BRASÍLIA-SALVADOR-NATAL DE CARRO

agosto 18, 2011 Abreu 212 comments

*****************************************************************************

Prezado Abreu,
Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
Vou fazer Brasília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

Comentário postado em 19/08/2017 as 13:41 por Alceu Simões Nader

*******************************************************************************************************************

Olá Abreu!

Sou muito fã do seu blog,e quero parabenizar  pelo que você faz com tanto carinho para as pessoas que querem viajar com segurança nessas nossas rodovias tão ruins e mal sinalizadas. Posso garantir que são péssimas, pois as conheço a fundo: trabalho como caminhoneiro há 35 anos e sei que a pior coisa para um motorista é uma estrada desconhecida. Vejo que as dicas que você dá  são de suma importância, pois as mazelas das estradas, sem a devida malícia, podem nos levar à morte .

Mas, como motorista de caminhão que sou, também sou motorista de carro de passeio e faço minhas viagens de férias. E não há nada melhor,  antes de uma viagem, do que  saber como elas estão .

Por isso venho ao seu blog perguntar:  como estão as estradas de Brasília a Porto Seguro ?

Eu e minha família estaremos saindo de Goiânia dia 2 de janeiro de madrugada e queremos pernoitar em Vitória da Conquista .

Desde de já agradeço.

Adriana e Maurício.

Comentário postado em 19.12.2018, às 10:59 por Maurício Coutinho dos Santos

*****************************************************************************

 (AO FINAL DESTE POST, VEJA O RELATO DE GILBERTO BRANDÃO SOBRE SUA RECENTÍSSIMA VIAGEM POR ESSA ROTA ATÉ MACEIÓ).

(ATENÇÃO: AO FINAL DESTE POST, TRANSCREVEMOS OS COMENTÁRIOS DO COMPANHEIRO JULIO DAM, QUE ESTÁ EM VIAGEM DE BRASÍLIA PARA MACEIÓ, COM INFORMAÇÕES ATUALÍSSIMAS E CRÍTICAS, CAPAZES DE ALTERAR OS PLANOS DE VIAGENS DE QUEM NOS VISITA. 11.12.2020, 22H.57MIN) 

 (Reedição em 31.12.2013)

(O espaço para comentários a esta matéria encontra-se ao final dela).

 

Decidimos revisitar uma parte do litoral brasileiro que adoramos e por onde havíamos andado em 2006: O trecho Salvador-Natal.

Nossas impressões sobre o trecho Brasília-Salvador, que percorremos pelo menos duas vezes por ano, encontram-se detalhadas no post Rodovias Brasileiras: Brasília-Salvador, neste mesmo blog (www.expressaodaliberdade.com.br).  Ali, além de várias informações decorrentes de experiências hauridas em mais de 20 idas e vindas nos últimos 02 anos à capital baiana, existe também o formidável acervo vivências, avaliações e orientações dos internautas que transitam por esse site.

Em síntese, depois de anos e anos tentando achar o melhor caminho para Salvador, descobrimos que a alternativa correta é, indiscutivelmente, a velha rota Brasília-Barreiras-Feira de Santana-Salvador, inviabilizada desde 1989 pelo abandono dessas estradas pelo governo.

Repaginada, reconstruída em alguns pontos, restaurada por algumas cirurgias plásticas, remoçada à custa de botox em outras áreas, foi devolvida para nós, usuários, há 8  anos. Pelo jeito, o Dnit andou fazendo um excelente trabalho naquela rota (com todas as acusações de roubalheira, ficamos imaginando o que seria de nossa malha viária sem corrupção em níveis tão gigantescos).

Orientações gerais para o trecho Brasília-Salvador:

a) a rota adequada é BR020 (duplicada até Formosa-GO), BR242 e BR324;

b) abastecer e fazer alongamento a cada 200-250 km;

c) não viajar à noite;

d) dividir a viagem em duas etapas, com pernoite em Luís Eduardo Magalhães, Barreiras, Ibotirama, Seabra ou Lençóis;

e) evitar refeições em restaurantes ao longo da estrada;

f) manter a bordo garrafinha de álcool, papel higiênico, óculos escuros, dropes da marca HALLS, de embalagem preta e a lista de guinchos disponíveis ao longo da rota;

g) em Itaberaba, em vez de seguir para Argoim pela BR242 e pegar a BR116 (Rio-Bahia), com suas centenas de milhões de carretas e caminhões, pegar no trevo a estrada para Ipirá (76 km) e de lá para Feira de Santana (86 km): o percurso é 22 km maior, mas a estrada é excelente e você é praticamente o dono da estrada, uma vez que o tráfego é mínimo e constituído basicamente de carros de passeio;

h) ATENÇÃO, ATENÇÃO E ATENÇÃO no trecho entre Lençóis e Itaberaba: embora as equipes do Dnit estejam trabalhando no local, os buracos insistem em aparecer na estrada nos 100 km antes de Itaberaba (ou a partir dos 50 km depois de Lençóis). No momento, o trecho foi reconstruído e está trafegável. Eis uma amostra recente dele:

 

Bem, estamos nas imediações de Salvador. Se a idéia é ir para a capital baiana, o negócio é seguir em frente na BR324, acompanhar a sinalização e cair nos braços Caetano, Gil, Bethânia, Gal, Caymmi, Jorge Amado e Yvete.

Se o plano é ir para Aracaju, duas opções.

Pela BR101 (caminhões e carretas): 20 km após Feira de Santana, apanhar a alça da direita embaixo do viaduto e pronto: você já está na 101 e na direção de Aracaju.

Pela Linha Verde (rota turística, sem trânsito pesado, mas pedagiada – 2 x R$ 4,60): seguir direto pela BR324 até Simões Filho. Aí, é prestar atenção: há um posto da Polícia Rodoviária Federal do lado esquerdo da rodovia (lado direito de quem vem de Salvador). Acompanhe a sinalização indicadora de “AEROPORTO”. Cerca de um km depois desse posto da PRF e depois de passar por um viaduto inacabado, pegar a alça pela direita, subir no viaduto. Pronto: você já está direcionado para o Aeroporto, Lauro de Freitas e Linha Verde.

No nosso caso, o projeto era ir a Maceió e de lá para Natal. A partir de Natal,  descer, devagar, pelo via litorânea, parando em cidades pequenas.

E foi isso. Linha Verde maravilhosa, que se junta à BR101, em Estância, nas proximidades de Aracaju. Daí, direto para Maceió. Estrada muito boa, com muitas obras de duplicação que não chegam a perturbar o ritmo da viagem. A travessia do rio São Francisco, em Propriá, merece uma paradinha para umas fotos sensacionais.

Entramos em Alagoas, a “Terra dos Marechais”. Obras de duplicação e restauração em todo o trajeto, mas também sem comprometer o ritmo da viagem. A respeito dessas obras, tanto em Sergipe, como em Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, há uma característica que nos chamou a atenção.

Nós – eu e minha navegadora, Ivanizes, casados há 39 anos – acabamos de completar 1.536..000 (um milhão e quinhentos e trinta e seis mil) quilômetros rodados em estradas brasileiras em 39 anos de viagens. Nesse número – a soma das quilometragens de todos os nossos carros – estão incluídos os trajetos urbanos do dia a dia. Mas dá uma idéia razoável do quanto já rodamos a passeio pelo Brasil.

Pois bem: em 1982, numa viagem de Brasília a Punta del Este, no Uruguai, com uma Belina II ano 1980, percorremos, no retorno para o Brasil, de Montevidéu a Bagé (RS) um trecho em que estava sendo construída uma rodovia entre as cidades de Melo e Treinta e Tres. E ficamos boquiabertos porque a estrada era de concreto! Sim: uma camada de cerca de 10 cm de concreto armado, que serviria de base para o asfalto, este apenas uma camada de pintura destinada a propiciar elasticidade, impermeabilização e aderência.

Naquele momento, o presidente do Brasil era Figueiredo e o do Uruguai era Aparício Mendez. E nós nos perguntávamos: -“Por que o Uruguai pode fazer isso e nós não?”.

E agora, 35 anos depois, eu e minha navegadora paramos perplexos e boquiabertos para fotografar detalhe dessa obra, que está sendo construída pelo Exército Brasileiro na BR101 naquelas latitudes do Brasil. Como diria o Marcelo Tas, no CQC, olha isso aí:

Base de concreto na BR101 entre PE e RN

Pois é, rodovias de concreto no Nordeste – quem diria! É coisa para durar 50 anos ou mais. Mas, enfim, chegamos a Maceió, hotel Brisa Tower, frente ao mar. Restaurante razoável, parque aquático minúsculo.

Saída de Maceió. Pegamos a litorânea, com o intuito de, após São Luís do Quitunde, pegar a BR101 via FLEIXEIRAS. Preste atenção nesse nome, pois essa estrada é MICO, MICO, MICO, MICÃO, MACACO GIGANTE, KING KONG!

A perna de São Luis do Quitunde para a BR101, uma estrada estadual, simplesmente NÃO EXISTE. A estrada já existiu, claro. Hoje, embora alguns troncos de coqueiros atravessados sugiram uma espécie de bloqueio, a tendência é ir em frente. E naufragar num mar de crateras que, três quilômetros após, se transformam numa enorme barreira de terra, como se vinte caminhões caçambas ali houvessem descarregado toneladas de terra, com o objetivo de bloquear  a estrada.

Retornar e manter a rota litorânea. Viagem tranquila, visual caribenho, o mar ao alcance da mão. Brasilzão!

Voltar à BR101 e à realidade: a litorânea converge para a BR101 em Ipojuca, nas imediações de Recife. E aí são necessárias doses industriais de paciência. O anel rodoviário, que recolhe o tráfego de caminhões do porto de Suape e do polo industrial de Jaboatão dos Guararapes, é um caldeirão que ferve mas não cozinha. Enfim, não anda.

Foram necessários 85 minutos (1h25min) para nos livrarmos daquele inferno. E curtindo uma pista de primeiro mundo (em obras), passamos por João Pessoa e Natal, descendo direto para a Praia da Pipa. E a praia da Pipa é o bicho!!!

 

 

PIPA-PORTO DE GALINHAS-MARAGOGI-BARRA DE SÃO MIGUEL-ARACAJU-CÂNION DO XINGÓ –  o retorno

 

Passamos quatro dias em Pipa. Na primeira vez que estivemos lá, ficamos na Pousada Bicho Preguiça, que é uma graça de pousada.  Inserida no resíduo de Mata Atlântica, é comum ver os macacos descerem das árvores e compartilharem as frutas do café da manhã com a gente.

O problema é que nossa família tem três paixões sérias: praia, sol e cerveja. Como aquela pousada fica na área das falésias, para se chegar à praia, é necessário descer a falésia – um paredão vertical de mais ou menos 20 metros de altura – através de uma espécie de trilha em ziguezague, com alguns degraus escavados na terra.

Para baixo, todo santo ajuda. Mas, no final da tarde, assados de sol e cheios de cerveja,  a gente olha  a escalada que nos espera e pensa seriamente em dormir na praia mesmo!

Por essas e outras, desta vez optamos por uma pousada no centro da cidade, perto da ferveção (a rua principal de Pipa, à noite, é indescritível)  e com acesso suave à praia.

Escolhemos a Pousada Solar da Pipa. Não se engane com a fachada estreita e simples: aquilo é apenas um portal para um surpreendente espaço que comporta cerca de 80 amplos apartamentos, um belo parque de piscinas e conjuntos de lazer para crianças.

Aliás, essa é uma característica de Pipa:  a rua principal (Avenida dos Golfinhos) é uma sucessão de estabelecimentos voltados para a gastronomia, mas com fachadas tão minúsculas, que parecem ícones do Windows – e são! No momento em que você “clica” em um desses ícones, ou seja, entra numa daquelas portas, abre-se uma janela (window) para espaços inimaginados!

Porém, como dissemos antes, é difícil descrever – melhor ir lá!

Finalmente, um alerta: use sandálias nas praias do centro de Pipa. Tivemos duas baixas (Ivanizes, minha esposa, e Joanna, minha nora), vitimadas pelo bicho geográfico. Bicho geográfico merece um capítulo à parte.

Pé na estrada: 349 km e quatro horas depois, após passarmos tranquilos pela região metropolitana de Recife,  deixamos a BR101 em Ipojuca(PE) e tomamos as rodovias estaduais, em bom estado, que nos levaram ao Village Porto de Galinhas, uma delícia de hotel à beira da praia do Cupe, a 3 km do centro da cidade. Esses três quilômetros, aliás, são ocupados por hotéis e pousadas, de variados níveis de luxo e preços. O hotel Village Porto de Galinhas tem um amplo e bem estruturado parque aquático, o que nos permitiu curtir sol e praia, sem precisarmos entrar no mar.

O mar, naquela área, é REALMENTE PERIGOSO. Fazendo nossa caminhada matinal de seis km – ida e vinda até o centro da cidade -, percebemos a insistente presença de avisos, particularmente na frente dos hotéis, sobre o risco da força do arrasto do mar naquele trecho.

E há procedência nessa preocupação: duas semanas depois de sairmos de lá, já em Brasília, a imprensa noticia a morte de um casal de Taguatinga, no Distrito Federal, que passava lua-de-mel num dos hotéis daqueles 3 km a que nos referimos acima.

Os quatro dias destinados a Porto de Galinhas passam em alta velocidade. É hora de arrumar as malas e descobrirmos os mistérios de Maragogi. Diversos amigos têm dito maravilhas sobre essa cidadezinha à beira mar, a cerca de 100 km ao norte de Maceió.

Em duas tentativas anteriores, de passagem pela cidade, havíamos entrado e dado uma volta, indo até a praia. E nas duas vezes, o resultado não foi bom. Não havíamos conseguido ver a cara de Maragogi que nossos amigos tanto elogiam. Agora, porém, não estaríamos de passagem: reservamos dois dias para descobrir seus encantos.

Isso já nos havia acontecido antes com duas cidades: Salvador e Praia do Forte. A primeira passagem por Salvador, em 1978, foi tão horrível, que cancelamos a estada prevista de 3 dias e atravessamos a cidade em busca de Aracaju. Persuadidos por um colega de trabalho que insistia que tinha havido uma série de coincidências negativas, decidimos tentar novamente em 1982.

Até hoje não sabemos se eu e Ivanizes éramos outras pessoas ou se Salvador era outra cidade. O fato é que bateu uma paixão de 10.000 volts, definitiva, a ponto de adquirirmos um flat na Barra!

Quanto à Praia do Forte, foram quatro ou cinco tentativas frustradas. Mas os motivos eram diferentes. Saíamos de Salvador e seguíamos para lá pela beira-mar. Como a praia da cidade é muito simples, não enxergávamos a cidade e passávamos direto. E os amigos insistindo: -“Vocês não foram à Praia do Forte!”.

Por fim, estando minha esposa com meus filhos e amigos e namoradas destes em férias em Salvador, decidiram tentar mais uma vez descobrir o mistério da Praia do Forte. Só que foram pela Linha Verde, recém-inaugurada. Bingo! Puro charme, simpatia a granel, pousadas fofas, gastronomia top, gente bonita. Enfim, Praia do Forte tem cara de férias e verão. Imperdível.

Então, nada mais justo que darmos nova chance a nós mesmos de descobrirmos Maragogi. Desembarcamos na Pousada Praia Azul cheios de expectativas, às 16h00. A pousada é linda, tem um bom restaurante e um parque aquático legal, que termina na praia. Fizemos um reconhecimento do terreno pelas redondezas, bebemos cervejas em botecos de praia, comemos guaiamum. Vamos poupá-los dos detalhes: em 40 minutos, às 16h40min, uma sensação de desconforto que aparentemente era individual, mostrou-se coletiva. E a decisão unânime: vamos perder as duas diárias que pagamos adiantado, mas vamos para Maceió. São 16h e estamos a 120 km da capital. Dito e feito!

Entramos em Maceió ao fim do crepúsculo, arranhando nossa rígida norma de não viajar à noite. Conseguimos vagas para dois dias no hotel Maceió Atlantic Suítes – MA-RA-VI-LHO-SO! Praia, parque aquático e sol irrepreensíveis. E ainda conseguimos comer caranguejo uçá no Peixarão.

Cumpridos os dois dias em Maceió (originalmente destinados a Maragogi), partimos para enfrentar a longa jornada de 35 km de Maceió a Barra de São Miguel, pela via litorânea. Viagem embevecedora, para ser degustada a 50/60 km por hora. E parando para bater fotos. Nem pensar em entrar para conhecer a praia do Francês, que fica no meio do caminho: você corre o risco de ficar lá para sempre.

O mar é verde-esmeralda, o astral é altíssimo, tudo é lindo. E além do mais, é Brasil. As pessoas falam português. Isso não tem preço, como diria uma empresa de cartões de crédito.

Desembarcamos nossas tropas no Village Barra de São Miguel. A música de fundo poderia ser “1492 A conquista do paraíso”.  E foram só quatro dias nesse lugar fantástico! Em outra oportunidade (2006), ficáramos no Hotel Marupiara e  havíamos ido para a Praia do Gunga de carro. Agora, decidimos outro caminho: sair de lancha das proximidades do hotel, percorrer as piscinas, os arrecifes, o bar molhado no meio do mar e, finalmente,  Gunga. Sem comparação com a viagem de carro: viramos crianças de novo!

Aí, alguns detalhes de Barra de São Miguel e do Gunga, onde, aliás, vimos um negócio que nunca havíamos visto: um bote inflável voador!

 

Bote voador na Praia do Gunga

E um acarajé que não tem vatapá nem caruru!

`Cabou! Tentamos negociar o prolongamento da estada. Negativo. O hotel está lotado até o Apocalipse – e há uma família aguardando que nós desocupemos o apartamento para terem sua oportunidade de curtirem o encantamento que aqui experienciamos.

Agora, começamos efetivamente a voltar para casa. Quer dizer, voltar para nossa base em Salvador. Estamos a 600 km da capital baiana. Vamos dar um subtotal na viagem, dividindo essa distância em duas etapas, com uma parada de dois dias em Aracaju.

Tínhamos a possibilidade de pegar a BR101 ao sair de Barra de São Miguel. Preferimos continuar na rodovia litorânea, apreciando o deslocamento rodoviário com a vista do mar. A litorânea é estadual, mas está em excelentes condições nesse trecho. E a nossa disposição era de viajar devagar – 50/60 km/h – e aproveitar o visual e o astral da região.

Na divisa AL-SE, nova decisão: ou subir para pegar a BR101 em Propriá (por onde tínhamos passado na ida) ou, conhecer Piaçabuçu (a foz do Velho Chico) e, em seguida,   atravessá-lo de balsa  em Penedo e continuar mais um pouquinho pela litorânea.

O bom senso recomendaria pegar a BR101 em Propriá. Mas o visgo da litorânea nos levou à segunda opção. Atravessamos aquele trecho maravilhoso de rodovia cujo acostamento  é a praia, vislumbramos o Rio São Francisco lançando-se na imensidão do mar em Piaçabuçu  e fomos tomar um café no porto de Penedo(AL), enquanto aguardávamos a balsa, que faz a travessia a cada meia hora, ao custo de R$ 17,00.

Pronto, estamos em Neópolis (SE), na outra margem do Velho Chico. E aí não tem jeito – é abandonar o litoral e, passando por Japoatã, pegar a BR101 no trevo de Muribeca (cidade natal de Amaro, o mudo motorista do jipe no fantástico, único, ímpar e inigualável “O SARGENTO GETÚLIO”,  de João Ubaldo Ribeiro).

A partir do trevo de Muribeca,  andamos cerca de 30 km pela BR101 e, em Japaratuba, voltamos para a litorânea, entrando em Aracaju pelo norte, através de uma magnífica ponte que não conhecíamos.

Chegamos ao Hotel Mercure, na praia de Atalaia (antigo Hotel Beira Mar, onde já havíamos ficado em outra oportunidade). O hotel é sensacional, mas nossa primeira decisão foi sair correndo para a Passarela do Caranguejo, A PÉ! Isso porque a orla de Aracaju é coisa mais fofa que existe em termos de estrutura litorânea urbana e vale que percorramos cada metro dela, até chegar ao apogeu: a Passarela do Caranguejo – uma concentração de milhões de botecos maravilhosos em um km de orla e todos com caranguejo uçá no cardápio.

No dia seguinte, entre outros programas, almoçar no Miguel: os garçons mais alegres e simpáticos que já vimos, e o menu… Bem, o menu é melhor você ir lá e conferir. Carne de sol de filé já é famosa, mas a lasanha deles é capaz de surpreender muito italiano de São Paulo.

Mas o projeto de viagem passou por outras discussões: a Rede Globo estava gravando a novela “Cordel Encantado” no sertão de Sergipe. Nas proximidades do local onde morreram Lampião e Maria Bonita. No cânion do Xingó, onde o lago da represa da hidrelétrica chega a atingir profundidades de 150 metros de água verde, água do Velho Chico. E no saguão do Hotel Mercure, uma agência de turismo (Nozestur) deu todas as dicas.

Pé na estrada, de novo. Rumo: Xingó, a 203 km de distância de Aracaju. Estrada estadual bem cuidada, passando por Itabaiana, Ribeirópolis, Monte Alegre, Poço Redondo e, enfim, Canindé de São Francisco.

Uma curiosidade nesse trecho: sabe aquelas cruzes que as pessoas colocam nas estradas, nos locais onde acidentes causaram morte de entes queridos? Pois é: nesse percurso não há cruzes, mas dezenas, talvez centenas de miniaturas de igrejas, nos locais das tragédias, numa manifestação cultural e religiosa tipicamente local e absolutamente inédita para nós, a despeito de nossos anos de estrada!

Chegamos. Xingó Parque Hotel. Para descrever o que vimos ali – como diria o velho e bom Luis Vaz de Camões -, “aqui falta saber, engenho e arte”.

Para encurtar, choramos diversas vezes de pura emoção: no hall do hotel, ao ver o vale a jusante da barragem; no museu arqueológico, que guarda os utensílios domésticos de brasileiros que ali moraram há 9.000 anos, encontrados quando da construção da represa. E nos arrepiamos e choramos quando o barco catamarã  nos levou a… Não dá: de fato, aqui falta saber, engenho e arte.

Você precisa ir lá para entender o que estamos dizendo.

Não deu tempo de ir à gruta de Angicos, onde Lampião caiu na emboscada da Volante. Faremos isso em nosso próximo retorno a Xingó. E será muito rápido, pode anotar!

Atualizando este texto em janeiro de 2017, registramos a trágica ocorrência no cãnion de Xingó da morte do ator da Rede Globo Domingos Montaigner, que ali se despedia, num banho de rio, em companhia da atriz Tânia Alves, das filmagens da novela “Velho Chico”. 

Retornamos via Lagarto, Salgado e Estância. A partir daí, via Linha Verde até Salvador. Sem reparos em relação às estradas, exceto uma recomendação: abasteça em Estância, porque, dali pra frente há cerca de 120 km, na Linha Verde, sem posto de gasolina algum (de bandeiras confiáveis).

Salvador. Nosso flat.  Caminhadas matinais pela orla até o Porto da Barra, codorninhas assadas no B Boteco do Farol, caranguejos (uçás) e lambretas no Caranguejo do Porto (em frente ao Cristo), abarás e acarajés da Tânia, no Farol da Barra e, finalmente, grand finale: almoço tardio ao por-de-sol no Yacht Club da Bahia, ao som da batuta gastronômica do chef Fernando.

Foi isso que se deu e passou nesse nosso rever e descobrir pedacinhos do Brasil que os brasileiros precisam conhecer.

(Edimar Abreu – 16.08.2011)

 

 

OBSERVAÇÕES ATUALIZADAS:

Chegamos ao nosso sítio sem problemas. Tomamos o café da manhã em Barreiras às 07h00 e às 13h00 já estávamos abrindo a porteira da roça. Aí, ocorreu-nos de avisar aos nossos “sputniks” (companheiros de viagem, em russo) que a curva assassina no km 602 da BR 242 – exatamente no momento em que você deixa a chapada e inicia a descida para o vale do Rio São Francisco em Ibotirama – deixou de ser assassina e quase deixa de ser curva. Foi feito ali um primoroso trabalho de engenharia, com alargamento da via, abertura do ângulo (acho que era menos de noventa graus) e nivelamento do piso (que era um horror de ondulações longitudinais). Ponto para o Dnit.

Mas, como diz a lei de Murphy, “atrás de um grande problema, há sempre um pequeno lutando para crescer”. Agora nossa atenção se voltou para curva à esquerda, no km 144 da BR 020, no estado de Goiás, para quem volta de Salvador para Brasília, entre Rosário e  Alvorada do Norte. Olho vivo ali! Talvez não seja tão assassina, mas dá um bom susto nos desatentos.

(Edimar Rodrigues de Abreu – 12.11.2011)

Observações atualizadas – 03.04.2013

Estamos em Salvador desde 15 de dezembro: é nosso recorde de permanência na capital baiana. Ontem, pela terceira vez neste mês, jantamos com um casal de amigos que moram em Aracaju e que vêm de carro para o fim de semana na boa terra. 

E, na conversa sobre estradas, uma informação interessante: a ponte da Linha Verde para Aracaju foi inaugurada. Isso significa que não há mais necessidade de se deixar a Linha Verde e pegar a BR 101 em Estância: agora o negócio é seguir em frente e chegar a Aracaju pela ponte em Mosqueiro. 

Bom proveito a todos!

Edimar Rodrigues de Abreu – 03.04.2013

OBSERVAÇÕES ATUALIZADAS – 17.06.2015

Dia 08 de maio de 2015, meu filho mais novo, Dênis, completou 32 anos e resolveu realizar um velho sonho: fazer um percurso que já havíamos feito de carro algumas vezes. Só que agora só ele e a esposa, Luana, DE MOTOCICLETA. Eles viajaram durante quase 30 dias. Usaram o mesmo trajeto descrito aqui nesse post (Brasília-Salvador-Natal). Foram com calma, devagar. Dorrmiram em Barreiras, Lençóis e no flat da família, em Salvador. Dois dias depois partiram com a intenção de pernoitar em Aracaju, mas a ruptura de uma importante adutora que leva água para aquela capital deixou a população numa situação crítica, o que os levou a Maceió. A seguir, foram 4 dias em Porto de Galinhas e 4 dias em Natal. Voltaram pelo mesmo trajeto. Durante toda a viagem, o Whatsapp reproduzia o refrão diariamente -“É a melhor viagem de nossas vidas”. Chegaram sãos e salvos, felizes  sem maiores críticas às estradas, exceto ao trevo de Recife. Em nossa última viagem juntos, havíamos perdido 01h30min ali. Agora eles perderam 2 horas. E estavam de moto. Resumo da ópera: felicidade escancarada, reclamações do trevo de Recife, lamentações pelo acidente que provocou a falta dágua em Aracaju e críticas ao penhasco que os hóspedes têm de descer e subir entre o hotel e a praia (não nos peçam o nome do hotel). Ou seja, do ponto de vista do que nos interessa (estado das Rodovias Brasileiras), tudo foi bem.

Edimar Rodrigues de Abreu – 17.06.2015

RELATO DE GILBERTO BRANDÃO SOBRE SUA RECENTE VIAGEM NA ROTA BRASÍLIA-SALVADOR-NATAL: 

Olá, Abreu, tudo bem? Pois é, mais uma vez gostaria de contribuir, registrando nesse blog minha última experiência , embora já de retorno a Brasília, pois como observado, minha postagem anterior refere-se à ida de Brasília a Maceió, onde resolvi fazer o roteiro Bsb-Correntina-Brumado-BR-116-Vitória da Conquista-F. de Santana-Alagoinhas-Aracaju-Penedo-Praia do Francês-Maceió, cujos comentários não foram nada a favor desse trecho, face a um só problema: congestionamento intenso da BR-116, que só pessoas de muita, mas muita paciência pra enfrentar cerca de 500 km observando manobras de alto risco de caminhoneiros inconsequentes e irresponsáveis, sobretudo se o casal está acompanhado de crianças. Mas continuo respeitando as opiniões em contrário, pois tem lá suas razões. Pois bem, retornando a Brasília, ontem, 01-11-20, fiz outro trajeto e é exatamente essa experiência que gostaria de postar. Veja que interessante, na ida, no trecho de 40km da BR-101 até às balsas para PENEDO encontrava-se com asfalto extremamente danificado e buracos tipo cratera, mas de retorno, encontrei completamente recuperado, pois a operação tapa buraco marcou presença. Meu maior receio estava mais à frente, entre Itaberaba e acesso a Lençóis. Fiquei mais tranquilo quando percebi que esse trecho também foi completamente recuperado e foi recente, inclusive de Lençóis a Seabra, nesse trajeto consegui detectar presença de máquinas. Também havia máquinas recuperando estrada entre F. de Santana e Ipirá, onde constatei buracos mas nada preocupante. Fora isso, fiquem tranquilos os amantes das estrada desse Brasil que tanto amamos. Maceió os espera ainda mais quando percebemos que as autoridades daquele Estado estão preocupadas em mostrar o melhor da cidade, realizando obras de infraestrutura e não medindo esforços na recuperação das vias que dão acesso às áreas de lazer. Era isso, meu amigo Abreu, que tinha a relatar. Gostaria que levasse essas informações também pra quem vai optar por SALVADOR via Itaberaba (BRAÍLIA-SALVADOR DE CARRO). Continue nessa missão de informar e fique certo de que muitos são muito grato por esse seu trabalho. Muita paz e até a próxima. Um abraço.”    (Publicado em 03.11.2020)

RELATO DO JÚLIO DAM DE 10.12.2020 E 11.02.2020:

Julio Dam
Abreu, boa noite, tudo bem?
Segue um breve resumo de nossa viagem de Brasília a Maceió, iniciada em 07 de dezembro de 2020, ainda em trajeto de ida.
Após ler e reler sugestões e comentários do EXPRESSÃO DA LIBERDADE, resolvemos sair de Brasília, seguindo por Correntina, Santa Maria da Vitória , com primeiro pernoite em Bom Jesus da Lapa. A opção pelo roteiro foi de sugestões, conforme disse acima, mas também após ler reportagem de que o governo da Bahia inaugurara no último dia 02 a restauração do pavimento da BA160, entre Bom Jesus e Ibotirama. Como fazia muito tempo desde a última vez que usei o trecho (20 anos), resolvemos seguir nesse planejamento, apesar das muitas recomendações suas, Abreu, mais do que sensatas, de não cair da tentação de usar as transversais entre a BR349 e a BR242.
Por uma série de imprevistos acabamos saindo de Brasília depois do almoço, alcançando Bom Jesus da Lapa poucos minutos antes da 20 horas. Não temos costume de percorrer trechos noturnos, ainda mais pelas estradas do nordeste, mas assim o fizemos por um período curto de tempo e distância, com extremo cuidado, mas não recomendamos.
Sobre este trecho, pegamos muito movimento de Formosa até Alvorada do Norte, mais caminhões que o costumeiro. Bem mais. O asfalto está de bom para regular desde Formosa até Vila Boa, com alguns afundamentos e rachaduras que já deixam rastros de lama após chuvas. Suspensão trepidou bastante neste trecho. Após Vila Boa, segue em bom estado até a divisa GO/BA, onde também já se observa desgaste com afundamentos de pista e rachaduras, ainda sem trilhos de rodas, mas a caminho de…
Nos primeiros 30 minutos após o trevo com a BR020, a BR349 apresenta vários buracos em formação. Um trecho de 20 metros já está sem asfalto, uns 20 minutos depois de entrar na rodovia. Após esse trecho, o asfalto está em boas condições, apesar de bastante ondulações, onde meus tripulantes disseram que parecia montanha russa, e olha que parecia mesmo. Fica bom mesmo uns 80 km antes de Correntina.
O restante do trecho até Bom Jesus apresenta-se bom de forma geral, tirando alguns buracos pequenos, mas que não atrapalham. O ruim é somente a pista estreita, sem acostamento na 349.
Pernoite feito, visitamos o santuário de Bom Jesus logo cedinho, e por volta das 09, seguimos para Ibotirama. Expectativas mais que atendidas no novíssimo asfalto da BA160, em perfeitas condições. Entramos na BR242, sentido Lençóis, onde encontramos trechos com pouco movimento e outros bem intensos. Observamos vários buracos tapados, numa operação de boa qualidade , durante todo o trecho. Asfalto trepidando bastante, uns 100 km depois de Ibotirama até Lençóis, com afundamentos de pavimento e com rachaduras , que deixam a viagem desconfortável.
Trecho de subida da serra antes de Seabra em boas condições, com terceira faixa.
O ruim mesmo, aí reforçando o seu comentário, Abreu, de Seabra a Lençóis perdeu a graça. Muitos caminhões bem pesados, lentos, alguns a menos de 12 km/h nas subidas da Chapada, deixam as ultrapassagens impossíveis nos poucos pontos onde é viável a manobra, nestes 75km. Asfalto sem buraco, mas trepidando muito.
Do trevo da BR242 até Lençóis, são 12 km de muitos, mas muitos buracos, nos obrigando a trafegar a 40 km/h ou menos. Dois trechos precisam de parada total e escolher por qual lado do buraco deve-se atravessá-lo. Foram 25 minutos até chegar ao centro da cidade.
O bom foi que aproveitamos bem o percurso até aqui. Agora ficaremos mais uns dias na Chapada, recarregando as baterias e quando seguirmos em frente, deixaremos aqui nossa contribuição para o Expressão. Abraços .

NOVO RELATO DO JÚLI DAM DE 12.11.2020:

 

Julio Dam
Em resposta a Abreu.Amigo Abreu, agradeço pelas gentis palavras e consideração que demonstra pelos seus fãs (sou um, de carteirinha).
Atualizando o trecho de Lençóis a Guarajuba, na Estrada do Coco, Bahia.
As notícias do trecho desta vez não são nada boas. Saindo de Lençóis até Itaberaba, os buracos se multiplicaram em relação aos últimos relatos aqui deixados. Estão em grande quantidade e, principalmente, em profundidadez o que compromete a segurança da viagem. Começam aos poucos, após Lençóis e vão aumentando conforme se segue em frente. Levamos duas horas e meia de Lençóis ao Posto Santa Helena. Impossível trafegar acima de 70 ou 80 km/h e ainda assim não é suficiente para ficar tranquilo. Contei pelo menos 4 carros e dois caminhões com pneus estourados. Alguns povoados como São João e depois Ruy Barbosa, apresentam os piores trechos. Tem muitos caminhões também, dificultando muito a viagem. Optamos por seguir via Ipirá. O primeiro trecho, até Ipirá, está em boas condições. Após a cidade, o asfalto volta a ficar ruim, no sentido Feira de Santana, com buracos e pista irregular. Vários trechos estão em recuperação, com sistema de Pare e Siga (pegamos 3 deles), o que torna a viagem muito cansativa e perigosa, pq o povo, em geral, fica afoito em recuperar o tempo parado e põe todos em risco com ultrapassagens em pontos sem visibilidade. Nos 30 km finais desse trecho, até o entroncamento com a BR116, a pista está refeita, em ótimas condições. Seguimos via BR 324, sentido Salvador, saindo por Camaçari para chegar até a estrada do Côco. Encurta bem o caminho, mas tem muitos caminhões e poucos pontos de ultrapassagem. Mais paciência foi necessária , mas chegamos bem em Guarajuba , com o carro intacto em relação aos buracos. Esse trecho, a partir de Lençóis, eu não recomendaria para motoristas com pouca experiência de estradas ou com veículos 1.0. Não tem preconceito nenhum nessa humilde opinião, é que com tanto movimento de caminhões e buracos, seria muito importante ter um motor com um pouco mais de força para trazer mais segurança ultrapassagens. Enfim, desculpe pelo textão. Domingo seguiremos para Maceió e voltaremos aqui para atualizações.

NOVO RELATO DE JÚLIO DAM DE 15.12.2020:

Olá Abreu, retornamos aqui conforme o prometido, para atualizações do trecho final de ida de nossa viagem de Brasília a Maceió.
Após alguns dias recarregando as nossas baterias em Guarajuba (BA), seguimos com destino à Maceió. Usamos a excelente BA099 até a divisa com Sergipe, onde a rodovia recebe o nome de SE100, Camilo Calazans de Magalhães, que era presidente do BB em 1986, quando entrei no Banco.
A rodovia em geral está em estado razoável de tráfego, é estreita e com pouquíssimos buracos, quase sem acostamento também. Passa por muitos trechos urbanos, com lombadas que não acabam mais. Um pouco depois de Indiaroba (SE), pegamos a SE368, sentido Estância (SE) e BR 101, que é atingida poucos km antes da cidade. A SE 238 apresenta alguns buracos, poucos, fáceis de desviar, mas estava com tráfego intenso de caminhões.
Uma vez na BR101, seguimos por uma pista que alterna entre parte duplicada e parte de pista simples, sendo os últimos 60 km antes do Rio São Francisco quase todo duplicado.
Nas Alagoas, alterna pequenos trechos sem duplicação ou outros duplicados, até o entroncamento com a AL122. A pista em geral é de boa qualidade, mas nos trechos de mão dupla a viagem não rende por causa das imensas carretas, poucos pontos de ultrapassagem e tráfego intenso.
Um ponto que me chamou a atenção é de nos trechos já duplicados, a pista é de concreto, perfeita. Alguns trechos já receberam uma camada de asfalto sobre o concreto, deixando a rodagem macia, diminuindo bem o ruído dos pneus e deixando um bom conforto ao rodar.
Nas AL122 e AL101, usadas para chegar a Maceió, pista dupla por todo o trajeto, com ótima qualidade de asfalto.
Para quem viaja com crianças, como é nosso caso, fica um pouco cansativa, pois sempre tem alguém querendo banheiro ou paradinha para esticar as pernas.
Uma dica importante, citada pelo amigo Abreu, é de sempre buscar rotas com apoio de cidades maiores por perto, 100 km antes ou depois, para o caso de necessidades de socorro mecânico ou médico. Nós precisamos de atendimento para meu menino ainda em Guarajuba, então nos deslocamos até Salvador, uns 40 min de viagem, onde fomos bem atendidos e os perrengues devidamente tratados.
Para a volta estamos num dilema. Eu prefiro voltar pelo mesmo trecho de vinda, via Chapada Diamantina. Minha navegadora ficou assustada com os buracos e caminhões dançando na BR242 para desviar dos buracos e preferia voltar via Vitória da Conquista.
Essa opção deixa o motorista aqui preocupado, porque teremos um longo trecho de uns 500 km na BR116 até Conquista, recheado de carretas, conforme relatos aqui descritos.
Ainda está em análise a possibilidade dela e a criança menor (quem sabe a maior tb), voltarem de avião de Aracaju, nossa última parada nessas férias.
Quando estiver resolvido, faremos aqui o relato do trecho de volta, seja qual for o caminho optado.
Aceito de bom grado sugestões suas, Abreu, ou quem sabe dos companheiros de viagem mais experientes para o retorno.
Grande abraço.
Julio
Em Estância

DOIS NOVOS RELATOS DO JÚLIO DAM, COBRINDO TODA A VIAGEM (ida e volta) DE BRASÍLIA A MACEIÓ EM DEZEMBRO DE 2020:

Olá Abreu e demais companheiros de viagem.
Finalizamos nosso roteiro de férias e venho aqui, conforme o prometido, concluir o relato dessa jornada.
Vou detalhar um pouco esse trecho final.
O roteiro de volta foi Maceió até Aracaju foi via AL101 até Penedo e travessia de balsa do rio São Francisco. Este trecho está em perfeitas condições, pouco tráfego de caminhões. A partir daí, pegamos a SE100, que está bem irregular, trepida muito. Fomos assim até a BR 101, que está parte duplicada. No trecho ainda de pista simples, muitos caminhões e zero condições de ultrapassagem.
Ficamos alguns dias em Aracaju e minha tripulação retornou para Brasília de avião. Deixei-os no aeroporto no horário do voo, por volta de 16h30 e segui rumo a Salvador, via Linha Verde. Foi a melhor opção em relação ao trecho da 101 que passa por Estância. Pouquíssimo movimento, asfalto em ótimas condições e ultrapassei somente dois caminhões pequenos até chegar ao entroncamento que leva à BA099. A partir da BA099, o movimento aumentou consideravelmente, mas o tráfego fluiu normalmente, permitindo que eu chegasse para pernoite próximo ao aeroporto de Salvador por volta das 20:15.
No dia seguinte, era hora da decisão sobre o caminho de volta. Aí cometi meu primeiro erro. Fiquei em dúvida sobre o caminho a seguir, se via Chapada Diamantina, como na ida, se via Feira de Santana e Vitória da Conquista ou seguir o conselho do Abreu e seguir via Itabuna e depois Vitória da Conquista e Brumado. Esta dúvida não existiria se estivesse com a família. Seria a opção indicado pelo Abreu e ponto final.
O erro foi deixar para decidir o roteiro já em trânsito, o que me levou a escolher a saída original pela BR 101 até Itabuna e uma vez na 101, ficar pensando se outro caminho não seria melhor. Isso me levou ao segundo erro, inaceitável para quem já tem experiência de 30 anos de estradas. Na 101, encontrei muito, mas muito movimento de carretas e caminhões. Com a pista cheia de curvas, sobe e desce e muito movimento, ficava sem pontos de ultrapassagens, mesmo com um Cruze turbo. Nos primeiros 15 ou 20 minutos pensei em retornar e seguir via Ipirá e Chapada, mas continuei seguindo em frente, pensando que o trecho seria mais tranquilo após Cruz das Almas, mas, doce ilusão. Aí cometi o terceiro erro da jornada. Acabei usando a BR420, para sair perto de Jequié, na BR116 e dali seguir para Vitória da Conquista. Lembrei de você, Abreu, cada km dos 130 km do trecho. Não usar essas estradas perpendiculares, por mais que o Waze ou o Google Maps, indiquem um tempo menor de viagem até Conquista ou até Brumado. No início, assim que saí da BR 101, parecia que tinha feito uma ótima escolha, mas 5 km depois, toda a ilusão foi desfeita. Pista estreita, sem acostamento, muitos buracos, crateras, panelas e lombadas, muitas, a cada pequeno vilarejo ou cidade até chegar na BR116. Foram três horas nesses cento e poucos km.
Tudo isso seria evitável se tivesse ao menos ligado para a PRF e checado se o Dnit havia tapado os buracos da BR 242, no trecho Itaberaba a Lençóis ou seguido o roteiro “familia”, proposto pelo Abreu.
Expiados os “pecados”, vamos em frente.
De Jequié até Conquista, encontrei muitas carretas, conforme os relatos já indicados aqui, mas nada diferente do que vi na BR101, exceto o trecho ser mais plano e com mais pontos de ultrapassagem, o que certamente incentiva os grandões a forçarem algumas ultrapassagens. Mas é tenso e exige bastante atenção. A pista está em boas condições.
Cheguei à Conquista 16h30 e segui para Brumado, chegando lá pouco antes das 18 horas, ainda dia. A BA262 está em excelentes condições.
Pernoite em Brumado, saí com o dia amanhecendo (04h30) via BR030 até Caetité, pista também excelente. Aí segui pela BR430 até Bom Jesus da Lapa. Pista um pouco irregular no início, estreita, sem acostamento em todo o trecho, sem contar a serra com alguns paredões de pedra nos dois lados, deixando a margem de erro a zero.
De Bom Jesus, segui pelo trecho já conhecido da BR349, que apresenta mais buracos do que na ida, no trecho entre Correntina e Posto Rosário, piores nos KM 78 e Km36 antes do Rosário, mas já exige redução da velocidade e mais atenção nesse trecho. Depois do Rosário até Brasília, muito movimento por conta da antevéspera de natal. Cheguei em Brasília 14h15, sem intercorrências.

SEGUNDO RELATO:

Abreu,
Se você me permitir, fiz um breve resumo de toda a jornada, para facilitar a leitura.
Trecho Brasília x Maceió x Brasília
Saída – 07 Dez 2020 – Retorno – 23 Dez 2020
Ida:
BR 020 Brasília x Posto Rosário:
Trecho em boas condições gerais, trepidando um pouco entre Formosa e Flores de Goiás, sem buracos.
BR 349 Correntina x Bom Jesus da Lapa:
Trecho em boas condições, exceto km 38 e km 76 após trevo com a BR020, com buracos que chegam “de surpresa”. Melhor reduzir a velocidade nesse trecho.
BA160 – Bom Jesus da Lapa x Ibotirama:
Asfalto refeito e reinaugurado no início de dezembro, em ótimas condições, sem observações.
BR242 – Ibotirama x Lençóis:
Pista boa, sinal de serviço de tapa buracos feito recentemente, sem maiores problemas.
Subida entre Seabra e Lençóis sem pontos de ultrapassagem, trânsito intenso de caminhões carregados.
Trecho do trevo da BR242 para a cidade de Lençóis com muitos buracos.
BR 242 – Lençóis x Itaberaba:
Bastante buracos, trânsito intenso de caminhões carregados. Serviço tapa buracos feito recentemente já deteriorou. Piores trechos em Ruy Barbosa e Povoado São João.
BA 233 e BA 120 Itaberaba x Feira de Santana:
Trecho bom no primeiro e no segundo, após Ipirá, obras de recuperação em andamento, no sistema Pare e Siga. Viagem mais lenta que o habitual, precisa de atenção com buracos na BA120 e com as obras.
BR 324 Feira x Salvador:
Pista dupla em ótimas condições, com pedágios e muitos caminhões.
BA099 Estrada do Côco e depois Linha Verde:
Ótima pista, pedágio, sem observações.
SE 100 SE 368 e BR101 – Div BA x SE x Estãncia, Arcaju x São Miguel dos Campos (AL):
SE 100 e 368, pistas irregulares, trepida bastante, acostamento quase inexistente no trecho, mas sem muitos buracos.
BR 101 parte duplicada dos dois estados, melhor em Alagoas. Os trechos duplicados estão ótimos, nos demais, muitos caminhões e lentidão.
AL 220 e AL 101 São Miguel x Maceió
Ótimas pistas, trecho da AL 220 utilizado e posteriormente da AL101 totalmente duplicados.

VOLTA
AL 101 Maceió x Penedo:
Boas condições, AL 101 duplicada até entroncamento com AL 220 Segue em pista simples, mas em boas condições.
Travessia do São Francisco via balsa em Penedo, tranquila, sem filas. R$ 28,00 por veículo, menos de 10 minutos de travessia.

SE 335 até BR 101:
Trecho bem irregular, pista defeituosa, trepida muito, buracos ocasionais, mas perigosos pela profundidade. Velocidade reduzida entre 70 e 80 km/h diminuem os riscos e o desconforto no trecho.

BR 101 até Aracaju:
Parte duplicada em perfeitas condições, trecho sem duplicação, perto de Maruim (SE) com muita lentidão.

SE 100 Aracaju x Divisa BA:
Pista em boas condições até perto de Indiaroba, pouco movimento, viagem muito tranquila. Trecho final até divisa com Bahia com pista irregular, mas sem buracos.

BA 099 – Divisa SE até Salvador:
Pista em ótimas condições, sem observações, com pedágio

BR324 – Salvador x BR 101:
Pista dupla, boas condições, pedágio

BR101 Entroncamento BR324 até entroncamento BR 420
Pista em boas condições, mas muito cheia de carretas e caminhões, poucos pontos de ultrapassagem, muita lentidão até Cruz das Almas e mais próximo a Santo Antonio de Jesus, também.

BR420 – Entre BR 101 e BR 116
Não use, esqueça esse trecho, não vale a pena. MICO, como diz o Abreu, buracos, buracos e mais buracos. Quando cansar dos buracos, lombadas das cidades e mais buracos, começando tudo de novo.

BR116 Entre BR420 e Vitória da Conquista
Pista boa, pedágios, mas bastante carretas. Trecho que exige paciência e muita atenção com as manobras dos grandões.

BA 262 Conquista a Brumado
Pista ótima, sem observações.

BR 030 e BR430 Brumado x Caetité x Bom Jesus da Lapa
BR030 Pista em ótimas condições
BR430 Pista regular, estreita, sem acostamento, exige atenção, principalmente no trecho de serra após Caetité.

O restante do trecho pode ser usado como referência os comentários da IDA, sobre BR 020 e BR 349.

Minha sugestão pessoal, se o amigo Abreu permitir esse abuso, seria IR via Vitória da Conquista, Itabuna, Feira de Santana e VOLTAR por Feira, Ipirá, Ibotirama, Bom Jesus da Lapa, se confirmado serviço de tapa buracos entre Lençóis e Itaberaba.

Grande abraço e até a próxima.

 

 

212 Comments on “BRASÍLIA-SALVADOR-NATAL DE CARRO

  1. Bom dia, Caro Abreu e demais amantes da rodagem, me chamo Helder e agora em março irei tirar nossas merecidas férias e o nosso destino, será Maceió ( rota do corais) e sempre tenho costume de vir aqui e me informar sobre as condições das estradas para esses lados. Notei que a rota que costumava fazer, quando subia ao nordeste ( PE.PB,RN, esta complicada no trecho da 020/242 né. Gostaria de saber de vc, mais uma vez meu amigo ABREU, pois, suas informações e conselhos, são seguidos a risca por mim, e sempre vou e retorno em segurança com minha família ( eu, esposa, e agora com 3 filhotes, dentre eles, dois menores de 6 anos). Peço a sua opinião e de qual melhor trajeto devo fazer, para ir de GOIANIA a MACEIÓ.

    desde já, deixo meu forte abraço e apreço ao BLOG, que sempre me ajudou e muito a curtir o melhor de minhas férias.

    Att

    Helder

    1. Olá, Helder. Bem-vindo de volta e obrigado por suas carinhosas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Já faz 4 anos (13.01.2017) que você nos visitou pela primeira vez. De lá para cá, o país mudou, o mundo mudou, a pandemia chegou, as suas crianças cresceram. Mas mania estradeira continua aí, não é? Vamos lá: na conexão BR 020-BR 242 há dois problemas. O primeiro é com a subida da Chapada Diamantina para quem chega lá no princípio da noite, com congestionamento de carretas, andando no escuro a 10 km por hora. Então, nossa recomendação é que as famílias parem para dormir antes de Lençóis, de forma a fazerem a subida nas primeira horas da manhã do dia seguinte. Isso significa pernoite em Seabra ou Ibotirama para quem sai de Brasília. Para você, que sairá de Goiânia (220 km a mais), suas alternativas são Barreiras ou Ibotirama. Vencida a subida da Chapada Diamantina ainda de manhã, o próximo obstáculo seria uma buraqueira entre Lençóis e Itaberaba. O negócio estava feio, mas o DNIT está atuando lá e, embora não tenha ficado “um tapete”, dá para vencer o trecho com atenção e paciência. Esses são os problemas do trecho BR 020-BR 242 que você mencionou. O restante continua como sempre, sem maiores problemas. Saindo de Goiânia cedinho, é possível chegar a Ibotirama (1.042 km depois) – com as paradas que as crianças exigem – por volta das 17 horas. No dia seguinte, você terá cerca de 1.100 km até Maceió. Pode parecer muito para as crianças, mas a expectativa de chegar à praia e ver o mar ajuda muito a mantê-las motivadas e ativas no segundo dia. Se elas se cansarem muito no primeiro dia, pense em dividir a viagem em três parcelas. Pernoite em Barreiras (880 km de Goiânia), no segundo dia na Praia do Forte (875 km de Barreiras) e chegue à capital dos Marechais depois de rodar 545 km no terceiro dia, por volta das 13 horas. Caso restem dúvidas, Helder, estamos a postos, OK?
      Um abração.
      Abreu

      1. Bom dia, meu caro Abreu.! Sim as coisas mudaram e muito né? kkk, mas sem dúvidas a vontade de vencer ainda persiste em todos. Excelente, então vou manter meu roteiro de antes e assim, seguir meu destino até Maceió sem problemas, me explica uma coisa, se por um acaso for optar por fazer esta parada em Praia do Forte, a distância aumentaria? Nós inclusive pensamos nessa possiblidade, apenas em nosso retorno, pois iriamos pegar a rodovia do COCO e aproveitar para passar em Itacimirim, temos amigos lá.
        Contudo, obrigado mais uma vez pelas valiosas dicas, e de suma importância sempre para mim, pois e através dessas valiosas dicas, que programo todo o meu roteiro sempre.
        Obrigado e bom dia meu amigo!

        1. Olá, Helder. Bem-vindo de volta. A viagem aumenta cerca de 80 km, mas número de caminhões que você encontrará na BR 101 é reduzido enormemente, além de se viajar pela beira-mar, pelo menos até Aracaju. Arembepe, Guarajuba, Itacimirim, Imbassaí, Praia do Forte, Costa do Sauípe… Há muita coisa bonita para se ver ali. Sempre lembramos aqui no blog que a viagem faz parte das férias, que começam quando você tira o carro da garagem para pegar a estrada. O objetivo não é apenas chegar ao destino, mas viver tudo de bom ao longo do percurso. Então, fique à vontade para escolher: uma opção é mais curta 80 km km, mas tem muitos caminhões; a outra é mais longa, mas é uma rota turística, quase sem carretas. Nossa família sempre escolhe a Estrada do Coco e a Linha verde quando vamos para Porto de Galinhas ou Praia de Pipa.
          Um abração.
          Abreu

  2. De Brasília a Porto de Galinhas

    Olá Sr. Abreu, boa noite !

    Aqui estou eu para contar como foi nossa viagem pela rota planejada em conjunto contigo.

    Deixamos Brasília (Sobradinho) no dia 02/01/21 as 04:30 hs. Seguimos pela (BR-020 e BR-242) Rota BSB – L.E.Magalhães – Barreiras – Ibotirama- Seabra.

    Chegamos em Seabra as 17:00 horas. Ainda era dia. Foram 1.000 km.

    As rodovias desse trecho estavam em boas condições de rodagem. Alguns trechos com deformidades no asfalto, mas sem buracos ou condições que atrapalhassem uma viagem segura e com média de velocidade de 100 a 110 km/h.

    A ressalva que faço são os últimos 50 km antes de chegarmos a Seabra. Esse trecho estava bem danificado e esburacado, muito ruim mesmo.

    No segundo dia continuamos com a rota de Seabra – Itaberaba – Ipirá – Feira de Santana – Camaçari – Aracaju.

    Até Itaberaba continuamos pela BR-242 e depois para Ipirá pela BA-233 e de Ipirá a Feira de Santana pela Estrada do Feijão BA-052.

    O trecho de rodovia até Itaberaba também estava muito ruim. Cheio de buracos e partes da camada superficial do asfalto se soltando em vários pontos da pista. Mas também nada tão impossível de dirigir com segurança e boa velocidade. Só precisei ficar bem mais atento.

    Outro trecho muito ruim de conservação da pista foi o pequeno trecho da BR-116 em Feira de Santana e o anel viário até a BR-324, que, embora seja uma rodovia pedagiada, estava muito ruim e mal conservada até Camaçari.

    Nesse dia (03/01) rodamos 742,5 KM, das 05:00 hs até as 17:00 e chegamos em Aracaju pela Estrada do Coco (BA-099) e depois em Sergipe pela SE-100.

    Um detalhe é que pegamos muito trânsito desde a entrada em Sergipe, pois as praias e região estavam lotadas de turistas.

    A pista, depois que deixamos Estrada do Coco, já não tinha a mesma qualidade, mais estreita e sem acostamentos, algumas deformidades e buracos na pista, mas novamente em condições de boa segurança na viagem.

    O problema mesmo foi o enorme número de veículos e sem condições de ultrapassagem, o que acabou nos atrasando a chegar mais cedo em Aracaju.

    E isso aconteceu porque usei o Waze quando estava na BA-099 indo para Aracaju e o aplicativo me mandou seguir pela SE-100 e não pela BR-101 que era minha rota inicial traçada pelo Google Maps.

    Bem, vamos para o 3º dia de viagem.

    Saímos de Aracaju as 06:00 hs do dia 04/01
    pela rodovia BR-101 com destino a Porto de Galinhas.

    A Rota foi Aracaju – Propriá – Teotônio Vilela – São Miguel dos Campos – Messias – Palmares e deveríamos ir até depois de Escada e pegar a PE-042, mas infelizmente aconteceu de novo do Waze me mandar para outro caminho, onde descemos em Gameleira pela PE-073, uma estrada estreita, muito danificada e com muitos quebra-molas sem sinalização no percurso e que cortava a zona rural de fazendas de cana de açúcar. Acabamos por passar por Sirinhaém e pegar mais trânsito de carros de pessoas indo e vindo das praias.

    Isso nos fez atrasar 2 horas a chegada em Porto de Galinhas, mas fora o atraso de tempo não houve maiores problemas.

    Mas voltando a BR-101 os primeiros 80 KM saindo de Aracaju estão péssimos. A rodovia está passando por obras de duplicação e tem trânsito pesado de caminhões e muitos veículos. Depois que deixamos Sergipe pegamos ótimos trechos duplicados da BR-101 em Alagoas. Mas em alguns trechos a pista volta a ficar simples.

    Durante todo percurso em Alagoas a rodovia tem longos trechos duplicados e ótimos para rodagem e alguns trechos de pista simples e de congestionamento de veículos, principalmente por conta dos caminhões.

    Depois que entramos em Pernambuco todo o trajeto foi de pista duplicada. Uma maravilha.

    Bem, conseguimos chegar conforme o planejado, embora com duas mudanças involuntárias do trajeto em Sergipe e Pernambuco.

    Quero agradecer muito sua colaboração preciosa e dos demais motoristas que compartilharam em seu Blog as informações mais que imprescindíveis para o sucesso de nossa viagem.

    Agora estamos aqui curtindo e nos divertindo nesse paraíso de Porto de Galinhas.

    Até a volta meu Rei.

    Muito obrigado.

    1. Olá, Claudner, nosso caro farmacêutico-bioquímico como dois de nós Abreu que assinamos esse blog!! Bem-vindo de volta e muitíssimo obrigado por sua disposição de compartilhar conosco suas vivências ao longo da viagem, particularmente pelo espetacular detalhamento do seu relato, que praticamente nos leva à ilusão de ter estado a bordo com você e sua família. Contribuições como essa sua, Claudner, sempre foram nosso sonho. Sempre soubemos, desde o começo, em 2007, que seria impossível acompanharmos todas as estradas durante todo o ano, a não ser que nossos visitantes trouxessem as informações mais recentes e úteis para quem está planejando sua viagem. Há um processo histórico curioso na realização desse sonho. Inicialmente, bem no início mesmo, percebemos que as pessoas viam o blog, mas não comentavam. Consideramos natural, dados os perigos da internet, os golpes, as fraudes, etc. Depois, alguns mais ousados ou mais ansiosos ou mais curiosos começaram a comentar, timidamente. Mas nossas estatísticas mostravam que havia quase 100 vezes mais pessoas “atrás do toco”, só observando. Na primeira vez que um dos nossos visitantes começou o comentário dizendo “acompanho vocês há três anos e agora achei que era a hora contribuir para o trabalho do blog descrevendo minha viagem”, vibramos de alegria: era o primeiro sputnik que entendeu o nosso objetivo e acreditou que não havia perigo, apenas uma ideia de compartilhar informações. A partir daí, timidamente, as coisas começaram a acontecer como nós lá atrás sonhávamos, ou seja, sermos um grupo de pessoas que aproximam umas das outras, para dividir informações sobre um gosto comum: viajar de carro. Nós não tivemos muito sucesso durante os primeiros tempos, porque, naquela época (começamos em 2007), as pessoas conseguiam viajar de Brasília para Salvador de avião por R$ 120,00 de ida e volta. Então, as pessoas não viajavam de carro. Hoje, uma passagem de ida e volta para a Boa Terra está custando entre R$ 1.800,00 e R$ 2.300,00. Quem faz conta, rapidamente percebe que a viagem de carro tornou-se uma opção atraente. E a curiosidade por essa alternativa aumentou a galera “atrás do toco”, que evoluiu para comentar, para discutir e, finalmente, para explicar que “já acompanho vocês há algum tempo…”. Então, Claudner, pessoas como você e tantos outros que têm a disposição de retornar e colocar sua contribuição informativa à disposição de todos nós são um presente para nós. Aproveite o máximo possível esse pedaço de paraíso que é Porto de Galinhas. Nós nos conformamos em por poder curtir o seu relato. E agradecemos muito por isso!
      Um abração.
      Abreu

  3. Meu caro Abreu, outra uma vez obrigado pelas dicas. Mais uma vez você nos fortalecendo com ótimas sugestões. Saindo aqui da Ceilândia por volta das 5 da manhã, onde você sugeriria que eu pernoitasse indo por Itabuna? Fazendo um cálculo para dormir a segunda noite em Alagoas, Maceió ou Maragogi. Imagino que seja possível. Desde já agradeço. Abraço

  4. Abreu,
    Se você me permitir, fiz um breve resumo de toda a jornada, para facilitar a leitura.
    Trecho Brasília x Maceió x Brasília
    Saída – 07 Dez 2020 – Retorno – 23 Dez 2020
    Ida:
    BR 020 Brasília x Posto Rosário:
    Trecho em boas condições gerais, trepidando um pouco entre Formosa e Flores de Goiás, sem buracos.
    BR 349 Correntina x Bom Jesus da Lapa:
    Trecho em boas condições, exceto km 38 e km 76 após trevo com a BR020, com buracos que chegam “de surpresa”. Melhor reduzir a velocidade nesse trecho.
    BA160 – Bom Jesus da Lapa x Ibotirama:
    Asfalto refeito e reinaugurado no início de dezembro, em ótimas condições, sem observações.
    BR242 – Ibotirama x Lençóis:
    Pista boa, sinal de serviço de tapa buracos feito recentemente, sem maiores problemas.
    Subida entre Seabra e Lençóis sem pontos de ultrapassagem, trânsito intenso de caminhões carregados.
    Trecho do trevo da BR242 para a cidade de Lençóis com muitos buracos.
    BR 242 – Lençóis x Itaberaba:
    Bastante buracos, trânsito intenso de caminhões carregados. Serviço tapa buracos feito recentemente já deteriorou. Piores trechos em Ruy Barbosa e Povoado São João.
    BA 233 e BA 120 Itaberaba x Feira de Santana:
    Trecho bom no primeiro e no segundo, após Ipirá, obras de recuperação em andamento, no sistema Pare e Siga. Viagem mais lenta que o habitual, precisa de atenção com buracos na BA120 e com as obras.
    BR 324 Feira x Salvador:
    Pista dupla em ótimas condições, com pedágios e muitos caminhões.
    BA099 Estrada do Côco e depois Linha Verde:
    Ótima pista, pedágio, sem observações.
    SE 100 SE 368 e BR101 – Div BA x SE x Estãncia, Arcaju x São Miguel dos Campos (AL):
    SE 100 e 368, pistas irregulares, trepida bastante, acostamento quase inexistente no trecho, mas sem muitos buracos.
    BR 101 parte duplicada dos dois estados, melhor em Alagoas. Os trechos duplicados estão ótimos, nos demais, muitos caminhões e lentidão.
    AL 220 e AL 101 São Miguel x Maceió
    Ótimas pistas, trecho da AL 220 utilizado e posteriormente da AL101 totalmente duplicados.

    VOLTA
    AL 101 Maceió x Penedo:
    Boas condições, AL 101 duplicada até entroncamento com AL 220 Segue em pista simples, mas em boas condições.
    Travessia do São Francisco via balsa em Penedo, tranquila, sem filas. R$ 28,00 por veículo, menos de 10 minutos de travessia.

    SE 335 até BR 101:
    Trecho bem irregular, pista defeituosa, trepida muito, buracos ocasionais, mas perigosos pela profundidade. Velocidade reduzida entre 70 e 80 km/h diminuem os riscos e o desconforto no trecho.

    BR 101 até Aracaju:
    Parte duplicada em perfeitas condições, trecho sem duplicação, perto de Maruim (SE) com muita lentidão.

    SE 100 Aracaju x Divisa BA:
    Pista em boas condições até perto de Indiaroba, pouco movimento, viagem muito tranquila. Trecho final até divisa com Bahia com pista irregular, mas sem buracos.

    BA 099 – Divisa SE até Salvador:
    Pista em ótimas condições, sem observações, com pedágio

    BR324 – Salvador x BR 101:
    Pista dupla, boas condições, pedágio

    BR101 Entroncamento BR324 até entroncamento BR 420
    Pista em boas condições, mas muito cheia de carretas e caminhões, poucos pontos de ultrapassagem, muita lentidão até Cruz das Almas e mais próximo a Santo Antonio de Jesus, também.

    BR420 – Entre BR 101 e BR 116
    Não use, esqueça esse trecho, não vale a pena. MICO, como diz o Abreu, buracos, buracos e mais buracos. Quando cansar dos buracos, lombadas das cidades e mais buracos, começando tudo de novo.

    BR116 Entre BR420 e Vitória da Conquista
    Pista boa, pedágios, mas bastante carretas. Trecho que exige paciência e muita atenção com as manobras dos grandões.

    BA 262 Conquista a Brumado
    Pista ótima, sem observações.

    BR 030 e BR430 Brumado x Caetité x Bom Jesus da Lapa
    BR030 Pista em ótimas condições
    BR430 Pista regular, estreita, sem acostamento, exige atenção, principalmente no trecho de serra após Caetité.

    O restante do trecho pode ser usado como referência os comentários da IDA, sobre BR 020 e BR 349.

    Minha sugestão pessoal, se o amigo Abreu permitir esse abuso, seria IR via Vitória da Conquista, Itabuna, Feira de Santana e VOLTAR por Feira, Ipirá, Ibotirama, Bom Jesus da Lapa, se confirmado serviço de tapa buracos entre Lençóis e Itaberaba.

    Grande abraço e até a próxima.

    BR 020 –

    1. Caríssimo companheiro Júlio Dam, nós e muitas famílias que por aqui passam ficaremos profundamente gratos a você. Que conjunto notável de notícias, das quais temos estado tão em falta, em função da paralisação das viagens em decorrência da pandemia. Essa sua disposição e esse empenho de retornar aqui e compartilhar sua experiência é um exemplo muito bonito para todos os que por aqui passam e, particularmente para nós, uma vez que é um velho sonho que alimentamos: ver um dia o blog andar sozinho, como um fórum de trocas de informações sobre viagens rodoviárias pelo Brasil entre nossos visitantes. Muito obrigado em nome de todos, Júlio. E, claro, já vamos recortar e colar suas duas postagens de hoje no corpo do post, como fizemos com os outros relatos seus. Não desapareça, Júlio, queira-nos bem e dê notícias, viu?
      Um abraçaço!
      Abreu

  5. Olá Abreu e demais companheiros de viagem.
    Finalizamos nosso roteiro de férias e venho aqui, conforme o prometido, concluir o relato dessa jornada.
    Vou detalhar um pouco esse trecho final.
    O roteiro de volta foi Maceió até Aracaju foi via AL101 até Penedo e travessia de balsa do rio São Francisco. Este trecho está em perfeitas condições, pouco tráfego de caminhões. A partir daí, pegamos a SE100, que está bem irregular, trepida muito. Fomos assim até a BR 101, que está parte duplicada. No trecho ainda de pista simples, muitos caminhões e zero condições de ultrapassagem.
    Ficamos alguns dias em Aracaju e minha tripulação retornou para Brasília de avião. Deixei-os no aeroporto no horário do voo, por volta de 16h30 e segui rumo a Salvador, via Linha Verde. Foi a melhor opção em relação ao trecho da 101 que passa por Estância. Pouquíssimo movimento, asfalto em ótimas condições e ultrapassei somente dois caminhões pequenos até chegar ao entroncamento que leva à BA099. A partir da BA099, o movimento aumentou consideravelmente, mas o tráfego fluiu normalmente, permitindo que eu chegasse para pernoite próximo ao aeroporto de Salvador por volta das 20:15.
    No dia seguinte, era hora da decisão sobre o caminho de volta. Aí cometi meu primeiro erro. Fiquei em dúvida sobre o caminho a seguir, se via Chapada Diamantina, como na ida, se via Feira de Santana e Vitória da Conquista ou seguir o conselho do Abreu e seguir via Itabuna e depois Vitória da Conquista e Brumado. Esta dúvida não existiria se estivesse com a família. Seria a opção indicado pelo Abreu e ponto final.
    O erro foi deixar para decidir o roteiro já em trânsito, o que me levou a escolher a saída original pela BR 101 até Itabuna e uma vez na 101, ficar pensando se outro caminho não seria melhor. Isso me levou ao segundo erro, inaceitável para quem já tem experiência de 30 anos de estradas. Na 101, encontrei muito, mas muito movimento de carretas e caminhões. Com a pista cheia de curvas, sobe e desce e muito movimento, ficava sem pontos de ultrapassagens, mesmo com um Cruze turbo. Nos primeiros 15 ou 20 minutos pensei em retornar e seguir via Ipirá e Chapada, mas continuei seguindo em frente, pensando que o trecho seria mais tranquilo após Cruz das Almas, mas, doce ilusão. Aí cometi o terceiro erro da jornada. Acabei usando a BR420, para sair perto de Jequié, na BR116 e dali seguir para Vitória da Conquista. Lembrei de você, Abreu, cada km dos 130 km do trecho. Não usar essas estradas perpendiculares, por mais que o Waze ou o Google Maps, indiquem um tempo menor de viagem até Conquista ou até Brumado. No início, assim que saí da BR 101, parecia que tinha feito uma ótima escolha, mas 5 km depois, toda a ilusão foi desfeita. Pista estreita, sem acostamento, muitos buracos, crateras, panelas e lombadas, muitas, a cada pequeno vilarejo ou cidade até chegar na BR116. Foram três horas nesses cento e poucos km.
    Tudo isso seria evitável se tivesse ao menos ligado para a PRF e checado se o Dnit havia tapado os buracos da BR 242, no trecho Itaberaba a Lençóis ou seguido o roteiro “familia”, proposto pelo Abreu.
    Expiados os “pecados”, vamos em frente.
    De Jequié até Conquista, encontrei muitas carretas, conforme os relatos já indicados aqui, mas nada diferente do que vi na BR101, exceto o trecho ser mais plano e com mais pontos de ultrapassagem, o que certamente incentiva os grandões a forçarem algumas ultrapassagens. Mas é tenso e exige bastante atenção. A pista está em boas condições.
    Cheguei à Conquista 16h30 e segui para Brumado, chegando lá pouco antes das 18 horas, ainda dia. A BA262 está em excelentes condições.
    Pernoite em Brumado, saí com o dia amanhecendo (04h30) via BR030 até Caetité, pista também excelente. Aí segui pela BR430 até Bom Jesus da Lapa. Pista um pouco irregular no início, estreita, sem acostamento em todo o trecho, sem contar a serra com alguns paredões de pedra nos dois lados, deixando a margem de erro a zero.
    De Bom Jesus, segui pelo trecho já conhecido da BR349, que apresenta mais buracos do que na ida, no trecho entre Correntina e Posto Rosário, piores nos KM 78 e Km36 antes do Rosário, mas já exige redução da velocidade e mais atenção nesse trecho. Depois do Rosário até Brasília, muito movimento por conta da antevéspera de natal. Cheguei em Brasília 14h15, sem intercorrências.

  6. Boa noite amigos, recentemente (agosto) fiz a rota Brasília porto seguro / porto seguro Brasília, fiz aqui um rico comentário sobre as condições das estradas,agora retorno pra pedir a vcs nobres amigos e vc grande Abreu me dêem dicas de como está a rota Brasília-feira de Santana-Aracaju- Maceió, estou pretendendo sair sábado 26 e fazer a rota do primeiro dia até lençóis ou Itaberaba,e do segundo dia dormir em Aracaju e depois chegar ao destino Maceió na casa de familiares, o retorno será sem a passagem em Aracajú, como li praticamente todos os comentários de vários posts aqui do site, vi que passaram pessoas nas estaduais ( St Maria da vitória a javi “172” e também de bom Jesus da Lapa a Ibotirama “160”) sei que o amigo Abreu não concorda com essas transversais estaduais mas os relatos foram encorajadores dizendo que essas rodovias estão “novas” , então enfim queria uma opinião sobre alguma dessas rodovias se alguém passou mais recentemente e indica, ou farei o trecho comum por Luis Eduardo e Barreiras seguindo a 242 ?
    Desde já muito agradecido, abraços, e chegando em Maceió faço o resumo detalhado do trecho BSB Aracajú Maceió e o retorno Maceió BSB

    1. Caro Oziel, bem-vindo de volta. Transcrevemos abaixo comentário do Júlio Dam, postado hoje e que trata das suas principais dúvidas. O comentário foi postado aqui mesmo no blog, no post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, publicado no nosso site localizado no endereço http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também se encontra o post “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”. Embora você já deva estar na estrada, acreditamos que o Júlio Dam esteja trazendo informações importantes para você:
      Transcrição abaixo:

      Abreu,
      Se você me permitir, fiz um breve resumo de toda a jornada, para facilitar a leitura.
      Trecho Brasília x Maceió x Brasília
      Saída – 07 Dez 2020 – Retorno – 23 Dez 2020
      Ida:
      BR 020 Brasília x Posto Rosário:
      Trecho em boas condições gerais, trepidando um pouco entre Formosa e Flores de Goiás, sem buracos.
      BR 349 Correntina x Bom Jesus da Lapa:
      Trecho em boas condições, exceto km 38 e km 76 após trevo com a BR020, com buracos que chegam “de surpresa”. Melhor reduzir a velocidade nesse trecho.
      BA160 – Bom Jesus da Lapa x Ibotirama:
      Asfalto refeito e reinaugurado no início de dezembro, em ótimas condições, sem observações.
      BR242 – Ibotirama x Lençóis:
      Pista boa, sinal de serviço de tapa buracos feito recentemente, sem maiores problemas.
      Subida entre Seabra e Lençóis sem pontos de ultrapassagem, trânsito intenso de caminhões carregados.
      Trecho do trevo da BR242 para a cidade de Lençóis com muitos buracos.
      BR 242 – Lençóis x Itaberaba:
      Bastante buracos, trânsito intenso de caminhões carregados. Serviço tapa buracos feito recentemente já deteriorou. Piores trechos em Ruy Barbosa e Povoado São João.
      BA 233 e BA 120 Itaberaba x Feira de Santana:
      Trecho bom no primeiro e no segundo, após Ipirá, obras de recuperação em andamento, no sistema Pare e Siga. Viagem mais lenta que o habitual, precisa de atenção com buracos na BA120 e com as obras.
      BR 324 Feira x Salvador:
      Pista dupla em ótimas condições, com pedágios e muitos caminhões.
      BA099 Estrada do Côco e depois Linha Verde:
      Ótima pista, pedágio, sem observações.
      SE 100 SE 368 e BR101 – Div BA x SE x Estãncia, Arcaju x São Miguel dos Campos (AL):
      SE 100 e 368, pistas irregulares, trepida bastante, acostamento quase inexistente no trecho, mas sem muitos buracos.
      BR 101 parte duplicada dos dois estados, melhor em Alagoas. Os trechos duplicados estão ótimos, nos demais, muitos caminhões e lentidão.
      AL 220 e AL 101 São Miguel x Maceió
      Ótimas pistas, trecho da AL 220 utilizado e posteriormente da AL101 totalmente duplicados.

      VOLTA
      AL 101 Maceió x Penedo:
      Boas condições, AL 101 duplicada até entroncamento com AL 220 Segue em pista simples, mas em boas condições.
      Travessia do São Francisco via balsa em Penedo, tranquila, sem filas. R$ 28,00 por veículo, menos de 10 minutos de travessia.

      SE 335 até BR 101:
      Trecho bem irregular, pista defeituosa, trepida muito, buracos ocasionais, mas perigosos pela profundidade. Velocidade reduzida entre 70 e 80 km/h diminuem os riscos e o desconforto no trecho.

      BR 101 até Aracaju:
      Parte duplicada em perfeitas condições, trecho sem duplicação, perto de Maruim (SE) com muita lentidão.

      SE 100 Aracaju x Divisa BA:
      Pista em boas condições até perto de Indiaroba, pouco movimento, viagem muito tranquila. Trecho final até divisa com Bahia com pista irregular, mas sem buracos.

      BA 099 – Divisa SE até Salvador:
      Pista em ótimas condições, sem observações, com pedágio

      BR324 – Salvador x BR 101:
      Pista dupla, boas condições, pedágio

      BR101 Entroncamento BR324 até entroncamento BR 420
      Pista em boas condições, mas muito cheia de carretas e caminhões, poucos pontos de ultrapassagem, muita lentidão até Cruz das Almas e mais próximo a Santo Antonio de Jesus, também.

      BR420 – Entre BR 101 e BR 116
      Não use, esqueça esse trecho, não vale a pena. MICO, como diz o Abreu, buracos, buracos e mais buracos. Quando cansar dos buracos, lombadas das cidades e mais buracos, começando tudo de novo.

      BR116 Entre BR420 e Vitória da Conquista
      Pista boa, pedágios, mas bastante carretas. Trecho que exige paciência e muita atenção com as manobras dos grandões.

      BA 262 Conquista a Brumado
      Pista ótima, sem observações.

      BR 030 e BR430 Brumado x Caetité x Bom Jesus da Lapa
      BR030 Pista em ótimas condições
      BR430 Pista regular, estreita, sem acostamento, exige atenção, principalmente no trecho de serra após Caetité.

      O restante do trecho pode ser usado como referência os comentários da IDA, sobre BR 020 e BR 349.

      Minha sugestão pessoal, se o amigo Abreu permitir esse abuso, seria IR via Vitória da Conquista, Itabuna, Feira de Santana e VOLTAR por Feira, Ipirá, Ibotirama, Bom Jesus da Lapa, se confirmado serviço de tapa buracos entre Lençóis e Itaberaba.

      Grande abraço e até a próxima.

  7. Boa noite amigos, recentemente (agosto) fiz a rota Brasília porto seguro / porto seguro Brasília, fiz aqui um rico comentário sobre as condições das estradas,agora retorno pra pedir a vcs nobres amigos e vc grande Abreu me dêem dicas de como está a rota Brasília-feira de Santana-Aracaju- Maceió, estou pretendendo sair sábado 26 e fazer a rota do primeiro dia até lençóis ou Itaberaba,e do segundo dia dormir em Aracaju e depois chegar ao destino Maceió na casa de familiares, como li praticamente todos os comentários de vários posts aqui do site, vi que passaram pessoas nas estaduais ( St Maria da vitória a javi “172” e também de bom Jesus da Lapa a Ibotirama “160”) sei que o amigo Abreu não concorda com essas transversais estaduais mas os relatos foram encorajadores dizendo que essas rodovias estão “novas” , então enfim queria uma opinião sobre alguma dessas rodovias se alguém passou mais recentemente e indica, ou farei o trecho comum por Luis Eduardo e Barreiras seguindo a 242 ?
    Desde já muito agradecido abraços, e chegando em Maceió faço o resumo detalhado do treco BSB Maceió e o retorno Maceió BSB
    Desde já agradeço

  8. Olá! Primeiramente parabenizo pelo blog, são informações importantíssimas. Agradeço por compartilhar conosco suas experiências. Estamos programando uma viagem de Brasília à Porto de Galinhas, e após alguns dias iremos à Maceió. Nessa viagem iremos em 3 carros com algumas crianças nenhum idoso. Qual trajeto indica direto para Porto de Galinhas? Vi que tem alguns trajetos mais comentados (por, CORRENTINA, por BARREIRAS ou por Montes Claros-MG) No entanto eu queria, na ida, fugir do trecho que vai por FEIRA DE SANTANA, priorizando esse trajeto na volta pra casa. Indicaria outro percurso? exemplo: por PETROLINA? Pergunto tudo isso somente no critério de olhar no MAPA. Gostaria de saber desse trecho por PETROLINA com relação as condições de Rodovia, segurança, pontos de apoio e etc.

    1. Olá, Eduardo. Bem-vindo ao nosso blog e obrigado por suas carinhosas palavras de estímulo ao nosso trabalho. Se entendemos bem, você quer ir para Porto de Galinhas por uma rota e voltar por outra. Isso é perfeitamente possível, mas esqueça a rota por Petrolina. A hipótese de ir pela rota de Barreiras até 100 depois da entrada de Lençóis e subir para Ruy Barbosa-Baixa Grande-Capim Grosso-Senhor do Bomfim-Petrolina-Orocó-Cabrobó-Salgueiro-pegar a BR 232 para Serra Talhada-Arcoverde-Caruaru e, de lá, para Porto de Galinhas tem um pecado mortal: você vai atravessar o chamado “Polígono da Maconha”, região dominada pelo tráfico de drogas, com tantos crimes violentos, assaltos e abordagens inesperadas, que a Polícia Rodoviária Federal sugere (sugere significa “ordena”) que não se trafegue por ali à noite e que os motoristas, preferencialmente, devem organizar-se em comboios a serem escoltados pela própria PRF, quando isso é possível. Até outro dia, tínhamos aqui um carro de turistas atingido por centenas de tiros de fuzil naquela área. Um horror. Então, vamos passar o apagador nisso tudo e vamos desenhar uma rota mais segura e sem tantas emoções fortes para você e sua família. Saia de Brasília pela rota Correntina-Bom Jesus da Lapa-Brumado-Vitória da Conquista-Itabuna-BR 101-BR 324-Estrada do Coco-Linha Verde-Aracaju-Maceió-Escada-Porto de Galinhas. No retorno, pegue a BR 101 em Escada e siga por ela até Alagoinhas e a intersecção com BR 324, a 21 km de Feira de Santana. Há uma versão alternativa interessante nesse retorno: você pode ir de Escada para Caruaru, e, 20 km depois, pegar a BR 423 para Delmiro Gouveia. Ali, você poderá retornar à BR 101 em Aracaju, mas tendo a oportunidade de conhecer o Cânion do São Francisco e a represa do Xingó, um dos passeios mais maravilhosos que nossa família já teve oportunidade de fazer nessas andanças pelo Brasil. O passeio pelo Cânion é uma experiência inesquecível e as empresas turísticas que transportam os visitantes sabem fazer subir a emoção dos visitantes, tanto pelo visual, quando pela trilha musical. Ao lado da represa, há um pequeno museu, com o material recolhido no local por arqueólogos antes do enchimento da barragem (exigência legal). E você tem oportunidade de ver utensílios de cozinha, armas de caça, cerâmicas usadas pelos brasileirinhos que moravam naquela área 10.000 anos atrás. É de chorar, Eduardo. É uma sensação muito forte de brasilidade, que vai muito além de Pedro Álvares Cabral e seu descobrimento. É uma prova documental de que o Brasil é muito mais do que os 520 anos que aprendemos na escola. Lá perto, no município de Poço Redondo, está a Grota do Angico, onde morreram Lampião e Maria Bonita. Como diria um programa de rádio, “É Brasil que não acaba mais”, Eduardo. Bem, é o que temos para sugerir a você. Conforme sua decisão, poderemos agregar mais alguns aspectos informativos. Tudo depende de suas escolhas. Só insistimos em um ponto, Eduardo: forget Petrolina! No mais, a gente se ajeita. Se restarem dúvidas, Eduardo, retorne: será um prazer você a ir e voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Que maravilha! Muito obrigado por tudo! São dicas maravilhosas e importantíssimas. Sou da área de segurança pública e pouco conheço dessa região que tinha intensão de trafegar, com suas informações certamente optaremos por suas sugestões. Como falei, viajaremos em Março/21 e compartilharei aqui como foi nos trajetos. Muito obrigado!

  9. Olá Abreu, retornamos aqui conforme o prometido, para atualizações do trecho final de ida de nossa viagem de Brasília a Maceió.
    Após alguns dias recarregando as nossas baterias em Guarajuba (BA), seguimos com destino à Maceió. Usamos a excelente BA099 até a divisa com Sergipe, onde a rodovia recebe o nome de SE100, Camilo Calazans de Magalhães, que era presidente do BB em 1986, quando entrei no Banco.
    A rodovia em geral está em estado razoável de tráfego, é estreita e com pouquíssimos buracos, quase sem acostamento também. Passa por muitos trechos urbanos, com lombadas que não acabam mais. Um pouco depois de Indiaroba (SE), pegamos a SE368, sentido Estância (SE) e BR 101, que é atingida poucos km antes da cidade. A SE 238 apresenta alguns buracos, poucos, fáceis de desviar, mas estava com tráfego intenso de caminhões.
    Uma vez na BR101, seguimos por uma pista que alterna entre parte duplicada e parte de pista simples, sendo os últimos 60 km antes do Rio São Francisco quase todo duplicado.
    Nas Alagoas, alterna pequenos trechos sem duplicação ou outros duplicados, até o entroncamento com a AL122. A pista em geral é de boa qualidade, mas nos trechos de mão dupla a viagem não rende por causa das imensas carretas, poucos pontos de ultrapassagem e tráfego intenso.
    Um ponto que me chamou a atenção é de nos trechos já duplicados, a pista é de concreto, perfeita. Alguns trechos já receberam uma camada de asfalto sobre o concreto, deixando a rodagem macia, diminuindo bem o ruído dos pneus e deixando um bom conforto ao rodar.
    Nas AL122 e AL101, usadas para chegar a Maceió, pista dupla por todo o trajeto, com ótima qualidade de asfalto.
    Para quem viaja com crianças, como é nosso caso, fica um pouco cansativa, pois sempre tem alguém querendo banheiro ou paradinha para esticar as pernas.
    Uma dica importante, citada pelo amigo Abreu, é de sempre buscar rotas com apoio de cidades maiores por perto, 100 km antes ou depois, para o caso de necessidades de socorro mecânico ou médico. Nós precisamos de atendimento para meu menino ainda em Guarajuba, então nos deslocamos até Salvador, uns 40 min de viagem, onde fomos bem atendidos e os perrengues devidamente tratados.
    Para a volta estamos num dilema. Eu prefiro voltar pelo mesmo trecho de vinda, via Chapada Diamantina. Minha navegadora ficou assustada com os buracos e caminhões dançando na BR242 para desviar dos buracos e preferia voltar via Vitória da Conquista.
    Essa opção deixa o motorista aqui preocupado, porque teremos um longo trecho de uns 500 km na BR116 até Conquista, recheado de carretas, conforme relatos aqui descritos.
    Ainda está em análise a possibilidade dela e a criança menor (quem sabe a maior tb), voltarem de avião de Aracaju, nossa última parada nessas férias.
    Quando estiver resolvido, faremos aqui o relato do trecho de volta, seja qual for o caminho optado.
    Aceito de bom grado sugestões suas, Abreu, ou quem sabe dos companheiros de viagem mais experientes para o retorno.
    Grande abraço.
    Julio
    Em Estância

    1. Olá, Júlio. Você viu que mandamos pintar os meios-fios de branco e contratar foguetório para esse seu retorno ao nosso blog, não é? São nossas boas-vindas que lhe damos por trazer uma quantidade formidável de informações atualizadas para essa rota tão importante dentro do nosso trabalho. A respeito do seu relato propriamente dito, conforme sua autorização anterior, vamos recortá-lo e colá-lo no corpo do post, para que nossos leitores tenham uma visão integral e coerente da viagem que você está fazendo. Quanto às suas preocupações com a volta, relaxe: se você observar nossos posts “Brasília-Salvador de carro”, “Brasília-Ilhéus de carro”, “Brasília-Morro de São Paulo e Guaibim de carro”, verá que, para casos como o seu, nossa recomendação é a rota que nossa própria família vem fazendo, depois dos desagradáveis problemas que apareceram na rota por Barreiras nos últimos três anos e o inferno de carretas em que se transformou a BR 116 entre Feira de Santana e Vitória da Conquista. Nesses posts, Júlio, nossa orientação às famílias é rodarem um pouco mais e fazerem uma viagem tranquila e segura pela rota da BR 101. Ao descer de Guarajuba na volta e chegar à BR 324, pegue a BR 101 cerca de 21 km antes de Feira de Santana, siga para Santo Antônio de Jesus e chegue a Itabuna, onde você pegará a BA 130 à direita para Vitória da Conquista. Ali, você deverá apanhar a BA 262 para Brumado e, a seguir, a BR 030, a BR 430, BR 349 e BR 020 para a Capital Federal. Todas essas estradas estão em bom estado, o tráfego de caminhões é mínimo, com exceção, é claro, no trecho da BR 101, mas nada que se compare ao caminhonaço permanente da BR 116. Agora vou fazer duas considerações finais:
      a) nossa família fez essa viagem (Brasília-Salvador-Natal de carro) em julho do ano passado (eu, minha navegadora há 45 anos, nosso filho mais velho e a esposa dele). Fizemos exatamente todo esse trajeto que você fez até agora e prosseguimos para Maceió, Recife, Porto de Galinhas, Natal e Praia de Pipa. No retorno a Brasília, passamos por grave problema de saúde na família, que posteriormente se resolveu. Por causa disso, nós nos esquecemos totalmente de postar a história daquela viagem aqui no blog e só descobrimos isso hoje, com o seu relato de hoje! Estamos consternados com a traição que fizemos ao nosso próprio trabalho. Mas acreditamos firmemente que os Anjos da Guarda são feitos para isso: para suprir as falhas dos que pisam na bola. E você foi o Anjo da vez!
      b) quando você entrou no BB, eu e minha navegadora Ivanizes já estávamos lá desde 1971. Trabalhei diretamente com o Presidente Calazans naquela época, fui Chefe do Funci até 96, Superintende da UEN Seguridade, diretor da Brasilcap e da BBTur, onde me aposentei em 2004. Muito bom sabê-lo integrante da Casa.
      Um especial abraço, Júlio!
      Abreu

      1. Abreu, obrigadíssimo pelas dicas do retorno, vou seguí-las à risca. Obrigado também por suas palavras de consideração. Lendo seus relatos e respostas é como se embarcássemos juntos nas suas viagens. Chegando em Brasília finalizo as atualizações do trecho.
        Grande abraço.

  10. Abreu, boa noite, tudo bem?
    Segue um breve resumo de nossa viagem de Brasília a Maceió, iniciada em 07 de dezembro de 2020, ainda em trajeto de ida.
    Após ler e reler sugestões e comentários do EXPRESSÃO DA LIBERDADE, resolvemos sair de Brasília, seguindo por Correntina, Santa Maria da Vitória , com primeiro pernoite em Bom Jesus da Lapa. A opção pelo roteiro foi de sugestões, conforme disse acima, mas também após ler reportagem de que o governo da Bahia inaugurara no último dia 02 a restauração do pavimento da BA160, entre Bom Jesus e Ibotirama. Como fazia muito tempo desde a última vez que usei o trecho (20 anos), resolvemos seguir nesse planejamento, apesar das muitas recomendações suas, Abreu, mais do que sensatas, de não cair da tentação de usar as transversais entre a BR349 e a BR242.
    Por uma série de imprevistos acabamos saindo de Brasília depois do almoço, alcançando Bom Jesus da Lapa poucos minutos antes da 20 horas. Não temos costume de percorrer trechos noturnos, ainda mais pelas estradas do nordeste, mas assim o fizemos por um período curto de tempo e distância, com extremo cuidado, mas não recomendamos.
    Sobre este trecho, pegamos muito movimento de Formosa até Alvorada do Norte, mais caminhões que o costumeiro. Bem mais. O asfalto está de bom para regular desde Formosa até Vila Boa, com alguns afundamentos e rachaduras que já deixam rastros de lama após chuvas. Suspensão trepidou bastante neste trecho. Após Vila Boa, segue em bom estado até a divisa GO/BA, onde também já se observa desgaste com afundamentos de pista e rachaduras, ainda sem trilhos de rodas, mas a caminho de…
    Nos primeiros 30 minutos após o trevo com a BR020, a BR349 apresenta vários buracos em formação. Um trecho de 20 metros já está sem asfalto, uns 20 minutos depois de entrar na rodovia. Após esse trecho, o asfalto está em boas condições, apesar de bastante ondulações, onde meus tripulantes disseram que parecia montanha russa, e olha que parecia mesmo. Fica bom mesmo uns 80 km antes de Correntina.
    O restante do trecho até Bom Jesus apresenta-se bom de forma geral, tirando alguns buracos pequenos, mas que não atrapalham. O ruim é somente a pista estreita, sem acostamento na 349.
    Pernoite feito, visitamos o santuário de Bom Jesus logo cedinho, e por volta das 09, seguimos para Ibotirama. Expectativas mais que atendidas no novíssimo asfalto da BA160, em perfeitas condições. Entramos na BR242, sentido Lençóis, onde encontramos trechos com pouco movimento e outros bem intensos. Observamos vários buracos tapados, numa operação de boa qualidade , durante todo o trecho. Asfalto trepidando bastante, uns 100 km depois de Ibotirama até Lençóis, com afundamentos de pavimento e com rachaduras , que deixam a viagem desconfortável.
    Trecho de subida da serra antes de Seabra em boas condições, com terceira faixa.
    O ruim mesmo, aí reforçando o seu comentário, Abreu, de Seabra a Lençóis perdeu a graça. Muitos caminhões bem pesados, lentos, alguns a menos de 12 km/h nas subidas da Chapada, deixam as ultrapassagens impossíveis nos poucos pontos onde é viável a manobra, nestes 75km. Asfalto sem buraco, mas trepidando muito.
    Do trevo da BR242 até Lençóis, são 12 km de muitos, mas muitos buracos, nos obrigando a trafegar a 40 km/h ou menos. Dois trechos precisam de parada total e escolher por qual lado do buraco deve-se atravessá-lo. Foram 25 minutos até chegar ao centro da cidade.
    O bom foi que aproveitamos bem o percurso até aqui. Agora ficaremos mais uns dias na Chapada, recarregando as baterias e quando seguirmos em frente, deixaremos aqui nossa contribuição para o Expressão. Abraços .

    1. Olá, Júlio. Bem-vindo ao blog. Rapaz, que PRESENTAÇO você deu para todos nós. Vamos parar o trabalho aqui por hoje, para ler com calma e assimilar cada uma dessas preciosíssimas informações que você trouxe para nós. Absolutamente notável o seu gesto de vir aqui trazer dados tão precisos e bem estruturados sobre essa rota que tão importante para tantas famílias. Amanhã, mais cedo, estaremos aqui para conversar com você e vermos como dar a melhor utilização possível para o seu relato, seja pelo conteúdo, seja pela forma, seja pelo momento especial que estamos vivendo, em que as pessoas estão voltando a viajar. Nosso mais entusiasmado agradecimento, Júlio. Amanhã retornaremos.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Amigo Abreu, agradeço pelas gentis palavras e consideração que demonstra pelos seus fãs (sou um, de carteirinha).
        Atualizando o trecho de Lençóis a Guarajuba, na Estrada do Coco, Bahia.
        As notícias do trecho desta vez não são nada boas. Saindo de Lençóis até Itaberaba, os buracos se multiplicaram em relação aos últimos relatos aqui deixados. Estão em grande quantidade e, principalmente, em profundidadez o que compromete a segurança da viagem. Começam aos poucos, após Lençóis e vão aumentando conforme se segue em frente. Levamos duas horas e meia de Lençóis ao Posto Santa Helena. Impossível trafegar acima de 70 ou 80 km/h e ainda assim não é suficiente para ficar tranquilo. Contei pelo menos 4 carros e dois caminhões com pneus estourados. Alguns povoados como São João e depois Ruy Barbosa, apresentam os piores trechos. Tem muitos caminhões também, dificultando muito a viagem. Optamos por seguir via Ipirá. O primeiro trecho, até Ipirá, está em boas condições. Após a cidade, o asfalto volta a ficar ruim, no sentido Feira de Santana, com buracos e pista irregular. Vários trechos estão em recuperação, com sistema de Pare e Siga (pegamos 3 deles), o que torna a viagem muito cansativa e perigosa, pq o povo, em geral, fica afoito em recuperar o tempo parado e põe todos em risco com ultrapassagens em pontos sem visibilidade. Nos 30 km finais desse trecho, até o entroncamento com a BR116, a pista está refeita, em ótimas condições. Seguimos via BR 324, sentido Salvador, saindo por Camaçari para chegar até a estrada do Côco. Encurta bem o caminho, mas tem muitos caminhões e poucos pontos de ultrapassagem. Mais paciência foi necessária , mas chegamos bem em Guarajuba , com o carro intacto em relação aos buracos. Esse trecho, a partir de Lençóis, eu não recomendaria para motoristas com pouca experiência de estradas ou com veículos 1.0. Não tem preconceito nenhum nessa humilde opinião, é que com tanto movimento de caminhões e buracos, seria muito importante ter um motor com um pouco mais de força para trazer mais segurança ultrapassagens. Enfim, desculpe pelo textão. Domingo seguiremos para Maceió e voltaremos aqui para atualizações.

        1. Boa noite, Júlio! Bem-vindíssimo de volta. Já tivemos de mudar algumas orientações nossas aqui no blog para essas viagens para o Nordeste, em função dos seus relatos. Estávamos pensando em incorporar as informações de ontem ao nosso post e hoje você nos surpreende e presenteia de novo com seu primor redacional e rara riqueza de conteúdo com novo volume de informações absolutamente preciosas. O que é surpreendente: o seu sobrenome, em muitos idiomas (inglês, alemão, holandês, etc) significa REPRESA. Mas você evidentemente abriu suas comportas, com o único objetivo de ajudar as famílias que seguirão por aí atrás de você. Então chegamos à conclusão de que se formos fazer um trabalho de atualização do nosso post, a demora da informação pode prejudicar pessoas que já se encontram com partida próxima ou já viajando. Dessa forma, pedimos sua autorização para, provisoriamente, transcrevermos integralmente os seus comentários diretamente no corpo do post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, para que fiquem de imediato disponíveis para as famílias que nos leem. Só faremos essa transcrição depois que você nos autorizar. Além do post “Brasília-Salvador-Natal de carro” (que você comenta), publicado aqui em nosso site, no endereço http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, entre diversos outros posts nossos, encontra-se também o “Brasília-Salvador de carro” que idêntico ao que você está comentando, até a BR 324. Caso você autorize, faremos a transcrição integral dos seus comentários lá também. Desnecessário dizer de nossos agradecimentos por sua boa vontade e disposição, Júlio, uma vez que as pessoas estão ávidas, desesperadas para viajar. E não é justo que a viagem de relaxamento que sonham fazer se torne uma insuportável prova de desgaste emocional. Obrigado pela abertura das “comportas da represa”, meu amigo! Aguardamos o seu OK.
          Um abraçaço.
          Abreu

          1. Abreu, está autorizadíssimo. Sempre que achar importante compartilhar, já está autorizado. Muito obrigado pela sua atenção. À medida que for evoluindo nosso percurso, volto aqui para compartilhar. Grande abraço

          2. Como dizem os baiano, Júlio, “então pronto”! Faremos isso em seguida. E anote isso aí na nossa caderneta de fiado: ficamos devendo a você!
            Um abração.
            Abreu

  11. Olá, Abreu, tudo bem? Pois é, mais uma vez gostaria de contribuir, registrando nesse blog minha última experiência , embora já de retorno a Brasília, pois como observado, minha postagem anterior refere-se à ida de Brasília a Maceió, onde resolvi fazer o roteiro Bsb-Correntina-Brumado-BR-116-Vitória da Conquista-F. de Santana-Alagoinhas-Aracaju-Penedo-Praia do Francês-Maceió, cujos comentários não foram nada a favor desse trecho, face a um só problema: congestionamento intenso da BR-116, que só pessoas de muita, mas muita paciência pra enfrentar cerca de 500 km observando manobras de alto risco de caminhoneiros inconsequentes e irresponsáveis, sobretudo se o casal está acompanhado de crianças. Mas continuo respeitando as opiniões em contrário, pois tem lá suas razões. Pois bem, retornando a Brasília, ontem, 01-11-20, fiz outro trajeto e é exatamente essa experiência que gostaria de postar. Veja que interessante, na ida, no trecho de 40km da BR-101 até às balsas para PENEDO encontrava-se com asfalto extremamente danificado e buracos tipo cratera, mas de retorno, encontrei completamente recuperado, pois a operação tapa buraco marcou presença. Meu maior receio estava mais à frente, entre Itaberaba e acesso a Lençóis. Fiquei mais tranquilo quando percebi que esse trecho também foi completamente recuperado e foi recente, inclusive de Lençóis a Seabra, nesse trajeto consegui detectar presença de máquinas. Também havia máquinas recuperando estrada entre F. de Santana e Ipirá, onde constatei buracos mas nada preocupante. Fora isso, fiquem tranquilos os amantes das estrada desse Brasil que tanto amamos. Maceió os espera ainda mais quando percebemos que as autoridades daquele Estado estão preocupadas em mostrar o melhor da cidade, realizando obras de infraestrutura e não medindo esforços na recuperação das vias que dão acesso às áreas de lazer. Era isso, meu amigo Abreu, que tinha a relatar. Gostaria que levasse essas informações também pra quem vai optar por SALVADOR via Itaberaba (BRAÍLIA-SALVADOR DE CARRO). Continue nessa missão de informar e fique certo de que muitos são muito grato por esse seu trabalho. Muita paz e até a próxima. Um abraço

    1. Olá, Gilberto Brandão, velho lobo das estradas, eficaz colaborador deste blog, companheiro de caminhadas rodoviárias e cavaleiro templário dessa religião de dividir experiências e conhecimentos com os outros, independentemente de ganhos pessoais, sejam financeiros, clics ou votos. Obrigado, Gilberto, por tê-lo como comensal à nossa mesa, onde tantos precisam de alguns dedos de prosa que ajude, oriente e proteja. Fazer o quê, velho companheiro, com essa sua Carta de Pero Vaz de Caminha, ensinando o caminho seguro para a Terra Brasilis? Resta-nos recortar e colar esse seu relato, diretamente no post “Brasília-Salvador-Natal de carro” e outros mais, para que chegue, como diria Camões, “à memória das gentes” e ajude as famílias a viajarem em paz e segurança. Naturalmente, com sua autorização, OK? Ganhei o dia, Gilberto. Aliás, ganhamos todos. Anote mais essa aí na nossa caderneta de fiado, viu? Ficamos devendo!
      Um abração.
      Abreu

      1. Ok, amigo Abreu e obrigado pelas suas palavras carinhosas. Autorizar? Claro que vc não precisa de minha aquiescência pra postar minhas observações, pois ambos estamos imbuídos no mesmo objetivo que é o prazer de informar sempre àqueles que precisam de informações importantes pra realizar uma viagem segura e tranquila. Conte comigo nessa empreitada. Um abraço e até a próxima.

      2. Olá!
        Bom Dia!
        Aqui estou eu para aprender com quem sabe.
        Vou fazer uma viagem de carro com minha esposa e minha filha de 12 asnos(que é autista). Há muito tempo quero levar minha filha para uma aventura diferente de somente viajar de avião. O planejamento de viagem do ano passado não deu certo e acabamos indo de avião.
        Vamos para Porto de Galinhas pretendo fazer a viagem em 3 dias com duas paradas para dormir. Uma em Brumado-BA e outra em Estância-SE. Pensei até em fazer em 4 quatro dias e 3 pernoites, mas acho que em três dias será o suficiente. A preocupação é com minha filha que costuma cansar de ficar dentro do carro por muito tempo, como a gente brinca: ela tem “prazo de validade”, se cansa quando as coisas ficam meio entediantes ou fica parada muito tempo.
        Fiz uma rota pelo Google Maps e ele me trouxe esse cenário:
        https://www.google.com.br/maps/dir/-15.691584,-47.820682/Hotel+S%C3%A3o+L%C3%A1zaro+-+Avenida+Coronel+Santos+-+Cidade+das+Esmeraldas,+Brumado+-+BA/Freedom+Hotel+-+Avenida+Raimundo+Silveira+Souza+-+Alagoas,+Est%C3%A2ncia+-+SE/Marupiara+by+GJP+-+Porto+de+Galinhas,+Ipojuca+-+PE/@-11.2684553,-37.8625056,67409m/data=!3m1!1e3!4m21!4m20!1m0!1m5!1m1!1s0x7444bd98311cc17:0x54da9b13e00c91a9!2m2!1d-41.6540031!2d-14.206973!1m5!1m1!1s0x710705baaaac1bf:0xfe222b733c0c1d62!2m2!1d-37.4350268!2d-11.2486472!1m5!1m1!1s0x7aa932fe1d6dcf1:0x5ed25aa3b1435613!2m2!1d-34.9952884!2d-8.4724136!3e0

        O que você me diz Sr. Abreu?
        Aguardo vossas preciosas considerações.

        1. Olá, Claudner. Bem-vindo de volta ao nosso blog, obrigado por suas carinhosas palavras em relação ao nosso trabalho e desculpe-nos por deixar você “pendurado” por mais de 24 horas, aguardando nossa resposta. Mas estamos finalizando uma compra de um apartamento lá no Plano Piloto e aquela confusão de certidões, escrituras, cartórios tem tomado todo o nosso tempo. Mas agora estamos aqui para ajudar você. A sua viagem para Porto de Galinhas está descrita em nosso post, mas com outra rota. E mais: não gostamos nada da sugestão do Google Maps para você. Nós usamos muito o Google Maps, bem como outros aplicativos do mesmo gênero. Mas eles foram construídos para quem viaja pelas estradas do Primeiro Mundo, onde todas as rodovias são excelentes e ele indica a que for mais curta. Aqui na Terra Brasilis, porém, nem sempre o caminho mais curto é o mais rápido, ou o mais seguro, ou o mais confortável. Aliás, normalmente não é nem uma coisa, nem outra, nem outra. Assim, Claudner, nós temos MUUUUUITO o que conversar. Ainda bem que sua viagem será no ano que vem – que também está logo ali. Antes de falarmos de itinerários, vamos falar do “Manual”. Há diversas formas de viajar de carro pelo Brasil. Uma delas é um grupo de rapazes jovens e solteiros, saindo de Brasília para chegar à praia mais próxima no mesmo dia. Há casais jovens, sem filhos, que querem apenas estar juntos e juntos aproveitarem a viagem da melhor maneira possível. Há famílias com filhos, às vezes um, às vezes mais. Há famílias com os filhos e os avós a bordo. Há famílias que, tirando o pai, todo mundo a bordo é do sexo feminino, desde o bebê mais novo até a vovó. E outras que, além de toda essa lista de tripulantes, ainda levam os cãezinhos da raça Shitzu, que são uns amores. Para cada um desses grupos, nós aqui do blog temos um olhar específico e montamos nossas rotas de tal modo que toda essa variedade de estilos faça uma viagem divertida, feliz, segura e confortável. A primeira providência que tomamos foi separar os problemas e as soluções para casos que devem ser orientados à parte. Para isso, publicamos aqui mesmo em nosso site, no endereço http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, diversos outros posts nossos com recomendações para diversas rotas de viagens, inclusive o post “Brasília-Ilhéus de carro”, através do qual você nos descobriu anteriormente e terminou por cancelar a viagem. Além de todos esses posts de rotas, há um especial: é o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, que disponibiliza uma gama de informações de natureza prática para motoristas que não têm tanta experiência, ou que viajem com mulheres, ou com crianças, ou com idosos, ou tudo isso junto. Não são regras: são uma filosofia de viajar, fortemente apoiada nos nossos 42 anos de viagens de férias nessas estradas, tendo a bordo as mais variadas tripulações. Então, para nós, Claudner, é importantíssimo que você dê uma olhada lá. Hoje vamos parar por aqui e retomaremos amanhã, quando iremos dizer para você por que motivos entendemos que a rota proposta pelo Google Maps não é o melhor caminho. Vamos argumentar por que não concordamos a ideia de, em Brumado, você deva subir para Sussuarana, Contendas do Sincorá, Planaltino e Maracás e, de lá, pegar a BR 116 para Feira de Santana e, 20 km depois, na BR 324, virar a esquerda para pegar a BR 101. E nossas recomendações, Claudner, não levarão em consideração o fato de você levar uma criança portadora de autismo, mas o fato de você levar uma criança. Qualquer criança, em maior ou menor grau, se cansa, descansa, dá birra, dorme, quer parar, quer chegar, quer comer, quer fazer xixi, quer vomitar. Se tiver algum problema como o de sua filha ou outro qualquer, o quadro é o mesmo, só que mais forte, mais frequente, mais incisivo e mais perturbador, em grau mais acentuado. Então, a rota para elas tem de ter alguns pré-requisitos. Um deles é a possibilidade de paradas regulares, em espaços não muito longos, para sair do carro, ver pessoas, ver coisas, comer, ir ao banheiro, esticar as pernas. Além do mais, é necessário sempre se ter 100 km para a frente ou 100 km para trás uma cidade com uma razoável rede hospitalar, porque ninguém está livre de emergências. E as crianças costumam fabricar emergências rotineiramente. Pois bem: nada disso você vai encontrar na maior parte da rota sugerida pelo Google Maps. E há rotas que têm essas características tão necessárias? Sim. E nós diremos a você quais são elas. Mas já estou adiantando muito para hoje. Depois que você ler o “Manual”, você nos entenderá melhor. Amanhã estaremos de volta (se a compra do apartamento não nos atrapalhar muito). Ah, e gostaríamos de saber também se seu pernoite em Estância (SE) é devido a algum fator específico, como visita a amigos ou parentes, etc. Se não for, teremos outras propostas para o segundo pernoite. Fique tranquilo que nós vamos ajudar você a ir e voltar bem.
          Um grande abraço.
          Abreu

          1. Sr. Abreu,
            Muito obrigado por sua generosidade. Apesar de toda correira e situações de ordem pessoal ainda arrumou tempo para vir aqui me trazer tão importantes informações.
            Estou ansioso por vossas considerações para outra rota.
            Muito obrigado. tenha um ótimo dia e que dê tudo certo na compra de seu apartamento. um abraço.

          2. Sr. Abreu,

            o Pernoite pernoite em Estância (SE) NÃO é devido a algum fator específico, como visita a amigos ou parentes, simplesmente tentei colocar o pernoite entre duas cidades que favorecesse o equilíbrio entre as distancias percorridas. Tentei deixar aproximadamente uns 600 km para cada trecho. Foi somente esse o critério. Exceto o primeiro trecho que ficou com +/- 890 km. Já li o Manual no planejamento da viagem do ano passado, mas vou ler novamente hoje. Obrigado mais uma vez.

          3. Olá, Claudner. Bem-vindo de volta. Vamos continuar a prosa, né? Hoje, se Ivanizes e eu, fôssemos fazer sua viagem para Porto de Galinhas, provavelmente iríamos para Brumado, de lá para Vitória da Conquista e Itabuna, pegaríamos a BR 101, viraríamos à direita na BR 324 e seguiríamos até Simões Filho e de lá apanharíamos a Estrada do Coco e a Linha Verde para Aracaju, Maceió, Recife e Porto de Galinhas. Mas nós somos duas raposas velhas das estradas, viajamos normalmente entre 900 e 1.100 km por dia, não almoçamos em restaurantes de beira de estrada, paramos a cada 200 km para abastecer, fazer alongamento e ir ao banheiro. Você também faria isso? Não, porque crianças não se dão bem viajando mais de 900 km por dia. O Google Maps propôs levar vocês até Brumado e, de lá, subir para Sussuarana, Contendas do Sincorá, Maracás, Planaltino e pegar a BR 116 23 km antes de Milagres. Vamos analisar esse trecho. Trata-se de um trajeto por cidades minúsculas, sem qualquer tipo de estrutura minimamente aceitável para um pernoite ou um atendimento médico ou mecânico de urgência, com asfalto às vezes ótimo, às vezes péssimo, na maior parte das vezes péssimo, sem patrulhamento da Polícia Rodoviária Federal, sem postos de abastecimento de bandeira confiável (BR, Shell, Ipiranga) e, atualmente, lotado de caminhões que saem da BR 116 para fugir do pagamento dos pedágios. Esses caminhões provocam grandes congestionamentos, a ponto de distâncias como os 180 km de Brumado a Maracás, normalmente feitas em duas horas, serem feitas em cinco horas e meia, conforme relatos de companheiros aqui no nosso blog. Mas, digamos que você compreenda que o Google Maps está indicando o caminho mais curto, sem levar em considerações essas coisas. O que seria o correto? Pedir uma alternativa ao próprio Google. Basta postar no Google Maps o mesmo destino com a partida, no segundo dia, de Vitória da Conquista, em vez de Brumado. Ele vai mandar seguir para Estância pela BR 116, passando por Jequié, Milagres, Feira de Santana, Alagoinhas, Estância, etc. Vamos analisar esse trecho também. Para isso, como diria o Professor Pasquale na CBN, vamos pedir o “auxílio luxuoso” do nosso companheiro Gilberto Brandão, um grande lobo das estradas e que sempre retorna por aqui, para trazer as informações de suas experiências rodoviárias. Veja bem as palavras e o relato desse veterano, feitos em comentário ao nosso post “Brasilia-Salvador de carro”, no dia 25.09.2020, às 23h16min:

            Meu amigo Abreu, boa noite! Queria postar aqui as minhas impressões sobre o percurso BRASÍLIA-POSTO ROSÁRIO-CORRENTINA-SANTA MARIA DA VITÓRIA- BOM JESUS DA LAPA-CAETITÉ-BRUMADO-VITÓRIA DA CONQUISTA-JEQUIÉ-FEIRA DE SANTANA-ALAGOINHAS-ESTÂNCIA-ARACAJU-TRAVESSIA DO RIO SÃO FRANCISCO-PENEDO/AL-PIASSABUÇU-CORURIPE-MIRANTE DO GUNGA-BARRA DE SÃO MIGUEL-PRAIA DO FRANCÊS. Concordo com sua opinião seguindo esse roteiro, apenas faço um alerta aos amantes das estradas brasileiras que pra quem segue esse roteiro com crianças, acho temeroso com relação à BR-116, pois são mais de 400km TENSOS, porque vc não depende apenas de sua perícia mas de caminhoneiros imprudentes e irresponsáveis que nos coloca a todo momento em risco real. Isso mesmo; Talvez devido ao desabastecimento generalizado no país, a RIO-BAHIA tornou-se rota obrigatória desses caminhões e veículo de pequeno porte não tem vez. Ainda encontro-me em Maceió, mas já tenho opinião formada quanto ao retorno: DIFICILMENTE voltarei fazendo esse percurso. É possível que volte pela rota que sempre fiz: MACEIÓ-FEIRA DE SANTANA-IPIRÁ-ITABERABA-LENÇÓIS-IBOTIRAMA-BARREIRAS-BSB. As estradas estão boas, pois fui encontrar o primeiro e certamente o único buraco a 800 km de Brasília, logo após Brumado. Estava certo em pernoitar em Milagres mas devido a esse problema dos caminhões, tivemos que ficar em Jequié. É importante registrar que nesse trajeto na BR-116 são 4 pedágios no valor de R$ 5,10 cada. Respeito a opinião dos que irão optar por essa rota mas sinceramente pensarei muitas, mas muitas vezes antes dessa decisão.

            Veja, Claudner, que é um comentário sobre uma viagem de menos de 60 dias atrás. O que queremos dizer é que a rota Brumado-Sussuarana-Contendas do Sincorá-Maracás não serve para você e sua família e tampouco a alternativa oferecida pelo próprio Google Maps, que seria a Brumado-Vitória da Conquista-Jequié-Milagres-Feira de Santana. Como já falamos demais hoje, vamos fazer o pit stop, para continuarmos amanhã. Mas, a respeito de nossa conversa de amanhã, já posso lhe adiantar: a idéia de pegar a BR 101 para Aracaju-Maceió-Recife-Porto de Galinhas, passando por Alagoinhas e Estância, não tem graça nenhuma, além de se ter direito a muitos dos caminhões que estavam na BR 116. Não todos, mas uma boa parte. Amanhã discutiremos uma rota diferente, segura, divertida e mais confortável para você e sua família.
            Um abração.
            Abreu

          4. Sr. Abreu,
            Li atentamente seu ultimo comentário.
            E afirmo que confio em sua opinião e conhecimento dessas estradas.
            Só a titulo de curiosidade digo que já fiz 2 viagens de carro para o nordeste, todas saindo de Brasília a primeira em 1996 para Fortaleza (Deus me livre kkkkk acabei com meu carro) nunca tinha viajado para tão longe e sem conhecer nada das estradas e sem recursos tecnológicos de hoje, o que me guiou foi o Guia 4 Rodas e o Mapa Rodoviário que acompanhava a publicação. Na segunda viagem de 2006, também guiado somente pelo Guia 4 Rodas e seu Mapa Rodoviário fiz uma viagem maior em termos de locais visitados, Correntina, Salvador, Maceió, Maragogi, Porto de Galinhas e João Pessoa, depois voltando para Brasília pela BR 101 e depois terrível rota de Estancia, Esplanada, Alagoinhas, Feira de Santana, Itaberaba, Seabra, Santa Maria da Vitória e Correntina.
            Também fiz de ônibus trajetos para o nordeste outras três vezes, mas aí não conta kkkkkk não era eu dirigindo nem escolhendo as rotas.
            Bem depois de contar minhas experiências sofridas busco aqui as informações de quem conhece como a palma da mão as melhores rotas e segredos dessas estradas.
            Um abraço meu Nobre.
            Obrigado de coração

            PS. Ah e relendo sua descrição de quem são vocês vi que tenho algo em comum com um membro de sua Família, também sou Farmacêutico-Bioquímico. rsrsrsrs

          5. Boa noite, Claudner. Quer dizer que, de uma forma de outra, você já rodou por essas estradas. A maior dificuldade nossa, quando começamos este blog, era convencer as pessoas a respeito de que as estradas dessa região não são as estradas europeias, nem americanas. E que também não são as estradas do estado de São Paulo, que oferece magníficos percursos com pistas triplicadas, sinalização perfeita e iluminação noturna, além de uma estrutura de apoio, de restaurantes, lanchonetes e hotéis que transforma a viagem numa festa. Então, para quem já rodou por essas bandas, mesmo que de ônibus, não é preciso explicar muito como são os banheiros, o preparo das comidas, a gasolina adulterada em alguns postos, buracos, jumentos soltos à noite. E quanto aos farmacêuticos-bioquímicos, acabei de conversar com meu filho a respeito da abertura, pela Amazon, de uma rede mundial e virtual de venda de medicamentos. Anunciaram há poucas horas. O mercado ainda está digerindo. Vamos ver o que dá. Mas voltemos ao tema principal de nossa conversa. Depois de toda a demolição que fizemos nas propostas do Google Maps, você deve estar pensando: “E por onde eu devo ir?”. Tudo sopesado, Claudner, nossa recomendação é no sentido de que você deve fazer sua viagem pela rota de Barreiras. Isso significa Brasília-Formosa-Alvorada do Norte-Posto Rosário-Roda Velha-Luís Eduardo Magalhães-Barreiras-Ibotirama-Seabra-entrada de Lençóis-Itaberaba-Ipirá-Feira de Santana-BR. Lembre-se que, na rota oferecida pelo Google, você passaria por Feita de Santana, ou seja, a grande diferença de rota termina aí. As razões que nos levam a indicar a rota por Barreiras são várias. Vamos analisar primeiro por que, neste ano, passamos a não indicá-la para viagens Brasília-Salvador. Essa é disparada a melhor rota para a capital baiana, mas, nos últimos anos, ela tem apresentado um tráfego bastante importante de caminhões. Na parte plana da viagem (até Ibotirama e Seabra) eles não incomodam muito. Nas nossas recomendações, o pernoite previsto é na cidade de Lençóis e, nesses casos, deve-se passar por Seabra por volta das 17 horas chegar a Lençóis às 17h40. Com os caminhões, isso ficou impossível: como em Seabra começa a subida (quase 60 km) para a Chapada Diamantina e a estrada é estreita, cheia de curvas, com ultrapassagem proibida em quase todo o percurso, a essa hora da tarde há um verdadeiro congestionamento de caminhões na subida, o que reduz a velocidade média a menos de 15 km/h. A chegada a Lençóis acaba ocorrendo entre 21 e 22 horas – que não recomendamos para ninguém! Mas, no seu caso, não recomendaríamos pernoite em Lençóis: é uma jornada muito longa (1.060 km) para sua filha. Assim, saia de Brasília por volta das 06h00 (Posto Colorado) e pare para abastecimento-lanche-banheiro-descanso no Posto Rosário, na divisa GO/BA), a 330 km de Brasília. Esse posto é um oásis em termos de estradas para o Nordeste, tudo muito limpo. Até um banho legal está disponível. Vocês deverão chegar lá aproximadamente às 09h30min. A partir dali, Claudner, a viagem terá paradas a cada 200 km, em cidades de porte médio e de boas condições de hospedagem. Avalie em cada uma dessas paradas qual o estado de ânimo e disposição de sua tripulação e dê o próximo passo. São 200 km até Luís Eduardo Magalhães, 90 km até Barreiras, 200 até Ibotirama, 200 até Seabra, 200 até Itaberaba e 200 km até Feira de Santana. Esses números são arredondados, mas nenhum é mais do que 200 km. Se tudo andar bem, você poderia pernoitar em Seabra, desde que chegue lá ainda de dia. Se não, melhor dormir em Ibotirama, às margens do Velho Chico e a 840 km de Brasília. Se houver problemas de cansaço e não der para chegar a Ibotirama, pernoite em Barreiras, que tem condições de acomodações muito boas. Se você pernoitar em Ibotirama ou em Seabra, terá condições de pernoitar em Aracaju no segundo dia (de Estância para Aracaju são 67 km). Por hoje, vamos deixar você aqui. Amanhã prosseguiremos a troca de ideias, se você concordar.
            Um abração.
            Abreu

          6. Bom Dia Meu Nobre Guia
            Estou adorando nosso papo e nossa troca de ideias.
            Gosto dessa rota por L. E. Magalhães – Barreiras – Ibotirama – Seabra (pernoite) – Itaberaba – Ipirá.
            Quando fui para Fortaleza em 1996 subi de Lençóis para Morro do Chápeu – Jacobina – Juazeiro e Petrolina, sofri um bocado nesse trecho kkkkkk ainda passei por Cabobró e Salgueiro (Rota da Maconha) um perigo kkkkkkk mas a inexperiência e o desconhecimento de rotas melhores na época me levaram a esses riscos . Literalmente rasguei o sertão nordestino no meu Voyage novinho que voltou todo arrebentado de tanto buraco nas pistas. Mas não me arrependo foi uma viagem incrível e uma experiência de estrada que muito me acrescentou. Mas eram outras as situações, pois além de ter somente 26 anos na época não tinha crianças a bordo e meu irmão revezava comigo na direção.
            Mas voltemos a nossa pauta principal. Rsrsrsrs.
            Depois de Ipirá devo então seguir para Feira de Santana e acessar a BR-324 e seguir até Camaçari e pegar a Estrada do Coco e depois seguir para Aracaju para o segundo pernoite.
            Minhas dúvidas são em relação as condições da estrada pela rota L. E. Magalhães – Barreiras – Ibotirama – Seabra – Itaberaba – Ipirá, pois acho que li em algum lugar no Blog que não estavam boas, mas não tenho certeza. Outra dúvida é com relação ao trecho de maior fluxo de caminhões, ele se dá mais na BR-116 ou nessa rota até Feira de Santana? E outra dúvida, passar por Feira de Santana também pegarei transito pesado de caminhões não é verdade? Me lembro de meu Pai na última viagem que fez para Maragogi ele pegou um transito muito pesado de caminhões nessa região.
            Bem vou ficando por aqui e aguardo mais um dedo de prosa contigo para a próxima postagem.
            Novamente muito obrigado por tudo.
            Um abraço
            Claudner Costa

          7. Olá, Claudner. Boa noite e bem-vindo de volta. Nessa rota por Barreiras-Ipirá-Feira de Santana, você tem um pedaço de rodovia, entre a entrada de Lençóis e Itaberaba (mais precisamente cerca de 60 km depois da entrada de Lençóis), cujo terreno é complicado e o asfalto não se estabiliza. Há frequentes grupos de trabalho do DNIT consertando a pista, mas sempre os buracos voltam. Isso há décadas é assim. Como são cerca de 70 km, a recomendação é reduzir a velocidade para 60/70 km/h, no máximo, nesse trecho e ficar atento aos buracos-surpresa. Não vale a pena mesmo passar dos 80 km/h. Vencido esse trecho (que só acaba no Posto Santa Helena, onde você irá abastecer, porque é um dos melhores dessa jornada), o restante é tudo tranquilo. A BR 116 é um inferno de caminhões, mas, indo por Ipirá, você já vai apanhá-la a cerca de 5 km de Feira de Santana, já com pista dupla e, às vezes, tripla. O contorno de Feira de Santa é simples, sem muito tráfego de caminhões e logo você estará na BR 324, que é pedagiada e com pista duplicada. Daí para a frente, inclusive a passagem por Camaçari, você já sabe tudo. Dê notícias.
            Um abração.
            Abreu

          8. Boa Tarde Sr. Abreu.
            Foi enriquecedora nossa conversa. Suas opiniões e de outros que ajudam a construir esse Blog são muito preciosas.
            Tudo discutido e entendido enfim tenho uma rota para chamar de minha. Rsrsrsrs.
            Agora é preparar tudo para pegar a estrada em Janeiro.
            Tenho certeza que será um viagem maravilhosa.
            Voltarei aqui para narrar e compartilhar as experiencias da estrada e da rota construída a varias mãos e cabeças.
            Um Grade Abraço e um Excelente Fim de Ano para você e toda sua Família.
            Paz e Bem!!!

    2. Olá!
      Bom Dia!
      Aqui estou eu para aprender com quem sabe.
      Vou fazer uma viagem de carro com minha esposa e minha filha de 12 asnos(que é autista). Há muito tempo quero levar minha filha para uma aventura diferente de somente viajar de avião. O planejamento de viagem do ano passado não deu certo e acabamos indo de avião.
      Vamos para Porto de Galinhas pretendo fazer a viagem em 3 dias com duas paradas para dormir. Uma em Brumado-BA e outra em Estância-SE. Pensei até em fazer em 4 quatro dias e 3 pernoites, mas acho que em três dias será o suficiente. A preocupação é com minha filha que costuma cansar de ficar dentro do carro por muito tempo, como a gente brinca: ela tem “prazo de validade”, se cansa quando as coisas ficam meio entediantes ou fica parada muito tempo.
      Fiz uma rota pelo Google Maps e ele me trouxe esse cenário:
      https://www.google.com.br/maps/dir/-15.691584,-47.820682/Hotel+S%C3%A3o+L%C3%A1zaro+-+Avenida+Coronel+Santos+-+Cidade+das+Esmeraldas,+Brumado+-+BA/Freedom+Hotel+-+Avenida+Raimundo+Silveira+Souza+-+Alagoas,+Est%C3%A2ncia+-+SE/Marupiara+by+GJP+-+Porto+de+Galinhas,+Ipojuca+-+PE/@-11.2684553,-37.8625056,67409m/data=!3m1!1e3!4m21!4m20!1m0!1m5!1m1!1s0x7444bd98311cc17:0x54da9b13e00c91a9!2m2!1d-41.6540031!2d-14.206973!1m5!1m1!1s0x710705baaaac1bf:0xfe222b733c0c1d62!2m2!1d-37.4350268!2d-11.2486472!1m5!1m1!1s0x7aa932fe1d6dcf1:0x5ed25aa3b1435613!2m2!1d-34.9952884!2d-8.4724136!3e0

      O que você me diz Sr. Abreu?
      Aguardo vossas preciosas considerações.

      Obrigado

      Claudner Costa

  12. Boa noite?

    Como fazer uma rota Brasilia Maceio, em tres dias. Dicas de boas paradas?

    1. Olá, Marcos. Bem-vindo ao nosso blog. Imaginamos que você, como nós, ao fazer Brasília-Maceió em três dias, não está preocupado em CHEGAR a Maceió, mas em VIAJAR até lá. É assim que nós raciocinamos: nada de transformar uma viagem turística numa viagem de negócios, tensa, rápida e objetiva. Se estivermos certos em nossa análise, nossa recomendação é fazer o que nós sistematicamente fazemos nesses casos: a) 1.069 km no primeiro dia, com pernoite na charmosa Lençóis(BA); b) 609 km no segundo dia, com chegada a Aracaju por volta do meio-dia, ao tempo de uma cerveja na praia e, mais tarde, um almoço-jantar esperto na Passarela do Caranguejo; e c) 270 km no segundo dia, chegando ao destino, Maceió, por volta das 10 horas da manhã. Tudo isso sem correria, sem estresse e sem maiores compromissos. Se restarem dúvidas, Marcos, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar da forma mais descontraída e segura possível.
      Um grande abraço.
      Abreu

  13. Olá Abreu, como vão as coisas meu querido. Meu nome é Ernandes Feitosa e já usei seus serviços aqui do blog numa viagem a Ilhéus e peguei da ida a Floripa( que acabei não indo de carro) . Mas vim aqui para pegar mais alguma dica sobre Brasília- Natal. Sairei de Ceilândia dia 7 de janeiro rumo a Natal. Vi nos comentários que existem alguns caminhos diferentes. Viajaremos em 4 pessoas adultas. Pretendo rodar metade da viagem em um dia, pernoitar, e a outra metade noutro. Saindo por volta das 4 da manhã da Cei. Rodar uns 1200 km em um dia e mais uns 1200 no outro. Se possível, gostaria que me passasse por onde devemos ir e quais outras recomendações devemos seguir. Desde ja, agradeço suas orientações. Grande abraço

    1. Olá, Ernandes. Bem-vindo de volta. Esperamos no retorno dessa viagem você apareça por aqui e conte como as coisas ocorreram, exatamente como você fez na viagem à Região dos Lagos, no ano passado. Adoramos aquele seu relato detalhado. Bem, a rota para Natal está descrita no post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, mas temos algumas considerações a fazer, uma vez fizemos essa viagem há quatro meses. Incialmente, lembramos que o percurso é Brasília-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Lençóis-Itaberaba-IPIRÁ-Feira de Santana-Salvador-Aracaju-Maceió-Recife-João Pessoa-Natal, num total de 2.591 km. Isso significa que, se você quiser sair de Ceilândia e chegar a Natal com segurança e descansado, com toda a sua tripulação, esqueça o projeto de um só pernoite. Ainda que você fosse para a cidade de Chuí (RS), na fronteira do Brasil com o Uruguai, que seria aproximadamente a mesma distância (2.610 km), utilizando-se das melhores estradas do Brasil (atravessando os Estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), a maior parte com pista dupla, asfalto e sinalização ótimos, alguns trechos com iluminação noturna, ainda assim não seria nada aconselhável fazê-lo com um só pernoite. Veja nosso post “Brasília-Buenos Aires de carro”, que trata dessa viagem aqui mesmo no blog. Agora imagine fazer isso indo de Ceilândia para Natal, com a maioria do trecho em pista simples, com asfalto super-castigado, com baixa manutenção, ocorrência de buracos esparsos, sinalização em alguns trechos precária ou inexistente, sem iluminação noturna, com jumentos, vacas, cavalos e, recentemente, rebanhos de cabras soltos pela estrada, logo depois daquela curva fechada, sem sinalização e no escuro?! Não dá, Ernandes. E agora há outro problema: com o avanço do agronegócio no oeste baiano, essa região da divisa GO/BA, no Posto Rosário, passando por Luís Eduardo Magalhães até Barreiras tornou-se um grande centro produtor de grãos e algodão, o que aumentou enormemente o tráfego de caminhões trazendo fertilizantes, sementes, corretivos e defensivos agrícolas para o oeste e levando a produção para o Porto de Salvador. Com isso, nós que há quase 40 anos fazemos esse percurso e chegávamos a Lençóis para pernoite por volta das 16 ou 17 horas, não estamos conseguindo chegar lá senão por volta das 21 ou 22 horas. E por quê? Porque além da velocidade média diminuir, uma vez que ultrapassar as fileiras de caminhões se tornou mais complicada – as pistas são simples -, quando chega na subida para a Chapada Diamantina, onde fica Lençóis, essas estradas de pista simples a partir de Ibotirama e Seabra começam a apresentar um número cada vez maior de curvas fechadas, com ultrapassagem proibida na maior parte do trecho. E os caminhões formam fileiras intermináveis, em velocidades muito baixas, o que torna aquelas 4 ou 5 horas de viagem noturna intolerável. Então, a nossa recomendação é enfrentar a subida da Chapada de manhã cedo, e não à noite. É muito mais fácil, porque o motorista está descansado e tem o dia todo pela frente. Isso significa pernoite em Seabra ou mesmo antes, em Ibotirama. Mas, digamos que você consiga chegar a Seabra por volta das 18 h e pernoite lá. No segundo dia, você deverá tentar chegar a Recife (1.152 km), deixando para chegar Natal por volta das 10 horas do terceiro dia (288 km). Importante lembrar que tentar ir além de Recife e chegar a Natal no mesmo dia é um jogo arriscado. Primeiro, porque a subida da Chapada, mesmo de manhã, com o motorista descansado, poderá tomar muito tempo. Ou seja, quando você ficar livre da subida, lá por volta das 10 ou 11 horas da manhã do segundo dia, você estará entre Lençóis e Itaberaba, com cerca de 1.100 km para chegar a Recife. Admitamos que você consiga fazer esses 1.100 km numa média de 100 km por hora, sem tomar multas, só parando para abastecer. Você chegaria a Recife por volta da meia-noite. Eu, por exemplo, sempre opto por pernoitar em Maceió, onde costumo chegar ao final do dia, por volta das 18 horas. E por que eu pernoito em Maceió? Porque na reta de entrada de Recife fica o Porto de Suape. E o fluxo de carretas para aquele porto gigante provoca um engarrafamento também gigantesco naquela área de Ipojuca, Cabo de Santo Agostinho e Jaboatão dos Guararapes. Assim, quando dizemos que é possível sair de Seabra e chegar a Recife para o pernoite por volta da meia-noite é contando com a sorte de esse congestionamento não existir ou for de dimensão menor. Se o pernoite for em Recife, a jornada do dia seguinte será de 288 km até Natal. Se for em Maceió, como sempre fazemos, será de 542 km. Como se trata de rodovia duplicada (a partir da divisa AL/PE), com pouquíssimas e curtas interrupções, a viagem se desenvolve bem e, em qualquer dos casos, você poderá desembarcar em Natal entre as 8 e as 10 da manhã. E não se esqueça, Ernandes: na região Nordeste, 86% dos acidentes com mortes nas estradas ocorrem entre as 18 e as 06 horas. Por isso nossa insistência aqui no blog para que as famílias tenham juízo e paciência, OK?. Temos certeza de que nada de interessante vai acontecer em Natal antes da chegada de vocês no terceiro dia de manhã.
      Um abração e dê notícias, hein?
      Abreu

      1. Abreu muito obrigado pela dica mais uma vez. Creio que suas dicas são valiosíssimas e as considerarei com certeza. Como ainda estou organizando o plano de vôo, irei rever essa questão de pernoites. E sim, ao chegar da bela Natal, voltarei aqui e trarei mais relatos sobre a minha jornada. Grande abraço e feliz natal a você, sua família e todos os leitores do blog.

        1. Olá Abreu, estou de volta aqui para mais um socorro. Estou indo mais uma vez a Natal-RN, dessa vez somente com a esposa. Peço essa ajuda, não sem antes me desculpar por não trazer uma devolutiva sobre a minha viagem em janeiro/20 para Natal. Nas correrias da vida após a viagem, não trouxe as experiências da estrada. Mas como sei que você sempre traz coisas novas e positivas, quero pedir mais uma vez. Afinal, o que seria de um humilde viajante, senão pedir ajuda. Ano passado fiz o trajeto BSB, posto Rosário, Luiz Eduardo, Barreiras, Ibotirama, Lençóis, Seabra, Itaberaba, BR 316, Feira de Santana, Alagoinhas, Estância, AL, PE, PB e finalmente Natal pela BR 101. FIZ a volta pelo mesmo caminho. Fiz uma boa viagem na ida e na volta. Muitas carretas na BR 101 mas não achei muito complicado porque a estrada estava em boas condições e as ultrapassagens fluíram normalmente. Vou fazer a viagem em 3 dias, como você sugeriu ano passado, então gostaria de dicas, se você sugere outro intinerario, para fazer uma viagem calma e segura. Desde já agradeço. Grande abraço, Ernandes Feitosa

          1. Olá, Ernandes. Bem-vindo de volta. Em julho passado nós fizemos essa viagem (Brasília-Salvador-Natal de carro) e no retorno, por uma série problemas de saúde na família, nós esquecemos totalmente de incorporar o relato ao nosso post. E só descobrimos isso agora, porque um dos nossos companheiros fez recentemente a mesma rota até Maceió. Ora, se nós que somos os criadores do blog nos esquecemos de compartilhar a experiência do ano passado, imagine você que é nosso velho visitante. Nada a desculpar. Como você pode ver, Ernandes, há algumas discussões dentro do blog a respeito das diversas rotas com destino a Salvador e Natal. Cada uma das alternativas apresenta alguns problemas. A rota por Barreiras está com congestionamento sistemático de caminhões, no final do dia, na subida da Chapada Diamantina, entre Seabra e Lençóis. Está complicado, a ponto de haver a probabilidade de se iniciar a subida às 17h30min e chegar a Lençóis (60 km depois) por volta das 22h. Isso porque a sinalização do trecho é péssima, o traçado é sinuoso, as ultrapassagens autorizadas são raríssimas e os caminhões incontáveis e lentos. Nossa recomendação tem sido de pernoite em Seabra, de modo a enfrentar-se a subida cedo da manhã. Uma vez vencido esse problema, após a entrada de Lençóis e a cerca de 50 km de Itaberaba, inicia-se o trecho esburacado da estrada, que não permite desatenção nem velocidades altas, tornando-se conveniente não ultrapassar os 60 km por hora. Pssados esses dois calvários, o restante da viagem é tranquilo. A rota por Correntina está recomendada, exigindo apenas algum cuidado com buracos esparsos no princípio da BR 349, 18 km após o Posto Rosário. O problema dessa rota é que ela leva a Vitória da Conquista, onde, antigamente, nós pegávamos a BR 116 para Feira de Santana. Hoje esse caminho está sem a nossa indicação, porque o movimento de caminhões transformou a viagem ali num verdadeiro inferno, com tráfego pesado de carretas, congestionamentos, acidentes e caminhoneiros imprudentes. Não temos a mínima condição de recomendar aquela alternativa para qualquer das famílias que nos visitam em busca de orientação. Curiosamente, há duas novidades na rota por Correntina: a subida de Santa Maria da Vitória para Javi, na BR 242 e a subida de Bom Jesus da Lapa para Ibotirama, também na 242. Ambas estão perfeitamente “navegáveis”, principalmente a de Bom Jesus da Lapa, que foi reconstruída pelo governo estadual. O problema é que essas duas transversais nos retiram da rota por Correntina e nos colocam na BR 242 ANTES dos problemas que citamos (subida da Chapada e buracos antes de Itaberaba). Então, não vemos muita vantagem em seguir por ali. Com essas limitações, nós temos sistematicamente utilizado a rota por Correntina, mas continuando direto após Vitória da Conquista para Itapetinga, Floresta Azul e Itabuna, onde pegamos a BR 101, para sairmos na BR 324 (Feira-Salvador) 21 km depois de Feira. No seu caso, você deverá atravessar a BR 324 e continuar seguindo viagem na BR 101. No nosso caso, geralmente fazemos uma parada técnica em Salvador, onde temos um flat lá no Farol da Barra e depois prosseguimos para Natal, pela Estrada do Coco-Linha Verde, longe das carretas da BR 101. Na aproximação de Aracaju, deixamos a Linha Verde e retomamos a BR 101 em Estância, prosseguindo nela até Natal. Alguns grupos estão testando a rota que sobe de Brumado (136 km antes de Vitória da Conquista), passando por Sussuarana, Contendas do Sincorá, Pé de Serra, Maracás, Planaltino, Milagres, Santo Estêvão e Feira de Santana. Essa rota (Brumado-Feira de Santana) é a mais curta, com 425 km e é indicada pelo Google Maps e outros aplicativos similares. As opões são mais longas (Vitória da Conquista-Feira via BR 116, com 542 km e Vitória da Conquista-Itabuna-Feira, via BR 101, com 724 km). Os aplicativos são concebidos e construídos para o Primeiro Mundo, onde as estradas são maravilhosas e o programa indica as rotas mais curtas. No Brasil, o negócio é outro: nem sempre o caminho mais curto é o asfaltado, ou o mais seguro do ponto de vista da presença de bandidos ou o mais estruturado (hotéis, restaurantes, postos de combustíveis confiáveis, postos médicos ou hospitais ou presença da Polícia Rodoviária Federal). E essa rota via Sussuarana-Maracás não tem nada disso, além de ser servida pela BA 026, conhecida como a mais perigosa estrada baiana. É só pesquisar na internet. Nossa família sempre vai pelo caminho mais longo (Itabuna-BR 101), porque gostamos de viajar em paz, relaxados, brincando, cantando, parando para uma foto, ouvindo música. Mas as pessoas têm pressa. Pressa de chegar ao mar e entrar em férias. Esquecem-se que já estão de férias quando saem da garagem de casa e que a viagem faz parte das férias. Como dissemos no início, Ernandes, há debates no blog sobre essas alternativas e todas têm problemas. Para nós, o menor problema de todos é a distância um pouco maior. Tudo, entretanto, nesse caso, é uma questão de gosto pessoal, ou como dizem os economistas, de “apetite pelo risco”. O cardápio está na mesa, Ernandes: faça sua escolha! Independentemente de sua opção, queremos que sua viagem seja feliz e o retorno se faça em paz e segurança.
            Um abração, velho companheiro.
            Abreu
            P.S: não deixe de ver no nosso post “Brasília-Salvador-Natal de carro” os detalhados relatos do nosso companheiro Júlio Dam, os quais transcrevemos integralmente ao final do post e antes dos comentários. Eles serão uma boa ajuda para sua viagem, OK?

      2. Boa tarde Abreu. Estou indo para João Pessoa agora dia 29/12, inclusive vc já respondeu a uma pergunta minha aqui embaixo num comentário do amigo Gilberto. Lendo sua resposta fiquei curioso em saber aonde é essa curva perigosa que vc falou, para que eu posso me precaver antes de chegar nela. Um feliz Natal e grande abraço.

        1. Olá, Lucas. Bem-vindo de volta. Refizemos a leitura de nossos conversas com você e com o Gilberto Brandão e não conseguimos localizar a citação à curva perigosa à qual você se refere. Como nós tivemos durante décadas uma curva assassina, para qual nós chamávamos sistematicamente a atenção de nossos visitantes, imaginamos que possa ser ela. Essa curva sofreu recentemente um tratamento de engenharia, que abriu o ângulo da curva (era uma curva em L, 90 graus), recebeu sinalização adequada e foi duplicada no ponto mais crítico. Hoje o perigo não existe mais. É uma curva localizada no km 603 da BR 242, entre Barreiras e Ibotirama. Esse marco quilométrico de número 603 está situado a mais ou menos 15 km de Ibotirama e do Rio São Francisco, exatamente no ponto em que o motorista deixa a Chapada e desce direto para o Vale do São Francisco. Se for essa curva mesmo, como estamos pensando, pode ficar mais tranquilo, OK?
          Um grande abraço, boa viagem e Feliz 2020!
          Abreu

          1. Obrigado pela resposta amigo Abreu. A curva fechada que estou falando foi essa que vc citou na resposta ao Ernandes, nesse trecho da conversa: “…sem iluminação noturna, com jumentos, vacas, cavalos e, recentemente, rebanhos de cabras soltos pela estrada, logo depois daquela curva fechada, sem sinalização e no escuro?! “.

          2. Oi, Lucas. Realmente, ao descrever aquela situação, meu inconsciente recorreu a uma das mais perigosas curvas que já enfrentamos por anos a fio. Graças a Deus está resolvido. Mas o perigo de outras curvas no escuro, sem sinalização e animais na pista continua atualíssimo. Obrigado pelo retorno.
            Um abração.
            Abreu

  14. Abreu, meu amigo, bom dia! Fico muito feliz em constatar que ainda continua na missão nobre de orientar no seu blog os amantes das estradas, mesmo em se tratando, algumas vezes, de marinheiro de primeira viagem, sobre os cuidados que devemos ter nessas estradas brasileiras que ainda nos exigem planejamento e muita cautela. Pois bem, o motivo de estar aqui é exatamente o de deixar minhas impressões quanto ao trajeto BRASÍLIA-MACEIÓ, que realizei semana passada e que ainda não retornei da capital alagoana, face a compromissos inadiáveis. Na verdade, Abreu, único comentário digno de registro é que para os que desejarem fazer esse percurso apenas ter precaução no trajeto entre SEABRA E LENÇÓIS, mas principalmente entre LENÇÓIS E ITABERABA, embora constatei que a 30km de Itaberaba um pequeno grupo do DNIT realizando operação TAPA-BURACO. Não sei se eles irão estender essa operação até o trecho citado. De qualquer forma não custa ficar alerta a partir de SEABRA. Não seria aconselhável, em hipótese alguma,realizar esse trecho à noite, pois mesmo durante o dia tive a infelicidade de esbarrar num buraco de dimensões avantajadas de mais ou menos 80cm de diâmetro e uns 10 ou 15cm de profundidade; Não sei até o momento como as rodas dianteiras suportaram tamanho impacto; mesmo assim irei dar uma olhada na suspensão, porque o impacto realmente foi assustador. O problema desse trecho é que vc desenvolve uma velocidade crescente e de repente se depara com uma cratera, aí não tem jeito, é segurar o tranco. Fora isso, a estrada está ótima para conduzir ao seu destino aqueles que ainda se aventuram, como eu, nessas estradas brasileiras. Um abraço e até a próxima.

    1. Olá, Gilberto velho de guerra! Bem-vindo de volta e, como sempre, contribuindo para a atualização das informações sobre nossas rodovias. Realmente, esse trecho Seabra-Itaberaba sempre foi fonte de dores de cabeça e nós chamamos a atenção para ele há mais de 10 anos. Já desconfiamos até da natureza e da estrutura do solo, que parece podre: mal terminam as obras de recuperação e os buracos reaparecem como por encanto. E o processo é rápido: você vai para Salvador e a estrada está ótima. Na volta, está um horror. Essa cratera tamanho família que você reporta deve ter-se formado em uma semana, no máximo. Se fosse à noite, a viagem de férias já estaria encerrada aí. Muito obrigado, Gilberto. Vamos acrescentar no corpo do post esses alertas que você nos traz, para que o pessoal fique atento ao entrar nessa zona vermelha de Seabra-Itaberaba.
      Um abração, Gilberto e volte sempre: a casa é sua.
      Abreu

      1. Abreu, boa noite! Obrigado pelas suas palavras. Estou ainda em Maceió e tão logo retorne a Brasília, atualizarei as informações quanto ao trecho citado, ou seja, SEABRA A ITABERABA. Como bem disse vc, é um problema crônico que já ultrapassa decênio. Torço para que a operação tapa-buraco tenha realmente se estendido até Seabra, mesmo estando a equipe do DNIT a 30km de Itaberaba. A preocupação maior, Abreu, é que se houver pernoite em Lençóis e os viajantes decidirem continuar viagem de madrugada, existe uma probabilidade muito grande de se deparar com essas “crateras”. Muito cuidado mesmo. Espero que as autoridades tenham bom senso em sanar esse problema, porque realmente o fluxo de veículo entre DEZEMBRO E JANEIRO é intenso. Um abraço, amigo, e até a próxima.

        1. Boa tarde Gilberto, estou indo para João Pessoa agora em janeiro e gostaria de saber qual trajeto vc seguiu: pela BR 101 ou pela litorânea Linha Verde. Sempre vou para o nordeste via 101, saindo de Feira de Santana e seguindo com destino a Alagoinhas/Estância, mas agora estou querendo seguir a dica do nosso amigo Abreu, cujo blog tive o prazer de conhecer, e seguir pela linha verde (Lauro de Freitas, Praia do forte, etc.) As vias a partir de Feira de Santana também estão em bom estado? No aguarde e obrigado

          1. Olá, Lucas. O Gilberto Brandão é velho frequentador e colaborador deste blog. Companheirão mesmo. Mas não sabemos se ele vai aparecer por aqui a ponto de ajudar você na sua viagem. Então, decidimos entrar para dizer a você que, em termos condições das estradas, as duas rotas são equivalentes, estão em bom estado e são bastante seguras do ponto de vista da segurança pública. A única diferença é que a BR 101 é uma rota comercial, com tráfego de caminhões e a a Estrada do Coco e a Linha Verde são rotas turísticas, com uma proposta muito mais relaxante, muito mais “férias”, principalmente depois de Lauro de Freitas. Viajar à beira-mar é sempre outra coisa, não é?
            Um grande abraço e desculpe atropelar o Gilberto.
            Abreu

          2. Não tem problema, amigo Abreu, tá tudo bem. Permita-me apenas fazer alguns comentários para o amigo. Um abraço. Lucas, bom dia! Desculpe a demora, é que estive um pouco ocupado e consultei o blog do Abreu muito pouco. Vamos lá para o seu questionamento: Essa sua rota faz tempo que não passo por lá. Nada contra a sugestão de Abreu, pois ele está sempre fazendo essa rota e a conhece como ninguém. Para Maceió, que fiz recentemente, em Estância continuo na BR-101 até Maruim-SE e alguns km após, uma EXCELENTE churrascaria que considero visita obrigatória, e, na altura da POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL deixo a BR-101, pois a duplicação do trecho PROPRIÁ-MACEIÓ ainda continua, há anos, inacabado além do risco de assalto entre JUNGUEIRO E SÃO MIGUEL DOS CAMPOS; e sigo na SE-335 em direção às balsas, a 40km da BR – cidade de NEÓPOLIS – (travessia: 30,00 por veículo). Do outro lado do Rio São Francisco já estamos em Penedo-AL. Existem 2 opções, que em km não faz diferença: Seguir na AL-105 com destino a São Miguel dos Campos (BR-101) e de lá pra Maceió ou pego a AL-101 seguindo todo o litoral (é a rota que faço sempre): PIAÇABUÇU, PONTAL DO PEBA, FELIZ DESERTO, CORURIPE, POXIM, BARRA DE SÃO MIGUEL, PRAIA DO FRANCÊS, MACEIÓ (trecho excelente não só de tráfego como de asfalto), num total de 180 km. Como vc vai pra João Pessoa, então sugiro a AL-105, pegando lá em cima a BR-101 – SÃO MIGUEL DOS CAMPOS, MESSIAS-AL, PALMARES-PE, ESCADA-PE, CABO DE SANTO AGOSTINHO, JABOATÃO DOS GUARARAPES, etc.

  15. Boa tarde.
    Pretendo sair de Brasília entre os dias 13 ou 14/12/2019 com destino a maravilhosa cidade de Natal (Ponta Negra) onde recentemente comprei um apartamento. Sempre viajei de avião. Esse ano decidi ir de carro. Irei Eu, minha irmã, prima e duas 4 patas. Não tenho pressa de chegar, até porque serão 40 dias de diversão. Nunca fiz uma viagem tão longa quanto essa que pretendo fazer agora. O máximo foi ir a Goiânia, Flores de Goiás, Formosa e Alvorada do Norte. Li vários comentários sobre rotas. Confesso que não sei qual escolher. Cada hora um diz algo diferente. Pela longa experiência de Estrada que você tem Sr. Abreu, me explique qual a melhor a escolher. Fico no aguardo da sua valiosa dica.
    ATT,
    IRENE FRANÇA

    1. Olá, Irene. Bem-vinda ao nosso blog. Você chegou até nós pelo post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, que está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”. Todas as informações que estão lá encontram-se atualizadas. Nós estamos fazendo uma revisão geral, tanto desse post, quando do “Brasília-Salvador de carro”, e deveremos fazer alguns ajustes em ambos nos próximos dias, mas nada que invalide as informações atuais. Trata-se de acrescentar algumas alternativas e não de mudar as existentes. Eu, minha esposa, meu filho mais velho e minha nora acabamos de fazer essa viagem há cerca de um mês. Saímos de Brasília, pernoitamos em Lençóis. Paramos cinco dias em Salvador, onde temos um apartamento em um flat lá no Farol da Barra e, a seguir, fomos para Maceió, onde pernoitamos. No dia seguinte, chegamos a Natal, almoçamos lá na Ponta Negra e, ao final da tarde, chegamos à Praia da Pipa (absolutamente maravilhosa!), onde ficamos por quatro dias. Em seguida, começamos a retornar, com paradas em Porto de Galinhas, Maceió, Aracaju, Salvador, Barreiras e Brasília. As estradas estão boas. Apenas a BR 101 apresenta trechos de asfalto com alguns buracos que exigem mais atenção, nas proximidades da divisa entre a Bahia e Sergipe. Nós fizemos esse plano de viagem, porque o litoral baiano, inclusive Salvador, estava debaixo de chuvas fortes, enquanto a partir de Natal reinava o sol, situação que, pela previsão do tempo, deveria inverter-se dentro de 15 dias. Por isso, corremos para o Rio Grande do Norte e voltamos devagar, com tempo bom. Encontramos a chuva subindo em Aracaju e chegamos com sol a Salvador. Então, não se esqueça de ponderar a meteorologia no seu plano de viagem, embora sua viagem vá ocorrer no início do verão, onde, normalmente, o Nordeste é todo sol. Nossa recomendação, então, é a que está no post: Brasília-Formosa-Posto Rosário-Luís Eduardo Magalhães-Barreiras-Ibotirama-Seabra e pernoite em Lençóis. Se não der para chegar a Lençóis, pernoite em Seabra ou Ibotirama. No dia seguinte, durma em Maceió (se pernoitou em Lençóis) ou em Aracaju (se pernoitou em Seabra ou Ibotirama. No terceiro dia, chegue a Natal por volta do meio-dia ou das 14 horas, conforme você tiver pousado em Maceió ou Aracaju. Quanto aos passageiros de quatro patas, Irene, você deve pesquisar previamente junto aos hotéis em que vocês pretendem ficar. Embora eu adore cães (no momento, tenho 13 aqui na roça, além dos dois chihuahua e um shitzu que dormem conosco), não costumo viajar com eles, porque o o hotel onde temos o apartamento em Salvador não aceita animais. Certa vez, saímos de Salvador e passamos em Serrinha para apanhar um filhote de dogue alemão que havíamos comprado. Prosseguimos viagem e pernoitamos em Ibotirama no hotel Plaza, que fica perto da ponte sobre o rio São Francisco, e que aceita animais. Também gostamos muito da rede Ibis, que é muito grande e aceita pets. Finalmente, Irene, não deixe de voltar aqui antes de viajar, para ver as novidades sobre essa rota e lembramos que, no nosso site, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde você encontrou o post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, há diversos outros posts que podem ser do seu interesse, especialmente o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”,com muitas informações práticas para motoristas sem muita experiência, particularmente no caso de haver a bordo mulheres, crianças ou idosos. Não deixe de dar uma olhada lá, OK? Em caso de dúvida, retorne: será um prazer ajudá-la a ir e voltar em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Querido Abreu,
        Agradeço imensamente a Atenção prestada. As dicas foram e serão valiosas. Com certeza irei dar uma olhada lá nos post.
        Brigaduuuu

      2. Boa tarde Sr. ABREU,
        É com muita satisfação que volto aqui no seu Prestigiado BLOG. Exatamente hoje faltam 1 mês para minha Viagem a NATAL (Família composta por: Eu, irmã, sobrinho/12 anos, prima e duas 4 patas).
        Já tracei a Rota para Natal seguindo suas VALIOSAS ORIENTAÇÕES e dicas. 1º. dia até Lençóis (pernoite); 2º. dia até Maceió (pernoite) e 3º. dia chegar a Natal (talvez antes de chegar a Natal, pare em João Pessoa para visitar um casal de Amigos aqui de Brasília, que há uns 7 anos curtem a aposentadoria em grande estilo de vida na beira da Praia. Eu contando o tempo para chegar dia 30/8/2022 para curtir também (rsrsrsrsrs). Detalhe das Pernoites: Em Lençóis/BA e Pajuçara/AL consegui Pousada/Flat que aceitam as minhas Peludas de 4 patas.
        Preciso fazer algumas perguntas Básicas. Até dei umas pesquisadas, mas nada como um GOOGLE Experiente como você.
        Irei sair de SAMAMBAIA-NORTE/DF (6h) para Lençóis (Irei num JEEP 4×4). Qual o tempo de viagem?
        Lençóis para Maceió, qual o tempo de viagem?
        Maceió para Natal, qual o tempo de viagem?

        Para volta (sempre pela LINHA VERDE) gostaria que você me desse umas dicas de onde parar para PERNOITAR e o tempo de uma cidade para outra. A minha preocupação com o tempo é para não entrar no MODO NOTURNO tanto na ida, quanto na volta.
        Até o dia da viagem estarei visitando o Blog periodicamente. Vi que o Gilberto Brandão publicou que de Seabra a Itaberaba o trecho esta ruim e perigoso. Então, ATENÇÃO REDOBRADA nesse trecho.
        Fico no aguardo das respostas e Agradeço pelas INFORMAÇÕES que adquiri no Blog.

        ATT,

        IRENE FRANÇA

        1. Olá, Irene. Bem-vinda de volta e desculpe o atraso: problemas de saúde na família nos deixaram fora do ar toda a semana. Mas já está tudo resolvido. Vamos lá. Que bom que você achou hospedagem para seus pets. Não deixe de nos passar o nome do Flat, porque sempre há pessoas aqui com o mesmo problema, OK? Quanto às distâncias, normalmente a duração da viagem de Brasília até Lençóis era de no máximo 12 horas, ou seja, saíamos de Brasília às 06h00 e chegávamos lá às 18h00. Temos observado, entretanto, que alguma coisa mudou: o tráfego de caminhões entre Luís Eduardo Magalhães e Itaberaba aumentou enormemente, o que tem elevado muito a duração da viagem. Nós próprios, em nossas duas recentes viagens (a última foi em agosto/2019), não conseguimos chegar a Lençóis senão por volta das 21h00, o que não podemos recomendar para ninguém. Pesquisas recentes do DNIT estão mostrando que essa viagem pode durar até 16 horas. Nessas condições, nossa recomendação preliminar é no sentido de que você altere o primeiro pernoite de Lençóis para Seabra. A distância entre as cidades é pequena (cerca de 70 km), mas é em Seabra que começa a subida da Chapada Diamantina onde fica Lençóis. A estrada é de pista simples, normalmente com ultrapassagem proibida na maior parte do trecho e ali, na subida, os caminhões se amontoam, levando, como ocorreu conosco agora em agosto, a gastar 3 horas de Seabra para Lençóis. Eu calculo que, se você estiver no Posto Colorado (km 0 da BR 020) por volta das 05h00, você chegará a Seabra por volta das 19h00. A partir daí, tudo é mais tranquilo: serão 11h30min de viagem de Seabra a Maceió e 6h00min de Maceió a Natal. Tudo isso analisado, Irene, eu tenho uma notícia que não é muito boa para você: o melhor é alterar toda a sua viagem, porque se trata de uma mulher dirigindo (vocês são muito mais cuidadosas, conduzindo pelo menos uma criança, mais duas mulheres e dois pets, além de viajar num jipe 4 x 4, que não costuma ser um campeão de arrancadas, velocidades e ultrapassagens. Assim, peço que você me permita expor o que EU faria se estivesse em seu lugar na mesma situação. Eu alteraria os pernoites para Ibotirama, Aracaju e Natal. Com essa distribuição, a viagem fica muito menos cansativa, mais confortável e sem riscos de viajar à noite. De Brasília a Ibotirama, você gastaria aproximadamente 9 horas de viagem. Eu sei que lá há hotéis que recebem animais, porque já vim de Salvador e passei em Serrinha para apanhar um filhote de dogue alemão e dormimos com ele em Ibotirama. Se não me engano, no Hotel Plaza, pertinho do Rio São Francisco. No dia seguinte, você fará o trecho Ibotirama-Aracaju, 849 km, com duração aproximada de 9h30min. E, no terceiro dia, a reta final para Natal, com 784 km, será feita em aproximadamente 9h00, porque o trevo de Recife-Jaboatão dos Guararapes, que apanha as centenas de caminhões que vão para o Porto de Suape, atrasam um pouco a viagem e não há alternativas. Então, vejamos. Ao contrário de viajar cerca de 1070 km no primeiro dia (Brasília-Lençóis), você viajará apenas 806 km. No segundo dia, em vez de viajar 866 km até Maceió, você fará 849 km de Ibotirama a Aracaju. E no terceiro dia, em vez de 543 km até Natal, você rodará 784 km de Aracaju para Natal. Como se pode verificar, toda a viagem fica mais leve, menos agoniada, mais confortável e você chegará a Natal no mesmo dia e na mesma tarde em que você chegaria pelo plano anterior. Pense um pouquinho nisso, tá? Como ainda faltam 25 dias para o início da viagem, dá tempo de trocar tudo. Ficamos por aqui, ansiosos pelo seu retorno dizendo que resolveu acompanhar nossas recomendações. E por falar em sua “tripulação”, que merece todos os cuidados, não deixe de ler aqui mesmo no blog (www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”), o nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Lá você vai encontrar um bocado de informações interessantes para sua viagem com outras mulheres e crianças”. Se restarem dúvidas, Irene, retorne tantas vezes quantas necessárias: será um prazer ajudar você a ir e voltar em paz e segurança.
          Um abração.
          Abreu

          1. Boa tarde!
            Querido Abreu, desculpe-me por só agora responder as suas valiosas dicas. Correria na Escola com a chegada do último bimestre. Com certeza irei seguir suas dicas e alterar o plano de viagem que acontecerá no próximo sábado 14/12. Como diz o velho ditado: “- O apressado como cru”. Farei a viagem com tranquilidade desfrutando das Belas Paisagens pelas estradas. Com relação aos locais que aceitam Pets: Lençóis a Pousada do Tom e em Maceió Ótimo FLAT em Pajuçara. Como ainda faltam 9 dias, estou pesquisando outros Hotéis em Ibotirama (vou verificar o Hotel Plaza) e Aracaju que aceitam minhas peludas de 4 patas. Agradeço mais uma vez a Atenção prestada. Feliz Natal e um Ano Novo repleto de realizações a VOCÊ e FAMILIARES!!!
            att,
            IRENE FRANÇA

          2. Olá, Irene. Bem-vinda de volta. Adoramos o seu retorno e apostamos que, em sua viagem, tudo vai dar certo. Estamos a postos e operantes para ajudar você, OK?
            Abração.
            Abreu

  16. Boa noite volto pra Brasília amanhã estou em Maceió estou com algumas dúvidas sobre isso.
    Bom na saída de Maceió o mais indicado pegar a BR 101 e depois como pra pegar a linha verde ou continuo na 101??

    1. Olá, Kilvya. Bem-vinda de volta. Você deve sair de Maceió com destino à Praia do Francês e à Barra de São Miguel. Ali você já está na Linha Verde, que levará você a Aracaju e Salvador, quase sempre pela beira-mar e longe dos caminhões, OK?
      Um abração.
      Abreu

  17. Olá Sr. Abreu,

    Mais uma vez por aqui para saber como estão as estradas e pontos de parada saindo de Brasília, Feira de Santana, Maceió, João Pessoa, Natal, Aracaju e retornando a Brasília. da Ultima vez por aqui tive boas recomendações

    1. Olá, Adriano. Bem-vindo de volta. As informações sobre essa rota para Natal estão atualizadas, bem como as possibilidades para pernoites indicadas no post. O único detalhe a se destacar é que agora se pode subir de Salvador para Aracaju diretamente pela Linha Verde, chegando à capital sergipana pela praia de Mosqueiro e sem precisar pegar a BR 101 em Estância. Você vai voltar para Goiânia ou para Araguari de novo? E o Nissan continua firme? Faça uma boa viagem e não esqueça do seu relato detalhado, tão importante para nós.
      Um abração.
      Abreu

      1. Olá Sr. Abreu, eu volto para Brasília, penso na ida sair de Brasília a feira de Santana, Maceió e João Pessoa e na volta saindo de João Pessoa para Aracaju, lençóis e Brasília. Sobre o carro é um japonês também mas é um Honda Civic. Vou dá uma lida novamente na sua postagem para me garantir melhor, lembro de uma mudança na rota antes de feira de Santana pra fugir de carretas e uma estrada não muito boa e se não me engano um pedágio, essa rota foi muito boa, estrada muito boa, deserta mas bem rápida e bem cuidada

  18. Bom dia Amigos! Abreu muito obrigado pela dedicação!
    Desta vez a orientação é para os meus Pais. Eles saíram ontem de Brasília e pernoitaram no vilarejo de Sincorá-BA (teimosos, pois eu indiquei Brumado ou Maracás). Agora, às 07h40 vejo pelo GPS q estão chegando em Planaltino rumo à Feira de Santana-BA, é provável que passem mais uma noite na estrada…

    1. Olá,Alex. Novos tempos, não é? Antigamente, os pais idosos obedeciam aos filhos. Agora, decidiram imitar os netos, que também não nos obedecem! Brincadeiras à parte, o melhor roteiro para eles era por Barreiras. Temos a descrição do trecho que eles fizeram lá no post “Brasília-Ilhéus de carro”, mas não recomendamos a rota por falta da Polícia Rodoviária Federal, por serem estradas estaduais e pela insuficiência de estrutura hoteleira e de apoio.Mas, nessa hora, eles já devem estar chegando é a Natal. Nossa solidariedade total a você!
      Um abração.
      Abreu

    1. Olá, Alex. Bem-vindo de volta. O ano passado você passou por aqui em 31 de julho, organizando sua viagem para Porto Seguro, e voltou em
      22 de agosto para fazer um primoroso relato de sua experiência, relato que ajudou muita gente a evitar aquela pegadinha do GPS lá na BA 142, nas imediações de Brumado. Agora o seu plano de voo ´para Natal, não é? As informações do post “Brasília-Salvador-Natal de carro” estão atualíssimas. Esse post (para quem não sabe) está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde se encontram diversos outros posts sobre viagens de carro, inclusive o especial “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Esperamos que, também desta vez, você se lembre de retornar aqui após a viagem e fazer aquele detalhado relato tão importante para todos nós.
      Um abração.
      Abreu

  19. José francisco

    Boa noite Abreu,
    Vou fazer uma viajem de Brasília para Aracajú com minha esposa uma filha adolescente e outra de 4 anos pela primeira vez.
    Minha esposa (navegadora) já te acompanha a bastante tempo. Estamos em dúvida sobre a hora de partida!! Queríamos sair bem cedo, em torno de 03:30 hs seria o ideal. Pretendemos dormir em Seabra. Você pode nos ajudar nessa rota queríamos aproveitar desde a partida de Brasília até o destino final. A data da nossa viagem será 15/7. Desde já agradeço

    Rejeitar | Responder | Edição rápida | Editar | Histórico | Spam | Colocar na lixeira
    About

    28/06/2018 às 20:33
    Abreu
    Em resposta a José francisco
    Olá, José Francisco. Bem-vindo ao blog. Não há necessidade nem é conveniente sair tão cedo. Vou explicar. Saindo às 03h30min, você estará em Formosa por volta das 04h20min, quando se inicia a pista simples e ainda será noite. E nós, decididamente, não temos condicão de orientar as famílias a viajarem à noite nessas estradas. Assim, fique tranquilo: esteja ao nascer do sol (por volta de 06h40min no dia 15.7) no Colorado, que é o km 0 da BR 020. Fazendo isso, você chegará a Seabra com calma por volta das 16h30min. No dia seguinte, a mesma coisa: saia de Seabra após o café da manhã, por volta das 07h00 e você chegará a Aracaju por volta das 13h30min, sem correrias. Você chegou até nós pela seção About do blog, que é um espaço para informações técnicas. Mas como o blog está passando por uma reestruturação, as pessoas estão usando essa seção para apresentar suas dúvidas. A gente atende assim mesmo, até que terminemos essa reformq. De qualquer modo, temos outros posts que você deve procurar ler, para orientá-lo mais detalhadamente em sua viagem. Um deles é post “Brasília-Salvador-Natal”, onde descrevemos todo o percurso que você vai fazer até Aracaju. O outro é o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas estradas brasileiras”. Ambos os posts, juntamente com outros, estão em nosso site “www.expressaodaliberdade.com.br”. Abra a aba “Rodovias Brasileiras”e localize-os para ler. Estamos respondendo seu comentário na seção About, mas vamos também copiar, tanto o seu comentário quanto nossa resposta, no post “Brasília-Salvador-Natal”. Assim, se você quiser retornar, já poderá fazê-lo tanto pelo post, quanto pela seção About. Se restarem dúvidas, José Francisco, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em paz e segurança.
    Um grande abraço.
    Abreu

  20. Estou encantada com o detalhe de informações, sou de Ariquemes – Rondônia e em Dezembro iremos á Fortaleza-CE de Carro, pela primeira vez, não conhecemos as rodovias, e o Google nos mostra duas rotas a mais curta: MATO GROSSO-GOIÂNIA-BRASILIA- INTERIOR DA BAHIA PERTO DA DIVISA COM TOCANTINS E CORTAR O PIAU PELO MEIO ATÉ CHEGAR A CEARÁ (no entanto meu maior medo é no trecho após Brasilia andei pesquisando e me parece que as rodovias por lá sequer tem asfalto e que os índices de assaltos é grande!). e a outra mais longa mais a que me parece menos perigosa, a rota seria: MATO GROSSO-GOIÂNIA-BRASILIA-SALVADOR-PERNAMBUCO-CEARÁ, vai ser uma viagem longa e estamos muito apreensivos, me parece que você possui uma vasta experiencia, PODERIA NOS AJUDAR A PLANEJAR NOSSA ROTA?

    1. Olá, Jenniffer. Bem-vinda ao blog e obrigado por suas palavras carinhosas: elas são um importante estímulo para nós. Você chegou até nós pelo post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, que está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também estão outros posts que podem ser do interesse de vocês, como o “Brasília-Teresina de carro”. Dê uma olhada lá. Nossas recomendações para viagens para São Luís, Teresina e Fortaleza estão detalhadas lá, com informações sobre o estado das rodovias e questões de segurança. Independente disso, recomendamos que vocês sigam o nosso roteiro Brasília-Floriano(PI)-Teresina-Fortaleza, o mais utilizado e com melhores condições de estrada e de segurança. As estradas – nunca indicamos estradas de terra – estão em bom estado, a estrutura hoteleira é boa e não temos registros de assaltos no trecho que recomendamos. Volte aqui tantas vezes quantas quiser para trocar ideias. Afinal, temos muito tempo para conversar e aprimorar o seu “plano de voo”. E não deixe de ver também o nosso post (na mesma aba “Rodovias Brasileiras) “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Lá colocamos muitas informações práticas para viagens longas, que podem ser do seu interesse. Se restarem dúvidas, volte: estamos a postos para ajudar vocês a irem e voltarem em paz e segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

  21. Boa tarde Abreu e aos demais leitores do BLOG, como dito antes, me preparei e irei realizar junto a minha familia (esposa e filha de 2 anos) nossa viagem de férias, saindo de Goiânia com Destino a NATAL, minha programação e sair de gyn dia 12/03 e chegar em NATAL dia 14/03 (data de nosso check in). Voltarei aqui depois e irei informar como foi nossa viagem.

    1. Olá, Helder. Bem-vindo de volta. Reiteramos as informações que lhe passamos em setembro de 2017, ou seja, tudo permanece como publicamos no post, exceto a nova alternativa em Estância, para se chegar a Aracaju sem necessidade de voltar à BR 101 em Estância. Vá em frente e volte para contar a história. Um beijão na brasileirinha que você está levando com você.
      Um abração.
      Abreu

  22. Bom dia Abreu.
    Voltando para o relato de mais uma viagem, desta vez um pouco maior.
    Decidi arrendar uma pousada em Paripueira-AL, a 25 kms de Maceió e para a mudança vim de carro. Viemos eu, meu cunhado Victor e minha cachorrinha Lola.
    Saímos de Brasília as 11:00, rodamos com chuva a maior parte da viagem e paramos para dormir as 20:00 em Seabra no Seabra Hotel, que aceita animais.
    Relato: Estrada em excelentes condições até Feira de Santana com um importante detalhe: Tiraram os “sucos” formados por caminhões. Agora estão quase inexistentes, somente em Luís Eduardo que ainda encontramos alguns mais altos.
    Em Feira de Santana parou a chuva porém entramos na Br 101, com trafego intenso de caminhões e muuuitos Siga/Pare pois estão em obra de duplicação.
    Chegamos em Maceió as 18:00 e em Paripueira as 19:00 pelo trânsito de horário de pico.

    Espero ajudar a quem vem para este paraíso chamado Alagoas, também conhecido como Caribe Brasileiro, e ainda em tempo, se vierem à Paripueira procurem a Pousada Linda Flor. rsrs
    Abraços a todos

    1. Olá, João Pedro. Bem-vindo de volta. Depois de sua viagem a Ilhéus no ano passado, agora você se tornou dono de pousada em Alagoas, hein? Concordo com você: o litoral do Alagoas é um dos mais bonitos do mundo! Anotei suas informações sobre a rota, particularmente o fim dos camalhões (elevação do asfalto entre dois sulcos, causados pelo peso excessivo das carretas). Uma dúvida: em sua viagem a Ilhéus você pernoitou no hotel Seabra de Vitória da Conquista e, desta vez, no hotel Seabra (Pousada Portal Seabra), em Seabra. Você foi para Ilhéus também com a Lola? O Hotel Seabra em Vitória da Conquista também aceita animais? Esse negócio de receber animais tem-se tornado a cada dia mais importante na decisão de quem viaja de férias, porque os bichinhos não abrem mão de levar seus donos nas viagens de férias “deles”. Desejamos o máximo sucesso em seu empreendimento em Paripueira: ter êxito profissional nesse ambiente maravilhoso é sucesso duplo. Uma última pergunta: sua pousada vai aceitar animais? Só falta a casa de ferreiro ter espeto de pau, hein???
      Um abração.
      Abreu

      1. Boa noite Abreu. Se não tivesse falado não me atentaria a questão do nome das pousadas para Pernoite. Na viagem do ano passado não levei Lola. Ela ficou com minha sogra em Paracatu, logo não sei afirmar se no Hotel Seabra em Vitória da Conquista aceita animais, mas aqui aceitamos sim! Rsrs e Lola agradece as companhias. Agradeço aos votos de sucesso.
        Abraço

  23. Bom dia Sr. Abreu,
    passando para agradecer e compartilhar um pouco desses dias na estrada.

    Fiz minha viagem de Brasília a Maceió e segui muitas de suas dicas, a viagem foi um sucesso tudo na paz graças a Deus.
    Na ida fui por Barreiras BA, estrada esta muito boa e foi possível estabelecer uma boa velocidade média, depois de Feira de Santana BA, a BR 101 tem vários pontos em reforma muitas maquinas, estão duplicando a via vai ficar show!!! mas nada que atrapalhe muito o andamento, só tive dúvidas para ter acesso a linha verde e se não me engano entrei na cidade de Estância onde tinha uma placa informando acesso a linha verde, essa via porem não era muito boa, bem estreita e alguns buracos, mas quando chegamos na linha verde ai foi só alegria ate Aracaju onde ficamos uns dias, em seguida pegamos sentido Maceió pela Via SE 100 estrada muito boa também. Aproveitamos bastante a cidade de Maceió varias praias muito bonitas e saindo de Maceió pegamos sentido Canavieiras BA ai peguei a BR 101 ate quase chegar em Canavieiras BA, estrada boa porem peguei muito transito carretas e prejudicou um pouco o tempo cheguei em Canavieiras a noite e a estrada e meio deserta passando por pequenos povoados, próximo a cidade de Canavieiras a estrada não esta muito boa bastante buracos. saindo de Canavieiras peguei sentido Correntina e depois Brasília nada a reclamar das estradas. chegando em Brasília trocamos as malas e formos sentido Araguari MG, estrada toda nova com 4 pedágios, ótima viagem 6.460km bem aproveitados, minha primeira viagem longa de carro, ja estou planejando a próxima.

    1. Olá, Adriano. Que alegria vê-lo de volta, tendo vencido o desafio de viajar com segurança e voltar em paz para casa, com direito a um “puxadinho” em Araguari. Claro que vamos recolher essa quantidade de informações preciosas que você nos trouxe, resumi-las e publicá-las nos posts “Brasilia-Salvador-Natal de carro”, “Brasília-Ilhéus de carro”, “Brasília-Porto Seguro de carro”, ‘Brasília-Florianópolis de carro” e “Brasília-Buenos Aires de carro”. Seu relato foi muito mais abrangente e detalhado do que o comum por aqui. Por isso, agradecemos enormemente sua disposição de voltar aqui para contar a história e compartilhar com os demais sputniks essas informações colhidas na sua viagem. Você será sempre bem-vindo, Adriano. Muitíssimo obrigado e dê notícias, hein?!
      Um abração.
      Abreu

  24. Bom dia Abreu, tudo bem, sempre e minhas viagens ao Nordeste, dou uma passadinha aqui no blog, para conferir as situações de nossas estradas e planejar bem minhas viagens, uma pergunta que faço é: o trajeto de Goiânia -a Natal que o google maps informa, saindo de Barreias e passando pelo Esta do PI, vc tem alguma informação de como está? na sia visão, o trajeto por salvador, ainda é o melhor? Estaremos saindo agora em Março..minha Familia..eu, esposa e nossa filha de 3 anos..Um forte Abraço

    1. Olá, Helder. Bem-vindo ao blog. Sim, nós não temos dúvida: um bloco familiar como o seu é a cara da nossa rota Brasília-Salvador-Natal, pela conservação das rodovias, pela estrutura de apoio, pela beleza da paisagem, pelos hotéis, pelos postos, pelos banheiros, pelas lanchonetes, pelas cidades pelas quais vocês passarão e, principalmente, pelo fato de que a rota por Salvador é 230 km mais curta. Você chegou até nós pelo post Brasília-Salvador-Natal de carro, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também se encontra o post “Brasília-Teresina de carro”, no qual, no dia de hoje, o Rubens – que está em Fortaleza aonde chegou pela rota indicado pelo Google Maps para você – relata as dificuldades do trajeto, principalmente depois de Tianguá. São informações de HOJE. Ele ainda está lá. E não se esqueça de ver também, no mesmo endereço, o nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, texto dedicado a famílias que viajam com crianças pequenas e idosos. Então, ficamos assim, Helder: esqueça a sugestão do Google Maps e vá para Natal pela rota por nós recomendada. A probabilidade é de que vocês viajem mais tranquilos, com menos estresse, mais belezas naturais para curtirem e astral mais alto. E tenho certeza que nossa futura juíza de direito que vocês estão transportando concorda comigo.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Obrigado meu amigo, com toda certeza, vc teria o trajeto em especifico ? para repassar? digo por que tem pessoas, amigos (GARDENAS) que conheço q indicam uma rota, passando por correntina, santa maria da vitoria, seguindo pela br 172 até o povoado de JAVI (br 242, dali seguindo até itaberaba, de Itaberaba-Ba, seguir para IPIRA ba 488, nesse trajeto essas pessoas seguem para o interior mesmo do ESTADOS, passando por Serrinha -BA- ARACI-BA, Ribero do POMBAL, campina Grande, ou seja um trajeto diferente..e por isso, como já fiz varios passeios passando aqui e conferindo suas dicas.resolvi perguntar e solicitar o trajeto feito pelos SPUTINKS que aqui navegam em busca de melhores informações

        1. Olá, Helder. Sempre insistimos num ponto: as estradas transversais entre a BR 242 (Barreiras-Itaberaba) e a BR 349 (Correntina-Caetité)
          são muitas e não são confiáveis. Sabemos de diversos casos nas quais quem tentou voltou da metade do caminho. E isso para que? Para ganhar 20 km e atravessar uma região miserável, abandonada, sem a presença da Polícia Rodoviária Federal, sem uma cidade em condições de atender a uma emergência de saúde? Não faz nenhum sentido. Somos inflexíveis nisso: quem vai para Ilhéus e Porto Seguro deve seguir pela BR 349, passar Correntina e alcançar Vitória da Conquista na BR 116. Quem vai para Salvador deve pegar a BR 242 em Luís Eduardo e Barreiras e pegar a BR 116 em Argoim ou em Feira de Santana, se se optar pela via rápida de Ipirá.E após Feira de Santana, quem vai para Natal e quer evita o trânsito de Salvador, deve pegar o viaduto na saída B do km 607, ou seja, saída 607B, à direita de quem chega a Salvador. Tentar cortar caminho por Araci e Serrinha é mico, do ponto vista do conforto e segurança da família a bordo. Lamentamos muito,Helder mas, fora disso, é invenção de moda.
          Um abração.
          Abreu

          1. obrigado..irei como sempre, seguir sua dica e garantir como sempre a viagem segura com minha familia..Obrigado Abreu.

  25. Boa tarde Sr. Abreu.
    Como tem passado, espero que esteja bem! Vejo que seu blog continua contribuindo bastante com os viajantes que procura informações, fico feliz por isso.
    Em 2015 fiz uma viagem para ilhéus e suas dicas foram de extrema importância, por isso estou aqui novamente pedindo sua ajuda para mais esta aventura.
    Início do mês de abril 2018 planejo fazer uma viagem de carro de Brasília para João Pessoa, um pequeno detalhe, estou indo sozinha (ops…. não com meu cachorro), gostaria de contar com sua precisa colaboração na indicação da melhor rota, bem como as dicas de como está as estradas nesse momento.
    Dei uma olha nas dicas da rota Brasília-Salvador-Natal de carro, e vejo que o melhor caminho seria por Barreiras, é isso mesmo? se puder gostaria de todas as dicas no máximo de detalhes, sabe com é vou estar sozinha.
    Outra coisa, após Salvador gostaria de seguir pelo litoral até João Pessoa.
    Desde já gostaria de te agradecer imensamente, pois, com suas dicas podemos planejar melhor nossas viagens, mais uma vez parabéns pela sua valorosa contribuição.
    Um grande abraço, e que o ano de 2018 seja ainda mais produtivo com saúde e muita luz.
    Celicia

    1. Olá, Celícia. Bem-vinda ao blog e obrigado pelo afago que você fez em cada um dos cães que puxam esse trenó. Foi uma força, uma energia muito grande para nós. Se você vai viajar em abril, teremos muito tempo de conversa. Tudo o que está no post “Brasília-Salvador-Natal de carro” está atualizado, Celícia. Eu próprio vou retestar a rota a partir de Salvador na próxima semana. ir pelo litoral é o que há de mais bonito e o caminho também está descrito no blog: após o posto da Polícia Rodoviária Federal em Simões Filho, pegar a perna que a levará até ao aeroporto de Salvador, à Estrada do Coco e a Linha Verde. Essa viagem é como ir ao ir ao Caribe, sem sair do Brasil. Coisas lindíssimas! Vamos conversar MUUUUITO antes de você viajar, OK? Vamos levar você a João Pessoa e trazê-la de volta por controle remoto.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Vou agradecer muito sua ajuda, fico aguardando suas informações atualizada em como está a estrada, em especial saindo de Brasilia até Salvador, vamos conversando.
        Um grande abraço.
        Celicia

    1. Olá, Davi. Bem-vindo ao blog. A rota Picos-Caicó deveria ser um traçado relativamente simples e direto, no qual você pegaria a BR 316 em Picos e seguiria até Salgueiro, onde apanharia a BR 116. Após 150 km, viraria à direita em direção a Cajazeiras, seguindo direto para Caicó. O problema é que essa rota atravessa uma região perigosa (com grande presença de traficantes de drogas, frequentes tiroteios, assassinatos e assaltos), conhecida como “Polígono da Maconha”. Com a atual situação da Polícia Rodoviária Federal, cujo orçamento foi profundamente cortado pelo Governo Federal, os deslocamentos dos policiais da PRF, para patrulhamento da área, foi praticamente suspenso. E a bandidagem tomou conta. Então, nossa recomendação é no sentido de que você gaste um pouco mais de tempo, viaje alguns quilômetros a mais, mas chegue em paz a Caicó. Para isso, você deverá sair de Picos pela BR 020 e seguir até Tauá e Boa Viagem, de onde você descerá pela CE 060 para Iguatu e Icó, onde você descerá pela BR 116 até o entroncamento com BR 230, que levará você diretamente a Caicó. Ao sair de Picos e chegar a Tauá, tome informações sobre o estado da estrada que corta caminho para Mombaça. Se ela estiver em bom estado, você não precisa subir até Boa Viagem: atravesse para Mombaça e desça pela CE 060 como orientamos. Você economizará cerca de 200 km. Se restarem dúvidas, retorne: será um prazer ajudá-lo a planejar sua viagem.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Obrigado pelas informações preciosas. Ainda sobre a como chegar em Caíco-RN… Caso eu estivesse em Gilbués-PI com destino a Caíco-RN teria outra rota melhor que ir por Picos-PI?

        1. Olá, Davi. A rota que havíamos passado para você não é a mais curta, mas é a mais segura, independentemente de você sair de Picos ou de Gilbués. Apenas você acrescentará os 733 km de Gilbués a Picos. O restante é igual. Qualquer “invenção de moda” ali naquele trecho significa riscos de asfalto em péssimas condições ou de tiroteios e assaltos. Deus ilumine você na hora de tomar a decisão. Mas acho que, se Deus fosse o motorista, ele seguiria nossa orientação.
          Um abração.
          Abreu

  26. Muito boas suas dicas, em Janeiro estarei saindo com a família de Brasília com destino a Maceió. Penso em parar em Feira de Santana BA, para dormir e descansar.
    Primeira pergunta
    Acha viável fazer esse primeiro percusso de uma só vez?
    Em seguida pretendo parar em Aracaju SE,
    Segunda Pergunta
    É melhor entrar no inicio da SE100 ou ir pela Br 101 ate Aracaju?
    Terceira Pergunta
    Qual o melhor ponto para entrar na SE100 e aproveitar mais as paisagens?
    Quarta Pergunta
    Vi que oque liga a SE100 a AL 101 é o ferry boat, aconselha esse percusso?
    Grato pela atenção.

    1. Olá, Adriano. Bem-vindo ao blog. Vamos para a primeira pergunta: é viável fazer o percurso Brasília-Feira de Santana de uma só vez? A resposta é não. Quem viaja com a família deve limitar sua jornada (a distância que você viaja a cada dia) a 1.000 km, no máximo 1.100. De Brasília a Feira são 1.327 km, o que tornaria a viagem demasiadamente cansativa para a família, perigosa (você teria de viajar à noite, em rodovias sem iluminação e com sinalização precária, com eventuais buracos esparsos) e se estiver chovendo a coisa se complica mais ainda. De Brasília a Maceió são 1.895 km, o que proporciona uma viagem tranquila em dois dias. De Brasília a Aracaju são 1.620 km. Então, você tem uma série de alternativas para distribuir sua viagem, uma vez que você quer parar em Aracaju. Nossa sugestão é que no primeiro dia você pernoite em Lençóis, onde você chegará por volta das 17 horas. E, no dia seguinte, após rodar cerca de 600 km, você estará em Aracaju no princípio da tarde. Saindo de Aracaju no terceiro dia após o café da manhã, você chegará a Maceió por volta das 10 horas da manhã. Segunda pergunta: pegar a SE 100 ou a BR 101? Até uns três anos atrás, essa pergunta não existia: o único caminho era pegar a BR 101 em Estância. Hoje,para quem gosta de viajar de férias acompanhando o mar, a pergunta sobre pegar a BR 101 é que não existe mais. Eu não tenho dúvidas: entre enfrentar os caminhões e o trânsito na entrada de Aracaju, sempre escolho a SE 100. É um colírio para os olhos. O melhor ponto para pegá-la é cerca de um quilômetro antes de Estância, onde você deixa a Linha Verde e pega o trevo que leva à SE 100. Terceira pergunta: você aconselha pegar o ferry-boat? O que sempre utilizei ali naquela travessia foi balsa, e não ferry. Talvez tenham colocado o ferry recentemente. De qualquer modo, a travessia de balsa é sobre a foz do Rio Francisco. Acho que todo brasileiro, para entender a tragédia ambiental que está acontecendo no Brasil, tem que fazer aquela travessia. É de cortar o coração: a profundidade do Velho Chico é ridícula. Às vezes, a balsa arrasta a lama do fundo do rio e a água é salobra, porque o mar está avançando sobre o rio fragilizado pela devastação em suas margens. Sou mineiro, Adriano, de Januária, na margem esquerda do Rio São Francisco. Já viajei de Januária a Remanso (submersa na atual represa de Sobradinho) no vapor Benjamim Guimarães. Hoje essa viagem seria impossível, por causa do nível das águas do rio, o que se torna dramático lá na foz, em Piaçabuçu. E como bom barranqueiro, cada vez que faço aquela travessia, vêm-me um nó na garganta e lágrimas aos olhos. Por isso, repito: faça aquela travessia e você e sua família entenderão um pouco mais do futuro e do passado do Brasil. Você chegou até nós através do post “Brasília-Salvador-Natal de carro”, publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, na aba “Rodovias Brasileiras”, onde também se encontram outros posts que podem interessar a você. Particularmente, não deixe de ler o “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”: lá há uma série de pequenas informações que podem ser muito úteis para quem viaja com família. É isso. Se restarem dúvidas, retorne: será um prazer ajudá-lo a ir e voltar em segurança.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Olá Sr. Abreu
        Muito grato pelas informações, estava aqui mais umas vez lendo e revendo as dicas para poder coloca-las em prática e me veio mais umas duvidas.
        1ª Barreiras ou Correntina?
        Se Correntina vi que para chegar em Lençois preciso em Santa Maria da Vitória pegar a BA 172 que liga até a Br 242 seria isso mesmo ou seguir com destino a Barreiras e pegar uma estrada mais reta e enfrentar transito de caminhões é oque me falaram
        2ª Saindo da BR101 para pegar a SE100 a via que liga é a SE368?

        1. Olá, Adriano. Bem-vindo de volta. Como você vai para Maceió, sem dúvida sua rota é por Barreiras. Só indicamos a rota por Correntina para quem vai para o sul da Bahia (Ilhéus, Porto Seguro, etc). Aliás, uma vez na rota por Barreiras, evite atravessar por QUALQUER das transversais entre a BR 242 e a BR 349: nenhuma delas recebe a nossa recomendação para uso. O trânsito de caminhões pela BR 242 (Barreiras) é semelhante ao da BR 349 (Correntina), exceto na época do preparo do solo (transporte de fertilizantes, sementes e corretivos do solo nos meses de julho e agosto) ou na época da colheita de soja e milho (meses de abril e maio), uma vez que Barreiras e Luís Eduardo Magalhães estão no centro de um grande celeiro de grãos. E mesmo nessas épocas, não é nenhum bicho-de-sete-cabeças: uma pitadinha de paciência e a viagem se desenvolve normalmente, até porque em ambos os casos a estrada é plana, o traçado é reto e os caminhões têm pressa. Finalmente, não vale a pena deixar a BR 101 para pegar a SE 100. Se você pretende curtir as belezas daquele litoral, o melhor é pegar a Estrada do Coco e, depois, a Linha Verde, que levará você à divisa BA/SE e à SE 100, onde, logo após a cidade de Indiaroba, você tem acesso à ponte Gilberto Amado, que atravessa o rio Piauí (essa pontà eliminou a travessia por balsa), e termina na ponte Joel Silveira, que depositará você na orla da cidade de Aracaju. Para pegar a Estrada do Coco (Aeroporto de Salvador), não pegue a BR 101 20 km após Feira de Santana: prossiga na BR 324 e, após o posto da Polícia Federal em Simões Filho, pegue a alça à direita e suba no viaduto: você estará então apontado para o Aeroporto, em cujo balão você apanhará a Estrada do Coco e, posteriormente, a Linha Verde. Se precisar, retorne. Será um prazer esclarecer suas dúvidas.
          Um abração.
          Abreu

  27. Transcrevemos abaixo comentário de Alceu Simões Nader, postado em 19.08.2017, no post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas estradas brasileiras” e respectiva resposta:
    Enviado em 19/08/2017 as 13:41
    Prezado Abreu,
    Obrigado pela boa vontade e pelo serviço de sobrevivência nas nossas estradas dado pelo seu blog. Fui repórter-pesquisador do Guia 4 Rodas nos anos 70, sei o trabalho que dá atualizar as informações – o que dignifica ainda mais o seu blog.
    Vou fazer Brasília-Trancoso (BA) e encontrei aqui informação essencial para eu planejar a viagem. Muito obrigado.

    Em resposta a Alceu Simões Nader.
    Olá, Alceu. Bem-vindo ao blog. Este seu comentário encheu a gente de orgulho. E como orgulho é pecado, estamos pecando adoidado por aqui. É que receber uma mensagem desse teor de um profissional que ajudava a tocar o Guia 4 Rodas nos anos 70 é um estímulo monumental para esse trabalho de formiguinha que fazemos por aqui. O nosso primeiro Guia 4 Rodas foi-nos dado em 1978 por um amigo da Ivanizes, minha navegadora há 42 anos. Só que a edição era de 1975. E com ele fizemos a viagem de nossas vidas: Brasília-Guarapari-Eunápólis-Salvador-Aracaju-Maceió-Recife-Natal-Gruta de Ubajara(CE)-Fortaleza- Parque Nacional de Sete Cidades(PI)-São Luís(MA)-Belém(PA)-Belém/Brasília-Anápolis-Brasília. E tudo isso em 30 dias de férias. As estradas eram boas e vocês, repórteres-pesquisadores, eram extremamente confiáveis. Seguíamos religiosamente o roteiro de hoteis e restaurantes com o adesivo “Quatro Rodas esteve aqui”. Todas os comentários que aqui se publicam, independentemente do destino da viagem ou da natureza do post original (o blog tem outras seções que não Rodovias Brasileiras), sempre têm uma carga de estímulo para nós, seja porque as pessoas estão inseguras em relação à viagem, seja porque estão agradecidas por irem e voltarem em segurança. Mas uma mensagem como a sua, que parte de uma autoridade no assunto e que ajudou um guia que era uma luz nessa área, quando não existiam internet nem GPS, é particularmente gratificante. Você fez o comentário em nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”. Por certo deve ter visto os demais posts de nossa aba “Rodovias Brasileiras”, do site wwww.expressaodaliberdade.com.br, que abriga o blog. Dessa forma, gostaríamos ter a sua autorização para reproduzirmos o seu comentário em todos os posts da aba (Brasília-Porto Seguro de carro, Brasília-Ilhéus de carro, Brasília-Salvador-Natal de carro, Brasília-Buenos Aires de Carro e tantos outros que lá estão publicados). Isso porque alguns princípios nossos – segurança, segurança, segurança, ainda que por rotas mais longas e sem viagens noturnas – não são bem compreendidos por alguns de nossos visitantes. Acontece que a maioria de nosso público básico é composta de gente simples, marinheiros de primeira viagem, que partem com a família inteira, em veículos modestos. E é para essas pessoas que nós nos desdobramos para orientar, com responsabilidade, particularmente em relação aos cuidados com os idosos, com as crianças e atenção para com os buracos, os animais na pista, as estradas ermas, principalmente de terra, sem policiamento da PRF, os restaurantes de beira de estrada e os postos de combustíveis de marcas genéricas. Sua presença aqui e nos demais posts seria um importante reforço nessas nossas recomendações, o que muito nos honraria e ajudaria. Mais uma vez, obrigado, Alceu, e esperamos que você nos autorize a reproduzi-lo nos outros posts como solicitado. Faça uma boa viagem para Trancoso e aguardamos notícias suas.
    Um grande e fraternal abraço.
    Abreu
    O Alceu autorizou por e-mail, em 20.08.2017:
    “ Pode reproduzir sem problemas”.
    Abs

  28. Boa tarde Abreu,
    Estou programando ir a Caruaru e Campina Grande, saindo de Brasilia de carro(Corolla) em junho/17 para as festas de são joão.
    vc tem um roteiro para ajudar??
    Nosso principal receio alem dos habituais – condições da estrada, assaltos, etc – são as chuvas.
    Gostaria de fazer pela litorânea, que conforme já li nos seus comentários, é seu roteiro preferido.
    Temos 15 dias para ir e voltar.

    obrigada

    1. Olá, Ana. Bem-vinda ao blog. O roteiro básico é aquele do post pelo qual você entrou aqui, ou seja, “Brasília-Salvador-Natal de carro”. Tudo dependerá, claro, da forma como você organizar sua viagem. Nosso roteiro básico coloca você em Recife e em João Pessoa. De ambas as cidades, a distância para Caruaru ou Campína Grande, por estrada duplicada, é da ordem de 130 km. Não sei quantos dias duram as festas juninas nas duas cidades, mas, sem correr riscos de viajar à noite e pernoitando em Maceió, na manhã do terceiro dia de viagem partindo de Brasília você poderá estar em Recife (258 km de Maceió) ou João Pessoa-375 km. (Neste momento, tive de fazer uma pausa e ir para a janela para ver passar o trio elétrico do Carlinhos Brown arrastando cem mil pessoas no Calçadão da Barra neste sábado de Carnaval aqui em Salvador). Retomando a conversa: a partir de qualquer das duas cidades você poderá iniciar seu roteiro junino. As quatro cidades(Recife-Caruaru-Campina Grande-João Pessoa) formam um quadrilátero, composto pela BR 101 até João Pessoa, BR 230 até Campina Grande, BR 104, até Caruaru e BR 232 até Recife. A única de pista simples é a BR 104 (Caruaru-Campo Grande). E todas estão em boas condições de conservação e segurança. Se sobrarem dúvidas, retorne. Será um prazer ajudá-la.
      Um grande abraço.
      abreu

  29. Boa noite,

    Parabéns pelo Blog! Eu e meu marido conhecemos o blog esse ano, quando decidimos começar a nos aventurar pelas estradas do Brasil com nosso pequeno de 3 anos. Para começar, iremos fazer a viagem Brasília- Ilhéus – Salvador- Aracaju- Brasília.

    Após as leituras do blog, gostaríamos de confirmar de confirmar as estradas mais indicadas:

    Brasília – Ilhéus : Brasília-Rosário-Trevo da BR 349-Correntina-Santa Maria da Vitória-Bom Jesus da Lapa-Caetité-Brumado-Vitória da Conquista-Itambé-Ipatinga-Itororó-Floresta Azul-Itabuna-Ilhéus

    Ilhéus – Salvador: você indicaria ir ela BA 001 passando por Itaparica e depois seguir de Balsa para Salvador?

    Salvador – Aracaju: Pretendemos ir pela Linha Verde, porém a dúvida é se vamos por Estância ( BR 101 ou seguimos pela via estadual SE-100.

    Agradeço pelas dicas já prestadas e aguardo novas dicas…

    Grande abraço, Feliz 2017!

    1. Olá, Danúbia. Bem-vinda ao blog. Sim, a rota para Ilhéus está correta, tal como a recomendamos em nosso outro post “Brasília-Ilhéus de Carro”, que você, pelo jeito, já deve ter lido. Quanto a escolher BA 001 ou BR 101, para mim como comparar as cidades do Rio de Janeiro com São Paulo: são destinadas a coisas diferentes. A BA 001 é o Rio, com seu ritmo, sua beleza, sua alegria própria. A BR 101 é São Paulo: é para quem tem pressa de chegar, de ganhar dinheiro ou de arranjar um amor. Eu adoro a BA 001, quase toda à beira-mar, atravessando cidadezinhas calmas, paisagens inimagináveis. Passar por Valença e saber que Morro de São Paulo (aquela filial do Paraíso) está logo ali, bem ao lado de Guaibim, outra maravilha baiana. E tem Barra Grande, e tem Camamu. Em Nazaré das Farinhas (um fantástico prato local: pitu no Bode. Bode é o dono do restaurante que faz o melhor pitu do mundo), você pode decidir se pega a BR 101 ou se pega a balsa (lá se chama “ferry-boat). O ferry é outra viagem encantadora, de meia hora, atravessando a Bahia de Todos os Santos e pegando poses notáveis da capital baiana. Caso você esteja no início ou fim do final de semana, ou no comecinho ou finzinho do dia, melhor pegar a BR 101, porque há uma espécie de rush na fila das balsas nesses momentos. Fora disso, vá de ferry. Desça no terminal de Água de Meninos e, meia hora depois você já estará pegando a Linha Verde para Aracaju. Quanto a Estância, nem se preocupe: ninguém, vindo de Salvador, de férias ou mesmo a negócios está passando por lá mais. A jogada é pegar a variante litorânea um pouco depois do trevo e sair direto em Aracaju, na praia de Mosqueiro. Como vocês podem estar com um futuro presidente da República a bordo, não deixe de ler o nosso post “Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, aqui mesmo no blog.
      Façam uma viagem maravilhosa, tranquila e segura.
      Um grande abraço.
      Abreu

  30. Olá! Gostaria de saber se alguém foi recentemente para Porto de Galinhas. Pretendo fazer viagem de 10 dias, partindo de Planaltina/DF à Porto de Galinhas. Nunca viajei por aquelas bandas… o máximo de carro que viajei foi até Prado na Bahia, indo por Montes Claros.

    Agradeço!

    1. Olá, Thaise. Bem-vinda ao blog. Este post por onde você chegou aqui – “Brasília-Salvador-Natal de carro” -, postado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, está atualíssimo. As estradas estão em bom estado e o congestionamento no trevo de Recife continua firme e forte. A única mudança importante foi na aproximação de Aracaju, para quem vai pelo litoral (Linha Verde). Onde anteriormente tínhamos de abandonar a Linha Verde e pegar a BR 101 em Estância,com destino a Aracaju, com seu tráfego pesado, agora, é só seguir em frente pela Linha Verde e pegar a ponte para a praia de Mosqueiro, na frente de Aracaju e daí continuar em frente para Maceió. Tudo está explicadinho no post e as informações lá publicadas continuam válidas para o trecho Brasília-Porto de Galinhas. Qualquer dúvida, retorne. Será um prazer ajudá-la.
      Um grande abraço.
      Abreu

  31. Olá Abreu? Olha eu aqui de volta!!!! Acabei de retornar das minhas férias em Natal e que férias maravilhosa, pena que acabou, mas sempre fica um gostinho de quero mais. Graças a Deus a viagem foi excelente, seguir seus preciosos conselhos e deu tudo certo. Respondendo atrasado a Rosario Ferreira a estrada de Brasília para Natal está ótima, salvo alguns trechos de asfalto descascando mas nada que uma boa atenção ao volante não resolva. Em relação a hospedagem, na ida me hospedei no hotel Portal do Sol em Itaberaba e na volta fiquei na Casa Bella também em Itaberaba, das duas a melhor que achei foi a Casa Bella.
    Enfim, viajar de carro para Natal foi uma experiência maravilhosa e não me arrependo, mesmo todo cansaço e apreensão na estrada, valeu muito a pena pois me deu mais vontade de conhecer o Brasil de carro e essa será minha meta para 2016. Um grande abraço e Feliz 2016 a todos os viajantes.

    1. Olá, Kelma. Você não imagina como fico feliz de saber que você, o maridão e as duas filhas foram, vivenciaram essa maravilhosa parte do Brasil e estão de volta sem problemas. Para nós, é um referendo, uma confirmação de que estamos fazendo o trabalho certo. Um dia, eu ainda vou colocar aqui no blog porque começamos a fazer isso.Tem a ver com estatísticas. É muito cedo, mas já nos dá um orgulho danado poder dizer -“Olá, Kelma. Bem-vinda de volta!”.
      Um grande abraço e até a próxima viagem de carro – que é a única forma séria de se conhecer o Brasil.
      Abreu

  32. Oi Kelma, vi as suas perguntas e fiquei muito feliz, pois vou fazer esse mesmo percurso sugerido pelo Abreu. Saio de Brasília 16/12, se puder me fale como está a BR 101 e os hotéis onde se hospedou.
    No aguardo e desde já obrigada!

    Rosário.

    Ps. Seu Abreu parabéns pelo Blog, simplesmente maravilhoso! Espero me tornar uma sputinick! 😜😜😜

    1. Olá, Rosário. Bem-vinda ao blog e obrigado por suas palavras carinhosas e estimulantes. Quanto a vir a ser uma sputnik, você recebe o certificado no momento em que entra aqui. Portanto, você já é uma de nós. Seja muito bem-vinda mesmo!
      Um abraço grande.
      Abreu

  33. Alguém tem informações de como estão as estradas entre montes claros MG e seabra? Saio de SP agora no fim do ano

    1. Olá, Duílio. Bem-vindo de volta. Em janeiro de 2014 você passou por aqui, complementando suas informações para a viagem a Brotas de Macaúbas. E no seu retorno, brindou-nos com um magnífico relato de sua experiência, que transcrevo abaixo:
      Enviado em 17/03/2014 as 13:07
      Senhores boa tarde, só para dar uma atualizada aqui, fui de Osasco-SP para Brotas de Macaúbas-BA, indo também até as cidades de Seabra e Palmeiras agora no feriado do carnaval (entre 28/02 e 09/03/14).
      A Ida foi via rodovia Anhanguera, que está um tapete, BR-050 tem um trecho ruim e em obras entre Uberlândia e Catalão, passando por Formosa onde a BR-020 está um tapete, seguindo por Luís Eduardo Magalhães onde se deve ter muito cuidado nas lombadas, pois é muito fácil deixar uma parte do motor nas lombadas por ali devido às deformações causadas pelo peso dos caminhões. Já na BR-242 após Barreiras existem alguns buracos até Ibotirama, onde dá pra se desviar e onde se deve tomar cuidado também com as lombadas ou quebra molas. Entre Ibotirama e o posto Luizão (entroncamento com a BA-156) existem alguns buracos onde dá pra se desviar também. Seguindo pela BA-156 até Brotas de Macaúbas a estrada está muito boa (apesar da qualidade duvidosa do asfalto colocado).
      O trecho entre a BA-156, Seabra e Palmeiras está razoável, dá para trafegar tranquilamente.
      O retorno foi realizado “via Montes Claros” como conhecemos aqui em São Paulo. O trecho entre Ibotirama e Bom Jesus está como sempre… com muitos buracos, mas com muitos deles tampados com terra (Não sei se por moradores ou pelas prefeituras locais), é preciso cuidado neste trecho. Agora vem o trecho que me surpreendeu pela qualidade… precisaria de um adjetivo pior do que horrível para poder descrever o trecho entre Riacho de Santana e Caetité… (ouvi falar até que os ladrões cavam buracos na pista pra pegar os caminhoneiros), havia buracos onde cabiam o meu carro dentro (um Vectra 2007) e desenvolver uma velocidade superior a 50km/h é suicídio. A BR-030 entre Caetité e Guanambi está boa. A BR-122 no sul da Bahia está trafegável. Dentro do estado de Minas, muitos buracos entre a divisa MG-BA e Janaúba… buracos até pequenos, mas profundos (daqueles em que se cortam os pneus), onde peguei um, mas não aconteceu nada aos meus pneus (graças a Deus). A partir de Montes Claros , as BR-135 e 040 estão boas, e a BR-381(via privatizada) a partir de Belo Horizonte está ok também…Vale ressaltar que neste trecho de 1750Km aproximadamente, quase não vi policiamento e o único policial que vi em Montes Claros, estava bem ocupado com o celular dele e se eu fosse um contrabandista, teria vindo tranquilamente por este caminho, então cuidado pessoal, porque se precisarem de ajuda, podem apostar que vai demorar.
      Um detalhe que sempre encanta quando saio de Formosa e vou para Barreiras (como aconteceu nesta viagem), é o “balé” que acontece na pista com ultrapassagens nas retas… é muito bonito de se ver… rsrsrs
      Abraço a todos e espero que tenha ajudado

      Claro que ajudou muita gente, inclusive você, porque se fosse outra pessoa que nos fizesse a pergunta que você está fazendo, nós talvez disséssemos -“Veja o relato do Duílio de 2014”. A verdade é que não temos como recomendar essa viagem senão pela rota Brasília-Barreiras-Ibotirama, NA IDA E NA VOLTA. Aquele “miolo” que você descreveu como indescritível, envolvendo a BR 122 até Montes Claros, conseguiu piorar mais ainda. Tenho uma sobrinha que é dentista em Guanambi. Meu irmão, que mora em Montes Claros, sofre para visitá-la com uma 4×4. Acidentes e criminalidade estão presentes em níveis mais do que o razoável. E a prisão dos donos das empreiteiras que faziam a manutenção daqueles trechos completa o quadro. Assim, somos obrigados a recomendar que você vá pelo Triângulo Mineiro, Brasília, Barreiras e Ibotirama. As estradas do Triângulo estão boas e a entrada de Brasília, onde a BR 050 se funde com a BR 040 (Cristalina), está com a duplicação quase pronta, inclusive com pedágios já instalados. O restante do trajeto está bom ou razoável. Não invente de descer de Ibotirama para Bom Jesus da Lapa, nem de Seabra para Brumado: está tudo destruído. Volte exatamente por onde foi, ou seja, Ibotirama, Barreiras, Brasília, Triângulo e São Paulo, OK?
      Um grande abraço e não deixe de fazer novo relato para nós.
      Abreu

  34. Olá Abreu, tudo bem ? Já estou fazendo a viagem…rs ! Saí de Brasília na quarta feira cedo, após uns 300 km de viagem peguei uma manifestação na estrada com queima de pneus, tudo parado. Eram trabalhadores que protestavam por estarem 6 meses sem receber salários de uma Usina de cana. Perdi algum tempo ali, mas consegui usar um desvio de terra e cortei a manifestação. Continuei seguindo viagem e a estrada está boa. Após Luis Eduardo Magalhães o fluxo de caminhões aumentou um pouco, mas nada de anormal. Em Barreiras acabei cruzando por dentro da cidade mesmo (li agora acima sobre o anel viário para cortar e realmente não o vi). Após Barreiras segui rumo a Lençóis para pernoite. Lençóis é uma cidade muito simpática (Chapada Diamantina), vale a pena conhecer mesmo. A rua das pedras a noite é muito bacana e vale muito a visita. Peguei uma pousada logo na entrada da cidade (Pousada do parque) e o preço foi bom também, 90 reais o casal (após negociação). Hoje (03/12/2015) saímos de Lençóis umas 8 da manhà, continuei seguindo o roteiro. Até agora pouquíssimos buracos, poucos mesmo, e alguns trechos irregulares de asfalto. Após ITABERABA segui reto e a estrada termina praticamente na BR 116 (acho que é isso). Ali o fluxo de caminhões foi grande e continuei em direção a Lauro de Freitas para pegar a Linha Verde (passa na frente do Aeroporto – Estrada do Côco). Pouco antes de Simão Filho, paroximadamente no KM 600, paramos num posto Ipiranga a direita, lá almoçamos num restaurante pequeno de fachada amarela (Casa do Engenho), comida caseira ótima e barata. (18 reais o casal). Segui para a linha verde e parei rapidamente em Guarajuba e Praia do Forte (muito bonita mesmo, na volta ficaremos lá). Continuei até Estância e por ali me confundi um pouco, pois antes da cidade há uma outra estrada indicando sentido Aracaju, mas acabei seguindo até Estância e após 10 km entrei a direita numa pequena estrada (Praia do ??? – Esqueci o nome) que me levou até a praia dos mosqueiros, pegando a ponte que chega em Aracaju. Essa estrada no início está bem irregular o asfalto. (Utilizei GPS do Celular…rs). Chegando em Aracaju a idéia era seguir rumo Maceió, mas como perdemos tempo no caminho já havia escurecido e, até como você mesmo sugere, decidimos não viajar a noite. Nesse momento estamos em Maceió num hotel e amanhã seguiremos direto para Natal que é o nosso destino final. Depois iremos descer conhecendo as praias. Bom, por enquanto espero ter ajudado assim como você me ajudou bastante. Suas dicas valeram MUITO a pena !!! Grande Abraço.

    1. *** Nesse momento estamos em Aracaju num hotel e amanhã seguiremos direto para Natal que é o nosso destino final.

      OBS: corrigindo o final da postagem que escrevi acima. Estamos em Aracaju e não em Maceió, pois decidimos não viajar a noite.

    2. Olá Eduardo, olhando seu comentário posso ter uma base pra seguir minha viagem pra Natal TB, saindo de Brasília. Uma pergunta: na entrada de Feira de Santana, VC pegou a direita seguindo pra Salvador? Pegou a Br 101 e a mesma está boa?? Outra coisa, VC saiu que horas de Brasília pra consegui dormir em Lençóis? No mais te desejo ótima viagem!!!

      1. Oi Kelma, as dicas do Abreu estão ótimas. Segui o que ele recomendou. Após o posto da PRF de Simões Filho entrei a direita seguindo as placas do Aeroporto Luis Eduardo Magalhães, que fica em Lauro de Freitas. Coloquei no Google maps do celular e segui. Peguei a Linha verde e a estrada é muito boa. Já perto de Estância me confundi um pouco em um trevo que tem uma placa indicando Aracaju, mas segui reto em Direção a Estância e depois peguei outro caminho para praia dos mosqueiros. Acredito que voc^irá pegar a BR 101 direto. Fui pegar a BR 101 em Aracaju. A partir desse trecho achei a BR101 bem pesada, muitos caminhões, asfalto irregular em inúmeros trechos e ainda tem obras que param um lado da estrada (uma pista por vez). Precisa de muita paciência nessa estrada. O trecho de Pernambuco está bem ruim. Na verdade a estrada só foi melhorar um pouco antes de João Pessoa, quando vira pista dupla e vai até Natal assim. Estrada ótima desse ponto em diante. Quanto a pergunta sobre Feira de Santana eu peguei a direita sim e passei por dentro da cidade. O horário ideal para sair de Brasília e dormir em Lençois, sem viajar a noite, é 7:00h.

        1. OBS: 7:00 é para já estar na estrada passando Sobradinho… rs. Aproveitando mais uma vez para agradecer o Abreu por todas as dicas !

          1. Oi Abreu, Eduardo e Kelma
            No dia 15/12 é minha vez vou sair de Goiânia, dormir em Lençóis, passar dois dias em Aracajú e ir a Porto de Galinhas e Recife. depois de Aracajú a opção é essa BR101 complicada que você falou , Eduardo, ou tem outra opção?
            Eduardo você pegou muita chuva?

  35. Obrigada mais uma vez Sr Abreu. Outra coisa que observei em um dos comentários acima é que chegando em Barreiras preferir ir pelo Anel Viário ao invés de ir pelo centro da cidade correto? Mas indo por esse Anel Viário é mais longe?? É bem sinalizado?? Pois não pretendemos ir pelo centro, haja vista que será num sábado e o comércio pode estar lotado não é mesmo???

    1. Olá, Kelma. O Anel Viário é mais ou menos a mesma distância, pouquinho mais. O problema é o trânsito no interior da cidade de Barreiras. Não é raro a gente perder meia-hora ali. Eu já tive o desprazer de levar 48 minutos para atravessar a cidade. O Anel não é muito bem sinalizado não: é preciso ficar bastante atento ao se aproximar da cidade, depois de passar pelo posto da Polícia Rodoviária Federal. Aos sábados costuma haver uma feira nas margens da rodovia, dentro da cidade. Um grupo de pessoas já atravessou na minha frente na rodovia, correndo atrás de um ladrão!
      Um abraço.
      Abreu

  36. Boa Tarde, Sr Abreu? Minha viagem saindo de Brasília rumo a Natal se aproxima ( faltam 12 dias rsrsrs!) a ansiedade é claro toma conta, mas é bom pois no meu caso que sou co-piloto faz com que haja planejamento e mais planejamento. Já fiz a rota recomendada aqui nesse maravilhoso site, bem como uma pesquisa dos hotéis das cidades que eventualmente eu venha parar para dormir. Minha volta novamente nesse MA-RA-VI-LHO-SO site é para esclarecer uma dúvida: depois de Itaberaba sigo rumo a Ipirá ou Argoim? De antemão agradeço!!!! Abraços!

    1. Olá, Kelma. A rota por Argoim está boa e a BR 116 está duplicada até Feira. Entretanto, o grande tráfego de caminhões naquela rodovia e a tranquilidade da rota por Ipirá nos leva a recomendar esta última. Você vai ver que a estrada para Ipirá não tem buracos, a sinalização é boa e dificilmente a gente consegue cruzar com mais de 3 ou quatro veículos naquele trecho, o que adianta bastante a viagem. Assim, no trevo de Itaberaba, em vez de seguir em frente para Argoim, vire a esquerda e pegue a BA 233 para Ipirá, OK?
      Um abração.
      Abreu

  37. Oi Abreu, tudo bem ? Li o post da colega, você detalhou pra ela o caminho alternativo para quem está com mais pressa. Eu gostaria de ir pela Linha Verde e se você pude me ajudar com os detalhes vide sua experiência fico muito grato. Outra dúvida que me surgiu é sobre o combustível, pois a Amarok só aceita Diesel S10, será que terei dificuldade com abastecimento ?

    1. Olá, Eduardo. Realmente ter tempo para ir pela Linha Verde é um privilégio. O roteiro está neste post mesmo (RODOVIAS BRASILEIRAS:Brasília-Salvador-Natal). Apenas nós orientamos, para quem quer Linha Verde, mas não deseja enfrentar o trânsito de Salvador, pegar a alça da direita 1 km depois do Posto da PRF em Simões Filho e ir direto para o trevo do Aeroporto Luís Eduardo Magalhães. O Aeroporto já fica em Lauro de Freitas, na Estrada do Coco, que, posteriormente, vai virar a Linha Verde. As possibilidades a explorar e as hipóteses de pernoite são múltiplas e sensacionais, a começar por Guarajuba, Itacimirim e Praia do Forte (Nota 10!) e Costa do Sauípe. Quanto ao diesel, acho que não haverá problemas, porque registramos muitos caminhões novos, principalmente os Iveco, que também só rodam com diesel de baixo teor de enxofre. O trecho até Salvador é bem servido de postos BR, com disponibilidade de S10 e a partir da capital baiana cuide de abastecer nas capitais (Salvador, Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa e Natal), porque as distâncias entre elas serão perfeitamente cobertas pela autonomia da Amarok. Mas não se esqueça: havendo S10, complete o tanque: seguro morreu de velho!.
      Um abração.
      Abreu

      1. Mais uma vez muito obrigado pela ajuda ! Estou ansioso para conhecer todos esses lugares e ter a liberdade de rodar livremente !

  38. Ola Abreu, obrigado pela resposta ! Eu quero sair de Brasília dia 01/12 e seguir para Natal, depois de lá vir descendo o litoral conhecendo as praias que derem pra conhecer. Terei que estar de volta no dia 20 então preciso planejar bem a viagem. Achei melhor ir direto a Natal e depois vir descendo. O que você acha ? Qual o melhor caminho a se fazer ? Não tenho pressa de chegar. É fácil encontrar lugares para hospedagem com bons valores ? Estarei indo em uma Amarok. Obrigado mais uma vez pela ajuda.

    1. Olá, Eduardo. Você viu as perguntas da Kelma Calvet? Ela postou o comentário no dia 10.11, às 17h37 e nós respondemos no mesmo dia. Tudo aqui no post RODOVIAS BRASILEIRAS:Brasília-Salvador-Natal. É o mesmo trajeto que você quer fazer, só que você tem 20 dias e ela só tem 15. Você sairá no dia 01.12 e ela no dia 12.12. Quando há escassez de tempo, temos orientado os sputniks a irem direto ao ponto (Natal) e administrar a volta segundo suas disponibilidades. No texto-base desse post, curtimos a ida e a volta, porque tínhamos todo o tempo do mundo – nós aposentados e meu filho e minha nora em férias e saindo de Salvador! Já no caso seu e da Kelma, não dá para fazer como nós. Mas a nossa recomendação persiste: direto a Natal e depois avaliar como e o que curtir na volta, a começar por Pipa, lá pertinho e imperdível. Os pernoites que sugerimos a ela foram Lençóis e Maceió. Nessas duas cidades há condições de hospedagem para todos os gostos e bolsos. Quanto à volta, quando você estiver em Natal, retorne aqui ao blog. Ai teremos uma ideia do seu tempo disponível e poderemos ajudá-lo melhor, OK?
      Um grande abraço.
      Abreu

  39. Obrigada Abreu por tão rápida resposta! Vou fazer de tudo para tirar essa ideia do maridão,rsrs. Com certeza seguiremos seu roteiro, mas quando o sr diz seguir pela BR101 devo ir por Alagoinhas, Estância, Propriá e continuar até Natal?

    P.S: tenho um tio e primo que trabalham( trabalhou) no Banco do Brasil: Francisco( tio Chico) e Leonardo. Se for um desses, fico feliz!!!!

    Abraços!

    1. Exato, Kelma. Pegando a BR 101 depois de Feira de Santana, vocês deverão deixá-la apenas depois de Parnamirim, lá na Via Costeira. Quanto ao Calvet do FUNCI, acho que era o Leonardo: no BB normalmente a gente se chama pelo sobrenome. Eu era o chefe da unidade.
      Um abração.
      Abreu

  40. Olá Abreu! Como muitos aqui comentaram: que achado maravilhoso é esse blog!!!! Sou de Brasilia e irei para Natal em Dezembro com o maridão e minhas 2 filhas, sairemos no dia 12/12( infelizmente num sábado, mas é o dia que temos pois serão só 15 dias de ferias!) Pois bem, sou co-piloto e como toda co-piloto devemos está atenta a todas as cidades por onde iremos passar e anotar tudo para que no dia da viagem saia como o planejado. Depois de lê e relê, anotar, acompanhar com o google maps seu post Brasilia-Salvador-Natal( esse é também meu itinerário) eis algumas dúvidas:
    * a intenção do meu maravilhoso piloto era chegar em Natal no dia 13/12 ( parando para dormir em Seabra ou Lençois), sendo que sairemos de Brasilia dia 12/12, impossivel né?
    * outra coisa, num post anterior o sr comenta que tem como chegar em Aracaju por Mosqueiro e no google maps não achei essa cidade, minha intenção era seguir pela Linha Verde( BA099, me corrija se eu estiver errada), depois vou para Estância(BR 101) ou continuo na BA099 ? Pelo que vi acho que devo seguir a BR101 até Natal, mas se tiver outro caminho por favor me orientar;
    * desculpe a sinceridade, mas estou louca pelo google maps dar varias opções BR110, BR101, BR423 e BR101 e por não conhecer as estradas acabar indo por um trajeto curto e não chegar com segurança, dessa forma peço gentilmente que me oriente ao melhor percurso. Obrigada

    1. Olá, Kelma. Bem-vinda ao blog. Em primeiríssimo lugar, eu lhe passo a sublime missão de convencer o maridão a tirar da cabeça ideia de sair dia 12 e chegar dia 13. E eu estou falando isso do alto dos meus recém-completados 1.600.000 km rodados em estradas brasileiras SEM UM ACIDENTE. Vocês poderão planejar o primeiro pernoite em Lençóis, saindo de Brasília ao nascer do sol (nada de sair no escuro – o mês é de chuvas e escuro com chuva em Brasília é mico: você já chegarão em Formosa exaustos!). Ao entrar no estado da Bahia, vocês ganharão uma hora adicional, porque lá não há horário de verão. Assim, não precisam madrugar demais. Façam o segundo pernoite em Maceió e chegarão no dia seguinte a Natal por volta do meio-dia, ainda a tempo de uma cervejinha na Ponta Negra. Quanto ao percurso, há uma particularidade: quando a família está com tempo, com vontade de passear, ver coisas lindas e novas enquanto viaja para Natal, costumamos recomendar a Linha Verde e, em Estância, continuar pela BA 099, pela beira-mar, até entrar em Aracaju pela praia de Mosqueiro, uma vez que a ponte ficou pronta há pouco tempo. (Mosqueiro é uma praia). Mas vocês estão com pouco tempo, a ponto do piloto querer fazer a viagem em dois dias. Nesses casos, Kelma, nossa orientação é outra. Sigam nosso roteiro-padrão para Salvador (Brasília-Rosário-Luís Eduardo Magalhães-Barreiras-Ibotirama-Seabra-Lençóis-Itaberaba-IPIRÁ-BR 116-Feira de Santana-BR 324 para Salvador). Na BR 324, 21 km após Feira de Santana, há um viaduto. Nele passa a BR 101. Peguem a alça à direita, subam no viaduto, peguem a BR 101 e sigam nela até Natal, pernoitando, como já disse, em Maceió. A estrada está boa, o trânsito – por ser um domingo – vai estar tranquilo, exceto o trevo de Recife, em Jaboatão dos Guararapes, que é sempre um horror. Não deixem de dar uma olhadinha em nosso post “RODOVIAS BRASILEIRAS: Manual de sobrevivência em viagens de férias nas rodovias brasileiras”, publicado, como o post que você leu (“RODOVIAS BRASILEIRAS: Brasília-Salvador-Natal”), em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br. É isso. Se houver dúvidas, retorne. Teremos o maior prazer em ajudá-los a ir e voltar com o máximo de segurança, OK?
      Um forte abraço.
      Abreu
      P.S.: eu tinha um amigo no Banco do Brasil com esse sobrenome – Calvet. Trabalhava no Departamento de Controle do Pessoal-FUNCI.

  41. Ola, muito bom o relato ! Achei o site pesquisando pela internet, pois pretendo viajar agora em dezembro de carro para o nordeste. Vou sair de Brasília, nunca fiz esse caminho e toda a ajuda é bem vinda. Vou ler depois de novo com calma e quem quiser oferecer algumas dicas será bem vindo…rs ! obrigado

    1. Olá, Eduardo. Bem-vindo ao blog. Aguardamos o seu retorno após a “leitura calma” que você vai fazer. Lembre-se que o post pelo qual você chegou aqui foi o “Brasília-Salvador-Natal”, que está publicado em nosso site http://www.expressaodaliberdade.com.br, onde há diversos outros sobre rodovias na região, com um monte informações, principalmente nos comentários.
      Um grande abraço.
      Abreu

  42. Olá Abreu, cheguei ao blog pelo google “situação da estrada correntina bom jesus da lapa”. Que maravilha sua disposição em ajudar. Parabéns. Também sou de Brasília e estou viajando com minha esposa agora em novembro/2015 rumo ao nordeste. Pretendíamos passar por Correntina e Bom Jesus da Lapa antes de chegarmos a Lençóis, mas em razão da situação da estrada acabamos desistindo e seguindo direto pra Lençóis. Vamos ficar alguns dias na Chapada e depois seguir rumo à Linha Verde, aproveitando cada pedacinho do litoral. Um grande abraço! Francisco (44) e Eliana (41), Honda Civic 13/14.

    1. Olá, Francisco. Obrigado por suas carinhosas palavras, que representam uma força para nós nesta luta. Corretíssima a decisão de evitar Correntina e Bom Jesus da Lapa. Em Barreiras, passe pelo anel viário e não pelo centro da cidade: está muito demorado passar por dentro. E não se esqueça de redobrar a atenção entre Lençóis e Itaberaba: há registros de muitos buracos no trecho (como sempre) e o seu Civic vai ficar muito sentido se você machucar suas rodas.
      Boa viagem para você e Eliana e não se esqueçam de dar notícias.
      Um grande abraço.
      Abreu

  43. olá Abreu meu muito obrigado pelas digas que vi no seu blog,fiz uma viagem para Aracaju recetemente saí de Águas Claras dormi em Barreiras na casa de parentes onde costumo passar uma vez por ano e no dia seguinte Ibotirama/Seabra e pernoitei em itaberaba pois não estava com muita pressa pois tinha calculada distancia,agora vem o melhor no trevo de Itaberaba segui a sua dica fui por Ipirá uma rota bem tranguila depois cheguei em F. de Santana onde peguei um engarrafamento tinha um acidente depois de 12 KM subi o viaduto a direita fui pela Br 101 Alagoinhas/Estancia finalmente Aracaju ao meio dia dentro do horário previsto e sem problemas, obrigado por essas informações tão importante para todos os viajantes, abraços e até próxima.

    1. Olá, Paulo. Bem-vindo ao blog. Obrigado por suas palavras: elas são muito importantes para nós, que fazemos esse trabalho exclusivamente com o intuito de diminuir os riscos e desconfortos dos que por aqui passam. E essas palavras nos dão um enorme estímulo para continuarmos fazendo este nosso ofício. Mas o melhor de tudo é o seguinte: meu filho mais novo, Dênis, saiu daí de Águas Claras no dia 08.5.2015 e voltou anteontem. Foi a Salvador, Aracaju, Maceió, Porto de Galinhas, Pipa e Natal, com a esposa. DE MOTOCICLETA. E nós estamos preparando o relato da viagem deles, para publicarmos aqui no blog. E você, por coincidência, já adiantou grande parte da história. Que bom que a gente está sintonizado. Mais uma vez, obrigado pela força de suas palavras.
      Um grande abraço.
      Abreu

  44. Ola sr. Abreu meu nome é Paulo e estou pensando e ir de Santa Maria DF ate Maceio e vou ser sincero sou motorista da Viplan, tenho 30 anos mas nunca viajei pra lugar nenhum o máximo foi ate Formosa kkkk, e ficaria muito grato se o Sr pudesse compartilhar um pouco da sua experiencia comigo pois nao sei nem pra que lado devo sair de casa kkkk, e se o Sr puder me responder por email eu agradeço muito e eu tambem gostaria de saber se aqueles guias de viajem da revista 4 rodas servem pra ter uma ideia ou se eu compro um GPS ???

    1. Olá, Paulo. Adoramos seu comentário. Amanhã vou responder a você por e-mail. Compre o guia Quatro Rodas 50 anos – está nas bancas. O GPS funciona maravilhosamente…em certas condições. Com o Guia 4 Rodas e este blog você estará bem.
      Um abração.
      Abreu

    2. Olá, Paulo. Como prometido, cá estamos para tentar ajuda-lo a chegar a Maceió e voltar sem problemas. Para isso, a primeira providência é você dar um pulo no nosso blog, e ler o Manual de Sobrevivência em viagens a passeio pelas rodovias brasileiras, que publicamos no seguinte endereço: http://www.expressaodaliberdade.com.br/?p=568.
      A rota da sua viagem será a seguinte: de Santa Maria você pegará a EPIA na direção de Formosa. Lembre-se de que até a Água Mineral você pegará congestionamento, mas depois melhora, porque você estará no contrafluxo (as pessoas que vêm trabalhar de Formosa, Planaltina, Brasilinha e Sobradinho estarão vindo para o Plano e você estará indo).
      A BR 020 começa na altura do Posto Colorado e você vai rodar 590 km nela até Barreiras, onde você pegará a BR 242 até Itaberaba, onde mudará para a BA 299 até Ipirá, pegando a BA 052 (Estrada do Feijão) até Feira de Santana, alcançando a BR 324 que vai até Salvador. Nessa BR 324 você tem duas saídas para Maceió: pela BR 101 ou pela Linha Verde.
      Nas três primeiras horas dessa viagem, dificilmente a gente consegue fazer uma média boa, por causa do tráfego. Coloque aí uma média de 70 km por hora. O ritmo só se desenvolve mesmo a partir de Alvorada do Norte. Ali, com pouco tráfego, dá para andar bastante sem maiores riscos.
      A estrada em todo esse primeiro trecho (BR 020) está boa, não encontramos nenhum buraco em nossa vinda no domingo passado.
      Como você deve saber, Paulo, nós aqui do blog recomendamos fortemente às pessoas que nos visitam a não viajarem à noite. Não existem – exceto algumas em São Paulo – estradas brasileiras que permitam que nós submetamos nossa família e nossos sonhos ao risco de viajar à noite. O buraco traiçoeiro, o cavalo atravessando a pista, o caminhoneiro que dorme na direção, tudo fica muito mais perigoso quando estamos viajando à noite, em estradas modestas, de pistas simples. E há pousadas relativamente baratas (em torno de R$ 20,00 até R$ 50,00 para casal com café da manhã ao longo de toda a rota. É só procurar e negociar). Então, Paulo, definitivamente, não se arrisque: parta ao nascer do sol – não antes – de Santa Maria e ao pôr-do-sol encoste seu carro, acerte a dormida, vá tomar sua cervejinha ou seu refrigerante e dormir. No dia seguinte, descansado, acabe de chegar a Maceió.
      Para isso, tente fazer 1.000 km no primeiro dia, dormindo em Seabra ou Lençóis. Isso lhe permitirá dormir no segundo dia em Maceió. Lembramos que, ao chegar à Bahia, em Rosário, a 300 km de Brasília, você ganha uma hora, porque na Bahia não há horário de Verão. Assim, quando você achar que são 18h00, ainda são 17h00 e você ainda tem uma hora de sol para viajar.
      Voltamos a insistir: não viaje à noite, porque o risco não compensa!
      Ficamos por aqui. Se você tiver dúvidas, retorne. Teremos o maior prazer em acompanhar você nesse passeio. Não se esqueça de dizer para nós quando será a viagem, qual o carro que você usará e quantas pessoas estão indo, inclusive se há crianças.
      Um grande abraço.
      Abreu

      1. Ola novamente Sr Abreu , olha vou sair daqui la pelo dia 10 de abril e vamos eu minha esposa , meu irmão , minha cunhada e minha bb de 8 meses e estamos indo em uma parati 1,6 ap mi 97/97 e ela faz uns 12,5 a 13 kms por litro dentro da cidade e isso andando rápido e puxando um reboque e oque o sr me diz sobre abastecimento nas estradas?

        1. E obrigada por ser tão atencioso , pode ter certeza que vou sempre estar passando por aqui e quando eu chegar passo por aqui pra compartilhar as informações com o sr e as outras pessoas.

  45. Olá! Abreu.. Sou de Salvador e pretendo seguir viagem para Brasília, sozinha sem ninguém para revesar… Então, preciso do roteiro e quero saber também pousadas para paradas,qtos pedágios existem e posto policial federal para qualquer dúvida. Desde já agradeço.

    1. Olá, Naildes. Bem-vinda ao blog. Como temos insistido aqui no blog, a viagem deverá ser dividida em duas etapas. Você poderá pernoitar em diversas cidades (Seabra, Ibotirama, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães). Tudo depende do local de onde você vai partir aí em Salvador, do modelo do seu carro e de sua experiência como motorista de rodovia. Os pedágios são poucos e baratos (apenas dois, se você sair pela Fonte Nova acompanhando a linha do metrô). Todas as cidades citadas têm posto da Polícia Rodoviária Federal, exceto Ibotirama cujo posto se encontra momentaneamente desativado. Observe os comentários que outras pessoas estão postando aqui (especialmente o do Igor, de hoje, e o do Otávio, de ontem). Eles trazem informações atualíssimas sobre o trecho. Na próxima sexta, dia 9, eu é que estarei na estrada e farei uma publicação específica no corpo do blog. Se você quiser, retorne para nos fornecer o modelo do carro, a data da partida e o local de onde você sairá de Salvador: assim teremos condição de ajudá-la de forma mais detalhada.
      P.S.: melhor não informar a data da partida. Apenas informe se você irá viajar antes ou depois de mim (dia 9.1.2015). Isso porque você já disse que vai viajar sozinha e é melhor que apenas você saiba a data exata, está bem? Seguro morreu de velho e desconfiado vive até hoje!
      Um grande abraço.
      Abreu

    1. Olá, Kelton. Bem-vindo ao blog. Gostei de sua idéia de mandar para nós a sua rota no Google Maps. Ainda não tinha pintado isso por aqui e gostamos muito. Duas observações: há alguns anos descobrimos uma rota de Itaberaba para Feira que evita a Matadeira (Rio-Bahia, ou BR 116). No trevo de Itaberaba, vire à esquerda e vá para Ipirá e de lá para Feira de Santana. Você vai se surpreender pelo baixíssimo tráfego e pela qualidade da estrada. A outra observação tem a ver com sua pergunta. Se você já está na BR 101, que o levará direto a Aracaju, por que pegar a BA 400 e chegar à Linha Verde? Se é porque você quer curtir a beira-mar, por que pegar a BR 101? Será que você que é viajar pelo Litoral de Sergipe? Então, vá até Esplanada e então desça para a Linha Verde no Conde. Lembre-se que agora a Linha Verde já nos conduz até Aracaju pelo Litoral, chegando à capital por Mosqueiro, sem a necessidade de retornarmos à BR 101 em Estância, como fazíamos até o ano passado. Não vale a pena arriscar-se na BA 400 naquele trecho de Cardeal da Silva. Se você tiver que visitar alguém em Baixio ou Itariri, desça de Entre Rios direto para Subaúma, onde a estrada está boa.
      Qualquer dúvida, retorne que teremos o maior prazer em trocar ideias.
      Faça uma boa viagem e não se esqueça de não viajar à noite (72% das mortes ocorrem nesse horário) e pernoite entre Ibotirama e Itaberaba.
      Um grande abraço.
      Abreu

  46. Amigo, não entendi essa dica!!
    Pode me explicar:
    g) não viajar nos trinta dias anteriores ao seu aniversário. Se for necessário, atenção redobrada;
    Não entendi!!!

    1. Olá, Ícaro. Essa é para os místicos, para os estatísticos e para os velhos lobos de estradas: cerca de 70% das mortes trágicas (aí incluídos os acidentes em estradas) ocorrem 30 dias antes ou 30 dias depois do aniversário da vítima. Científico? Não. Analise seus amigos e parentes mortos nessas circunstâncias e tire suas conclusões. Nós aqui do blog, particularmente, temos dúvidas. E como raposas velhas do asfalto turístico, obedecemos rigorosamente àquela placa “NA DÚVIDA, NÃO ULTRAPASSE”. E haja atenção e cuidado entre fevereiro e abril, no meu caso.
      No creo en brujas, mas que las hay, hay.
      Grande abraço e feliz aniversário, Ícaro!
      Abreu

  47. Grande Abreu,
    Tudo bem?
    Ferias chegandoooooo!
    Adoro ler e reler as histórias da sua família!
    Dezembro chegando e esse ano vamos de Brasília para Natal na nossa viatura domiciliar. Estamos traçando a rota, paradas e tal.
    Em 2011 fomos de Brasília para Sauípe e seu blog foi nosso guia. Parecia até que vocês estavam junto conosco.
    Estaremos mais uma vez juntos nessa!
    Abç

  48. Oi Abreu,
    Mês que vem estaremos viajando de férias para Itacaré. Qual melhor caminho? Acha que devemos considerar irmos por Minas (Montes Claros – Vitória da Conquista?)

  49. Olá Abreu,
    Novamente retorno ao seu site para pedir ajuda com relação aos trajetos de nossa futura viagem…ano passado fizemos uma bela viagem orientada por você e somos muito agradecidos por tamanha preocupação e carinho conosco e com todos os Sputnik’s.
    Nossa programação de viagem será da seguinte forma:
    1 dia : BSB – Lençois (pernoite)
    2 dia : Lençois – Estância (Sergipe)
    3 dia : Estância – Maceió
    Tenho algumas dúvidas :
    De Lençois até Estância qual seria o melhor percurso?
    De Estância para Maceió no ano passado fomos por Penedo, pegamos a Balsa e de lá fomos por umas cidades de Coruripe e Feliz Deserto, que de Feliz não tinha nada,rsrs, pois a estrada era tão esburacada que perdemos um pneu nesse local…por onde você nos indicaria de ir nesse ponto?
    Eu conseguiria acessar a Linha Verde a partir de Sergipe? Se sim, por onde poderíamos chegar até ela?
    Muitíssimo obrigada Abreu.
    Fica com Deus!!!

  50. Ola, o sr que ja viajou muito, poderia me informar se de salvador ate recife é perigoso viajar de moto? planejo fazer esta viajem em janeiro. desde já agradeço.

  51. Olá Abreu, primeiramente quero agradecer pela sua disposição em manter esse blog. Tenho vindo aqui quase diariamente, sonhando com uma viagem BrasiliaXNatalXFortaleza. Ainda estou na fase de convencimento dos meus 3 rapazes. Eu sou da estrada, amo viajar de carro, amo os momentos de alegria durante a viagem e tudo de bom que nos proporciona em familia , mas marido é caseiro por demais e acaba por “contaminar” os filhos. Moramos em Brasilia há 10 anos e somente depois de 5 longos anos, viajamos de carro para ver a familia no RJ e onde temos casa . Desde então, a viagem se repete a cada ano, e eu já conheço a BR 040 como a palma da minha mão. Agora tenho sonhado em conhecer o nordeste, onde moram parte da familia do meu marido , e este teu Blog está me ajudando a derrubar o argumento ” a estrada é perigosa” ou ” pra que ir de carro se podemos ir de avião? “. E eu penso e respondo … “pra que ter medo se que aqui temos um carro bom pra viajar, 2 motoristas experientes e nenhuma criança e ainda conseguimos conciliar férias…” e aproveito pra mostrar seu blog com todas as dicas. Tomara eu consiga realizar esse sonho de passar férias rodando pelo nordeste. … por enquanto fico aqui, me deliciando com os relatos dos sputniks.

    1. Olá, Vânia. Bem-vinda ao blog. E muito obrigado por suas palavras a respeito do nosso trabalho e dos seus sonhos. Como você deve ter visto, a nossa paixão é viagem rodoviária. Já fiz mais de 3.000.000 (três milhões) de milhas em viagens aéreas e talvez umas 1.000 milhas de viagens fluviais. Mas nada substitui o prazer do pé no chão, do contato com a paisagem, com as pessoas, com as comidas e com a alma do nosso país. Interrompi as viagens rodoviárias em 1.989, por absoluta falta de condições de trafegar por nossas estradas naquela época, quando cheguei a substituir 04 rodas (rodas, não apenas pneus) numa viagem entre Brasília e Salvador, naquele ano. Foi decorrência de uma decisão do governo Sarney, sugerida por seu então Ministro da Fazenda, Mailson da Nóbrega (hoje colunista da Veja) e o Ministro do Planejamento, João Batista de Abreu. Chamou-se “Operação Desmonte”, ou seja, o governo não investiria mais nada em manutenção de rodovias. E essa situação durou quase 20 anos. Nem Sarney, nem Collor, nem Itamar, nem Fernando Henrique alteraram aquela decisão. Fernando Henrique ainda avançou, através das privatizações, melhorando as condições das rodovias do sul, que já eram boas. E o restante continuou em processo de deterioração, até o momento em que eu descobri que havia uma mudança importante. Foi no ano de 2009, quando criei esse blog, para avisar aos demais apaixonados como eu por viagens rodoviárias, que, como diria Milton Nascimento “uma notícia está chegando lá do interior, que é muito mais, é muito mais que qualquer zona sul”, ou seja, havia surgido uma esperança no ar. Aliás, não: havia uma esperança na terra, no asfalto.E de lá para cá – já se vão cinco anos -, só tenho confirmado aquela sensação inicial: YES, nós temos estradas! Ainda não são uma Brastemp, mas já podemos levar nossos cônjuges e nossos filhos para apalpar o Brasil, sentir sua pulsação, sua temperatura e sua pressão.
      Por tudo isso, Vânia, tenho estimulado nossos sputniks a botar o pé na estrada. Claro que temos de tomar alguns cuidados. Por exemplo, se você for fazer um cruzeiro marítimo, eu lhe diria: “Vânia, evite o navio Costa Concordia e seu comandante Schetini”. Se você for de avião, eu lhe diria: “Vânia, evite voar pela Avianca, principalmente se aeronave for o E-28, que é o antigo Fokker-100 maquiado e que já matou tanta gente”. Se você for para o Nordeste de carro, eu lhe diria: “Vânia, siga rigorosamente as orientações deste blog (não viajar à noite, nada de bebidas, cuidados com a manutenção do automóvel, não deixe o tanque ir abaixo do meio, etc, etc, etc)”. Ah sim, se você estiver a pé, eu lhe diria: “Vânia, cuidado ao atravessar a rua, olhe o sinal, olhe o motoqueiro, passe pela passarela, etc, etc, etc.”.
      A vida, Vânia, são brevíssimos instantes. É sábio aproveitar da melhor maneira possível cada um deles. E percorrer o Brasil com seu marido e seus filhos de automóvel, dividindo experiências divertidas, vivências surpreendentes, “micos”, decepções e alegrias novas, vai marcar positivamente cada um de vocês para o resto de suas vidas.
      Pé na estrada, garota! Eu te acompanharei pelo controle remoto!
      Um grande abraço para a família toda.
      Abreu

      1. Abreu, agradeço pela resposta. Eu ainda não estou na estrada rumo ao nordeste, mas já estou sim, seguindo rigorosamente as dicas do seu Blog . Já decidi que faremos a viagem em 3 etapas e já fiz uma lista de possíveis hotéis para o 1° pernoite ( possivelmente em Ibotirama ou Seabra) . Estou olhando opções de onde pernoitar na 2° noite , pois de lá pretendemos seguir para Natal e depois de alguns dias, iremos pra Fortaleza. Já calculei ( claro que é só uma previsão) os gastos com combustivel para nosso Cruze 1.8, também gastos com alimentação e outros. Isso tudo, ainda sem convencer meus 3 rapazes. Estamos na fase do “vamos ver”… mas já está melhor que o “não !” (risos). Não estou mais sozinha nessa empreitada de convencer minha familia, pois nossos melhores amigos também estarão em Natal, no mesmo período que nós. Pura coincidência , ou obra do destino. Eu amo a estrada…trabalho o ano inteiro sonhando com as férias curtindo a familia dentro de um carro… mas cansei do Rio, e das mesmas praias da Região dos Lagos. E já avisei ao marido, que quando aposentarmos vamos morar num carro e passar férias na nossa casa, lá na roça da saída sul. Ele só ri e diz : ” vamos ver “… mas depois de 25 anos de casados eu já aprendi que o “vamos ver”, é quase “sim !”.

  52. Olá. Gostaria de dar minha contribuição sobre o trecho Brasília guaibim bahia que realizei em 14 janeiro de 2014. De Brasília até 60 km antes de correntina bahia o trecho está bom. Antes de correntia cerca de 60 km eh bom ficar atento que há buracos, alguns deles tapados com terra pela prefeitura local. De correntina até igaporao trecho está bom. Dei igapora até caetite eh o grande problema, pois está bastante esburacado, em que pese a prefeitura tente tampá-los com terra. De caetite até brumado muito boa a estrada. De brumado até tanhacu esta ruim com muitos buracos o trecho eh de cerca de uns 30 km. De lá até o guaibim, passando por jaguaquara, lage, eh só alegria. Boa viagem a todos. Optei por este trecho por odeio trânsito com caminhões. Catei alguns buracos mas o carro voltou inteiro e sem problemas aparentes.
    Abraços!
    Parabéns pelo blog.

  53. Olá. Gostaria de dar minha contribuição sobre o trecho Brasília guaibim bahia que realizei em 14 janeiro de 2014. De Brasília até 60 km antes de correntina bahia o trecho está bom. Antes de correntia cerca de 60 km eh bom ficar atento que há buracos, alguns deles tapados com terra pela prefeitura local. De correntina até igaporao trecho está bom. Dei igapora até caetite eh o grande problema, pois está bastante esburacado, em que pese a prefeitura tente tampá-los com terra. De caetite até brumado muito boa a estrada. De brumado até tanhacu esta ruim com muitos buracos o trecho eh de cerca de uns 30 km. De lá até o guaibim, passando por jaguaquara, lage, eh só alegria. Boa viagem a todos. Optei por este trecho por odeio trânsito com caminhões. Catei alguns buracos mas o carro voltou inteiro e sem problemas aparentes.
    Abraços!

  54. Olá Abreu,

    Mais uma vez utilizo os valiosos serviços de informações prestados neste espaço para saber qual o melhor caminho de Salvador até Natal? Pois o caminho até Salvador fizemos com segurança em dezembro de 2013 seguindo as suas orientações. Existe alguma novidade para este ano neste percurso? Nos sentimos tão tranquilos com essa viagem que sempre realizamos de avião por medo da estrada. Mas agora planejamos subir até Natal.

    Iremos eu e meu marido com dois bebês, de 1 ano e 6 meses e outro de 3 anos, dia 08/01 saindo de Taguatinga – DF, rumo as praias potiguar. Se mais uma vez puder nos ajudar ficaremos muito gratos.

    Admiro muito o seu trabalho e fico viajando junto com você na riqueza de detalhes que você coloca ao descrever suas viagens. Quando for grande pretendo fazer uma viagem de carro até os nosso vizinhos sul-americanos da Argentina e do Uruguai assim como vocês fizeram. Achei maravilhoso este post. Bom mas este é um projeto mais para frente….risos. Agora estamos precisando mesmo da sua ajuda para sair de Taguatinga – DF e chegar com segurança em Natal – RN.

    Aproveito para desejar um 2014 repleto de saúde, prosperidade, amor e muito sucesso para você e toda a sua família!

    Abraços Daniela e Eduardo.

    1. Caros Daniela e Eduardo,
      obrigado por suas palavras carinhosas: elas são um importante estímulo para nós!. Quanto à rota Salvador-Natal, vocês já viram nosso post, neste blog sobre aquele trecho? Vocês acessam diretamente o texto “RODOVIAS BRASILEIRAS: Brasília-Salvador-Natal” na está disponível no endereço . As condições ali descritas continuam atuais, segundo alguns amigos de Salvador que têm feito recentemente esse percurso.
      Se vocês já haviam lido o post, retornem que nós complementaremos com o que temos de mais atual.
      Um forte abraço, feliz ano novo e obrigado mais uma vez.
      Abreu

    2. Daniela e Eduardo,
      com essas correrias de fim de ano, somente agora percebi que vocês haviam comentado o post “Brasília-SAlvador-Natal” e não o “Brasília-Salvador”. Assim sendo, permanecem válidas as informações ali contidas, bem como o acréscimo da chegada a Aracaju via Mosqueiro.
      Desculpem o mau jeito!
      Abreu

  55. Olá Abreu, agradeço a iniciativa do blog, que é de enorme utilidade para todos. Não sei se teremos a sua resposta em tempo, mas de qualquer maneira, gostaria se possível da sua ajuda no seguinte: Estarei pegando a estrada nessa sexta 27/12 de Brasília para a Praia do Forte, e como nunca fiz esse roteiro de carro, gostaria do trajeto passo-a-passo (com as BRs, trevos, desvios, etc.) e de indicação de um bom hotel em Lençois para o pernoite. Obrigado, Abraços. Fabio Franco

    1. Olá, Fábio. Bem-vindo ao blog. Dada a urgência, uma vez que você viaja amanhã, transcrevo abaixo nossa resposta ao Daniel, que irá para a Praia do Flamengo:

      “Enviado em 25/12/2013 as 16:51 | Em resposta a daniel.
      Olá, Daniel. A rota para Salvador está descrita com detalhes no post, principalmente nas “Observações Atualizadas”. No seu caso, é sair de Taguatinga pela Estrutural, pegar o viaduto Airton Senna após a Cidade do Automóvel e descer na EPIA. Pronto: a EPIA é o início da BR 020 e da sua viagem. O km 1 da BR 020 fica em frente ao Colorado. Dali até Luís Eduardo Magalhães, onde a BR 020 termina, são 500 km. Você vai pegar lá a BR 242, passando por Barreiras e Ibotirama, até Itaberaba, onde tomará a esquerda (BA093) até Ipirá, à direita pela BA 052 até a BR 116. Na BR 116, após 5 km, você chegará a Feira e à BR 324, que te levará a Salvador.
      Se você for para Salvador, é só seguir sempre pela BR 324 que, ao final de 110 km, você estará na capital. Se você for direto para a Praia do Flamengo e quiser evitar o trânsito de Salvador, veja o roteiro que publicamos no post “Rodovias Brasileiras:Brasília-Salvador-Natal” (www.expressaodaliberdade.com.br/?p=44). Ali nós orientamos a seguir pela BR 324 até as imediações de Simões Filho, onde fica o posto da Polícia Rodoviária Federal. Dois quilômetros após o posto e depois de passar por um viaduto inacabado e abandonado, apanhe o viaduto à sua direita. Estando em cima do viaduto, você estará na estrada que vai levar você ao balão do Aeroporto. No balão, em vez de ir para o Aeroporto, é só seguir a sinalização para ir para a Orla e Itapuã. Chegando à beira-mar (você estará em Itapuã), tome a esquerda pela orla. Dali a aproximadamente 10 km você estará na praia do Flamengo e na barraca do Louro.
      Se tiver alguma dúvida, retorne.
      Tenha um Feliz Natal e faça uma boa viagem.
      Abreu”

      Como você pode ver, Fábio, o roteiro não apresenta dificuldades. No seu caso, a diferença é que, ao chegar ao balão do Aeroporto, orientamos o Daniel a ir para a beira-mar, em Itapuã. Você, no mesmo balão, deverá tomar a via que leva ao Aeroporto, sem entrar nele. Isso significa que você deverá passar em frente ao Aeroporto e seguir para Lauro de Freitas, pela Estrada do Coco(ao sair do balão, você já estará na Estrada do Coco). Seguindo direto por essa estrada, não tem erro: 60 km depois você estará na entrada (do lado esquerdo da via) da Praia do Forte. A pista em grande parte é duplicada e pedagiada.
      Quanto a hoteis em Lençois, sempre fico no Canto das Águas. Mas há outros, como o Portal de Lençois, com a mesma qualidade, ou outros mais modestos e mais econômicos.
      Espero que você receba esta resposta a tempo.
      Um grande abraço e voa viagem!
      Abreu

      1. Oi Abreu, show! Perfeito e simples de compreender… vou tentar imprimir e levar este post. Abraços e Feliz Ano novo!!!

  56. Caro Abreu, foi com imensa satisfação que “descobri” hoje (e não consigo entender como não encontrei antes) o seu Blog, que é simplesmente maravilhoso. Parabéns! Estou me preparando para fazer a jornada Brasília-Recife nos próximos dias. Embora já tenha feito esse percurso antes, já faz cinco anos que não viajo de carro por mais de 300km. Esse ano, resolvemos voltar à estrada eu, minha esposa e nossos três rapazes para visitar a nossa terra natal, agora por terra. O percurso via Barreiras-Ibotirama-Feira, continua em boas condições?
    Abraços,

    Nilson

    1. Nilson, sei que você já passou antes aqui pelo blog, mas não tenho certeza se já respondi a esse comentário seu de 07.12.2013. Pode refrescar minha memória?
      Abreu

      1. Abreu, Vc Certamente Me Confundiu Com ALguM Xará. Esse Meu Comentário Foi O PrimeirO Que Fiz Neste Blog

    2. Olá, Nilson. Bem-vindo ao blog e desculpe a mancada de achar que você já havia passado por aqui. O problema é o seguinte: quando entra o comentário, nós temos de moderar, isto é, analisar e decidir se aquele comentário não ofende alguém, não agride uma legislação, não viola um costume, etc. Normalmente, eu modero e imediatamente respondo.
      No seu caso, eu moderei, ou seja, admiti que seu comentário fosse publicado e demorei a responder. Como estou numa idade em que, para entrar uma informação no meu cérebro outra informação tem de sair, foi fácil achar que você já tinha passado por aqui. Desculpe, mais uma vez.
      Quanto à sua pergunta, a resposta é SIM! Vá em frente, com os cuidados necessários, que essas estradas te levarão ao seu Recife e te trarão de volta para nós.
      Um grande abraço.
      Abreu

  57. Lindas palavras e parabéns pelo trabalho! Desejo um dia seguir esses passos de um casal que viaja junto!! Adorei ler e sou muito grata por ter encontrado tantas dicas preciosas!!! De novo, obrigada!
    Planejamos, eu marido, filhos (bebes- 2 e 3 anos-Uns anjos..) e dois enteados adolescentes fazer esse trecho. Fiquei encantada com as paisagens que descreveu em Xingó e penso em parar para conhecer. Dá pra ver em quanto tempo? Nosso plano inicial era dividir o trecho brasilia – natal em 2, parando em Feira mas pelo que foi dito melhor para antes em Lençóis, correto?
    Hoje os relatos saõ de viagens de casal… Vcs certamente com uma “quilometragem” tão alta , viajaram com filhos pequenos, certo?!!
    Como foi?! Abraços!!
    Aguardo dicas, Grata

    1. Olá, Janaína. Bem-vinda ao Blog. Como vocês viram no post e já compreenderam, não é recomendável fazer o trecho em 2 dias. Então, façam o que estão pretendendo: pernoitem em Lençóis, com direito a uma volta na pracinha no princípio da noite, muita gente bonita, barezinhos, restaurantes e lojas. No dia seguinte, é possível já dormir em Xingó, fazer o maravilhoso passeio no cânion e visitar o museu arqueológico (fantástico e emocionante) e se mandar para Aracaju. Se tiverem tempo, visitem Angicos, onde morreu Lampião(fica no caminho).
      Para as crianças e adolescentes, não se esqueçam de frutas, água, refrigerantes, biscoitos, gibis e video-games. CDs de histórias e músicas infantis ajudam os bebês a se distraírem. E não se esqueçam do Dramin B (meio comprimido para cada um, se costumam ficar nauseados). Aos meus, cujos enjoos já conhecíamos, dávamos o Dramin meia hora antes da partida de Brasília. Eles dormem durante uma hora, uma hora e meia e seguem tranquilos o resto do dia, sem vômitos.
      Compre na farmácia ou improvise protetores de vaso sanitário: às vezes, na hora inadiável da necessidades dos pequenos, a gente tem de enfrentar umas barras pesadas em termo de banheiros nesse percurso.
      Quanto ao mais, é reabastecer a cada 200/250 km e colocar todos a esticar as pernas e ir ao banheiro nessas paradas.
      Uma boa viagem e um grande abraço.
      Abreu

  58. Salve salve camarada Abreu,

    2 anos depois estou de volta ao blog, atualizadíssimo e revolucionário como sempre, aquilo que eu considero a verdadeira função social da internet, enfim não pouparei elogios e você deve ter uma bela coleção deles, então… após todo esse tempo resolvi planejar uma viagem de carro com a família, ocorre que após meu compadre/cunhado mudar-se de São Paulo para Natal já fui visitá-lo 2 vezes, apesar de dizerem que cunhado não é parente o dito cujo carcará sanguinolento acabou virando meu compadre, como as duas viagens foram de avião, depois de lá estar ou ficava dependendo dos horários e veículo dele e da comadre ou então tinha que ficar pechinchando veículos de aluguel com todas aquelas exigências ridículas, por isso resolvi retomar nossa tradição familiar (já desbravamos as estradas brasileiras de norte a sul na década de 80) e vou botar uma EcoSport 2.0 automática na estrada e curtir mais essa aventura dentro de 1 mês, pois bem: saindo de Goiânia vejo que as condições da estrada até Feira de Santana continuam semelhantes há 2 anos atrás, a dúvida agora é a conclusão da BR-101 após Palmares-PE, você ou algum sputnik têm essa noticia? tenho pesquisado e infelizmente encontrei noticias de trechos incompletos nas regiões metropolitanas além do alto risco de assaltos no trecho Sergipe/Alagoas devido ao ritmo lento das obras, vou confirmar isso ainda com a PRF e o DNIT, por isso planejei a viagem inicialmente da seguinte forma: no primeiro dia saída após o almoço vamos até Alvorada do Norte-GO, no segundo dia até Alagoinhas-BA e o restante pegando o trecho mais critico durante a manhã e chegada no fim do dia a Natal, embora há 2 anos atrás fomos até Maceió fizemos a maior parte desse trecho pelas estradinhas litorâneas de SE/AL mas o pouco da 101 que pegamos já deu uma idéia da canseira que vai ser novamente, enfim prazer em teclar contigo mais uma vez, apesar de aparecer por aqui só em tempos de férias tenho tido a honra de poder relatar nossa experiência para que muitos outros venham pelo mesmo caminho, permita fazer o comentário em dois locais diferentes pois vejo que o post “Brasilia-Salvador” é mais movimentado que o outro, aquele abraço e até mais, saudações…

    Robert Plant

    p.s. a pergunta central é a seguinte: quais as condições do trecho Feira de Santana – Natal pela BR-101?, quem tiver condições de nos informar agradecemos muitíssimo quaisquer relatos, obrigado mais uma vez…

    1. Olá Robert,
      Fizemos esse trecho há pouco tempo, no nosso caso fomos parando em Sergipe, Maceió, João Pessoa e depois fomos a Natal.
      Acima coloquei um relato com mais detalhes sobre a estrada e nossa viagem, de qualquer forma desde já aviso que o trecho passando por Penedo, Feliz Deserto e Coruripe, está em PÉSSIMO estado, muitos buracos na estrada, então nesse trecho eu recomendo ir pela BR 101. O restante do trajeto nós fomos fazendo pelas estradas mais próximas ao litoral mesmo, a maioria é bom estado.
      Acredito que o Abreu possa te orientar melhor quanto as suas dúvidas.
      Espero ter ajudado.
      Grande abraço.
      Candy

      1. Obrigado pelo relato Candy, mas especificamente, a partir de PE, algum trecho da BR-101 que ainda não está duplicado? Há 2 anos atrás fiz o trecho Salvador-Maceió pelas estradinhas do litoral, recomendo, dessa vez vou até Natal exclusivamente pela 101, algum trecho muito castigado? essa situação em Recife tive notícias, você lembra como estavam as obras em SE/AL? mais uma vez obrigado pelas informações…

  59. Caro Abreu,
    Permita-me assim chamá-lo.
    Depois de suas detalhadas justificativas, confesso que razão lhe assiste. De fato, quem não dispõe de um carro possante, novo etc. e transporta família, o melhor mesmo é seguir via Barreiras. Falaram a experiência e o bom senso. Eu continuarei a seguir via Santa Maria-Javi( BA-172 ), cuja velocidade média pode oscilar em 100km/h.
    Por ali já viajei duas vezes por ano, sem alteração nas condições da estrada. No mesmo sentido o excelente trecho Itaberaba-Ipirá-Feira de Santana. No trecho entre entrocamento da BR-020-Correntina a velocidade média pode oscilar entre 110km.
    À evidência, estás autorizado a publicar tudo o que eu escrever.
    Reitero a gentileza de me informar se as condições da BR-101, em Alagoas(em duplicação ), “compensam” seguir direto por Propriá-São Miguel dos Campos-Praia do Francês, ao invés de desviar à direita( PRF ) com destino a Penedo. Já estou “enjoado” de seguir pela AL-101, aliás com vários buracos e diversos quebra-molas, o que, no geral, quiçá acaba sendo mais penoso do que ir via Propriá. Isso sem falar na perda de tempo na travessia do Rio São Francisco(30 minutos se pegar a primeira balsa ou 1 hora em caso contrário ).
    Obrigado.
    Geraldo.

  60. Oi, Abreu.
    Antes de mais nada, parabéns pelo excelente blog. Descobri-o na internet.
    Uma coisa me chamou a atenção. Tua tenaz preferência pelo percurso Brasília-Barreira-Salvador.
    Tenho apartamento em Maceió e já fui mais de 10 vezes de carro pra lá, saindo de Goiânia.
    Meu roteiro preferido( e dele já estou enjoado ) é via Correntina-S. Maria de Vitória-JAVI( BA-172 )-Ibotirama e etc. À exceção de trecho Correntina-Santa Maria da Vitória( regular ), os demais oscilam entre bom e excelente. Não sei por que descer até Vitória da Conquista e subir pra Salvador.
    E por ele voltarei no final do ano.

    1. Olá, Geraldo. Bem-vindo ao blog e obrigado por suas palavras: são um estímulo para nós. Quanto à rota por Barreiras, existem algumas razões que nos levam a recomendá-la aqui no blog.
      Primeiro, os nossos companheiros de viagem (sputniks, como os chamamos), que nos honram com suas visitas a este blog, nem sempre são veteranos de viagens rodoviárias pelo Brasil. Em sua grande maioria têm pouca experiência e alguns até confessam que é a primeira vez que vão dirigir o próprio carro numa viagem rodoviária.
      Segundo, usualmente o sputnik leva sua esposa ou seu marido e mais duas ou três crianças pequenas e, adicionalmente, até um ou dois avós, sem falar nos animaizinhos de estimação.
      Terceiro, os veículos utilizados não são carrões robustos, potentes, velozes e confortáveis. Grande parte é constituída de carros simples, de baixa potência e alta economia.
      Todos esses detalhes colocam em nossos ombros uma responsabilidade muito grande. Em caso de um problema de saúde das crianças ou da vovó, de uma pane mecânica ou de um acidente, é necessário colocá-los próximos de um atendimento minimamente satisfatório. O roteiro proposto tem uma cidade de porte médio a cada 200 km em média e nós disponibilizamos no post telefones de guinchos passíveis de serem acionados ao longo de todo o trecho.
      Também nos preocupamos muito com a qualidade dos postos de gasolina, restaurantes e banheiros a serem eventualmente utilizados no caminho.
      Outro item que somos obrigados a avaliar quando fazemos nossa recomendação é a segurança. A exposição dessas famílias a riscos de violência seria um erro do qual nós não nos perdoaríamos nunca. Claro que pode ocorrer, mas nós temos o dever de reduzir ao mínimo essa possibilidade. Para se ter uma ideia, Geraldo, neste exato momento, as estatísticas do blog estão indicando a média mensal de 1115 visitantes, sendo 538 só no post “Rodovias Brasileiras: Brasília-Salvador”, que é aqui onde estamos!
      Por último, entre todas as nossas razões, vêm a qualidade e o estado de conservação da estrada. Sob esse aspecto, existe uma relevante complexidade, porque:
      a) nós fazemos esse percurso em média 4 vezes por ano. Buscamos informações adicionais dos próprios sputniks (como estamos agora recebendo de você esses dados preciosos) e de amigos radioamadores (sou o PT2ERA) daquelas regiões. É muito pouco;
      b) algumas estradas brasileiras têm a capacidade de se deteriorarem violentamente em 48 ou 72 horas (vide o trecho de 100 km antes de Itaberaba, que desde 1984 é sempre uma caixinha de surpresas, bem como o trecho Bom Jesus da Lapa-Ibotirama, em que, a partir de Paratinga, é pura roleta russa – ou bom demais ou destruído). Acho que há algo de errado, um excesso de flexibilidade no solo sobre o qual se construiu a estrada naqueles trechos.
      Em decorrência de tudo isso é que apontamos a rota por Barreiras como a mais adequada para o público que nos visita. Claro, existem ainda duas razões adicionais, a nosso ver muito importantes:
      a) as distâncias pelo percurso que você faz, do trevo da BR 020 até Javi é de 391 km. A distância por Barreiras, do mesmo trevo da BR 020 até Javi, é de 404 km, ou seja há um ganho de apenas 13 km;
      b) pela via que você utiliza, de Santa Maria da Vitória até Javi temos um longo trecho de estrada estadual (BA 172), enquanto por Barreiras estamos o tempo todo sob a responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal e do DNIT, uma vez que todas as rodovias são federais (BR 020, BR 242 e BR 324). E entre a Dilma e o Jaques Wagner, eu prefiro a primeira neste quesito. A propósito, o telefone de emergência da Polícia Rodoviária Federal em território nacional é o 191.
      Bem, Geraldo, espero ter respondido à sua pergunta, mas, se houver dúvida retorne. A propósito, acho que vou transcrever esta resposta no corpo do post, porque sua indagação me forçou a levantar uma série de pontos que podem ser interessantes para nossos sputniks que não têm tempo de ler os comentários. Agradeço a você por isso também. Se você me autorizar, poderei publicar também seu comentário, ao invés de somente a resposta.
      Ah, quando nós indicamos Vitória da Conquista geralmente é para quem vai para Ilhéus, Itabuna, etc., e que gosta de adrenalina.
      Um grande abraço.
      Abreu

  61. Sr. Abreu. Apenas gostaria de parabenizar o senhor pela bela atitude em ajudar a todos que amam viajar por esse país tão maravilhoso. Por fazer algo que nos dias atuais tornou-se muito raro, o ato de se preocupar de forma salutar com nossos semelhantes. Que Deus ilumine sempre o senhor e sua família, nas viagens e na rotina diária de afazeres.
    Eu irei em outubro, com minha esposa e minhas cunhadas,fazer a maior viagem da minha vida e, espero que esta seja a nossa mais bela aventura juntos. Iremos fazer o trajeto: Brasília – Maceió – Jampa (essa é especial para nós) pela 7º vez..rs e para parar um pouco Natal junto de familiares de minha esposa que amamos e que também amam viajar e viver o que existe de melhor na vida. 30 dias maravilhosos de férias, que sem sua ajuda nesse site, seria cercada de inseguranças. Desculpe o texto longo, deixo aqui meu muito obrigado pelas dicas e logo deixaremos aqui nosso relato dessa grande viagem! Abraço!

    1. Olá, Beto. Bem-vindo ao blog. Velho, às vezes nós nos perguntamos por aqui: “-Por que a gente faz isso?”. E quando chega um comentário como o seu, tudo passa a fazer sentido: é pelo Beto e a família dele e centenas de Betos e suas famílias! Só que a maioria não retorna, não diz se estamos certos ou errados, se gostaram ou não. Então, Beto, uma mensagem como a de vocês é extremamente preciosa para nós. Significa que estamos no rumo certo e fazendo a coisa certa.
      Obrigado, Beto, de verdade!
      Como diria o Caetano, em uma de suas novíssimas músicas – UM ABRAÇAÇO!

      1. Abreu, meu muito obrigada também!
        Estou “invadindo” esse comentário pois fiquei extremamente emocionada com suas belas palavras ao meu amado Beto (sou esposa dele), não sei se você irá se recordar, mas meses atrás quando estávamos planejando essa viagem eu solicitei sua ajuda e dicas, e tão semelhante você me orientou carinhosamente assim como fez com o Beto.
        Atitudes como a sua são raras hoje em dia, infelizmente, vemos que o mundo está tão difícil, tão cruel, que ficamos desesperançosos e desmotivados, mas quando encontramos pessoas como você começamos a acreditar novamente que o mundo ainda pode ser melhor.
        Meus sinceros agradecimentos!!!
        Para aproveitar a ocasião queria solucionar mais umas dúvidas…rs
        – Ví em um comentário seu que você tem uma lista de guinchos, onde você disponibiliza essa lista?
        – Com relação a abastecimento segue a mesma dica de abastecer somente em postos conhecidos ou não há problema com isso nessa estrada? O preço da gasolina na estrada é mais caro que aqui em Brasília?
        – Sempre falam para evitar comer na estrada, em restaurantes, procede essa informação???
        Mais uma vez nosso muito obrigada, que Deus ilumine sua caminhada e de todos de bom coração.
        Até mais.

        1. Olá, Candy: bem-vinda de volta. Achei um barato essa lógica de candyebeto e betoecandy em seus endereços de e-mail.A gente percebe o amor de vocês, como diria Roberto, “a centenas de milhas” de distância. Muito obrigado por suas palavras de carinho. VAmos às suas perguntas:
          a) a lista de guinchos está aqui no blog “expressaodaliberdade.com.br”, no post “Rodovias Brasileiras: Brasília-Salvador” e na atualização “Observações atualizadas: 18.06.2011”.
          b) continuamos firmes na indicação: marcas conhecidas, principalmente postos BR (a Petrobras Distribuidora fiscaliza muito seus revendedores). Mas há também a Ipiranga e a Shell, onde nunca tive problemas. Mas preste antenção: há bandeiras aí das quais nunca ouvimos falar. Então, o melhor é acompanhar a dica da raposa velha aqui: deixar o o combustível baixar até, no máximo, meio tanque e reabastecer até a boca. O preço é uma curva senoide: começa alto, como Brasília, depois fica escandaloso, no norte de Goiás e oeste baiano, depois fica mais barato, na reta final para o litoral baiano. Na média, é o preço que a gente paga em Brasília (gasolina 3,00 etanol 2,20);
          c) com raríssimas exceções (Rosário e Posto Santa Helena em Itaberaba), os restaurantes de beira de estrada são uma roleta russa. Melhor não inventar.
          Um abraçaço para vocês dois.
          Abreu

          1. Querido Abreu,

            Venho trazer notícias sobre nossa viagem, antes de qualquer coisa saiba que as dicas e sugestões adquiridas em seu site foram de suma importância, nosso muito obrigado!!!
            Passamos 35 dias viajando, fomos de Brasília a Natal, seguimos seu conselho e fomos por Barreiras, uma boa dica que um amigo nos deu foi de encher o tanque em Vila Boa que fica a 159 km de Brasília, lá a gasolina é bem mais barata, abastecemos a R$2,59.
            Bem, algumas observações sobre as estradas em si…
            IDA (sentido Brasília – Natal) :
            * Trecho entre LEM e Barreiras relativamente perigoso (em nossa opinião), trânsito intenso de caminhões, deformidades na pista, curvas perigosas.
            * Em Ibotirama após 2 km do posto Rodoviário alguns buracos.
            * Chapada Diamantina, após a entrada do Parque um buraco enorme.
            No mais tudo ótimo.
            Abreu, vou fazer um relato do que aconteceu conosco com o intuito de alertar…
            Chegamos em Seabra por volta de 16:00 hs, vimos que distancia de lá até Itaberaba é 182 km, achamos que pelo horário e distancia daria para chegar antes de escurecer… aconteceu que pegamos o trecho da Chapada Diamantina, com trânsito pesado de carretas, eram muitas mesmo e a ultrapassagem era impossível, nesse trecho há muitas subidas e nossa velocidade ficou muito baixa, resultado, acabamos pegando um trecho no escuro, acho que uns 40 minutos de percurso, até chegar em Itaberaba, foi perigoso, não indico para ninguém, mas serviu como aprendizado, para nós e qualquer viajante inexperiente, não confiar somente na quilometragem, sempre ter algum tempo de segurança para diversos fatores que podem acontecer na estrada, seja um pneu furado, um pare – siga, muitas carretas, etc. Viajar a noite é cilada!
            No outro dia saímos de Itaberaba e resolvemos conhecer um lugar em Sergipe, Praia do Saco, achamos uma graça, ótimo para descansar, resolvemos ficar lá um dia, de Sergipe fomos para Maceió, um grande alerta, em Penedo- AL, trecho entre Feliz Deserto e Coruripe a estrada está PÉSSIMA, nunca ví tanto buraco na minha vida..rs. Perdemos um pneu nesse local, melhor ir pela BR 101 mesmo.
            De Maceió para João Pessoa viagem super tranquila, único ponto negativo é o transito intenso em Recife, que já é bem conhecido por todos.
            De João Pessoa a Natal pista duplicada, um tapete, melhor trecho da viagem.

            VOLTA ( Sentido Natal – Brasília)

            Saindo de Maceió na BR 101 muitos desvios, trecho em obras, desníveis, redobrar o cuidado nesse local.
            Entre Itaberaba e Lençois, e entre , Beira Rio e Ibotirama, trecho com Pare – Siga, estavam fazendo reparos na pista.
            Muitos buracos, nos dois sentidos, há 42 km de Ibotirama.
            Restante do trecho sem observações importantes.

            Sabe Abreu, agora concordo com você, viajar de carro realmente é um estilo de vida! Foi maravilhoso, único, especial e divertidíssimo. Tudo que presenciamos, todo conhecimento adquirido, a oportunidade de aprofundarmos nossa visão sobre muita coisa simples e que é importantíssimo em nossa vida, o contato com a natureza, todo esse conjunto é muito enriquecedor, será eterno em nossa memória e em nosso coração.
            Mais uma vez, nosso muito obrigada por toda atenção, carinho e informação prestada, pois você querido Abreu, foi um dos colaboradores da nossa belíssima e inesquecível primeira viagem de carro, de muitas que ainda virão.
            Muita paz a todos vocês!
            Candy e Beto 😉

  62. Olá, acabo de comprar um carro em Brasilia e estou indo busca essa semana. Moro em Natal e vi que você fez uma bela viagem até minha cidade. Gostaria de saber se você acha que existe muito risco em eu ir só, pegar estrada de BSB para Natal sozinho. quanto em media Você acha que eu iria gastar vindo direto? melhor colocar o carro numa trasportadora? abraço

    1. Olá, Daniel. Desculpe o atraso: uma viagem a trabalho a Santa Catarina me deixou meio fora do blog. Será que ainda posso te ajudar? Você já veio buscar o carro?
      Abreu

  63. Abreu,

    Maravilhoso o seu blog. É emocionante ler seus minuciosos relatos de viagens, em especial esta para Natal, onde pude imaginar cada cena descrita com riqueza de detalhes, principalmente quando é citado o litoral das Alagoas. Foi como se eu estivesse vendo um vídeo da última viagem que à Maceió e suas praias, do Francês, do Gunga, Tabuba, Gauxuma e outras tantas em outubro de 2012, só que sem a mesma emoção de viajar com o próprio carro, curtindo cada detalhe a cada quilômetro percorrido, sem pressa… só curtindo com a família, assunto que pretendo resolver em 2014 voltando àquelas terras, dessa vez, com meu carro, encorajado (isso mesmo, encorajado) pelas suas dicas e seguindo-as ao pé da letra.
    Vejo nos seus relatos de viagens, dos quais li boa parte, o espírito daquilo que deve ser uma viagem de férias: que é propiciar aos que estão no carro conosco uma viagem descontraída, divertida, e segura acima de tudo, a começar pela sua preocupação de que façamos um excelente deslocamento – principalmente no que diz respeito a sua recomendação de não viajar à noite nessas nossas estradas brasileiras, e sem pressa!, sua logística de abastecimento, com recomendações de abastecer pelo menos a cada 200/250 km, locais onde pernoitar, e o mais importante em uma viagem de férias, diversão aliada a segurança. Quem dera em nossas rodovias houvesse mais pessoas com sua mesma preocupação em viajar para se divertir, sem se esquecer da segurança, própria e dos demais “estradeiros”.
    Coitadas da companhias aéreas brasileiras se esse seu blog fosse um site comercial, com maior visibilidade… rsrsrs

    Parabéns,
    Do seu mais “novo” SPUTNIK.

    Vander Lopes

    1. Olá, Vander. Bom, vou ser direto: discuti com minha navegadora, diante do seu texto. A conclusão foi unânime (dois votos a favor): não íamos beber nada hoje, mas, depois desse feedback, desse gigantesco cafuné que você fez em nosso blog, vamos sair imediatamente e meter o pé na jaca, na Cabana da Cely, com lambretas, caranguejos e carne-de-sol (chique!) para comemorar. Afinal, Vander, mensagens como a sua são a nossa melhor remuneração. E, em nossa primeira cerveja (Devassa), o primeiro brinde será para você: Saúde e vida eterna para o Vander!
      Forte e fraternal abraço. Fomos…
      Abreu e Ivanizes

  64. Nossa, estou ENCANTADA, com a precisão das informações aqui postados por vc Abreu. Nunca viajei assim de carro e estou querendo ir a Natal em julho , nas férias. Moro em Brasília.
    Vc acha que p iniciantes, é perigoso? Ahhhhhhhhhhh, e vi um post de não viajar nos 30 dias antes do aniversário, já me preocupei pois é o niver de meu esposo. Se puder dar mais dicas eu agradecerei d+!!!!! Parabéns!!!

    1. Cara Márcia, bem vinda ao blog e obrigado por suas carinhosas palavras. No que respeita à viagem para Natal, pode arrumar as malas, revisar o carro e começar a ser feliz. Viajar de carro pelo Brasil é uma filosofia, um estado de espírito. Há pessoas que detestam, irritam-se e se preparam mal para cada viagem. E há o outro grupo, que adora, curte e se prepara detalhadamente para ela.
      Tudo então é uma questão de prazer e de preparo. E quem está preparado, tem muito mais chances de evitar os perigos, contornar irresponsabilidades, fugir das inconsequências, ultrapassar a falta de atenção. Em síntese, tem muito mais chance de driblar todos aqueles fatores que controem o que a gente no dia a dia chama de “ACIDENTE”.
      Não existem acidentes, Márcia: eles são CONSTRUÍDOS por nós, com muito carinho e dedicação. Como um artista plástico, um escultor, nós vamos juntando alguns defeitos mecânicos do carro, colocamos umas pinceladas de viajar à noite com chuva, acrescentamos uns amortecedores vencidos somados aos pneus carecas e descalibrados e, num toque de maestria, concluimos nosso obra prima tomando umas cervejinhas antes de dirigir, naturalmente sem o cinto de segurança.
      E isso vale também para a questão do período pré e pós aniversário. Não é que não se deva viajar. Nós falamos isso para chamar a atenção das pessoas ( e funciona – elas viajam mais atentas do que nunca): se as tragédias acontecem mais nesse período, nossa atenção apenas deve aumentar proporcionalmente.
      Enfim, cuidado, atenção, prudência. Principalmente, aprender com a experiência dos outros.
      Preparem-se, cuidem-se e bola pra frente!
      Um forte abraço.
      Abreu

  65. Caro abreu,

    muito obrigado por relatar e disponibilizar essas informações. Estou saindo de Brasília rumo a Recife na próxima semana e esse post me ajudou bastante a me preparar.

    Um abraço,
    Thiago

    1. Olá, Thiago. Todas as nossas orientações para a rota Brasília-Recife continuam válidas. Uma excelente viagem e reapareça para dar um relato atualizado da estrada, OK.
      Abração.
      Abreu

    1. Oi, Marcela, desculpe-me. Deixe-me explicar. Esse blog trata de um monte de coisas. Entre elas, trata de “Rodovias Brasileiras”. Entre as “Rodovias Brasileiras”, temos posts sobre rodovias do sul, do sudeste, do nordeste e por aí vai. Quem nos achou através do blog, digitando http://www.expressaodaliberdade.com.br, enxerga todos os posts, e especialmente o de todas as estradas que percorremos. Quem vem pelo Google – ou qualquer outro buscador – chega apenas do post que digitou no buscador.
      Então, é o seguinte: seu comentário está no post http://www.expressaodaliberdade.com.br, RODOVIAS BRASILEIRAS,” Brasília-Salvador-Natal” e o Felipe, que está indo para Valença e mereceu uma longa carta de minha parte, está nos comentários de RODOVIAS BRASILEIRAS, “Brasília-Salvador”.
      Isso significa que o velhinho aqui errou miseravelmente, achando que vocês estivessem no mesmo barco, ou seja, no mesmo post. Mas você pode consertar isso para mim. Basta ir ao blog http://www.expressaodaliberdade.com.br e rodar os posts até chegar ao RODOVIAS BRASILEIRAS, Brasília-Salvador e olhar os comentários (são centenas). Veja os mais recentes, ou seja, os últimos. Os do Felipe, a quem me refiro na resposta a você, são do dia 19.12.2-011, bem no finzinho da lista de comentários.
      Tudo o que você me perguntou está lá. Para evitar trabalho, posso adiantar para você: a rota que recomendamos é por Barreiras-Lençóis-Ipirá-Feira de Santana. Mas é bom você ler nossos argumentos. Nós temos um monte de razões para fazer essa recomendação. E a principal delas é a de que nossos companheiros de viagem (“sputniks”, em russo) aqui do blog vão e voltem felizes e inteiros!
      Qualquer dificuldade, retorne. No dia de hoje, estamos com 826 pessoas visitando esses dois posts (“Brasília-Salvador” e “Brasília-Salvador-Natal”). Mas cada um desses sputniks é especial para nós, porque, no momento em que clicam no nosso blog, a gente se sente um pouco responsável por cada um de vocês.
      Forte abraço e não se perca de nós.
      Abreu

  66. Boa noite, adorei o blog, todos deviam participar e ajudar.
    Assim que voltar da viagem darei noticias por aqui.

    Iremos de carro para Guaibim e estou completamente perdida, não sei qual estrada devo tomar, cada um me indica uma, estou muito na dúvida, algúem sabe me dizer a situação das rodovias até la?
    As condições mudam muito, já fui por Correntina e gostei, não tinha buraco, mas isso tem 1 ano, alguem sabe me dizer??

    1. Alô, Marcelinha. Bem vinda ao blog. Uai, menina, você está no mesmo barco do Felipe, que está indo para Valença. Dá uma olhada no comentário dele e em nossa resposta. E retorne: é sempre um prazer conversar com gente que se move por esse Brasilzão!
      Abração.
      Abreu

  67. Caro Abreu,

    Depois de tanto pesquisar descobri o seu blog e fiquei maravilhado com as minucias dos relatos sobre essa rodovia… parabéns pelo trabalho.

    Agora, estou saindo dia 29.12 de Cuiabá/MT com direção à Aracaju… pretendo passar 20 dias entre Salvador e Aracaju (estrada do Coco… peço sugestões de locais pra visitar e informações sobre o trajeto…

    Ah.. vou de Frontier 4×2, e com minha mulher e duas crianças (7 e 13)…

    Grato.

    Jean Barros

  68. Cara, eu vou fazer brasília-natal, pelo litoral, em dezembro. Vou de moto (125cc), mas seu relato e suas dicas vão me ajudar MUITO, obrigado. MUito obrigado, Kainã.

    1. Olá, Kainã, bem vindo ao blog. Brasília-Natal de moto é sonho de muito marmanjo. Quando nós voltamos dessa viagem, já aqui em Rosário, na divisa de Goiás com a Bahia, encontramos com um grupo de motociclistas – eram uns seis – que estavam voltando para Brasília de….Natal! Conversamos muito, falamos deste blog e eles nos passaram algumas dicas. Vamos postar algumas informações sobre essa forma de viajar. Vai depender muito dos meus filhos e noras – motociclistas apaixonados.
      Forte abraço.
      Abreu

  69. Lendo tudo isso me bateu uma vontade GIGANTEEE de ir de Brasília pra Natal de carro em dezembro!

    1. Alô, Andreia,
      aproveite o Natal e dê para você mesma esse presente. Aquela maravilhosa parcela do Brasil está lá, esperando por você. E conte integralmente conosco para levá-la e trazê-la por controle remoto.
      Forte Abraço.
      Abreu

        1. Olá, Andréia. Bem-vinda de volta. Hoje mesmo eu conversava com uns amigos, lembrando que as férias nos oferecem três prazeres: o planejamento, a viagem propriamente dita e as fotos para ver após o retorno. Antigamente essa terceira parte era mais interessante, porque só após a volta é que a gente mandava revelar. Hoje já durante a viagem a gente não só as vê como envia para os amigos, para enchê-los de inveja. De qualquer modo, você está na fase do planejamento, que é fantástica.
          Curta sua felicidade ao planejar e conte conosco!
          Um grande abraço.
          Abreu

  70. Boa tarde amigo Abreu! Sempre com suas valiosas dicas pra nos ajudar. Depois do relato da sua viagem fiquei até com vontade de mudar o roteiro da nossa viagem de janeiro/12. Um grande abraço e continue sempre essa pessoa de alma indiscritivelmente boa e sempre jovem.

    1. Obrigado pela força. Vocês devem saber o valor que tem para nós uma mensagem como esta, que é, afinal, o grande retorno com que a gente conta! E olhem que nossas estatísticas, fornecidas software do blog, informam que, no período dos últimos trinta dias, de cada 128 pessoas que nos visitam em busca de informações, apenas UMA deixa um comentário.
      Retornem a qualquer hora para falar desse roteiro de janeiro/12. Um forte abraço.
      Abreu

  71. Olá “Meu Amigo Abreu”, respondido a pergunta, vamos em frente, rs rs.
    O mundo infelizmente está carente de pessoas como nós, assim, coisas como se preocupar com os outros, viajar com a família, ter amigos, etc, passou a ser uma coisa meio “Esquisita” e eu, “Esquisito” como sou, cresço quando encontro outros “Esquisitos” assim como você, rs rs, tenho 34 anos, más nossos pensamentos tem a mesma idade…
    Forte abraço do Amigo Edílio Andrade, “O Esquisito”

  72. Olá saudações Abreu,
    rapaz isso é digno de um livro, rs rs, ao ler seu relato de alguns trechos, especialmente quando você fala da Linha Verde, travessia de balsa em Penedo, eu viajei no tempo, em 2009, inclusive com seu precioso auxílio, realizei um sonho, Brasilia a Recife pelo litoral, Salvador, Aracaju, Maceió e finalmente Recife, tínhamos como destino o Sertão do Pajeú, só quem ja rodou por aquelas bandas para saber o quanto nosso brasilzão é bonito…

    Se eu nunca mais na vida viajasse de carro, as boas lembranças que trago daquela viagem seriam suficientes para manter o virus sputnik bem vivo na veia, rs rs…

    Abraços do amigo Edílio Andrade..

    1. Edílio, você é o cara, como diria o Obama. Sempre que eu preciso de uma força, você aparece! Você é o meu SAMU(192) e é muito legal saber que há alguém, do outro lado do muro, remando no mesmo sentido: ajudar pessoas, evitar tragédias. Muito obrigado, Edílio. Úm filósofo disse que ninguém faz amigos depois dos 40 anos: faz aliados. Eu estou com 59. Posso chamá-lo de meu amigo?
      Forte abraço.
      Abreu

      1. Boa noite grande Abreu,O Mestre da estrada;volto a este valioso tesouro de informações seguras.Peço umas dicas de rotas seguras se possível,eu quero saber se tem rotas seguras saindo de Natal R.N p/ Bom Jesus do Piauí,pois nunca fiz esse trajeto,queria visitar uns conhecidos lá perto, se não for seguro, mudarei os meus planos pois tenho que zelar por nossa segurança.Ou então usarei o plano( B) voltando por Paulo Afonso ou mesmo pela conhecida BR- 101 até F. de Santana,Sei bem que neste mês de julho tem muitas famílias nas estradas aproveitando as férias escolares que é o meu caso; deste já o meu agradecimento pois você me deu várias dicas importantes valeu amigo dos viajantes.
        Paulo B

        1. Olá, Paulo. Que bom tê-lo de volta, velho guerreiro das estradas! Acho notável sua disposição para viajar de carro – paixão que também é minha -, mas também por sua disposição de retornar depois de suas andanças e nos trazer o relato de suas experiências. Pelo que entendi, você já deve estar em Natal, não é mesmo? Depois nos conte como foi a viagem até aí, tá? Quanto à volta, eu acho arriscado e desnecessário atravessar esse semi-árido todinho para chegar a Bom Jesus. Nessa região não há uma cidade-polo, que ofereça uma boa estrutura em caso de pane mecânica ou de problema de saúde de um dos passageiros. As últimas cidades com esse perfil no roteiro Natal-Bom Jesus são Iguatu(CE), a cerca de 800 km e Picos a 524 km de Bom Jesus. A viagem toda (Natal-Bom Jesus-Brasília) é de 2.437 km. Já que você gostaria de visitar amigos em Bom Jesus, há duas outras alternativas. Uma delas é descer de Natal para Brasilia, como você já estudou e, ao chegar a Barreiras subir para Bom Jesus, retornar a Barreiras e continuar para Brasília. Essa rota envolve 3.387 km, quase 1.000 km a mais do que o roteiro pelo sertão. A outra possibilidade é ir de Natal para Teresina (Via Fortaleza), descer para Bom Jesus e de lá para Brasília, no total de 2.824 km, ou seja, cerca de 380 km a mais do que o rali do sertão. Eu, em seu lugar, não hesitaria em voltar por Fortaleza, porque é roteiro conhecido, bem assistido, estruturado, com as deficiências características das estradas dessa região, mas que são administráveis se não se viaja à noite. E você não viaja à noite. Por outro lado, a costa leste brasileira, desde o sul do Rio Grande do Norte até o sul da Bahia está debaixo de chuvas, enquanto o litoral norte está com sol. Mas, como dizem os advogados, “Vossa Excelência melhor dirá”. Qualquer que seja sua decisão, não deixe de dar notícias, hein, Paulo? Ficamos aguardando.
          Um abração fraternal.
          Abreu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *