É melhor ir por Ilhéus ou Jequié? Estou saindo de Brasília.

    1. Olá, Sidney. Bem-vindo ao blog. A rota por Jequié é 28 km mais curta. Por Ilhéus são 387 km e por Jequié, 359. Mas nós recomendamos a rota por Ilhéus, porque as estradas estão em bom estado e o tráfego é muito mais leve. Já por Jequié, o trecho de Vitória da Conquista até Jequié é BR 116, ou seja, Rio-Bahia, ou seja, o paraíso dos caminhões e carretas. Além disso, a travessia de Jequié para Itacaré, via Itaúna, Ipiaú e Ubaitaba, pela margem do Rio de Contas, ora está maravilhosa, ora cheia de buracos. Por isso, a rota que adotamos sistematicamente é por Ilhéus e normalmente não temos tido desprazeres, muito pelo contrário. Faça uma boa viagem e dê notícias, OK, Sidney?
      Um grande abraço.
      Abreu

  43. Abreu, nobre amigo, te considero assim!! Estamos indo pra Morro dia 22/01, terça-feira. Estamos decidindo se vamos por Barreiras ou Correntina via Maracás pois eu morro de medo da Serra do Massal. Em algum desses dois trajetos vou passar por algo parecido? Pretendemos parar pra dormir em Bom Jesus! Abraços!

    1. Olá, Elen. Bem-vinda de volta. Curiosamente, o sistema do blog catalogou você como sendo a sua primeira vez aqui. Mas eu senti que esse seu estilo levezinho de redigir não me era estranho. Fui fazer uma pesquisa manual e descobri a veterana Elen, que começou a frequentar o blog lá no início de 2016, com viagens para Porto Seguro, Uberlândia, Itajaí, etc. Ocorre que você assinava como Elen. Quando você inclui o sobrenome Bernardes, o sistema não reconheceu, classificou como primeira entrada e, nessas condições, deixou seu comentário pendente de aprovação nossa, assim como ocorre com todos os que chegam aqui pela primeira vez. Já pensou? Nós respondendo a você como se nunca a tivéssemos visto mais gorda? Foi por um triz, mas escapamos do vexame! Bom, quanto ao seu plano de viagem: a rota básica que recomendamos para quem vai de Brasília para Morro de São Paulo é por Barreiras, com algumas alternativas na reta final. É a rota mais bem estruturada, com boa rede de hospedagem, Polícia Rodoviária Federal presente, bom estado de conservação e sinalização, com cidades de porte média a cada 200/250 km. Se você já não gosta da Serra do Marçal, para que cogitar ir por Correntina – ainda mais por Maracás, uma rota deserta, no meio do nada, com algumas cidades sem estrutura, sem policiamento, sem um hospital decente para o caso de alguém passar mal? Como existe gosto para tudo (um amigo nosso diz que tem gente que gosta de arroz com fumo de corda), caso você realmente decida ir por Correntina, pelo menos evite a rota por Contendas do Sincorá. Ah, o Google Maps indica essa rota, você dirá. O Google Maps é para países de primeiro mundo, onde todas as estradas são excelentes, seguras e estruturadas. Aqui em Pindorama é diferente. Normalmente, ele indica o caminho mais curto, esquecendo desses detalhes todos que acabamos de listar. Não é à-toa que é comum o Google Maps conduzir turistas pelo caminho mais curto diretamente para áreas dominadas pelo tráfico no Rio de Janeiro, onde eles acabam morrendo. Então, seja uma boa sputnik (companheira de viagem, em russo) e vá pelo caminho confortável, mais seguro, mais habitado e mais estruturado: Barreiras. Lá no final poderemos discutir se você deverá atravessar para Santo Antônio de Jesus a partir de Itaberaba via Iaçu e Amargosa, ou se vai para Feira de Santana por Ipirá e pega a BR 101 sul, para Santo Antônio de Jesus, ou ainda se segue para Salvador e pega um ferry-boat em São Joaquim, atravessa a Baía de Todos os Santos e chega a Morro pela BA 001. Mas vá por Barreiras, OK? Se houver razões absurdamente fortes para você ir por Correntina (uma herança milionária que você vai receber em Caetité, por exemplo), então dê uma olhada em nosso post “Brasília-Porto Seguro de carro”, e veja a orientação que demos para a Cyntia Paula, que, assim como você, não aceita passar pela Serra do Marçal. O comentário dela foi postado no dia 13.12.2018 e, em nossa resposta, nós produzimos uma gambiarra que permite chegar-se a Ilhéus ou Porto Seguro contornando a Serra do Marçal. Você sabe como chegar ao post, não? Basta entrar em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, clicar na aba “Rodovias Brasileiras” e localizar o post “Brasília-Porto Seguro de carro”. Abra-o e vá ao final, na área dos comentários e retroaja: o comentário dela foi postado no dia 13.12.2018, às 12h55 e nós respondemos no mesmo dia, às 23h14. Vá lá, dê uma lida, entenda a proposta e depois….não invente moda e vá por Barreiras, tá, Elen?
      Um abração.
      Abreu

      1. Muito obrigada pela atenção de sempre, Abreu! Realmente desde 2016, sempre volto ao site quando planejamos uma viagem! até pra petinho, como o caso de Uberlandia! Com certeza vou permanecer na sua orientação e vamos por Barreiras! Não pretendo passar pela serra do Massal nem tão cedo assim, ainda bem que tem mais pessoas que compartilham desse meu medo, pensei que fosse só eu! KKKKKKK. Contarei detalhes !Abraços grandes!!!!

  44. Olá Sr Abreu, tudo bem? Tem bastante tempo que venho acompanhando o seu site (como já li aqui, fiquei muito tempo atrás do toco, rsrs), mas das outras vezes acabava aparecendo uma promoção de passagens de avião e a viagem de carro era abortada, rsrs.. Mas dessa vez acho que não vai aparecer. Estou planejando sair de Brasilia no dia 24/01 com destino a Guaibim, eu, esposa e dois filhos, de 5 e 7 anos. Recentemente uns amigos aqui do trabalho fizeram a rota por Correntina e estava quase decidido a ir por lá também, disseram que estrada está muito boa e tal, mas de tanto ler os seus posts, estou decidido a ir por Barreiras mesmo. Pois bem, quase chegando lá, quando estiver em em Santo Antonio de Jesus, é melhor seguir até Nazaré ou desço a 101 e vou por Alunas?
    Parabens pelo site, é realmente muito bom!

    Forte abraço.

    1. Olá, Felipe. Bem-vindo ao blog. Na assinatura do comentário, o seu nome aparece com dois “ii” (Feliipe), mas, como no endereço de e-mail está Felipe, vamos economizar e chamar você de Felipe, OK? Bem, nós, como diria um velho político nacional, “que viemos de longe”, já vivemos uma época em que o estado das estradas era tão terrível, tão desgraçado, que nós éramos OBRIGADOS a viajar de avião. E os preços eram rigorosamente extorsivos, abusivos, mas não tínhamos alternativas. Depois, veio um tempo em que as estradas foram em grande parte recuperadas, mas o valor das passagens aéreas foram reduzidas a um nível tal, que, na ponta do lápis, todos preferíamos de sair de férias de avião. Agora vivemos um novo momento. As estradas AINDA estão boas e as passagens aéreas estão inacessíveis. Vou ter de ir a Salvador na segunda-feira, dia 14, com volta no dia 15, para resolver um problema particular, uma questão de escritura do nosso flat, em um cartório lá. Não há tempo para ir de carro – tenho de ir de avião. Vou pagar 3.200 Temers de ida e volta. Santo Deus: o preço da passagem é 1% do valor do imóvel! A vontade que tenho é de ir a pé. Brincadeiras à parte, Felipe, entendemos direitinho porque você saiu “de trás do toco”. Somos de classe média, somos filhos de Deus, temos direito a férias e queremos o litoral brasileiro – não estamos falando de Riviera Francesa nem de Ilhas Maldivas – queremos apenas curtir o nosso país com nossa família, pelo curto espaço de tempo de nossas férias, depois de um ano de ralação, de preocupações, de encrencas, de chefes autoritários, de clientes mais autoritários ainda. Queremos paz, a preços módicos. Queremos a felicidade pela qual possamos pagar. Então, o bom senso indica: as estradas estão boas, nossos carros não são zero quilômetro, mas estão bons, nossa família está disposta. Decisão: vamos de carro. Isso é sensato. Tudo isso, Felipe, se resume em que você está economicamente correto ao escolher a viagem de carro e geograficamente correto ao ir por Barreiras. Quanto à sua dúvida a respeito do que fazer ao chegar a Santo Antônio de Jesus, a nossa sugestão é de que de você vá por Nazaré (antiga Nazaré das Farinhas) por 36 razões. A primeira delas é que nós conhecemos a rota por Nazaré como a palma da mão, inclusive com a inclusão da paradinha para a degustação do pitu no Restaurante do Bode, lá em Nazaré, algo que não encontramos nem na Europa, nem em outros países do Continente Americano. A segunda razão, das 36, é que não temos a mínima ideia das condições da rota por Alunas. As demais 34 razões deixam de ter importância nesse contexto. Desculpe, Felipe, pelas brincadeiras, mas nos faz um bem enorme descobrir o que as estatísticas do nosso provedor mostram: de cada visitante que comenta, há cerca 420 que ficam “atrás do toco”. Ao aparecer aqui, de peito aberto, com seu alto astral, você nos fez extremamente felizes e convictos de que estamos no rumo certo ao ajudar famílias a viajarem melhor por essas bandas. Muito obrigado, faça uma boa viagem. Você chegou até nós, Felipe, pelo post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também se encontram publicados outros posts nossos que podem ser do seu interesse,
      como o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Se restarem dúvidas, Felipe, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Olá Sr Abreu, realmente chegamos em um momento onde está difícil de pagar pelo absurdo que estão cobrando pelas passagens de avião, mas em alguns casos é o jeito, como o do senhor que irá resolver um problema particular. E olha que nos disseram que as passagens iriam abaixar com a cobrança das bagagens, ilusão nossa em pensar que algo e feito para privilegiar o povo. Mas então, realmente estamos planejando a viagem para justamente poder espairecer um pouco, esquecermos um pouco da cobrança do dia a dia, ainda mais quem trabalha com TI como eu, só resolvendo problema o dia todo, todos os dias, rs.. Agora com relação ao trajeto iremos seguir a super dica por Nazaré e tentarei provar também do pitu, se a ansiedade para ver o mar deixar.. rsrs. Muito obrigado novamente pela atenção Sr Abreu. Ah, e quem nos dera que aqui houvesse dicas de outras estradas do nosso Brasil inteiro, facilitaria a vida de muitos pessoas, quem sabe esse site não alcance pessoas que conheçam outras estradas tão bem como o Sr conhece as estradas da Bahia, não e mesmo?! E claro que também tenham a mesma boa vontade do Sr.

        Forte abraço.

        Felipe

        1. Olá, Felipe. Obrigado pela força que suas palavras dão ao nosso trabalho. Este blog está em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Nessa aba,s nós colocamos à disposição dos visitantes toda a nossa experiência de mais de 40 anos em viagens de férias pelas estradas brasileiras. Assim, sempre partindo de Brasília, há diversos posts sobre estradas para diversos destinos dentro do Brasil (Rio, Minas, Santa Catarina, etc) e até um post “Brasília-Buenos Aires”. O maior detalhamento em relação às rodovias do Nordeste é que nossas estatísticas mostram claramente que o brasilienses e goianos gostam mesmo de passar férias é no litoral nordestino, principalmente no litoral baiano, porque é o mais próximo. Faça uma excelente viagem, Felipe.
          Um abração.
          Abreu

          1. Ola sr Abreu! Graças a Deus fomos e voltamos em paz e segurança. Seguimos as dicas relatadas aqui e ocorreu tudo certo. Gostaria apenas de mencionar as curvas entre santo antonio de jesus e amargosa, a estrada está muito boa, estão finalizando o recapeamento chegando em amargosa, curvas que requerem um pouco de atenção, mas como o movimento é muito pequeno, oferece pouco risco, mas requer uma certa atenção, não pode ter pressa, tem que ir devagar apreciando as paisagens, rs.. O resto da estrada muito boa, após nazaré, quase chegando em guaibim, alguns poucos buracos, mas facil de ver e desviar.
            É isso sr Abreu, muito obrigado e até a próxima.
            Abraço.

          2. Olá, Felipe. Bem-vindo de volta e que bom que tudo correu bem em sua viagem. Mas, especialmente, nosso muito obrigado por se dispor a retornar aqui e relatar detalhes de sua experiência na rota que recomendamos, porque são informações fresquinhas como as suas que nos permitem continuar a orientar, com mais segurança, as famílias que passam por aqui buscando orientação para a viagem. Dê notícias, OK?
            Um abração.
            Abreu

  45. Comandante, a viagem muda de destino, mas a visita ao blog é imutável.
    Irei sair do Entorno em direção a Barra Grande na minha motoca, data provável 13/01/19
    Pelo que li, o caminho até Sussuarana é padrão.
    De Sussuarana não dá para seguir pela BR 030 porque teoricamente não há asfalto.
    O maps sugere um desvio pela BA-407 e depois pegar a 330 (acho que é BR) rumo a Jequié até chegar a 101 e voltar novamente à 030 até Barra Grande, totalizando 1372Km do Entorno até Barra Grande.
    Obviamente só trafegarei de dia e com perna diária máxima de 706km (pernoite em BJ da Lapa)
    Qual a sua análise sobre esse possível trajeto?
    Obrigado e prometo novamente publicar aquele feedback tão logo a condição da internet seja favorável.

    1. Comandante, a outra opção, de 1528 Km (156Km a mais), seria a rota por Montes Claros, Salinas, Vitória da Conquista, Itambé, Floresta Azul, Itabuna, Ilhéus e Itacaré.
      Verifiquei essa rota ao ler algumas postagens.
      Dessas duas, o senhor vê essa segunda como melhor opção ou vislumbra algo melhor?

      1. Olá, Rubens. O seu primeiro comentário, de ontem, não sei porque, não apareceu no meu radar, a não ser agora. Mas a rota por Montes Claros só é indicada por nós para quem sai de Minas Gerais, excluído o Triângulo Mineiro. Para quem sai de Brasília, mesmo do Entorno, as rotas são por Barreiras ou Correntina. Quanto ao percurso por Sussuarana, ou melhor, por Contendas do Sincorá, Maracás e Santo Antônio de Jesus, nós desaconselhamos para famílias em férias, principalmente com crianças, de carro. Mas você é lobo solitário e viaja de moto. Nesse caso, retiramos nossas restrições àquela rota, porque ela é interessante para quem curte as emoções da viagem de moto. A propósito, não deixe de ver o nosso post “Brasília-Lençóis Maranhenses-Luís Correia-Jericoacoara DE MOTO”, publicado recentemente aqui na aba “Rodovias Brasileiras” deste blog (www.expressaodaliberdade.com.br. Boa viagem e dê notícias.
        Um abração.
        Abreu

  46. Olá meu caro Abreu, bom dia!!!!
    Primeiramente agradeço a Deus por ter saído e retornado para casa com tudo em ordem e em paz. Fizemos o trajeto de sempre, como sabe, passamos por Cristalina e a estrada está muito boa, entretanto, aquele caminho que sabemos de 20 km antes e 15 km depois de Cristalina está ruim. De resto, a estrada está toda boa, fomos e voltamos muito bem. Apenas uma intercorrência na viagem foi que, decidimos ir até Barra Grande-Maraú e a estrada para lá é horrível, chão batido, costela de fora a fora e um trecho muito longo, qualquer carro passa por lá, desde que o motorista tenha paciência e não se aventure na estrada, não fosse isso, indicaria com certeza ,pois, as praias são lindas. Os valores praticados pelos comerciantes das barracas são absurdos e abusivos, sem necessidade, quem for se prepare.Realmente é lindo. Obrigado Abreu e até a próxima.

  47. Boa tarde Abreu, e demais leitores, como vão, bem lá vamos nós de novo sair em férias com a família, eu esposa e nossa filhota com 3 anos, desta vez optamos em ir de GOIÂNIA – GO (nossa Base e domicílio) e seguir destino até ARACAJU-SE, só que minha esposa esta louca pra conhecer BARRA GRANDE/MORRO de SP, como já li vários relatos de outros amigos, que já fizeram essa viagem e passeio, notei que muito deles reclamaram e muito em alguns aspectos q irei apontar aqui e por isso peço a sugestão do pessoal do SITE/BLOG para ajudar na decisão:
    Primeiramente, iremos de carro próprio, como já somos viajantes assíduos para o NORDESTE de nosso país temos o conhecimento de paradas e pontos de apoio.

    Já reservei os Hoteis em ARACAJU e em ITACIMIRIM , como nossa intenção e ir até ARACAJU e depois vir descendo, qual melhor trajeto, o que vcs indicariam em termos de percurso/estradas.

    Como estou indo com minha fiilha, ouvi dizer que em MORRO existe muito, mas muito MOSQUITO, e alguns amigos dizem que as vezes se torna até chato, por que se vc estiver comendo e muito mosquito q se junta próximo e infelizmente acaba até tirando a magia do lugar.

    Então como ela me optou por 2 locais, na opnião de vcs, qual melhor decisão ? BARRA GRANDE ( ir de carro até a peninsula de MARAU), ou MORRO?

    Sempre pesquiso antes de sair nas minhas férias as sugestões aqui do BLOG e sempre planejo observando os detalhes do amigos sputiniks antes.

    Agradecendo desde já o apoio, se puder tbm quem já foi..dar dicas de Hoteis e POUSADAS. deixo meu e-mail depois se caso for.. para que possa me repassar

    Obrigado Amigos

    1. Olá, Helder. Bem-vindo de volta e obrigado por suas expressões positivas em relação a este blog. Como você partirá de Goiânia, desnecessário dizer que a rota adequada é por Barreiras, com pernoite em Ibotirama ou Seabra, conforme a viagem se desenvolva. No dia seguinte, pegar a BA 245 após Itaberaba (à direita), atravessar para Santo Antônio de Jesus e de lá descer via Nazaré para Morro de São Paulo. Quanto aos mosquitos de Morro, nunca vivenciei esse problema desde que comecei a viajar para lá, no início dos anos 1980. Mas há uma razão: detesto resorts! Para mim, viajar é interagir com o pessoal da terra, conhecer a cultura, a cozinha e o estilão do pessoal local. Os resorts sempre me deram uma sensação de prisão, de coisa artificial, plastificada. Mas muitas pessoas adoram resorts, especialmente aqueles que oferecem “tudo incluído”, onde o desperdício de bebidas e comidas é de cortar o coração. Mas, fazer o quê? Negócio é negócio. O detalhe crítico é que os resorts não ficam no centro das cidades. Ficam distantes, exatamente porque a proposta é fazer o hóspede se sentir totalmente atendido, confortável e seguro em seu descanso lá dentro. E aí surge o problema relatado sobre Morro de São Paulo: a ilha não é grande e é constituída de grande parte de matas preservadas. Como o resort tem de ficar longe do centro, acaba se situando em meio à floresta tropical, onde os mosquitos são os donos do pedaço. Soubemos de alguns problemas em certos resorts de Morro de São Paulo (não todos), verificados entre 2015 e 2016. Não sei se a situação mudou, porque sempre fico nas simpáticas pousadas da cidade, onde nunca tivemos problemas com mosquitos. Outro dia, respondendo a um comentário aqui neste post, diante da mesma dúvida (Morro ou Maraú), lembramos que, como já disse alguém, “é um pecado beijar no rosto, quando a boca está tão perto” e nós diríamos “é um pecado ir para Maraú, quando Morro de São Paulo está tão perto”! Mas tudo é uma questão de gosto: decidir sobre aqueles dois paraísos é um dos problemas mais deliciosos a se resolver. Quanto às alternativas de ida e volta para Aracaju, a melhor hipótese para quem está de férias é a Estrada do Coco e a Linha Verde (BA 099), estrada essencialmente turística, quase todo o tempo à beira-mar, enquanto as carretas seguem pela BR 101. Para pegar a Estrada do Coco e a Linha Verde, uma das formas mais intessantes é subir de Morro para Itaparica e lá pegar o ferry-boat, atravessar a Baía de Todos os Santos, chegar a Salvador e buscar o Aeroporto, onde começa a Estrada do Coco. Quanto à repetição do trajeto na volta, lembramos que serão duas viagens diferentes, como você mesmo disse: na ida vocês irão para Aracaju “e depois vir descendo”, devagar, saboreando visualmente a própria estrada. Se restarem dúvidas, Helder, retorne: será um prazer ajudar você e sua família a irem e voltarem em paz e segurança.
      Um abração.
      Abreu

      1. Verdade caro Abreu.
        “é um pecado beijar no rosto, quando a boca está tão perto” e nós diríamos “é um pecado ir para Maraú, quando Morro de São Paulo está tão perto”!
        Faço minhas a sua palavras, hoje vejo que não vale a pena deixar de ir para Morro de São Paulo e ir para Barra Grande, pois, depois de anos indo para o Morro, fui me aventurar indo para Barra Grande e vi de perto, não vale a pena. Não fosse só as paisagens e a natureza local que, nos dois lugares são lindos, enquanto meros mortais, somos obrigados a avaliar financeiramente os passeios que queremos fazer e, Barra Grande, nesse caso, perde de longe para o Morro de São Paulo, tanto na forma de chegada como nos valores praticados. Não quero aqui fazer juízo de valor sobre os dois lugares e fazer com as pessoas deixem de ir para lá, estou apenas informando a experiência que tive fazendo isso e passando por lá. Toda vez que conheço um novo lugar, me apaixono ainda mais por Morro de São Paulo. (rsrsrsrs)

        1. Muito Obrigado.!! Com esse trecho, já decidimos onde iremos terminar de curtir nossas férias.!

        2. Olá, Antoni. Bem-vindo de volta em paz e segurança. Sobre as dúvidas do Helder a respeito de Maraú ou Morro, você deu a ênfase que nós aqui não podemos dar, mas você está corretíssimo. Vou fazer um resumo dos seus dois comentários (o das 06h54 e o das 07h07 de hoje) e acrescentar ao nosso post, para enriquecer as informações disponibilizadas para os que pretendem viajar por aquelas bandas. E, tanto você matou a pau, que o Helder já tomou sua decisão sobre o destino, que seguramente será Morro. Obrigado, Antoni. É sempre uma festa para nós tê-lo por aqui.
          Um abração.
          abeu

          1. Nós, enquanto usuários das estradas brasileiras, devemos nos movimentar através das ferramentas disponíveis, uma delas é a sua, com seu Blog. No que depender dos visitantes, acho que só tende a melhorar,pois, a informação faz crescer a união. Já estou ansioso para calcular uma nova rota de praia novamente…(rsrsrsrsrsrs). Abrço nobre Abreu.

      2. Muito obrigado mais uma vez pelo seu pronunciamento ABREU, e sempre de grande ajuda viu. Agora sei que vc não gosta de fazer esses tipos de informações, mas, você poderia dar algumas dicas das pousadas que vc fica por lá, como falei alguns amigos me relatam que como irei com criança a melhor praia por conta das ondas e do lugar seria a 3 praia.

    2. Uma outra dica importante, onde seria deixar o veículo, pois temos informações sobre alguns estacionamentos “careiros”, algumas sugestões nesse assunto tbm?

      1. Olá, Helder. Você viu que o Antoni veio em defesa da minha tese por Morro de São Paulo, não é? Como você vê, não estou sozinho. Já a escolha da praia, enquanto tínhamos crianças, nunca abrimos mão de ficarmos mais próximos da cidade (crianças de vez em quando precisam de um remedinho, de uma comidinha, de um brinquedinho. A terceira praia é ótima, mas as mais próximas não são praias de surfe do Havaí, com ondas de 10 metros, não. Apenas as crianças necessitarão de nossa máxima atenção, como em qualquer outra praia. No que tange ao estacionamento, depois que inauguraram o porto da Ponta do Curral, com a travessia de 10 minutos (antes eram 30 minutos de mar agitado, partindo de Valença), eu só deixo nosso carro no próprio porto. É grande e seguro. Há estacionamentos mais baratos em Valença e em Guaibim, mas o deslocamento de táxi ou van, com bagagens e crianças, além das questões de segurança, eliminam as vantagens de um preço eventualmente menor. Melhor gastar um pouquinho mais, mas ir para Morro sem preocupar-se com seu veículo e os pertences que eventualmente forem deixados no carro. Acho que sua viagem vai ser show, Helder.
        Um abração.
        Abreu

      2. Se você for deixar o carro em Valença, não tenho como indicar nenhum lugar,porém, por lá tem vários estacionamentos que são pagos por diárias. Entretanto, se for para Guaibim,logo na chegada, de frente ao aeroporto, fica a entrada para o atracadouro Bom Jardim de Guaibim, sempre deixo o carro lá, cobrança feita também por diárias. A respeito das praias, não se preocupe, assim que chegar ao Morro, não terás mais dúvidas de qual praia ficar por conta das crianças. Acredito que ficará na praia 2, pois, é onde ficam as melhores barracas. Se puder ajudar em algo mais, pode me chamar aqui. Abraço e boa viagem.

        1. Muito Obrigado ao ANTONI e o ABREU, por suas valiosas dicas, minha viagem já esta toda fechada e com o planejamento quase q totalmente fechado, hoteis reservados, e rotas definidas, quanto ao estacionamento lá em VALENÇA/GUAIBIM, irei optar pela informação do ANTONI, e deixar no atracadoudo Bom Jardim mesmo. visto que em busca á outros sites, ele foi muito bem conceituado.
          Agradeço mais uma vez ao empenho do BLOG, em especial o ABREU, em sempre oferecer dicas e prezar sempre pela segurança das FAMÍLIAS.. viajar em segurança tbm e divertido.
          Abs!! amigos

          1. Olá, Helder. Bem-vindo de volta. É ótimo fechar o plano de voo: as férias já começam a tomar forma na nossa cabeça e a gente já começa a ser feliz. Faça uma excelente viagem e dê notícias, OK?
            Um abração.
            Abreu

  48. Parabéns pelas excelentes matérias. Eu não conhecia o blog e até as do sítio li todas (tenho um e passei por quase todos eles).
    E por coincidência vou de Brasília até Itaparica, e achei um post parecido, que vai até Guaibim. Na minha última viagem não fui por Feira de Santana (cidade natal) e decidi ir por Castro Alves, logo na saída de Argoim, mas foi desastroso, pois não tinha mais estrada. Neste post vi que sugere entrar a direita pela BR-116 e ir em direção a Amargosa e em seguida Santo Antonio de Jesus. Este caminho continua valendo? Vou dia 15/12 e ao chegar na Ilha atualizo para vocês.
    OBS: Vou por LEM-Barreiras…etc
    Forte abraço!

    1. Olá, Eduardo. Bem-vindo ao blog e obrigado pela leitura ampla e irrestrita! De fato, nossa recomendação para a rota Itaberaba-Iaçu-Amargosa-Santo Antônio de Jesus permanece. Ocorre que aquele trecho entre a BR 116 e Santo Antônio é constituído de estradas estaduais, que têm o mau costume de se estragarem da noite para o dia e o conserto demorar, por falta de verba do DER baiano. Assim, sempre advertimos aos nossos visitantes que busquem informações em Itaberaba ou mesmo em Amargosa sobre os 50 km que faltam para Santo Antônio. Por outro lado, essa orientação é mais para quem está indo para o litoral sul e você está indo para Itaparica. E, nesse caso, embora mais longo um pouco (cerca de 120 km), a rota que nós escolheríamos, no seu lugar, seria sua velha conhecida Feira de Santana-Santo Antônio de Jesus-Nazaré-Itaparica. Não temos informações recentes sobre o trecho após Amargosa – nem boas, nem más. De qualquer modo, independentemente da rota que você escolher, nós adoraríamos receber seu relato, com notícias fresquinhas das estradas que você vai percorrer. Dê notícias!
      Um grande abraço.
      Abreu

  49. Olá Abreu, bom dia meu nobre amigos estradeiro!!!
    Um amigo me fez uma pergunta e não tive condições de responder no momento, porém, já sabia quem teria a resposta correta para ele. Portanto, passo a responsabilidade da resposta meu amigo que é a seguinte.
    Qual a dinâmica do trânsito no dia 25/12??? A estrada é cheia? Os postos atendem normalmente? Os restaurantes funcionam normalmente??
    Meu caro Abreu, essas foram as questões levantadas pelo meu amigo. Desde já agradeço pela atenção e disponibilidade de sempre.Abraço.

    1. Olá, meu velho lobo das estradas! Antoni, não notamos ao longo de décadas qualquer diferença de funcionamento ou no tráfego de veículos nos feriados de 25 de dezembro e 01 de janeiro (Natal e Réveillon), nas paradas técnicas que recomendamos nas rotas descritas aqui no blog. A única circunstância para a qual chamamos a atenção nesses casos é a SAÍDA de Brasília. Para aqueles que são agoniados para sair mais cedo, sempre lembramos da necessidade de máxima atenção nas primeiras horas das duas datas, em razão da expressiva quantidade de bêbados dirigindo nas vias da Capital Federal, após saírem das festas comemorativas. Recomendamos, nesses casos, que observem nossas orientações de rotina, ou seja, sair de Brasília de modo a estar no Colorado ao nascer do sol. No mais, esses dias devem ser tratados como qualquer dia, qualquer fim de semana ou qualquer feriado, sem preocupações adicionais, OK?
      Um abração, Antoni!
      Abreu

  50. Abreu
    expressaodaliberdade.com.br

    Em resposta a Lino Luz
    Olá, Lino. Bem-vindo ao blog e obrigado por suas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Existem três rotas recomendadas por nós para a viagem de Brasília a Guaibim: por Barreiras, por Correntina via Brumado/Vitória da Conquista e por Correntina via Brumado/Contendas do Sincorá e Maracás. Sob o aspecto da conservação das estradas, não temos dúvidas de indicar a rota por Barreiras. As diferenças de quilometragem entre as três não são relevantes, mas a segurança, a estrutura hoteleira, as boas cidades a cada 200/250 km, a presença da Polícia Federal e o bom estado do asfalto tornam a rota por Barreiras a número 1 para nós. E quando falo isso, significa que, quando vou com minha família de Brasilia para Morro de São Paulo, vamos por Barreiras. Para quem opta pela rota por Correntina, lembramos da necessidade de atenção nos 20 km antes e 20 km depois de Correntina, onde há uma concentração de buracos. Lino, você chegou até nós pelo post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também estão publicados outros posts que podem ser do seu interesse, como o “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, o “Brasília-Salvador de carro”, o Brasília-Ilhéus de carro” e outros. Dê uma passadinha por lá, OK? Se restarem dúvidas, Lino, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança.
    Um grande abraço.
    Abreu
    P.S.: Por ser com certeza do interesse de outras pessoas que viajam para Guaibim, vou copiar o seu comentário e nossa resposta aqui no “Manual” e colá-los lá no post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”.

  51. Lino Luz

    Caros amigos,

    vamos viajar p Guaibim em Janeiro de 2019 e gostariamos de saber o estado das estradas.
    desde já agradecemos e rogamos a Deus conceda saúde e força para voces poderem
    continuar ajudando os menos experientes como nós

  52. Olá Abreu, meu nobre amigo das estradas. Boa tarde!!!!
    Quero saber se tem novidades sobre o trecho dos 20 km antes e 20 km depois de Correntina. Conforme informações anteriores, esse era o trecho que estava ruim.
    Obrigado.

    1. Olá, Antoni, meu caro sputnik estradeiro! Sempre bom vê-lo por aqui. Quanto à sua dúvida, nada de novo sob o sol: os buracos continuam lá, não representam perigo de dia, exigem uma direção mais atenta e uma velocidade mais reduzida, apenas isso. Mas continua “tudo como dantes no Quartel de Abrantes”.
      Um abração.
      Abreu

  53. Abreu meu amigo Sputnik, bom dia!!!! Tudo bem???? Acho que li no blog sobre alguns trechos que não estão em boas condições. Qual seria esse trecho??? Como sabe, vou para Guaibim/Morro de São Paulo e etc, portanto, gostaria de saber como está pra lá. O nosso amigo Gilberto, em post anterior, disse que o trecho Guaibim para Brasília estava muito bom. Não podemos deixar para cima da hora a tomada de decisões sobre a estrada que vamos pegar. Não é mesmo???
    Desde já agradeço a colaboração e o empenho de sempre em responder as nossas demandas.

    1. Olá, Antoni, velho Lobo das Estradas do Planalto Central para Guaibim! Bom tê-lo de volta por aqui. Quanto às alternativas de rotas, nada de novo sob o sol. A rota por Barreiras está boa e a de Correntina só apresenta buracos 20 km antes e 20 km depois da cidade. A rota desbravada por Gilberto Brandão (Brumado-Contendas do Sincorá-Maracás) ainda continua pouco estruturada ou policiada. Assim, nossa recomendação para você também continua sendo a rota por Barreiras-Itaberaba-Iaçu-Santo Antônio de Jesus-BR 101-Guaibim. Dê notícias, OK?
      Um abração.
      Abreu

      1. Ok meu caro!!!!Antes de ir, pretendo conversar novamente com você e sondar as novidades dos irmãos estradeiros.

        1. Muito obrigado meu amigo, Mad Max do Planalto Central. Vi sua resposta para o Lino e já sabia como responderia a minha pergunta. Como sempre, sua atenção dispensada aos usuários é excelente. Muito obrigado Abreu. Abraço.

  54. Boa Noite! Estou indo de volta de Porto Seguro para Brasília. Gostaria de saber qual melhor rota para retornar. Pois na vinda pegamos a rota de correntina, bom jesus da lapa, Vitória da conquista , brumado, Eunápolis e Porto seguro. Mas achei muito perigosa por conta das inúmeras estradas com curvas perigosas.. Me sugere uma rota de volta com menos curva e menos adrenalina? Agradeço atenção..

    1. Olá, Marcela. Bem-vinda ao blog. Você chegou até nós pelo post “Brasília-Morro de são e Guaibim de carro”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br“, na aba “Rodovias Brasileiras”. No mesmo endereço está publicado o post “Brasília-Porto Seguro de carro”, no qual descrevemos as alternativas para a viagem entre Brasília e Porto Seguro. Você tem duas outras opções, além de Correntina (por onde você foi), que tem 1.411 km. Uma é por Barreiras. Para pegá-la, ao chegar a Vitória da Conquista, suba na direção de Salvador até a entrada para Iaçu e Itaberaba (BA 245), cerca de 8 km depois da cidade de Milagres. Dali é chegar a Itaberaba e seguir para Seabra, Ibotirama, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Alvorada do Norte, Formosa e Brasília. Essa rota perfaz um total de 2.000 km. A outra hipótese é a rota por Montes Claros, num total de 1.530 km. Ao chegar a Vitória da Conquista, desça para o sul, em direção a Belo Horizonte. Depois de 130 km, você estará no entroncamento para Salinas e Montes Claros (BR 251), que fica à sua direita. A seguir, você deverá passar por Salinas, Francisco Sá e Montes Claros, onde você pegará a BR 365 para Pirapora e Luislândia do Oeste. Nessa cidadezinha, a BR 365 cruza com a BR 040, que te levará a Brasília, passando por João Pinheiro, Paracatu, Cristalina, Luziânia e Brasília. Recapitulando: Correntina= 1.411 km. Barreiras= 2.000 km. Montes Claros= 1.530. Pela diferença das distâncias, imagino que você vai escolher voltar por Montes Claros. Se eu estiver certo, gostaria de fazer algumas recomendações especiais para você. A primeira é que você deve evitar a tentação de cortar caminho por essas estradas entre Porto Seguro e a BR 116, passando por Salto da Divisa, Jacinto, Almenara e Pedra Azul ou Almenara, Jequitinhonha, e Itaobim. A distância é bem menor, mas são estradas ermas, abandonadas, grande parte em estradas de terra e com registro frequente de assaltos. Assim, não dê ouvidos (as pessoas da região acham normal passar por ali) e vá até Vitória da Conquista e de lá tome a decisão. A outra recomendação é não viajar em hipótese alguma à noite em qualquer das rotas que indicamos, especialmente no trecho entre Salinas e Montes Claros. Esse trecho tem apresentado um índice intrigante de acidentes graves envolvendo carros e carretas, TODOS NO PERÍODO NOTURNO. E peço que você tenha um pouco mais de atenção nas imediações de Francisco Sá: a 20 km antes e 20 km depois dessa cidade existem buracos esparsos, que exigem redução da velocidade e cuidado dobrado. Finalmente, não deixe de ler também o nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, onde publicamos uma série de informações que podem ser interessantes para você. Em caso de dúvidas, retorne, Marcela: será um prazer ajudá-la a voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  55. Abreu, meu nobre, bom dia !!!! Sem rasgação de seda mas, não consigo(rsrsrsrsrs)
    !!!!Parabéns, você é o cara das estradas, o nosso Mad Max brasiliense e sempre pensando no próximo Sputnik, como gosta de dizer dos irmão de viagem.
    Parabéns pela inclusão do trecho Morro de São paulo/Guaibim. Como sabe, já passei por diversas vezes por esse caminho, na verdade, só passei por esse caminho e agora com a confirmação do nosso companheiro, Gilberto Brandão, fico mais feliz ainda por compartilhar conosco a condição das estradas na qual vamos pegar novamente no final do ano.
    Muito obrigado Abreu.
    Muito obrigado Gilberto Brandão.

    1. Olá, Antoni. Bem-vindo de volta! Realmente, você é um lobo dessas estradas para Morro, Guaibim e Valença. Quando você apareceu aqui, a algum tempo atrás, queria exatamente esclarecer esse mistério da rota por Contendas do Sincorá, que o Gilberto agora acaba de desvendar. Acho que não há uma rota mais indicada do que a outra. Cada uma tem suas vantagens, como colocamos no post. A diferença entre elas é muito pequena em termos de quilômetros. Resta a cada família fazer suas continhas e analisar o que é mais adequado. Veja que, no caso do Gilberto, eram dois homens em viagens de negócios. Quando se colocam mulheres, crianças e idosos (e, às vezes, animais de estimação) a bordo, pode ser que as escolhas mudem. O importante, porém, é que agora temos mais uma alternativa para planejar essa viagem para o paraíso chamado Morro de São Paulo. Dê notícias, Antoni.
      Um abração.
      Abreu

  56. GILBERTO BRANDÃO
    BRASÍLIA-SALVADOR DE CARRO
    03.08.2018
    Amigo Abreu, boa tarde! Gostaria de contribuir um pouco nesse seu trabalho extraordinário de informar aos viajantes de nossas estradas tudo o que é necessário para a realização de uma boa viagem. E isso percebe-se que vc faz há muitos anos com competência. No mês passado tive que fazer uma viagem de última hora, a negócio, com meu advogado até Guaibim, município de Valença-BA. Pois bem, como tive receio em ir por Correntina, pois as informações que tinha era que alguns trechos daquele lado apresentavam problemas, notadamente antes de Correntina uns 30 a 40 km e entre Caetité e Brumado, então decidimos, eu e meu advogado passar direto indo por Barreiras, Ibotirama Itaberaba, Iaçu e Amargosa, onde pernoitamos, a 1.340km de Brasília. Sei que foi imprudência de nossa parte, sair numa segunda-feira às 4h00 e chegar ao hotel para pernoite às 19h00, parando apenas para o almoço e para abastecer, mas como era uma situação excepcional devido o advogado ter que estar em Brasília na quinta-feira pela manhã face a audiências importantes e inadiáveis, então tive que aceitar essa condição, mas graças a Deus tudo ocorreu dentro da normalidade. No dia seguinte, já mais tranquilos e a 220km de Valença, diminuímos o ritmo e continuamos, chegando em Valença às 9h00 de terça-feira. Com todos os problemas resolvidos, às 17h00 voltamos a Brasília, só que ocorreu um problema: Chegando em Mutuípe-BA, como já era noite, ao invés de pegar a pista da direita para a BR-540 em direção a Amargosa, passei direto em direção a Jaguaquara, atravessa a BR-116 e vai no sentido Ubaíra, Santa Inês, Lajedo do Tabocal, Contendas do Sincorá, Sussuarana, Brumado, Caetité, Bom Jesus da Lapa e BR-020 em direção a Brasília. Foi bom ter errado, porque percebi que todos os problemas nesses trechos foram corrigidos. Podemos dizer, se compararmos ao estado anterior, que essas estradas estão um tapete, não encontrei um só buraco e o ritmo foi o melhor possível. Aquele trecho que há anos, muitos anos, sempre estava intransitável, asfalto completamente deteriorado, de Sussuarana a Brumado, hoje recebeu um novinho em folha, dando-nos uma satisfação que só os amantes das estradas podem sentir; são 50km recuperados. Pernoitamos em Ibotirama e chegamos em Brasília na quarta-feira, 9h00. Como senti-me um pouco cansado, entreguei a direção ao advogado em JK para que ele terminasse o trecho que estava faltando. Então, repetindo a frase HÁ MALES QUE VEM PARA O BEM, ocorreu comigo, porque além de encontrar rodovias de boa qualidade no caminho de volta, economizei 150km. São essas informações que gostaria de compartilhar com vc, Abreu, bem como a toda essa galera que ama viajar. Um abraço e até a próxima.

    1. Olá Gilberto Brandão, bom dia!!!!
      Fico feliz por compartilhar conosco sobre as condições da estrada no trecho de Guaibim/Brasília. Sempre fiz esse caminho e novamente o farei em dezembro, indo para Morro de São Paulo. Já havia falado com algumas pessoas a respeito das condições da estrada, porém, não tinham dado certeza sobre as condições do asfalto, coisa que, você fez com maestria. Desde já agradeço a colaboração e, se encontramos mais pessoas assim como você, o nosso amigo Abreu teria informações mais atualizadas para oferecer em sua plataforma de comunicação e nós, os mais interessados, seremos os mais beneficiados. abraço.

      1. Olá, Antoni Moreno, boa tarde! Agradeço suas palavras de incentivo. Fico realmente feliz por ter contribuído com informações oportunas não só a vc como a todos aqueles que amam viajar por essas estradas brasileiras. Fico à disposição para quaisquer outras informações adicionais a respeito dessa rota. Um abraço. Gilberto

        1. Senhores, bom dia! Embora com um pouco de atraso, mesmo assim gostaria apenas de corrigir uma informação sobre nosso pernoite: na realidade chegamos ao hotel para pernoite de BRUMADO e não de IBOTIRAMA, como havia informado, até porque se saímos de Valença às 17h00, dificilmente chegaríamos a Ibotirama às 21h00, como de fato ocorrera. Peço desculpas a Abreu e a todos os leitores que acompanham esse blog. Um abraço a todos.

          1. Olá, Gilberto. Sua presença por aqui é sempre muito querida. Nesse caso, eu havia detectado alguma coisa equivocada e acho que cheguei até a perguntar a você a respeito da inclusão de Ibotirama no trajeto. Só que não consigo recuperar essa pergunta aqui no blog. Talvez eu a tenha feito diretamente no seu e-mail. Mas o importante é que você se dispôs a retornar aqui, dar o ar de sua graça e acertar as coisas. Não desapareça, dê notícias.
            Um abração.
            Abreu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *